GM oficializa no dia 2 de agosto a terceira ampliação no Estado; por Patrícia Comunello/Jornal do Comércio

GM oficializa no dia 2 de agosto a terceira ampliação no Estado; por Patrícia Comunello/Jornal do Comércio

Destaque Economia

Questionado sobre quando, afinal, a General Motors do Brasil (GMB) anuncia a terceira ampliação do seu complexo no Rio Grande do Sul, o governador José Ivo Sartori (PMDB) endereçou à companhia a resposta. “Pergunta para eles…” Para depois registrar, antes de desaparecer do salão principal para seu gabinete no Palácio Piratini após uma agenda de assinatura de um projeto em carvão na quinta-feira passada: “Por nós, já devia ter começado”. Fato é que a confirmação do aporte estimado em R$ 1,5 bilhão da gigante norte-americana em Gravataí, onde fica uma das unidades produtivas mais eficientes no mundo da marca, será em evento no dia 2 de agosto no Piratini, com a presença do board da montadora no Brasil e América Latina.

O prazo confirma a expectativa tanto de quem negocia pelo governo como segmentos que estão ansiosos para ver o investimento desencantar. “Nesse momento, anunciar um investimento desse é importante até do ponto de vista psicológico, vai mostrar que o Brasil tem jeito. Vai ser estímulo a toda a indústria”, dimensiona o vice-presidente da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos no Estado (Abimaq-RS), Hernane Cauduro. O aporte, que deve se materializar em uma nova linha de modelo de carro que deve seguir as camionetes SUV, ou seja, nada de modelito popular de entrada, ocorre em um período em que a operação gaúcha completa 15 anos. Em 20 de julho de 2000, começaram a sair as primeiras unidades do Celta, agora fora de linha. Outro marco é da oficialização do parque, que ocorreu há duas décadas. Em março de 1997, foi anunciada a montagem do Complexo Industrial Automotivo de Gravataí (Ciag), apelidado de Arara Azul.  A reportagem completa de Patricia Comunello está no Jornal do Comércio.

Câmara quer mudar delação premiada e prisão preventiva. Novo Código de Processo Penal também pode alterar condução coercitiva

Câmara quer mudar delação premiada e prisão preventiva. Novo Código de Processo Penal também pode alterar condução coercitiva

Direito Notícias Poder Política

Deputados discutem mudanças nas regras de delação premiada, prisão preventiva e condução coercitiva. Também estudam revogar o entendimento de que penas podem começar a ser cumpridas após condenação em segunda instância. O debate vem sendo feito na comissão especial que discute o novo Código de Processo Penal (CPP) e atinge medidas que viraram pilares da Lava Jato. A expectativa é de que o relator, João Campos (PRB-GO), entregue seu parecer em agosto. Com isso, o projeto pode ser votado até outubro no plenário da Câmara. Atualmente, a delação premiada é regulada pela lei de organizações criminosas, de 2013. No atual código, a prisão preventiva não tem duração determinada e a condução coercitiva não prevê punição em caso de uso abusivo. A reforma do CPP ficou esquecida na Câmara até 2016, quando foi desengavetada pelo então presidente, Eduardo Cunha. A reportagem completa está em O Estado de São Paulo.

9º Festival de Inverno começa com feira, debate, filme e concerto

9º Festival de Inverno começa com feira, debate, filme e concerto

Agenda Cidade Cultura Destaque Porto Alegre

Um recital do Quarteto Osesp no Teatro Renascença, às 18h30min de segunda, dia 24, marca o início da agenda musical do 9º Festival de Inverno de Porto Alegre. A parte literária da programação também tem destaques no mesmo dia, com a primeira sessão do curso Escritores Gaúchos em Ação, na Sala Álvaro Moreyra, e a exibição de um documentário sobre o crítico e diplomata José Guilherme Merquior (1941-1991), na Cinemateca Capitólio Petrobras.

