Porto Alegre: Equipe da Saúde imuniza contra o sarampo na PUCRS nesta quinta

Porto Alegre: Equipe da Saúde imuniza contra o sarampo na PUCRS nesta quinta

Comunicação Educação Notícias Saúde Segurança

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) vacina, na noite desta quinta-feira, 29, na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), pessoas na faixa etária dos 17 aos 29 anos contra o sarampo. O roteiro em universidades começou nessa segunda-feira, 26. Até 4 de dezembro, serão sete roteiros, sempre no turno da noite. A ação integra o plano de enfrentamento contra sarampo da SMS, que até meados de dezembro promoverá vacinação de adolescentes e jovens entre 15 e 29 anos em pontos estratégicos – escolas, quartéis e universidades. A intenção é aumentar a cobertura vacinal e diminuir o risco de transmissão do vírus.

A vacinação será realizada por equipes da Atenção Primária de Saúde. Havendo condição para circular nos campi, um ônibus da SMS será o local utilizado para vacinar os jovens. Na impossibilidade de circulação do veículo, a universidade destinará um local para a ação. A orientação é levar a caderneta de vacinação, para avaliação da situação vacinal de cada pessoa e o Cartão SUS, se possuir.

Cronograma e locais:
29/11, quinta-feira – PUCRS – Avenida Ipiranga, 6681 – das 18h às 20h
30/11, sexta-feira – UFSCPA – Rua Sarmento Leite, 245 – das 18h às 20h
3/12, segunda-feira – UFRGS – Centro – Rua Paulo Gama, 110 – das 18h às 20h
4/12, terça-feira – UFRGS – Campus Agronomia – Avenida Bento Gonçalves, 9500 – das 17h às 20h.

Porto Alegre: Parceria internacional permitirá uso de energia solar nas escolas

Porto Alegre: Parceria internacional permitirá uso de energia solar nas escolas

Cidade Destaque Direito Educação Marchezan Poder Porto Alegre Tecnologia

A Prefeitura de Porto Alegre e a Agência Alemã de Cooperação Internacional assinaram nesta quarta-feira, 28, Termo de Cooperação para viabilizar investimentos em energia renovável nos prédios municipais da rede pública estatal e não estatal de ensino. A iniciativa integra as ações do Projeto de Eficiência Energética nas Escolas Municipais, um dos programas estruturantes da administração, e prevê a instalação de placas voltaicas nas instituições, gerando economia na conta de luz e permitindo depois a ampliação do modelo para demais áreas do município. O valor do projeto está estimado entre R$ 40 milhões e R$ 60 milhões, que deverão ser contratados por financiamento externo. O termo de cooperação é o primeiro passo para a busca dos recursos, já que a Agência Alemã, que atua em conjunto com o Banco Europeu de Investimento em projetos de desenvolvimento sustentável, disponibilizará sem custos à prefeitura consultoria técnica especializada para construção do projeto básico por meio da sua unidade de assessoramento.

O Felicity – Financing Energy for Low-Carbon Investment Cities Advisory Facility (assessoria para cidades para financiamentos de investimentos em baixa emissão de carbono) trabalha em escala mundial para tornar cidades e municípios capazes de desenvolver e implementar projetos de energia renovável, elegíveis para financiamentos. Concentra-se em medidas que promovem a eficiência energética e integração de fontes de energia renovável nos setores de energia, água, transportes, resíduos e edificações. “O termo servirá como um instrumento para alocarmos os recursos necessários, pois teremos o apoio técnico para formatar o projeto básico. Após as escolas, deveremos expandir o modelo para postos de saúde e outros locais de prestação de serviços públicos”, destacou o gerente do projeto, o secretário municipal adjunto de Serviços Urbanos, Júlio Elói Hoper. Ele pontuou ainda o caráter transversal da iniciativa, que repercute no estruturante das finanças públicas municipais, beneficia a Secretaria de Educação, mas tem o protagonismo do Escritório de Resiliência da Secretaria Municipal de Relações Institucionais.

O prefeito em exercício Gustavo Paim salientou que o programa de Resiliência tem sido reconhecido internacionalmente e destacou que a expectativa para parceria com a Agência Alemã é de que seja um acordo replicável e permanente. “Queremos que possa ser administrado por qualquer gestão municipal e contar com a colaboração do corpo técnico nos permitirá dar continuidade ao programa”, diz.  O secretário municipal de Educação, Adriano Naves de Brito, afirmou que os recursos economizados em energia elétrica nas escolas poderão ser reinvestidos nas próprias instituições e assim atender outras demandas. “É bastante simbólica a escolha da educação para estrear essa parceria, que deverá também contemplar as escolas comunitárias que funcionam em prédios da prefeitura.”

