Porto Alegre: Confusão entre ambulantes e Guarda Municipal encerra operação no Centro da Capital; por Samantha Klein|Rádio Guaíba

Porto Alegre: Confusão entre ambulantes e Guarda Municipal encerra operação no Centro da Capital; por Samantha Klein|Rádio Guaíba

Cidade Destaque Direito Direito do Consumidor Economia Marchezan Negócios prefeitura Segurança Vídeo

 

Vendedores e agentes da Guarda Municipal entraram em confronto, no fim da tarde desta quinta-feira, em meio a uma abordagem a ambulantes, nas proximidades do Terminal Parobé. Pelo menos três pessoas foram detidas e um homem ficou ferido, sendo encaminhado para o Hospital de Pronto Socorro. A Guarda acionou a Brigada Militar para conter a confusão e a avenida Júlio de Castilhos ficou bloqueada por cerca de uma hora. O Terminal Parobé também ficou esvaziado pela impossibilidade de chegada de coletivos.

Vendedores reclamaram de agressões por parte da Guarda Municipal. Já o comandante da corporação, Rodrigo Meoti, informou que o confrontou começou quando uma vendedora de cigarros ilegais agrediu um agente da Guarda, na altura da Marechal Floriano com o Terminal Parobé. “Avançou com um pedaço de madeira sobre um agente e ela acabou sendo detida. Os demais colegas dela iniciaram a confusão”. A mulher foi encaminhada para o Palácio da Polícia.

Na sequência, dois ambulantes foram presos em uma ação para combater a venda de frutas no Largo Glênio Peres, onde é proibida a comercialização desse tipo de produto. Também houve reação por conta da ação de recolhimento dos produtos e novo enfrentamento. Nesse ponto, um outro homem ficou ferido devido à contenção com arma taser (não-letal). Ele foi encaminhado para o HPS. Um agente da Guarda também teve escoriações.

Os manifestantes reclamaram, ainda, dos disparos de arma de borracha. Conforme comandante do 9ºBPM, tenente-coronel, Eduardo Amorim, quando houve tentativa de incêndio a um contêiner na avenida Júlio de Castilhos, os policiais arremessaram uma bomba de efeito moral. “Algumas pessoas acham normal atirar pedras contra os policiais e não analisam como começou a confusão. A bomba foi utilizada para dispersar os vândalos”, disse.

Os confrontos ocorreram em meio à Operação Retomada, que mobilizou 100 agentes da Guarda Municipal durante todo o dia nas avenidas Voluntários da Pátria, Salgado Filho, Borges de Medeiros e rua Doutor Flores. Em nota, a Prefeitura informou que o “objetivo era coibir ações de furtos, tráfico de drogas e comércio ilegal no Centro Histórico da Capital”.

Veja o que disse o comandante do 9ºBPM:

Veja o comunicado da Prefeitura, na íntegra:

Ambulantes ilegais que vendem frutas no Largo Glênio Peres, Centro de Porto Alegre, entraram em confronto com a Operação Retomada da Guarda Municipal, realizada no Centro da Capital no final da tarde desta quinta-feira, dia 22. Dois ambulantes foram detidos. A Brigada Militar, que estava apoiando a ação da Guarda, teve trabalho para dispersar os ambulantes, que colocaram fogo em caixotes de madeira e interromperam o trânsito na Avenida Júlio de Castilhos e Mauá.

O chegada e partida de ônibus no Terminal Parobé foi interrompida e a EPTC, por questões de segurança, desviou o trânsito na região.

A Operação Retomada mobilizou cem agentes da Guarda Municipal durante todo o dia de ontem nas avenidas Voluntários da Pátria, Salgado Filho, Borges de Medeiros e rua Doutor Flores. O principal objetivo da iniciativa é o de coibir ações de furtos, tráfico de drogas e comércio ilegal no Centro Histórico da Capital.

