Porto Alegre: 12ª Edição da Feira Gaúcha da Faca Artesanal e  3ª  etapa do Campeonato de Cutelaria acontecem nesse final no DC Shopping

Porto Alegre: 12ª Edição da Feira Gaúcha da Faca Artesanal e 3ª etapa do Campeonato de Cutelaria acontecem nesse final no DC Shopping

Agenda Cidade Destaque Economia Negócios Trabalho

Acontece nesse final de semana, em Porto Alegre, a 12ª Edição da Feira Gaúcha da Faca Artesanal e  3ª  etapa do Campeonato de Cutelaria. Organizada pela Associação Gaúcha de Cutelaria, a exposição será nos dias 13 e 14 de Julho, na praça de alimentação do DC Shopping, em Porto Alegre, com entrada gratuita. Cerca de 60 expositores do Rio Grande do Sul e outros estados devem participar.
faca3
Durante a feira, acontecerá uma das fases de certificação de cutelaria – que é o ofício de fabricar ou vender instrumentos metálicos de corte. Cuteleiros ganharão o certificado da Associação Gaúcha de Cutelaria inédita na América Latina, onde são considerados requisitos como a técnica, o material, o poder de cort, detalhes que valorizam o trabalho e agregam valor.

A Associação Gaúcha de Cutelaria foi fundada em 2008, conta com mais de 80 sócios e é presidida atualmente por Marco Borchardt.

 

faca2

SERVIÇO:

12ª Feira Gaúcha da Faca Artesanal – Edição de inverno 2019

Dias 13 e 14 de Julho na praça de alimentação do Shopping DC Navegantes

ENTRADA FRANCA

Aprovada MP da Liberdade Econômica, com regras trabalhistas e fim do eSocial. Relatório do deputado Jeronimo Goergen (PP-RS) estabelece garantias para o livre mercado

Aprovada MP da Liberdade Econômica, com regras trabalhistas e fim do eSocial. Relatório do deputado Jeronimo Goergen (PP-RS) estabelece garantias para o livre mercado

Destaque Direito Direito do Consumidor Economia Negócios Tecnologia

A comissão mista que analisa a medida provisória (MP) 881/2019 aprovou nesta quinta-feira (11) o relatório do deputado Jeronimo Goergen (PP-RS). O texto estabelece garantias para o livre mercado, prevê imunidade burocrática para startups e extingue o Fundo Soberano do Brasil. O projeto de lei de conversão (aprovado quando uma MP é modificada no Congresso) precisa passar pelos Plenários da Câmara e do Senado antes de ir para a sanção do presidente da República. A comissão mista é presidida pelo senador Dário Berger (MDB-SC).  A medida provisória institui a Declaração de Direitos de Liberdade Econômica. De acordo com o Poder Executivo, o texto tem como objetivos recuperar a economia, garantir investimentos em educação e tecnologia, possibilitar a desestatização e resolver questões concretas de segurança jurídica.

A MP 881/2019 libera pessoas físicas e empresas para desenvolver negócios considerados de baixo risco. Estados, Distrito Federal e municípios devem definir quais atividades econômicas poderão contar com a dispensa total de atos de liberação como licenças, autorizações, inscrições, registros ou alvarás. De acordo com o texto, essas atividades econômicas poderão ser desenvolvidas em qualquer horário ou dia da semana, desde que respeitem normas de direito de vizinhança, não causem danos ao meio ambiente, não gerem poluição sonora e não perturbem o sossego da população.

De acordo com o texto, a administração pública deve cumprir prazos para responder aos pedidos de autorização feitos pelos cidadãos. Caso o prazo máximo informado no momento da solicitação não seja respeitado, a aprovação do pedido será tácita. Cada órgão definirá individualmente seus prazos, limitados ao que for estabelecido em decreto presidencial. A MP também equipara documentos em meio digital a documentos físicos, tanto para comprovação de direitos quanto para realização de atos públicos.