Missão Internacional – As tratativas iniciaram-se em maio, a partir do estabelecimento da cooperação entre o governo do Brasil e a Alemanha. Em setembro, ocorreu a primeira visita da Missão Internacional Brasil-Alemanha a Porto Alegre e a segunda começou nessa terça-feira, 27. Nesta quarta, 28, antes da assinatura do termo, o grupo visitou a Escola Municipal de Ensino Fundamental Vereador Antônio Giudice, no bairro Humaitá. Em 2016, como parte de um projeto-piloto, foram instalados na escola um bloco de 10 paineis fotovoltaicos doados pelo ICLEI – Governos Locais pela Sustentabilidade, uma rede global de cidades voltada à construção de um futuro sustentável.

Escolas – Além da significativa redução no gasto com energia, a proposta de utilização das placas voltaicas nas escolas das redes públicas municipal e comunitárias também tem o viés pedagógico, com o envolvimento de professores e alunos no controle das medições, integrando também os conteúdos de disciplinas como Matemática e Física. A energia solar convertida em energia elétrica deverá ser a fonte principal, sendo que o excesso gerado poderá ser devolvido à rede pública em troca de créditos. A previsão é finalizar o projeto básico em 2019 e iniciar a instalação das placas em 2020.

Decisão do Brasil de não sediar reunião climática causa mal-estar diplomático; por Jamil Chade/O Estado de São Paulo

Decisão do Brasil de não sediar reunião climática causa mal-estar diplomático; por Jamil Chade/O Estado de São Paulo

Destaque Economia Educação Mundo

A decisão do Brasil de não mais sediar a COP25 em 2019 cria um mal-estar diplomático, obrigando a ONU a se apressar para procurar um novo lugar disposto a receber o evento e abrindo uma crise com parceiros que haviam dado seu apoio a Brasília. O presidente eleito Jair Bolsonaro disse que atuou diretamente na retirada da candidatura.

O Estado apurou que estava tudo planejado para que a entidade internacional chancelasse a conferência no País durante a reunião da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre a Mudança do Clima (UNFCCC, sigla em inglês) que ocorre a partir de segunda-feira, na Polônia e onde estarão 50 chefes-de-estado, chamada de COP24. Não havia sequer outro candidato, diante de um acordo que foi costurado em diversas capitais.  Mas, com a retirada da proposta brasileira, a entidade passou a se mobilizar para encontrar uma solução, enquanto governos estrangeiros não disfarçam a irritação com a postura do Brasil.

Ninguém na entidade acredita, porém, que a decisão de cancelar a COP25 tenha uma relação com a questão orçamentária, como indicou o governo brasileiro. “Esse é um sinal do que poderá ser a política de meio ambiente do novo governo brasileiro”, indicou um membro de alto escalão da entidade, na condição de anonimato.

“Tradicionalmente, todos sabem que o Brasil mantém uma prática diplomática de manter seus compromissos internacionais”, disse outra fonte. “Essa decisão é uma ruptura na postura do País”, lamentou.

Oficialmente, a candidatura do Brasil não era apenas um projeto nacional. O País, no fundo, representava a América Latina e havia sido escolhido pela região para receber o evento. Agora, os governos latino-americanos estão sendo obrigados a se reunir de forma emergencial para buscar uma solução e um país que possa receber o evento.

Leia a reportagem completa de Jamil Chade, em O Estado de São Paulo.

Porto Alegre: Jantar leilão da Fundação Iberê Camargo arrecada R$ 2,5 milhões

Porto Alegre: Jantar leilão da Fundação Iberê Camargo arrecada R$ 2,5 milhões

Cultura Economia Educação Notícias

Com o objetivo de arrecadar fundos para viabilizar a sua programação artística em 2019, a Fundação Iberê Camargo promoveu, na terça-feira, 27 de novembro, o seu primeiro grande jantar leilão, realizado na Casa NTX, em Porto Alegre/RS. Em um esforço de organização coletivo dos Conselheiros e Diretores da instituição – liderados pelos empresários Jorge Gerdau Johannpeter eJusto Werlang, respectivamente – o evento arrecadou cerca de R$ 2,5 milhões – entre obras de arte arrematadas, doações em dinheiro e adesão ao Clube Iberê – novo programa da Instituição que foi lançado por ocasião do evento.

Cerca de 730 pessoas participaram do jantar, que teve a presença de nomes importantes como Carlos Alberto Gouvêa Chateaubriand – presidente do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro – MAM, a jornalista e consultora de moda Gloria Kalil, os galeristas Luisa Strina e Renos Xippas e os artistas Daniel Senise, Nuno Ramos, Iole de Freitas, Artur Lescher, José Bechara e Vik Muniz – que fez uma saudação inicial aos participantes, falando da importância social da arte e da mobilização da sociedade em prol da cultura.