Os guardas realizaram um trabalho de abordagem, orientando os ambulantes de rua a deixarem o local. Os que permaneceram tiveram os seus materiais apreendidos pelo setor de fiscalização da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico (SMDE), acionada para auxiliar na operação. O Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU) também esteve presente para realizar a limpeza da área. (Reportagem Samantha Klein|Rádio Guaíba com colaboração de Vivian Leal e Camila Diesel)

 

 

 

 

Porto Alegre: Taxista devolve carteira com cartões e R$ 892

Porto Alegre: Taxista devolve carteira com cartões e R$ 892

Cidade Destaque Direito Direito do Consumidor Porto Alegre Segurança Tecnologia

Avelino Boff, conhecido como Leco, de 67 anos, há 20 como taxista, não hesitou um segundo quando achou uma carteira esquecida no banco traseiro do carro, com cartões bancários e R$ 892. “O que não é meu, não me pertence. Meu pai me passou esse ensinamento, e aos meus 11 irmãos, lá em Maquiné, onde fomos criados. Honestidade é uma obrigação de todos. E é assim que eu sempre procuro agir”. Boff pediu orientação para um agente de trânsito e entregou a carteira na EPTC. No mesmo dia, ela foi devolvida ao dono, que já havia ligado para o fone 156.

Revoltado com tantos exemplos negativos no Brasil, Leco desabafa. “Todo dia, a gente acompanha notícias de desvios de verba, propinas, Caixa 2 e outras coisas negativas. É muito ruim, principalmente para a nossa juventude, essa falta de ética, de moral, exatamente de quem deve dar exemplo para a população. Temos que passar valores positivos para todos. É a única saída para melhorarmos o nosso país”, disse.

A funcionária da EPTC Fabiane Silveira de Mello, responsável pela Coordenação do Cadastro de Operadores, orienta os passageiros de táxi. “Sempre é importante anotar o prefixo do veículo. No caso de esquecer alguma coisa dentro no táxi, com a identificação do prefixo, fica muito mais fácil o contato com o profissional e a recuperação do bem.”

A Central de Atendimento ao Cidadão da EPTC funciona na avenida Erico Verissimo, 100, das 9h às 16h (atendimento externo), e atende pelos telefones 156 e 118. Contatos com a EPTC também podem ser feitos pelo e-mail eptc@eptc.prefpoa.com.br. (Rádio Guaíba)

Sulpetro integra ação do Dia da Liberdade de Impostos

Sulpetro integra ação do Dia da Liberdade de Impostos

Cidade Destaque Direito Direito do Consumidor Economia Negócios Poder Política

No dia 6 de junho (terça-feira), acontece a 13ª edição do Dia da Liberdade de Impostos (DLI). A iniciativa é promovida pelo Instituto Liberdade, pelo Sulpetro, pelo Instituto de Estudos Empresariais (IEE), e conta com a parceria da Câmara de Dirigentes Lojistas de Porto Alegre (CDL). A campanha consiste na tradicional venda de gasolina sem impostos para os consumidores. Este ano, com mais que o dobro de estabelecimentos aderindo, 63 mil litros de gasolina serão vendidos com valores reduzidos na ação, que ocorrerá em 21 postos de combustíveis em 12 cidades gaúchas: Porto Alegre, Gravataí, Caçapava do Sul, Cachoeirinha, Caxias do Sul, Pelotas, Passo Fundo, Portão, Rio Grande, São Leopoldo, Sapucaia do Sul e Santa Rosa. As ações também serão realizadas em outras capitais nacionais.

O combustível será vendido a R$ 2,00 o litro, mediante distribuição de 150 senhas por posto participante, a partir das 7h. O abastecimento será realizado das 8h às 11h30min. Cada senha dará o direito à compra de 20 litros de gasolina comum, apenas para pagamento em dinheiro. O objetivo central da campanha é conscientizar a sociedade sobre a alta carga tributária que é paga hoje pelos cidadãos brasileiros, estabelecendo uma relação do valor com o tempo que cada um deve destinar do seu ano apenas para quitar as obrigações impostas pelo Estado.

