Procon orienta consumidores sobre compras no Liquida Porto Alegre

Procon orienta consumidores sobre compras no Liquida Porto Alegre

Agenda Cidade Destaque Direito Direito do Consumidor Economia Negócios Poder Política Porto Alegre prefeitura Tecnologia

O Procon Porto Alegre orienta os consumidores sobre como usufruir das opções de descontos oferecidos por 3.300 lojas físicas e da Internet durante a 22ª edição do Liquida Porto Alegre, que ocorre a partir desta sexta-feira, 16 até 26 de fevereiro na Capital. Tradicional evento de promoção de descontos nos preços de produtos e serviços o Liquida Porto Alegre deve movimentar este ano R$ 1,175 bilhão. De acordo com o diretora executiva do Procon, Sophia Martini Vial, o consumidor deve sempre realizar uma pesquisa prévia de comparação de preços, pois grandes diferenças de valores podem ocorrer para uma mesma mercadoria, uma vez que os descontos podem chegar até 70%, com grande variação de uma loja pra outra. O levantamento de preços deve ser feito também nas compras pela Internet. “Confira os preços em pelo menos cinco lojas distintas, pois diferenças de preços podem ocorrer ate mesmo em estabelecimentos integrantes da mesma rede”, afirma Sophia.

“Além disso o consumidor deve ter em mente se o produto que se quer adquirir é realmente necessário e se está adequado ao seu orçamento, estabelecendo patamares do valor que pode pagar”, alerta. Ela adverte que se o produto esta saindo de linha o consumidor deve barganhar o preço, pois peças de reposição não tem um prazo para estarem disponíveis em assistências técnicas. Se o produto está saindo de linha ainda existe uma obrigação do fabricante de manter as peças de reposição em estoque. “O Código de Defesa do Consumidor não estipula prazos de manutenção em estoque de peças, mas diz que tem de ser por período razoável. Por exemplo, uma geladeira tem que durar no mínimo, cinco a oito anos, então este é o prazo mínimo que o fabricante tem que ter nas peças para repor naquele produto”, conclui.

Na hora da compra a diretora do Procon aconselha pechinchar para adequar o produto no orçamento do consumidor, ainda que as mercadorias estejam em promoção. “Neste caso, efetuar o pagamento à vista proporciona mais possibilidades de se obter um desconto ainda maior”, diz Sophia. “É muito importante que o consumidor exija na hora da compra a nota fiscal, pois é o documento que garante o direito da troca do produto ou reparo do serviço adquirido”, afirma.

O Procon recomenda, ainda, fazer o teste de funcionamento do produto na loja para constatar se está em perfeitas condições de uso. Se a mercadoria for entregue à domicílio, é necessário inspecioná-la, conferindo a voltagem do aparelho.

Direito de Arrependimento – Quando o consumidor realiza compras fora da loja física do fornecedor, utilizando a Internet, correio, telefone ou catálogo, o cliente tem o direito de desistir da compra efetuada até sete dias após a entrega da mercadoria, podendo receber o valor gasto, mesmo que o produto não apresente defeito. Já no caso das trocas de produtos, o Procon salienta que a loja não é obrigada a trocar mercadorias que não apresentem falhas. O consumidor deve previamente ficar ciente se o fornecedor aceita promover a troca do produto sem defeito.

Nas compras pela Internet, o consumidor deve consultar, na página do Procon, o banner “Procon alerta: evite estes sites”, para atestar a idoneidade do fornecedor. “O consumidor deve verificar na hora da compra se no site estão presentes informações como CNPJ, endereço físico e telefone da empresa. É possível ainda verificar se o CNPJ que consta no site corresponde ao cadastrado na Receita Federal”, destaca Sophia Vial.

