RS: Projeto “Escola com Partido” é protocolado na Assembleia Legislativa

RS: Projeto “Escola com Partido” é protocolado na Assembleia Legislativa

Educação Notícias

Com o objetivo de ir contra a discussão atual sobre o papel da escola e dos professores na educação que cerceia o pensamento crítico acerca de políticas e ideologias, o deputado estadual Rodrigo Maroni protocolou o Projeto de Lei denominado ”Escola com Partido”. O PL altera a Lei 9.394 que estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional ao incluir a matéria de Educação Moral e Cívica e Organização Social e Política do Brasil.

De acordo com o parlamentar, a data de registro do Projeto é emblemática pois “é preciso que o professor possa ter a liberdade para abordar toda e qualquer discussão em sala de aula, seja ela política, ideológica, de gênero, de raça, de história, de ciência, o que for necessário para que o aluno possa crescer com pensamento crítico”. Maroni salienta que projetos autoritários que cerceiem o direito de cátedra constituem Lei da Mordaça.

“No mundo de hoje as crianças devem entender sobre política, essa será nossa única possibilidade de, no futuro, termos um voto consciente. Não adianta português ou matemática se não souberem votar para eleger governantes que valorizem o saber”, ressalta. “Se aos 16 anos o jovem já pode votar então ele tem que começar a discutir política bem antes, com seis, sete anos, para estar consciente do voto aos 16”.

Marchezan defende recursos do Fundeb para Ensino Fundamental

Marchezan defende recursos do Fundeb para Ensino Fundamental

Destaque Economia Educação
O prefeito Nelson Marchezan Júnior defendeu, nesta terça-feira, 8, que o novo regulamento do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) inclua alunos de escolas comunitárias do Ensino Fundamental, para ampliar a qualidade do ensino público. “Apostamos no modelo de desestatização em Porto Alegre e, para expandi-lo, é decisivo que a lei considere alunos de vagas públicas, mesmo que de instituições privadas”, enfatizou, ao discursar em Salvador (BA), no primeiro dia da 76ª Reunião Geral da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), da qual é vice-presidente de Saúde.
De acordo com Marchezan, é essencial dar acesso a uma educação de qualidade a todos os cidadãos. “As pessoas gostam de pagar uma boa escola para seus filhos. Não é porque têm menos condições financeiras que não podem ter acesso a um ensino melhor”, afirma.
O Fundeb é a principal fonte de financiamento da educação básica brasileira e corresponde a 85% dos recursos utilizados para manter o gasto por aluno no país. Atualmente, a União complementa apenas 10% do fundo para auxiliar os estados que não atingem patamar mínimo de investimento por aluno. Neste ano, a participação representou R$ 14,3 bilhões. A proposta do Ministério da Educação (MEC) é de complementação máxima de 15% em cinco anos.
Ainda não é previsto repasse do Fundeb a escolas comunitárias para o Ensino Fundamental. Portanto, mudar o regramento permitiria a contratualização para que entidades sem fins lucrativos entreguem o serviço à sociedade. Referência no Município, o modelo aumenta a qualidade do ensino e viabiliza que a administração municipal se responsabilize apenas pela fiscalização.
A capital gaúcha conta com 99 escolas estatais (42 mil alunos) e 216 escolas comunitárias de Educação Infantil (21 mil alunos). Dos 48,5 milhões de alunos da Educação Básica, 9 milhões estão no setor privado, o equivalente a 18,5% (conforme o Censo Escolar 2018).
Agenda municipalista – A reunião da FNP se consolidou como um dos mais importantes encontros para discussão de temas relevantes aos municípios brasileiros. A 76ª edição ocorre em Salvador, na Bahia, até sexta-feira, 11. Os dois primeiros dias estão destinados à tradicional Plenária de Prefeitos, com discussões sobre temas como finanças, saúde, educação, pacto federativo, reforma da previdência e reforma tributária, e soluções para a modalidade urbana.
Nesta terça-feira, 8, Marchezan esteve no debate O novo Fundeb – Avaliação das PECs em tramitação no Congresso Nacional: simulações das propostas e seus impactos nos municípios brasileiros para o financiamento de creches, Educação Infantil e Fundamental a partir de 2021. Nesta quarta, 9, participa da assinatura do Memorando de Entendimento entre FNP e Comitê Internacional da Cruz Vermelha – Programa Acesso Brasil Mais Seguro.
Porto Alegre: Com’Up Espaços e Estratégias promove curso de Decoração Residencial na primeira quinzena de outubro