Segundo o Impostômetro, ferramenta criada pelo Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT) e divulgada por instituições como Fecomércio-RS e Associação Comercial de São Paulo, em 2016, foram pagos mais de R$ 2 trilhões em tributos, sendo que em 2017, de 1º de janeiro até os primeiros dias de maio, já estamos próximos do montante de R$ 800 bilhões em tributos pagos no País. Considerando os números de 2016, os brasileiros precisaram trabalhar 153 dias exclusivamente para pagar os impostos cobrados pelo governo. Nos EUA, esse número cai para 98 dias e no Chile, para 94 dias. Nos últimos 15 anos (de 2001 a 2016), o número de dias que o brasileiro trabalha para pagar impostos aumentou de 130 para 153.

De acordo com recente estudo da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), o Brasil é o país com a maior carga tributária em toda a América Latina e Caribe, cerca de 50% superior à média da região.

 

Postos de combustíveis que integram a campanha:

Porto Alegre:

Abastecedora de Combustíveis SMR: Av. Borges de Medeiros, 2205

Com. de Combustíveis Phoenix Ltda. Av. Francisco Silveira Bitencourt,1955

Posto Buffon 45 – Av. Farrapos, 3180

Posto Cavalhada: Av. Cavalhada, 3833

Posto Dueville: Av. Assis Brasil, 6853

Posto SIM Ecoposto: Av. Ipiranga, 999

 

Gravataí:

Abastecedora de Combustíveis Confiança Ltda.: Rua Dois de Novembro, 60

Cachoeirinha:

Abastecedora de Combustíveis Cachoeirinha Ltda.: Av. Frederico  Augusto Ritter, 1760

Posto Center Ltda.: Av. General Flores da Cunha, 894 – Parada 49

Caçapava do Sul

Posto Pampeano: Rua Benjamin Constant, 782

Caxias do Sul:

Posto SIM Shopping: R. João Nichele, 2227

Pelotas:

Posto SIM 3 Bicos: Av. Fernando Osório, 2200

Posto Buffon 52 – Av.  20 de Setembro, 678

Passo Fundo:

Posto Buffon 25: Avenida Brasil Leste, 1.010 – Planalto

Posto SIM Presidente Vargas: Av. Presidente Vargas, 128

Portão:

Posto Hoff: RS-240, 5.720 – KM 11

Rio Grande

Abastecedora da Quinta: Rua Trajano Lopes, 213 – Vila da Quinta

Posto Buffon 07: Rua General Neto, 514 – Centro

São Leopoldo:

Posto ELLO: Av. Unisinos, 1441 – Em Frente à Unisinos

Santa Rosa

Posto Vaccari: Av. Rio Branco, 26 – Centro

Sapucaia do Sul

Posto Tigrão: Rodovia BR-116, KM 253

 

 

Braskem e Muzzicycles se unem para fomentar a produção de bicicletas com plástico reciclado

Braskem e Muzzicycles se unem para fomentar a produção de bicicletas com plástico reciclado

Cidade Destaque Direito do Consumidor Economia Negócios

A Braskem e a Muzzicycles, fabricante brasileira de bicicletas, são parceiras para a promoção da reciclagem e para transformação do plástico por meio do Wecycle. Ao integrar a plataforma, a Muzzicycles passa a receber resinas de polietileno de cooperativas de reciclagem apoiadas e verificadas pela Wecycle e também inseridas no programa ser+realizador, que colabora com a gestão de cooperativas em 11 estados brasileiros, com incentivos da Braskem.

Atualmente, a Muzzicycles tem a capacidade de produzir 132 mil quadros de bicicleta ao ano, que representariam a reciclagem de 150 toneladas de resíduos plásticos, evitando que o material fosse descartado em aterros sanitários. Cada quadro contém cerca de três quilos de plástico, sendo 30% deles reciclado. A mistura entre polímero virgem e reciclado é necessária para garantir o bom desempenho mecânico da bicicleta.

