Porto Alegre: Vereador  protocola pedido de manutenção do Unipoa e Pré-Vestibular Municipal

Porto Alegre: Vereador protocola pedido de manutenção do Unipoa e Pré-Vestibular Municipal

Cidade Cultura Destaque Direito Direito do Consumidor Economia Educação Marchezan
Foi protocolado, nesta quinta-feira, na Câmara de Vereadores de Porto Alegre, uma indicação à Prefeitura de Porto Alegre pela manutenção dos programas Unipoa e Pré-Vestibular Municipal. Os dois programas tiveram seu fim anunciado pelo Executivo na semana passada. A indicação foi protocolada pelo vereador André Carús (PMDB), que solicita que a prefeitura siga realizando esses projetos que garantem acesso ao nível superior a jovens de baixa renda. “O protocolo foi feito hoje pela manhã e tem o objetivo de realizar um estudo orçamentário e financeiro por parte do tesouro municipal para que sejam preservados os dois programas. Mesmo sabendo da dificuldade financeira enfrentada pelo município, esses programas podem ser mantidos e não extintos. Basta adequá-los a essa realidade, de acordo com a disponibilidade de recursos que a prefeitura pode investir. Ou no caso do Unipoa, abrir mão da arrecadação”, declara o vereador.
Na tribuna: Vereador André Carús
André Carus sugere que seja feito estudo, além de contrapartida, redução de vagas e controle da evasão. Foto: Carolina Andriola/CMPA

Na indicação, o vereador pede a realização de estudo técnico, orçamentário e financeiro para que os respectivos programas sejam mantidos, adequados à realidade do Tesouro Municipal. Como sugestão aos benefícios, Carús destaca no documento a instituição de contrapartida pelos jovens, a redução das ofertas de vagas, até que as dificuldades nas finanças do município comecem a ser superadas, e o controle da evasão dos inscritos do Unipoa.

No último dia 11 de julho, a Prefeitura de Porto Alegre alegou não ter obrigação constitucional para a função e anunciou que vai deixar de conceder novas bolsas de graduação para alunos de baixa renda. Segundo a nota oficial divulgada pela Secretaria Municipal de Educação, o poder público municipal oferta serviços com “foco na Educação Infantil e no Ensino Fundamental, áreas nas quais concentra esforços para reverter um déficit de aproximadamente 10 mil vagas”.

O executivo garantiu que vai honrar o compromisso assumido pelo poder público municipal com os alunos já inscritos no programa, não interrompendo o programa neste ano de 2017 e até o final da graduação dos estudantes. Ainda segundo a prefeitura, um estudo realizado pela Procuradoria-Geral do Município e as Secretarias de Educação, da Fazenda, de Planejamento e Gestão, de Desenvolvimento Social e de Desenvolvimento Econômico teria indicado a necessidade de esclarecimento de eventuais irregularidades encontradas no Unipoa. Isso porque foi verificado que parte das bolsas foi concedida sem previsão legal do orçamento, sendo necessário aguardar o término do primeiro semestre para verificar a quantidade de alunos que atingiram ou não os requisitos básicos de frequência e aproveitamento das cadeiras para o benefício no segundo semestre.

Atualmente, 1.216 alunos são beneficiados com as bolsas. Desde 2010, através da renúncia fiscal das universidades privadas, foram utilizados R$ 50,9 milhões para os estudantes. Para este ano, a previsão é de R$ 10,1 milhões. (Guilherme Kepler / Rádio Guaíba)

No mercado de maconha, negócios que dão a maior onda; por por Lucianne Carneiro/O Globo

No mercado de maconha, negócios que dão a maior onda; por por Lucianne Carneiro/O Globo

Comportamento Destaque Direito Direito do Consumidor Economia Educação Mundo Saúde

Porto Alegre: Escola promove Gincana Solidária

Na última semana de aula antes do recesso, alunos da Escola Cristã Reverendo Olavo Nunes terão de levar roupas e artigos de higiene para serem doados ao Asilo de Cegos

Antes das férias, a solidariedade. Os alunos da Escola Cristã Reverendo Olavo Nunes terão três dias diferentes na última semana de aula, com a arrecadação de produtos para o Asilo de Cegos e também Show de Talentos e atividades de inglês.

Na segunda-feira (17), a Gincana Solidária tem como primeira tarefa fazer com que os estudantes do Ensino Fundamental levem à escola kits de higiene pessoal, como sabonete, creme dental e desodorante.

Na terça, será a vez de mostrarem seus talentos na dança e na música, onde se apresentarão na área coberta da escola, além de doarem agasalhos para a Campanha do Agasalho 2017, sendo esta a segunda tarefa da gincana.