A MP 881/2019 prevê imunidade burocrática para o desenvolvimento de novos produtos e serviços e para a criação de startups — empresas em estágio inicial que buscam inovação. Poderão ser realizados testes para grupos privados e restritos, desde que não se coloque em risco a saúde ou a segurança pública. O texto também autoriza que a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) reduza exigências para permitir a entrada dos pequenos e médios empreendedores no mercado de capitais. A ideia é que empresas brasileiras não precisem abrir seu capital no exterior, onde encontram menos burocracia.

A matéria extingue o Fundo Soberano do Brasil (FSB), criado em 2008 como uma espécie de poupança para tempos de crise. Os recursos hoje depositados no FSB serão direcionados ao Tesouro Nacional. O ex-presidente Michel Temer já havia tentado extinguir o FSB por meio da MP 830/2018, mas o dispositivo foi rejeitado no Parlamento. Em maio de 2018, o patrimônio do fundo somava R$ 27 bilhões.

Fim do eSocial

A MP 881/2019 recebeu 301 emendas. O deputado Jeronimo Goergen acolheu 126 delas, integral ou parcialmente. O relator incluiu um dispositivo para acabar com o Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas (eSocial). O sistema tem como objetivo unificar o pagamento de obrigações fiscais, previdenciárias e trabalhistas.

Para Goergen, “as empresas estão sendo obrigadas a fazer um enorme investimento” para atender ao eSocial. Mas não são dispensadas de outras obrigações como a Declaração do Imposto de Renda Retido na Fonte (Dirf), a Relação Anual de Informações Sociais (Rais), o Sistema Empresa de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social (Sefip) e o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

O texto prevê ainda a prevalência do contrato sobre o direito empresarial em situações de insegurança jurídica e formas alternativas de solução de conflito em sociedades anônimas. Em outra frente, o relator sugere a criação dos chamados sandboxes — áreas sujeitas a regimes jurídicos diferenciados, como zonas francas não-tributárias definidas por estados e Distrito Federal.

Transportadoras

A MP 881/2019 anistia multas aplicadas a transportadoras que descumpriram a primeira tabela de frete fixada pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), em 2018. O deputado Jeronimo Goergen prevê ainda a criação do Documento Eletrônico de Transporte (DT-e) para eliminar 13 dos 30 documentos associados às operações de transportes de cargas e de passageiros no Brasil.

O texto prevê autonomia privada nos contratos agrários, atualmente regulados pelo Estatuto da Terra (Lei 4.504, de 1964). Para o relator, “o dirigismo estatal tira das partes a livre manifestação de vontade e cria restrições no uso da propriedade”. Jeronimo Goergen propõe ainda a extinção do livro caixa digital para produtores rurais, o que ele classifica como “uma burocracia desnecessária”. O relator também incluiu no texto medidas para desburocratizar a liberação do financiamento de imóveis.

Legislação trabalhista

A MP 881/2019 altera diversos pontos da Consolidação das Leis do Trabalho (Decreto-Lei 5.452, de 1943). O texto prevê, por exemplo, que a legislação trabalhista só será aplicada em benefício de empregados que recebam até 30 salários mínimos. A medida provisória também prevê a adoção da carteira de trabalho digital e autoriza o trabalho aos domingos e feriados, sem necessidade de permissão prévia do poder público. Por fim, a matéria acaba com a obrigatoriedade das Comissões Internas de Prevenção de Acidentes (Cipas) em situações específicas. O deputado Enio Verri (PT-PR) criticou esses pontos do texto.

— Não creio que o liberalismo econômico seja a saída para as grandes crises que vivemos. O incentivo a micro e pequenas empresas sem dúvida é um avanço. Mas a medida provisória faz uma nova reforma trabalhista. Na verdade, tira-se mais direitos. Eu não entendo como a micro e a pequena empresa vão crescer com uma população desempregada e sem salário. Quem vai comprar da micro e pequena empresa? — questiona Verri.

O relator da matéria disse que é “inteiramente falso” o entendimento de que a liberdade econômica reduz direitos. Para Jeronimo Goergen, a MP 881/2019 não ameaça os trabalhadores.

— O Estado deve abrir caminho para as liberdades econômicas e a iniciativa privada, sem que isso signifique receio à proteção de direitos coletivos, difusos e individuais homogêneos. É, ao contrário, o aumento da proteção às liberdades econômicas, à livre iniciativa. É plenamente possível um jogo de ganha-ganha, em favor tanto das liberdades econômicas como da manutenção do atual nível de proteção. A medida provisória aumenta a proteção às liberdades econômicas às custas do agigantamento do Estado — disse.