Já pela manhã, o Centro Municipal de Cultura, Arte e Lazer Lupicínio Rodrigues recebe uma feira de livreiros independentes, com participação de livrarias como Traça, Taverna, L&PM, Terceiro Mundo, Palmarinca, Calle Corrientes e Tomo. A feira seguirá diariamente até sábado (dia 29), das 9h às 21h30min.

Para as 18h30min, duas atividades estão agendadas no Centro Municipal de Cultura. Uma é a abertura do curso Escritores Gaúchos em Ação, que segue até sexta-feira e reúne nomes emergentes da literatura do Estado, sempre com entrada franca. Nesta primeira sessão, os convidados são Robertson Frizero e Luiz Gonzaga Lopes – autores, respectivamente, dos romances Longe das Aldeias e Amor sobre tela.

A outra é o concerto do Quarteto Osesp, no Teatro Renascença. O grupo, fundado nos anos 2000, reúne o spalla da Osesp, Emmanuele Baldini, o violinista Davi Graton, o violista Peter Pas e o violoncelista Ilia Laporev. A diversidade de origens dos músicos se reflete no repertório, que vai do barroco ao contemporâneo – hoje, o programa prevê temas de câmara de Claude Debussy e Antonin Dvorák.

A programação da segunda-feira termina na Cinemateca Capitólio Petrobras. Às 20h, com entrada franca, será exibido o documentário José Guilherme Merquior: Paixão pela Razão (2015, 30 minutos), de Régis Rocha, sobre a vida e a obra de Merquior – professor, diplomata e polemista que atuou na segunda metade do século 20. Após a sessão, haverá debate com o professor João Cezar de Castro Rocha (Uerj) e o coordenador do Livro e Literatura da Secretaria da Cultura, Sergius Gonzaga.

O 9° Festival de Inverno é uma realização da Prefeitura de Porto Alegre e da Secretaria Municipal da Cultura, por meio da Coordenação do Livro e Literatura. Correalização de Fecomércio/Sesc. O evento conta com patrocínio de Panvel Farmácias, Fleming e Icatu, apoio gastronômico dos restaurantes Al Dente e Peppo Cucina e apoio da vinícola Cave de Pedra.

Programação atualizada – 9º Festival de Inverno

Dia 24, segunda-feira

9h às 21h30min – Feira de livreiros independentes (diariamente, até 29 de julho)

Centro Municipal de Cultura

Entrada franca

18h30min – Curso Escritores Gaúchos em Ação (Robertson Frizero e Luiz Gonzaga Lopes). Duração: 1h30min

Sala Álvaro Moreyra

Entrada franca

18h30min – Quarteto Osesp. Duração: 1h

Teatro Renascença

R$ 40 (R$ 20 – promocional)

20h – Exibição do documentário José Guilherme Merquior: Paixão pela Razão e debate com João Cezar de Castro Rocha (Uerj) e Sergius Gonzaga. Duração: 2h

Cinemateca Capitólio Petrobras

Entrada franca

Dia 25, terça-feira

9h – Palestra Drummond Cordial (com Jerônimo Teixeira). Duração: 1h30min

Sala Álvaro Moreyra

Entrada franca

10h30 – Curso sobre Jorge Luis Borges – Breve História da Eternidade (com Martin Kohan). Duração: 1h30min

Teatro Renascença

R$ 40 (R$ 20 – promocional)

14h30min – A Nova Era de Ouro da TV Americana (com Isabela Boscov). Duração: 1h30min

Sala Álvaro Moreyra

R$ 40 (R$ 20 – promocional)

14h30min – Curso sobre Gabriel García Márquez – O Romance do Século XX (com Karina Lucena e Sergius Gonzaga). Duração: 1h30min

Auditório do Atelier Livre

R$ 40 (R$ 20 – promocional)

16h – Curso Escrita de Mulher (com Regina Zilberman, Márcia Ivana e Jane Tutikian). Duração: 2h

