Porto Alegre: Começam a circular os táxis com novos luminosos acessíveis

Porto Alegre: Começam a circular os táxis com novos luminosos acessíveis

Cidade Destaque
 

Já estão circulando pelas ruas da Capital os primeiros táxis com o novo luminoso externo na capota, que permite identificar à distância se o carro está livre ou ocupado. A novidade, autorizada por meio de resolução publicada em fevereiro no Diário Oficial de Porto Alegre (Dopa), em caráter experimental, facilita essa comunicação também para as pessoas daltônicas, que reconhecem as luzes verticais no luminoso para indicar a ocupação do serviço. Após um ano de experiência, será realizada uma análise técnica para definir a implantação definitiva, ou não, do luminoso.

Porto Alegre, RS 04/07/2019: Fotos dos primeiros luminosos de led (bigorrilhos) do táxi de Porto Alegre,que facilitam a visualização à distância e a inclusão, para para usuários do sistema e portadores de daltonismo, regulamentado pela nova Lei Geral dos Táxis, nº12.420/2018. Foto: Gustavo Roth/EPTC PMPA
Sinalização permite identificar à distância se o carro está livre ou ocupado. Foto: Gustavo Roth/EPTC PMPA

O novo modelo, que partiu de proposta sugerida pela categoria dos taxistas, tem lâmpadas de LED mais fortes e com melhor visibilidade, inclusive durante o dia. Somente a exposição da palavra Táxi, em verde, indica que o veículo está livre. Em caso contrário, ficam acesas também luzes verticais vermelhas, localizadas em ambos os lados do luminoso.

O taxista Reinaldo Mello da Silva, 69, permissionário do prefixo 1575, no ponto da rodoviária, tem muita expectativa em usar o novo luminoso. ”Eu sempre batalhei para que houvesse uma sinalização para informar os usuários. Esta iniciativa vai facilitar ainda mais para o passageiro, que consegue agora identificar à distância quando o táxi está ocupado ou não”, diz Reinaldo, há 50 anos na categoria.
De acordo com o gerente de Fiscalização de Transporte da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Luciano Souto, a medida faz parte de um trabalho permanente da prefeitura, em sintonia com a categoria dos taxistas, pela qualificação do sistema de transporte individual por táxi. “Este conjunto de avanços, como a obrigatoriedade do exame toxicológico, o novo padrão de vestimenta para homens e mulheres, o uso do cartão de crédito e o novo visual dos carros, valoriza a categoria e resulta em usuários mais satisfeitos, seguros e confiantes na prestação do serviço”, afirma Souto.
Porto Alegre: Brava Gastrobar promove degustação harmonizada de vinhos e charcutaria artesanal

Porto Alegre: Brava Gastrobar promove degustação harmonizada de vinhos e charcutaria artesanal

Agenda Cidade Cultura Gastronomia Notícias

Na próxima quarta-feira, 03 de julho, às 19h30, o Brava Gastrobar promove o evento “Harmonizando: Vinhos e Charcutaria Artesanal”, que será comandado pela jornalista e sommelière Juliana Palma com produtos da Smoked&Co e rótulos da carta de vinhos do Brava.

Smoked&Co_DivulgaçãoO encontro proporcionará uma experiência de harmonização entre produtos diferenciados de charcutaria, produzidos artesanalmente pela Smoked&Co, como salmão defumado, prosciutto de pato, pastrami de língua, mortadela com pistache e filezinho com erva-mate e os rótulos Casa Marques Pereira Chardonnay, Espumante Marco Luigi Brut, Ventisqueiro Pinot Noir, Punto Final Rosé e Ferraton Cotes du Rhone Samorens.

Juliana Palma é jornalista especializada em marketing e enogastronomia e sommelière profissional pela ABS-RS, Juliana Palma trabalha há seis anos nesse mercado. No fim de 2017, aproveitou a credibilidade alcançada como editora do Destemperados (Grupo RBS) para lançar a própria plataforma, que também se estende para temas como viagens e lifestyle. Com linguagem simples e explicativa, tem como objetivo compartilhar com seus leitores as dicas garantidas com suas experiências.

A Smoked&Co existe desde 2017 produzindo com ingredientes selecionados e muito amor envolvido diversos produtos de charcutaria artesanal.