A medida provisória perde a validade no dia 10 de setembro, caso não seja votada pelas duas Casas do Congresso até essa data.

Agência Senado

Martinelli Advogados inaugura sede em Passo Fundo. Escritório atende algumas das principais empresas de agronegócio da região

Martinelli Advogados inaugura sede em Passo Fundo. Escritório atende algumas das principais empresas de agronegócio da região

Agronegócio Destaque Direito Economia Negócios

Para estar ainda mais próximo dos clientes da região, o Martinelli Advogados irá inaugurar, nesta quinta-feira (11), uma sede em Passo Fundo. Com o suporte de 150 profissionais da unidade de Porto Alegre, o escritório agora terá uma base no Norte do Estado. Será na Rua Quinze de Novembro, 961, no Centro. O movimento ocorre dois meses após a inauguração de um novo endereço em Caxias do Sul. E, para 2020, o plano é instalar uma base na Metade Sul. Em Porto Alegre, o escritório ocupa dois andares na Avenida Carlos Gomes.

A abertura do espaço em Passo Fundo é uma resposta à expansão na carteira de clientes da região. Apenas nos últimos 12 meses, o crescimento foi de 35%. Ao todo, são mais de 50 companhias atendidas pelo escritório em Passo Fundo e demais cidades do entorno, com destaque para grandes players do setor do agronegócio.

“Investimos porque acreditamos no potencial das empresas e dos empreendedores da região”, afirma Ramiro Iribarrem, um dos sócios no Rio Grande do Sul. “Nosso crescimento está relacionado à proximidade com os clientes. Buscamos sempre compreender com profundidade o negócio e onde querem chegar”, complementa.

Com 22 anos de trajetória, o Martinelli é o maior escritório de advocacia empresarial do Sul do Brasil. A partir de sua expertise nas áreas tributária, cível, trabalhista e societária, assessora algumas das principais empresas do país, de diversos segmentos. Possui 15 unidades espalhadas pelo país – em seis estados e no Distrito Federal – e mais de 700 colaboradores.

A banca é apontada pela Chambers & Partners – principal publicação legal do mundo – como referência em Direito Empresarial no Brasil. Também está, pela 13ª vez, entre os escritórios mais admirados do país, segundo o Anuário Análise Advocacia 500.

Porto Alegre alcança R$ 1 bi de arrecadação de ISS

Porto Alegre alcança R$ 1 bi de arrecadação de ISS

Cidade Destaque Economia Negócios Notícias Porto Alegre

O município de Porto Alegre alcançou a marca histórica de R$ 1 bilhão de arrecadação de ISS (Imposto Sobre Serviços) considerando-se o período dos últimos 12 meses, de julho de 2018 a junho de 2019. Chegando à marca de R$ 1 bilhão, Porto Alegre fica atrás apenas de São Paulo e Rio de Janeiro na arrecadação per capita de ISS. Este recorde é fruto de um histórico de trabalho, comprometimento e ações voltadas à efetividade da fiscalização tributária, seja por meio de atividades de orientação ao contribuinte e incentivo à regularização espontânea, seja por meio da auditoria fiscal de empresas.

Porto Alegre também é referência na recuperação da Dívida Ativa Tributária. Isso é fruto da definição de um bem estruturado processo, baseado em conceitos modernos e adequados de gestão, que levou Porto Alegre a se tornar referência nacional em recuperação de créditos, se destacando entre as demais capitais nos anos de 2017 e 2018. No ano passado, o Município conseguiu recuperar 10,78% do total inscrito em dívida.

190710_LL_1116_SMF-042-3
A AIAMU apresentou, nesta quarta-feira (10), os resultados da arrecadação de ISS. Foto: Luciano Lanes/PMPA

As ações de cobrança realizadas apenas durante o ano de 2018 garantiram a recuperação e o ingresso nos cofres públicos de mais de R$ 202 milhões. Já para o ano de 2019, com o aperfeiçoamento contínuo dos processos, o objetivo é alcançar os R$ 240 milhões de recuperação. Na comparação dos cinco primeiros meses de 2018 e 2019, já é verificado um crescimento de 11% nas receitas recuperadas.

