Grampo da PF mostra Aécio dando ‘bronca’ e cobrando lealdade de Zezé Perrella; por Janaína Oliveira/Hoje em Dia

Grampo da PF mostra Aécio dando ‘bronca’ e cobrando lealdade de Zezé Perrella; por Janaína Oliveira/Hoje em Dia

Destaque Vídeo

Dois dias após a quebra do sigilo da delação da Odebrecht, em 13 de abril deste ano, a operação “Lava Jato” interceptou uma conversa telefônica entre o senador Aécio Neves, do PSDB, e o senador Zezé Perrella, do PMDB. No diálogo, Aécio cobra fidelidade de Perrella e o critica duramente pelo fato de o aliado de longa data ter dado uma entrevista à rádio Itatiaia se gabando de não estar na lista de Janot e no “mar de lama” do Brasil. Na conversa interceptada pela PF, que ocorreu bem antes da divulgação da delação da JBS, os senadores mineiros não falam de crimes. Mas Aécio evidencia seu aborrecimento com a declaração de Perrella à emissora, na qual ele se orgulha de estar fora da “Lava Jato”. “Acho que não preciso provar o quanto sou seu amigo na vida, né cara. Então vou te falar como amigo, com a liberdade de amigo. Poucas vezes vi uma declaração tão escrota, Zezé, como essa que você deu na rádio Itatiaia”, disse Aécio.

Nesse ponto da conversa, o tucano lembra como o ex-presidente do Cruzeiro chegou ao Senado. Primeiro suplente de Itamar Franco, Perrella conquistou a cadeira na Casa após a morte do ex-presidente, em 2011. A composição da chapa foi conduzida por Aécio. “A pretexto de se defender, você jogou todo mundo na lama. A não ser, Zezé, que sua campanha foi financiada na lua, pela semente lá sua, pela quentinha do Alvimar. Nossa campanha foi a mesma Zezé”, frisou o tucano. “Numa hora dessa é hora de mostrar solidariedade, de separar o joio do trigo. Você nos igualou no campo do PT, dos picaretas todos”, continuou Aécio.

Perrella se mostra constrangido e cita o caso do helicóptero carregado de droga para justificar a entrevista à Itatiaia. Em 2013, a aeronave da família do senador foi flagrada com quase meia tonelada de pasta de cocaína. “Qual a maneira que eu encontrei de rebater… Essas coisas que eles falam de mim do helicóptero até hoje”, explicou Perrella.

Em um trecho mais adiante, Aécio diz a Perrella que ele também pode vir a ser citado no âmbito da operação da “Lava Jato”. “Olha onde você tá indo. Amanhã, Zezé, nada impede que alguém te cite por alguma razão, por sacanagem. E aí você virou bandido? Fiquei chateado como teu amigo meu irmão”.

E volta a cobrar lealdade de Zezé. “Nós temos que enfrentar isso com firmeza. Se nós começarmos a separar, começar a achar que cada um que se safa sozinho, acabou meu amigo”.

O grampo termina com a promessa de Perrella de conceder nova entrevista, dessa vez incluindo a defesa de Aécio. “Não fiz essa declaração na Itatiaia não, mas vou fazer… Não fica chateado não porque você sabe que te adoro”, diz Perrella. “Por isso que fiquei chateado porque te adoro também. Na hora que a gente tá levando porrada pra c.… se os amigos da gente”, responde Aécio.

Perrella garante: “Olha, vou falar de você e Anastasia, que tenho certeza que vocês estão sendo injustiçados e tal. Pode ficar tranquilo faço isso no Senado e na própria Itatiaia”, finalizou.

Histórico

No último dia 18, os senadores Aécio Neves e Zezé Perrella foram alvos da operação Patmos, desdobramento da “Lava Jato”. A empresa de Perrella, Tapera Participações e Empreendimentos Agropecuários, é suspeita de ser a destinatária de propina repassada a Aécio pelo delator Joesley Batista, dono da JBS.

Na época do diálogo entre os senadores mineiros, Aécio já era alvo de cinco inquéritos no STF, em decorrência das delações da Odebrecht.

 

Outro lado

Por meio da assessoria, Zezé Perrella disse que “a campanha mencionada em conversa com o senador Aécio era do senador Itamar Franco”. “Eu era apenas suplente”, afirmou.

