Procon orienta consumidores sobre compras no Liquida Porto Alegre

Procon orienta consumidores sobre compras no Liquida Porto Alegre

Agenda Cidade Destaque Direito Direito do Consumidor Economia Negócios Poder Política Porto Alegre prefeitura Tecnologia

O Procon Porto Alegre orienta os consumidores sobre como usufruir das opções de descontos oferecidos por 3.300 lojas físicas e da Internet durante a 22ª edição do Liquida Porto Alegre, que ocorre a partir desta sexta-feira, 16 até 26 de fevereiro na Capital. Tradicional evento de promoção de descontos nos preços de produtos e serviços o Liquida Porto Alegre deve movimentar este ano R$ 1,175 bilhão. De acordo com o diretora executiva do Procon, Sophia Martini Vial, o consumidor deve sempre realizar uma pesquisa prévia de comparação de preços, pois grandes diferenças de valores podem ocorrer para uma mesma mercadoria, uma vez que os descontos podem chegar até 70%, com grande variação de uma loja pra outra. O levantamento de preços deve ser feito também nas compras pela Internet. “Confira os preços em pelo menos cinco lojas distintas, pois diferenças de preços podem ocorrer ate mesmo em estabelecimentos integrantes da mesma rede”, afirma Sophia.

“Além disso o consumidor deve ter em mente se o produto que se quer adquirir é realmente necessário e se está adequado ao seu orçamento, estabelecendo patamares do valor que pode pagar”, alerta. Ela adverte que se o produto esta saindo de linha o consumidor deve barganhar o preço, pois peças de reposição não tem um prazo para estarem disponíveis em assistências técnicas. Se o produto está saindo de linha ainda existe uma obrigação do fabricante de manter as peças de reposição em estoque. “O Código de Defesa do Consumidor não estipula prazos de manutenção em estoque de peças, mas diz que tem de ser por período razoável. Por exemplo, uma geladeira tem que durar no mínimo, cinco a oito anos, então este é o prazo mínimo que o fabricante tem que ter nas peças para repor naquele produto”, conclui.

Na hora da compra a diretora do Procon aconselha pechinchar para adequar o produto no orçamento do consumidor, ainda que as mercadorias estejam em promoção. “Neste caso, efetuar o pagamento à vista proporciona mais possibilidades de se obter um desconto ainda maior”, diz Sophia. “É muito importante que o consumidor exija na hora da compra a nota fiscal, pois é o documento que garante o direito da troca do produto ou reparo do serviço adquirido”, afirma.

O Procon recomenda, ainda, fazer o teste de funcionamento do produto na loja para constatar se está em perfeitas condições de uso. Se a mercadoria for entregue à domicílio, é necessário inspecioná-la, conferindo a voltagem do aparelho.

Direito de Arrependimento – Quando o consumidor realiza compras fora da loja física do fornecedor, utilizando a Internet, correio, telefone ou catálogo, o cliente tem o direito de desistir da compra efetuada até sete dias após a entrega da mercadoria, podendo receber o valor gasto, mesmo que o produto não apresente defeito. Já no caso das trocas de produtos, o Procon salienta que a loja não é obrigada a trocar mercadorias que não apresentem falhas. O consumidor deve previamente ficar ciente se o fornecedor aceita promover a troca do produto sem defeito.

Nas compras pela Internet, o consumidor deve consultar, na página do Procon, o banner “Procon alerta: evite estes sites”, para atestar a idoneidade do fornecedor. “O consumidor deve verificar na hora da compra se no site estão presentes informações como CNPJ, endereço físico e telefone da empresa. É possível ainda verificar se o CNPJ que consta no site corresponde ao cadastrado na Receita Federal”, destaca Sophia Vial.

Reclamações – No site do Procon, os internautas podem fazer download da legislação consumerista e efetuar reclamações por meio do banner do Atendimento Eletrônico. O horário de funcionamento presencial vai das 9h às 17h, na sede do Procon, na rua dos Andradas, 686, Centro Histórico. Diariamente, 90 fichas são distribuídas para o atendimento ao público. O Procon municipal também disponibiliza para a população uma loja no terminal 1 do Aeroporto Salgado Filho, em funcionamento das 12h às 18h. O Procon Porto Alegre é um órgão vinculado à Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico (SMDE).