 

Harmonizando: Vinhos e Charcutaria Artesanal

03 de julho, quarta-feira, 19h30

Ingressos: R$ 110,00 – https://bit.ly/2NpHMds.

Sommelière Juliana Palma

Produtos Smoked&Co: Salmão defumado / Prosciutto de pato / Pastrami de língua / Mortadela com pistache / Filezinho com erva-mate

Rótulos: Vinho Casa Marques Pereira Chardonnay / Espumante Marco Luigi Brut/ Vinho Ventisqueiro Pinot Noir / Vinho Punto Final Rosé / Vinho Ferraton Cotes du Rhone Samorens

Brava Gastrobar – R. 24 de outubro n°1454

Trump cruza a fronteira e tem encontro histórico com Kim Jong-un na Coreia do Norte;  O Estado de S.Paulo

Trump cruza a fronteira e tem encontro histórico com Kim Jong-un na Coreia do Norte; O Estado de S.Paulo

Destaque Mundo

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, se encontraram pela terceira vez neste domingo, 30, na Zona Desmilitarizada Coreana (DMZ). É a primeira vez que um presidente americano pisa em território norte-coreano. Na fronteira entre os dois países, Trump afirmou que trata-se de “um grande dia para o mundo” e que está “orgulhoso” em ter cruzado essa linha.

No encontro, Trump anunciou que as equipes de negociação dos EUA e da Coreia do Norte vão retomar as discussões sobre o programa nuclear de Pyongyang  “nas próximas duas ou três semanas”. Negociadores de ambos os lados “iniciarão um processo e veremos o que acontece”, disse ele.

Leia mais em O Estado de S.Paulo

Ocergs divulga números oficiais do Cooperativismo no RS. Expressão do Cooperativismo Gaúcho 2019 será lançada no dia 3 de julho, na Federasul

 

A Ocergs promove no dia 3 de julho, a partir das 12h, na sede da Federasul, o lançamento da revista Expressão do Cooperativismo Gaúcho 2019, onde divulgará os números oficiais do Cooperativismo no Rio Grande do Sul referentes ao ano de 2018.  O documento revela um raio x do sistema cooperativo gaúcho em seus treze ramos de atividades, demonstrando o crescimento no faturamento das cooperativas gaúchas. Um dos destaques do documento vai para os quatro ramos que mais movimentam a economia do Rio Grande do Sul (Agropecuário, Crédito, Saúde e Infraestrutura). Outros dados revelados pela Expressão do Cooperativismo Gaúcho são os números de cooperativas ativas regulares junto a Ocergs, número de associados e empregos diretos gerados, recolhimento de impostos e volume de sobras devolvidas aos associados.

O lançamento oficial da Expressão do Cooperativismo Gaúcho 2019 é um convite da diretoria da Ocergs e contará com apresentação do presidente do Sistema Ocergs-Sescoop/RS, Vergilio Perius.

O QUE: Expressão do Cooperativismo Gaúcho 2019
QUANDO: 3 de julho de 2019
LOCAL: Sede da Federasul (Largo Visconde de Cairu, 17 – 6º andar, Palácio do Comércio, Centro Histórico – Porto Alegre)
HORÁRIO: 12h

Desembargador federal Victor Laus é empossado como presidente do TRF4

Desembargador federal Victor Laus é empossado como presidente do TRF4

Notícias

A posse aconteceu em sessão solene realizada no plenário da sede da corte, em Porto Alegre.  O desembargador federal Victor Luiz dos Santos Laus assumiu nesta quinta-feira (27/6) a Presidência do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), também foram empossados como vice-presidente e corregedora regional os desembargadores federais Luís Alberto d’Azevedo Aurvalle e Luciane Amaral Corrêa Münch. A nova administração vai dirigir o tribunal no período de junho de 2019 a junho de 2021.

48140142497_f5dcafce9e_k
Presidente em exercício General Mourão prestigiou a transmissão de cargo do desembargador federal Thompson Flores para o novo presidente. Foto:TRF4

A abertura da cerimônia foi realizada pelo desembargador federal Thompson Flores, que foi o presidente do TRF4 durante o biênio 2017-2019, e hoje transmitiu o cargo ao novo dirigente.

Na sequência, foi executado o Hino Nacional Brasileiro pela Banda do 3° Batalhão de Polícia do Exército. Logo após, Thompson Flores fez seu último pronunciamento como presidente da corte.