A assessoria de Aécio Neves  disse que tratam-se de conversas particulares, que não têm qualquer relação com o objeto da investigação. “Sendo de teor privado, não há o que comentar”, disse.

A nota afirma ainda que “as campanhas do senador Aécio Neves, do senador Antonio Anastasia e do presidente Itamar Franco ao Senado, de quem o senador Zezé Perrella era suplente, foram feitas em absoluto respeito à legislação vigente”.

Mulher dá à luz dentro de sala de revista de penitenciária em Charqueadas. Gestante fazia visita no local quando entrou em trabalho de parto

Mulher dá à luz dentro de sala de revista de penitenciária em Charqueadas. Gestante fazia visita no local quando entrou em trabalho de parto

Notícias Segurança

Uma jovem de 26 anos deu à luz dentro da Penitenciária Modulada de Charqueadas, nesse fim de semana. A gestante entrou em trabalho de parto após o término do horário de visitas, na tarde de ontem. O SAMU chegou a ser acionado, mas o bebê acabou nascendo dentro da cadeia, na sala de revista do estabelecimento prisional.

Os agentes penitenciários Cristiane Rezek Silveira, Pabline dos Santos do Nascimento e Marcelino Silva Bitencourt foram os responsáveis pelo parto. A mãe e a criança, uma menina, foram conduzidas até o Hospital São Jerônimo, onde recebem atendimento. Nenhuma delas corre risco.

A diretora da PMEC, Karoline de Souza, disse que os agentes penitenciários “são treinados para todo o tipo de adversidade e, mesmo não sendo uma situação corriqueira, os colegas agiram com garra e foram rápidos e certeiros.” (Rádio Guaíba)

Teor de grampo põe em suspeita troca de ministro da Justiça, dizem delegados da PF; por Gabriel Jacobsen/Rádio Guaíba

Teor de grampo põe em suspeita troca de ministro da Justiça, dizem delegados da PF; por Gabriel Jacobsen/Rádio Guaíba

Destaque

O presidente da Associação Nacional dos Delegados da Polícia Federal (ADPF), Carlos Eduardo Sobral, afirmou, nesta segunda-feira, que o contexto em que foi anunciada a troca do ministro da Justiça preocupa a instituição. Nesse domingo, Temer anunciou a troca do ministro da Justiça, com a saída de Osmar Serraglio e a entrada de Torquato Jardim. Segundo o representante dos delegados federais, é preciso lembrar que áudios vieram à tona nos últimos dias apontando uma articulação entre agentes políticos investigados pela Lava Jato para que permitir uma alteração na pasta da Justiça.

“A gente tem uma preocupação muito grande por causa do contexto em que ela (a troca de ministros) aconteceu. Na semana passada vieram a público diálogos entre grandes expoentes da política informando que havia uma pretensão, um desejo, de colocar um nome forte no Ministério da Justiça para que esse nome controlasse a Polícia Federal. Na semana em que esse diálogo vem a público é mudado o ministro e nós sabemos que o ministro Torquato tem uma característica pessoal de ser uma pessoa assertiva”, destacou Jardim.

No último dia 19, foi divulgado o áudio de uma conversa telefônica entre os senadores José Serra (PSDB-SP) e Aécio Neves (PSDB-MG). No diálogo (leia íntegra ao final), Serra pede que Aécio intervenha junto a Temer para que haja a troca do ministro da Justiça. Na conversa, gravada uma semana após as delações da Odebrescht serem divulgadas, Serra se mostra preocupado e fala que é preciso um ministro mais “forte”. Aécio concorda e promete conversar com o presidente da República sobre a troca.

O presidente da Associação Nacional dos Delegados da PF ainda afirmou que é normal o fato de que haja tentativas de frear investigações quando um novo grupo político passa a ser investigado.

“Ficou claro que a Polícia Federal não tem partido. É evidente que quando outros grupos políticos passam a ser objeto da investigação que haja um movimento para, de alguma forma, resistir. Isso é natural. Aconteceu no exterior, vai acontecer no Brasil. Evidentemente que quem é investigado vai tentar agir para evitar a investigação. Por isso, temos que fortalecer as instituições”, disse Sobral.

A entidade representativa dos delegados federais defende que o risco de interferência política na instituição só vai deixar de existir se for aprovada uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC 412/2009) que garante autonomia funcional, administrativa e orçamentária à Polícia Federal. A associação também defende que seja instituído o mandato para diretor geral da PF, “de modo que mudanças de governo ou de governantes não reflitam em interferências políticas”.