O sucesso obtido pela Receita Municipal tem despertado o interesse de diversos municípios brasileiros. Nos últimos 18 meses as prefeituras de Canoas, São Leopoldo, Pelotas, Santarém (PA), Oriximiná (PA), Salvador (BA), Porto Velho (RO) e Curitiba (PR) enviaram representantes para participar de reuniões com técnicos da Receita Municipal e conhecer a metodologia aplicada. Em julho, representantes de Fortaleza (CE) e Vitória (ES) já estão com reuniões agendadas.

Segundo o presidente da Associação dos Auditores-Fiscais da Receita Municipal de Porto Alegre (AIAMU), Fernando Ismael Schunck, não só o recorde de arrecadação do ISS, mas também o resultado per capita de arrecadação deste imposto, demonstram a eficiência do trabalho dos Auditores-Fiscais de Porto Alegre, pois se conseguiu alcançar estes resultados sem qualquer aumento de alíquota. “Quanto ao trabalho de recuperação da Dívida Ativa, hoje referência nacional, este é um trabalho de resgate de valores que são, por direito, do Município. Desta forma, contribuímos para o incremento das receitas e, de modo prático, com a melhoria dos serviços prestados aos cidadãos, que é nosso maior objetivo”, destaca Schunck.

A metodologia de trabalho da Receita Municipal de Porto Alegre também já foi apresentada em visita técnica para a Secretaria Estadual da Fazenda do RS e para a Associação Brasileira de Finanças das Capitais (ABRASF), além de ter sido tema de palestra durante o Seminário Nacional de Gestão Fiscal Municipal realizado em São Paulo na primeira quinzena de junho.

Sobre a AIAMU – A Associação dos Auditores-Fiscais da Receita Municipal de Porto Alegre existe desde 1963. Foi naquele ano de muita efervescência política e cultural que 55 servidores da prefeitura municipal fundaram a AIAMU. No decorrer desse período a Associação firmou-se como entidade referência em áreas fundamentais de atuação: na externa, é reconhecida por sua coragem e força na luta pelas prerrogativas do funcionalismo; já no âmbito interno, destaca-se por oferecer a seus associados uma estrutura de serviços moderna e diversificada.

Ciente de que a atribuição de seu segmento é essencial para movimentar a máquina pública e assim trazer benefícios diretos à comunidade – mas que também é um tanto desconhecida dos cidadãos em geral – a AIAMU passou a trabalhar em campanhas de esclarecimento sobre o porquê da cobrança de tributos municipais, e qual o papel do contribuinte nesse processo. Desta iniciativa nasceram as seguintes publicações: em 1996, o Código Tributário do Município de Porto Alegre – única compilação de leis fiscais da cidade – e o Guia do Contribuinte, de 1998. Lançado numa parceria com o Sebrae e a prefeitura, o guia explica detalhadamente, e de forma acessível, as características de cada imposto.

 

Confiança da indústria eletroeletrônica sobe após quatro quedas consecutivas

Confiança da indústria eletroeletrônica sobe após quatro quedas consecutivas

Destaque Economia

O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) do Setor Eletroeletrônico atingiu 54,2 pontos em junho de 2019, de acordo com dados da Confederação Nacional da Indústria (CNI), agregados pela Abinee (Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica). O resultado representa uma alta de 0,8 ponto em relação ao mês de maio. O resultado interrompeu a trajetória de queda que vinha ocorrendo nos últimos quatro meses.

Na área elétrica, a alta foi mais significativa, atingindo 4,3 pontos, passando de 50,1 para 54,4 pontos. No caso da eletrônica, o ICEI diminuiu 3 pontos, recuando de 57,0 para 54,0 pontos.

Nota-se que mesmo com o esfriamento nos ânimos dos empresários observado nos meses anteriores, esse indicador segue acima da linha dos 50 pontos pelo décimo primeiro mês consecutivo, mostrando que permanece a confiança, porém em patamar inferior ao observado em janeiro deste ano (65,1 pontos). O ICEI varia de 0 a 100 pontos, sendo que valores acima de 50 pontos indicam confiança do empresário industrial e abaixo de 50 pontos mostram falta de confiança.