Um cinema com pipoca está agendado, na quarta-feira (19), para os alunos do 1º e 2º ano, enquanto os do 3º e 4º participam do Soletrando em Inglês, onde deverão levar acessórios de inverno, como touca, luva e cachecol, para poder participar da ação.

Ao final, será realizado um lanche coletivo com pratos de inverno e chocolate quente.

Professores fazem caminhada no Centro de Porto Alegre em manifestação contra o governo Sartori

Professores fazem caminhada no Centro de Porto Alegre em manifestação contra o governo Sartori

Direito Educação Notícias Porto Alegre Sartori

Cerca de 300 professores de diversos núcleos do Cpers Sindicato realizaram uma caminhada no Centro de Porto Alegre na manhã desta terça-feira. Eles protestam contra projetos do governo do Estado que serão votados na Assembleia Legislativa.

Após a caminhada, os professores se concentraram na Praça da Matriz. O grupo realiza vigília em frente à Assembleia Legislativa para acompanhar a votação dos deputados nesta tarde.

Deputados tentam limpar pauta

A Assembleia Legislativa define nesta terça-feira a pauta de votações desta semana, a última antes do recesso parlamentar, que começa no dia 17. Há possibilidade de sessões extraordinárias serem realizadas na quarta e na quinta para “limpar a pauta”, já que 52 matérias estão aptas a serem votadas.

Entre elas estão quatro propostas de emenda constitucional (PECs) de autoria do Governo Sartori a serem votadas em primeiro ou segundo turno. Contra elas que os professores e outros servidores protestam:

– A PEC 261 estabelece alteração na contagem do tempo de serviço dos servidores e gerou muitos debates na semana passada. O governo se comprometeu a enviar nova PEC para corrigir o texto aprovado. A PEC 242 é a que extingue a licença-prêmio assiduidade dos servidores estaduais, criando a licença capacitação.

– A PEC 258/2016 é a que extingue o direito aos adicionais por tempo de serviço dos servidores e determina que dependem de lei específica a concessão e o pagamento de auxílios ou quaisquer parcelas de caráter indenizatório a servidores e a membros dos poderes.

– A PEC 257/2016 revoga o artigo 35 da Constituição estadual. O artigo 35 é o que estabelece que o pagamento da remuneração mensal dos servidores públicos do Estado e das autarquias ocorre até o último dia útil do mês do trabalho prestado e que o pagamento do décimo terceiro salário é efetuado até 20 de dezembro.

– PEC 256/2016 é a que altera a redação do inciso II do artigo 27 da Constituição, determinando que as licenças a servidores para exercerem mandatos em sindicatos e entidades de classe deixem de ser remuneradas. (Correio do Povo)

Projeto Horizontes da Inovação une Tecnopuc e Universidade Aberta de Porto Alegre (UnA)

Cidade Destaque Educação Política Porto Alegre Tecnologia

A primeira edição do Projeto Horizontes em 2017, iniciativa do Tecnopuc que também faz parte da programação da Universidade Aberta de Porto Alegre, traz à Universidade Sonia Palomo, diretora do Parque Tecnológico de Andalucía (PTA), para abordar o tema “O cenário dos Parques Tecnológicos Espanhóis e o caso do PTA”, apresentando as origens e a evolução do ecossistema de inovação espanhol.

“Horizontes da Inovação” é um dos ciclos que compõe a programação da Universidade Aberta, projeto da Prefeitura de Porto Alegre desenvolvido pelas Secretarias de Cultura, Educação e Desenvolvimento Econômico, e tem apoio do Conselho Superior de Inovação da PMPA e do Tecnopuc. O evento ocorre no dia 4 de julho, das 17h30min às 19h, no auditório do Global Tecnopuc (prédio 97A do Campus (Av. Ipiranga, 6681 – Porto Alegre).

No mesmo encontro, Ghissia Hauser, que atua na Diretoria de Incentivo ao Desenvolvimento da Metroplan, apresenta a palestra Parques tecnológicos, redes globais e centralidade urbana: o caso do Tecnopuc. Ela irá explorar os benefícios trazidos por parques tecnológicos e a importância de estudá-los, para levar importantes informações e novas oportunidades às empresas da nova economia.

 

SERVIÇO:

As inscrições são gratuitas, abertas ao público e podem ser realizadas neste link. As vagas são limitadas à capacidade do auditório.

Mais informações podem ser obtidas pelo fone (51) 3353-6004 ou pelo e-mail.