Teatro Renascença

R$ 40 (R$ 20 – promocional)

16h30min – Curso As Ideias de Nosso Tempo – Conservadorismo, Liberalismo e Progressismo (com Eduardo Wolf). Duração: 1h30min

Sala Álvaro Moreyra

Entrada franca

18h – Curso sobre escritores argentinos (com Ariel Schettini). Mediação: Ricardo Barberena. Duração: 1h30min

Auditório do Atelier Livre

R$ 40 (R$ 20 – promocional)

18h30min – Curso Escritores Gaúchos em Ação (com Reginaldo Pujol Filho e Cristiano Baldi). Duração: 1h30min

Biblioteca Pública Josué Guimarães

Entrada franca

18h30min – Curso Revolução Soviética e Stalinismo (com Voltaire Schilling). Duração: 1h30min

Sala Álvaro Moreyra

R$ 40 (R$ 20 – promocional)

20h – Sessão do filme Invasão (1969, 120 minutos), de Hugo Santiago

Cinemateca Capitólio Petrobras

Entrada franca

Dia 26, quarta-feira

9h – Curso Nelson Rodrigues – A Grande Síntese Melodrama e Naturalismo (com Luiz Arthur Nunes). Duração: 1h30min

Sala Álvaro Moreyra

R$ 40 (R$ 20 – promocional)

10h30 – Curso sobre Jorge Luis Borges – Breve História da Eternidade (com Martin Kohan). Duração: 1h30min

Teatro Renascença

R$ 40 (R$ 20 – promocional)

14h30min – A Nova Era de Ouro da TV Americana (com Isabela Boscov). Duração: 1h30min

Sala Álvaro Moreyra

R$ 40 (R$ 20 – promocional)

14h30min – Curso sobre Gabriel García Márquez – O Romance do Século XX (com Karina Lucena e Sergius Gonzaga). Duração: 1h30min

Auditório do Atelier Livre

R$ 40 (R$ 20 – promocional)

16h – Curso Escrita de Mulher (com Regina Zilberman, Márcia Ivana e Jane Tutikian). Duração: 2h

Teatro Renascença

R$ 40 (R$ 20 – promocional)

16h30min – Curso As Ideias de Nosso Tempo – Conservadorismo, Liberalismo e Progressismo (com Eduardo Wolf). Duração: 1h30min

Sala Álvaro Moreyra

Entrada franca

18h – Curso sobre escritores argentinos (com Ariel Schettini). Duração: 1h30min

Auditório do Atelier Livre

R$ 40 (R$ 20 – promocional)

18h30min – Curso Revolução Soviética e Stalinismo (com Voltaire Schilling). Duração: 1h30min

Sala Álvaro Moreyra

R$ 40 (R$ 20 – promocional)

18h30 – Curso Escritores Gaúchos em Ação (com Michel Laub e Daniel Galera). Duração: 1h30min

Biblioteca Pública Josué Guimarães

Entrada franca

20h – Histórias Extraordinárias da Escravidão Brasileira (com Leandro Narloch). Duração: 1h30min

Teatro Renascença

Entrada franca

20h – Reflexões sobre Gastronomia (com Filipe Lopes, Marcelo Schambeck e Diogo Carvalho). Duração: 1h30min

Sala Álvaro Moreyra

Entrada franca

20h – Sessão do filme Garoto (2015, 70 minutos), de Júlio Bressane

Cinemateca Capitólio Petrobras

Entrada franca

Dia 27, quinta-feira

9h – Curso Nelson Rodrigues – A grande Síntese Melodrama e Naturalismo (com Luiz Arthur Nunes. Duração: 1h30min

Sala Álvaro Moreyra

R$ 40 (R$ 20 – promocional)

10h30 – Curso sobre Jorge Luis Borges – Breve História da Eternidade (com Martin Kohan). Duração: 1h30min

Teatro Renascença

R$ 40 (R$ 20 – promocional)

