Prédio da invasão Lanceiros Negros amanhece cercado pela BM. Local era invadido pelo movimento desde novembro de 2015

Prédio da invasão Lanceiros Negros amanhece cercado pela BM. Local era invadido pelo movimento desde novembro de 2015

Destaque

O prédio que era ocupado até ontem pelo movimento Lanceiros Negros amanheceu nesta quinta-feira cercado pela Brigada Militar. Cerca de 20 policiais e três viaturas estão no entorno do prédio nesta manhã na esquina das ruas General Câmara e Andrade Neves, no Centro de Porto Alegre.

O Batalhão de Operações Especiais (BOE) cumpriu na noite dessa quarta-feira uma ordem de reintegração de posse do local. Os policiais chegaram em frente ao prédio munidos de escudos e lançando bombas de gás lacrimogênio. Ainda assim, as famílias resistiram inicialmente à ação do Batalhão de Choque. Durante a desocupação, seis pessoas foram detidas, incluindo o deputado Jeferson Fernandes (PT).

O mandado de reintegração de posse da Ocupação Lanceiros Negros foi expedido na última segunda-feira pela juíza Aline Santos Guaranha, podendo ser cumprido a qualquer momento, inclusive no feriado. O prédio, de propriedade do governo gaúcho, estava sendo ocupado desde novembro de 2015. (Rádio Guaíba)

Morre Elói Celente

Morre Elói Celente

Destaque Publicidade

Acabo de ser surpreendido, pelo telefonema do meu querido Fernando Albrecht, pedindo informações sobre a morte de Elói Celente. Não sabia nada sobre o fato, mas na cabeça vieram imagem das várias vezes que cruzei com o Elói… Dos seus conselhos sábios e palavras gentis sobre minha atuação no Rádio e TV. Eu ouvia e depois repetia a brincadeira de que ele me elogiava em público, para eu não falar sobre a minha paixão universitária pela Gagá – que quase fez eu trocar o jornalismo pela publicidade -. A gente ria, colocava o assunto em dia e a vida seguia até o próximo encontro quando o roteiro era “encenado” novamente.

Como os encontros eram raros, o Facebook tratou de nos aproximar entre curtidas, comentários e mensagens inbox mais dicas e conselhos. Nunca fomos próximos, mas desde a década de 90 do século passado – quando o conheci -, houve uma profunda admiração da minha parte por ele. Primeiro por ser marido da Gagá e depois pela pessoa afetiva que sempre foi. Não tenho informação sobre a causa da morte e isso pouco me interessa. O que realmente conta é a perda de uma pessoa que aprendi a admirar e nas últimas 3 décadas sempre soube me encantar com seus aconselhamentos. Infelizmente fiquei sabendo só agora- depois da cremação- e não pude levar nem meu abraço para a Gagá, que eu espero tenha recebido o conforto de dezenas de amigos do casal. Descansa em paz, Celente !!

Semana que antecede o Dia das Crianças deverá ser de grande movimento no comércio

Semana que antecede o Dia das Crianças deverá ser de grande movimento no comércio

Agenda Cidade Destaque Poder Política Porto Alegre Turismo

Ainda dá tempo de preparar o varejo e decorar as lojas para o Dia das Crianças. Confirmando a tendência das últimas datas comemorativas, o consumidor pretende comprar o presente na semana que antecede o feriado na capital gaúcha. É o que apontou uma pesquisa encomendada pelo Sindilojas Porto Alegre e pela CDL POA com consumidores da Cidade. O estudo mostrou que 40% deve comprar na semana do Dia das Crianças e 15% na véspera do dia 12 de outubro, principalmente para não perderem prazos para eventuais trocas.

 

 

Vitrine do Leite na Expointer apresenta ações para excelência e desenvolvimento do setor

Vitrine do Leite na Expointer apresenta ações para excelência e desenvolvimento do setor

Agronegócio Cultura Economia Expointer Notícias

Durante a programação da Expointer 2016, será realizada a terceira edição da Vitrine do Leite, um estande de 110 m² onde produtores e consumidores terão acesso a informações sobre técnicas empregadas na cadeia leiteira gaúcha para promoção de sua excelência e qualidade. Localizado dentro do Pavilhão do Gado Leiteiro, a iniciativa conta com o apoio do Sindicato da Indústria de Laticínios do Estado do RS (SINDILAT) e do Fundo de Desenvolvimento e Defesa Sanitária Animal do RS (FUNDESA).