Reclamações – No site do Procon, os internautas podem fazer download da legislação consumerista e efetuar reclamações por meio do banner do Atendimento Eletrônico. O horário de funcionamento presencial vai das 9h às 17h, na sede do Procon, na rua dos Andradas, 686, Centro Histórico. Diariamente, 90 fichas são distribuídas para o atendimento ao público. O Procon municipal também disponibiliza para a população uma loja no terminal 1 do Aeroporto Salgado Filho, em funcionamento das 12h às 18h. O Procon Porto Alegre é um órgão vinculado à Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico (SMDE).

RS: 32 municípios sobem de categoria no Mapa do Turismo

RS: 32 municípios sobem de categoria no Mapa do Turismo

Agenda Agronegócio Destaque Direito do Consumidor Economia Negócios Turismo

O Ministério do Turismo atualizou a categorização dos municípios que compõem o Mapa do Turismo Brasileiro. Esse instrumento é importante para acompanhar o desempenho da economia do turismo nos municípios e serve também como balizador de políticas do setor e direcionamento de verbas federais. De acordo com a nova categorização, 32 municípios do Rio Grande do Sul tiveram crescimento econômico pelo setor, seja por terem aumentado o número de empregos através do turismo, ampliado os estabelecimentos formais de hospedagem ou o fluxo de turistas domésticos e internacionais.

“O trabalho de categorização permite que o gestor responsável pelo turismo no município acompanhe a evolução da atividade de maneira clara e rápida. Com a definição de que esse trabalho será realizado a cada dois anos, será possível definir com mais clareza as políticas públicas a serem adotadas e os investimentos que deverão ser feitos”, explica o diretor do Departamento de Ordenamento do Turismo (DEOtur), do Ministério do Turismo, Rogério Antônio Cóser.

Por outro lado, outros 24 municípios do estado tiveram redução em suas categorias – Alto Alegre, Arambaré, Araricá, Bagé, Barão do Triunfo, Camaquã, Campo Bom, canoas, Cidreira, Condor, Derrubadas, Doutor Maurício Cardoso, Doutor Ricardo, Farroupilha, Maratá, Palmares do Sul, Protásio Alves, Relvado, Roque Gonzales, São Gabriel, São Luiz Gonzaga, Torres, Viamão e Xangri-lá. Importante ressaltar que a categorização é um processo dinâmico e perene que, assim como o Mapa do Turismo Brasileiro, deverá ser atualizado e aperfeiçoado periodicamente. Assim, se um município teve seu fluxo turístico e seus estabelecimentos formais de hospedagem ampliados, provavelmente, na próxima edição da categorização, quando os dados dele serão novamente considerados, ele poderá mudar de categoria.

APOIO DO MTUR – De olho na melhoria da infraestrutura de cidades cuja classificação foi reduzida, o MTur já destinou, desde 2003, aproximadamente R$ 44,5 milhões para

Alto Alegre, Arambaré, Bagé, Barão do Triunfo, Camaquã, Campo Bom, canoas, Cidreira, Condor, Derrubadas, Doutor Maurício Cardoso, Doutor Ricardo, Farroupilha, Maratá, Palmares do Sul, Protásio Alves, Relvado, Roque Gonzales, São Gabriel, São Luiz Gonzaga, Torres e Xangri-lá para obras de sinalização, pavimentação, revitalização de praças, construção de centros culturais e pórticos, reurbanização, entre outros.

Segundo a portaria 39/2017 do MTur, somente municípios classificados entre ‘A’ e ‘D’ podem pleitear apoio a eventos geradores de fluxo turístico. De acordo com a nova categorização, as cidades – Anta Gorda, Capivari do Sul, Coronel Bicaco, Cruzeiro do Sul, Dona Francisca, Estrela Velha, Floriano Peixoto, Gramado doa Loureiros, Guarani das Missões, Inhacorá, Itaara, Marques de Souza, Muçum, Nova Alvorada, Nova Pádua, Pinto bandeira, Salvador das Missões, Santa Tereza, Santiago, São Nicolau, Sertão Santana, Severiano de Almeida, Três cachoeiras, Tuparendi – agora na categoria ‘D’, passam a poder contar com até R$ 150 mil por ano do governo federal para a realização de festejos. Já Esteio, Guaíba, Lagoa Vermelha, Mostardas, Panambi, São José dos Ausentes e Soledade, classificadas como ‘C’, têm direito a um limite de R$ 400 mil, enquanto Nova Petrópolis, agora na categoria ‘B’, passa a acessar um teto de R$ 500 mil.