14h30min – A Nova Era de Ouro da TV Americana (com Isabela Boscov). Duração: 1h30min

Sala Álvaro Moreyra

R$ 40 (R$ 20 – promocional)

14h30min – Curso sobre Gabriel García Márquez – O Romance do Século XX (com Karina Lucena e Sergius Gonzaga). Duração: 1h30min

Auditório do Atelier Livre

R$ 40 (R$ 20 – promocional)

16h – Curso Escrita de Mulher (com Regina Zilberman, Márcia Ivana e Jane Tutikian). Duração: 2h

Teatro Renascença

R$ 40 (R$ 20 – promocional)

16h30min – Curso “As Ideias de Nosso Tempo” – Conservadorismo, Liberalismo e Progressismo (com Eduardo Wolf). Duração: 1h30min

Sala Álvaro Moreyra

Entrada franca

18h – Curso sobre escritores argentinos (com Silvia Hopenhayn). Mediação: Ricardo Barberena. Duração: 1h30min

Auditório do Atelier Livre

18h – Sessão do filme Dias de Ódio (1954, 70 minutos), de Leopoldo Torre Nilsson

Cinemateca Capitólio Petrobras

Entrada franca

18h30min – Curso Revolução Soviética e Stalinismo (com Voltaire Schilling). Duração: 1h30min

Sala Álvaro Moreyra

R$ 40 (R$ 20 – promocional)

18h30min – Curso Escritores Gaúchos em Ação (com José Francisco Botelho e Gustavo Melo Czekster). Duração: 1h30min

Biblioteca Pública Josué Guimarães

Entrada franca

20h – Painel Pós-Verdades, Fake News e Jornalismo (com Mônica Waldvogel e Filipe Vilicic). Mediação: Paulo Germano. Duração: 1h30min

Teatro Renascença

Entrada franca

20h – Sessão do filme Paris nos Pertence (1961, 135 minutos), de Jacques Rivette

Cinemateca Capitólio Petrobras

Entrada franca

Dia 28, sexta-feira

9h – Curso Nelson Rodrigues – A grande Síntese Melodrama e Naturalismo (com Luiz Arthur Nunes. Duração: 1h30min

Sala Álvaro Moreyra

R$ 40 (R$ 20 – promocional)

10h30 – Curso sobre Jorge Luis Borges – Breve História da Eternidade (com Martin Kohan). Duração: 1h30min

Teatro Renascença

R$ 40 (R$ 20 – promocional)

14h30min – Curso sobre Gabriel García Márquez – O Romance do Século XX (com Karina Lucena e Sergius Gonzaga). Duração: 1h30min

Auditório do Atelier Livre

R$ 40 (R$ 20 – promocional)

16h – Curso Escrita de Mulher (com Regina Zilberman, Márcia Ivana e Jane Tutikian). Duração: 2h

Teatro Renascença

R$ 40 (R$ 20 – promocional)

18h – Curso sobre escritores argentinos (com Silvia Hopenhayn). Duração: 1h30min

Auditório do Atelier Livre

R$ 40 (R$ 20 – promocional)

18h – Sessão do filme Jauja (2014, 110 minutos), de Lisandro Alonso

Cinemateca Capitólio Petrobras

Entrada franca

18h30min – Curso Escritores Gaúchos em Ação (com Julia Dantas e Moema Vilela). Duração: 1h30min

Biblioteca Pública Josué Guimarães

Entrada franca

20h – Curso A Morte da Moda (com Susana Saulquin). Duração: 1h30min

Teatro Renascença

R$ 40 (R$ 20 – promocional)

20h – Projeto Raros Especial – sessão do filme A Estratégia da Aranha (1970, 100 minutos), de Bernardo Bertolucci

Cinemateca Capitólio Petrobras

Entrada franca

Dia 29, sábado

10h – Passeio Literário por Porto Alegre (com Luís Augusto Fischer e Glênio Bohrer). Duração: 11h30min

Praça General Daltro Filho (próximo à Cinemateca Capitólio Petrobras)

Entrada franca. Há 140 vagas. Inscrições pelos fones 3289-8052/8050 ou pelo e-mail festivaldeinvernopoa@gmail.com

10h – Curso A Morte da Moda (com Susana Saulquin). Duração: 2h

Teatro Renascença

R$ 40 (R$ 20 – promocional)

10h30min – Curso Escrita de Mulher. Tema: Clarice Lispector e Robert Musil (com Kathrin Rosenfield). Duração: 1h30min.