Para o presidente executivo da Abinee, Humberto Barbato, a “oscilação é reflexo de certa insegurança que vigora no cenário brasileiro, em função das reformas e de outras manifestações do governo, o que faz com que haja uma retração natural nos investimentos.” Na opinião de Barbato, a abertura de mercado, e as discussões sobre as alterações na Lei de Informática geram um ambiente de incertezas que prejudica a tomada de decisões de investimento.

Dia Nacional da Pizza:  Joe & Leo’s aposta na massa fininha, crocante e pouca gordura

Dia Nacional da Pizza: Joe & Leo’s aposta na massa fininha, crocante e pouca gordura

Agenda Cidade Economia Gastronomia Negócios Notícias

Primeira hamburgueria artesanal em Porto Alegre, inaugurada no ano de 2000 – quando a febre dos hamburguers gourmets não havia tomado conta ainda do paladar dos gaúchos – o Joe & Leo’s  também logo ficou famoso pelas pizzas de massa fina, crocante e com pouca gordura. Pois para o próximo dia 10 de julho, quando se comemora o Dia da Pizza, o restaurante, localizado no segundo piso do Shopping Bourbon Country, já preparou uma promoção para os clientes que adoram festejar a data, saboreando as pizzas assadas no forno à lenha. A cada pedido de pizza, entre qualquer dos 12 sabores do cardápio, uma long neck Budweiser vai de cortesia.

As sócias Marise Leite e Jussara Araújo contam que a Marguerita é a mais pedida, mas que a Pizza Burguer (que une as duas especialidades da casa: pizza+hambúrguer) já possui seu público cativo. A iguaria leva picanha, mozzarela di búfala, radichio, agrião e molho de tomate sobre o disco de massa bem fininha. Quem quiser fazer reserva para a data, o fone é (51) 3362.6388.

 

 

SERVIÇO:

Restaurante Joe & Leo’s

Endereço: Shopping Bourbon Country –  2º andar

Fone: 51 3362.6388

Horário: de segunda  à sexta, das 12hs às 15hs e das 18hs à meia noite. Sábado e domingo; das 12hs até meia noite.

Dellivery: Uber Eats, i food e Rappi

Estacionamento no shopping

Aceita todos os cartões

Sicredi União Metropolitana RS inaugura agência em Porto Alegre. Nova unidade, localizada na Av. Juca Batista, bairro Hípica, aproxima cooperativa dos associados locais

Sicredi União Metropolitana RS inaugura agência em Porto Alegre. Nova unidade, localizada na Av. Juca Batista, bairro Hípica, aproxima cooperativa dos associados locais

Economia Negócios Notícias

Está funcionando a pleno nesta segunda-feira, a nova unidade da Sicredi União Metropolitana RS. Inaugurada na última sexta-feira, a mais nova agência na Região Metropolitana, passando a contar com 18 unidades. A agência faz parte do plano de expansão da instituição, que prevê a abertura de mais quatro nas cidades de Gravataí, Canoas, Viamão e outra na Capital, totalizando 22 até o fim do ano. “Um dos propósitos do Sicredi é estar próximo à comunidade. Viemos para a Hípica para melhorar a geração de renda e a qualidade de vida do associado e da comunidade. Além de ser uma instituição financeira sem fins lucrativos, de tarifas justas e bastante benefícios, também revertemos os resultados financeiros para a região de atuação”, afirma o presidente da Sicredi União Metropolitana RS, Ronaldo Sielichow.

Metropolitana_Hipica_47
Presidente da Sicredi União Metropolitana RS, Ronaldo Sielichow. Foto: Marco Antonio

A nova agência é resultado do mapeamento da área, visando auxiliar no desenvolvimento local. A unidade da Av. Juca Batista se soma à da Av. Eduardo Prado, fortalecendo a presença do Sicredi na região sul de Porto Alegre.

