Aposentados e pensionistas já são 14,2% da população. Parcela dos beneficiários da Previdência disparou. Em 1992, eram 8,2%

Aposentados e pensionistas já são 14,2% da população. Parcela dos beneficiários da Previdência disparou. Em 1992, eram 8,2%

Destaque

O envelhecimento acelerado da população e as regras generosas da Previdência no país fizeram com que o número de brasileiros que recebem benefícios previdenciários disparasse. Eram 8,2% da população em 1992 e chegaram a 14,2% em 2015, segundo estudo do Ipea. No Estado do Rio, a parcela é ainda maior: 16,1%. E a aposentadoria precoce acentua a desigualdade de renda no país. Segundo a pesquisa, 79% da renda desses benefícios vão para os 30% mais ricos da população, informa GERALDA DOCA. Em Buenos Aires, o presidente Temer mostrou confiança na aprovação da reforma. A reportagem completa está em O Globo.

124 deputados da base dizem que vão votar contra reforma

124 deputados da base dizem que vão votar contra reforma

Destaque

Levantamento do Estado mostra que 215 deputados declaram voto contrário ao projeto de reforma da Previdência. Desses, 124 são de partidos da base de Michel Temer. Mesmo no PMDB – partido do presidente – e no PTB, os dois únicos que decidiram obrigar suas bancadas a votar a favor da reforma, há divisão. O governo necessita de 308 votos para a aprovação do projeto. Com 205 votos contrários, do total de 513 deputados, ele já seria reprovado. No PMDB, dez dos 60 parlamentares disseram ser contrários à proposta e 15 mostraram-se indecisos. Apenas 12 afirmaram ser favoráveis ao texto. Até mesmo alguns vicelíderes de partidos da base, como Lúcio Mosquini (PMDB-RO), mostram resistência ao projeto. Ontem, em evento em São Paulo, Temer fez apelo para que empresários trabalhem pela aprovação da reforma.  A reportagem completa está em O Estado de São Paulo.

‘Lula quer voltar à cena do crime’, atacará Alckmin em convenção tucana; por Thais Bilenky/Folha de São Paulo

‘Lula quer voltar à cena do crime’, atacará Alckmin em convenção tucana; por Thais Bilenky/Folha de São Paulo

Destaque

Em tom muito mais duro que o habitual, o governador Geraldo Alckmin assumirá o comando do PSDB com uma fala crítica ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, seu possível adversário nas eleições presidenciais. A declaração compõe o discurso, cujos trechos da última versão a Folha teve acesso.

“Os brasileiros não são tolos. Sabem, hoje, do método lulopetista de confundir para dividir, iludir para reinar”, dirá o tucano na convenção partidária marcada para este sábado (9), em Brasília.

“Mas vejam a audácia dessa turma. Depois de ter quebrado o Brasil, Lula diz que quer voltar ao poder. Ou seja, meus amigos: ele quer voltar à cena do crime.”

A fala dura contra Lula e o PT contrasta com o estilo conciliador de Alckmin, cuja pertinência é questionada por setores da classe política em meio à crise e polarização no país.

Com seu estilo de “jogar parado”, porém, o governador paulista se fortaleceu dentro do PSDB, e hoje tem favoritismo para se lançar à Presidência. A reportagem completa está na Folha de São Paulo.

Inflação do ano deve ser a mais baixa desde 1998

Inflação do ano deve ser a mais baixa desde 1998

Destaque

Puxada para baixo pelos alimentos, que tiveram deflação, a inflação de novembro surpreendeu e registrou alta de 0,28%, abaixo das previsões. Isso levou à revisão das projeções para o ano. A previsão é de que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) feche 2017 em 2,8%, abaixo de 3%, o piso da meta, e menor índice em quase 20 anos. Se isso se confirmar, o Banco Central terá de explicar ao Ministério da Fazenda por que descumpriu a meta. (O Estado de São Paulo)

Com crise, governo amplia limite de gastos para estados. Sem reforma da Previdência, quadro pode piorar a médio prazo. Governadores não conseguiriam cumprir teto de despesas previsto para 2018

Com crise, governo amplia limite de gastos para estados. Sem reforma da Previdência, quadro pode piorar a médio prazo. Governadores não conseguiriam cumprir teto de despesas previsto para 2018

Destaque

Diante do risco de que alguns estados não consigam cumprir o teto de gastos, que passa a vigorar no próximo ano, o Tesouro Nacional aceitou fazer ajustes na regra. A previsão inicial era que o limite deveria ser calculado com base nas despesas de 2015 e 2016, anos de recessão e de forte ajuste fiscal. A pedido dos governadores, a equipe econômica permitiu que a base para fixar o teto seja o ano de 2017, que teve arrocho menor. Mesmo assim, os estados já pedem mais mudanças. Sem a reforma da Previdência, a situação pode se agravar a médio prazo: os maiores gastos dos estados já são com aposentadorias e pensões. A reportagem completa está em O Globo.

TRE é o único tribunal gaúcho que não informou salários de magistrados ao CNJ; por Lucas Rivas/Rádio Guaíba

TRE é o único tribunal gaúcho que não informou salários de magistrados ao CNJ; por Lucas Rivas/Rádio Guaíba

Direito Notícias
 Dos tribunais do Rio Grande do Sul, apenas o Regional Eleitoral (TRE) ainda não encaminhou ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ) as informações referentes à remuneração dos magistrados da Corte. O prazo para envio dos dados expirou no dia 4 de dezembro, com prorrogação de mais 48 horas, conforme determinação da presidente do CNJ e da Suprema Corte, ministra Carmem Lúcia.