Auditório do Atelier Livre

R$ 40 (R$ 20 – promocional)

16h – A História de Kind of Blue – O maior disco da história do Jazz (com Paulo Moreira e Jorginho do Trompete e Quarteto). Duração: 1h

Sala Álvaro Moreyra

Entrada franca

18h – Sessão do filme Em Busca de Borges (2016, 85 minutos), de Cristiano Burlan

Cinemateca Capitólio Petrobras

Entrada franca

20h – espetáculo As Mulheres da Banda (com Muni, Lara Rossato, Ana Lonardi, Adriana Deffenti e Banda Municipal). Duração: 1h30min

Teatro Renascença

R$ 40 (R$ 20 – promocional)

20h – Sessão do filme A Intrusa (1979, 100 minutos), de Carlos Hugo Christensen

Cinemateca Capitólio Petrobras

Entrada franca

Dia 30, domingo

15h – Palestra do dramaturgo Matéi Visniec. Duração: 2h

Sala Álvaro Moreyra

Entrada franca

18h – Sessão do filme Jauja (2014, 110 minutos), de Lisandro Alonso

Cinemateca Capitólio Petrobras

Entrada franca

20h – show de Esteban Morgado Cuarteto, com participação de Luiz Carlos Borges. Duração: 2h

Teatro Renascença

R$ 40 (R$ 20 – promocional)

20h – Sessão do filme Dias de Ódio (1954, 70 minutos), de Leopoldo Torre Nilsson

Cinemateca Capitólio Petrobras

Entrada franca

“Entrego ao tempo missão de revelar a razão”, diz Joesley Batista

“Entrego ao tempo missão de revelar a razão”, diz Joesley Batista

Artigos Destaque Direito Economia Negócios Poder Política

O empresário e delator Joesley Batista diz, em artigo publicado no jornal Folha de S.Paulo deste domingo, que, de uma hora para outra, passou de “maior produtor de proteína animal do mundo a ‘notório falastrão’, ‘bandido confesso’ e tantas outras expressões desrespeitosas”. Joesley, que gravou conversa com o presidente Michel Temer, dando início à atual crise política, afirma que decidiu escrever o artigo para “acabar com mentiras e folclores” e “entregar ao tempo a missão de revelar a razão”.

O dono da JBS afirma que 17 de maio de 2017, quando a gravação com Temer se tornou pública, foi o dia de seu “renascimento”, “Senti-me um novo ser humano, com valores, entendimento e coragem para romper com elos inimagináveis de corrupção praticada pelas maiores autoridades do nosso país.” Joesley diz também que, desde então, “vive num turbilhão para o qual são arrastados minha família, meus amigos e funcionários”.

Segundo ele, políticos, que até então se beneficiavam dos recursos da J&F para suas campanhas eleitorais, passaram a criticá-lo, “lançando mão de mentiras”. “Disseram, por exemplo, que, depois da delação, eu estaria flanando livre e solto pela Quinta Avenida, quando, na verdade, nem em Nova Iorque eu estava.” “A lista de inverdades não parou por aí. Mentiram que eu estaria protegendo o ex-presidente Lula; mentiram que eu seria o responsável pelo vazamento do áudio para a imprensa para ganhar milhões com especulações financeiras, que eu teria editado as gravações”, escreve.

