Multas de trânsito poderão ser pagas em parcelas e com cartão de crédito

Multas de trânsito poderão ser pagas em parcelas e com cartão de crédito

Destaque

O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) publicou nesta quarta-feira resolução que muda a forma de pagamento das multas de trânsito e demais débitos relativos aos veículos, em todo o Brasil. A partir de agora, os pagamentos poderão ser feitos em parcelas, por meio de cartão de crédito. Cartões de débito também poderão ser utilizados para pagamentos à vista.

O conselho explica que a medida objetiva aperfeiçoar o processo de cobrança e quitação. O parcelamento pode englobar uma ou mais multas de trânsito. O órgão de trânsito recebe o valor integral no momento da operação e, então, procede a regularização do veículo.

Caso a divisão do valor em parcelas gere cobrança de juros, o acréscimo deve ficar a cargo do titular do cartão, que deve ter acesso a informações sobre custos operacionais antes da efetivação da operação de crédito. Já as operadoras arcarão com possíveis atrasos no pagamento.

A resolução já está em vigor. Agora, para que essa alternativa venha a ser disponibilizada, é preciso que as entidades integrantes do Sistema Nacional de Trânsito, como Detrans, Departamento de Estradas de Rodagem (DER) e Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) firmem acordos com empresas para habilitá-las a oferecer esse serviço.

A resolução especifica que elas devem ser autorizadas por instituição credenciadora supervisionada pelo Banco Central do Brasil a processar pagamentos, sem restrição de bandeira.

De acordo com a norma, não poderão ser parcelados os seguintes tipos de débito: as multas inscritas em dívida ativa; os parcelamentos inscritos em cobrança administrativa; os veículos licenciados em outras unidades da federação; e multas aplicadas por outros órgãos autuadores que não autorizem o parcelamento ou arrecadação por meio de cartões de crédito ou débito. (Agência Brasil)

GM abre terceiro turno e gera 700 empregos diretos na fábrica de Gravataí

GM abre terceiro turno e gera 700 empregos diretos na fábrica de Gravataí

Destaque Negócios

GM decidiu ampliar a produção no Complexo Industrial de Gravataí (RS) abrindo um terceiro turno para atender à crescente demanda pelos modelos Onix e Prisma no Brasil e outros mercados estratégicos da América do Sul. Com isso, serão abertos 700 novos postos de trabalho.

A GM anunciou recentemente o investimento de R$ 1,4 bilhão na fábrica de Gravataí, com o objetivo de fortalecer o negócio da empresa através do desenvolvimento de novas tecnologias e da introdução de conceitos inovadores de manufatura. Os investimentos também serão aplicados no desenvolvimento e produção de novos veículos, em adição aos já fabricados hoje.

“O sucesso do Onix, o carro mais conectado do Brasil e líder de vendas no mercado há três anos, e do Prisma, o sedã mais vendido do Brasil, nos incentivou a ampliar a produção, criando o terceiro turno na fábrica de Gravataí. O investimento de R$ 1,4 bilhão e os novos empregos que estão sendo gerados reforçam nossa confiança e compromisso com o Rio Grande do Sul e com o Brasil”, destaca Carlos Zarlenga, Presidente da General Motors Mercosul.

Os interessados às vagas poderão se credenciar até o dia 31 de outubro no site da Chevrolet (www.chevrolet.com.br) na seção “Trabalhe Conosco” e selecionando o cargo pretendido. As novas vagas concentram-se nas atividades de operador de produção e técnico de manutenção, sendo extensivas também a portadores de deficiência.

Programa de PCHs vai gerar investimentos de R$ 3 bi e 12 mil empregos

Programa de PCHs vai gerar investimentos de R$ 3 bi e 12 mil empregos

Destaque Economia Negócios Poder Política Sartori

O governo do Estado lançou, na manhã desta quinta-feira (13), o Programa Gaúcho de Incentivo às Pequenas Centrais Hidrelétricas. Foi apresentado o inventário de 91 projetos viáveis de licenciamento ambiental para geração de energia hídrica no Rio Grande do Sul.  O potencial de investimentos é de R$ 3 bilhões. Deste valor, R$ 15 milhões serão destinados a unidades de conservação ambiental. O programa gera 12 mil novos postos de trabalho diretos e 480 megawatts de energia elétrica, o que equivale ao abastecimento de 1,4 milhão de residências.

Para viabilizar os empreendimentos, a Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) elaborou portaria com novos critérios e diretrizes para licenciamento, indicando estudos ambientais e procedimentos para obtenção da licença ambiental de Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs) e Centrais Geradoras Hidrelétricas (CGHs). Também foi anunciada a adequação dos portes dos empreendimentos e ajustes no valor do ressarcimento de custos do processo que podem chegar a 80% de desconto nas taxas.