Todos os municípios – de A a E – estão aptos a pleitear recursos de infraestrutura, como construção de estradas e rodovias de interesse turístico; orlas e terminais fluviais, lacustres ou marítimos; reforma de terminais rodoviários intermunicipais e interestaduais, de aeroportos, ferrovias e estações férreas de interesse turístico; sinalização turística, entre outros.

O Rio Grande do Sul conta com 371 cidades no Mapa do Turismo Brasileiro, classificadas da seguinte maneira: A (02), B (12), C (37), D (210) e E (110).

CONFIRA AS MUDANÇAS DE CATEGORIAS – As novas categorias já estão disponíveis no endereço www.mapa.turismo.gov.br.

» Os 32 municípios que cresceram:

Anta Gorda

Capivari do Sul

Coronel Bicaco

Cruzeiro do Sul

Dona Francisca

Esteio

Estrela Velha

Floriano Peixoto

Gramado dos Loureiros

Guaíba

Guarani das Missões

Inhacorá

Itaara

Lagoa Vermelha

Marques de Souza

Mostardas

Muçum

Nova Alvorada

Nova Pádua

Nova Petrópolis

Panambi

Pinto Bandeira

Salvador das Missões

Santa Tereza

Santiago

São José dos Ausentes

São Nicolau

Sertão Santana

Severiano de Almeida

Soledade

Três Cachoeiras

Tuparendi

RS: Exportações do agronegócio iniciam 2018 em alta

RS: Exportações do agronegócio iniciam 2018 em alta

Agronegócio Destaque Economia Negócios

O primeiro mês do ano foi marcado pela alta nas exportações do agronegócio gaúcho. Janeiro registrou a soma de US$ 796 milhões, um crescimento de 15,4% na comparação com o mesmo período de 2017. O setor foi responsável por 62% do total comercializado pelo estado. Em volume, foram embarcadas 1,279 milhão de toneladas de produtos provenientes do meio rural. Os dados foram divulgados pela Assessoria Econômica do Sistema Farsul, nesta segunda-feira, dia 19.

Os números são resultado do bom desempenho da soja em grãos, com aumento de 46,5%, que garantiu 9% a mais em vendas do complexo soja. Cereais (7,9%), puxado pelo arroz (68,1%), e fumo (167,8%) também colaboraram para o resultado. Apesar da queda de 6,4% no grupo carnes, a carne bovina atingiu um crescimento de 70,7% no valor exportado.

Em relação a dezembro de 2017, o resultado também foi positivo, chegando a 10,1% no valor e 42% no volume exportado. O resultado está diretamente ligado ao resultado do complexo soja (26,6%), cereais (363,9%) e produtos florestais (18,4%). Mesmo com crescimento de 32% na venda de carne bovino, o grupo carnes teve uma queda de 4,9% influenciado por carne de frango (-7,4%) e carne suína (-15%).

A China mantém o posto de principal destino dos produtos do agronegócio gaúcho, com 32,6% de participação no valor exportado. Em segundo lugar aparece os Estados Unidos com 7% das vendas. Em terceiro lugar, a Bélgica aparece com 5%, assumindo um posto que vinha sendo da Rússia.

 

Confira o Relatório de Comércio Exterior na íntegra.