Ele afirma que “a única verdade que sei é que, desde aquele 17 de maio, estou focado na segurança de minha família e na saúde financeira das empresas, para continuar garantindo os 270 mil empregos que elas geram”. “Por isso, demos início a um agressivo plano de desinvestimento que tem tido considerável êxito, o que demonstra a qualidade da equipe e das empresas que administramos.” O empresário acrescenta que, de volta a São Paulo, vê na imprensa “políticos me achincalhando no mesmo discurso em que tentam barrar o que chamam de ‘abuso de autoridade’”.

“Eles estão em modo de negação. Não os julgo. Sei o que é isso. Antes de me decidir pela colaboração premiada, eu também fazia o mesmo. Achava que estava convencendo os outros, mas na realidade enganava a mim mesmo, traía a minha história, não honrava o passado de trabalho da minha família.” Joesley reclama que “poucos mencionam a multa de R$ 10,3 bilhões que pagaremos, como resultante do nosso acordo de leniência”.

“Não tenho dúvida de que esse acordo pagará com sobra possíveis danos à sociedade brasileira. Hoje, depois de 67 dias e 67 noites da divulgação da delação, resolvi escrever este artigo, não para me vitimar – o que jamais fiz -, mas para acabar com mentiras e folclores e dizer que sou feito de carne e osso. E entregar ao tempo a missão de revelar a razão”, conclui.

Leia a íntegra do artigo no site da Folha de São Paulo. (Correio do Povo e AE)

Porto Alegre: Ação Black Solidária leva Charme e empreendedorismo à Usina do Gasômetro

Porto Alegre: Ação Black Solidária leva Charme e empreendedorismo à Usina do Gasômetro

Cidade Cultura Notícias

A Usina do Gasômetro vai reunir neste domingo os admiradores da música black e soul para um dia de música, solidariedade e empreendedorismo na primeira Ação Black Solidária. A parceria entre a Coordenação de Descentralização da Secretaria da Cultura, Usina do Gasômetro e os projetos Expresso Black POA, Charmeiros do Sul e Instituto Cultural Confraria do Charme vai ocupar o prédio histórico com oficinas e apresentações de DJs e de dança Charme.

O dia de lazer também terá espaço para compras e negócios. A Feira de Artesanato da Rede Independente dos Empreendedores Afrogaúchos, por exemplo, estará no local com 10 estandes dedicados a produtos étnicos, como roupas, acessórios e artesanato. O evento ocorre das 14h às 21h, e a entrada será a doação de 1Kg de alimento não perecível e/ou roupas.

As doações (peças de vestuário e os alimentos) serão destinadas para instituições sociais Pequena Casa da Criança e Lar do Excepcional Nova Santa Rita, que foram as duas entidades escolhidas pelos participantes, e para a Campanha do Agasalho da Prefeitura de Porto Alegre.

Serviço

O que: Ação Black Solidária

Quando: 23/07 – Domingo

Onde: Usina do Gasômetro térreo

Horário: das 14h às 21h

Ingresso: 1Kg de alimento não perecível e/ou roupas.

Programação

Feira de empreendedorismo e artesanato ocorre durante todo o evento

14h às 16h – Oficinas de DJ com DJ Nezzo e DJ Sapão

16h às 17h – Apresentação com participantes das oficinas

17h às 20h – Baile charme e oficinas de dança com César Sihe e Catita Charmeira

20h às 21h – Apresentação do grupo de samba Zorra Total

Sentença meio destrambelhada de Moro impõe ao TRF-4 a escolha entre o desastre e o desastre; por Reinaldo Azevedo/Folha de São Paulo

Sentença meio destrambelhada de Moro impõe ao TRF-4 a escolha entre o desastre e o desastre; por Reinaldo Azevedo/Folha de São Paulo

Artigos Notícias

Lembram-se daquela caricatura grotesca de jornalismo que tinha como mantra “Lula vai ser preso amanhã”? Pois é… Você está preparado, leitor, para o juiz Sergio Moro ser o caminho mais curto entre o presidiário que não houve e o Presidente da República a haver? Se acontecer, terão concorrido para tanto a incompetência do Ministério Público, a tacanhice missionária de seus próceres e um certo sentido de autossuficiência divina do juiz.