De acordo com ela, a demora na entrega das informações pode passar para a sociedade a impressão de que os tribunais estão agindo de “má-vontade”. Os tribunais seguem a orientação da Portaria n. 63, de 17 de agosto de 2017, que determinou o envio dos dados de pagamentos efetuados aos magistrados para cumprimento da Lei de Acesso à Informação e da Resolução n. 215, de 16 de dezembro de 2015.

As demais cortes gaúchas já encaminharam as planilhas referentes aos salários de pessoal. A intenção do CNJ é verificar se algum servidor está recebendo acima do teto constitucional. Todos os salários dos tribunais podem ser verificados aqui. Pelo menos quatro contracheques apontaram vencimentos acima do teto constitucional no Rio Grande do Sul – R$ 30.471 na jurisdição da Justiça gaúcha.

O TRE esclarece que a planilha não foi enviada porque os magistrados da Corte eleitoral estão com salários atrelados ao Tribunal de Justiça. O TRE não conta com juízes no quadro. Porém, a fim de evitar qualquer imbróglio o TRE informou que não vê problemas em enviar os dados.

Dos 473 magistrados do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região, o salário da desembargadora federal Alcina Tubino Ardaiz Surreaux chega a R$ 62.409,18, assim como o da desembargadora federal Ana Maria Vieira Papaleo, que chega a R$ 31.937,99. A presidente da Corte, desembargadora Beatriz Renck recebe o teto permitido.

No Tribunal Regional Federal (TRF4) da 4ª Região, dois desembargadores também recebem provimentos acima do teto: o desembargador Edgard Antonio Lippmann Junior (R$ 33.214.21) e a desembargadora federal pensionista Silva Maria Gonçalves Goraieb (R$ 61.925,77). O TRF4 conta com 493 magistrados.

Já o presidente do TRF4, desembargador Carlos Eduardo Thompson Flores Lenz também recebe o teto R$ 30.471, assim como presidente do TJRS, desembargador Luiz Felipe Silveira Difini, e o presidente do TJM, Fernando Guerreiro de Lemos.

Forte calor marca sábado ensolarado no Rio Grande do Sul.  Temperatura deve atingir os 37°C em Uruguaiana

Forte calor marca sábado ensolarado no Rio Grande do Sul. Temperatura deve atingir os 37°C em Uruguaiana

Notícias Previsão do Tempo
O forte calor se repete no Rio Grande do Sul neste sábado, onde o sol predomina durante o dia, mas acompanhado de nuvens em algumas regiões.

Entretanto, áreas de instabilidade que vêm do Uruguai devem trazer pancadas localizadas para a região Sul, onde pode haver temporal. No fim do dia, a chuva avança para o Oeste e deve atingir também o Centro gaúcho.

A temperatura se mantém alta em grande parte dos municípios, onde os termômetros podem subir até 37°C. No Litoral Norte, o dia vai ter sol e vento calmo a moderado.

Em Porto Alegre, o sábado vai ser ensolarado, com temperatura elevada. Na Capital, as marcas devem ficar entre 16°C e 34°C.

Mínima e Máxima

Erechim 16°C | 30°C

Passo Fundo 16°C | 31°C

Cruz Alta 16°C | 32°C

Bagé 18°C | 33°C

Alegrete 19°C | 34°C

Santa Rosa 17°C | 36°C

Uruguaiana 21°C | 37°C                (MetSul Meteorologia)

Lula enfrenta protestos em caravana pelo Estado do Rio

Lula enfrenta protestos em caravana pelo Estado do Rio

Destaque

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva enfrentou protestos e percalços nesta terça-feira (5), segundo dia de sua caravana pelos Estados do Espírito Santo e Rio de Janeiro.

Com uma faixa com a inscrição “Lula, ladrão, seu lugar é na prisão”, cerca de 200 apoiadores do deputado Jair Bolsonaro (PSC) fizeram uma manifestação nas escadarias da Câmara de Vereadores de Campos, diante da praça onde Lula deu início à visita ao Estado do Rio.

Foi a maior manifestação encarada por Lula desde o início de sua caravana, em agosto. A reportagem completa está na Folha de S. Paulo.

Governo busca 56 votos para aprovar reforma ainda este ano

Governo busca 56 votos para aprovar reforma ainda este ano

Destaque

O governo calcula que faltam 56 votos para alcançar o mínimo necessário para aprovar a reforma da Previdência na Câmara. O plano de Michel Temer é obter esses apoios até o fim de semana para começar a discutir a proposta em plenário na segunda-feira. Para aprovar a reforma, o governo precisa de pelo menos 308 votos em cada uma das duas votações. Governistas dizem querer votar a proposta quando tiverem cerca de 330 garantidos. “Hoje temos 252 a favor e 140 indecisos”, disse Darcísio Perondi, vice-líder do governo na Câmara. Ontem, Temer disse que o governo não colocará o texto em votação se a base não garantir votos suficientes. “Eu acho que vai ser agora pelo que estou sentindo. Estou animadíssimo.” De olho nas eleições em 2018, parlamentares aproveitam as negociações para pressionar o governo a abrir os cofres e engordar o orçamento do fundo eleitoral. (O Estado de São Paulo)