Porto Alegre: Com’Up Espaços e Estratégias promove curso de Decoração Residencial na primeira quinzena de outubro

Agenda Educação Notícias

A decoração é fundamental para ambientar uma casa e, muitas vezes, não é possível contratar um profissional para dar conta deste trabalho. Pensando nisso, a Com’Up Espaços e Estratégias, empresa responsável por um consistente trabalho de construção de identidade, promove nos dias 15, 22 e 29 de outubro o curso de Decoração Residencial.

A ideia é ensinar técnicas e conceitos de decoração para pessoas leigas no segmento, para estudantes de design de interiores, arquitetura e áreas afins e compartilhar conhecimentos com profissionais ligados ao mercado de decoração. A carga horária do curso é de 8h, divididas nas três aulas agendadas, sendo assim, a programação acontecerá das 19h às 21h30min. Serão turmas VIPs, com vagas limitadas.

A proprietária da Com’Up Espaços e Estratégias, Letícia Almeida, vai ministrar as aulas, abordando temas como: Conceitos elementares em decoração; Linhas e texturas; Estilos; Cores; Combinações; Estampas; Circulação, dimensões e posicionamentos; Possibilidades em iluminação; Revestimento de paredes; e Passo-a-passo para uma ambientação. Na oportunidade também serão feitos exercícios específicos sobre os assuntos trabalhados.

A cidade e o campo presentes no mesmo ambiente dentro de uma exposição de arquitetura e design. Letícia Almeida, através da Com’Up Espaços e Estratégias, torna isso possível no Escritório de Advocacia, ambiente que integra a Mostra EliteDesign 2019. O evento vai até o dia 24 de novembro, no Clube de Regatas Guaíba Porto Alegre (Rua João Moreira Maciel, 470).

Educação: Primeira cooperativa escolar de Porto Alegre inicia atividades. Parceria entre a escola Lumiar e a Sicredi União Metropolitana RS deu origem à Lumix

Educação: Primeira cooperativa escolar de Porto Alegre inicia atividades. Parceria entre a escola Lumiar e a Sicredi União Metropolitana RS deu origem à Lumix

Destaque Economia Educação Negócios Notícias

Ensinar cedo os princípios do cooperativismo, desde a infância e a juventude, é o grande propósito das cooperativas escolares, onde alunos realizam atividades sociais, econômicas e culturais de forma voluntária. Juntos, eles aprendem sobre liderança, educação financeira, inclusão social e empreendedorismo social – ensinamentos que promovem a participação em atividades e negócios cooperativos em prol dos associados e auxiliam na redução de desigualdades. Com o objetivo de mostrar todos os benefícios da cooperação aos jovens, a escola Lumiar e a Sicredi União Metropolitana RS viabilizaram a criação da Lumix, primeira cooperativa escolar de Porto Alegre.

“A ideia surgiu a partir da vontade de arrecadar valores para auxiliar em uma viagem de intercâmbio. Sempre fui fã do modelo cooperativo e entrei em contato com o Sicredi, que me apresentou o programa de cooperativa escolar, o qual eu desconhecia. Foi o casamento perfeito, os alunos adoraram. O mais importante do modelo é demonstrar a eles que todos os talentos são necessários e cada um tem papel fundamental na estrutura”, conta Maria Soledad Gomez, diretora da escola e orientadora do projeto.

Para dar continuidade ao sonho da viagem internacional, a turma foi apresentada a duas propostas: criação de uma miniempresa ou de uma cooperativa. Os estudantes foram unânimes na escolha e corroboraram a visão da diretora. “A cooperativa nos ajuda a trabalhar em grupo e equipe e a nos comunicarmos melhor uns com os outros. Foi o modelo mais apropriado porque nosso objetivo é o trabalho em conjunto, em que ninguém se sinta superior ao colega”, explica a aluna Isadora Labrea, presidente da Lumix.

Nas cooperativas escolares, as competências de todos são aprimoradas alinhadas aos quatro pilares da educação para o século 21 definidos pela Unesco: aprender a conhecer, aprender a fazer, aprender a conviver e aprender a ser. Por meio de cada um deles, as crianças e jovens reconhecem suas motivações e capacidades de aprendizagem; aplicam os conhecimentos, tanto na vida social quanto na produtiva; vivem em harmonia – conscientes de responsabilidades e direitos – e desenvolvem-se integralmente como sujeitos participativos na sociedade.

“Nós não temos que ensinar os jovens a competir, mas, sim, cooperar. Os alunos e a escola estão de parabéns por abraçar o projeto e pelo envolvimento demonstrado, afinal, é uma nova responsabilidade para todo o grupo. Desejamos que com a ajuda mútua, a cooperativa alcance seu objetivo”, complementa Alcides Brugnera, vice-presidente da Sicredi União Metropolitana RS.

Em assembleia, a cooperativa elegeu presidente, vice-presidente, diretores de marketing, bem-estar, cultura, tesouraria e divulgação, além de conselheiros fiscais – todos os cargos ocupados pelos alunos, que desenvolveram uma marca de camisetas e pretendem criar uma ecobag. A próxima etapa a ser cumprida é a criação de um site e uma plataforma e-commerce para comercialização dos produtos, que ajudará no objetivo de viabilizar o intercâmbio. A Lumix é a primeira cooperativa escolar a ser fundada dentre as quatro constituídas em 2019 com o apoio e orientação da Sicredi União Metropolitana RS.

Ideias que vão mudar o futuro da educação passaram pelo Sesi com@Ciência esta semana na Fiergs

Ideias que vão mudar o futuro da educação passaram pelo Sesi com@Ciência esta semana na Fiergs

Educação Negócios Notícias Poder Política Porto Alegre Tecnologia Trabalho

Os números do Sesi com@Ciência 2019 mais do que confirmam a necessidade de tornar a educação um foco definitivo de atenção da sociedade. Em apenas dois dias de programação totalmente gratuita e de múltiplas atividades, o Centro de eventos FIERGS, em Porto Alegre, recebeu 11 mil pessoas, 200 projetos, protótipos de 28 cidades na Mostra Científica, desenvolvidos por 832 estudantes que frequentam algum programa educacional do Serviço Social da Indústria (Sesi-RS), e 35 palestrantes e painelistas. “Em relação ao primeiro ano do evento, o público mais do que dobrou. É com satisfação que comemoramos, pois este é um marco histórico. O futuro só virá com coisas boas se trabalharmos para isso e a educação pode, e deve ser prioridade”, comentou o presidente da FIERGS, Gilberto Porcello Petry. Desde os pequenos da modalidade Contraturno Escolar, aos jovens das Escolas Sesi de Ensino Médio, até os alunos da Educação de Jovens e Adultos (EJA) de todo o Estado, professores da rede e também de escolas privadas e públicas, gestores em educação e pais, o Sesi-RS mobilizou este público para um objetivo comum: desenvolver e melhorar os caminhos da educação no Brasil. “É  muito bom poder dizer que é para o Brasil e não somente para o Rio Grande do Sul”, destacou o superintendente do Sesi-RS, Juliano Colombo.

IMG_1583
Foto: Dudu Leal

Colombo fez referência ao reconhecimento e recomendação por parte da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), uma área de extrema relevância no Ministério da Educação, para o modelo de consultoria de educação do Sesi-RS junto à prefeitura da cidade de Panambi. Neste aspecto, vale observar que o Sesi-RS tem feito esforços há alguns anos para chegar a esses resultados. “No caso de Panambi, a comunidade entendeu a urgência que é a educação como cidade e que não cabe a ninguém ficar de fora, professores, alunos, pais e empresários”, complementa a gerente da área de educação do Sesi-RS, Sônia Bier.
Em relação aos temas tecnológicos, algumas das palestras da segunda edição do Sesi com@Ciência chegaram a emocionar professores e jovens na  plateia. A educadora Debora Garofalo, que atua há 14 anos na rede pública de São Paulo e foi considerada uma das dez melhores professoras do mundo pelo Global Teacher Prize 2019, foi uma delas. Em sua apresentação, ela contou sobre a experiência de dar aula de tecnologias na Comunidade Alba, na periferia de São Paulo, que apresenta um dos maiores índices de violência urbana e tráfico de drogas na cidade.
Segundo ela, o local, que fica na Zona Sul da capital paulista, próximo a bairros nobres como Jabaquara, e do Parque Ibirapuera, sequer tem saneamento básico. E as crianças vivem uma realidade ainda mais dura. “70% dos pais ou mães das crianças estão presos. A escola estava rodeada de lixo, o que provocava mau cheiro, doenças e alagamentos em dias de chuva. Tive a ideia de transformar esse lixo em robótica”, contou. A princípio, os alunos não gostaram da proposta, de ir recolher lixo nas ruas. Ela sugeriu, então, que eles levassem os celulares e fotografassem a missão. O resultado é que não só registraram o lixo e a sucata, como também passaram a refletir sobre a situação em que viviam.
Em outro momento, a professora coordenadora da Área de Matemática do Programa de Formação de Professores do Sesi-RS, Mônica Bertoni, ministrou a “Oficina Construção de Modelos Mentais”. Ela tem 81 anos e é percebida no meio pedagógico como um exemplo de busca pelo conhecimento e adaptação aos novos tempos. Quando completou 80 anos, Mônica foi para a Universidade de Stanford, nos EUA, para fazer mais um curso de aperfeiçoamento.  Entre autoridades e nomes conhecidos que realizaram palestras no Sesicom@Ciência, o navegador Amir Klink, um dos grandes ícones da superação de desafios pessoais, declarou o quanto aprendeu ao mergulhar em busca de conhecimento em livros e pesquisas durante o planejamento de suas viagens. Ele disse que primeiro é preciso construir seu próprio barco para depois poder velejar e seguir em sua viagem. “No mar, não é possível cortar caminho. E na educação também não é possível. Temos que construir o caminho”, concluiu.
O Sesi com@Ciência reforçou a importância do Sesi-RS como um propulsor da qualificação da educação do Rio Grande do Sul. Em relação à educação pública, um exemplo desse movimento é a parceria com a Secretaria Estadual de Educação (Seduc) e a Capes na realização da Formação Continuada de Professores e Gestores da Rede Pública de Ensino do Rio Grande do Sul, para qualificar diretores e professores em módulos de gestão escolar, culturas juvenis, projetos e tecnologias, a partir da metodologia das Escolas Sesi de Ensino Médio.

Vestibular de Verão 2020: Unisinos amplia número de polos EAD no Estado

Vestibular de Verão 2020: Unisinos amplia número de polos EAD no Estado

Educação Notícias

As inscrições para o Vestibular de Verão 2020 da Unisinos já estão abertas em unisinos.br/vestibular e seguem até o dia 21/10. O processo seletivo contempla os cursos nas modalidades Presencial, Híbrido e EAD. Na Presencial, a Unisinos ainda dispõe de 21 opções de cursos da Graduação PRO, que desenvolve competências fundamentais para o profissional do futuro.

A novidade para quem escolher a modalidade EAD é a ampliação do número de polos de Ensino a Distância em todo o Estado. Além dos 20 já existentes, a Universidade lançou, neste mês de setembro, 13 novas unidades.

Na intenção de possibilitar o acesso ao conhecimento a um maior número de pessoas, com a mesma qualidade e excelência acadêmica ofertada nos campi, a Unisinos começou a operar polos nas cidades de Alvorada, Canela, Capão da Canoa, Eldorado do Sul, Estância Velha, Esteio, Guaíba, Igrejinha, Parobé, Santo Antônio da Patrulha, Sapiranga, Sapucaia do Sul e Torres.

Além desses, para os próximos meses, serão inaugurados dois novos polos, um no centro de São Leopoldo e outro em Canoas. A cidade de Caxias do Sul também está ganhando uma nova sede para receber os alunos da modalidade EAD. Para esse processo seletivo, todos os alunos que ingressarem no EAD Unisinos terão direito a um desconto de 30% no valor das mensalidades do curso durante o primeiro semestre.

“Na Unisinos, todo o material é desenvolvido pela Universidade e elaborado pelos mesmos professores do Presencial, a fim de garantir que os princípios formativos estejam presentes em todos os cursos e modalidades de ensino”, afirma o direto da Unidade Acadêmica de Educação Online, Vinícius Costa de Souza.

 

Nota máxima no MEC e excelência na educação

Por anos consecutivos, a Unisinos tem sido avaliada pelo Ministério da Educação (MEC) entre as melhores universidades privadas do país. Além do Rio Grande do Sul, com campi em São Leopoldo e Porto Alegre, a Unisinos está presente em outros seis estados do Brasil com polos de Ensino a Distância: Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Piauí.

Na Graduação EAD, os alunos estudam em cursos avaliados com nota 5, conceito máximo concedido pelo MEC para o Ensino a Distância, além de contarem com o acompanhamento de professores mestres e doutores, com experiência de mercado e formação específica nas atividades acadêmicas que ensinam.

A modalidade ainda possibilita flexibilidade ao graduando por meio de uma plataforma virtual de aprendizagem, o Canvas, utilizada pelas melhores universidades do mundo, onde é possível experimentar o conteúdo em diferentes formatos, interagir com a turma em webconferências e construir conhecimento de forma colaborativa. Considerado o melhor LMS (learning management system) da atualidade, o sistema é fácil de usar, confiável, flexível, colaborativo e tem como foco economizar tempo e esforços para facilitar o ensino e o aprendizado.

Sobre as provas

Esse ano o vestibular acontece mais cedo. Os candidatos a uma vaga nos cursos Presenciais e Híbridos deverão realizar as provas no dia 26/10. Já os vestibulandos dos cursos EAD poderão fazer a seleção no dia 26/10 ou agendar para outra data, a partir de 1/10, de acordo com a disponibilidade do polo escolhido no momento da inscrição.

Quem prestou o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2016, 2017 ou 2018 pode optar por utilizar a nota obtida como forma de ingresso na Unisinos. Nesse caso, está dispensado das provas.

As provas de Redação e de Questões Objetivas acontecem entre 9h e 12h30, sem intervalo. O candidato que realizar somente a Prova de Redação iniciará também às 9h e terá até as 11h para concluir o texto.

No dia 25/10, a partir das 14h, os candidatos poderão consultar a sala onde farão a seleção. Todos os vestibulandos devem chegar ao local da prova com uma hora de antecedência.

TRF4 mantém suspenso decreto que extinguia cargos e funções nas universidades e institutos federais do Rio Grande do Sul

TRF4 mantém suspenso decreto que extinguia cargos e funções nas universidades e institutos federais do Rio Grande do Sul

Destaque Direito Educação

O desembargador federal Ricardo Teixeira do Valle Pereira, do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), negou recurso da União e manteve liminar que suspendeu a aplicação do decreto nº 9.725/2019, que extingue cargos em comissão e funções de confiança, no âmbito das universidades e institutos federais do Rio Grande do Sul.

A ação apontando a inconstitucionalidade do ato normativo e requerendo a tutela antecipada foi movida pelo Ministério Público Federal (MPF). A liminar foi deferida em 30 de julho pela 10ª Vara Federal de Porto Alegre, levando a Advocacia-Geral da União a recorrer ao tribunal. Conforme a AGU, seriam priorizados os cargos em comissão e funções de confiança que estivessem vagos e tivessem baixa demanda, sem o comprometimento do funcionamento das instituições nem de sua autonomia.

Segundo o desembargador, “a extinção, de imediato, de cargos em comissão e funções de confiança poderá comprometer a gestão administrativa e o regular funcionamento das instituições de ensino atingidas pelos cortes anunciados pelo Poder Executivo Federal, havendo previsão inclusive de ser alcançados cargos ocupados”.

Valle Pereira ressaltou que o decreto extrapola previsão constitucional. “A extinção combatida extrapola o permissivo contido no artigo 84, incisos VI, alínea “b”, da Constituição Federal, o qual viabiliza a edição de decreto pelo Presidente da República para dispor sobre a extinção de funções e cargos públicos somente quando estiverem vagos”, efatizou o desembargador.

Para o relator, “é mais prudente manter a situação atual até que seja aprofundada a cognição ou até que haja manifestação por parte do órgão colegiado, considerando o risco de prejuízos à instituição e aos agentes públicos atingidos pela medida”.

As instituições abrangidas pela liminar são: a Universidade Federal do Rio Grande do Sul, a Universidade de Ciências da Saúde de Porto Alegre, a Universidade Federal de Santa Maria, a Universidade Federal de Pelotas, a Universidade Federal de Rio Grande, a Universidade do Pampa, o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul, o Instituto Federal Farroupilha e o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-Rio-Grandense.

O mérito do agravo de instrumento será julgado pela 4ª Turma e ainda não tem data marcada. O processo segue tramitando na 10ª Vara Federal de Porto Alegre

Educação: Anunciada primeira escola Cívico-Militar do Rio Grande do Sul. Projeto será implantado na Escola Alexandre Zattera, em Caxias do Sul

Educação: Anunciada primeira escola Cívico-Militar do Rio Grande do Sul. Projeto será implantado na Escola Alexandre Zattera, em Caxias do Sul

Agenda Destaque Educação

A Escola Estadual de Ensino Médio Alexandre Zattera, localizada no bairro Desvio Rizzo, em Caxias do Sul, vai sediar o projeto de escola cívico-militar de autoria do deputado estadual Tenente-Coronel Zucco(foto). O anúncio foi feito esta tarde (2/10), durante reunião realizada na sede da 4ª Coordenadoria Regional de Educação naquele município. Zucco afirma que se trata de uma grande notícia d porque torna realidade um projeto idealizado para resgatar valores e princípios ligadas à família e pátria. – Muitos pais tem nos procurado desde o anúncio do projeto de lei que tramita na Assembleia Legislativa – acrescentou.

ZuccoO parlamentar revela ainda que inúmeros prefeitos já mantiveram contato demonstrando interesse em instalar escolas cívico-militar em seus municípios. Para o deputado Zucco o interesse resulta da insatisfação das famílias com alguns procedimento pedagógicos ministrados dentro da sala de aula. – O que acontece em muitos estabelecimentos é uma lavagem cerebral que transforma nossos jovens em militantes, deixando de apreender conteúdos fundamentais para a sua formação como cidadão”, argumentou. A Escola Estadual de ensino Médio Alexandre Zattera, a exemplo de outras que abrigarão o sistema cívico-militar, receberá R$ 1 milhão destinados pelo Governo Federal para os procedimentos de instalação. Amanhã à tarde (3/10) deverá ser anunciado o estabelecimento que sediará a segunda escola cívico-militar no Rio Grande do Sul, desta vez no município de Alvorada, na região metropolitana.

Escolas Sesc de Educação Infantil recebem inscrições para 2020

Escolas Sesc de Educação Infantil recebem inscrições para 2020

Educação Notícias

A partir do dia 30 de setembro, estarão abertas as inscrições para o ano letivo de 2020 nas Escolas Sesc de Educação Infantil do Rio Grande do Sul (Sesquinhos). As escolas, que atendem crianças de 3 anos a 5 anos e 11 meses em turno integral e/ou parcial, buscam desenvolver há mais de 20 anos a curiosidade, a criatividade, o senso crítico e a autonomia infantil. Os interessados devem realizar a inscrição até o dia 25 de outubro nas unidades Sesc responsáveis. Há vagas gratuitas por meio do Programa de Comprometimento e Gratuidade (PCG) e vagas na modalidade Pagantes. Mais informações e o regulamento estão disponíveis no site  www.sesc-rs.com.br/educacao/educacao-infantil.

Por meio deste projeto, o Sistema Fecomércio-RS/Sesc oferece toda a infraestrutura e proposta pedagógica que entende a criança como sujeito ativo e protagonista do seu processo de conhecimento. São 19 escolas em todo o Estado certificadas e com equipes qualificadas para cuidar e ensinar: Alegrete, Bagé, Cachoeira do Sul, Cachoeirinha, Camaquã, Carazinho, Chuí, Ijuí, Lajeado, Novo Hamburgo, Porto Alegre (bairro Navegantes), Rio Grande, Santa Cruz do Sul, Santa Maria, Santa Rosa, Santana do Livramento, Santo Ângelo, Tramandaí e Viamão.

As bolsas gratuitas são direcionadas a famílias que possuem renda mensal de até três salários mínimos nacionais. As escolas oferecem alimentação, material escolar e uniforme, além de contar com uma qualificada equipe pedagógica e espaço escolar. Por meio de diversas atividades, a criança desenvolve seus aspectos físicos, socioemocionais e cognitivos. Nos Sesquinhos ao longo do ano letivo, acontecem ações voltadas à cultura, vivências de cidadania, integração com as famílias, desenvolvimento das linguagens artísticas, atividades de corpo e movimento e educação para a saúde.

 

Inscrições para Escolas Sesc de Educação Infantil – Sesquinho 2020

 

Período de inscrições: 30/09 a 25/10

Local: Unidades Sesc e site www.sesc-rs.com.br/educacao/educacao-infantil

* O regulamento está disponível no site  www.sesc-rs.com.br/educacao/educacao-infantil

Há vagas gratuitas por meio do Programa de Comprometimento e Gratuidade (PCG), e também vagas pagantes.

Jornalistas debatem educação no painel de abertura do Sesi com@Ciência

Jornalistas debatem educação no painel de abertura do Sesi com@Ciência

Comunicação Destaque Direito Educação

O painel de abertura do Sesi com@Ciência apresentou jornalistas de diferentes grupos de mídia do Rio Grande do Sul debatendo sobre novas iniciativas no campo do ensino. Com o tema ‘A Educação sob as lentes dos jornalistas: o que podemos esperar?’, os comunicadores Armando Burd, da Rede Pampa; Felipe Vieira, do SBT RS; Guilherme Kolling, do Jornal do Comércio; Oziris Marins, do Grupo Bandeirantes; Rosane de Oliveira, do grupo RBS, e Telmo Flor, do Correio do Povo, conversaram com o público na FIERGS analisando a perspectiva jornalística do tema.

IMG_0470
Encontro reuniu comunicadores de grupos de mídia do Rio Grande do Sul. Foto: Dudu Leal

Jornalista do SBT RS, Felipe Vieira abriu os trabalhos afirmando que a imprensa precisa valorizar mais a educação. “A realidade é essa: a imprensa trata muito mal a educação. Somos reativos. E não propositivos. Tem muita iniciativa legal neste evento. Circulem. Conversem com as crianças e verão uma série de projetos bem bacanas e muito bem elaborados”, frisou. Já Oziris Marins, jornalista do Grupo Bandeirantes, parabenizou a iniciativa e se disse surpreso com as boas práticas realizadas no espaço. “Dei uma volta pelo pavilhão junto dos meus colegas de painel e fiquei contente com o que vi. Esse modelo educacional do Sesi tem de ser observado com muito carinho pelos nossos governantes. É um caso de sucesso. Na Bandeirantes temos a premissa de mostrar o Rio Grande que dá certo e ideias como essas precisam ser difundidas”, disse.
Diretor de redação do Correio do Povo, Telmo Flor chamou a atenção do público para os extremismos quando se discute educação no país. “É hora de não perder tempo com tanto ódio. Muita gente fala sem ter o mínimo de fundamento. Precisamos estimular e propiciar locais de debates como esse. Precisamos falar e não gritar sobre o futuro e sobre um tema tão importante quanto esse”, enfatizou. Para o editor-chefe do Jornal do Comércio, Guilherme Kolling, chegou a hora de implementar tecnologia no ensino. “Temos de discutir uma reformulação no modelo educacional. Atualmente estamos conectados 24 horas à tela do smartphone e a educação não acompanha. Por isso, a imprensa tem papel fundamental na difusão desse novo mundo digital. De mostrar ao cidadão novidades e uma ampla gama para conhecer o que há de inovação”, avaliou.
Conforme o jornalista Armando Burd, da Rede Pampa, os laços educacionais estão cada dia mais deteriorados. “O professor não sente mais a gana de antigamente para lecionar. E isso é extremamente triste. Para a sociedade, para o profissional e para o aluno. Na minha infância os professores tinham prazer em dar aula e nós também em ter aquele momento com eles. Hoje falo com tristeza: essa relação se rompeu”. Por fim, a comentarista de política do Grupo RBS, Rosane de Oliveira, disse que é preciso valorizar os profissionais. “As escolas estão sucateadas. O Estado afirma não ter dinheiro para investir na base. Educação é a base de tudo. E não há educação sem a valorização do professor”, afirmou.
O painel foi uma das atrações do Sesi com@Ciência, um encontro com foco em educação que continua até essa terça-feira, 1º de outubro, no Centro de Eventos FIERGS, em Porto Alegre. Estudantes, docentes e pesquisadores, junto com a sociedade em geral, vão se reunir para expor, analisar e projetar o desenvolvimento do Brasil nesse tema. A expectativa é de mais de 10 mil participantes em todas as atividades nos dois dias, das 9h às 21h. Serão promovidos debates, vivências, apresentações, palestras e reflexões para o futuro.

Todas as atrações têm entrada franca. Confira em https://www.sesirs.org.br/evento/sesi-comciencia.