“Há dois anos, o tribunal houve por bem alçar-me ao porte de seu presidente. Nessa oportunidade, senti-me orgulhoso pela imensa honra que vinha coroar a minha carreira, mas, ao mesmo tempo, tive a exata noção do peso da responsabilidade que recaía sobre os meus ombros. No exercício da Presidência não medi esforços nem sacrifícios para corresponder à confiança que em mim foi depositada”, declarou Thompson Flores.

Em seu discurso de despedida, ele acrescentou que: “tenho a convicção de que procurei corresponder, tanto quanto me foi possível, ao mandato que os senhores magistrados me confiaram. Posso assegurar-lhes que, após 32 anos de uma existência integralmente dedicada à Magistratura e ao Ministério Público Federal, sendo que 18 anos nesta corte, tenho a grata sensação do dever cumprido”.

Thompson Flores ainda aproveitou a oportunidade para agradecer ao apoio e ao trabalho de todos os magistrados e servidores da 4ª Região da Justiça Federal, dos membros do Ministério Público e dos advogados durante os dois anos de seu mandato.

Depois de encerrar a sua fala, o desembargador empossou o novo presidente, que assumiu a coordenação da sessão solene, dando posse a Aurvalle como vice-presidente e a Luciane como corregedora regional.

O presidente da Seccional de Santa Catarina da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-SC), Rafael de Assis Horn, se manifestou em nome da advocacia. Ele chamou atenção para o fato de a corte, em seu curto tempo de existência, se comparado aos 120 anos da Justiça Federal, se destacar por ações e decisões que aperfeiçoaram o Poder Judiciário e a sociedade do país, “assumindo um grande papel vanguardista”.

48140053016_1316cdb2ea_k
Ministro da Justiça Sergio Moro também esteve presente a cerimônia. Foto:TRF4

“É com o espírito de gratidão e de esperança que a OAB saúda o desembargador Victor Laus e a administração do TRF4, com a certeza que o grande trabalho jurisdicional pelo qual essa instituição é conhecida terá continuidade com a nova gestão”, concluiu Horn.

Já o procurador-chefe da Procuradoria Regional da República da 4ª Região, Carlos Augusto da Silva Cazarré, falou em nome do Ministério Público Federal (MPF). “No momento de celebração dos 30 anos dessa corte, completados em 2019, ficou demonstrada a plena consolidação da importância do TRF4 no panorama institucional do Brasil”, ele disse, destacando a atuação do tribunal nos processos relacionados à denominada Operação Lava Jato.

O procurador-chefe ainda ressaltou a importância de se preservar a privacidade das autoridades públicas na atual era da hiperconectividade, reforçando a gravidade dos crimes de espionagem eletrônica, considerando-os “violações contra a sociedade como um todo, independentemente das versões que pretendam sustentar”.

Falando em nome do tribunal e dos demais magistrados da corte, o desembargador federal Osni Cardoso Filho declarou que possui a certeza de que Victor Laus manterá o elevado prestígio que o TRF4 ocupa entre os brasileiros e cumprirá o seu papel de presidente com brilho.

Sobre o dirigente que deixou nesta tarde a Presidência, Cardoso Filho lembrou que Thompson Flores utilizando a sua refinada educação e alta cultura realizou o seu papel de forma exitosa e, assim, manteve o alto nível de competência que a administração de um tribunal federal exige.

Ele também ressaltou que o novo presidente agrega as virtudes da prudência e da coragem, características necessárias à boa prática da Administração Pública, reunindo plenas condições para que realize uma excelente gestão.

O discurso do novo presidente da corte encerrou a cerimônia. Laus agradeceu os votos de sucesso e saudou todos os presentes.

Ele frisou os desafios que o aguardam na nova direção. “Com os pés no chão, estamos cientes das dificuldades que se avizinham, nomeadamente num cenário, de um lado, de ansiosa recuperação da economia nacional, e, de outro, no caso de frustração dessa expectativa, de um futuro, inexoravelmente, de contenção de despesas, e de investimentos”, pontuou.

