Jungmann diz que ameaça a Rosa Weber ‘obviamente representa um crime’; por  Amanda Pupo/O Estado de S.Paulo

Jungmann diz que ameaça a Rosa Weber ‘obviamente representa um crime’; por Amanda Pupo/O Estado de S.Paulo

Destaque
O ministro da Segurança Pública Raul Jungmann afirmou nesta terça-feira, 16, que “obviamente representa um crime” a mensagem enviada ao  Tribunal Superior Eleitoral (TSE), direcionada à presidente da Corte, ministra Rosa Weber, em tom de ameaça. Recebida através de uma rede social do TSE, o texto fala que o presidenciável Jair Bolsonaro, do PSL, está “matematicamente eleito”, e que “se as urnas forem fraudadas”, a população irá para as ruas até que tenha nova eleição com voto impresso. “Experimente deixar que isso aconteça”, diz parte da mensagem, que será investigada pela Polícia Federal (PF) a pedido da Corte Eleitoral.

“O que eu sei é que ontem, na reunião que tivemos com diretor-geral da PF (Rogério Galloro) e também do secretário nacional da Segurança Pública, Brigadeiro Fiorentini, é que ela (Rosa) fez essa queixa informalmente, e que iria formalizar, e que a Polícia Federal imediatamente ia apurar para chegar aos responsáveis por essa ameaça, que obviamente representa um delito, representa um crime, e tem de ser identificado quem o fez para ser legalmente punido”, afirmou Jungmann na tarde desta terça-feira, após assinar um termo do Ministério da Segurança Pública junto ao TSE relativo a atuação dos mesários no segundo turno das eleições.

A resposta vai ser dada, a Polícia Federal vai investigar, e nós vamos trazer para vocês um resultado”, completou o ministro.

A reportagem completa está em O Estado de São Paulo.

TSE determina remoção de vídeos de Bolsonaro sobre “kit gay”

TSE determina remoção de vídeos de Bolsonaro sobre “kit gay”

Destaque Eleições 2018

 

O ministro Carlos Horbach, do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), determinou a remoção de seis postagens no Facebook e no YouTube em que o candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, faz críticas ao livro “Aparelho Sexual e Cia.” e afirma que a obra integraria material a ser distribuído a escolas públicas na época em que Fernando Haddad (PT) comandava o Ministério da Educação.

No vídeo, Bolsonaro afirma que o livro é “uma coletânea de absurdos que estimula precocemente as crianças a se interessarem pelo sexo”. “No meu entender, isso é uma porta aberta para a pedofilia”, diz o candidato do PSL, que ainda afirma que “esse é o livro do PT”.

Em nota, o MEC (Ministério da Educação) já afirmou em diversas oportunidades que não produziu nem adquiriu ou distribuiu “Aparelho Sexual e Cia.”, esclarecendo que o livro é uma publicação da editora Companhia das Letras publicada em 10 idiomas.

“É igualmente notório o fato de que o projeto ‘Escola sem Homofobia’ não chegou a ser executado pelo Ministério da Educação, do que se conclui que não ensejou, de fato, a distribuição do material didático a ele relacionado. Assim, a difusão da informação equivocada de que o livro em questão teria sido distribuído pelo MEC gera desinformação no período eleitoral, com prejuízo ao debate político, o que recomenda a remoção dos conteúdos com tal teor”, concluiu Horbach.

A reportagem completa está no Correio do Povo.

ANÁLISE: Crescimento de Bolsonaro é mais vigoroso que ritmo de Haddad; por Rodrigo Augusto Prando*, O Estado de S.Paulo

ANÁLISE: Crescimento de Bolsonaro é mais vigoroso que ritmo de Haddad; por Rodrigo Augusto Prando*, O Estado de S.Paulo

Artigos Comportamento Destaque Poder Política
A primeira pesquisa Ibope/Estado/TV Globo do segundo turno das eleições 2018, divulgada na segunda-feira, 15, indica Bolsonaro com 59% e Haddad com 41% dos votos válidos, ou seja, excluindo os votos nulos, brancos e indecisos. Uma vantagem enorme para Bolsonaro, cuja força política foi sentida ao final do primeiro turno, não apenas, aqui, na disputa presidencial, mas, especialmente, na força do PSL, elegendo a segunda maior banca da Câmara.

Na votação para o segundo turno, há os seguintes recortes: sexo, idade, escolaridade e renda familiar. Nestes dois últimos, Haddad tem maior intenção de votos entre os mais pobres – que ganham até 1 salário mínimo –  e entre os menos escolarizados –  que cursaram até a quarta série. Contudo, mesmo nestes recortes, Bolsonaro ganha de Haddad em todos os outros segmentos de renda e de escolaridade. O ex-capitão, também, lidera nos recortes sexo e idade. Com isso, pode-se depreender que o ritmo do candidato do PSL é mais vigoroso que o ritmo do petista, até mesmo no “potencial de voto” e na “certeza do voto”. Bolsonaro tem um eleitor mais convicto e Haddad, por sua vez, já é mais rejeitado que Bolsonaro.

