Índice de Custos de Produção tem o quarto mês seguido de queda. Preços dos fertilizantes tiveram impacto no resultado de setembro

Índice de Custos de Produção tem o quarto mês seguido de queda. Preços dos fertilizantes tiveram impacto no resultado de setembro

Agronegócio Destaque Economia Negócios

Os custos de produção registraram uma queda de -0,14% em setembro. Este é o quarto mês consecutivo de retração no Índice de Inflação dos Custos de Produção (IICP), conforme relatório divulgado pelo Sistema Farsul, nesta quarta-feira, dia 23. Os preços dos fertilizantes têm impactado diretamente no resultado, mesmo com a taxa de câmbio em ascensão. Já o Índice de Inflação dos Preços Recebidos pelos Produtores Rurais (IIPR) teve uma valorização de 3,88% especialmente pela alta cambial.

O IICP acumula uma queda de 2,68% em 12 meses, especialmente pela redução do preço dos fertilizantes em 11% na comparação com setembro de 2018. A economista do Sistema Farsul, Danielle Guimarães, comenta que o preço dos insumos responde ao comportamento do mercado. “É a lei da oferta e da procura. Tivemos um aumento na oferta mundial, gerando uma queda a patamares historicamente baixos. Isso impactou nos custos, influenciando mais do que o câmbio”, explica.

Mas, se os custos apresentam queda mesmo com a alta cambial, os preços foram impactados por ela, especialmente a soja. Mas o aumento em setembro não foi o suficiente para a recuperação do IIPR em 12 meses, que registra -4,01%, resultado inverso ao IPCA Alimentos que atingiu crescimento de 3,56%. Isso mostra um descolamento entre os dois indicadores no curto prazo.

Confira o relatório dos Índices de Inflação do Agronegócio.

Epecoop reúne cooperativas para debater a Inovação

Epecoop reúne cooperativas para debater a Inovação

Agronegócio Comunicação Negócios Notícias

Com a presença de mais de 250 pessoas, aconteceu nos dias 17 e 18 de outubro, no Sheraton Hotel, em Porto Alegre, o 6º Encontro de Presidentes e Executivos de Cooperativas (Epecoop). Com a proposta de debater a importância das pessoas para a construção da inovação, o evento mobilizou as cooperativas gaúchas, que se encontraram na capital e assistiram palestras de Ricardo Amorim e Max Gehringer.

Participaram da abertura o presidente do Sistema Ocergs-Sescoop/RS, Vergilio Perius, e os diretores da Ocergs, Irno Pretto e Darci Hartmann, representando toda a diretoria da Ocergs e o Conselho do Sescoop/RS, além do secretário estadual da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), Covatti Filho, que representou o governador do Estado, Eduardo Leite.

O encontro, intitulado “Pessoas Constroem a Inovação”, discutiu durante os dois dias as transformações sociais e tecnológicas, seus impactos para as cooperativas e a busca para encontrar caminhos para a construção de soluções inovadoras. Após a abertura do evento, os presentes assistiram à palestra de do economista Ricardo Amorim e o painel sobre Cooperativas e Inovação: Oportunidades em um mundo em transformação.

Amorim mostrou aos presentes um panorama sobre a economia mundial e brasileira na atualidade, contexto político e a importância de movimentos relacionados à inovação neste momento. “Estamos vivendo a fase de maior oportunidades dos últimos tempos. Estamos no lugar certo e na hora certa. Ou nos adaptamos, ou as tecnologias vão nos atropelar”, afirmou.

Ele também comentou sobre as oportunidades do cooperativismo nesse atual contexto. “O cooperativismo tem as oportunidades na mão. Mas para isso acontecer, temos que fazer a coisa certa na hora certa. O que vocês, cooperativistas, vão fazer de diferente saindo daqui pra que as cooperativas de vocês tenham um ecossistema mais forte de apoio, saúde financeira mais firme, uma equipe mais forte e mais coesa, para que o produto e serviço de vocês seja melhor? Para quem fizer isso, no Brasil, nos próximos anos, as oportunidades são gigantes. Se não fizer, o fato de a economia ajudar, não vai adiantar. Ela só vai ajudar quem fizer acontecer. Façam acontecer!”, finalizou.