Aberto entre as 8h e 18h, o espaço tem como objetivo mostrar aos visitantes da feira como o leite é produzido, detalhando o caminho percorrido entre o campo e sua chegada à mesa do consumidor. Para isso, serão promovidas diariamente quatro oficinas, divididas em dois momentos. O primeiro consiste na exibição de um vídeo, que explica todas as etapas de produção, como o manejo de pastagem para alimentação do gado leiteiro, ordenha mecanizada, armazenamento e o processamento na indústria. Durante essa parte da oficina, haverá a consultoria de instrutores do SENAR a fim de sanar dúvidas do público presente. As exibições do vídeo estão previstas para as 10h, 12h, 14h e 16h.

A segunda etapa da oficina também será conduzida por técnicos da entidade, que apresentarão 26 receitas elaboradas a partir do leite, entre iogurte, queijos, ambrosia e outras. Os profissionais darão ainda informações sobre os valores nutricionais e propriedades do alimento. As oficinas ocorrem às 10h, 12h, 14h e 16h. Todas as ações serão gratuitas.

Mimosa na Expointer

45176119784278_miniNovidade para feira deste ano, a Vitrine do Leite contará com a “Mimosa na Expointer”, uma peça teatral voltada ao público infantil. A obra conta a história da Vaquinha Mimosa e sua turma, explorando de forma lúdica e divertida os benefícios do leite e das boas práticas na produção, além de mostrar parte da rotina do produtor rural. A iniciativa é uma promoção do SINDILAT, FUNDESA e SENAR-RS. As apresentações ocorrerão em quatro horários diferentes: 9h20, 11h, 13h20 e 15h.

Porto Alegre: Gre-Nal em horário diferenciado terá esquema especial de trânsito

Porto Alegre: Gre-Nal em horário diferenciado terá esquema especial de trânsito

Cidade Esporte Notícias Porto Alegre prefeitura Segurança Turismo

Em razão da realização do clássico Gre-Nal, neste domingo, 3, no estádio Beira-Rio, em horário diferenciado, às 11h, a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) realizou um esquema especial de trânsito e transporte para a região.
A linha de ônibus Futebol, voltada para a torcida colorada, vai operar com 12 ônibus e sairá do Largo Glênio Peres (Mercado Público, Centro), em direção ao estádio, a partir das 9h. Após o final da partida, os ônibus Futebol aguardarão os torcedores na rua Nestor Ludwig, ao lado do Beira-Rio. A torcida organizada do Grêmio terá dez ônibus escoltados pela Brigada Militar e EPTC, da Arena ao estádio do Inter. Além dos ônibus especiais, a avenida Padre Cacique é atendida por mais de 20 linhas regulares de ônibus, com embarque e desembarque em frente ao estádio. As linhas de lotação e táxi também terão reforço de atendimento.
O deslocamento dos pedestres poderá ser realizado pelo eixo Borges de Medeiros/Padre Cacique, que ficará bloqueado ao tráfego de veículos, das 9h às 14h. A Borges de Medeiros terá a pista próxima ao Parque Marinha somente para quem anda a pé. A outra pista será para o transporte coletivo e acesso local. Na Padre Cacique, somente o corredor de ônibus ficará liberado para o transporte.
Os condutores que se deslocarem ao estádio de carro deverão utilizar a av. Edvaldo Pereira Paiva que, excepcionalmente (já que a avenida é bloqueada aos domingos para lazer), terá a permissão de circulação de veículos, entre a rótula das Cuias até o estádio. No fim da partida, a via terá sentido único de tráfego, em direção ao Centro. Quem se desloca à zona Sul no horário do Gre-Nal e pretende evitar a região do estádio, pode utilizar a Terceira Perimetral para evitar congestionamentos.
Delegado da PF confirma informações de Veja. Revista garante que PGR não tem mais dúvidas de que Lula comandou trama contra a Lava Jato

Delegado da PF confirma informações de Veja. Revista garante que PGR não tem mais dúvidas de que Lula comandou trama contra a Lava Jato

dilma Notícias Poder Política
Parceria: Em acordo de delação premiada, o ex-senador Delcídio do Amaral revelou que seguia ordens do ex-presidente
Parceria: Em acordo de delação premiada, o ex-senador Delcídio do Amaral revelou que seguia ordens do ex-presidente. Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula/VEJA