Com esses dados apresentados pela pesquisa, alguns pontos a considerar:

1) Bolsonaro colhe os frutos de ter se firmado – antes dos outros – com maior força como um antipetista e o maior antagonista do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado e preso na Operação Lava Jato;

2) A estratégia do PT de manter Lula em evidência e até o último momento e ligando-o a Haddad contribuiu sobremaneira para a força do discurso de Bolsonaro;

3) Provavelmente se o PT tivesse retirado Lula de cena e fortalecido a imagem mais centrada de Haddad, hoje, a disputa seria de outra ordem;

4) A campanha de Haddad ao mudar suas cores e subtrair o nome de Lula acusou, tardiamente, o golpe, mas tais mudanças não surtirão efeito, especialmente pela força dos seguidores de Bolsonaro nas redes sociais;

5) Haddad insistirá na ida de Bolsonaro aos debates televisionados, crendo que, com isso, possa frear seu oponente expondo suas fragilidades;

6) Se, por ventura, Bolsonaro for aos debates e seu desempenho for ruim, mesmo assim, terá pouco impacto em sua imagem e em suas intenções de voto, mantendo a vantagem;

7) A tal frente dos democratas – junto com Haddad – contra Bolsonaro não empolgou ninguém, ou seja, nem Marina e nem Ciro, especialmente,  estão dispostos a vincular sua imagem à de Haddad neste momento;

8) A construção narrativa do PT do “nós” contra “eles” conseguiu, só agora, um adversário que luta na mesma sintonia – o PSDB e Marina nunca conseguiram devolver, na mesma moeda, os torpedos discursivos dos petistas;

9) A força de Bolsonaro nas redes sociais rompeu o paradigma da importância do tempo de rádio e televisão; e, finalmente,

10) A não ser que Bolsonaro cometa um erro crasso ou um escândalo de enorme proporção modifique o humor do eleitorado, será muito, muito difícil Haddad superar seu adversário.

* Professor e pesquisador da Universidade Presbiteriana Mackenzie

Projeto WimBelemDon é reaberto após seis meses interditado; por Cláudio Isaías/Correio do Povo

Projeto WimBelemDon é reaberto após seis meses interditado; por Cláudio Isaías/Correio do Povo

Cidade Destaque

Depois de quase seis meses interditado em razão de um incêndio, o projeto WimBelemDon retomou nesta segunda-feira pela manhã as suas atividades esportivas na sede da instituição na rua Heitor Vieira, no bairro Belém Novo, na zona Sul de Porto Alegre. Além do jogo de tênis, as crianças e adolescentes de 6 a 18 anos têm alimentação, auxílio escolar, atividades lúdicas e atendimento psicológico no turno inverso da escola.

Marcelo Ruschel, fundador do projeto, afirmou que foi inventado um plano B pela equipe para não perder o vínculo com as crianças em situação de vulnerabilidade que participam da iniciativa. “Fizemos um convênio com a Ajuris e as crianças conseguiram ser atendidas esses meses na sede campestre da entidade nas terças e quintas-feiras”, destacou. “Com o retorno para a nossa sede recomeçamos os treinamentos de tênis e o atendimento diário nas oficinas de arte terapia, cinema e laboratório de aprendizagem nas disciplinas de Matemática e Língua Portuguesa”, ressaltou.

Antes do treinamento, que tem duração de 45 minutos, os jovens participam de uma sessão de meditação. Segundo Ruschel, pelo menos 60 jovens são atendidos na instituição. O incêndio, em abril deste ano, atingiu os vestiários e banheiros do centro de treinamento. “Tínhamos 35 crianças residentes na zona Sul da cidade esperando para entrar no projeto antes do incêndio do dia 15 de abril que agora com o retorno da atividades serão chamadas”, destacou.

A reportagem completa de Cláudio Isaías está no Correio do Povo.

Bolsonaro tem 59% das intenções de voto; Haddad, 41%, diz BTG/FSB; Revista Exame

Bolsonaro tem 59% das intenções de voto; Haddad, 41%, diz BTG/FSB; Revista Exame

Destaque Eleições 2018
Pesquisa BTG/FSB de intenção de votos para o segundo turno das eleições presidenciais de 2018 mostra o candidato do PSL, Jair Bolsonaro, na liderança, com 59%. Fernando Haddad, do PT, tem 41%. Os números correspondem ao cenário estimulado, no qual o nome dos candidatos é citado na hora do questionário.
Os votos válidos são calculados com base na soma de intenção de votos recebidas por todos os candidatos juntos, descontando-se os percentuais de “Branco”, “Nulo”, “Ninguém/Nenhum”, “Não Sabe” e “Não Respondeu”.

