Bancadas reagem a PL que altera regras de progressão profissional de professores gaúchos Dois partidos se posicionaram contrários às propostas do governador Eduardo Leite para revisão das carreiras e da previdência do funcionalismo estadual. Partido Republicanos é contrário às medidas propostas pelo governador Eduardo Leite (PSDB) | Foto: Assembleia Legislativa RS / Divulgação / CP

Bancadas reagem a PL que altera regras de progressão profissional de professores gaúchos

Mais duas bancadas da Assembleia Legislativa declararam, nesta segunda-feira, seu posicionamento contrário sobre parte ou totalidade das propostas do governador Eduardo Leite (PSDB) para revisão das carreiras e da Previdência do funcionalismo estadual. O Republicanos, que integra a base governista com dois assentos no Parlamento, emitiu nota para tornar pública a posição contra o projeto de lei (PL 507 2019), que altera a regra de progressão profissional dos professores gaúchos. O PDT, por sua vez, publicou documento para registrar sua contrariedade total ao pacote de reformas do Executivo.

Estas duas bancadas somam-se a outras que vêm, desde a semana passada, manisfestando posição avessa às medidas. O MDB produziu nota pública discordando da proposta de mudanças na carreira do Magistério. O PP também emitiu texto sustentando que apontará sugestões ao governo e apontando que, sem ajustes, não votará em favor da proposta do governo para os professores. Deputados do PSB e do PSL também expuseram sua visão contrária aos projetos que atingem servidores da Educação e da Segurança Pública. O PT, que representa a maior força de oposição, com bancada de oito deputados, lançou nota para dizer que, nem mesmo com ajustes, concordaria com mudanças tão significativas nas relações de trabalho entre o Estado e seu funcionalismo.

Leia mais no Correio do Povo

Comunicação Destaque Notícias