Pior: em breve, o Tribunal Regional Federal da Quarta Região se verá na posição do Asno de Buridan, de que já falei aqui, entre a água e a alfafa. Se bebe, morre de fome; se come, de sede. Explico. Aos três desembargadores, caberá uma decisão insólita. Ou confirmam a condenação do petista e, assim, coonestam uma decisão que o próprio Moro diz não estar de acordo com a denúncia, ou o absolvem, embora tudo indique que o tal tríplex seja um subproduto mixo do desassombro com que o lulopetismo misturou o público e o privado.

Relembro a questão para quem não está ligando o paradoxo à coisa. Moro aceitou, em setembro do ano passado, a denúncia contra Lula por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do tríplex de Guarujá. Segundo o Ministério Público, o imóvel era pagamento de propina decorrente de três contratos que consórcios integrados pela OAS mantinham com a Petrobras. Assim, restaria aos procuradores a tarefa de apresentar as provas de que eram os tais contratos a origem daquele bem. Leia o artigo completo na Folha de São Paulo.

Juíza nega pedido da Câmara para que Danilo Gentili retire vídeo do ar; do Correio Braziliense

Juíza nega pedido da Câmara para que Danilo Gentili retire vídeo do ar; do Correio Braziliense

Comportamento Destaque Direito Negócios Vídeo

O Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1) indeferiu, na terça-feira (18/7), uma ação movida pela Câmara dos Deputados para que o comediante Danilo Gentili retirasse do ar um vídeo em que aparece rasgando e esfregando nas partes íntimas uma correspondência oficial enviada pela deputada federal Maria do Rosário (PT-RS).

As imagens — que não estão mais disponíveis no perfil do apresentador no Facebook — foram publicadas no fim de maio. No entendimento da Câmara, elas extrapolavam o legítimo direito constitucional de manifestação e agrediam a imagem da Casa.

“Na publicação, que teve 16 milhões de visualizações e mais de quatrocentos mil compartilhamentos, o litigado rasgou a notificação, encaminhada pela Procuradoria Parlamentar, e proferiu ofensas contra a instituição, em tom absolutamente jocoso e fazendo gesto obsceno.

Porém, a juíza federal substituta Luciana Raquel Tolentino de Moura diz que, apesar de “deselegantes”, as palavras e gestos de Danilo no vídeo não trazem “qualquer ofensa à autora”. “Acredito que coisa bem pior, diria até mesmo mais vulgar, já foi dita — e transmitida ao vivo —, das tribunas do Congresso Nacional, chegando-se inclusive a tristes cenas de agressões pessoais (verbais e físicas), como aquela do cuspe por ocasião da votação do impeachment da presidente Dilma, dentre tantas outras cenas lamentáveis”, justifica a magistrada, lembrando o caso em que o deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ) cuspiu em Jair Bolsonaro (PSC-RJ).

A reportagem completa está no Correio Braziliense. 

 

Meirelles cochila durante discurso de Temer em reunião do Mercosul

Meirelles cochila durante discurso de Temer em reunião do Mercosul

Destaque Economia

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, não resistiu ao cansaço e cochilou durante o discurso do presidente Michel Temer, que participa nesta sexta-feira da 50ª Reunião do Conselho do Mercado Comum e Cúpula do Mercosul e Estados Associados, em Mendoza, na Argentina.

No discurso, o presidente destacou a importância da aproximação entre os países do bloco, do qual o Brasil assume a presidência pelos próximos seis meses. Ao chegar a Mendoza, na noite desta quinta-feira, o presidente Temer falou sobre a expectativa para o período em que o Brasil estiver exercendo a função, sucedendo a Argentina.