Em sua última aparição pública, na manhã de quinta-feira, Lula estava abatido. Cabelos desgrenhados, cabisbaixo, olhar vacilante, entristecido. Havia motivos mais que suficientes para justificar o comportamento distante. Afinal, Dilma Rousseff, a sucessora escolhida por ele para dar sequência ao projeto de poder petista, estava sendo apeada do cargo. O fracasso dela era o fracasso dele. Isso certamente fragilizou o ex-presidente, mas não só. Há dois anos, Lula vê sua biografia ser destruída capítulo a capítulo. Seu governo é considerado o mais corrupto da história. Seus amigos mais próximos estão presos. Seus antigos companheiros de sindicato cumprem pena no presídio. Seus filhos são investigados pela polícia. Dilma, sua invenção, perdeu o cargo. O PT, sua maior criação, corre o risco de deixar de existir. E para ele, Lula, o futuro, tudo indica, ainda reserva o pior dos pesadelos. O outrora presidente mais popular da história corre o risco real de também se tornar o primeiro presidente a ser preso por cometer um crime.

VEJA teve acesso a documentos que embasam uma denúncia oferecida pela Procuradoria-Geral da República contra o ex-presidente. São mensagens eletrônicas, extratos bancários e telefônicos que mostram, segundo os investigadores, a participação de Lula numa ousada trama para subornar uma testemunha e, com isso, tentar impedir o depoimento dela, que iria envolver a ele, a presidente Dilma e outros petistas no escândalo de corrupção na Petrobras. Se comprovada a acusação, o ex-presidente terá cometido crime de obstrução da Justiça, que prevê uma pena de até oito anos de prisão. Além disso, Lula é acusado de integrar uma organização criminosa. Há dois meses, para proteger o ex-presidente de um pedido de prisão que estava nas mãos do juiz Sergio Moro, responsável pela Operação Lava-Jato, a presidente Dilma nomeou Lula ministro de Estado, o que lhe garantiu foro privilegiado. Na semana passada, exonerado do governo, a proteção acabou.

Há várias investigações sobre o ex-­presidente. De tráfico de influência a lavagem de dinheiro. Em todas elas, apesar das sólidas evidências, os investigadores ainda estão em busca de provas. Como Al Capone, o mafioso que sucumbiu à Justiça por um deslize no imposto de renda, Lula pode ser apanhado por um crime menor. Após analisar quebras de sigilo bancário e telefônico e cruzar essas informações com dados de companhias aéreas, além de depoimentos de delatores da Lava-Jato, o procurador-geral Rodrigo Janot concluiu que Lula exerceu papel de mando numa quadrilha cujo objetivo principal era minar o avanço das investigações do petrolão. Diz o procurador-geral: “Ocupando papel central, determinando e dirigindo a atividade criminosa praticada por Delcídio do Amaral, André Santos Esteves, Edson de Siqueira Ribeiro, Diogo Ferreira Rodrigues, José Carlos Costa Marques Bumlai e Maurício de Barros Bumlai (…), Luiz Inácio Lula da Silva impediu e/ou embaraçou a investigação criminal que envolve organização criminosa”.

Presidente da Fiesp não acredita que Temer possa fazer reformas estruturais como a trabalhista em 2016. Para Paulo Skaf o governo tem que centrar esforços na redução de juros e ajuste fiscal

Destaque Economia Negócios Notícias Poder Política

 

O presidente da Fiesp, Paulo Skaf, disse que sente a necessidade do governo federal passar a dar exemplo, ajustando o orçamento de 2016, que tem desequilíbrio entre as contas, sem cogitar um aumento de impostos. Sugeriu ajuste fiscal para equilibrar receitas e despesas do governo federal. Ontem Skaf foi ao Palácio do Jaburu, residência oficial do vice-presidente Michel Temer, para apresentar um conjunto de propostas para resolver a situação fiscal da União, sem a necessidade do aumento de impostos. O dirigente negou ter sido convidado para assumir um cargo em um eventual governo Temer, garantiu que a composição de um novo gabinete não foi discutida na reunião.