Iniciativa inédita

O programa foi elaborado com base no mapeamento dos rios livres de barramento. O estudo indica os rios que serão preservados para garantir a manutenção dos principais cursos d’agua representativos das diversas tipologias de cada uma das regiões hidrográficas do Rio Grande do Sul. Isso aponta antecipadamente recursos a serem protegidos. “Vamos aliar desenvolvimento e cuidado com meio ambiente. Uma ação inédita no país que coloca o Rio Grande do Sul na vanguarda em preservação ambiental”, comemorou o governador José Ivo Sartori.

O governador ressaltou ainda que energia elétrica é um requisito essencial para o crescimento de uma comunidade. “O lançamento do Programa Gaúcho de Incentivo às Pequenas Centrais Hidrelétricas mostra o foco do nosso governo no desenvolvimento social. É também resultado do esforço contínuo das secretarias do Ambiente e Desenvolvimento Sustentável e Minas e Energia, em parceria com as entidades representativas do setor, para destravar processos de licenciamento que aguardavam resposta há 10 anos”, afirmou.

Sartori destacou que com as PCHs instaladas, as comunidades passam a contar com energia de qualidade para tarefas diárias e o Índice de Desenvolvimento Humano cresce consideravelmente, além do retorno de ICMS para os municípios. “É uma rede onde todos saem ganhando. Vamos gerar energia limpa, proteger as margens dos rios e permitir o uso múltiplo das águas. Governar é dar condições de crescimento a quem mais precisa”, afirmou Sartori.

A secretária do Ambiente e Desenvolvimento Sustentável e diretora-presidente da Fepam, Ana Pellini, disse que esta providência é muito aguardada pelo setor e é resultado de uma força-tarefa dos servidores da fundação. “O estoque de 150 processos que aguardava licenciamento na Fepam foi examinado. Cada empreendedor recebe um ofício com os documentos que deve apresentar para dar continuidade ao licenciamento”, explicou.

O secretário de Minas e Energia, Artur Lemos Júnior, salientou que foi a sinergia entre as secretarias que fez este momento possível. “Das 25 bacias hidrográficas do estado, três estão inventariadas. Dos 91 projetos viáveis, 10 estão inseridos no RS Energias Renováveis, lançado por este governo”, enfatizou.

O presidente da Associação Gaúcha de Fomento as PCHs, Luiz Antônio Leão, afirmou que as pequenas centrais hidroelétricas são a fonte mais barata de energia elétrica no mundo e cada PCH instala uma área de preservação permanente (APP). “É uma cadeia 100% nacional e é a que gera o maior número de empregos diretos”, disse.

Prestigiaram o evento secretários de Estado, deputados, representantes do Ministério Público e Defensoria Pública, prefeitos, empresários e representantes de entidades do setor energético. Durante o lançamento, também ocorreu a abertura do 2º Seminário ‘O Potencial das Centrais Hidrelétricas na Matriz Energética do RS – Novas Diretrizes Hidrológicas para o Licenciamento Ambiental’, que acontece na tarde desta quinta-feira (13), a partir das 13h30, no auditório do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE).

“Quem irá sofrer com a reforma trabalhista é a OAB”, diz Almir Pazzianotto

“Quem irá sofrer com a reforma trabalhista é a OAB”, diz Almir Pazzianotto

Destaque Direito Economia Negócios Poder Política Tecnologia Vídeo

 Aos 80 anos, Almir Pazzianotto, comemorou hoje em entrevista ao programa Agora, da Rádio Guaíba, a reforma trabalhista aprovada nessa terça-feira no Senado.O ex-deputado estadual ainda pelo Movimento Democrático Brasileiro, ex-advogado do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC paulista, ministro do Trabalho no governo José Sarney e ministro do Tribunal Superior do Trabalho, que veio a presidir, entretanto considera as alterações na lei brandas para as necessidades que o país enfrenta.

“Foi uma grande vitória para o governo Michel Temer. Foi uma grande vitória para os trabalhadores. É uma grande vitória para o empresariado e para a economia. Não é a reforma ideal porque a CLT acumula mais de 70 anos de existências e de erros. De sorte, para uma reforma completa precisará de muito tempo e muito apoio político. A aprovação integral do projeto sinaliza positivamente para o Brasil e para o exterior. Talvez, com isso, se readquira uma parte da confiança e ocorram investimento que venham gerar empregos”, declarou Pazzianotto.