“Estamos com a expectativa bem elevada. Foi um projeto de oito meses desde que iniciamos o plano de viabilização da agência na região.  Aqui, temos um público muito acolhedor e com potencial grande de trabalho. Por meio da presença física, vamos nos aproximar ainda mais destes associados e conquistar novos”, diz o gerente da região sul da Capital, Sandro Souza, que participou ativamente da idealização da agência.

A agência Hípica inova também no conceito. Criada com o intuito de ser um espaço de relacionamento, ela foi desenvolvida em um ambiente confortável para ser utilizado como base ao desenvolvimento de iniciativas de negócios.

Em 2018, a Cooperativa cresceu 47% na comparação com o ano anterior. Marca que se pretende manter ou melhorar neste ano. “Quanto mais associados tivermos, mais forte será a nossa Cooperativa”, ressalta Sielichow. O município de Gravataí será o próximo contemplado com unidade nova. A agência Morada do Vale tem previsão de inauguração para o dia 5 de agosto.

“Vamos dormir num Brasil e acordar no Canadá, Chile, Nova Zelândia…”, projeta Onyx Lorenzoni. No Brasil de Ideias, ministro da Casa Civil detalha benefícios da aprovação da Reforma da Previdência

“Vamos dormir num Brasil e acordar no Canadá, Chile, Nova Zelândia…”, projeta Onyx Lorenzoni. No Brasil de Ideias, ministro da Casa Civil detalha benefícios da aprovação da Reforma da Previdência

Destaque Economia Negócios

Confiante no destino da proposta da Nova Previdência, o ministro-chefe da Casa Civil compara a aprovação da reforma à passagem “por um portal rumo à prosperidade”. E arrisca uma data que marcará essa virada: 15 de setembro, até quando o Senado Federal deve votar, em segundo turno, a medida. Detalhando as perspectivas do governo federal, Onyx Lorenzoni conversou com líderes empresariais e políticos no Brasil de Ideias. Promovido pela Revista VOTO, o evento ocorreu nesta sexta-feira (5) no British Club, em Porto Alegre/RS.
Destacando que a gestão Bolsonaro iniciou pelo mais difícil, a Reforma da Previdência, o ministro ressaltou que um novo patamar será alcançado para o país. “Vamos dormir num Brasil e acordar em outro, muito próximo do Canadá, do Chile e da Nova Zelândia”, projetou. “O Brasil é a bola de vez para os investimentos. Temos capital humano, recursos minerais, rica biodiversidade, além de honrarmos os contratos. Mas aqui não há previsibilidade. Felizmente, isso começou a mudar com a aprovação de ontem”, destacou, referindo-se à validação do texto-base na comissão especial da Câmara, na última quinta-feira (4).
Assim que aprovada a iniciativa, o ministro adiantou que será pautada a Reforma Tributária. “Precisamos de simplificação. E, mais do que isso, de redução da carga. Nosso sonho é terminar o governo com 30% sobre o PIB. Queremos deixar mais dinheiro com o cidadão”, disse. Ao lado dessa evolução, virá a revisão do Pacto Federativo: “O Brasil precisa voltar a ser uma federação. Os estados precisam ter capacidade de investimento”.

Quebra de paradigmas

Como um dos grandes atributos do governo, Onyx Lorenzoni chamou atenção para a equipe formada pelo presidente Jair Bolsonaro. “Todos apostavam que não conseguiríamos estruturar um governo com equipe forte e competente”, salientou, acrescentando que os ministros assumiram com “absoluta independência”.
Para o ministro, há muitas mentiras circulando, com a tentativa clara de desunir a equipe e gerar cizânias. “Mas isso não acontece. Nossa equipe tem três diferenciais: alma verde e amarela, compromisso com decência e honestidade, e fazer um governo que verdadeiramente sirva ao país”, sublinhou. De acordo com Lorenzoni, outro avanço promovido em seis meses de gestão foi a interlocução elevada com os outros poderes: “Conseguimos construir uma nova relação com o Congresso Nacional, preservando e respeitando o Legislativo”.
Para o ministro da Casa Civil, alguns dos desafios que persistem têm relação com as estruturas herdadas. “Estamos quebrando sistemas que estavam enraizados há muito tempo na administração”, apontou, adicionando que já foram cortados 21 mil cargos de comissão e mais 25 mil serão eliminados até dezembro.