RS: 32 municípios sobem de categoria no Mapa do Turismo

RS: 32 municípios sobem de categoria no Mapa do Turismo

Agenda Agronegócio Destaque Direito do Consumidor Economia Negócios Turismo

O Ministério do Turismo atualizou a categorização dos municípios que compõem o Mapa do Turismo Brasileiro. Esse instrumento é importante para acompanhar o desempenho da economia do turismo nos municípios e serve também como balizador de políticas do setor e direcionamento de verbas federais. De acordo com a nova categorização, 32 municípios do Rio Grande do Sul tiveram crescimento econômico pelo setor, seja por terem aumentado o número de empregos através do turismo, ampliado os estabelecimentos formais de hospedagem ou o fluxo de turistas domésticos e internacionais.

“O trabalho de categorização permite que o gestor responsável pelo turismo no município acompanhe a evolução da atividade de maneira clara e rápida. Com a definição de que esse trabalho será realizado a cada dois anos, será possível definir com mais clareza as políticas públicas a serem adotadas e os investimentos que deverão ser feitos”, explica o diretor do Departamento de Ordenamento do Turismo (DEOtur), do Ministério do Turismo, Rogério Antônio Cóser.

Por outro lado, outros 24 municípios do estado tiveram redução em suas categorias – Alto Alegre, Arambaré, Araricá, Bagé, Barão do Triunfo, Camaquã, Campo Bom, canoas, Cidreira, Condor, Derrubadas, Doutor Maurício Cardoso, Doutor Ricardo, Farroupilha, Maratá, Palmares do Sul, Protásio Alves, Relvado, Roque Gonzales, São Gabriel, São Luiz Gonzaga, Torres, Viamão e Xangri-lá. Importante ressaltar que a categorização é um processo dinâmico e perene que, assim como o Mapa do Turismo Brasileiro, deverá ser atualizado e aperfeiçoado periodicamente. Assim, se um município teve seu fluxo turístico e seus estabelecimentos formais de hospedagem ampliados, provavelmente, na próxima edição da categorização, quando os dados dele serão novamente considerados, ele poderá mudar de categoria.

APOIO DO MTUR – De olho na melhoria da infraestrutura de cidades cuja classificação foi reduzida, o MTur já destinou, desde 2003, aproximadamente R$ 44,5 milhões para

Alto Alegre, Arambaré, Bagé, Barão do Triunfo, Camaquã, Campo Bom, canoas, Cidreira, Condor, Derrubadas, Doutor Maurício Cardoso, Doutor Ricardo, Farroupilha, Maratá, Palmares do Sul, Protásio Alves, Relvado, Roque Gonzales, São Gabriel, São Luiz Gonzaga, Torres e Xangri-lá para obras de sinalização, pavimentação, revitalização de praças, construção de centros culturais e pórticos, reurbanização, entre outros.

Segundo a portaria 39/2017 do MTur, somente municípios classificados entre ‘A’ e ‘D’ podem pleitear apoio a eventos geradores de fluxo turístico. De acordo com a nova categorização, as cidades – Anta Gorda, Capivari do Sul, Coronel Bicaco, Cruzeiro do Sul, Dona Francisca, Estrela Velha, Floriano Peixoto, Gramado doa Loureiros, Guarani das Missões, Inhacorá, Itaara, Marques de Souza, Muçum, Nova Alvorada, Nova Pádua, Pinto bandeira, Salvador das Missões, Santa Tereza, Santiago, São Nicolau, Sertão Santana, Severiano de Almeida, Três cachoeiras, Tuparendi – agora na categoria ‘D’, passam a poder contar com até R$ 150 mil por ano do governo federal para a realização de festejos. Já Esteio, Guaíba, Lagoa Vermelha, Mostardas, Panambi, São José dos Ausentes e Soledade, classificadas como ‘C’, têm direito a um limite de R$ 400 mil, enquanto Nova Petrópolis, agora na categoria ‘B’, passa a acessar um teto de R$ 500 mil.

Todos os municípios – de A a E – estão aptos a pleitear recursos de infraestrutura, como construção de estradas e rodovias de interesse turístico; orlas e terminais fluviais, lacustres ou marítimos; reforma de terminais rodoviários intermunicipais e interestaduais, de aeroportos, ferrovias e estações férreas de interesse turístico; sinalização turística, entre outros.

O Rio Grande do Sul conta com 371 cidades no Mapa do Turismo Brasileiro, classificadas da seguinte maneira: A (02), B (12), C (37), D (210) e E (110).

CONFIRA AS MUDANÇAS DE CATEGORIAS – As novas categorias já estão disponíveis no endereço www.mapa.turismo.gov.br.