O Painel que sucedeu a apresentação de Amorim trouxe aos presentes evidências da importância das Missões internacionais ao Vale do Silício, nos Estados Unidos, que a Escoop está realizando com alguns ramos neste ano – Crédito, Saúde, Infraestrutura e Agropecuário. Participaram do painel o presidente da Central Sicredi Sul Sudeste, Márcio Port, o diretor de Saúde e Desenvolvimento Humano da Federação Unimed/RS, José Milton Mirenda, o superintendente da Fecoergs, José Zordan, o vice-presidente da FecoAgro/RS, Darci Hartmann, além da interação de Salvador Gullo Neto, diretamente de San Diego/EUA, através de um robô. Na oportunidade, os painelistas trouxeram as experiências que tiveram durante as missões e o que já estão implementando em seus sistemas, mas uma opinião é unânime entre eles: tão importante quanto investir em inovação, é investir nas pessoas, em produtos e serviços que sejam cada vez mais ágeis para melhorar a vida das pessoas e que a cooperação é cada vez mais necessária.

18 de outubro

O segundo dia iniciou com o painel sobre Desenvolvimento de Pessoas e Inovação, mediado pelo diretor da Escoop, Mário De Conto, em que participaram o superintendente de Gestão de Pessoas do Sicredi, Rodrigo Wegener, o diretor geral da Unicred/RS, Rodrigo Borges, o coordenador de inovação da Unimed Federação, Mauro Sarmento, o gestor de Qualidade da Certaja Energia, Michael Goulart, e o gerente de Pesquisa e Tecnologia da CCGL e coordenador da Rede Técnica Cooperativa, Geomar Mateus Corassa. Eles debateram sobre os caminhos de formação de pessoas e de envolvimento dos colaboradores no processo de inovação.

O evento encerrou com a palestra do administrador Max Gehringer sobre Gerenciamento de Mudanças. Gehringer trouxe a mensagem de que as empresas precisam investir em gestão de pessoas e que essas devem perseguir seus sonhos, mas também ter um plano B. “Precisamos trazer o protagonismo para as pessoas da instituição, treinar pessoas para trabalhar com pessoas. Vale a pena pagar para pessoas criarem. Elas não vão acertar de primeira, mas mesmo assim vale a pena”, destacou.

Prêmio Excelência em Educação Cooperativa Ocergs 2019

Também ocorreu, na noite de 17 de outubro, a entrega do Prêmio Excelência em Educação Cooperativa Ocergs 2019, concedido aos professores orientadores das cooperativas escolares que, de forma criativa e inovadora, atingiram resultados que contribuíram para o fortalecimento do cooperativismo no ambiente escolar.

Os premiados foram:

Da Cooperhermeto, de Três de Maio, o Professor Vilson da Rosa Mello, acompanhado do diretor Gildor Scherer, com o projeto “Aplicativo Cooperhermeto – mehorando a sustentabilidade e ajudando o meio ambiente”;

Da Cooecampo, de Ivoti, a Professora Daisiane Mendes, acompanhada da diretora Carine Dorr, com o projeto “Turismo Rural – da aprendizagem ao protagonismo”;

Da Cooperunião, de São Sepé, a professora Loiva Pinto, acompanhada da diretora Jaqueline Leis, com o projeto “Desenvolvimento e Inovação de objetos de aprendizagem”; e

Da Cooper Unisalto, de Derrubadas, a professora Andressa Dockhorn, acompanhada da diretora Mayneide Groos, com o projeto “Cooper Arte Ação – Praticidade e Conformidade através da Reciclagem”.