A plataforma Wecycle foi criada com o objetivo de fomentar negócios e iniciativas para a valorização de resíduos plásticos, reforçando o compromisso da Braskem com a cadeia do plástico no Brasil. Tem como foco o desenvolvimento de produtos com conteúdo reciclado pós-consumo com maior confiabilidade sobre a fonte de matéria prima, a qualidade e confiabilidade técnica e o compromisso ambiental e social da cadeia envolvida. Entre as vantagens dos quadros de plástico, estão a resistência e a absorção de impacto – características do polietileno – e a garantia vitalícia para uso. Após a coleta, reciclagem e transformação do plástico, com apoio da Braskem, as bicicletas são montadas e comercializadas em diversas cores. “Inserir o plástico reciclado como matéria-prima de bicicletas é mais uma demonstração da diversidade de aplicações desse material e um incentivo para práticas e atitudes mais sustentáveis e criativas em diversos setores produtivos”, afirma André Leonel Leal, da Braskem.

Azul começa a oferecer passagem com desconto para quem não despachar bagagem. Redução oferecida pela companhia varia de 12% a 30%

Azul começa a oferecer passagem com desconto para quem não despachar bagagem. Redução oferecida pela companhia varia de 12% a 30%

Destaque Direito Direito do Consumidor Economia Negócios

A partir desta quinta-feira, a companhia aérea Azul vai oferecer tarifas mais baratas para clientes que não despacharem bagagens. O desconto vai valer para voos que saem de Viracopos, em Campinas, para 14 destinos no país. Os clientes que comprarem a passagem pelo preço normal continuam com a franquia de bagagem de 23 quilos.

A Azul é a primeira empresa a implementar mudanças no sistema de bagagens, depois que a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) liberou as companhias aéreas para estabelecer suas próprias políticas de cobrança pelas malas despachadas. Agora, as empresas não são mais obrigadas a oferecer uma franquia de bagagem sem custo para os clientes. Com as novas regras, o limite de peso da bagagem de mão aumentou de cinco para 10 quilos, para todas as companhias aéreas.

O cliente da Azul que comprar a passagem com desconto poderá escolher pela compra ou não do serviço de bagagem despachada. Nessa modalidade, se o cliente mudar de ideia, deverá pagar R$ 30 para despachar uma mala de 23 quilos. Segundo a empresa, a nova opção será inserida gradativamente para atender a toda a malha de voos da empresa.

Os descontos oferecidos pela Azul para quem não despachar bagagem variam de 12% a 30%. Por exemplo, um voo de Viracopos a Cascavel (PR) passa de R$ 231,90 para R$ 201,90 para quem não quiser levar malas. Já para ir de Viracopos a Curitiba, a tarifa cai de R$ 99,90 para R$ 69,90, segundo informações divulgadas pela empresa.

Outras empresas

A Gol também vai oferecer, a partir de 20 de junho, uma tarifa mais barata para quem não precisar despachar bagagens. As tarifas com preço normal vão incluir uma franquia de 23 quilos. Se o cliente que comprou o bilhete da tarifa Light decidir posteriormente despachar a bagagem, poderá pagar à parte. Nos voos nacionais, será cobrado o valor de R$ 30 para despachar uma mala de até 23 quilos.

A partir do início de julho, a Latam vai começar a cobrar pelas bagagens em voos domésticos e oferecer preços diferenciados para passageiros que optarem por não despachar bagagens. Segundo a empresa, o preço da primeira mala será de R$ 30 para compras antecipadas. A companhia já fez mudanças na franquia de bagagens, que passou a ser de uma mala de 23 quilos, no caso de voos nacionais. Atualmente, esse já é o peso permitido, mas não há limite de volumes despachados.

