Polícia divulga vídeo de suspeito de ter assassinado jornalista em Porto Alegre. Tagliene Padilha Cruz, de 33 anos, teve o corpo encontrado dentro de casa, na segunda-feira

Polícia divulga vídeo de suspeito de ter assassinado jornalista em Porto Alegre. Tagliene Padilha Cruz, de 33 anos, teve o corpo encontrado dentro de casa, na segunda-feira

Destaque Direito Segurança

 

 

 

A Polícia divulgou, nesta quinta-feira, as imagens do suspeito de ter assassinado o jornalista Tagliene Padilha Cruz, de 33 anos, encontrado morto dentro do apartamento em que vivia, na noite de segunda-feira. O vídeo é de câmeras da segurança da calçada.

A delegada da 2ª DP, em Porto Alegre, do Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa, Roberta Mariana Bertoldo, revelou que a asfixia por esganadura, que é a constrição do pescoço com as mãos, matou o jornalista. Além disso, a perícia constatou que Tagli recebeu uma pancada na nuca.

“Não sabemos qual o objeto e não foi constatado objeto característico no local. É possível que ele tenha sido levado também”, lembrou a policial.

O crime ocorreu na avenida João Pessoa, no bairro Azenha. A vítima teve o corpo localizado no quarto, perto das 21h. Fora de operação, o videomonitoramento do edifício em que Tagliene residia não flagrou imagens do caso.

Amigos do jornalista buscaram contato com ele desde o início da manhã de segunda, mas não o localizaram. Uma amiga da vítima foi ao apartamento e pediu auxílio a uma vizinha, que possuía uma cópia da chave da casa. Ao entrarem, as mulheres encontraram o corpo de Tagliene enrolado em cobertores.

Testemunhas e pessoas próximas à vítima serão ouvidas durante a semana. A delegada estima que o crime se trate de um homicídio, mas não descartou, por enquanto, a hipótese de latrocínio, já que um celular e um computador da vítima não foram localizados no apartamento.

Além disso, a hipótese de o crime ter cunho passional é cogitada, mas nenhuma informação concreta nesse sentido chegou à investigação. (Correio do Povo e Rádio Guaíba)

TSE manda PT, PMDB e mais 5 partidos devolverem mais de R$ 7 milhões ao erário. Advogados expressaram preocupação em saber de onde as agremiações vão retirar os recursos

TSE manda PT, PMDB e mais 5 partidos devolverem mais de R$ 7 milhões ao erário. Advogados expressaram preocupação em saber de onde as agremiações vão retirar os recursos

Destaque Direito

O plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu hoje punir o PT e o PMDB por irregularidades na prestação de contas de 2011, identificadas em pareceres da área técnica do tribunal. Mais cinco partidos receberam sanção: DEM, PSOL, PSTU, PSL e PTC

A maior punição é a do PT, que teve contas reprovadas parcialmente, sendo condenado a retornar R$ 5,6 milhões ao erário, além de deixar de receber R$ 7,8 milhões referentes à cota de um mês do Fundo Partidário. Entre as principais irregularidades identificadas está o pagamento de empréstimos fraudulentos ligados à Ação Penal 470, conhecida como processo do mensalão.

O PMDB teve as contas aprovadas com ressalva e deve retornar R$ 762 mil. O partido foi punido, principalmente, por irregularidades na contratação de uma agência de publicidade e pelo pagamento de um advogado para defender um filiado em uma ação não relacionada à atividade partidária.

Também com as contas aprovadas com ressalvas, o DEM não foi condenado a devolver dinheiro aos cofres públicos, mas vai ter de direcionar mais de R$ 1 milhão do Fundo Partidário para financiar ações de incentivo à participação da mulher na política. O valor exato ainda vai ser calculado, informou a assessoria do TSE.

PSOL, PSTU e PTC também tiveram as contas aprovadas com ressalvas. Juntos, eles terão que devolver R$ 766 mil aos cofres públicos. Assim como o PT, o PSL teve as contas reprovadas parcialmente, e vai ter de retornar R$ 114 mil ao erário.

Presentes na audiência, os advogados dos partidos expressaram preocupação em saber de onde as agremiações vão retirar os recursos a serem devolvidos, já que as cotas do Fundo Partidário não podem ser usadas para isso e, desde 2015, as legendas sofrem restrições no recebimento de doações feitas por pessoas jurídicas.