Também recebeu menção honrosa, a Sicredi Vale do Rio Pardo, por institucionalizar o cooperativismo como práticas pedagógicas em sua área de atuação.

Os eventos contaram também com as presenças dos diretores e conselheiros do Sistema Ocergs-Sescoop/RS.

BARO: Uma nova experiência gastronômica em Porto Alegre

BARO: Uma nova experiência gastronômica em Porto Alegre

Agronegócio Economia Gastronomia Negócios Notícias

Carnes nobres e selecionadas, ambiente sofisticado e acolhedor, uma seleção cuidadosa de chopes e cervejas especiais, preço justo e atendimento impecável. Esses são alguns dos predicados do BARO – restaurante que pretende estabelecer um novo conceito em experiência gastronômica na capital gaúcha. Além dos tradicionais entrecôte, picanha, carré de cordeiro e outros, há dois cortes inéditos (e surpreendentes!) no cardápio: o BARO e o BARÃO. Ambos são peças do dianteiro do boi, “um paraíso a ser explorado no Rio Grande e no Brasil”, de acordo com a proprietária e assadora Ana Carolina Reschke. O primeiro foi ela mesma quem criou, e o segundo foi Paulo Peres, do Frigorífico Coqueiro, de São Lourenço do Sul, um dos fornecedores da casa ao lado do pessoal da Casa de Carnes Ferrari. Duas parcerias costuradas à mão, com cuidado, pela própria Ana. Localizado na Rua Barão de Ubá nº9, bairro Bela Vista, o espaço abriu as portas para o público no início de outubro.

“Baro”, do franco, significa “barão”; “homem livre” na definição original. O nome traz o conceito pelo qual a Ana quer que o seu restaurante será identificado daqui pra frente, o de um lugar sofisticado, mas alegre, democrático, onde todos, sem distinção, se sintam em casa. É também uma homenagem à rua em que está situado e ao título de distinção dado às figuras eminentes de antigamente.

Ana Carolina Reschke (Foto RIcardo Ara)
Ana Carolina Reschke Foto RIcardo Ara

O espaço – onde funcionava o Nobel Café – foi totalmente reformado e conta com 120 lugares (sentados), um deck e um mezanino, que pode ser fechado para reuniões particulares e confraternizações. Quem assina o projeto arquitetônico é Gabriela Ordahy, uma das curadoras da Casa Cor RS, com a participação do light designer Eduardo Becker. A modelagem do projeto estratégico e a comunicação foram feitos pela Mar Creative Partners.

O empreendimento é a realização de um sonho da agora empresária. Ana Carolina Reschke, nasceu em Porto Alegre, mas foi criada nos campos da família em Carazinho, a advogada de 38 anos é assadora desde a adolescência. “Sempre me esforcei para ser uma boa anfitriã e receber meus amigos e familiares com o que tenho de melhor. Uma boa carne, boas bebidas, mas também atenção e carinho”, diz ela. “Essa é a essência do BARO”.

O cardápio foi todo concebido por ela, com contribuições de Sandro Indart, que comanda a cozinha da casa. Uruguaio de Montevidéu, também apaixonado por assado, o chef de 47 anos trabalhou mais de uma década em restaurantes de hotéis em Madri. “Foi um período que definiu muito do meu estilo de cozinhar”, conta ele. “Especialmente os molhos, guarnições e saladas do BARO trazem muito dessas minhas influências da culinária espanhola, italiana e mediterrânea”, diz.

Há pratos deliciosos das entradas às sobremesas, passando por burguers e porções parrilleras, mas as grandes estrelas são elas: as carnes. A proprietária é uma amante da cultura e da culinária gauchesca, conhecedora da anatomia do gado, e por isso, extremamente rigorosa na seleção dos cortes. “Fazer churrasco, pra mim, sempre foi uma forma de oração; um ritual que começa na escolha da carne, passa por fazer o fogo, pela recepção dos convidados…”, conta. Não se surpreenda, portanto, se você for ao BARO e der com a própria dona operando a parrilla.