Segundo o ex-ministro do Tribunal Superior do Trabalho (TST), formado em 1960 pela Universidade Católica de Campinas, quem mais irá perder com as alterações serão os “jovens advogados”. Para ele, a Justiça do Trabalho terá que se adaptar aos “novos tempos, aceitar a reforma e não se contrapor” as mudanças.

“Quem perde com a Reforma Trabalhista é a OAB, a Ordem dos Advogados do Brasil. Porque vamos ter uma diminuição sensível do número de reclamações trabalhistas, que hoje é o principal mercado de trabalho, sobretudo, para advogados iniciantes. As centrais sindicais não representam nada e ninguém.

Ao ser questionado pelo apresentador Felipe Vieira sobre quais os ganhos que os trabalhadores terão com as novas leis trabalhistas, Pazzianotto passou a atacar as centrais sindicais e os sindicatos, que não estariam preocupados com o crescimento da economia. Segundo ele, as organizações sociais são “agrupamentos de pelegos (sindicalistas ligados aos donos dos meios de produção) que vivem exclusivamente do imposto sindical e da baderna que provocam nas ruas”.

“Quando digo que o trabalhador ganha é porque eles não são mantidos pela legislação trabalhista, mas é pelo mercado de trabalho. Quanto mais forte a economia, quanto mais desenvolvida ela for, quanto maior a oportunidades de empregos houver melhor para os trabalhadores. Desde que haja um equilíbrio relativo entre oferta e procura, teremos até a possibilidade do aumento no salário real”, concluiu.

O projeto de lei da reforma trabalhista aprovada por 50 votos a favor, 26 contrários e uma abstenção. Como não sofreu alterações no plenário do Senado, o PLC 38/2017 segue agora para a sanção do presidente Michel Temer. A lei passará a valer 120 dias após a sanção. (Rádio Guaíba e Correio do Povo)

 

 

 

 

 

Prédio da invasão Lanceiros Negros amanhece cercado pela BM. Local era invadido pelo movimento desde novembro de 2015

Prédio da invasão Lanceiros Negros amanhece cercado pela BM. Local era invadido pelo movimento desde novembro de 2015

Destaque

O prédio que era ocupado até ontem pelo movimento Lanceiros Negros amanheceu nesta quinta-feira cercado pela Brigada Militar. Cerca de 20 policiais e três viaturas estão no entorno do prédio nesta manhã na esquina das ruas General Câmara e Andrade Neves, no Centro de Porto Alegre.

O Batalhão de Operações Especiais (BOE) cumpriu na noite dessa quarta-feira uma ordem de reintegração de posse do local. Os policiais chegaram em frente ao prédio munidos de escudos e lançando bombas de gás lacrimogênio. Ainda assim, as famílias resistiram inicialmente à ação do Batalhão de Choque. Durante a desocupação, seis pessoas foram detidas, incluindo o deputado Jeferson Fernandes (PT).

O mandado de reintegração de posse da Ocupação Lanceiros Negros foi expedido na última segunda-feira pela juíza Aline Santos Guaranha, podendo ser cumprido a qualquer momento, inclusive no feriado. O prédio, de propriedade do governo gaúcho, estava sendo ocupado desde novembro de 2015. (Rádio Guaíba)

Morre Elói Celente

Morre Elói Celente

Destaque Publicidade

Acabo de ser surpreendido, pelo telefonema do meu querido Fernando Albrecht, pedindo informações sobre a morte de Elói Celente. Não sabia nada sobre o fato, mas na cabeça vieram imagem das várias vezes que cruzei com o Elói… Dos seus conselhos sábios e palavras gentis sobre minha atuação no Rádio e TV. Eu ouvia e depois repetia a brincadeira de que ele me elogiava em público, para eu não falar sobre a minha paixão universitária pela Gagá – que quase fez eu trocar o jornalismo pela publicidade -. A gente ria, colocava o assunto em dia e a vida seguia até o próximo encontro quando o roteiro era “encenado” novamente.

Como os encontros eram raros, o Facebook tratou de nos aproximar entre curtidas, comentários e mensagens inbox mais dicas e conselhos. Nunca fomos próximos, mas desde a década de 90 do século passado – quando o conheci -, houve uma profunda admiração da minha parte por ele. Primeiro por ser marido da Gagá e depois pela pessoa afetiva que sempre foi. Não tenho informação sobre a causa da morte e isso pouco me interessa. O que realmente conta é a perda de uma pessoa que aprendi a admirar e nas últimas 3 décadas sempre soube me encantar com seus aconselhamentos. Infelizmente fiquei sabendo só agora- depois da cremação- e não pude levar nem meu abraço para a Gagá, que eu espero tenha recebido o conforto de dezenas de amigos do casal. Descansa em paz, Celente !!