Durante a sua fala, Laus também abordou questões de ordem social: “no plano sociológico, podemos recordar da exaltação de ânimos, da instabilidade do tecido social, e das polêmicas sem fim que inspiram os discursos de ódio nas redes sociais, ingredientes, infelizmente, que têm recrudescido a litigiosidade na sociedade. Por isso, o tribunal, atento à sua responsabilidade constitucional de permanecer acessível à cidadania, de fomentar uma cultura de paz, de zelar pela coisa pública, e pela ética na relação de administração, não deixará de envidar esforços para incentivar, sempre que possível, a utilização de meios adequados para a resolução de conflitos, bem como outras formas de autocomposição voltadas à redução de demandas, sem prejuízo da prestação jurisdicional em tempo razoável, soluções que se mostram não auto-excludentes, mas complementares”.

48140221697_fef145d090_k
Presidente em exercício, General Hamilton Mourão com os novos dirigentes do TRF4. Foto: TRF4

Diante desse cenário, o presidente do TRF4 apontou que, durante a sua gestão, “a regra será o diálogo com os demais órgãos, e unidades do tribunal, até porque detêm, mercê da atividade cotidiana, e da memória organizacional e institucional, a expertise indispensável para, em conjunto com a administração, encontrar soluções criativas, e que se ajustem aos princípios da eficiência, e da economicidade”.

Laus concluiu o discurso fazendo o seguinte convite: “chamamos juízes, servidores, terceirizados, colaboradores em geral, bem como os parceiros interinstitucionais do tribunal, a se engajarem nesse esforço, a fim de que a Justiça Federal na 4ª Região mantenha seu foco no futuro, e possa superar as eventuais vicissitudes”.

Após a sessão solene, os empossados receberam pessoalmente, na sala de togas do plenário, os cumprimentos das autoridades e dos convidados que acompanharam o evento.

O general Hamilton Mourão, presidente da República em exercício, participou da cerimônia. Segundo ele, o TRF4 tem sido exemplo para o Brasil. “Nesse momento, precisamos implementar algumas reformas que são fundamentais, como a da previdência, a tributária e a questão do pacto federativo. Muitas dessas coisas terão em algum momento algum tipo de contestação, e o Judiciário é o elemento dentro do sistema democrático que tem a primazia de solucionar esses conflitos, e um comportamento equilibrado e de harmonia é fundamental. É isso que nós temos visto aqui no TRF4”, declarou Mourão.

A solenidade foi prestigiada por diversas autoridades civis e militares, além de magistrados e servidores da Justiça Federal da 4ª Região.

Entre as autoridades que compuseram a mesa do evento, estavam, além do presidente da República em exercício, Hamilton Mourão, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Fernando Moro, o governador do Estado do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, o governador do Estado de Santa Catarina, Carlos Moisés da Silva, os senadores Lasier Martins e Espiridião Amin, o presidente da Assembléia Legislativa do RS, deputado estadual Luís Augusto Lara, o ministro de Superior Tribunal de Justiça, Paulo de Tarso Sanseverino, o presidente do Tribunal de Justiça do RS, desembargador Carlos Eduardo Zietlow Duro, a presidente da Câmara Municipal de Porto Alegre, vereadora Mônica Leal, o ministro do Tribunal de Contas da União, Walton Rodrigues, a presidente do Tribunal Regional Eleitoral do RS, desembargadora Marilene Bonzanini, o general Carlos André Alcântara Leite, representando o Comando Militar do Sul, o comandante do Quinto Distrito Naval, vice-almirante José Renato de Oliveira, e o comandante da ALA 3, brigadeiro-do-ar Raimundo Nogueira Lopes Neto.

48140052516_b35ac305a8_k

Granpal incentiva abrigo regionalizado à mulheres.  Estrutura mantida pela Fundação La Salle tem capacidade para atender até 40 pessoas e 12 cidades já estão em processo de contratação

Granpal incentiva abrigo regionalizado à mulheres. Estrutura mantida pela Fundação La Salle tem capacidade para atender até 40 pessoas e 12 cidades já estão em processo de contratação

Cidade Destaque

O Centro Regional de Abrigamento das Mulheres em Situação de Risco e de Violência (CRAM) – iniciativa da Fundação La Salle – caminha para ser uma solução aos municípios da Região Metropolitana que possuem a demanda, mas não conseguem sustentar uma estrutura própria. A pauta, discutida desde 2018 pela Granpal, teve alternativa apresentada nesta quinta-feira (27). “Essa proteção faz parte da política de assistência social e precisa funcionar, sobretudo em respeito à dignidade feminina”, enfatizou o presidente Miki Breier (PSB), também prefeito de Cachoeirinha.

grampal2
Foto: Lucas Dalfrancis.

