Arena do Grêmio recebe certificação pela utilização de energia de fonte renovável O documento, emitido pela empresa Ludfor Energia, comprova que o complexo multiuso somente utiliza energia elétrica proveniente de fonte limpa e totalmente renovável.

Arena do Grêmio recebe certificação pela utilização de energia de fonte renovável

A Arena do Grêmio foi reconhecida, por intermédio da Ludfor Energia Ltda, pelo consumo exclusivo de energia elétrica, proveniente de fontes renováveis, em sua infraestrutura. O documento comprova que o complexo multiuso utiliza somente energia elétrica proveniente de fonte limpa, totalmente renovável e que não agride o meio ambiente, desde o dia 1º de dezembro de 2018.

Segundo o diretor de operações, Paulo Rossi, além dos benefícios da compra de energia via mercado livre esta ação contribui significativamente com a redução das emissões de gases de efeito estufa. “Desde o dia que adotamos esse método já foram mais de 36 toneladas de gás que deixaram de ser emitidos. Quando a economia vem atrelada à sustentabilidade a satisfação é maior ainda. Conseguimos uma economia na conta de energia da Arena superior à 20%, usando energia 100% de fontes renováveis.

“É muito legal ver um lugar como a Arena e toda sua visibilidade, se preocupando em consumir uma energia limpa, contribuindo com o meio ambiente e prestando um serviço para a sociedade como um todo. Além de também incentivar massivamente a conscientização das pessoas sobre este assunto”, analisa o representante comercial da Ludfor, Vinicius Lazzarotto.

A energia elétrica consumida pela Arena do Grêmio é proveniente de usinas de fontes incentivadas pelo Governo Federal, com o objetivo de obter uma matriz energética ambientalmente sustentável e renovável através das fontes: Eólica, Solar, Biomassa e Hídrica de pequeno porte (PCH’s e CGH’s).

Com a utilização de energia de fonte renovável, o complexo reduziu 36,95 toneladas de CO2, o equivalente a 1.021 mudas de árvores, conservadas por 20 anos; 92 transportes rodoviários, de uma tonelada de carga, percorrendo um trajeto de 500km; e 16 toneladas de papel/papelão enviadas para aterro sanitário.

Os dados apresentados e analisados seguem as metodologias internacionais do GHG Protocol Corporate Standard e Greenhouse Gas Protocol Initiative e o Intergovernamental Panel on Climate Change (IPCC), referências no assunto de emissão de gases e energia renovável.

Economia Esporte Notícias Tecnologia Trabalho