Semana que antecede o Dia das Crianças deverá ser de grande movimento no comércio

Semana que antecede o Dia das Crianças deverá ser de grande movimento no comércio

Agenda Cidade Destaque Poder Política Porto Alegre Turismo

Ainda dá tempo de preparar o varejo e decorar as lojas para o Dia das Crianças. Confirmando a tendência das últimas datas comemorativas, o consumidor pretende comprar o presente na semana que antecede o feriado na capital gaúcha. É o que apontou uma pesquisa encomendada pelo Sindilojas Porto Alegre e pela CDL POA com consumidores da Cidade. O estudo mostrou que 40% deve comprar na semana do Dia das Crianças e 15% na véspera do dia 12 de outubro, principalmente para não perderem prazos para eventuais trocas.

 

 

Vitrine do Leite na Expointer apresenta ações para excelência e desenvolvimento do setor

Vitrine do Leite na Expointer apresenta ações para excelência e desenvolvimento do setor

Agronegócio Cultura Economia Expointer Notícias

Durante a programação da Expointer 2016, será realizada a terceira edição da Vitrine do Leite, um estande de 110 m² onde produtores e consumidores terão acesso a informações sobre técnicas empregadas na cadeia leiteira gaúcha para promoção de sua excelência e qualidade. Localizado dentro do Pavilhão do Gado Leiteiro, a iniciativa conta com o apoio do Sindicato da Indústria de Laticínios do Estado do RS (SINDILAT) e do Fundo de Desenvolvimento e Defesa Sanitária Animal do RS (FUNDESA).

Aberto entre as 8h e 18h, o espaço tem como objetivo mostrar aos visitantes da feira como o leite é produzido, detalhando o caminho percorrido entre o campo e sua chegada à mesa do consumidor. Para isso, serão promovidas diariamente quatro oficinas, divididas em dois momentos. O primeiro consiste na exibição de um vídeo, que explica todas as etapas de produção, como o manejo de pastagem para alimentação do gado leiteiro, ordenha mecanizada, armazenamento e o processamento na indústria. Durante essa parte da oficina, haverá a consultoria de instrutores do SENAR a fim de sanar dúvidas do público presente. As exibições do vídeo estão previstas para as 10h, 12h, 14h e 16h.

A segunda etapa da oficina também será conduzida por técnicos da entidade, que apresentarão 26 receitas elaboradas a partir do leite, entre iogurte, queijos, ambrosia e outras. Os profissionais darão ainda informações sobre os valores nutricionais e propriedades do alimento. As oficinas ocorrem às 10h, 12h, 14h e 16h. Todas as ações serão gratuitas.

Mimosa na Expointer

45176119784278_miniNovidade para feira deste ano, a Vitrine do Leite contará com a “Mimosa na Expointer”, uma peça teatral voltada ao público infantil. A obra conta a história da Vaquinha Mimosa e sua turma, explorando de forma lúdica e divertida os benefícios do leite e das boas práticas na produção, além de mostrar parte da rotina do produtor rural. A iniciativa é uma promoção do SINDILAT, FUNDESA e SENAR-RS. As apresentações ocorrerão em quatro horários diferentes: 9h20, 11h, 13h20 e 15h.