“Agora não sabemos de onde vamos tirar, vamos recorrer em relação a isso”, disse o advogado do PMDB, Renato Ramos. (Agência Brasil)

Schirmer garante segurança e liberação do trânsito, na Capital, em dia de greve geral

Schirmer garante segurança e liberação do trânsito, na Capital, em dia de greve geral

Cidade Destaque Direito Poder Política Sartori Segurança

O secretário estadual da Segurança Pública, Cezar Schirmer, reuniu a cúpula da Pasta para traçar as ações de prevenção e de manutenção da ordem pública durante a greve geral desta sexta-feira, contra as reformas trabalhista e da Previdência, em Porto Alegre. O encontro ocorreu ainda na noite de ontem, na Casa Militar do Palácio Piratini.

A segurança na cidade e a liberação do trânsito foram definidas como prioridade para o secretário. “Nosso objetivo é tranquilizar a população e garantir a ordem, o direito de ir e vir e coibir excessos. Por isso, pedimos aos grevistas que façam o movimento dentro da lei e não impeçam o livre trânsito de veículos e pessoas pelas ruas da Capital”, frisou.

De acordo com a SSP, cabe à Brigada Militar monitorar as atividades e coibir atos que impeçam ou prejudiquem o direito de ir e vir, de atentado ao patrimônio público e privado e, mesmo, de violência. O efetivo, em número não detalhado, vai acompanhar as manifestações durante o dia. (Rádio Guaíba)

Aposta do Mato Grosso fatura mais de R$ 101 milhões na Mega-Sena. Quina teve 188 vencedores, que terão direito a mais de R$ 41 mil

Aposta do Mato Grosso fatura mais de R$ 101 milhões na Mega-Sena. Quina teve 188 vencedores, que terão direito a mais de R$ 41 mil

Destaque

Um apostador de Jaciara (Mato Grosso) é o mais novo milionário da Mega-Sena. Ele acertou sozinho as seis dezenas do concurso 1.924, nesta quarta-feira, e faturou prêmio de R$ 101.484.527,44. A projeção de prêmio para o próximo sábado é de R$ 35 milhões.

Confira os números sorteados: 12 – 16 – 30 – 52 – 53 – 58.

A Quina teve 188 apostadores, que poderão sacar R$ 41.109,03. A Quadra teve 11.382 vencedores, que terão direito a R$ 970,01. (Felipe Vieira com informações do Correio do Povo e Glauco Fonseca)

Deputados gaúchos se dividem na votação da Reforma Trabalhista

Deputados gaúchos se dividem na votação da Reforma Trabalhista

Destaque

Os deputados do Rio Grande do Sul ficaram divididos quanto à Reforma Trabalhista. O projeto, cujo texto-base passou em plenário, na noite nesta quarta-feira, na Câmara dos Deputados, teve 15 votos contrários e 14 favoráveis da bancada federal gaúcha. No PMDB, José Fogaça destoou da base aliada e votou contra.

Apesar do esforço da oposição para postergar o resultado, a proposta teve 296 votos a favor e 177 contra. O projeto dá força de lei aos acordos coletivos negociados entre empresas e trabalhadores. Permite, por exemplo, que sindicatos e empresas negociem jornadas de até 12 horas diárias, desde que respeitado o limite de até 48 horas por semana (contabilizando horas extras).

O projeto propõe ainda que patrões e empregados negociem o trabalho remoto (fora do ambiente da empresa), remuneração por produtividade e registro de ponto.

Veja como votaram os parlamentares gaúchos:

Não – 15

Afonso Hamm (PP)

Afonso Motta (PDT)

Bohn Gass (PT)

Heitor Schuch (PSB)

Henrique Fontana (PT)

João Derly (Rede)

José Fogaça (PMDB)

Jose Stédile (PSB)

Marco Maia (PT)

Marcon (PT)

Maria do Rosário (PT)

Paulo Pimenta (PT)

Pepe Vargas (PT)

Pompeo de Mattos (PDT)

Sérgio Moraes (PTB)

Sim – 14

Alceu Moreira (PMDB)

Cajar Nardes (PR)