» Os 32 municípios que cresceram:

Anta Gorda

Capivari do Sul

Coronel Bicaco

Cruzeiro do Sul

Dona Francisca

Esteio

Estrela Velha

Floriano Peixoto

Gramado dos Loureiros

Guaíba

Guarani das Missões

Inhacorá

Itaara

Lagoa Vermelha

Marques de Souza

Mostardas

Muçum

Nova Alvorada

Nova Pádua

Nova Petrópolis

Panambi

Pinto Bandeira

Salvador das Missões

Santa Tereza

Santiago

São José dos Ausentes

São Nicolau

Sertão Santana

Severiano de Almeida

Soledade

Três Cachoeiras

Tuparendi

RS: Centros de Conciliação da Justiça do Trabalho avançarão para quatro cidades gaúchas

RS: Centros de Conciliação da Justiça do Trabalho avançarão para quatro cidades gaúchas

Destaque Direito Direito do Consumidor

Após o sucesso em 2017, quando homologaram mais de 1,5 mil acordos em apenas sete meses, os Centros Judiciários de Métodos Consensuais de Solução de Disputas (Cejusc-JT) da Justiça do Trabalho gaúcha começarão a ser expandidos pelo Estado. As primeiras comunidades de fora da Capital que receberão as unidades serão Gravataí, Passo Fundo, Santa Maria e Caxias do Sul. O objetivo é instalar os quatro CEJUSCs nos Foros Trabalhistas dessas cidades até o final do primeiro semestre, informa o coordenador do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Disputas (Nupemec-JT) do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (RS), desembargador Ricardo Martins Costa.

Responsável pela gestão dos CEJUSCs, o Nupemec levou a proposta à Administração do TRT-RS e recebeu total apoio. “Deliberou-se inicialmente por esses quatros foros, com o apoio dos juízes que neles atuam, por já possuírem locais próprios para as instalações dos centros conciliatórios e por estarem localizados em regiões de expressiva movimentação processual, com grande potencial conciliatório”, explica Martins Costa.

Os centros são ambientes estruturados especialmente para audiências de conciliação. As mesas são redondas, aproximando as partes e facilitando o diálogo. A mediação fica a cargo de magistrados, além de servidores capacitados para a função.

Uma das novidades dos CEJUSCs do Interior do Estado, anuncia o coordenador do Nupemec, será a possibilidade de serem realizadas audiências por videoconferência, facilitando a logística para advogados e partes.

Entre maio e dezembro de 2017, primeiro ano dos CEJUSCs da 4ª Região, os 1,5 mil acordos somaram R$ 253 milhões. Os centros funcionam, atualmente, no Foro Trabalhista de Porto Alegre (primeira instância e no Tribunal Regional do Trabalho (segunda instância). A unidade do TRT-RS receberá, em março, uma nova e mais ampla sala, no térreo do Prédio-Sede.

Conciliação em Recursos de Revista

Em consonância com a política institucional de incentivo à solução de conflitos por meio de acordo, o TRT-RS também promoverá, em 2018, audiências de conciliação em processos em fase de recurso de revista (recurso contra decisão de segundo grau, direcionado ao Tribunal Superior do Trabalho, após exame de sua admissibilidade no TRT). O projeto é conduzido pela Vice-Presidência do Tribunal.

Como solicitar audiências nos CEJUSCs

Trabalhadores e empregadores com reclamatórias trabalhistas em andamento em Porto Alegre e Região Metropolitana dispostos a firmar um acordo podem solicitar junto à Vara do Trabalho uma audiência de conciliação a ser realizada no Cejusc-JT. Os requerimentos de audiência também podem ser feitos diretamente ao Cejusc-JT:

  • Para processos em primeiro grau (Porto Alegre e Região Metropolitana), contate: Cejusc-JT 1º Grau: Galeria do Foro Trabalhista de Porto Alegre (Av. Praia de Belas, 1.432, bairro Menino Deus). Telefone: (51) 3255-2350. E-mail: cejusc.1grau@trt4.jus.br

  • Para processos em segundo grau: Cejusc-JT 2ª grau: Sala 308 do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (Av. Praia de Belas, 1.100, bairro Praia de Belas, Porto Alegre). Telefone: (51) 3255-2354. E-mail: cejusc.2grau@trt4.jus.br

  • No Interior do Estado, a audiência de conciliação deve ser solicitada na Vara do Trabalho ou no Posto Avançado em que tramita o processo (veja os endereços, telefones e e-mails).