Noite adentro: Tailor Diniz autografa novo romance publicado pela editora Grua Livros

Noite adentro: Tailor Diniz autografa novo romance publicado pela editora Grua Livros

Cidade Cultura Destaque Educação Feira do Livro Porto Alegre

É noite, faz frio quando Antonio Messias desce do ônibus na fronteira do Brasil com o Uruguai. Na frente da inóspita rodoviária, toma um táxi para Castillo Blanco, cidade uruguaia, no outro lado do rio. Depois de atravessar a ponte que liga os dois países, passando pelos policiais da alfândega, chega a um bairro deserto. Confere o endereço, observa a paisagem sombria e por um momento hesita. Logo aparece Inácio Aramendía, seu amigo de faculdade e companheiro de militância dos longínquos anos 1970, que o recebe com a senha: Eu-odeio-rock-in-rio!

57579092-edb5-4d16-a2f9-2df39eb0ce5fSe Antonio chega fugindo de algo que ele não deixa claro, Aramendía não disfarça sua ligação com o crime da região, liderado por seu amigo Torté Navaja. Começa, então, uma jornada de doze horas noite adentro regada a álcool, a parrillada, a histórias de crimes e amores. Preso ao redemoinho de fatos que se sucedem num ritmo veloz e descontrolado, Antonio descobre com surpresa que Valentina Torquato, namorada de faculdade, havia sido casada com Aremendía. Descobre, também, em Clemenza Ruíz, mulher de Torté Navaja, uma figura cujas definições se perdem entre a neblina da noite e a áurea de sonho ou delírio.

Noite adentro junta-se a Em linha reta (semifinalista do Prêmio Oceanos 2015) e A superfície da sombra (adaptado para o cinema em 2017), ambos publicados pela Grua e que têm em comum o tema “fronteiras e sombras”.

Tailor Diniz é escritor e roteirista de cinema e TV. Tem 16 livros publicados, dentre os quais Transversais do tempo (Bertrand Brasil, Prêmio Açorianos de Literatura 2007 – Melhor Livro de Contos, e Prêmio Associação Gaúcha de Escritores 2007 – Melhor Livro de Contos), Crime na Feira do Livro (Dublinense, traduzido para o alemão e finalista do Prêmio Açorianos de Literatura 2011 – Narrativa Longa) e Mistério no Centro Histórico (Dublinense, 2016). Pela Grua Livros também publicou A superfície da sombra (2012, adaptado para o cinema) e Em linha reta (2014, semifinalista do Prêmio Oceanos 2015).

 

LANÇAMENTO DE Noite adentro, com sessão de autógrafos do autor.

Data e horário: 5 de julho de 2017 (quarta-feira), a partir das 19h30min.

Local: Livraria Saraiva – Moinhos Shopping (Rua Olavo Barreto Viana, nº 36 – Porto Alegre – RS).

Preço: R$ 36,00 (exemplar) / Romance / Formato: 14 x 21 cm / 176 páginas / ISBN 8561578637

Helenir Schürer é reeleita presidente do Cpers por mais três anos

Helenir Schürer é reeleita presidente do Cpers por mais três anos

Destaque Educação Poder Política

A chapa 2: “Cpers Unido e Forte”, de situação, venceu as eleições para a direção do Cpers Sindicato, que representa o magistério público estadual. Com isso, a professora Helenir Schürer se mantém à frente da entidade pelos próximos três anos.

Com quase 90% dos votos apurados, a chapa 2 tinha 55,3% de preferência, seguida pela chapa 1, com 38,4%. O resultado oficial deve ser divulgado nesta sexta-feira.

Votaram, entre ontem e hoje, professores e funci0nários de escola associados à entidade. Também foram eleitas as diretorias dos 42 Núcleos do sindicato.

Maior entidade de classe do Sul do país, o Cpers soma atualmente 83,2 mil associados em todo o Rio Grande do Sul. A expectativa da presidente da comissão eleitoral, Nilza Schebella, era de 50% desse contingente participando do pleito. A parcial, porém, sinaliza que cerca de 38 mil votaram.

Quatro chapas concorriam à Direção Central:

-Chapa 1: A categoria em primeiro lugar, unida para lutar
Presidente: Rejane Silva de Oliveira

-Chapa 2: CPERS Unido e Forte
Presidente: Helenir Aguiar Schürer

-Chapa 4: Construção pela Base – por um CPERS organizado pela base e de luta pelo socialismo
Presidente: Lucas Cortozi Berton

-Chapa 5: Lutar sempre
Presidente: Tânia Mara Magalhães Freitas            (Rádio Guaíba)

Livros: Juremir Machado da Silva mostra como a imprensa cobriu a abolição da escravatura e reflete sobre pensamento conservador no Brasil