Carlos Gomes (PRB)

Covatti Filho (PP)

Darnlei (PSD)

Darcísio Perondi (PMDB)

Jerônimo Goergen (PP)

Jones Martins (PMDB)

Luis Carlos Heinze (PP)

Mauro Pereira (PMDB)

Onyx Lorenzoni (DEM)

Renato Molling (PP)

Ronaldo Nogueira (PTB)

Yeda Crusius (PSDB)                             (Correio do Povo)

Porto Alegre: Marchezan remete à Câmara pacote que modifica reajuste salarial de servidores

Porto Alegre: Marchezan remete à Câmara pacote que modifica reajuste salarial de servidores

Cidade Destaque Direito Economia Marchezan Política Porto Alegre prefeitura

O governo Marchezan Júnior enviou hoje à Câmara de Vereadores a primeira etapa de um conjunto de medidas de austeridade. Dentre as matérias protocoladas, a maioria atinge servidores. Oito proposições serão apreciadas em regime de urgência na primeira “prova de fogo” para o governo do tucano no Legislativo Municipal.

Entre as propostas, o chamado “gatilho”, que concede a reposição da inflação aos servidores, independente da negociação salarial, pode ser extinto. A Prefeitura cumpre hoje uma lei, aprovada em 2005, que concede o pagamento das perdas inflacionárias automaticamente. Outro projeto que vai render polêmica é o que prevê a elevação da contribuição previdenciária, de 11% para 14%.

O Executivo sustenta que o objetivo é o enfrentamento da crise financeira que a Capital vive. Os projetos foram entregues pelo prefeito em exercício, Gustavo Paim, ao presidente da Câmara, vereador Cássio Trogildo. Segundo Paim, a proposta mais urgente é a relacionada ao reajuste de salários, já que a data-base é maio. “Os vereadores (base) estão mostrando boa receptividade aos projetos porque eles sabem que se aumentar o valor a ser pago em salários, maior vai ser o tempo de atraso para quitar os vencimentos”, adverte.

No pacote, a Prefeitura ainda pede autorização de tomada de empréstimo de R$ 120 milhões para finalizar obras de mobilidade da Copa, além de aval para renegociar dívidas com fornecedores da Prefeitura. As pendências de 2016 atingem R$ 507 milhões, conforme a Secretaria da Fazenda. Outras pautas polêmicas, como a alteração das gratuidades no transporte coletivo e a revisão da planta do IPTU, vão ficar para o segundo semestre.

Veja detalhes de cada projeto

1. Propõe que a revisão geral anual dos vencimentos de todos os servidores municipais observe a disponibilidade orçamentário-financeira do Município. Isso vale para as vantagens pessoais e os salários das funções regidas pela Consolidação das Leis do Trabalho.

2. Trata das alíquotas de contribuição previdenciária dos Servidores ao Previmpa. A alíquota passa de 11% para 14%  a partir de 1º de julho de 2017. Os servidores inativos também terão de contribuir com 14% (atualmente, o índice é de 11%), mas somente no montante que exceder o teto de remuneração do INSS, que é de R$ 5.531,31.

3. Propõe a redução da taxa de administração destinada para a manutenção do Regime Próprio de Previdência Social (RPPS) de 2% para 1,5%. Se aprovada, a medida permite economia anual de mais de R$ 12 milhões.

4. Extingue gratificações da Secretaria Municipal de Educação (Smed) no âmbito do Programa de Melhoria da Qualidade da Educação do Município de Porto Alegre, já encerrado.

5. Pede autorização do Legislativo para a PMPA obter empréstimo de até R$ 120 milhões. O valor permite à Prefeitura disponibilizar os R$ 75 milhões necessários para a conclusão das obras de mobilidade urbana (as “Obras da Copa”) e, ainda, quitar a dívida de R$ 45 milhões das obras em andamento e/ou paralisadas por falta de pagamento. Podem ser concluídas, com isso, obras como a da avenida Tronco e a Trincheira da Ceará, por exemplo.

6. Trata do protesto de devedores de dívida ativa em execução judicial. Hoje essa ação é vedada pela Lei Complementar 07/1973. Em 2016, o retorno na execução judicial foi de 2,98%. Estima-se que, com o protesto das dívidas, o retorno no pagamento ao município gire em torno de 18%.