Procon promove nova pesquisa de preços da gasolina comum. Os valores variam de R$ 4,199 a R$ 4,599

Procon promove nova pesquisa de preços da gasolina comum. Os valores variam de R$ 4,199 a R$ 4,599

Cidade Destaque Direito do Consumidor Economia Negócios Porto Alegre

O Procon Porto Alegre realizou nesta sexta-feira, 16, um novo levantamento de preços da gasolina comum em 42 postos da Capital. Os valores variam de R$ 4,199 a R$ 4,599. Desde a última pesquisa promovida na quarta-feira,14, dois postos de gasolina reduziram o valor do combustível, e um estabelecimento aumentou seu preço.

O consumidor que desejar contribuir para o levantamento deverá contatar o Procon municipal através do Twitter ou via mensagem inbox no Facebook enviando fotos. Devem constar também o nome do posto e o endereço. Postos de gasolina que desejarem incluir seus estabelecimentos nas pesquisas devem entrar em contato com a entidade.

Reclamações – Moradores de Porto Alegre podem registrar denúncias pelo site do Procon ou na sede da rua dos Andradas, 686, Centro Histórico. São distribuídas diariamente 90 fichas de atendimento, das 9h às 17h. O Procon municipal também disponibiliza para a população uma loja no terminal 1 do Aeroporto Salgado Filho, em funcionamento das 12h às 18h. O Procon Porto Alegre é um órgão vinculado à Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico (SMDE).

GASOLINA 16022018

Porto Alegre: Passagem dos ônibus pode subir para R$ 4,54; por Carlos Machado/Rádio Guaíba

Porto Alegre: Passagem dos ônibus pode subir para R$ 4,54; por Carlos Machado/Rádio Guaíba

Destaque Direito do Consumidor Economia Marchezan Negócios Poder Política Porto Alegre prefeitura

O Sindicato das Empresas de Ônibus de Porto Alegre (Seopa) protocolou, na manhã desta sexta-feira, o pedido de revisão do valor da passagem de ônibus na Capital. Caso o pedido seja atendido, a tarifa pode subir de R$ 4,05 para R$ 4,54, o que representa um aumento de 12,24%. O reajuste será analisado pela Empresa Pública de Transporte e Circulação de Porto Alegre (EPTC).

A principal justificativa para o aumento da tarifa é o preço do combustível que, segundo o Seopa, teve acréscimo de 13,14% desde o último aumento da passagem. Além disso, o sindicato alega despesas com mão de obra – que representariam cerca de 50% do custo do sistema – e o déficit das concessionárias, que chega a R$ 135 milhões desde fevereiro de 2016 – quando nova licitação exigiu renovação na frota.

De acordo com o sindicato, a solicitação de reajuste da tarifa pode ser feita quando ocorre a atualização dos salários dos trabalhadores rodoviários – o que ocorreu na quarta-feira, quando ficou acertado o aumento de 1,87% nos salários dos servidores, reajuste de mesmo percentual no subsídio do plano de saúde e aumento de 3% no vale-alimentação, passando de R$ 25,00 para R$ 25,75 por dia.

A proposta de mudança no valor da tarifa será avaliada pelo Conselho Municipal de Transportes Urbanos (Comtu). Após receber o processo da EPTC, o Comtu tem sete dias para avaliá-lo e votar pela aprovação ou não do novo valor da passagem. A decisão é encaminhada para a sanção ou veto do prefeito.

Outros reajustes

No dia 3 de fevereiro, a Trensurb reajustou o valor do bilhete unitário do trem metropolitano, que subiu de R$ 1,70, para R$ 3,30 – um reajuste de 94,11%. O aumento impactou no preço da integração. Na Capital, o usuário, que vinha pagando R$ 5,18, passou a desembolsar R$ 6,62.

Facebook afirma se mover a favor de notícia de qualidade

Facebook afirma se mover a favor de notícia de qualidade

Comunicação Cultura Direito Direito do Consumidor Economia Negócios Notícias Tecnologia

Após a decisão da Folha de deixar de publicar seu conteúdo no Facebook, a empresa de Mark Zuckerberg afirmou em nota que faz movimentos “para garantir que as notícias que as pessoas veem sejam informativas e de qualidade”. O anúncio do jornal repercutiu em veículos estrangeiros, como “The Guardian” e “The Wall Street Journal”.  A reportagem completa está na Folha de São Paulo.