Na prática, cada Executivo municipal firma convênio com a entidade e efetua o pagamento mediante a utilização, numa fração de metas. A estrutura física, em local não informado mas já existente, dispõe de espaço para acomodar até 40 mulheres e seus filhos. O estabelecimento oferece quartos, banheiros individualizados, refeitório, biblioteca e áreas de lazer. Via contrato fica assegurado também a segurança do prédio, a assistência médica, enfermagem, acompanhamento de assistentes sociais e de psicologia. Até agora, 12 cidades estão em fase de contratação do serviço.

Os encaminhamentos para o CRAM serão feitos por orientação de serviços sócio assistenciais, medidas protetivas do Ministério Público ou do Poder Judiciário. Em defesa da efetivação, o prefeito de Viamão, André Pacheco (PTB), testemunhou o exemplo da cidade que zerou os casos de feminícidios em 2018. “Criamos o Centro de Referência da Mulher e todos os serviços de proteção e amparo mudaram a realidade do município”, salientou.

Com a chancela da Granpal, nos próximos dias a Fundação La Salle deve visitar demais municípios para ampliar a cobertura da Região Metropolitana. “Somos favoráveis ao trabalho, já que sozinhas as cidades não têm fôlego financeiro para garantir essa cobertura”, avaliou o prefeito de Guaíba, José Sperotto (PTB). Na mesma linha foi o líder do Executivo de Esteio, Leonardo Paschoal (PP).

Seminário para falar da água

Coordenador técnico do projeto Rio Limpo, da Associação de Preservação da Natureza – Vale do Gravataí (APN-VG), Sérgio Cardoso, dialogou com os prefeitos da Granpal e pediu apoio para realização do Seminário Regional de Integração dos planos diretores da Bacia Hidrográfica do Gravataí. “Essa revitalização precisa ouvir a Associação e os técnicos da região”, defendeu o ambientalista e geólogo.

O diretor-executivo da entidade, José Luis Barbosa, aceitou o convite e a Granpal liderará o processo que deve unir secretários municipais, ambientalistas, líderes políticos e técnicos para debater o tema, importante para o futuro do abastecimento de quase 1,5 milhão de pessoas. A concepção do evento deve ser alinhada nas próximas semanas.

Juiz suspende norma da Anac que restringe porte de armas em voos

Juiz suspende norma da Anac que restringe porte de armas em voos

Destaque Direito Direito do Consumidor
O juiz Renato Borelli, da 20ª Vara Federal de Brasília, suspendeu hoje (27), uma resolução da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) que restringia a casos específicos o porte de armas por agentes de segurança pública a bordo de aeronaves.

Borelli atendeu a um pedido de liminar (decisão provisória) da Associação de Delegados de Polícia do Brasil (Adepol). Para a entidade, a norma da Anac ofende as prerrogativas funcionais de agentes de segurança pública, que têm o porte de arma previsto em lei.

Em janeiro de 2018, a diretoria da Anac aprovou a Resolução 461, que prevê o porte de armas a bordo de aeronaves somente quando os agentes públicos comprovem atividades específicas como a escolta de autoridade, testemunha ou passageiro custodiado; a execução de técnica de vigilância (investigação); ou deslocamentos em que precisem estar armados para cumprir, logo ao desembarcar, missão para a qual foram convocados.

Para o magistrado, a regra é ilegal, por restringir direito previsto em lei aprovada em 2017 no Congresso, na qual se especifica que o porte de armas é permitido a policiais federais, rodoviários federais, ferroviários federais, civis e militares, bem como a bombeiros militares.

“Verifica-se que, de fato, o porte de arma, no contexto desta demanda, é deferido aos integrantes das carreiras de segurança pública, constituindo verdadeira prerrogativa de seus membros, não estando à mercê de disposições genéricas aplicáveis aos demais cidadãos”, argumentou Borelli.