1095100_644997698858221_353590410_n
Solon Fishbone

Público cervejeiro, não deixe de conhecer o BARO. Logo na entrada, há um balcão com 15 chopeiras “naja” de torres congeladas, com um sistema integrado de resfriamento e pressão que garante a bebida sempre na temperatura ideal e servida com rapidez. É perfeito para o happy hour com os amigos – ainda mais com os “pinchos” do cardápio, ao melhor estilho espanhol.

A curadoria de cervejas e harmonização ficou a cargo do sommelier (e blueseiro) Solon Fishbone. “Fiz um apanhado geral das quatro escolas clássicas: a alemã, a inglesa, a belga e a americana”, explica ele. Há opções para todos os gostos, de lagers de amplo consumo como Heineken e Amstel, a estilos variados – IPAs, ales, wit bier, saison, porter – produzidos por aquelas que são consideradas as melhores cervejarias gaúchas da atualidade.

Oferecer qualidade e sofisticação em todos os aspectos, mas sem que para isso sejam cobrados valores exorbitantes, essa é a premissa do BARO. Na carta de vinhos – cuidadosamente selecionada pelo Armazém dos Importados e pelo Sommelier Vinhos –, isso fica claro. A margem de lucro sobre cada rótulo está bem abaixo da que costuma ser praticada na maioria dos restaurantes.

 

Fórum Tecnológico do Leite será em novembro. Evento com caráter itinerante ocorre na cidade de Encantado

Fórum Tecnológico do Leite será em novembro. Evento com caráter itinerante ocorre na cidade de Encantado

Agenda Agronegócio Expointer Notícias

A 13ª edição do Fórum Tecnológico do Leite já tem data e local confirmados. Será no dia 13 de novembro, no Auditório Itália, na Prefeitura de Encantado. O evento prevê palestras, apresentação de cases e debates voltados à cadeia leiteira.

Mais informações e inscrições, que devem ser realizadas até o dia 08 de novembro, no site www.colegioteutonia.com.br/forumdoleite ou diretamente nos escritórios municipais da Emater (informações sobre transporte gratuito com a Emater).

Realização do Colégio Teutônia, Administração Municipal de Encantado, Emater/RS-Ascar e Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural do Rio Grande do Sul, o tradicional evento conta com o Patrocínio Máster de Sicredi, Dália Alimentos, Cooperativa Languiru e Sindilat/RS, com o Patrocínio Ouro de Fetag-RS, Samaq Massey Ferguson, Administração Municipal de Teutônia, Machado Agropecuária, Nutron, Launer Química, Duagro e Maná.

 

Programação

 

08h às 09h – Recepção com degustação de lácteos;

09h – Palestra “Produtor de leite: um estilo de vida!”, palestrante Vilnei Varzim;

10h20min – Debate com foco na sanidade animal – “Programa Nacional de Combate e Erradicação da Febre Aftosa”, com Fernando Groff, e “Panorama da Brucelose e da Tuberculose Bovina no RS”, com Ana Cláudia Groff;

11h30min – Apresentação do Relatório Socioeconômico da Cadeia Produtiva do Leite dos Vale do Taquari e do Caí, com Martin Schmachtenberg;

12h – Almoço e Concurso do Leite em Metro (valor do almoço com direito a buffet livre para inscritos no Fórum: R$ 10,00);

13h30min – Abertura Oficial do Fórum Tecnológico do Leite – 13ª Edição;

14h – Cases de modelos e realidades de produção leiteira apresentados por produtores, com painéis sobre Compost Bar, Free Stahl e Produção à Base de Pasto, tendo a mediação de Jaime Eduardo Ries;

15h –  Debate sobre os sistemas de produção apresentados;

15h30min – Encerramento.