Metodologia

As entrevistas feitas pelo Instituto FSB Pesquisa foram feitas por telefone, nos dias 13 e 14 de outubro de 2018, com 2.000 eleitores a partir de 16 anos, nas 27 Unidades da Federação (UFs). A margem de erro é de 2 pontos percentuais, com intervalo de confiança de 95%.

União cobra R$ 65 milhões de novos senadores. Valor é devido por 12 dos 54 eleitos no domingo e se refere a tributos não pagos; por Caio Sartori, Bianca Gomes e Felipe Laurence / Especial para o Estado/O Estado de S.Paulo

União cobra R$ 65 milhões de novos senadores. Valor é devido por 12 dos 54 eleitos no domingo e se refere a tributos não pagos; por Caio Sartori, Bianca Gomes e Felipe Laurence / Especial para o Estado/O Estado de S.Paulo

Destaque
Pelo menos 12 dos 54 senadores eleitos ou reeleitos devem, juntos, cerca de R$ 65 milhões à União. Segundo dados da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN) levantados pelo Estado, os parlamentares estão inscritos na dívida ativa por pendências previdenciárias e outros tipos de tributo não pagos. O levantamento inclui dívidas vinculadas ao CPF dos eleitos e ao CNPJ de empresas das quais aparecem como sócios.

Só foram considerados os 54 senadores que saíram vitoriosos das urnas neste ano, quando os eleitores escolheram dois representantes por Estado. Eles se juntarão aos outros 27 parlamentares que já estão na Casa desde 2014, ano em que cada unidade da Federação elegeu um senador.

Reeleito pelo Pará, o senador Jader Barbalho, do MDB, aparece com o maior volume de dívidas contraídas em nome de pessoa jurídica. Três empresas do parlamentar – uma do ramo de agronegócio e duas da área de comunicação – somam R$ 57,7 milhões em débitos. Jader foi um dos parlamentares que recorreram ao Refis, programa de refinanciamento de dívidas aprovado neste ano pelo Congresso. Com um patrimônio avaliado em R$ 13,1 milhões, ele tem ainda registrado em seu nome na Procuradoria da Fazenda um débito de R$ 18,5 mil.

A reportagem completa está em O Estado de São Paulo.

Leite e Sartori vão para o corpo a corpo no interior do RS

Leite e Sartori vão para o corpo a corpo no interior do RS

Destaque Eleições 2018

Depois de terem priorizado o Litoral Norte, no início do feriadão, os candidatos ao Palácio Piratini partiram para o corpo a a corpo com o eleitor no interior do Estado. No sábado, o candidato da frente Rio Grande da Gente, Eduardo Leite (PSDB), fez caminhadas nos municípios de Ivoti, Nova Petrópolis, Gramado e Canela. Com o candidato a vice delegado Ranolfo Vieira Júnior (PTB) a seu lado, ele participou no sábado do encerramento dos festejos da 31ª Oktoberfest de Igrejinha.

No domingo, Leite acompanhou os desfiles temáticos e visitou a Oktoberfest de Santa Cruz do Sul. “Um estado de gente que faz, precisa de um governo que deixe fazer”, afirmou, ao ressaltar a necessidade de redução da carga tributária, da burocracia e de uma urgente melhoria de infraestrutura. “Precisamos de um Estado que busque os investimentos que viabilizarão as condições de crescimento para todas as regiões”, destacou Leite, citando a necessidade de novas parcerias com o setor privado para enfrentar as péssimas condições da malha rodoviária gaúcha.

José Ivo Sartori (MDB), que concorre à reeleição, foi a Gramado, na Serra, no sábado, e também prestigiou a 31ª Oktoberfest de Igrejinha. Em Gramado, Sartori foi recebido na entrada do município por apoiadores e militantes. De lá, a mobilização da coligação Rio Grande no Rumo Certo seguiu pelas ruas da cidade. O candidato à reeleição agradeceu o apoio recebido do partido Novo e de “prefeitos e lideranças dos partidos de oposição”.

Os dois candidatos seguem em busca de novos apoios neste segundo turno. Na sexta-feira, Leite recebeu o apoio do prefeito de Osório, Eduardo Abraão (PDT). “Votar no Eduardo significa uma esperança de que o RS possa melhorar. É necessária uma mudança no governo do Estado”, justificou. Sartori ganhou o apoio do prefeito de Santa Cruz do Sul, Telmo Kirst (PP). “Sartori é exemplo de político. Sério, honesto e, sobretudo, homem de palavra”, disse Kirst, citando obras feitas pelo emedebista na cidade. (Correio do Povo)

Haddad tenta atrair Joaquim Barbosa e Josué Gomes; por Ricardo Galhardo/O Estado de S.Paulo

Haddad tenta atrair Joaquim Barbosa e Josué Gomes; por Ricardo Galhardo/O Estado de S.Paulo

Destaque
O candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad, esteve na noite de quarta-feira, 11, com o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal Joaquim Barbosa, algoz de petistas envolvidos no escândalo do mensalão. O encontro ocorreu no apartamento do ex-ministro, em Brasília. Haddad estava sozinho.