Para o magistrado, a jurisprudência do Supremo Tribunal Federal (STF) e a doutrina jurídica preveem que as normas das agências reguladoras devem se restringir ao estabelecido em lei, não podendo restringir direitos previstos na legislação. Por esse motivo, ele determinou a suspensão da norma da Anac. (Agência Brasil)

Reestruturação da Rede Ulbra de Educação volta à pauta do Governo Federal e do Congresso. Representantes da Aelbra tiveram reuniões no Congresso Nacional, Ministério da Educação e Secretaria-Geral da União

Reestruturação da Rede Ulbra de Educação volta à pauta do Governo Federal e do Congresso. Representantes da Aelbra tiveram reuniões no Congresso Nacional, Ministério da Educação e Secretaria-Geral da União

Educação Notícias

A Reestruturação da Rede Ulbra de Educação voltou à pauta do Governo Federal e do Congresso nesta quarta-feira (26). Em visita a Brasília (DF), o reitor do Centro Universitário da Ulbra em Palmas, Adriano Chiarani da Silva, e o diretor de relações institucionais da Aelbra, Valter Kuchenbecker, foram recebidos pelo Ministro da Secretaria-Geral da União, André Mendonça, e pelo Secretário de Regulação e Supervisão da Educação Superior (SERES), Ataide Alves. Em reunião, representantes da Aelbra apresentaram às autoridades o processo de reestruturação da Instituição e abordaram o novo formato do Programa de Estímulo à Reestruturação e ao Fortalecimento das Instituições de Ensino Superior (PROIES).

Para Kuchenbecker, os encontros foram positivos. “Acredito que estamos no caminho certo para construir soluções efetivas, que garantirão a continuidade do projeto educacional que está em marcha. É evidente que a crise da instituição é de caráter financeiro, e não acadêmico. Seguimos firmes no compromisso de oferecer ensino de qualidade aos nossos alunos”, afirma.

Os representantes da Rede Ulbra de Educação também se reuniram com o deputado federal e coordenador da bancada gaúcha, Giovani Cherini (PR-RS), e com o senador Luis Carlos Heinze (PP-RS). “Os parlamentares estão conosco na busca pela superação das dificuldades financeiras da nossa Instituição”, finaliza Kuchenbecker.

 

 

 

Bancada gaúcha deve garantir aprovação da Reforma da Previdência. Na Federasul, quase 80% da bancada gaúcha pode votar pela proposta. Possibilidade de capitalização foi amplamente criticada pelos representantes partidários

Bancada gaúcha deve garantir aprovação da Reforma da Previdência. Na Federasul, quase 80% da bancada gaúcha pode votar pela proposta. Possibilidade de capitalização foi amplamente criticada pelos representantes partidários

Economia Negócios Notícias Poder Polícia Trabalho

Uma das principais bandeiras da Federasul, a Reforma da Previdência, foi o tema do último Tá na Mesa do primeiro semestre de 2019. Com previsão para ser votada ao longo da segunda metade deste ano, a Federação de Entidades Empresariais do Rio Grande do Sul recebeu nesta quarta-feira (26), representantes dos nove maiores partidos da bancada gaúcha na Câmara Federal. Sob o comando da presidente Simone Leite, que abriu o encontro com dados atualizados sobre a situação previdenciária brasileira, bem como a previsão de votação dos deputados, o painel reuniu no palco do Salão Nobre, os presidentes ou representantes dos partidos MDB; PDT; Progressistas; PSB; PSDB; PSL; PT e PTB.

Na visão do MDB gaúcho, o deputado estadual Gabriel Souza, informou que o tema [Reforma da Previdência], deve ser visto como algo amplo e que sirva para corrigir equívocos, e não prejudique os mais pobres. “Esta modernização previdenciária é do Estado brasileiro. Acreditamos que trata-se de uma oportunidade de correção e igualdade social”, afirmou.

Guilherme Enck, presidente do Novo-RS, foi categórico ao afirmar que a aprovação da nova legislação previdenciária está diretamente ligada com a retomada do crescimento e de investimentos no País. ” Devemos ter a consciência de que em uma década, se caso esta reforma não passar, a União estará com 80% de seu orçamento comprometido com o pagamento de segurados do INSS. Não podemos concordar que o mais pobre transfira renda para um segmento abastado, como é o que abrange o setor público”, disse Enck.

“Não somos contra. Temos divergências”, foi assim que o deputado federal e representante do PDT, Pompeo de Mattos, respondeu a provocação da presidente Simone Leite, que mostrou uma espécie de “termômetro da votação”, que ilustrava uma votação maciça, por parte do PDT, pela desaprovação da matéria. Para o experiente deputado, que já possui em seu currículo a atualização da previdência dos governos FHC (1999); Lula (2003) e Dilma (2013), “o problema desta proposta é a sua radicalidade. Precisamos de um equilíbrio. Remédio demais é veneno, aliás, o que difere veneno de remédio é apenas a quantia. Precisamos criar, sim, o hábito de revisar essas regras constantemente, por exemplo, de década em década”, ilustrou Pompeo.