Avanços e perspectivas

Mencionando avanços conquistados até então – como aprovação do acordo entre Mercosul e União Europeia, redução de ministérios e de níveis hierárquicos, pacote anticrime e digitalização do governo –, Onyx Lorenzoni comentou sobre a Medida Provisória da Liberdade Econômica. “O Brasil e os países latino-americanos têm uma política de submeter a população aos interesses do Estado. Pela primeira vez, aqui o cidadão vai ter razão diante do Estado, até que se prove o contrário”.
Sobre a agenda de desestatização, o chefe da Casa Civil detalhou as mudanças que estão para ocorrer nas ferrovias, portos, rodovias e energia. “Vamos partir para um plano ousado de privatizações”, assegurou. E compartilhou uma visão pessoal: “A Petrobras tem papel importantíssimo para a extração de petróleo. Mas outras partes do processo podem ser compartilhadas”.
Diretora executiva do Grupo VOTO, Karim Miskulin, frisou que o mais importante foi o fato de o país mudar de norte. “Acabaram o preconceito ideológico contra as empresas, a visão de que o Estado tudo pode e tudo faz, a irresponsabilidade na gestão e a legitimação da corrupção”, disse na abertura do evento. O Brasil de Ideias contou com o patrocínio do Carrefour e da Gerdau e apoio da PICS e Verde Ghaia.

Empresário se suicida na frente do governador de Sergipe e do ministro de Minas e Energia. Sadi Gitz, dono de fábrica de cerâmica em recuperação judicial, se matou com tiro na cabeça depois de fala do governador em evento em Aracaju nesta quinta-feira; por Fernanda Nunes e Antonio Carlos Garcia, especial para O Estado de S.Paulo

Empresário se suicida na frente do governador de Sergipe e do ministro de Minas e Energia. Sadi Gitz, dono de fábrica de cerâmica em recuperação judicial, se matou com tiro na cabeça depois de fala do governador em evento em Aracaju nesta quinta-feira; por Fernanda Nunes e Antonio Carlos Garcia, especial para O Estado de S.Paulo

Destaque Economia

O site do jornal O ESTADO DE SÃO PAULO informa que um empresário do setor de cerâmica se matou com tiro na cabeça na frente do governador de Sergipe, Belivaldo Chagas, e do Ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, durante abertura de um seminário sobre o mercado de gás que aconteceria em Aracaju a partir desta quinta-feira, 4.

Segundo relatos de pessoas que presenciaram o suicídio, o empresário Sadi Gitz se levantou após a fala do governador, ameaçou dizer algumas palavras e se matou. Fontes do governo estadual contaram que o empresário era dono de uma fábrica de revestimentos cerâmicos que estava com as atividades suspensas por causa do alto preço do gás. Com isso, ele teria falido.

Leia a íntegra em O Estado de São Paulo.

Estruturas metálicas remanescentes da P-71 são arrematadas em leilão

Estruturas metálicas remanescentes da P-71 são arrematadas em leilão

Destaque Economia

Foi protocolado nesta terça-feira (2) o resultado do leilão online das estruturas metálicas remanescentes da plataforma de petróleo P-71, ocorrido na última semana. A empresa Movilex adquiriu os 30 lotes de sucata do casco da P-71 postas à venda pela Ecovix, administradora do Estaleiro Rio Grande, num total de 37.750 toneladas. O valor da negociação não foi divulgado.

De acordo com Robson Passos, diretor estatutário do Grupo Ecovix, trata-se de um importante passo para a limpeza e liberação do dique do Estaleiro. “Isto possibilita o desenvolvimento de novos negócios, imprescindíveis para garantir o cumprimento do Plano de Recuperação Judicial e a recuperação das atividades do Polo Naval de Rio Grande”, avalia Passos.

Este foi o terceiro leilão dos blocos da P71. Agora as atenções se voltam para a venda das estruturas remanescentes da plataforma P72 – cerca de 26 mil toneladas –, que deverá ter seu segundo leilão realizado no mês de agosto. O corte das estruturas das duas plataformas deverá durar 12 meses e gerar aproximadamente 400 empregos.