Em entrevista ao Programa Agora, da Rádio Guaíba, Skaf sugeriu a Temer que os programas sociais sejam preservados. Para ele, o equilíbrio fiscal deve ser almejado e para isso é preciso eliminar desperdícios para que o governo recupere a confiança, reduzindo juros e promovendo a retomada do crescimento. Skaf disse que quando a presidente Dilma perdeu a confiança e a credibilidade, com total desequilíbrio na parte política, tomamos uma posição firme em relação ao impeachment da presidente Dilma, conforme decisão que está nas mãos do Congresso, em razão da destruição da economia nacional. Como na avaliação dele há muito a ser feito, deixou claro que reforma estruturais, como a trabalhista, não devem ser feitas no primeiro momento. (Rádio Guaíba)

Agronegócio decide apoiar Impeachment de Dilma. Farsul e CNA lançam notas pedindo afastamento da presidente

Agronegócio decide apoiar Impeachment de Dilma. Farsul e CNA lançam notas pedindo afastamento da presidente

Economia Negócios Notícias Poder Política

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) se rebelou contra uma de suas integrantes mais importantes e presidente licenciada, a ministra da Agricultura, Kátia Abreu. Durante a entrevista à imprensa convocada para comunicar o apoio formal ao impeachment da presidente Dilma Rousseff, o presidente da entidade, João Martins, afirmou que o setor começa a ser prejudicado pela crise econômica e cobra um pacto nacional pela recuperação do País. Ele afirmou que a ministra se afastou do produtor rural ao continuar a defender o governo.
Martins comentou que a CNA preza pelo equilíbrio, mas disse que depois das declarações de movimentos sociais do campo, que pregaram a violência, não havia mais condições de não ter uma posição clara.

Na semana passada, o secretário de Administração e Finanças da Confederação dos Trabalhadores da Agricultura (Contag), Aristides Santos convocou, em evento de assinatura de medidas de regularização fundiária, no Palácio do Planalto, invasões de terras de parlamentares ruralistas, chamados por ele como a “bancada da bala” do Congresso, como forma de evitar o impeachment. “Fomos surpreendidos com o evento no Palácio do Planalto em que se pregou a violência e, dias depois, o ministro da Justiça, em vez de recriminar, defendeu os movimentos como legítimos porque apoiam o governo”, afirmou Martins. “Estudamos entrar com ações contra a Contag e o ministro”, observou. Ele disse que nas últimas semanas as pressões da base da CNA aumentaram e depois de uma consulta a todas elas, com exceção do Tocantins (Estado da ministra Kátia Abreu), todas se manifestaram favoravelmente ao impeachment.

sperottoportal-777x437
Carlos Sperotto, presidente da Farsul

Aqui no Rio Grande do Sul, a Farsul, que há alguns dias tinha lançado um forte manifesto sobre o difícil momento econômico vivido pelo setor do agronegócio, divulgou uma nota oficial apoiando o impeachment. Segundo o presidente da Federação, Carlos Sperotto o fato de um secretário da Contag, discursar no Palácio do Planalto pregando a violência contra os produtores rurais, sem nenhuma atitude mais forte da presidente ou de integrantes do governo Dilma foi determinante na decisão de oficializar o que a maioria do setor já pedia há muito tempo, um posicionamento favorável a saída de Dilma. O texto assinado pelo presidente Carlos Sperotto diz que: “A Federação da Agricultura do Estado do Rio Grande do Sul – FARSUL, entidade sindical de grau superior, com sede e foro em Porto Alegre, amparada na sua Carta Estatutária, e na decisão de Diretoria vem a público, por dever de lealdade à sociedade rio-grandense e aos Produtores Rurais 12959419_1739520012933661_1092268772_oDENUNCIAR com preocupação o cenário de instabilidade político-institucional que, sem solução, agrava-se dia-a-dia e coloca em risco as Instituições do Estado Democrático de Direito do Brasil e os resultados do agronegócio brasileiro. Não é só isso: O Setor Primeiro da Economia – que, reconhecidamente, dá sustentação à Economia Brasileira – não pode ficar silente ante as provocações e ameaças explícitas de movimentos ditos “sociais”, realizadas no Palácio do Planalto repercutidas em rede nacional incitando invasões de propriedades rurais. Isso tudo veiculado em horário nobre na presença da Presidente da República. Aliás, Sua Excelência, Sra. Dilma “ouviu, aplaudiu e cumprimentou o proponente”. Nosso repúdio pelo desserviço ao Brasil ante a postura inescusável e desagregadora da Presidente e falta de comprometimento como autoridade maior da Nação. Nesse sentido, nos somamos às demais Federações lideradas pela nossa Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil – CNA em defesa do IMPEACHMENT da Presidente Dilma Rousseff.”
A questão econômica está presente na decisão da CNA. O presidente da Confederação alega que o mercado interno está pouco demandado e isso tem afetado a produção agropecuária. Questionado sobre a relação entre a CNA e Kátia Abreu, ele afirmou que esta segue normalmente, com a entidade participando da formulação de políticas importantes para o setor.