Agro: SENAR-RS e Embrapa promovem cursos e palestras sobre capim-Annoni

Agro: SENAR-RS e Embrapa promovem cursos e palestras sobre capim-Annoni

Agronegócio Expointer Negócios Notícias

O SENAR-RS, em parceria com a Embrapa, promove uma série de eventos para tratar dos riscos do capim-annoni à produção e apresentar uma solução ao problema. Realizadas em quatro municípios gaúchos, as atividades do Capim-Annoni: Tolerância Zero têm como público-alvo produtores, técnicos e estudantes de ciências agrárias.

Trazido para o Rio Grande do Sul, o capim-annoni se desenvolveu e, apesar da baixa qualidade, competiu e se sobrepôs ao campo nativo. Atualmente, explica Pedro Faraco, técnico em Formação Profissional Rural do SENAR-RS, boa parte da área do Estado está infestada com a planta invasora. Os eventos que serão realizados têm por objetivo sensibilizar produtores a reduzirem as áreas de infestação com ajuda de tecnologia desenvolvida pela Embrapa. “Vamos apresentar uma possibilidade real de redução e mostrar a realidade improdutiva do capim-annoni”, comenta Faraco.

As atividades serão realizadas à tarde e à noite em Santana do Livramento, São Vicente do Sul, Rosário do Sul, Manoel Viana e Santiago. A estimativa é de que cerca de cem pessoas participem em cada um dos municípios (confira abaixo o dia e local de realização dos eventos). Na primeira etapa, das 13h30min às 17h30min, será ministrado um curso sobre o Método Integrado de Recuperação de Pastagens (Mirapasto), desenvolvido pela Embrapa para combater o capim-annoni. Serão abordados o histórico da planta, o impacto e os avanços no conhecimento da espécie, além dos quatro pilares da tecnologia: controle com aplicador seletivo Campo Limpo, construção da fertilidade do solo, introdução de espécies forrageiras e ajuste de carga animal. Após apresentadas as estratégias de manejo com base no tecnologia, à noite, das 19h às 20h30min, serão abordados os resultados de ganhos produtivos e a rentabilidade do investimento, na palestra Resultados Econômicos e Produtivos do Emprego do Mirapasto.

As inscrições são gratuitas e podem ser feitas nos sites de cada evento (confira abaixo) ou no dia. As atividades contarão com a participação de um instrutor do SENAR-RS e dois pesquisadores da Embrapa.

 

São Vicente do Sul

Quando: 21 de outubro

Onde: Sindicato Rural de São Vicente do Sul (Rua 7 de Setembro, 1.035).

Site: www.annonisaovicente.eventize.com.br

 

Rosário do Sul

Quando: 22 de outubro

Onde: Sindicato Rural de Rosário do Sul (R. João Brasil, 860)

Site: www.annonirosario.eventize.com.br

 

Manoel Viana

Quando: 23 de outubro

Onde: Parque de Exposições Leo Durlo (Rua Arno José Nemiz)

Site: www.annonimanoelviana.eventize.com.br

 

Santiago

Quando: 24 de outubro

Onde: Sindicato Rural de Santiago, Unistalda e Capão do Cipó (Rua Getúlio Vargas, 1.488, Centro)

Site: www.annonisantiago.eventize.com.br/

 

 

 

SENAR-RS credencia empresas para prestação de serviços de Assistência Técnica e Gerencial

SENAR-RS credencia empresas para prestação de serviços de Assistência Técnica e Gerencial

Agenda Agronegócio Notícias Tecnologia Trabalho

O SENAR-RS iniciou o processo de credenciamento das empresas que irão atuar no programa de Assistência Técnica e Gerencial, que começará a atender propriedades rurais gaúchas a partir do primeiro semestre de 2020. Um grande banco de empresas prestadoras de serviços será criado para que o SENAR-RS possa contratar os serviços  de técnicos e supervisores habilitados para realizar a orientação dos produtores voltados inicialmente às cadeias da agricultura, bovinocultura de corte, bovinocultura de leite e ovinocultura.