A Avianca decidiu não cobrar pelo despacho de bagagens no momento. A companhia prefere estudar a questão nos próximos meses para criar produtos tarifários customizados com o objetivo de melhor atender às necessidades dos diferentes perfis de clientes. (Agência Brasil)

Porto Alegre: Câmara aprova por unanimidade a criação do Fundo Municipal de Segurança Pública

Porto Alegre: Câmara aprova por unanimidade a criação do Fundo Municipal de Segurança Pública

Agenda Cidade Destaque Direito Direito do Consumidor Poder Política Porto Alegre prefeitura Segurança Tecnologia Vídeo

A Câmara Municipal de Porto Alegre aprovou por unanimidade, na sessão ordinária desta segunda-feira (29/5), o projeto de lei que cria o Fundo Municipal de Segurança Pública. A iniciativa é do presidente da Casa, vereador Cassio Trogildo (PTB). De acordo com ele, o objetivo é proporcionar amparo financeiro a programas, projetos, convênios, termos de cooperação, contratos e ações de segurança pública e de combate à violência em Porto Alegre.

Pelo projeto, o fundo será formado por: recursos aprovados em lei e constantes da Lei Orçamentária; auxílios e subvenções provenientes de órgãos públicos federais, estaduais ou municipais ou de entidades privadas; convênios ou termos de cooperação firmados entre o município e o poder público federal ou estadual, ou ainda celebrados com entidades privadas, nacionais ou internacionais, sob a forma de doação; financiamentos obtidos com instituições bancárias oficiais ou privadas; e rendimentos e juros provenientes de suas aplicações financeiras.

Movimentação de Plenário. Na foto, o presidente da Câmara, Cassio Trogildo.
Vereador Cassio Trogildo.

Aumento do crime

“Nossa Capital é uma das cidades em que os índices de violência mais aumentaram nos últimos 30 anos. Enquanto no Brasil o aumento de homicídios foi de 125% nesse período, em Porto Alegre o aumento chegou a 140%”, lembra Trogildo. O vereador acrescenta que a Capital é hoje a segunda do país em que os jovens estão mais vulneráveis à violência, segundo estudo do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, em parceria com o Ministério da Justiça.

Cassio Trogildo explica que a criação do Fundo Municipal de Segurança Pública prevê investimentos que serão voltados à implementação das políticas públicas de prevenção à violência no âmbito municipal ou utilizados em tecnologias, como câmeras, sistemas de detecção de tiros, equipamentos, viaturas, melhoria da infraestrutura e cursos que possam aprimorar os serviços prestados tanto pela Guarda Municipal quanto pelas forças de segurança públicas estaduais e nacionais. O fundo “aglutinará recursos de origens diversas, não necessariamente constantes dos orçamentos municipal e estadual e, portanto, não engessados em suas destinações na despesa, sendo permitida a aplicação desses recursos em áreas e providências específicas”.

Emendas

Na foto, vereador Felipe Camozzato.
Vereador Felipe Camozzato.

Junto ao texto original, foram aprovadas quatro emendas. Uma do próprio autor, tem o intuito de realizar adequações técnicas na redação. Duas foram apresentadas pelo vereador José Freitas (PRB), estabelecem, respectivamente, a possibilidade de o Executivo destinar verbas do Fundo para aquisição de bens de primeira necessidade e a obrigatoriedade do repasse de, no mínimo, 50% dos valores arrecadados à Secretaria Municipal de Segurança e à Guarda Municipal. Já o vereador Felipe Camozatto, do partido NOVO aprovou emenda permitindo que pessoas físicas e jurídicas realizem doações ao fundo, como já ocorreu com a doação pelas concessionárias no conserto de viaturas e motos, por exemplo. A proposta foi apresentada pelo vereador Felipe Camozzato, do partido NOVO, que na Tribuna ponderou que, apesar da alta carga de impostos, não é possível o poder público se fechar para essas doações. “Caso essas pessoas e empresas queiram doar, o Fundo permite que o dinheiro seja utilizado onde mais precisamos”.