Porto Alegre: Gre-Nal em horário diferenciado terá esquema especial de trânsito

Porto Alegre: Gre-Nal em horário diferenciado terá esquema especial de trânsito

Cidade Esporte Notícias Porto Alegre prefeitura Segurança Turismo

Em razão da realização do clássico Gre-Nal, neste domingo, 3, no estádio Beira-Rio, em horário diferenciado, às 11h, a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) realizou um esquema especial de trânsito e transporte para a região.
A linha de ônibus Futebol, voltada para a torcida colorada, vai operar com 12 ônibus e sairá do Largo Glênio Peres (Mercado Público, Centro), em direção ao estádio, a partir das 9h. Após o final da partida, os ônibus Futebol aguardarão os torcedores na rua Nestor Ludwig, ao lado do Beira-Rio. A torcida organizada do Grêmio terá dez ônibus escoltados pela Brigada Militar e EPTC, da Arena ao estádio do Inter. Além dos ônibus especiais, a avenida Padre Cacique é atendida por mais de 20 linhas regulares de ônibus, com embarque e desembarque em frente ao estádio. As linhas de lotação e táxi também terão reforço de atendimento.
O deslocamento dos pedestres poderá ser realizado pelo eixo Borges de Medeiros/Padre Cacique, que ficará bloqueado ao tráfego de veículos, das 9h às 14h. A Borges de Medeiros terá a pista próxima ao Parque Marinha somente para quem anda a pé. A outra pista será para o transporte coletivo e acesso local. Na Padre Cacique, somente o corredor de ônibus ficará liberado para o transporte.
Os condutores que se deslocarem ao estádio de carro deverão utilizar a av. Edvaldo Pereira Paiva que, excepcionalmente (já que a avenida é bloqueada aos domingos para lazer), terá a permissão de circulação de veículos, entre a rótula das Cuias até o estádio. No fim da partida, a via terá sentido único de tráfego, em direção ao Centro. Quem se desloca à zona Sul no horário do Gre-Nal e pretende evitar a região do estádio, pode utilizar a Terceira Perimetral para evitar congestionamentos.
Delegado da PF confirma informações de Veja. Revista garante que PGR não tem mais dúvidas de que Lula comandou trama contra a Lava Jato

Delegado da PF confirma informações de Veja. Revista garante que PGR não tem mais dúvidas de que Lula comandou trama contra a Lava Jato

dilma Notícias Poder Política
Parceria: Em acordo de delação premiada, o ex-senador Delcídio do Amaral revelou que seguia ordens do ex-presidente
Parceria: Em acordo de delação premiada, o ex-senador Delcídio do Amaral revelou que seguia ordens do ex-presidente. Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula/VEJA

Em sua última aparição pública, na manhã de quinta-feira, Lula estava abatido. Cabelos desgrenhados, cabisbaixo, olhar vacilante, entristecido. Havia motivos mais que suficientes para justificar o comportamento distante. Afinal, Dilma Rousseff, a sucessora escolhida por ele para dar sequência ao projeto de poder petista, estava sendo apeada do cargo. O fracasso dela era o fracasso dele. Isso certamente fragilizou o ex-presidente, mas não só. Há dois anos, Lula vê sua biografia ser destruída capítulo a capítulo. Seu governo é considerado o mais corrupto da história. Seus amigos mais próximos estão presos. Seus antigos companheiros de sindicato cumprem pena no presídio. Seus filhos são investigados pela polícia. Dilma, sua invenção, perdeu o cargo. O PT, sua maior criação, corre o risco de deixar de existir. E para ele, Lula, o futuro, tudo indica, ainda reserva o pior dos pesadelos. O outrora presidente mais popular da história corre o risco real de também se tornar o primeiro presidente a ser preso por cometer um crime.

VEJA teve acesso a documentos que embasam uma denúncia oferecida pela Procuradoria-Geral da República contra o ex-presidente. São mensagens eletrônicas, extratos bancários e telefônicos que mostram, segundo os investigadores, a participação de Lula numa ousada trama para subornar uma testemunha e, com isso, tentar impedir o depoimento dela, que iria envolver a ele, a presidente Dilma e outros petistas no escândalo de corrupção na Petrobras. Se comprovada a acusação, o ex-presidente terá cometido crime de obstrução da Justiça, que prevê uma pena de até oito anos de prisão. Além disso, Lula é acusado de integrar uma organização criminosa. Há dois meses, para proteger o ex-presidente de um pedido de prisão que estava nas mãos do juiz Sergio Moro, responsável pela Operação Lava-Jato, a presidente Dilma nomeou Lula ministro de Estado, o que lhe garantiu foro privilegiado. Na semana passada, exonerado do governo, a proteção acabou.

Há várias investigações sobre o ex-­presidente. De tráfico de influência a lavagem de dinheiro. Em todas elas, apesar das sólidas evidências, os investigadores ainda estão em busca de provas. Como Al Capone, o mafioso que sucumbiu à Justiça por um deslize no imposto de renda, Lula pode ser apanhado por um crime menor. Após analisar quebras de sigilo bancário e telefônico e cruzar essas informações com dados de companhias aéreas, além de depoimentos de delatores da Lava-Jato, o procurador-geral Rodrigo Janot concluiu que Lula exerceu papel de mando numa quadrilha cujo objetivo principal era minar o avanço das investigações do petrolão. Diz o procurador-geral: “Ocupando papel central, determinando e dirigindo a atividade criminosa praticada por Delcídio do Amaral, André Santos Esteves, Edson de Siqueira Ribeiro, Diogo Ferreira Rodrigues, José Carlos Costa Marques Bumlai e Maurício de Barros Bumlai (…), Luiz Inácio Lula da Silva impediu e/ou embaraçou a investigação criminal que envolve organização criminosa”.