Confira o diálogo completo entre Serra e Aécio

José SerraDeixa eu te falar uma coisa, cara. Eu tô preocupado… olhando do ponto de vista macro, né… da política, eu acho que precisa ter um ministro da Justiça forte, viu Aécio.
Aécio NevesEu também acho, sempre achei.

José SerraE… realmente forte. Não precisa ser da área, porque vai ficar da área… vai ficar aquele problema todo. Alguém como o Jungmann daria, entende? Bem assessorado, tal. O fato é que tem que por alguém com força. Não para fazer nada arbitrário, mas para que as coisas tenham um caminho, né? de desenvolvimento, tudo.
Aécio NevesVamos falar pessoalmente, tá bom.

José SerraÉ. Mas se você tiver oportunidade, sem mencionar que eu te falei, porque eu tinha ficado de falar com ele. Podia mencionar isso para o presidente.
Aécio Neves – Tudo bem, mas não sei se consigo.

José SerraInclusive quem, etc. Mas o fato é o seguinte, precisa ter ministro forte.
Aécio NevesConcordo com você.

José SerraO rapaz é um… o Osmar Serraglio foi um bom deputado, acho mesmo… pode ir para outro ministério, tal, mas as condições iniciais ele não teve.
Aécio NevesFalamos pessoalmente, mas concordo. Falamos pessoalmente, tá bom? Mas tá entendido.

José SerraVocê concorda com a ideia, né?
Aécio NevesConcordo há muito tempo já.

José SerraTá bom.
Aécio NevesAbração.

José SerraOk.
Aécio NevesMelhoras aí.                                         (Gabriel Jacobsen/Rádio Guaíba)

Comunicação Corporativa: Daniela Kraemer da General Motors recebe o Top Mega Brasil

Comunicação Corporativa: Daniela Kraemer da General Motors recebe o Top Mega Brasil

Agenda Comunicação Destaque Economia Negócios

Daniela Kraemer, Gerente de Relações Governamentais e Institucionais da GM, com atuação nas fábricas da General Motors de Gravataí e Joinville, recebeu em São Paulo o prêmio Top Mega Brasil de Comunicação Corporativa 2017 – Região Sul, organizado pela MegaBrasil em parceria com a MaxPress. Agências e executivos de comunicação concorreram regional e nacionalmente ao prêmio que celebra os destaques do mercado brasileiro, com o TOP 10 Brasil e o TOP 5 Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sul e Sudeste.

Os premiados foram eleitos após indicação de centenas de agências e milhares de executivos da área da comunicação corporativa.Nesta edição, a premiação contabilizou o dobro de votos em relação a 2016. Nelson Silveira, Diretor de Comunicação da GM Mercosul, também foi destaque na premiação com o Top 10 Brasil e o Top 5 Sudeste.

Para Eduardo Ribeiro, diretor da Mega Brasil, o que mais chamou a atenção nessa terceira edição, além da expressiva votação, foi o alto índice de renovação dos vencedores: “Entre os 70 premiados, temos a estreia de 34 nomes, sendo 21 executivos e 13 agências. Alguns deles, claro, até figuraram nas premiações anteriores, mas não na mesma categoria. Isso mostra não só o interesse do mercado, mas também a quantidade de bons executivos e boas agências existentes no País.

Oposição discute “anticandidatura” em eventual eleição indireta

Oposição discute “anticandidatura” em eventual eleição indireta

Destaque

Deputados do PT que não concordam com a ideia de boicotar eventual eleição indireta para escolha do substituto do presidente Michel Temer discutem com parlamentares de outros partidos da oposição, entre eles PDT e PC do B, participar do pleito com uma “anticandidatura”. A estratégia é lançar um candidato oposicionista ao que será lançado pelos partidos da base aliada para marcar posição política e, ao mesmo tempo, tentar influenciar minimamente a agenda do governo de transição. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva defende que o PT repita o posicionamento das eleições de 1985 e não participe de eventual novo colégio eleitoral. Naquele pleito, a sigla se colocou contra a aliança do PMDB com dissidentes do regime militar, que conseguiu eleger Tancredo Neves presidente, com 480 votos. O deputado Paulo Maluf (então do PDS, hoje do PP) ficou em segundo lugar, com 180 votos.