Banrisul apresenta maior lucro líquido da história em 2017.  Os ativos totais do Banrisul alcançaram saldo de R$ 73,3 bilhões em dezembro de 2017, uma expansão de 6,2%; por Carlos Machado/Rádio Guaíba

Banrisul apresenta maior lucro líquido da história em 2017. Os ativos totais do Banrisul alcançaram saldo de R$ 73,3 bilhões em dezembro de 2017, uma expansão de 6,2%; por Carlos Machado/Rádio Guaíba

Agronegócio Economia Negócios Notícias
O lucro líquido do Banrisul em 2017 foi de R$1,053 bilhão, um crescimento de 59,6% na comparação com o ano anterior, quando o Banco registrou lucro líquido de R$ 659,7 milhões. Os dados foram divulgados na manhã desta segunda-feira na sede do Banco, em Porto Alegre, e representam o maior lucro da história da instituição.

Segundo o presidente do Banrisul, Luiz Gonzaga Veras Mota, o bom desempenho registrado no ano passado reflete a estabilidade da margem financeira, o menor fluxo de despesas e o crescimento das receitas de tarifas e serviços. Os ativos totais do Banrisul alcançaram saldo de R$ 73,3 bilhões em dezembro de 2017, uma expansão de 6,2% na comparação com o ano anterior.

“Fizemos um forte trabalho na recuperação do crédito e da redução do índice de inadimplência, num crescimento forte da carteira da pessoa física e nos serviços prestados. Ou seja, a forte receita dos serviços e a forte contenção das despesas, considerando a criação do plano de aposentadoria voluntária e a diminuição da folha de pagamento, deu resultados”, avaliou o presidente do Banco.

Segundo Mota, a operação da venda das ações continua suspensa, por enquanto, e nos próximos dias uma decisão deve ser tomada sobre o assunto. “A venda vai depender do valor das ações no mercado, da renegociação da dívida do Rio Grande do Sul com a União e toda a fase da Recuperação Fiscal do Estado, mas ainda não há uma definição”, disse. Questionado se a venda do Banrisul pode ser incluída no pacote de concessões para a adesão do Estado ao Regime de Recuperação Fiscal, o presidente do Banco disse que a hipótese está descartada.

O governador José Ivo Sartori participou do evento e destacou o bom desempenho recorde. “Sem dúvida nenhuma uma marca histórica que reafirma a constante busca do Banrisul para ser um banco moderno, sustentável e eficiente”, comemorou Sartori. Ao final do evento, o governador lançou uma placa comemorando o lucro líquido recorde da instituição no ano de 2017.

Após manifestações, hashtag “QueroMeAposentar” lidera assuntos mais comentados no Twitter

Após manifestações, hashtag “QueroMeAposentar” lidera assuntos mais comentados no Twitter

Cidade Economia Notícias Porto Alegre Segurança

A hashtag #QueroMeAposentar liderou as menções no Twitter Brasil na manhã desta segunda-feira. O termo é utilizado pelos usuários que protestam contra a reforma da Previdência, e acompanha os posts dos movimentos sociais que realizam manifestação contra o projeto nesta data. Em São Paulo, sindicatos de bancários, metalúrgicos do ABC e motoristas e cobradores de ônibus do ABC e Guarulhos, fazem um dia de paralisação contra a reforma. Outros movimentos sociais também fizeram bloqueios parciais em rodovias de todo o país.

As manifestações estavam programadas há dias e eram projetadas para coincidir com o início da votação da reforma da Previdência em Brasília, agendada para esta semana. No entanto, por causa da intervenção federal na segurança do Rio de Janeiro, o tema foi retirado da pauta do Congresso. (Correio do Povo e AE)

Procon promove nova pesquisa de preços da gasolina comum. Os valores variam de R$ 4,199 a R$ 4,599

Procon promove nova pesquisa de preços da gasolina comum. Os valores variam de R$ 4,199 a R$ 4,599

Cidade Destaque Direito do Consumidor Economia Negócios Porto Alegre

O Procon Porto Alegre realizou nesta sexta-feira, 16, um novo levantamento de preços da gasolina comum em 42 postos da Capital. Os valores variam de R$ 4,199 a R$ 4,599. Desde a última pesquisa promovida na quarta-feira,14, dois postos de gasolina reduziram o valor do combustível, e um estabelecimento aumentou seu preço.