CBF não fecha com a Globo e assume transmissão de amistosos da Seleção. Jogos contra Argentina e Austrália vão passar na internet e na TV Brasil; jornal O Lance

CBF não fecha com a Globo e assume transmissão de amistosos da Seleção. Jogos contra Argentina e Austrália vão passar na internet e na TV Brasil; jornal O Lance

Comunicação Destaque Direito Direito do Consumidor Vídeo

Os amistosos da Seleção Brasileira contra Argentina e Austrália não serão transmitidos pela Globo. A CBF resolveu embarcar em uma nova experiência de exibição das partidas do Brasil, fornecendo ela mesma o sinal. Assim, os próximos dois jogos da equipe comandada por Tite serão transmitidos em vias diferentes. Na nova política, um espaço na grade da TV Brasil foi comprado, como revelou a “Folha de S. Paulo”, mas também haverá transmissão via CBF TV, na web, e pelo aplicativo da Vivo Mobile. Na transmissão da CBF, feita da sede da entidade, no Rio, os comentários serão de Pelé e Denílson, com narração de Nivaldo Prieto, segundo o LANCE! apurou. As partidas serão nos dias 9 e 13 de junho, às 7h (de Brasília). Houve negociações, como revelou a De Prima, com a emissora da família Roberto Marinho, mas o acordo não veio. Como a escalação dos profissionais para a transmissão já indica, há conversas também com a Band.

Nesta semana, alguns acordos ainda serão sacramentados para viabilizar a transmissão, entre eles com a própria TV Brasil. Mas o valor “simbólico” pelo horário na emissora estatal já está fechado. Na versão que vem da CBF, houve uma tentativa de conseguir uma valorização com os jogos da Seleção, mas a proposta não foi proporcional às expectativas. A emissora, por outro lado, acrescenta que houve uma mudança de planejamento em relação à negociação dos jogos do Brasil, já que a CBF decidiu negociar as partidas de forma individual e não mais em bloco. “A CBF tinha planos de negociar os direitos dos Amistosos e das Eliminatórias da Copa 2022 na forma de bid (leilão fechado). Recentemente decidiu vender os dois jogos amistosos de junho de forma avulsa e, embora não acreditemos que esta seja a melhor solução para todas as partes, tentamos negociar mas não chegamos num acordo”, pontuou a Globo em nota enviada ao LANCE!.

Ao assumir a responsabilidade da transmissão dos amistosos, como já tinha feito no jogo contra a Colômbia, em janeiro, a CBF também tenta assumir um protagonismo que pode proporcioná-la mais autonomia na venda de patrocínios para os jogos. E isso também abre um caminho para facilitar a venda dos direitos internacionais dos amistosos. É público o interesse de internacionalização não só da Seleção, mas também do Brasileirão.

CONFIRA A NOTA DA GLOBO

O futebol sempre foi um conteúdo importante para o brasileiro e, por isso, é estratégico para a Globo e o SporTV.

Acreditamos que com compromissos de longo prazo conseguimos oferecer a melhor e mais completa experiência para o torcedor brasileiro, para as equipes, para os anunciantes e suas marcas. Foi pensando assim que adquirimos os direitos da Copa do Mundo até 2022 e que temos vários eventos e parcerias de longo prazo.

A CBF tinha planos de negociar os direitos dos Amistosos e das Eliminatórias da Copa 2022 na forma de bid (leilão fechado). Recentemente decidiu vender os dois jogos amistosos de junho de forma avulsa e, embora não acreditemos que esta seja a melhor solução para todas as partes, tentamos negociar mas não chegamos num acordo.

O Grupo Globo defende um mercado de concorrência e acredita que tem a melhor solução de visibilidade e envolvimento para os eventos da nossa seleção, tanto pela audiência quanto pela qualidade de transmissão e modelo econômico, mas respeitamos se a CBF pensa diferente.