Naquela época, o PT havia participado ativamente da campanha pelas “Diretas Já”, em 1984, e considerava ilegítima a escolha do primeiro presidente civil, depois de 21 anos de ditadura militar, de forma indireta, ou seja, por deputados e senadores, e não pelo voto popular. Três dos oito deputados da bancada petista (Bete Mendes, José Eudes e Airton Soares) contrariaram a orientação partidária e acabaram expulsos da legenda.

No PT, a “anticandidatura” em eventual nova eleição indireta tem apoio até mesmo de deputados da corrente Construindo um Novo Brasil (CNB), a mesma de Lula, como Vicente Cândido (SP). Segundo o político paulista, o grupo ainda procura um nome para ser o “anticandidato”. O nome ex-presidente, porém, é totalmente descartado. “Ele negaria a própria história”, afirmou outro deputado da CNB.

No PDT, a tese de uma “anticandidatura” tem apoio de deputados como André Figueiredo (CE), vice-líder do partido na Câmara. “Nossa primeira alternativa é eleição direta. Mas, se não conseguir, tem que participar da indireta. Não adianta ficar intransigente e virar as costas, porque acaba perdendo a chance de discutir uma agenda para uma transição e de reforçar posicionamento contra essas reformas”, afirmou o pedetista, que foi ministro das Comunicações do governo Dilma Rousseff.

O deputado Orlando Silva (PC do B-SP) também defende que seu partido apoie uma “anticandidatura”, caso a oposição não consiga viabilizar uma eleição direta. “Seria para marcar posição política, como foi a candidatura do André Figueiredo na última eleição na Câmara”, afirmou. Na disputa pelo comando da Casa, em fevereiro deste ano, Figueiredo ficou em terceiro lugar, com 59 votos. O vencedor foi o atual presidente, Rodrigo Maia (DEM-RJ), com 293 votos.

Figueiredo, Orlando e segmentos do PT admitem até que a oposição pode negociar apoio a uma candidatura de “centro”, desde que o candidato se comprometa a não votar as reformas ou pelo menos amenizá-las. Entre os pré-candidatos colocados hoje, o ex-ministro Nelson Jobim é o que mais tem apoio da oposição. “Seria um nome de acordo nacional. É difícil o Lula falar mal dele”, disse o deputado Vicente Cândido (SP), vice-líder do PT na Câmara.

Há ainda na oposição quem defenda manter uma anticandidatura, mesmo que o candidato seja Jobim. Nesse caso, dizem oposicionistas, seria uma anticandidatura “menos agressiva”. Jobim foi ministro da Defesa entre 2007 e 2011, durante os governos dos ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff. Antes disso, foi ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) de 1997 a 2006, indicado pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

Dirigentes do PDT e do PC do B evitam falar publicamente sobre participação em eventual eleição indireta. O argumento é de que o foco por enquanto tem que ser em aprovar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) de autoria do deputado Miro Teixeira (Rede-RJ) que permite eleições diretas para presidente, caso Temer seja cassado ou renuncie ao cargo. A matéria ainda está parada na Comissão Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, sem previsão para ser votada.

“Não vamos convalidar nem legitimar uma eleição com um Congresso corrupto desses, totalmente desmoralizado”, afirmou o deputado Ivan Valente (SP), vice-líder do PSol na Câmara. Para ele, participar de uma eleição indireta apoiando uma anticandidatura ou uma candidatura de centro seria legitimar o processo. O PSol tem uma bancada de seis deputados. (Correio do Povo/Estadão)

Porto Alegre: John Mayer toca no Beira-Rio em outubro. Músico trará turnê “The Search for Everything” ao Brasil

Porto Alegre: John Mayer toca no Beira-Rio em outubro. Músico trará turnê “The Search for Everything” ao Brasil

Agenda Cidade Cultura Destaque Porto Alegre Turismo Vídeo

A turnê de John Mayer pelo Brasil foi confirmada nesta segunda-feira no site do músico, incluindo um show no Anfiteatro Beira-Rio, em Porto Alegre, no dia 24 de outubro. Conforme as informações divulgadas, ele ainda apresentará a turnê “The Search for Everything” em São Paulo (18/10), Belo Horizonte (20/10), Curitiba (22/10) e Rio de Janeiro (27/10).

Ainda não há informações sobre os valores do ingressos ou a data de início das vendas. No entanto, de acordo com o site do artista, a comercialização ocorrerá pelo Livepass. John Mayer já havia divulgado que tinha fechado shows no Brasil durante uma live do Instagram.