“Espero continuar o trabalho que o presidente Macri (Mauricio Macri, presidente da Argentina) desenvolveu com tanta propriedade ao longo desse semestre”, afirmou em entrevista. Nos últimos seis meses, a Argentina esteve na presidência do Mercosul.

Veja o vídeo:

 

 

 

Caso Bernardo: negado pedido de Edelvânia para ser julgada em separado. Defesa da ré também alegou excesso de prazo processual

Caso Bernardo: negado pedido de Edelvânia para ser julgada em separado. Defesa da ré também alegou excesso de prazo processual

Destaque Direito Segurança

A justiça de Três Passos negou o pedido da defesa de Edelvânia Wirganovicz, uma das quatro pessoas acusadas pelo homicídio qualificado do menino Bernardo Boldrini, em 2014, para ser julgada em separado. A ré queria a cisão do processo, uma vez que não recorreu da sentença de pronúncia, que mandou os quatro réus a júri popular.

A juíza Vivian Feliciano rejeitou o recurso ao considerar que, embora o Código de Processo Penal faculte a separação dos processos em algumas hipóteses, o que apura a morte do menino Bernardo segue a marcha regular. De acordo com ela, é preciso “evitar decisões conflitantes e facilitar a apreciação da prova pelo Conselho de Sentença”.

A defesa de Edelvânia também alegou excesso de prazo processual. A julgadora esclareceu que a “tramitação envolvendo réus presos é célere e respeita o regular andamento processual, no caso em específico, o processo aguarda a preclusão da decisão de pronúncia – especialmente, considerando-se o efeito extensivo do recurso especial pendente de decisão”.

O caso espera julgamento de recurso no Superior Tribunal de Justiça. Em agosto de 2015, o juiz Marcos Luís Agostini sentenciou os réus Leandro Boldrini, Graciele Ugulini, Edelvânia Wirganovicz e Evandro Wirganovicz a julgamento popular, pelo homicídio de Bernardo Boldrini. Eles responderão pelos crimes de homicídio quadruplamente qualificado (Leandro e Graciele), triplamente qualificado (Edelvânia Wirganovicz) e duplamente qualificado (Evandro), ocultação de cadáver e falsidade ideológica (nesse caso, só Leandro Boldrini), conforme a denúncia do Ministério Público. (Correio do Povo)

“Cinco mil dias: o Brasil nos tempos do lulismo” . Livro sobre experiência petista e desafios da esquerda será lançado em painel com Luciana Genro e Olívio Dutra*

“Cinco mil dias: o Brasil nos tempos do lulismo” . Livro sobre experiência petista e desafios da esquerda será lançado em painel com Luciana Genro e Olívio Dutra*

Cultura Destaque Poder Política

O livro “Cinco mil dias: o Brasil nos tempos do lulismo” será lançado nesta sexta-feira (21/07) em Porto Alegre. O lançamento ocorrerá durante um debate entre Luciana Genro, Olívio Dutra e os organizadores da obra, Juliano Medeiros e Gilberto Maringoni. O evento será às 18h30, no Sindicato dos Bancários.

O livro é uma publicação conjunta da Fundação Lauro Campos – uma organização de estudos políticos e teóricos vinculada ao PSOL – e a editora Boitempo. A obra conta com artigos de 52 autores, que analisam as contradições e políticas desenvolvidas durante os 13 anos de governos do PT no Brasil. Dentre os articulistas estão Luciana Genro, André Singer, Chico Alencar, Guilherme Boulos, Vladimir Safatle, entre outros.

“O lulismo no Brasil é, portanto, parte deste fenômeno mundial de adaptação da velha esquerda às políticas neoliberais ou sociais-liberais”, disse Luciana Genro em sua análise. O evento desta sexta-feira no Sindibancários é organizado pela Fundação Lauro Campos, presidida por Juliano Medeiros, que estará presente e acompanhado do diretor técnico Gilberto Maringoni.