O consumidor que desejar contribuir para o levantamento deverá contatar o Procon municipal através do Twitter ou via mensagem inbox no Facebook enviando fotos. Devem constar também o nome do posto e o endereço. Postos de gasolina que desejarem incluir seus estabelecimentos nas pesquisas devem entrar em contato com a entidade.

Reclamações – Moradores de Porto Alegre podem registrar denúncias pelo site do Procon ou na sede da rua dos Andradas, 686, Centro Histórico. São distribuídas diariamente 90 fichas de atendimento, das 9h às 17h. O Procon municipal também disponibiliza para a população uma loja no terminal 1 do Aeroporto Salgado Filho, em funcionamento das 12h às 18h. O Procon Porto Alegre é um órgão vinculado à Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico (SMDE).

GASOLINA 16022018

Porto Alegre: Passagem dos ônibus pode subir para R$ 4,54; por Carlos Machado/Rádio Guaíba

Porto Alegre: Passagem dos ônibus pode subir para R$ 4,54; por Carlos Machado/Rádio Guaíba

Destaque Direito do Consumidor Economia Marchezan Negócios Poder Política Porto Alegre prefeitura

O Sindicato das Empresas de Ônibus de Porto Alegre (Seopa) protocolou, na manhã desta sexta-feira, o pedido de revisão do valor da passagem de ônibus na Capital. Caso o pedido seja atendido, a tarifa pode subir de R$ 4,05 para R$ 4,54, o que representa um aumento de 12,24%. O reajuste será analisado pela Empresa Pública de Transporte e Circulação de Porto Alegre (EPTC).

A principal justificativa para o aumento da tarifa é o preço do combustível que, segundo o Seopa, teve acréscimo de 13,14% desde o último aumento da passagem. Além disso, o sindicato alega despesas com mão de obra – que representariam cerca de 50% do custo do sistema – e o déficit das concessionárias, que chega a R$ 135 milhões desde fevereiro de 2016 – quando nova licitação exigiu renovação na frota.

De acordo com o sindicato, a solicitação de reajuste da tarifa pode ser feita quando ocorre a atualização dos salários dos trabalhadores rodoviários – o que ocorreu na quarta-feira, quando ficou acertado o aumento de 1,87% nos salários dos servidores, reajuste de mesmo percentual no subsídio do plano de saúde e aumento de 3% no vale-alimentação, passando de R$ 25,00 para R$ 25,75 por dia.

A proposta de mudança no valor da tarifa será avaliada pelo Conselho Municipal de Transportes Urbanos (Comtu). Após receber o processo da EPTC, o Comtu tem sete dias para avaliá-lo e votar pela aprovação ou não do novo valor da passagem. A decisão é encaminhada para a sanção ou veto do prefeito.

Outros reajustes

No dia 3 de fevereiro, a Trensurb reajustou o valor do bilhete unitário do trem metropolitano, que subiu de R$ 1,70, para R$ 3,30 – um reajuste de 94,11%. O aumento impactou no preço da integração. Na Capital, o usuário, que vinha pagando R$ 5,18, passou a desembolsar R$ 6,62.

Governo usa BNDES para conter o endividamento. Dinheiro do banco evita que ‘regra de ouro’ seja formalmente desobedecida

Governo usa BNDES para conter o endividamento. Dinheiro do banco evita que ‘regra de ouro’ seja formalmente desobedecida

Economia Notícias

O governo está tomando dinheiro emprestado para pagar despesas como folha de pagamento de servidores e benefícios da Previdência Social. A prática vai contra a “regra de ouro”, que proíbe o endividamento para pagar despesas de custeio. Os recursos tomados no mercado devem ser usados em investimentos ou amortização da dívida.