Transitando entre o rock e blues, John Mayer venceu sete Grammys ao longo da carreira e lançou canções como “Why Georgia”, “Your Body is a Wonderland”, “Bigger Than My Body”, “Daughters”, “Waiting on the World to Change” e “Gravity”. Os novos shows do músico norte-americano têm contado com três partes: um set acústico, um com o John Mayer Trio e outro com banda completa. O repertório varia bastante, privilegiando as canções do mais recente álbum “The Search for Everything”, mas também abrindo espaço para alguns sucessos que marcam a trajetória do artista. (Correio do Povo)

Dia da Liberdade de Impostos terá gasolina a R$ 2,00 em cinco postos da Capital

Dia da Liberdade de Impostos terá gasolina a R$ 2,00 em cinco postos da Capital

Destaque Economia Negócios

No próximo dia 6 de junho, acontece a 13ª edição do Dia da Liberdade de Impostos. A iniciativa é promovida pelo Instituto Liberdade, pelo Instituto de Estudos Empresariais (IEE), pelo Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis e Lubrificantes no RS (Sulpetro), e conta com a parceria da Câmara de Dirigentes Lojistas de Porto Alegre (CDL).

A campanha consiste na venda de gasolina pelo valor sem impostos para os consumidores, com o objetivo de conscientizar a população sobre a alta carga tributária que é paga hoje em dia. A expectativa é que neste ano, com mais que o dobro de estabelecimentos aderindo, 51 mil litros de gasolina serão vendidos com valores reduzidos na ação, que ocorrerá em 17 postos de combustíveis em 12 cidades gaúchas: Porto Alegre, Gravataí, Caçapava do Sul, Cachoeirinha, Caxias do Sul, Pelotas, Passo Fundo, Portão, Rio Grande, São Leopoldo, Sapucaia do Sul e Santa Rosa. As ações também serão realizadas em outras capitais nacionais.

O combustível será vendido a R$ 2,00 o litro, mediante distribuição de 150 senhas por posto participante, a partir das 7h. O abastecimento será realizado das 8h às 11h30min. Cada senha dará o direito à compra de 20 litros de gasolina comum, apenas para pagamento em dinheiro.

Postos de combustíveis que integram a campanha:

PORTO ALEGRE:

– Posto SIM Ecoposto – Av. Ipiranga, 999
– PostoDueville – Av Assis Brasil, 6853
– Abastecedora de Combustíveis SMR – Av Borges da Medeiros, 2205
– Posto Cavalhada – Av. Cavalhada, 3833
– Com. de Combustíveis Phoenix LTDA. – Av. Francisco Silveira Bitencourt, 1955

GRAVATAÍ:

– Abastecedora de Combustíveis Confiança LTDA. – Rua Dois de Novembro, 60

CAÇAPAVA DO SUL:

– Posto Pampeano – Rua Benjamin Constant, 782

CACHOEIRINHA:

– Abastecedora de Combustíveis Cachoeirinha LTDA. – Av. Frederico Augusto Ritter, 1760
– Posto Center LTDA – Av. General Flores da Cunha, 894 / PARADA 49

CAXIAS DO SUL: 

– Posto SIM Shopping – Rua João Nichele, 2227 – Em frente ao Iguatemi

PELOTAS:

– Posto SIM 3Bicos – Av. Fernando Osório, 3501

PASSO FUNDO:

– Posto SIM Presidente Vargas – Av. Presidente Vargas, 128

PORTÃO:

– Posto Hoff – RS240, 5720 – KM 11

RIO GRANDE:

– Abastecedora da Quinta : Rua Trajano Lopes, 213 – Vila da Quinta

SÃO LEOPOLDO: 

– Posto Ello – Av. Unisinos, 1441 – Em frente a Unisinos

SAPUCAIA DO SUL:

– Posto Tigrão – Rodovia BR116 – Km 253

SANTA ROSA: 

– Posto Vaccari – Av. Rio Branco, 26 – Centro                            (Guilherme Kepler / Rádio Guaíba)

Agente penitenciário é preso com drogas, bebidas e celulares no Presídio de Osório

Agente penitenciário é preso com drogas, bebidas e celulares no Presídio de Osório

Destaque Segurança

Um agente penitenciário foi preso na manhã desta segunda-feira, em Osório, suspeito de disponibilizar drogas, bebidas alcoólicas e celulares para detentos da Penitenciária Modulada Estadual de Osório. Investigações da Corregedoria da Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) apontaram que o homem era o responsável pela entrega da mercadoria dentro do presídio.