_FOG6766
Foto: Emerson Foguinho

O edital de credenciamento está aberto até o dia 11 de novembro. Os credenciados serão chamados conforme a necessidade. De acordo com o superintendente do SENAR-RS, Eduardo Condorelli, a expectativa é ter pelo menos 140 técnicos atuando nos mais de 270 municípios inicialmente mapeados para receber o programa: “Poderemos escolher as empresas que oferecem os técnicos mais capacitados, além de termos supervisores que garantirão a qualidade do trabalho. Outro diferencial da ATeG é que não trataremos apenas de questões como produção e produtividade. Focaremos também aspectos ligados à gestão do agronegócio”, aponta Condorelli.

As empresas devem ter em seus quadros profissionais que cumpram alguns requisitos: os técnicos de campo devem ter ao menos 6 meses de experiência com a prestação de serviços em assistência técnica na cadeia produtiva que será assistida. Já os supervisores devem comprovar, no mínimo, dois anos de experiência na prestação deste tipo de serviço. Exigências comuns às duas funções são dispor de veículo para deslocamento e carteira de habilitação, ter concluído o curso superior em agronomia, medicina veterinária ou zootecnia e ter disponibilidade para viagens. Outras exigências estão especificadas em edital. Após a contratação das empresas, os técnicos e supervisores habilitados serão capacitados na metodologia de Assistência técnica e Gerencial (ATeG) antes do início do atendimento as propriedades selecionadas pelo programa.

Está vedada a participação de cooperativas de trabalho, empresas individuais, MEI e EIRELI. Dúvidas podem ser encaminhadas ao email comissaoateg@senar-rs.com.br. Clique para informações e inscrições no site do SENAR-RS.

A assistência técnica e gerencial não terá custo aos produtores e cada grupo receberá o atendimento ao longo de dois anos. Os técnicos farão visitas mensais, nas quais ficarão um turno em cada propriedade rural participante. O programa segue modelo nacional de metodologia desenvolvido pelo SENAR/Administração Central, mas foi customizado de acordo com as características e a realidade do Estado. A expectativa é atender, no primeiro semestre de 2020, mais de 5 mil produtores rurais no Rio Grande do Sul, ampliando para 10 mil propriedades até o fim do ano que vem.

Rádio Press estréia programa Campo e Batom com Alessandra Bergmann

Rádio Press estréia programa Campo e Batom com Alessandra Bergmann

Agenda Agronegócio Comunicação Destaque

A rádio PRESS estreia nesta 4ª feira, dia 16 de outubro, o programa CAMPO e BATOM, o primeiro programa de áudio para a mulher do campo. O programa, que vai ao ar das 16h às 16h30, será apresentado pela jornalista Alessandra Bergmann, que acumula duas décadas de experiência jornalística no setor rural. O programa trará entrevistas com as mais diversas mulheres que compõe o universo feminino rural, como empreendedoras, agricultoras, veterinárias e agrônomas. Elas contarão suas histórias, exemplos e experiências, que serão compartilhadas como mulheres de todo o Brasil, que vivem a realidade diária do campo.

O programa trará, também, profissionais e técnicos das mais diversas áreas da pecuária e agricultura, para darem dicas, orientações e informações aos ouvintes sobre temas específicos do meio rural.

“Queremos somar as experiências dessas mulheres com o conhecimento dos técnicos e especialistas convidados para darmos aos nossos ouvintes — na sua maioria mulheres do campo — um conteúdo que possa ser aplicado no seu trabalho e em suas vidas”, salienta Alessandra.

Na primeira edição participa a engenheira agrônoma gaúcha Iara Suñe, que fala sobre o desafio de assumir a propriedade rural da família com pouco mais de 20 anos, depois da perda dos pais. Além dela, participa também o veterinário Leonardo Canellas.