A regra de ouro só não está sendo formalmente descumprida porque o governo federal tem usado recursos tomados do BNDES. 0 quadro se agravou no ano passado, quando o Tesouro Nacional usou dinheiro dos empréstimos para custear despesas com seguro-desemprego, salários e aposentadorias de militares.

A prática prosseguiu neste início de ano. 0 Ministério do Planejamento diz que a norma atual apenas proíbe que empréstimos superem despesas de capital (investimentos e amortizações). A pasta admite que isso só não está ocorrendo graças ao dinheiro do BNDES. A reportagem completa está na Folha de São Paulo.

Financiamento para carro gerou calote de R$ 22,8 bi. ‘Farra’ do crédito entre 2010 e 2011 chegou a R$ 209 bilhões; bancos ainda tentam receber R$ 15,3 bilhões

Financiamento para carro gerou calote de R$ 22,8 bi. ‘Farra’ do crédito entre 2010 e 2011 chegou a R$ 209 bilhões; bancos ainda tentam receber R$ 15,3 bilhões

Destaque Economia

Dos R$ 209 bilhões emprestados por bancos para o financiamento de carros em 2010 e 2011, houve problemas para receber R$ 38,1 bilhões: R$ 22,8 bilhões são considerados prejuízo, mas as instituições financeiras ainda tentam reaver R$ 15,3 bilhões, de acordo com dados do Banco Central. O período marcou um “boom” no setor automotivo, com desconto no Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para carros, novos projetos de montadoras e concessão de crédito fácil pelos bancos, que liberaram em média R$ 3.339,66 a cada segundo em financiamentos. Em abril de 2011, dos créditos com prazo superior a 60 meses concedidos para a compra de veículos, 34% tiveram problemas. Em 2017, esse número não chegou a 1%. Ainda hoje há consumidores com carnê para quitar daquele período, e 251 registravam atraso de 30 dias nos pagamentos, segundo o Banco Central. A reportagem completa está em O Estado de São Paulo.

Porto Alegre: Associação Comercial será homenageada na Câmara de Vereadores pelos seus 160 anos

Porto Alegre: Associação Comercial será homenageada na Câmara de Vereadores pelos seus 160 anos

Cidade Direito Economia Negócios Notícias

A Associação Comercial de Porto Alegre será homenageada na Câmara de Vereadores pelo seu aniversário de 160 anos. A cerimônia acontece no Plenário Otávio Rocha, na próxima quinta-feira, 15/2, às 14 horas. A mais antiga entidade empresarial da Capital gaúcha foi fundada no dia 14 de fevereiro de 1858.

Para o proponente, vereador Adeli Sell (PT), a Associação Comercial é muito mais que uma entidade: “É uma instituição da Capital que ajudou a formatar o que deveria ser e, acabou sendo, nosso comércio. Aos 160 anos, junto com o Theatro São Pedro, o Palácio do Comércio é uma marca símbolo da cidade. Para sinalizar sua força e peso institucional senti-me na obrigação de propor um Período de Comunicação na Câmara Municipal.”

As razões que levaram os empreendedores do século 19 a criar a entidade continuam as mesmas, mas o mundo dos negócios está completamente mudado.  A Internet, as plataformas digitais, estão provocando uma transformação avassaladora. Neste cenário ressurge a nova Associação Comercial de Porto Alegre. Em 27 de abril de 2016, a entidade passa novamente a contar com um presidente exclusivo, retomando seu protagonismo histórico, com a eleição de Paulo Afonso Pereira.

O último dirigente que exerceu com exclusividade a presidência da ACPA foi Alberto Bins, entre 1924 e 1928, antes de se tornar prefeito de Porto Alegre.  Depois dele, durante 88 anos, o cargo passou a ser acumulado pelo presidente da Federasul.

Segundo Pereira, neste novo momento, a entidade está promovendo ações, criando projetos, que atendam aos interesses contemporâneos do seu público alvo – comércio e serviços de Porto Alegre -, mas também que beneficiem a população como um tudo.