“Quando a presidente Kátia Abreu se licenciou, nós separamos as coisas. Ela defende o governo do qual participa, nós defendemos o interesse do setor”, explicou o dirigente.

Durante parte da coletiva, ele se esquivou de avaliar a permanência da ministra do governo, mas ao fim do evento, deixou clara a distância entre a CNA e Kátia Abreu.

“Não posso dizer que ela abandonou o produtor, mas se distanciou do produtor rural ao continuar a defender um governo que a cada dia mais está se desintegrando”, reforçou. Ele garantiu, ainda, que os produtores rurais e os sindicatos vão participar maciçamente de movimentos sociais no dia da votação do impeachment como forma de pressionar os parlamentares. (Felipe Vieira com informações de O Estado de Minas)

Grampos: Lula cita Maria do Rosário, questiona onde estão petistas de ‘grelo duro’ e pede para difamar procurador de Rondônia

Direito Notícias Poder Política

 

O ex-presidente Lula flagrado em grampos telefônicos autorizados pela justiça demonstra clara intenção de atrapalhar as investigações em curso, além de articular a difamação de seus supostos ‘opositores’.

Em conversa interceptada em 27 de fevereiro, ás 10h52, Lula em conversa com Paulo Vanuchi cita o estado de Rondônia, quando diz que vai pedir para duas senadoras do grupo politico petista, a Fatima Bezerra e a conhecida Maria do Rosário que façam um ‘movimento’ ( difamação) para cima do procurador da república Douglas Kirchner que passou pelo Estado e foi acusado de espancar a esposa por motivos religiosos.

Mas o pior estava por vir, Lula ao se referir as senadores petistas, usa de termo chulo, sem qualquer respeito pelas suas aliadas.

 

“Cadê as mulheres do grelo duro do nosso partido?”, disse Lula a Vannucchi. Confira a íntegra da conversa:

Lula: Alô

Vannucchi: Fala, chefe.

Lula: Você ficou de me dar um retorno.

Vannuchi: Então, eu avisei para ele agora e o que aconteceu é que liguei no contato e soube que ele estava na UTI, situação grave, porque é respiratória, não dá pra falar direito. Não é uma situação grave de risco de vida, é o tal do enfisema. Aí eu falei com o genro, que também é da área, conhece. Primeiro eu perguntei ao genro se ele tinha uma condição de diretamente falar com a pessoa e ele respondeu que não. Não tenho contato, tem que ser com ele mesmo. Amanhã eu vou visitá-lo. Na hora que vi o recado do Moraes pra eu ligar, eu liguei pra ele e ele falou que tá indo daqui a pouco, já leu nos jornais, já sabe do que se trata e vai perguntar para ele. Você acha que ele tem condição de nessas coisas, canudo no nariz, telefonar, eu vou ver lá, vou sentir.

Lula: Tira o canudo por 30 segundos, caralho.

Vannuchi: Então, eu vou nessa expectativa e te dou uma resposta ainda hoje.

Lula: Sabe qual é a nossa ação.

Vannuchi: Sei.

Lula: Aquele filho da puta daquele procurador antes de dar a notícia da intimação na quinta-feira para o advogado deu pra Globonews. É um filho da p*** mesmo.

Vannuchi: Ativista político, coxinha.

Lula: O problema é o seguinte, Paulinho. Nós temos que comprar essa briga. Eu sei que é difícil, sabe. Às vezes fico pensando até se o Aragão devia cumprir um papel de homem nessa porra. O Aragão parece nosso amigo, parece, parece, parece, mas tá sempre dizendo olha… sabe.

Vanucchi: É. O pessoal tá assustado.

Lula: Nós vamos pegar esse de Rondônia agora e vamos botar a Fátima Bezerra e a Maria do Rosário em cima dele.

Vannuchi: Isso mesmo.

Lula: Sabe, porque… até a Clara Ant (…) porque fica procurando o que fazer. Faz um movimento da mulher contra esse filho da puta. Porque ele batia na mulher, levava ela pro culto, deixava ela se fuder, dava chibatada nela. Cadê as mulheres de grelo duro do nosso partido?