CREDITO ROSI BONINSEGNA(1)
Evento da Federasul reuniu representantes de MDB; Novo; PDT; Progressistas; PSB; PSDB; PSL; PT e PTB. Foto: Rosi Boninsegna

O presidente do Progressistas, no Estado, Celso Bernardi, fez questão de criticar que se os governos tivessem priorizado o tema há duas décadas, a situação seria diferente, e a negociação, mais fácil. ” Em 2002 eu já havia falado de tudo isto. Lá nas eleições daquele ano o tema já possuía grande importância, mas caiu por terra. É preciso o equilíbrio das contas públicas. Esse não é um tema apenas da sociedade, mas dos servidores públicos, que são parte da solução. Previdência é justiça social”, disse Bernardi, que entregou uma apostila com informações que auxiliam no esclarecimento e debate do tema.

Mário Bruck, que comanda o PSB-RS, afirmou que o partido tem questão fechada: “Somos contra”, sentenciou. Para ele “é preciso desmitificar o tema e melhorar a comunicação. Pontos específicos merecem ser aperfeiçoados. Um dos principais problemas de nosso País está na canalização dos recursos públicos para custear o sistema financeiro, dominado por 5 bancos”, criticou Bruck, que ainda cobrou do Planalto a cobrança dos grandes sonegadores.

O partido do governador Eduardo Leite, o PSDB, foi representado pelo deputado Mateus Wesp. Para os tucanos, que são favoráveis à atualização, “a Reforma deve ser vista como um questão prioritária da gestão pública. Ela precisa, sim, ressaltar a importância de vivermos, verdadeiramente, em uma Federação. Por isso acreditamos na necessidade de Estados e municípios entrarem na PEC. Não temos tempo e capacidade de acumular mais de 5 mil Regimes de Previdência, além de levar o mesmo tema para debate nas Assembleias estaduais”, criticou o parlamentar, no tocante a retirada de cidades e estados ficarem de fora da reforma. Wesp também criticou o modelo de formatação do sistema político/federativo brasileiro, que acaba por complicar, ainda mais, a comunicação entre sociedade civil e classe política. “Com alguns ajustes pontuais, mas com votação total em prol da aprovação”, para o representante do PSL, partido de Bolsonaro, Valdir Pereira, é dessa forma que o partido irá se comportar a nível nacional também sobre a matéria.

Maior partido de oposição a Bolsonaro, o Partido do Trabalhadores, que foi representado pelo deputado estadual Pepe Vargas, afirmou que “Não nos opomos de discutir, desde que haja um debate sério e que equívocos sejam corrigidos”. Pepe também criticou qualquer possibilidade de incluir a capitalização na reforma, além de cobrar maior transparência na transição para o novo regime, e que inclua na proposta os militares, e que esses também sejam atingidos pelas regras do Regime Geral. A visão do petista foi acompanhada pelo parlamentar Pompeo de Mattos e Mário Bruck, sendo esse último um dos participantes mais críticos à reforma.

Prefeito de Canoas e presidente do PTB, Luiz Carlos Busatto, afirmou que “a Reforma é super necessária. Defendemos o retorno dos Estados e municípios à PEC. Esse tema é uma questão social; de justiça e igualdade”, afirmou ele, que defendeu a adesão da sigla na aprovação da matéria.

 

Dois policiais militares morrem em tiroteio na zona Leste. Soldados da Brigada Militar teriam sido surpreendidos ao verificarem possível ocorrência; do Correio do Povo

Dois policiais militares morrem em tiroteio na zona Leste. Soldados da Brigada Militar teriam sido surpreendidos ao verificarem possível ocorrência; do Correio do Povo

Notícias

Dois soldados do 19º Batalhão da Brigada Militar foram mortos em um tiroteio na rua Paulino Azurenha, zona Leste de Porto Alegre, na noite desta quarta-feira. Os policiais chegaram a ser encaminhados ao Hospital de Pronto Socorro (HPS), porém não resistiram aos ferimentos. A BM faz buscas na região, no fim da noite.

Leia mais no Correio do Povo.