Eduardo Terra confirma participação como palestrante no Zoom Pós-NRF da CDL POA

Eduardo Terra confirma participação como palestrante no Zoom Pós-NRF da CDL POA

Agenda Cidade Cultura Destaque Direito do Consumidor Negócios
 
 
O Zoom Pós-NRF, da CDL Porto Alegre, que acontece na manhã do dia 30 de janeiro no Teatro CIEE, já tem o primeiro palestrante confirmado. Eduardo Terra, sócio-fundador da BTR Educação e Consultoria, irá palestrar sobre o que viu na NRF.
Ao final do Zoom, Eduardo Terra, juntamente com os outros palestrantes convidados, irá participar de um painel no qual serão detalhadas dicas práticas para os lojistas. Os interessados já podem garantir presença no Zoom Pós-NRF! As inscrições estão disponíveis no site da Entidade (cdlpoa.com.br).
Terra é presidente da SBVC (Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo) e membro do Conselho de Administração de diversas empresas do varejo. Atua como professor da FIA (Fundação Instituto de Administração) nos cursos de Pós-Graduação e MBA, e como Professor Convidado/Especialista em Varejo da Cornell University. Realiza palestras em eventos nacionais e internacionais do varejo e é autor de diversos livros e artigos sobre varejo e mercado de consumo.
 
 Serviço
Zoom Pós-NRF
Quando: 30 de janeiro
Horário: das 8h30min às 12h
Inscrições e informaçõeswww.cdlpoa.com.br
Sebrae/RS levará missão empresarial para a NRF 2018

Sebrae/RS levará missão empresarial para a NRF 2018

Agenda Destaque Direito Direito do Consumidor Economia Mundo Negócios Poder Política Porto Alegre

Empresários gaúchos estão em fase final de preparação para a missão empresarial à NRF Retail’s Big Show 2018, um dos maiores eventos dedicados ao varejo no mundo. A feira ocorrerá entre os dias 14 e 16 de janeiro de 2018, em Nova Iorque. A ação é promovida pelo SEBRAE/RS em parceria com a Câmara de Dirigentes Lojistas de Porto Alegre (CDL), o Sindicato dos Lojistas do Comércio de Porto Alegre (Sindilojas), a Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Sul (FCDL-RS) e a Federação do Comércio de Bens e de Serviços do Estado do Rio Grande do Sul (Fecomércio/Senac).

Os empreendimentos que foram selecionados via chamada pública terão aporte de 30% do Sebrae/RS destinado às despesas de viagem, que incluem o pacote aéreo, hospedagem, traslados, visitas técnicas em pontos comerciais da cidade, inscrição na feira e encontro de resultados após o evento. O grupo embarcará no dia 12 de janeiro, e contará com a participação do diretor-superintendente Derly Fialho. Segundo o coordenador de projetos da Gerência de Comércio e Serviços do SEBRAE/RS, Fabiano Bassani Zortéa, o objetivo maior da missão é “proporcionar conhecimento e inspiração para que os empresários possam aplicar melhorias na gestão de seus negócios”, conta.

Após visitação no evento, os empresários terão uma agenda técnica com visitas aos principais estabelecimentos comerciais da cidade. “É uma oportunidade para eles verem na prática, nos pontos de vendas, o que tem de melhor no mundo sobre varejo”, disse Zortéa. Além disso, haverá uma série de workshops para compartilhamento de conteúdo. O técnico explica que “nesse momento há uma troca de experiência entre cada participante. Além disso, eles terão contato com grandes empresas fornecedoras”, ressalta.

No retorno ao Brasil, os empreendedores voltarão com um plano de ação e terão acompanhamento do Sebrae/RS no desenvolvimento de atividades. Após o período de quatro meses, será realizada uma reunião geral para verificação das ferramentas implementadas. “Queremos que eles possam desenvolver diversos aspectos, como ambiente de loja, experiência do cliente, comunicação digital, e consequentemente aumento de faturamento”, antecipa Zortéa. Sobre a missão 2017, o gestor aponta como principais resultados relatados a melhoria no relacionamento com clientes, novos canais de venda, incluindo aumento de comércio online, abertura de novas filiais, aumento de faturamento e número de clientes.