Vanucchi: É isso aí. Sua fala foi muito boa.   (Felipe Vieira com jornais on-line)

Mudanças na RBS! Nelson deixa funções executivas

Mudanças na RBS! Nelson deixa funções executivas

Comunicação Negócios Notícias

Nelson Sirotsky está deixando suas funções executivas de Presidente do Conselho da RBS e do Comitê Editorial da Rede Brasil Sul. Duda Melzer assumirá acumulará a função de presidente do Conselho. Marcelo Rech está sendo promovido a VP editorial. Cláudio Toigo deixa de ser o homem das finanças para ser o CEO do Grupo.

O grupo publicou a seguinte nota sobre as mudanças em sua página:

Em comunicado enviado na tarde desta segunda-feira (14/12) aos colaboradores do Grupo RBS, a empresa anunciou mudanças relevantes na sua estrutura organizacional e em sua governança, que passam a valer a partir de 1º de janeiro de 2016. O assunto foi tema do encontro que reuniu lideranças da empresa durante a tarde.

O atual presidente do Conselho de Administração do Grupo RBS, Nelson Sirotsky, após completar 45 anos de atuação executiva na empresa, decidiu continuar contribuindo com a RBS como membro do conselho e em questões editoriais e institucionais, mas sem funções executivas.

Para ocupar seu lugar na presidência do Conselho de Administração, Nelson indicou o atual presidente do Grupo RBS, Eduardo Sirotsky Melzer, que foi aprovado pelo conselho e, então, passará a acumular a presidência do Grupo RBS com a presidência do Conselho de Administração.

– Vivemos uma época de profundas transformações, desafios e oportunidades. Precisamos de uma governança que dê condições para o cumprimento de nossos objetivos. Neste sentido, teremos um conselho integrado por profissionais que são referências em nossas áreas de maior relevância: jornalismo e entretenimento, mercado, pessoas, gestão e operações. Vou acompanhar a estratégia, a cultura da organização e as pessoas. Serei um garantidor do nosso propósito e dos valores da nossa família – disse Eduardo Sirotsky Melzer.

Com esse movimento, foi criada a posição de Presidente Executivo – CEO para as operações de mídia do Grupo RBS, cargo que será ocupado pelo atual vice-presidente de Finanças, Claudio Toigo Filho. Ele assume com a missão de dar continuidade e fortalecer o trabalho que vem sendo feito em televisão, rádio e jornal em cinco frentes estratégicas: conteúdo, mercado, eficiência, comunicação e pessoas. Formado em Administração de Empresas, com MBA pela University of Southern California e cursos na London Business School e no Jim Collins Lab, Toigo foi escolhido por Eduardo e aprovado por unanimidade no Conselho de Acionistas e de Administração.

Ao longo de sua trajetória de mais de 20 anos na RBS, iniciada em 1994 como trainee, sempre demonstrou enorme capacidade de realização e liderança, respeito pelo público, pelo mercado e pelas pessoas e um profundo conhecimento da empresa. Toigo liderou a área de Rádios da RBS entre 2004 e 2008 e também dirigiu as operações de TV do grupo durante dois anos, antes de tornar-se Vice-presidente de Finanças.

– É uma grande honra para mim assumir uma posição tão relevante em uma das empresas de mídia mais importantes do país. Tenho compromisso com o nosso propósito, que é o nosso grande diferencial competitivo e o que vai nos orientar, como empresa, para nos mantermos relevantes neste mercado em constante mudança – disse Claudio Toigo Filho.

Como CEO, Toigo continuará se reportando a Eduardo Sirotsky Melzer, ao lado de Fabio Bruggioni, CEO da e.Bricks, empresa de desenvolvimento de negócios digitais da RBS, e de Luciana Antonini Ribeiro, diretora de Estratégia.

Outra decisão importante é a criação da Vice-Presidência Editorial, que será ocupada pelo jornalista Marcelo Rech. Marcelo reportará a Toigo e terá o papel de garantir as condições para a prática de um jornalismo que informe, inspire e transforme e faça diferença na vida das pessoas. Marcelo, que recentemente assumiu como presidente do Fórum Mundial de Editores, ligado à Associação Mundial de Jornais (WAN-Ifra), também assume a liderança do Comitê Editorial da RBS.