Como o nome do programa sugere, os temas abordados não se restringirão à lida diária das mulheres nas propriedades rurais de todo o Brasil, mas também se deterão sobre suas aspirações como mulheres e aí envolve questões como educação, saúde, economia e, é claro, seus cuidados pessoais.

Para acessar o programa, basta entrar na página  da Rádio Press no Facebook (Facebook.com/radiopressportoalegre) ou no canal da Rádio Press no Youtube (youtube.com/radiopress). Entre lá e se cadastre no canal para receber notificações das próximas edições.

Todas as edições do programa estarão disponíveis nesses canais, além do portal www.revistapress.com.br e do Sportify, onde podem ser ouvidos na forma de podcasts.

Perguntas e participações para as futuras edições do programa podem ser feitas nos canais ou pelo whatsapp (51) 99368.5150.

 

 

SERVIÇO:

Programa CAMPO E BATOM – O programa da mulher rural brasileira.

Quartas –feiras – 16h

Acesso – Youtube – youtube.com/radiopress

Facebook.com/radiopressportoalegre

Contato – whatsapp (51) 99368.5150 –  email – programacampoebatom@gmail.com

Ex-presidente da Bunge Alimentos denunciado por poluição em Rio Grande (RS) busca trancar ação no TRF4

Ex-presidente da Bunge Alimentos denunciado por poluição em Rio Grande (RS) busca trancar ação no TRF4

Agronegócio Notícias

O ex-diretor-presidente da Bunge Alimentos, Raul Alfredo Padilla, ajuizou habeas corpus no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) pedindo o trancamento da ação penal aberta contra ele na 1ª Vara Federal de Rio Grande no final de setembro (25/9). Ele foi denunciado por crime ambiental praticado em unidade fabril localizada em Rio Grande (RS). O desembargador federal João Pedro Gebran Neto, do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), deverá levar a questão para análise do colegiado.

A denúncia, de autoria do Ministério Público Federal (MPF), ocorreu em dezembro de 2018. O diretor industrial, Fernando Chaves Monteiro Neto e a empresa Bunge também foram denunciados no mesmo processo. Segundo o MPF, a unidade mantinha depósito de resíduos nocivos e descartava parte das substâncias no curso hídrico do Saco da Mangueira, com potenciais riscos à saúde humana, à fauna e à flora.

O Saco da Mangueira é uma lagoa rasa situada praticamente no centro da cidade de Rio Grande, possuindo 32 quilômetros quadrados. Em suas margens, encontram-se banhados salgados, campos litorâneos, dunas e arroios.

A defesa alega que não houve indicação na denúncia do vínculo entre a atividade desempenhada por Padilla como diretor-presidente e os delitos ambientais a ele imputados, bem como não teria sido apontada conduta comissiva ou omissiva por parte dele.

O julgamento do habeas pela 8ª Turma ainda não tem data marcada. A ação segue tramitando na 1ª Vara Federal de Rio Grande.

Agronegócio: STJ deve concluir dia 16 votação do Plano Collor nos financiamentos rurais. Corte deve decidir que sejam aplicados juros iguais da caderneta de poupança nos contratos dos produtores

Agronegócio: STJ deve concluir dia 16 votação do Plano Collor nos financiamentos rurais. Corte deve decidir que sejam aplicados juros iguais da caderneta de poupança nos contratos dos produtores

Agronegócio Destaque

Não houve conclusão na Sessão de julgamento do Superior Tribunal de Justiça,  desta quarta-feira(02.10) do julgamento dos Embargos de Divergência da União Federal, onde são discutidos os juros a serem pagos quando o réu das ações individuais decorrentes da Ação Civil Pública que visa à devolução do Plano Collor nos financiamentos agrícolas em março de 1990 for o ente público.