7. Permite a renegociação das dívidas de 2016 com os fornecedores. Pela proposta, os credores que aderirem aceitarão receber os créditos parcelados ao longo do ano (até R$ 15 mil em créditos) e até 60 vezes a partir de janeiro de 2018 para valores acima de R$ 500 mil.

Ainda de acordo com o projeto, o credor pode abrir mão de valores para receber em menos vezes e a Prefeitura pode fazer leilão para pagar antecipadamente quem oferecer maior desconto, quando houver disponibilidade financeira.

8. Corta em 30% o número de cargos na Procempa e determina teto salarial para os Cargos em Comissão em R$ 9,3 mil. (Samantha Klein|Rádio Guaíba)

Polícia revela ter imagens que podem levar à autoria da morte de jornalista na Capital. Delegada ainda trabalha com hipóteses de homicídio, latrocínio e crime passional; por  Lucas Rivas/Rádio Guaíba

Polícia revela ter imagens que podem levar à autoria da morte de jornalista na Capital. Delegada ainda trabalha com hipóteses de homicídio, latrocínio e crime passional; por Lucas Rivas/Rádio Guaíba

Destaque Segurança

A Polícia Civil obteve imagens de câmeras de segurança que podem indicar o autor do assassinato do jornalista Tagliene Padilha da Cruz, de 33 anos, encontrado morto dentro de casa na noite dessa segunda-feira, em Porto Alegre. O crime ocorreu em um apartamento na avenida João Pessoa, no bairro Azenha. Conforme informações preliminares, a vítima teve o corpo localizado no quarto, perto das 21h.

Conforme a delegada Roberta Bertoldo, da 2ª Delegacia de Homicídios, as imagens são de um circuito de segurança das imediações do edifício de Tagliene. No vídeo, o suspeito aparece caminhando frontalmente. A delegada não quis revelar se as imagens mostram a pessoa entrando ou saindo do apartamento. “Temos imagens que são extremamente importantes, que mostram alguém que acreditamos ser a pessoa que cometeu este fato, que levou a morte dele”, disse.

Após analisar material, a delegada estuda ainda a hipótese de divulgar as imagens para que conhecidos do jornalista auxiliem a Polícia. Nenhum suspeito é apontado até o momento.

Fora de operação, o videomonitoramento do edifício em que Tagliene residia não flagrou imagens do caso.

Além disso, testemunhas e pessoas próximas à vítima serão ouvidas durante a semana. A delegada estima que o crime se trate de um homicídio, mas não descartou, por enquanto, a hipótese de latrocínio, já que um celular e um computador da vítima não foram localizados no apartamento.

Além disso, a hipótese de o crime ter cunho passional é cogitada, mas nenhuma informação concreta nesse sentido chegou à investigação.

Nesta quarta, familiares e amigos sepultaram o corpo de Tagliene, pela manhã, no Cemitério da Santa Casa de Bagé, cidade natal do jornalista.

Sobre o caso

Amigos de Tagliene buscaram contato com ele desde o início da manhã de segunda, mas não o localizaram. Uma amiga da vítima foi ao apartamento e pediu auxílio a uma vizinha, que possuía uma cópia da chave da casa. Ao entrarem, as mulheres encontraram o corpo de Tagliene enrolado em cobertores. Ele foi morto asfixiado. Apesar de os cômodos estarem revirados, não havia marcas de arrombamento na porta do imóvel. ( Lucas Rivas/Rádio Guaíba )

RJ: Justiça manda esposa de Cabral voltar à prisão em regime fechado

RJ: Justiça manda esposa de Cabral voltar à prisão em regime fechado

Destaque Direito

Por dois votos a um, o Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2) determinou hoje a volta à prisão da ex-primeira-dama do Rio de Janeiro Adriana Ancelmo, esposa do ex-governador Sérgio Cabral. O tribunal julgou recurso do Ministério Público Federal no Rio de Janeiro (MPF/RJ) que pedia o retorno de Adriana ao regime de prisão preventiva. Ela está em prisão domiciliar, concedida pela 7ª Vara Federal Criminal, por ter um filho menor de 12 anos. A lei brasileira garante o direito de prisão domiciliar a mães de filhos na primeira infância.