O homem, sem identificação revelada, foi preso em flagrante durante uma operação da Polícia Civil realizada com o apoio do Ministério Público (MP) dentro da casa prisional. ( Eduardo Paganella / Rádio Guaíba)

Delegado e procurador da Lava Jato reagem a redução da equipe da PF no Paraná

Delegado e procurador da Lava Jato reagem a redução da equipe da PF no Paraná

Destaque
O delegado federal Igor Romário de Paula, coordenador da Lava Jato no Paraná, criticou redução da equipe na operação no estado. Segundo ele, o remanejamento dos delegados para os outros locais resultou em “dificuldades operacionais”, que precisarão ser superadas para o trabalho não sofrer prejuízo. Atualmente, os delegados respondem por 120 procedimentos, conforme Igor de Paula.

“Estamos desde segunda-feira com, além de mim, mais cinco delegados trabalhando na Lava Jato. Nós temos enfrentado um problema que é objetivo, porque grande parte do nosso efetivo de fora que trabalhava aqui era do Rio de Janeiro, de São Paulo e de Brasília, que são locais que estão recebendo maior número de procedimentos decorrentes da colaboração da Odebrecht”, afirmou Igor de Paula. “Com o número de temos hoje, é difícil dar continuidade ao trabalho da forma satisfatória como sempre foi. Estamos tentando recompor. A dificuldade maior hoje é de delegados”, acrescentou ressaltando que a maioria foi deslocada para Brasília.

Na segunda-feira, a PF anunciou uma readequação do contingente de profissionais para atender à demanda de investigações de corrupção em outros estados da Federação.

Questionado se a redução pode estar relacionada a uma tentativa de enfraquecer a Operação Lava Jato, o delegado disse que fala apenas sobre “ponto-de-vista interno e administrativo da polícia”. “Se há algum tipo de articulação maior e mais ampla, eu não sei dizer. Mas é uma dificuldade operacional que a gente vai ter que superar, porque senão o prejuízo no trabalho vai ser concreto”.

O procurador do Ministério Público Federal (MPF) Carlos Fernando dos Santos Lima, que compõe a força-tarefa da operação no Paraná, criticou o remanejamento de agentes da PF e afirmou que a Operação Lava Jato em Curitiba não está diminuindo. “Ao contrário, nós vamos ter muito serviço pela frente, não só de novos fatos, mas também de todas as acusações que nós temos que proceder”, afirmou.

Segundo Lima, a força-tarefa do MPF na operação permanece com os mesmos 13 procuradores e está recebendo reforço de funcionários em alguns setores. “Talvez, seja preciso que a direção-geral da PF compreenda que nós precisamos manter uma equipe que realmente seja operacional na Lava Jato, que realmente dê condições de suporte às medidas que vão ser tomadas daqui para frente nas investigações que vão se desenvolver”, disse o procurador.

Procurado pela reportagem, o Ministério da Justiça e Segurança Pública ratificou o posicionamento divulgado no começo da semana, quando foi anunciada a readequação na PF. A nota, enviada pela assessoria de imprensa, reitera que o ministério “cumpriu o corte linear em seu orçamento, conforme determinado em decreto presidencial destinado a todas as pastas. As verbas de todos os órgãos que compõem a estrutura do ministério foram contingenciadas, incluindo a Polícia Federal”. O Ministério também promete, para não haver descontinuidade em operações importantes, fazer o remanejamento de recursos sempre que for necessário. (Agência Brasil)

PRF resgata tamanduá próximo à rodovia BR 470 em Bento Gonçalves. Animal estava desorientado

PRF resgata tamanduá próximo à rodovia BR 470 em Bento Gonçalves. Animal estava desorientado

Destaque

Um tamanduá-mirim foi encontrado nessa sexta-feira em Bento Gonçalves, na Serra gaúcha. Conforme a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o animal estava próximo ao acesso a Faria Lemos, perto do leito da rodovia.

Os policiais rodoviários relataram que o tamanduá estava desorientado e com ferimentos nas patas. Os agentes o retiraram da rodovia para encaminhá-lo ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente de Porto Alegre. O animal deve ser avaliado antes de ser reintroduzido ao habitat natural. (Correio do Povo)