Nós mantemos o nosso compromisso com o futebol e o nosso interesse em continuar trabalhando com a CBF na construção de acordos que sejam bons para todos – para a própria CBF, para o Grupo Globo, para os anunciantes e suas marcas, mas sobretudo para o público torcedor apaixonado pelo futebol e pela seleção brasileira.    (Jornal O Lance)

Porto Alegre: Frente Parlamentar do Empreendedorismo e da Desburocratização lança Boletim do Empreendedor

Porto Alegre: Frente Parlamentar do Empreendedorismo e da Desburocratização lança Boletim do Empreendedor

Direito do Consumidor Economia Negócios Notícias

Iniciativa do vereador Felipe Camozzato, do partido NOVO, e apoiada por outros dez parlamentares, a Frente Parlamentar do Empreendedorismo e da Desburocratização (Freped), que tem como objetivo melhorar o ambiente de negócios da cidade, retirando obstáculos para a geração de mais empregos e renda para os porto alegrenses, teve suas atividades ampliadas. É o “Boletim do Empreendedor”, um serviço da Freped que irá informar os empreendedores de Porto Alegre sobre as leis que estão tramitando na Câmara de Vereadores e que podem afetar os negócios dos empreendedores porto-alegrenses. “A missão da frente é facilitar a relação do empreendedor com a cidade. Além de reuniões com os setores produtivos e os integrantes da Freped, resolvemos prestar um serviço inovador, que é o Boletim do Empreendedor, que traz um filtro das leis que tramitam na Câmara dos Vereadores e que afetam a vida de quem empreende”, ressalta Camozzato.

Foram mapeadas todas as leis que estão entre a “1ª sessão” e a Ordem do Dia. Ou seja, leis que estão passando pelo trâmite legislativo, mas que ainda não foram votadas. “O Boletim é feito a título de informação, ou seja, não avaliamos se a lei beneficia ou prejudica o empresário. A ideia é que o empreendedor se informe, confira se a lei faz sentido e aja”. O Boletim será atualizado e enviado a cada 15 dias e pode ser acompanhado pelo link: boletim empreendedor. O objetivo dos vereadores engajados na Frente é fazer com os empresários participem desse processo político.

Porto Alegre: Aplicativo que monitora irregularidades no transporte público soma quase 400 participações em um mês

Porto Alegre: Aplicativo que monitora irregularidades no transporte público soma quase 400 participações em um mês

Agenda Cidade Comportamento Comunicação Destaque Direito Direito do Consumidor Economia Marchezan Negócios Plano Safra Porto Alegre prefeitura Tecnologia

O aplicativo Fiscaliza Tu, criado para monitorar irregularidades no serviço de transporte público oferecido aos porto-alegrenses, fechou o primeiro mês de atuação com quase 400 participações. O primeiro balanço parcial, divulgado pela autora da iniciativa, vereadora Fernanda Melchionna (PSol), se refere ao período entre 27 de março e 30 de abril. A intenção é compilar as participações a cada 30 dias.

O aplicativo, disponível também na Internet, visa registrar as reclamações dos usuários de ônibus da Capital através de uma plataforma virtual. Ao acessar o dispositivo, o passageiro pode relatar atrasos e superlotação, além de circunstâncias especiais, como sujeira ou má conservação. No total, foram 389 participações em 35 dias.

A maior parte dos usuários – cerca de 200 – reclama de atrasos nas linhas, o maior deles de 44 minutos em relação à tabela que deve ser cumprida. Outros 23% denunciaram superlotação, presente principalmente nas linhas que conduzem os usuários às universidades. No total geral, 105 linhas diferentes foram alvo de críticas de quem usou o aplicativo.