30_25277_59a43bb1acaa9
Ricardo Alfonsin

A Relatora Ministra Nancy Andrighi votou no sentido de que à União Federal e ao BACEN são aplicáveis os juros conforme o das cadernetas de poupança. Mais 4 ministros acompanharam a Relatora, quando houve o pedido de vista do Ministro Mauro Campbell, cujo voto se esperava para a sessão de hoje. O advogado Ricardo Alfonsin, que representa a Sociedade Rural Brasileira e a FEDERARROZ na Ação Civil Pública, como Assistentes do MPF desde 1994, esteve presente na Sessão.  Segundo Alfonsin, ele foi informado que o Ministro Campbell não trouxe o voto por não haver tempo para que a secretaria levasse à pauta o processo, o que será feito na próxima reunião da Corte Especial, no dia 16.10.2019. A partir daí, nada mais estará pendente para a devolução dos valores, lembrando que a condenação do banco é mantida privada, não sendo atingida por esta discussão ainda pendente.

RS: Touro de Ibiraiaras repete Esteio e leva prêmio de Grande Campeão da ExpoAgro André da Rocha

RS: Touro de Ibiraiaras repete Esteio e leva prêmio de Grande Campeão da ExpoAgro André da Rocha

Agronegócio Notícias

O touro São Valentin Topazio 1785, da Cabanha São Valentin, de Reinoldes Antônio Cherubini, de Ibiraiaras, é o grande campeão da ExpoAgro André da Rocha, que encerrou noeste domingo em André da Rocha (RS). Com 1.174 quilos, Ben Hur, como também é chamado, conquistou o Grande Campeonato pela terceira vez nos seus 4 anos de vida. Ele também foi o melhor macho da última Expointer, em Esteio (RS) e ainda da Expoingá 2018, em Maringá (PR). O título de Reservado Grande Campeão foi para Santo Antônio 1226 1055, da Fazenda SantoAntônio, de Guabiju (RS), propriedade de Reinado Cherubini Filho. O animal também havia sido premiado como Reservado Campeão 2 anos na Expointer 2019.

Grande Campeã Fêmea
Entre as fêmeas, o título de Grande Campeã ficou com a vaca Bombinha 209 de Santa Lucia 2732. Fotos: Marcos Esteriz

Entre as fêmeas, o título de Grande Campeã ficou com a vaca  Bombinha 209 de Santa Lucia 2732, propriedade da criadora Soely Barreto Hoffmann, da Cabanha Santa Lúcia, de Capão Bonito do Sul (RS). Com dois anos e meio, ela também foi Campeã Vaca Jovem na 42ª Expointer. A Cabanha JR do Prata, do criador Gilmar da Silveira Ribeiro, de André da Rocha, levou o troféu de Reservada Grande Campeã, com a vaca Prata Jr 114 Rotok SL 1905.

Segundo Otávio Jacques, técnico da Associação Brasileira de Criadores de Devon / ABCD e um dos jurados, a avaliação foi difícil porque todos os participantes são animais de ponta da raça no Rio Grande do Sul. “Analisamos cada animal com morfologia que comprova a qualidade dos animais, tanto no rendimento de carcaça quanto na valorização dos cortes de carnes nobres, para o programa Carne Devon Certificada. Com certeza escolhemos os melhores entre os melhores”, afirma Jacques.

A raça Devon, que participa da ExpoAgro desde a primeira edição e tradicionalmente é a raça com o maior número de animais expostos, este ano esteve presente com 40 exemplares no Parque de Exposições, com touros e vacas puros de origem. Para Rodrigo Cherubini, Presidente do Núcleo de Criadores dos Campos de Cima da Serra da ABCD, o evento foi um marco para a raça. “A qualidade dos animais da região da serra está acima da média, o alto padrão genético confirma o que vem ocorrendo na Expointer, onde todos os anos nos destacamos. Melhor impossível”, resume.

Simone Bianchini, Presidente da Associação Brasileira de Criadores de Devon, lembra que a genética Devon dos Campos de Cima da Serra se sobressaiu na exposição. “Os criadores estão motivados com o programa de certificação da carne Devon, isso torna a Expo Agro André da Rocha uma feira ainda mais especial”, conclui.