O parecer do MPF reforça recurso da força-tarefa da Lava Jato no Rio de Janeiro e salienta que as causas que originaram a prisão de Adriana ganharam ainda mais robustez com o prosseguimento das investigações, não havendo razões para conversão da prisão preventiva em domiciliar.

Investigada na Operação Calicute, Adriana Ancelmo foi presa em dezembro passado, acusada de corrupção e lavagem de dinheiro em organização criminosa liderada pelo marido, que está preso em regime fechado desde novembro.

O desembargador federal Abel Gomes votou pela volta da ré ao presídio e disse que os o fatos que levaram à prisão da ex-primeira dama seguem inalterados e que o direito das mães de filhos pequenos à prisão domiciliar não pode servir de blindagem para graves crimes.

Ao votar pela revogação da prisão domiciliar, o desembargador Paulo Espírito Santo disse que a Justiça não pode fugir aos fatos. “Ela [Adriana] pode até estar arrependida, mas foi muita coisa o que ela e o marido fizeram contra o Rio de Janeiro”, disse o magistrado, que considera a prisão domiciliar da ex-primeira-dama “um privilégio”.

Já o desembargador Ivan Athié votou pela manutenção da prisão domiciliar. “Ela está presa. Continua em prisão preventiva. Em nenhum momento foi identificado que a ré tentou obstaculizar as investigações ou ameaçar testemunhas”, justificou.

Athié argumentou que os filhos de Adriana dependem da mãe e não podem ser punidos com a volta dela à prisão. Além disso, segundo ele, a prisão domiciliar gera maior economia para o Rio de Janeiro.

Benefício

No dia 24 de março, o Superior Tribunal de Justiça (STJ), concedeu habeas corpus permitindo a manutenção de Adriana em prisão domiciliar. Ela havia recebido o benefício em 17 de março, em decisão do juiz federal Marcelo Bretas, mas a medida havia sido cassada, a pedido do Ministério Público Federal (MPF), pelo Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2).

Desdobramento da Operação Lava Jato, a Operação Calicute desvendou um esquema de corrupção e fraudes envolvendo funcionários públicos de alto escalão, grandes empreiteiras, pessoas físicas e jurídicas especializadas na lavagem de dinheiro, além de políticos no Rio de Janeiro.

Cabral está preso desde de 17 de novembro, acusado de corrupção passiva, lavagem de dinheiro, formação de quadrilha e organização criminosa. (Agência Brasil)

Dilma palestra na Ufrgs na próxima terça-feira. Ex-presidente vai falar sobre ‘os desafios da democracia no Brasil’

Dilma palestra na Ufrgs na próxima terça-feira. Ex-presidente vai falar sobre ‘os desafios da democracia no Brasil’

Destaque Economia

A ex-presidente Dilma Rousseff (PT) vai palestrar, na próxima terça-feira, no Salão de Atos da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs). Dilma é convidada do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH) para participar da aula inaugural de 2017, com o tema “Os desafios da democracia no Brasil”.

A distribuição de ingressos é restrita a alunos e servidores do IFCH e vai até as 18h, na bilheteria do Salão de Atos do Campus Central, mediante apresentação do cartão da Ufrgs, comprovante de matrícula (para estudantes) e um livro para doação.

A aula havia sido agendada, de início, para o salão do Instituto Latino-Americano de Estudos Avançados (Ilea), no Campus do Vale, mas acabou transferida para o Salão de Atos devido à procura por ingressos, acima do esperado. O evento vai ser transmitido pela TV Ufrgs.

Ato em Rio Grande
Dilma também vai participar de um ato em Rio Grande, na Metade Sul, no sábado, junto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). A partir das 14h, uma mobilização em defesa do Polo Naval cobra da Petrobras valorização do conteúdo e mão de obra locais na produção de plataformas, além de contestar a perda de direitos trabalhistas e previdenciários em função das reformas sugeridas pelo governo de Michel Temer (PMDB). (Rádio Guaíba)

A GREVE GERAL E OS TRANSPORTES: ônibus e trens vão paralisar funcionamento. Em Porto Alegre, lotações vão operar, os táxis devem circular normalmente. Aeroviários devem parar, aeronautas decidem nesta quinta.