Livros: Juremir Machado da Silva mostra como a imprensa cobriu a abolição da escravatura e reflete sobre pensamento conservador no Brasil

Agenda Comportamento Cultura Destaque Direito Educação Poder Política

Como o Brasil acordou na segunda-feira, 14 de maio de 1888, um dia depois de promulgada o fim da escravidão no país? Como os jornais noticiaram a abolição? Partindo dessas questões, o jornalista e historiador Juremir Machado mergulhou nos arquivos da época e resgatou não só a reação da imprensa, mas também os discursos dos políticos, empresários e jornalistas antes e depois da lei que libertou os escravos, mas não previu nenhuma política de acolhimento nem de inclusão dos negros na sociedade. O resultado dos seus cinco anos de pesquisa resultaram no livro “Raízes do conservadorismo brasileiro”, lançado neste mês de junho pela Civilização Brasileira.

O livro mostra como os discursos e estratégias dos atores sociais da época são semelhantes ao conservadorismo da sociedade brasileira desde então. “O que mais me chamou atenção nesse universo de políticos, fazendeiros, barões do café, jornalistas e outros é o quanto as suas visões de mundo se refletem no agronegócio de hoje, no cinismo dos políticos atuais, na hipocrisia de certos jornais e na insensibilidade com a dor alheia. A retórica conservadora é praticamente a mesma, sempre baseada na chantagem e na disseminação do medo”, afirma Juremir, em entrevista para o blog da editora.

image003(4)A repressão da polícia ao movimento abolicionista, a justificativa estapafúrdia de que a abolição acabaria com a economia do país, os pedidos infundados de indenização por proprietários rurais e a disseminação de preconceitos contra os negros não foram suficientes para barrar o movimento abolicionista. O autor destaca o papel da imprensa independente e também o papel dos próprios escravos, que costuma ser relegado, na luta pela sua liberdade.

“A abolição foi uma conquista dos negros e dos seus aliados que se deu em três frentes: a rua, o parlamento e a imprensa. Por uma vez na vida, tivemos, em paralelo com a imprensa conservadora, uma profusão de jornais abolicionistas que conseguiram disseminar os valores da abolição numa sociedade de maioria analfabeta. Foi uma façanha. Não houve concessão da Coroa nem abolição por exclusiva pressão inglesa ou por imposição pura da dinâmica capitalista. A luta dos homens e das mulheres foi decisiva para desmontar um discurso de naturalização da escravidão”, ressalta.

Juremir Machado da Silva é escritor, tradutor, jornalista e professor universitário. Graduado em história e em jornalismo pela PUCRS, tem mestrado em antropologia pela UFRGS e doutorado em sociologia pela Université Paris V – Sorbonne. Publicou mais de trinta livros, entre ficção, ensaio e tradução. Foi condecorado Chevalier de l’Ordre des Palmes Académiques, pelo governo francês, em 2008, e venceu o 2º Prêmio Brasília de Literatura com a obra Jango: a vida e a morte no exílio, em 2014. Este é seu primeiro livro pela Civilização Brasileira. A obra traz à tona o papel de abolicionistas menos conhecidos e elogia intelectuais abolicionistas famosos como José do Patrocínio, Joaquim Nabuco e Rui Barbosa. Ao transcrever os discursos dos políticos, mostra como o romancista José de Alencar, que votou contra a Lei do Ventre Livre, era um “conservador renhido, escravocrata convicto, sempre pronto a sofismar em nome da sua crença”.

Num dos trechos mais chocantes, reproduz trechos da “Lenda da criação do negro”, ficção publicada num jornal do Espírito Santo cheia de clichês racistas, que ainda persistem no imaginário brasileiro racista. “Raízes do conservadorismo brasileiro” mostra que ainda estamos longe de reconhecer e pagar a dívida com a escravidão. “Nesse sentido, ainda somos os mesmos e vivemos como no século XIX”, conclui o autor.

TRECHO:

“O que se vê percorrendo os subterrâneos do passado brasileiro? O que se encontra nos desvãos da história da escravatura no Brasil? Nada mais do que as raízes daquilo que o país continua a ser. Se hoje a Justiça ainda é acusada de privilegiar os brancos ricos, ontem ela servia abertamente aos interesses dos brancos proprietários de escravos. Se atualmente a polícia é suspeita de discriminar os negros, ontem ela era o capitão do mato caçando escravos fugitivos e cumprindo o papel de garantir pela força a ordem da escravidão, a permanência em cativeiro, sob sequestro permanente, de seres humanos traficados da África ou de alguma província do Brasil para outras. Se hoje a mídia é vista como reprodutora da ideologia conservadora, que legitima a desigualdade social, ontem a imprensa era veículo de disseminação de teorias racistas e de ideologias de dominação. O parlamento foi, durante muito tempo, a caixa de ressonância sem estática dos interesses das elites escravistas, em que liberais e conservadores distinguiam-se quase tanto quanto gêmeos univitelinos.”