Empresas participantes

Adriane de Vlieger
Almeida e Schneider Ltda
Amb Comércio do Vestuário Ltda
Bike Village
Boutique de Aromas
Comercial Dega Ltda
Ecos da Cor Comércio do Vestuário
Farmácia Amplo Espectro Ltda
Felipe Ruiz da Rosa
Gabriela Verri Comércio do Vestuário e Acessórios Ltda
Jamila Fantuzzi Vergara
Jane Beauty Centro Estético Ltda
Jonas da Silva Xavier
Jonas Modas Ltda
JP Garcias Comercio de Carnes
Pet Sperk Eireli
Pró Esportes Comercio De Artigos Esportivos Eireli
Sole Sistemas de Aquecimento Ltda
Top Calcados Eireli
Trajano Skate Surf Artigos Esportivos Ltda

Juíza rejeita liminar e OAB vai ao TRF4 contra aumento de tarifas da CEEE

Juíza rejeita liminar e OAB vai ao TRF4 contra aumento de tarifas da CEEE

Destaque Direito do Consumidor Economia

A seccional gaúcha da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/RS) teve negado um pedido de liminar na ação civil pública em que tenta barrar o reajuste médio de 30% nas tarifas da CEEE, em vigor desde a manhã de hoje. Em nota, a entidade confirmou que um recurso (agravo de instrumento) vai ser protocolado junto ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4).

Hoje à tarde, a juíza federal Maria Isabel Pezzi Klein rejeitou a liminar alegando que o caso não pode ser julgado em regime de plantão. Em nota. a OAB reitera que o tema é relevante para milhares de gaúchos, o que justifica o recurso à segunda instância.

Para a entidade, as justificativas apresentadas pela CEEE não foram suficientes para demonstrar transparência no reajuste pretendido. O presidente da Ordem, Ricardo Breier, entende que a CEEE não apresentou documentos técnicos claros o bastante para explicar o cálculo do aumento. Além disso, ele questiona supostas falhas de gestão da Companhia.

De acordo com a Ordem, o Código de Defesa do Consumidor veda a elevação de preços sem justa causa, caracterizando abuso por parte do fornecedor. Breier ressalta que o reajuste supera em muito a inflação oficial e que a população vive um momento de crise financeira, com categorias recebendo os salários parcelados e sem condições de arcar com o aumento da tarifa.

O reajuste afeta mais de 1,5 milhão de clientes da CEEE, em cerca de 70 cidades. Para a indústria, a alta é ainda maior, de cerca de 33%. (Rádio Guaíba)

Ufrgs suspende avaliação de cotistas negros após recomendação do MPF

Ufrgs suspende avaliação de cotistas negros após recomendação do MPF

Cidade Cultura Destaque Direito Direito do Consumidor Educação Poder Política Porto Alegre

O reitor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs), Rui Oppermann, decidiu hoje suspender o processo de aferição das características físicas de alunos cotistas autodeclarados negros, mesmo após o surgimento de suspeita de fraude no sistema de reserva de vagas. A medida atende a uma recomendação do Ministério Público Federal (MPF). Com isso, a Comissão Especial de Verificação da Autodeclaração Racial só vai retomar o processo quando for construída “uma proposta que assegure plenamente os direitos dos envolvidos”, conforme nota emitida no fim da tarde pela Reitoria. O MPF lembrou que, nos editais, os concursos não previam a aferição do fenótipo.

O órgão emitiu a recomendação após receber diversas representações contestando o processo anunciado pela universidade. Estudantes relataram sentimento de constrangimento e discriminação devido aos indeferimentos da condição de pessoa parda. As avaliações de fenótipo foram feitas em fim de novembro. A universidade apontou que 239 estudantes cotistas negros não preenchem as características de preto ou pardo. No total, 304 alunos suspeitos de fraude foram chamados a passar pela aferição.

De acordo com o presidente da comissão responsável pela verificação, Edilson Nabarro, foram analisadas características físicas como cor da pele, lábios, nariz e cabelo. Após os recursos dos estudantes, a decisão final, com o possível desligamento de parte deles, era prevista para 9 de janeiro de 2018.

Mudanças em 2018

A partir do próximo vestibular da Ufrgs, os candidatos aprovados autodeclarados pretos, pardos ou indígenas terão de entregar na forma de arquivos digitalizados de boa qualidade a autodeclaração étnico-racial preenchida e assinada. Além disso, uma outra ficha de autodeclaração étnico-racial deve ser preenchida e assinada presencialmente perante a Comissão Permanente de Verificação da Autodeclaração Étnico-Racial, que vai verificar o fenótipo do candidato. A medida consta no edital do Concurso Vestibular 2018. (Rádio Guaíba)