A GREVE GERAL E OS TRANSPORTES: ônibus e trens vão paralisar funcionamento. Em Porto Alegre, lotações vão operar, os táxis devem circular normalmente. Aeroviários devem parar, aeronautas decidem nesta quinta.

Cidade Destaque Direito Economia Negócios Poder Política Porto Alegre prefeitura Sartori Segurança

A greve geral marcada para a sexta-feira, dia 28 de abril, prevê paralisação de trabalhadores em áreas essenciais, em todo Brasil. Em Porto Alegre, o serviço de transporte público pode ser afetado. Confira o levantamento realizado pela Rádio Guaíba e fique atento aos serviços que vão funcionar.

Ônibus – o que dizem os trabalhadores

Os rodoviários de Porto Alegre e região Metropolitana (Canoas, Gravataí, Cachoeirinha e Viamão) garantiram que vão cruzar os braços e fazer bloqueios em garagens de ônibus durante a greve geral, que protesta contra as propostas de reformas da Previdência, Trabalhista e as terceirizações.

Em Porto Alegre, os ônibus devem deixar de circular a partir das 4h da sexta-feira. Diariamente, 900 mil pessoas dependem do serviço na Capital.

Ônibus – o que dizem as empresas

A Fundação Estadual de Planejamento Metropolitano e Regional (Metroplan) informou que as empresas garantiram a circulação normal dos ônibus em cidades da região Metropolitana. Na sexta-feira, um comunicado deve ser emitido. Em Porto Alegre, a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) só vai manifestar hoje à noite sobre as medidas que pretende tomar.

Trens – o que dizem os trabalhadores

Os trens também não vão circular, com os trabalhadores aderindo ao protesto. As estações da Trensurb devem fechar no fim da noite de quinta-feira. Assim, torcedores do Grêmio não vão poder utilizar as composições ao término do jogo, marcado para as 21h45min de quinta, na Arena.

Trens – o que informou a empresa

A Trensurb informou que ainda busca garantir, pelo menos, a circulação miníma dos trens em horários de pico durante a sexta-feira. Uma posição concreta deve ser divulgada nesta quinta-feira.

Lotações

A Associação dos Transportadores de Passageiros por Lotação de Porto Alegre (ATL) informou que os 441 veículos distribuídos em 31 linhas vão operar normalmente em Porto Alegre. Ainda não se definiu, porém, se os usuários poderão ou não trafegar em pé nos lotações. A entidade espera uma posição da EPTC. A Associação representa tanto a classe patronal quanto os trabalhadores.

Táxis

O Sindicato dos Taxistas de Porto Alegre (Sintáxi) garante que a categoria não vai aderir à paralisação. Com isso, os 4 mil carros estão operando normalmente durante a sexta-feira.

Ônibus intermunicipais – o que dizem os trabalhadores

O Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários Intermunicipais e Interestaduais (Sindirodosul) informou que os trabalhadores também vão aderir à greve geral. Uma concentração é prevista para ocorrer na Estação Rodoviária de Porto Alegre. Assim, não serão realizadas viagens da Capital para o Interior. Contudo, a entidade reconhece que alguns ônibus podem vir de cidades do Interior, em direção a Porto Alegre.

Ônibus intermunicipais – o que dizem o Daer e a Rodoviária 

Em nota, o Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer) informou que a circulação de ônibus intermunicipais vai ocorrer dentro da normalidade. A paralisação chegou a ser anunciada, o governo acabou revendo a decisão. Já a Estação Rodoviária de Porto Alegre disse estar ciente da paralisação dos trabalhadores e garantiu que os passageiros vão ser ressarcidos caso não consigam viajar. Bilhetes serão vendidos na sexta-feira apenas se o ônibus estiver no terminal.

Aviões

O Sindicato dos Aeroviários de Porto Alegre, que representa os trabalhadores dos serviços de manutenção e check-in, também vai engrossar a paralisação geral do dia 28. Já o Sindicato Nacional dos Aeronautas, que representa os pilotos, mantém o estrado de greve, devendo deliberar sobre a paralisação geral apenas às 16h desta quinta. A Infraero recomenda que os passageiros procurem as companhias aéreas para se informar sobre a confirmação da viagem. ( Lucas Rivas/Rádio Guaíba )