Segundo fontes do PT, o presidenciável fez um convite a Barbosa para participar de sua campanha eleitoral apresentando propostas, sobretudo na área de organização do Estado, e não se falou em participação em um eventual governo petista. Também na quarta-feira o PSB, partido ao qual o ex-ministro é filiado, havia anunciado apoio formal à candidatura do PT.

A visita gerou uma onda de especulações sobre a possibilidade de Barbosa ser convidado para assumir o Ministério da Justiça. Horas antes da visita, o senador eleito pela Bahia Jaques Wagner, recém-integrado ao núcleo duro da coordenação da campanha de Haddad, disse que o PT pode anunciar nomes de um eventual ministério para acalmar o eleitorado, entre eles o da Justiça. “Pode ser que ele anuncie um, dois, três nomes, na Educação, Fazenda, Justiça. (…) Na Educação, pode ser que anuncie uma sumidade da Educação”, afirmou Wagner.

Relator no STF do processo do mensalão, Barbosa, que chegou a ensaiar uma candidatura presidencial pelo PSB, foi algoz de petistas como José Dirceu, José Genoino e Delúbio Soares, que cumpriram pena de prisão por envolvimento no esquema.

Integrantes da cúpula petistas avaliam que a presença de Barbosa na campanha poderia reduzir o impacto do antipetismo sobre a candidatura de Haddad e sinalizar para uma parcela importante do eleitorado que a Lava Jato e a autonomia dos órgãos de combate à corrupção estariam garantidos sob o comando do ex-ministro do STF. Estes petistas admitem, porém, que a possibilidade de um convite a Barbosa para o ministério é, por enquanto, só especulação.

Nesta quinta-feira, Hadad foi questionado sobre a possibilidade de o empresário Josué Gomes da Silva, filho do ex-vice-presidente José Alencar, ser convidado para ocupar o Ministério da Fazenda caso seja eleito. O candidato respondeu que Josué “tem todas as condições, perfil e sensibilidade social” para o cargo e repetiu que não quer um banqueiro como Paulo Guedes, o guru do candidato Jair Bolsonaro (PSL), no comando da economia.

Leia mais sobre política em O Estado de São Paulo.

Decisão do TRF1 devolve concessão da freeway à Concepa; do Correio do Povo

Decisão do TRF1 devolve concessão da freeway à Concepa; do Correio do Povo

Destaque

O Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) acolheu recurso da Concepa contra decisão de primeira instância e restabeleceu a concessão para operação dos trechos das BR 290 (freeway) e BR 116. A decisão é válida ao menos até a homologação de nova licitação para operação da concessão das rodovias e foi publicada na quarta-feira pela desembargadora Daniele Maranhão.

A empresa alega que a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) precisa reavaliar investimentos feitos pela concessionária nas rodovias gaúchas que não estavam previstos em contrato. Na ação, a Concepa exige remuneração pelas obras de modernização do vão móvel da Ponte do Guaíba e na operação especial para uso do acostamento, como faixa adicional de tráfego, além da recomposição do efeito da redução dos valores de receitas comerciais alternativas da tarifa de pedágio.

Após o término do contrato de concessão da Concepa, a freeway passou cerca de dois meses sem manutenção constante. No fim do mês passado, a Neovia Engenharia passou a realizar trabalhos na rodovia. O contrato da empresa vai até 2021.

Leia mais no Correio do Povo.

Pedro Simon deve anunciar apoio a Jair Bolsonaro, afirma presidente do MDB-RS; por Henrique Massaro

Pedro Simon deve anunciar apoio a Jair Bolsonaro, afirma presidente do MDB-RS; por Henrique Massaro

Destaque Eleições 2018

 

Líder histórico do Movimento Democrático Brasileiro no Rio Grande do Sul (MDB-RS), Pedro Simon deve anunciar apoio a Jair Bolsonaro (PSL) na campanha à presidência da República. Quem afirma é o presidente do partido, Alceu Moreira, que disse não ter dúvida que o ex-senador escolherá o capitão da reserva em vez do candidato do PT e que representa o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Fernando Haddad.

O MDB gaúcho se reúne no início da tarde desta quinta-feira com representantes de todas as suas coligações para discutir detalhes da campanha de José Ivo Sartori no segundo turno. Logo após o encontro, Simon, que ainda não falou sobre o assunto, se pronuncia sobre a decisão emedebista anunciada no início da semana em apoiar Bolsonaro.

Leia a íntegra no Correio do Povo.