Até quando estupradores, homicidas, assassinos e corruptos responderão por seus crimes em liberdade… Até quando?!!!

Até quando estupradores, homicidas, assassinos e corruptos responderão por seus crimes em liberdade… Até quando?!!!

Amigos advogados criminalistas, dos MPs, magistrados e legisladores… Por favor, nos ajudem a explicar para os estrangeiros e também para os brasileiros indignados esta situação descrita pelo Kelly Matos e já compartilhada pela Simone Iglesias e outros colegas…

Kelly:
Repórter do Washington Post: “Me desculpe, estou tentando entender como vocês têm quatro rapazes identificados, que estavam presentes neste crime, e eles estão livres? Vocês não têm como prender? Eles não podem fugir? Eu estou tentando entender”.

 

Eu não sei o que a Kelly respondeu, eu diria: NÓS TAMBÉM ESTAMOS TENTANDO ENTENDER…

Hoje, na Rádio Guaíba, defendi o endurecimento das penas. Ao contrário de outros tempos, nenhum ouvinte se pronunciou contra. Ainda bem! Como o Brasil não tem pena de morte – sou contra – e prisão perpétua – apoio a ideia -, propus simplesmente que em caso de condenações de 30 anos, nossa pena máxima, crimes como esse não tenham nenhum tipo de benefício de redução. Ao longo desta sexta-feira, li vários posts aqui no Facebook defendendo o endurecimento das penas. Como pode o Congresso Brasileiro não ouvir a maioria da população. Que lobby é esse que evita o endurecimento do Código Penal Brasileiro? O pior de tudo isso é saber que agora muita gente no Congresso vai aparecer propondo mudanças, mas daqui uns dias quando a notícia sair da primeira página dos jornais e não estiver mais no rádio e TV… Todos, inclusive nós jornalistas, vamos tirar o tema da pauta até o próximo estupro de repercussão nacional, a próxima chacina, o assassinato hediondo… Quando vamos dizer CHEGA?!!! E vamos ter força suficiente para mudar uma lei que a maioria da população entende que é ruim! Eu não consigo entender que um sujeito siga em liberdade – quando se sabe que foi autor de um crime -, porque não foi preso em flagrante. O David Coimbra colocou muito bem o assunto: “Quatro dos 33 homens que estupraram a jovem no Rio, quatro foram identificados. A polícia sabe seus nomes e endereços. Mas eles estão soltos. E, por enquanto, não serão presos. Por quê? É a lei brasileira. A lei brasileira precisa mudar.”

Eu, que naturalmente já não gosto de 99% dos políticos e nem sei qual é o 1% que eu gosto, estou muito contente com o “vazamento” das gravações feitas pelo canalha do Sergio Machado com seus amigos, não menos canalhas: Jucá, Renan e Sarney. Ali fica evidente o medo que eles tem da falta de controle da Polícia Federal, independência do Ministério Público Federal e da Justiça Federal. A todo momento eles citam Rodrigo Janot e Sergio Moro, que hoje representam o que temos de melhor no Brasil. Servidores públicos que estão focados nos seus trabalhos. Que conhecem a legislação e a aplicam sem deixar espaço para recursos que se arrastem até a prescrição. Desviei o assunto? Não. Esses homens públicos podem ter um artigo diferente no Código Penal Brasileiro, mas ao fim e ao cabo eles também são estupradores. Estupradores dos cofres públicos, dos pacientes atendidos em hospitais sem a mínima condição, do futuro de crianças cujas famílias não conseguem acessar creches e escolas e das milhares de vítimas inocentes assaltadas e mortas todo dia, em todas regiões do País.

ATÉ QUANDO BANDIDOS VÃO ESTUPRAR NOSSAS AMIGAS, IRMÃS, MÃES E FILHAS E NÃO SERÃO DEVIDAMENTE PUNIDOS? ATÉ QUANDO POLÍTICOS CORRUPTOS VÃO NOS SAQUEAR ? ATÉ QUANDO?!!! CHEGA!!!

Um alento nesta sexta-feira, foi ler uma post onde o Procurador da República Eloi Faccioni: “Cultura do estupro??? Estupro é crime e quem faz sabe muito bem disso. No Brasil o que existe é a cultura da impunidade, uma macrocultura que abrange a cultura do estupro, a cultura da corrupção, a cultura do roubo, a cultura do estelionato, a cultura da fraude a licitação… O sistema penal não funciona. Falar em cultura do estupro é perder o foco do problema… E há quem defenda que se prende muito…”.  O Chicão (Eloi Faccioni), Simone, David, eu e dezenas de outros que estão indignados com a legislação brasileira temos filhos pequenos… Minha esperança é que a revolta de milhões de pessoas se transforme em ações que leve a mudança das leis, a escolha de melhores políticos para nos representar e claro a um futuro onde tenhamos paz e segurança para todos!

 

Artigos Comportamento Cultura Direito Direito do Consumidor Educação Notícias Opinião Poder Política Saúde Segurança

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *