Porto Alegre: Trote Solidário Simers mobiliza calouros de Medicina

Porto Alegre: Trote Solidário Simers mobiliza calouros de Medicina

Comunicação Educação Notícias Saúde

O Trote Solidário 2018, iniciativa social do Simers (Sindicato Médico do Rio Grande do Sul), por meio de seu Núcleo Acadêmico, ocorre em Porto Alegre nos dias 17 e 18 de agosto. Reunindo os calouros de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS e Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA), o programação promove a doação de sangue pelos alunos e a arrecadação de alimentos não perecíveis e materiais de limpeza em diversos supermercados.

Promovido pelo Simers desde 2008, o Trote Solidário é uma parceria com as universidades, bancos de sangue e Banco de Alimentos do Rio Grande do Sul. O objetivo é extinguir a violência e substituir o “trote sujo” por duas ações solidárias: a doação de sangue e a arrecadação de alimentos não-perecíveis e materiais de limpeza em supermercados.

Além da Capital, o Trote Solidário acontece também na Região Metropolitana e no interior do Estado, reunindo estudantes de Medicina de faculdades situadas em Canoas, Novo Hamburgo, Lajeado, Passo Fundo, Caxias do Sul, Santa Maria, Uruguaiana e Pelotas.

Na edição de 2017, o Simers contabilizou 730 doações de sangue que beneficiaram aproximadamente 3 mil pessoas (cada bolsa pode ajudar até quatro pessoas). Além disso, foram arrecadadas mais de 35 toneladas de alimentos não-perecíveis, que foram encaminhadas para o Banco de Alimentos.

Campanha premiada

O Trote Solidário conquistou o prêmio TOP Ser Humano no Estado, promovido pela Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH-RS). O projeto social também arrematou o TOP Ser Humano Nacional, da ABRH Brasil.

Programação de Porto Alegre:

Doação de sangue (sexta-feira, 17/08)

– Hemocentro – Rua Bento Gonçalves nº 3722

– Hospital de Clinicas – Rua São Manoel nº 543 – Rio Branco

– Santa Casa – Av. Independência nº 975 (térreo)

– Hospital São Lucas PUCRS – Av. Ipiranga nº 6690 – 2º andar – Jardim Botânico

Arrecadação de alimentos (sábado, 18/08):

Nacional Bela Vista – Rua Carazinho, n° 788 -Tel.

Rissul/Unidasul – Av. Cristovão Colombo, 1980 Floresta

ASUN – PLINIO- Av. Plínio Brasil Milano, 1609 – Boa Vista

Carrefour – Av. Plinio Brasil Milano , 2343 – Passo D’Areia

Nacional Santana – Rua Vicente da Fontoura, 1135

Nacional Menino Deus – Av. José de Alencar, 998 –

Nacional Cidade Baixa- Av. Aureliano de Figueiredo Pinto, 789

Nacional Shopping Praia de Belas

BIG Cristal – Diário de Noticias, nº 500

Porto Alegre: Artistas gaúchos promovem Festival Lula Livre hoje no Memorial Prestes

Porto Alegre: Artistas gaúchos promovem Festival Lula Livre hoje no Memorial Prestes

Agenda Câmara dos Deputados Cidade Cultura Destaque Educação Eleições 2018 Negócios Notícias Política Porto Alegre

Acontece no Memorial Prestes, em Porto Alegre, nesta quarta-feira (15), o Festival Lula Livre. A manifestação cultural foi montada para apoiar o registro  no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em Brasília, a candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva ao seu terceiro mandato presidencial, tendo como vice o ex-prefeito Fernando Haddad.

A concentração acontece a partir das 17h. Confira programação:

17h40
Cortejo cultural comandado por artistas saindo do prédio para o memorial para o palco

17h45
Debora Finocchiaro faz leitura de apresentação do festival

17h50
Explanação da Resistência Democrática, Memorial e organização do festival

17h58
Boa Noite presidente Lula

18h
Richard Serraria

30443112_10209833120579467_6086355239848378368_o
Zé Adão

 

18h15
Zé Adão Barbosa recita Brecht

 

 

 

18h20
Roda Viva canta Chico Buarque

18h35
Cíntia Nunes recita Thiago de Melo

18h40
Banda Ói Nóis Aqui Traveis

18h55
Ricardo Silvestrin recita poema

19h
Demétrio Xavier

19h15
Nenung

19h30
Clube de Esquina

19h45
Marietti Fialho e Josué Krug

20h
Otto Guerra depoimento

20h05
Hique Gomez

20h10
Juçara Gaspar e Luciano Alves performance Frida

20h20
King Jim, Júlio Reny, Márcio Petracco Pedro Petracco e Oly Jr.

20h35
Performance circense

20h40
Preconceito Zero

20h55
Rhosangela Silveiro e João 7 Cordas

21h10
Só Amor

21h25
Liane Schuler e Lila Borges

 

21h40 Império da Lã17187446

 

 

 

 

 

 

21h55
Brasilian Sounds

22h10
Tania Farias e Johann Alex de Souza

22h25
Os Latinoamericanos

FMSS e Grupo RBS abrem inscrições para sexta edição do Prêmio RBS de Educação

Projetos que incentivam a leitura nas escolas podem ser enviados até o dia 12 de setembro

Estão abertas as inscrições para o Prêmio RBS de Educação — Para Entender o Mundo, projeto que chega à sua sexta edição premiando iniciativas de educadores das redes pública e privada. O objetivo é estimular práticas de mediação e incentivo à leitura em diferentes áreas do conhecimento, como literatura, matemática, artes e ciência.

Realizado pelo Grupo RBS e pela Fundação Maurício Sirotsky Sobrinho, o prêmio tem o apoio técnico do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec). Além da premiação para educadores, decidida por um júri técnico, a iniciativa conta com votação popular e menções honrosas para destacar trabalhos que, por meio da leitura, debatam temas como meio ambiente, cidadania, gênero, raça e inclusão (acessibilidade). O projeto pretende ajudar na implementação dos 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável propostos pela ONU.

As inscrições são gratuitas. Além de uma ficha técnica, os participantes devem enviar um vídeo apresentando sua iniciativa no site www.premiorbsdeeducacao.com.br

Cronograma

  • Inscrições para o prêmio: 31 de julho a 12 de setembro de 2018
  • Avaliação e seleção dos finalistas: 13 de setembro a 19 de outubro de 2018
  • Votação online: 23 de outubro a 3 de novembro
  • Cerimônia de premiação e Divulgação dos Vencedores: novembro

Avaliação

Na primeira etapa, as fichas de inscrição serão avaliadas por especialistas. Aquelas que obtiverem mais de 150 pontos, conforme critérios estabelecidos no regulamento, passam à segunda fase. Nessa etapa, os especialistas analisam os vídeos dos projetos selecionados. Os 20 mais bem pontuados de cada categoria (Educador de Escola Pública e Educador de Escola Privada) são classificados para a terceira etapa.

Um grupo de jurados do Grupo RBS e parceiros avaliarão os vídeos e, então, serão selecionados os 10 finalistas de cada categoria, bem como os vencedores de 1º, 2º e 3º lugar. Além de receber menções honrosas, os projetos finalistas irão para votação popular. Os ganhadores serão divulgados na cerimônia de premiação em novembro.

Premiação

  • 1º lugar de cada categoria: R$ 5.000
  • 2º lugar de cada categoria: R$ 3.000
  • 3º lugar de cada categoria: R$ 2.000
  • Menção honrosa: R$ 1.000
  • Para os 14 finalistas: R$ 1.000
  • Votação popular: Passes Fronteiras do Pensamento 2019

Todos os finalistas e vencedores terão seu projeto divulgado na Feira do Livro de Porto Alegre.  Os prêmios de vencedor e finalista não são cumulativos. No entanto, podem ser cumulativos com as menções honrosas, fazendo com que o valor máximo recebido por um educador seja de R$ 6.000 (1º Lugar + menção honrosa).

Curso online

O Prêmio RBS de Educação também oferece um curso online gratuito sobre Mediação de Leitura, destinado a profissionais que queiram aperfeiçoar suas práticas em sala de aula ou pessoas que queiram aprender sobre o tema. Para 2018, será lançado um novo curso chamado “As múltiplas faces da Leitura”, que receberá certificação da Secretaria Estadual de Educação do Rio Grande do Sul.

Ufrgs é uma das 10 melhores universidades da América Latina.

Ufrgs é uma das 10 melhores universidades da América Latina.

Destaque Economia Educação

A Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs) ficou em 10º lugar entre as universidades da América Latina. Entre as brasileiras, a Ufrgs fica na sexta colocação. A  Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), pelo segundo ano consecutivo, foi considerada a instituição de ensino superior mais prestigiada da América Latina no ranking de reputação acadêmica da revista Times Higher Education (THE). A Universidade de São Paulo (USP) aparece em segundo lugar.

A publicação da tradicional revista britânica ressalta o domínio das instituições brasileiras na região. Das 129 universidades que entraram para o ranking, 43 são do País – sendo que seis entraram para o top 10. No entanto, o relatório faz um alerta e diz que “apesar do domínio regional contínuo” a situação econômica brasileira coloca o sistema de ensino superior em ‘posição precária'”. “A profunda pressão financeira sobre suas universidades está prejudicando seu desempenho e atratividade no cenário global e colocando em risco seu imenso potencial. A reportagem completa está no Correio do Povo.

Jornadas Brasileiras de Relações do Trabalho acontece nesta sexta-feira, ao meio dia, em Cachoeira do Sul

Jornadas Brasileiras de Relações do Trabalho acontece nesta sexta-feira, ao meio dia, em Cachoeira do Sul

Agenda Destaque Direito Direito do Consumidor Economia Educação Negócios Poder Política Trabalho

A cidade de Cachoeira do Sul receberá, amanhã (06), as Jornadas Brasileiras de Relações do Trabalho. O evento acontece às 12h30min na sede do Sindilojas de Cachoeira do Sul. No evento serão apresentadas mudanças e inovações nas leis trabalhistas.

Serão painelistas o deputado federal e Presidente da comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público da Câmara, Federal, Ronaldo Nogueira; o ministro aposentado do Tribunal Superior do Trabalho, Gelson Azevedo e o desembargador do Tribunal Regional do Trabalho (TST) do Mato Grosso do Sul, Amaury Pinto Rodrigues Jr.

Porto Alegre: Congresso Gaúcho de Ginecologia e Obstetrícia tem inscrições abertas

Porto Alegre: Congresso Gaúcho de Ginecologia e Obstetrícia tem inscrições abertas

Agenda Educação Notícias Porto Alegre Saúde Trabalho
O XXI Congresso Gaúcho de Ginecologia e Obstetrícia, que ocorre entre os dias 2 e 4 de agosto de 2018 no Plaza São Rafael Hotel, no Centro Histórico de Porto Alegre, ocorre em meio à programação dos 70 Anos da Sociedade de Ginecologia e Obstetrícia do Rio Grande do Sul (SOGIRGS). Para atender ao evento científico foi elaborada uma grade de conferências, cursos, simpósios, painéis e mesas redondas para tratar dos principais temas da especialidade. Segundo o presidente da SOGIRGS, Breno Acauan Filho,os palestrantes bem como os assuntos foram escolhidos cuidadosamente, a fim de levar ao congressista o que há de mais atual na especialidade. 
Foram convidados diversos palestrantes internacionais como o professor de Obstetrícia e Ginecologia da University of New Mexico School of Medicine, Alan G. Waxman, de Albuquerque (EUA); a médica Oncologista pediátrica Joanne Kurtzberg, da Universidade de Duke (EUA) e o Professor Titular de Obstetrícia e Diretor do Departamento de Tocoginecología da Faculdade de Medicina de Buenos Aires (AR), Mario S.F. Palermo.
 As inscrições para o Congresso podem ser feitas no site da SOGIRGS até a data do evento, mas as vagas são limitadas. Informações no site http://www.sogirgs.org.br/congresso2018/
 
Serviço
XXI Congresso Gaúcho de Ginecologia e Obstetrícia
Data: 2 a 4 de agosto de 2018
Local: Hotel Plaza São Rafael (Av. Alberto Bins, 514), Centro Histórico/POA
Realização: Associação de Obstetrícia e Ginecologia do Rio Grande do Sul (SOGIRGS)
Câmara pode votar nesta quarta projeto da Escola sem Partido

Câmara pode votar nesta quarta projeto da Escola sem Partido

Agenda Comportamento Comunicação Crianças Cultura Destaque Educação Poder Política
A Câmara dos Deputados pode votar nesta quarta-feira (4) a proposta que cria o programa Escola sem Partido. O projeto altera a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) para afastar a possibilidade de oferta de disciplinas com conteúdo de “gênero” ou “orientação sexual” em escolas de todo o país.

Pelo texto do relator, deputado Flavinho (PSC-SP), cada sala de aula terá um cartaz com seis deveres do professor, entre os quais está a proibição de usar sua posição para cooptar alunos para qualquer corrente política, ideológica ou partidária. Além disso, o professor não poderá incitar os alunos a participar de manifestações e deverá indicar as principais teorias sobre questões políticas, socioculturais e econômicas.

Brasília - Deputado Flavinho (PSB/SP) fala durante discussão do processo de impeachment de Dilma, no plenário da Câmara (Valter Campanato/Agência Brasil)
Deputado Flavinho, relator do projeto Foto: Valter Campanato/ABr

Segundo o relator, o problema da doutrinação política e sexual no ambiente escolar é “latente, crônico e traumático” e tem sido negligenciado ao longo dos anos no Brasil. “Há muitos anos, tem sido jogado para debaixo do tapete e acobertado sob o manto da liberdade de expressão e da liberdade de cátedra dos doutrinadores travestidos de docentes. Não podemos mais permitir que os alunos, parte mais vulnerável do processo, e suas famílias sejam constantemente atacados em seus direitos e vilipendiados em suas convicções pessoais”, afirmou o deputado à Agência Brasil.

O projeto está pautado para ser votado na comissão especial criada para discutir o assunto e tramita em caráter conclusivo. Caso aprovado, pode ser encaminhado diretamente para apreciação do Senado. Como se trata de um tema polêmico, deputados podem recorrer para que a matéria também seja analisada pelo plenário da Câmara.

As diretrizes estabelecidas no projeto também devem repercutir sobre os livros paradidáticos e didáticos, as avaliações para o ingresso no ensino superior, as provas para o ingresso na carreira docente e as instituições de ensino superior.

O projeto inclui na LDB a ideia de que os valores de ordem familiar têm precedência sobre a educação escolar nos aspectos relacionados à educação moral, sexual e religiosa. Pelo texto de Flavinho, a lei entraria em vigor dois anos após aprovada.

Críticas

Crítico do Escola sem Partido, o deputado Bacelar (Pode-BA) já apresentou formalmente um voto contrário ao parecer de Flavinho. Segundo o parlamentar baiano, o projeto tem trechos inconstitucionais, e o texto apresentado pelo relator “não sana tais problemas, ao contrário, torna-os extremamente evidentes”.

“Não é razoável pensar na relação entre as liberdades de ensinar e de aprender sem considerar prioritariamente a base de toda a pedagogia, que é a relação ensino-aprendizagem. Para nós, não faz sentido a indagação do parecer ‘Até onde vai o direito de ensinar [do professor], de modo a não colidir com o direito de aprender [do aluno]?’ Na verdade, a liberdade de ensinar não existe sem a de aprender, e ambas não se concretizam se não houver relação ensino-aprendizagem efetiva”, afirmou Bacelar.

De acordo com o deputado, é um equívoco a matéria colocar a liberdade de aprender e de ensinar como aspectos contraditórios. “Além de colocar as liberdades de aprender e de ensinar como se fossem direitos antagônicos, e não interrelacionados em uma dinâmica sempre complexa, o relator afirma que a ‘liberdade de expressão’ do professor só pode ser exercida em contextos alheios ao exercício da sua função, o que é um absurdo.”

Bacelar afirmou ainda que a retirada do conteúdo de “gênero” ou “orientação sexual” é preconceituosa e fere a Constituição Federal. “Tal expressão traz consigo uma extrema distorção do que seriam estudos de gênero e não é sequer definida ou utilizada no meio acadêmico. É utilizada apenas por aqueles que, eles, sim, carregam uma ideologia muito clara: uma ideologia machista, autoritária, heteronormativa e avessa a direitos humanos”, argumentou Bacelar.

Para o relator da proposta, a medida não limita o plano curricular, “nem fere a liberdade de expressão do cidadão, que deve ser usada na sua esfera pessoal, e não no ambiente escolar”. Segundo Flavinho, a Constituição Federal não trata de “questões de gênero”, mas do devido respeito a todos, independentemente de raça, sexo, cor ou religião.

Cartaz

Pela proposta, deverá ser afixado em todas as escolas públicas e privadas do país um cartaz com o seguinte conteúdo, que seriam os deveres do professor :

1. Não se aproveitará da audiência cativa dos alunos, com o objetivo de cooptá-los para nenhuma corrente política, ideológica ou partidária;

2. Não favorecerá, nem prejudicará os alunos em razão de suas convicções políticas, ideológicas, morais ou religiosas;

3. Não fará propaganda político-partidária em sala de aula, nem incitará os alunos a participar de manifestações, atos públicos e passeatas;

4. Ao tratar de questões políticas, socioculturais e econômicas, apresentará aos alunos, de forma justa, as principais versões, teorias, opiniões e perspectivas concorrentes a respeito;

5. Respeitará o direito dos pais a que seus filhos recebam a educação moral que esteja de acordo com suas próprias convicções;

6. Não permitirá que os direitos assegurados nos itens anteriores sejam violados pela ação de terceiros, dentro da sala de aula.                                (Heloisa Cristaldo /Agência Brasil )

Silenciosos e atentos, cegos acompanham a vitória do Brasil sobre o México; por Raphaela Suzin/Correio do Povo

Silenciosos e atentos, cegos acompanham a vitória do Brasil sobre o México; por Raphaela Suzin/Correio do Povo

Destaque Direito Educação Esporte

Enquanto cada lance do jogo do Brasil era comemorado e gritado em diversos cantos do País, em uma sala na Associação dos Cegos do Rio Grande do Sul (Acergs), no Centro de Porto Alegre, a torcida era silenciosa, mas muito confiante. A atenção estava totalmente voltada para o som da televisão, que transmitia o jogo do Brasil contra o México, válido pelas oitavas de final da Copa do Mundo.

Sem enxergar, eles precisam prestar atenção na narração para acompanhar o jogo e, como diz a instrutora de braile, Franciele Brandão, 31 anos, “imaginar os lances”. “A gente acompanha pela televisão ou pelo rádio, mas não sabemos exatamente como os lances acontecem. Temos que imaginar”, explicou. A reportagem completa está no Correio do Povo.

Depois de classificar Uruguai para  Oitavas de Final da Copa da Rússia Oscar Tabarez pede que governo invista em educação

Depois de classificar Uruguai para Oitavas de Final da Copa da Rússia Oscar Tabarez pede que governo invista em educação

Cultura Destaque Educação Esporte Mundo Poder Política

O ex-treinador do Boca Junior e seleção de driver do Uruguai há mais de uma década, escreveu uma carta aos professores em seu país, destacando a necessidade de apoiar a educação pública e pedindo ao presidente Tabaré Vázquez alcançar o prometido 6% do PIB para a educação.

Com termos futebolísticos, “The Master” desempenha uma metáfora para colaborar com os professores reivindicam seu país em meio a um mundo onde sua equipe venceu o Grupo A com uma pontuação perfeita, em junho deste ano não é 01 de junho também. Neste mês nós jogamos o futuro dos nossos jovens. É a oportunidade de conhecer prometeu “Tabárez lances e, em seguida, direcionar suas críticas diretamente ao Governo:” É hora de cumprir sua promessa e chegar a 6% do PIB para a educação pública.

“Não há nenhum ponto ser campeões do mundo se os nossos jovens não sabem onde é a Rússia ou a equipe francesa porque há tantos jogadores nascidos na África ou os pais africanos” professor uruguaio técnica e respeitado análoga.

A carta completa:

Caros compatriotas, estamos num momento decisivo para o país, para os nossos jovens e para o nosso futuro. Hoje em dia vamos jogar um dos jogos mais importantes. O apoio, apoio e solidariedade de cada um dos uruguaios é necessário.

Se não obtivermos bons resultados agora e não atendermos às expectativas e esperanças de milhares de uruguaios, teremos que esperar anos para reverter a situação.

Este junho, não é nenhum junho. Neste mês nós jogamos o futuro dos nossos jovens. É a oportunidade de cumprir a promessa, e colocar o objetivo mais importante: dar aos nossos jovens melhores condições de estudo, para colocar a educação pública nas melhores ligas dos rankings internacionais. É hora de cumprir o que foi prometido e chegar a 6% do PIB para a Educação Pública.

Como professora, conheço o esforço, a dedicação e o comprometimento que cada professor faz nas salas de aula, naquele difícil tribunal para jogar. Nesse campo, os rivais e as dificuldades são enormes. A má nutrição dos alunos, a falta de incentivos e motivação, falta de materiais de ensino para o trabalho, dificuldades de aprendizagem, superpopulação e, sobretudo, a falta de reconhecimento desse importante para construir um melhor trabalho da sociedade.

Portanto, a parte que devemos apoiar é aquela que os professores e alunos desempenham na próxima prestação de contas.

Não ajuda ser campeão do mundo se os nossos jovens não sabem onde é a Rússia, ou porque na seleção francesa há tantos jogadores nascidos na África ou com pais africanos. Não ajuda sermos campeões se nossos jovens não transmitirem a eles aquilo que eles valorizam e acreditarem que têm um futuro promissor. Temos uma responsabilidade e obrigação de dizer a todos os jovens e crianças do Uruguai que acreditam neles e que vale a pena apostar em seu futuro, e se necessário fazer mais esforços para dar o que eles merecem o que fazemos.

O momento é agora, vamos cantar o hino forte para dizer “vamos saber como cumprir”.
Eles devem cumprir o que foi prometido, 6% do PIB da Educação Pública.

Saudação fraterna e respeitosa a todos os professores do Uruguai.

Oscar Washington Tabárez

 

Leia a notícia em Espanhol no Contrapoder.

Só 2,4% dos jovens querem ser professores no Brasil

Comportamento Cultura Educação Notícias

Baixos salários e pouco reconhecimento social estão afastando potenciais futuros professores da profissão. De acordo com dados da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), só 2,4% dos alunos de 15 anos demonstram interesse pela docência no Brasil – há 10 anos, esse número chegava a 7,5%, informa Isabela Palhares. O relatório indica ainda que a profissão é uma opção para aqueles cujos pais só concluíram o ensino fundamental: 3,4% buscam o magistério, ante 1,8% dos que têm pais com ensino superior.

Além disso, os alunos que escolhem seguir na docência estão entre os que têm pior rendimento escolar, com médias em Matemática e Leitura inferiores às dos jovens que buscam outras carreiras. Na outra ponta, metade dos docentes ouvidos em pesquisa do Todos pela Educação não indicaria a própria profissão aos estudantes. A reportagem completa está em O Estado de São Paulo.