Conforme Melchionna, os dados registrados no Fiscaliza Tu serão encaminhados à EPTC em duas etapas, de modo imediato e também periodicamente. Além disso, a vereadora também deve solicitar um relatório acerca de todas as multas aplicadas às empresas por atrasos em 2017, para verificar se batem com as denúncias da comunidade. Todas as reclamações serão formalmente apresentadas em sessão plenária na Câmara dos Vereadores na quinta-feira.

A EPTC informou à reportagem que “recebe as denúncias de qualquer problema no atendimento do transporte coletivo pelo fone 156″, e que “isso serve de base para as ações de fiscalização de transporte, que são diárias”. A empresa complementou que está a disposição para receber as queixas vindas do aplicativo da vereadora, que poderão ser encaminhadas “via assessoria parlamentar ou da forma que achar mais interessante.” (Ananda Müller/Rádio Guaíba)

Brasileiro volta a empreender motivado por oportunidade. De acordo com pesquisa GEM, do Sebrae e do IBQP, 75% das pessoas que levantam informações para abrir uma empresa enxergam uma oportunidades de mercado

Brasileiro volta a empreender motivado por oportunidade. De acordo com pesquisa GEM, do Sebrae e do IBQP, 75% das pessoas que levantam informações para abrir uma empresa enxergam uma oportunidades de mercado

Agenda Destaque Direito Direito do Consumidor Economia Negócios

Vislumbrar uma oportunidade voltou a ser comum entre os que se preparam para abrir um negócio. De acordo com a pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM) 2016, apoiada pelo Sebrae e realizada pelo Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade (IBQP), 75% dos empreendedores nascentes – aqueles que estão envolvidos na abertura de uma empresa – buscaram esse caminho porque encontraram um nicho.

No ano anterior, metade das pessoas com empresas recentes, investiram no próprio negócio por causa da necessidade. O presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos, destaca que essa mudança no perfil dos novos empreendedores pode revelar um início de reação positiva da economia. “Um país vai se desenvolver no futuro se tiver pessoas querendo empreender hoje. O aumento do empreendedorismo por oportunidade demonstra uma luz no fim do túnel, é o início da volta do crescimento econômico”.

Apesar do empreendedorismo por oportunidade fazer parte do universo de quem quer abrir um negócio nos próximos meses, a pesquisa GEM revelou que houve uma pequena queda da taxa de empreendedorismo do brasileiro no ano passado, caindo de 39% em 2015 (a maior da série histórica) para 36%, em 2016. Essa diminuição tem como um dos seus principais motivadores a queda no número dos empreendedores já estabelecidos, ou seja, aqueles que já tinham uma empresa há mais de três anos e meio.

“As dificuldades econômicas passadas nos últimos anos fizeram com que muitas empresas fechassem as portas, por isso houve essa diminuição na taxa total de empreendedorismo. Acreditamos que com a inflação estabilizada, a queda dos juros e o aquecimento da economia, o brasileiro volte a sonhar mais com o empreendedorismo”, ressalta Afif.

A pesquisa também constatou que as mulheres já correspondem a 51% dos empreendedores iniciais, e que está aumentando o número de pessoas com mais de 55 anos que se aventuram no mundo dos negócios. De acordo com o estudo, em 2012, 7% dos empreendedores iniciais tinham mais de 55 anos. Em 2016, esse número saltou para 10%. Já entre a participação dos brasileiros empreendedores que têm entre 18 e 24 anos, passou de 18%, em 2012, para 20%, em 2016.

A GEM

A pesquisa GEM é parte do projeto Global Entrepreneurship Monitor, iniciado em 1999 com uma parceria entre a London Business School e o Babson College, abrangendo dez países no primeiro ano. Em 2016, participaram 66 países, cobrindo 70% da população global e 83% do PIB mundial. No Brasil, a pesquisa é feita desde 2000, e no ano passado foram entrevistados 2 mil adultos entre 18 e 64 anos de todas as regiões do país e 93 especialistas em empreendedorismo.