 

VEJA ENTREVISTA DE JUREMIR MACHADO DA SILVA AO PROGRAMA 21h30/TVU

 

Lançamento será no dia 29 de junho na Saraiva Moinhos, em Porto Alegre, a partir das 19hs

Leia entrevista com o autor no blog da editora: http://bit.ly/2sTfN7G

RAÍZES DO CONSERVADORISMO BRASILEIRO

Juremir Machado da Silva

Páginas: 448

Preço: R$ 54,90

Editora: Civilização Brasileira / Grupo Editorial Record

 

 

 

 

Repasse de R$ 40,5 milhões para reformas em 298 escolas começa segunda

Repasse de R$ 40,5 milhões para reformas em 298 escolas começa segunda

Agenda Destaque Educação Poder Política Sartori

O repasse de R$ 40,5 milhões para reformas e pequenas ampliações em 298 escolas da rede pública de ensino começa nesta segunda-feira (26). A previsão é de que o prazo para a transferência de recursos, por depósitos, entre na conta até 30 de junho. No último dia 14, o governador José Ivo Sartori anunciou o repasse originário de financiamento do Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (Bird).

“Investir em educação é investir no futuro, e a Educação é uma prioridade do nosso governo. O objetivo é melhorar o ambiente escolar, contribuindo para aumentar a qualidade do ensino público, pois o atendimento ao estudante gaúcho é o nosso foco”, afirma o secretário de Planejamento, Governança e Gestão (SPGG), Carlos Búrigo.

A expectativa é de que até o final de 2018 sejam entregues mais de 600 escolas reformadas. Os critérios técnicos para escolher a destinação dos recursos obedecem demandas com projeto e orçamento prontos, apontamentos do Ministério Público, pesquisa do Sistema de Avaliação do Rendimento Escolar do Rio Grande do Sul (Seap/Saers), demandas de Prevenção e Proteção Contra Incêndio (PPCI) com projeto entregue por empresa terceirizada e aprovado pelos Bombeiros e demandas de obras represadas desde 2014.

As obras não podem exceder a R$ 150 mil, e as escolas não podem ter sido contempladas pelo recurso Bird/2016. Nos próximos dias, os diretores participarão de oficinas para capacitação sobre utilização adequada dos recursos, como fiscalização e acompanhamento das obras. “Nosso compromisso é com a boa aplicação desse investimento”, ressalta o secretário da Educação do Estado, Ronald Krummenauer.

Confira os municípios contemplados e a relação por escola.

Inscrições para o Programa Jovens Embaixadores 2018 vão até 9 de agosto.  Mais de 500 alunos da rede pública brasileira já participaram desse intercâmbio

Inscrições para o Programa Jovens Embaixadores 2018 vão até 9 de agosto. Mais de 500 alunos da rede pública brasileira já participaram desse intercâmbio

Comunicação Destaque Educação Mundo Notícias

A Embaixada dos Estados Unidos informa que as inscrições para a décima sexta edição do Programa Jovens Embaixadores, intercâmbio estudantil de três semanas nos Estados Unidos, vão até 9 de agosto de 2017. Jovens da rede pública brasileira de 15 a 18 anos, que são exemplos em suas comunidades por meio de sua liderança e voluntariado, excelência acadêmica e conhecimento da língua inglesa, são convidados a se candidatar.
Foi criado pela Embaixada dos Estados Unidos no Brasil em 2002 e o primeiro grupo viajou em 2003. Em 2010 o programa passou a ser reproduzido em todos os países do continente americano e foi criado um programa inverso para  jovens norte-americanos representarem os EUA na América Latina. Desde 2003, 517 jovens brasileiros já participaram do programa. Os parceiros nessa iniciativa são: o Conselho Nacional de Secretários de Educação (CONSED) e as Secretarias Estaduais de Educação, a rede de Centros Binacionais Brasil-Estados Unidos, e também as empresas FedEx, MSD, Microsoft, Bradesco, IBM e a Boeing Brasil. “O programa me ajudou a descobrir que tipo de pessoa eu quero ser na minha comunidade e como posso ajudar o meu país a seguir em frente”, disse Dayane Martins dos Santos, 18 anos, do Distrito Federal e participante do Programa Jovens Embaixadores 2017.

Inscrições: www.facebook/jovensembaixadores ou http://www.jovensembaixadores.org/2018