O leilão comandado pelo empresário Nelson Sirotsky e pelo leiloeiro Jones Bergamin “Peninha”ofereceu 15 obras de importantes artistas do cenário da arte brasileira, como José Bechara, Daniel Senise, Nuno Ramos, Vik Muniz, Cildo Meireles, Artur Lescher, Iole de Freitas, Siron Franco,Karin Lambrecht e Maria Tomaselli, além de três telas e duas gravuras de Iberê Camargo. As obras foram doadas pelos próprios artistas – com exceção das obras de Karin Lambrecht, Siron Franco e de Iberê Camargo, que foram doadas por colecionadores. A peça que atingiu o maior valor arrecadado foi a escultura em vidro de Murano, intitulada Individuals (Goblet 18) (2017), de Vik Muniz, que foi arrematada pelo empresário Pedro Bartelle por R$ 270 mil. A obra de Muniz foi seguida por uma das telas de Iberê, que foi arrematada pelo empresário Ricardo Malcon por R$ 200 mil (veja aqui a lista de obras e os respectivos valores lançados: https://goo.gl/iqPB9i) e pela obra da série anjo e boneco 53(2013), de Nuno Ramos, que foi vendida por R$ 200 mil para Dagoberto Zanon, dono da empresa Dufrio, uma das patrocinadoras da Fundação.

Uma comissão de mulheres liderada pela Cônsul honorária da Holanda, Ingrid de Kroes, mobilizou a sociedade gaúcha para o evento e comercializou cerca de 650 convites para o jantar, que também contou com o patrocínio das empresas Dufrio (patrocinador Master), Meta, Somma Investimentos,Carpena Advogados, Urban Advisors e Pestana Leilões, e o apoio de Laghetto Hotéis e NB Eventos. As empresas assumiram todos os custos para a realização do evento, permitindo que todo o valor arrecadado com a venda dos ingressos – cerca de R$ 320 mil – pudesse ser revertido inteiramente para a Fundação.

Na ocasião, também foi lançado o Clube Iberê – um projeto que tem como objetivo a criação de um sistema de governança sustentável para a FIC, entregando para seus associados uma série de experiências culturais exclusivas. Durante o evento, o Clube Iberê teve 11 adesões, nas duas categorias de associação: o Sócio Clube e o Sócio Patrono. Os benefícios oferecidos aos sócios vão desde previews de exposições apresentadas na Fundação Iberê, recebimento de gravuras inéditas de artistas de renome nacional, acesso exclusivo a feiras de arte no Brasil e exterior, até o direito de uso de espaço da instituição para eventos corporativos.

Maria Antonia da Aula-show hoje na UniRitter. Personal Chef fará curso em uma das principais escolas de gastronomia do país.

Maria Antonia da Aula-show hoje na UniRitter. Personal Chef fará curso em uma das principais escolas de gastronomia do país.

Agenda Destaque Educação Gastronomia Negócios

Maria Antonia Russi, vencedora do principal reality show de gastronomia do Brasil, estará em São Paulo nos próximos dias para aprimorar suas habilidades gastronômicas. A gaúcha fará o curso “Conhecimentos e Métodos” da culinária na Escola Laurent Suaudeau, que é referência no cenário nacional. “Como eu amo cozinhar, estou sempre estudando para me aprimorar como cozinheira e sommelier. Tenho certeza que esse curso vai enriquecer minhas técnicas até mesmo porque teremos aulas práticas na cozinha do Laurent”, destaca Maria Antonia.

O curso, voltado para chefs profissionais e amadores, tem como objetivo ensinar técnicas e fundamentos da base da culinária. A Escola foi fundada pelo consagrado Chef francês Laureant, que sempre foi considerado pelos colegas de profissão uma pessoa que gosta de ensinar e se dedicar a formação de novos cozinheiros.

AULA-SHOW EM PORTO ALEGRE

Na véspera de embarcar para São Paulo, a Personal Chef ministra, nesta segunda-feira, dia 26, uma aula-show para aproximadamente 60 alunos do Curso de Gastronomia da UniRitter, em Porto Alegre. No evento, Maria Antonia vai ensinar, em primeira mão, o preparo de uma de suas receitas mais consagradas pelo público, o sorvete de gorgonzola. E quando o canal do youtube da Personal Chef atingir 30 mil inscritos, a receita completa do sorvete será publicada.

Porto Alegre: Cine Esquema Novo – Arte Audiovisual Brasileira 2018 ocorre de 22 a 28 de novembro. Três Mostras, oficinas e seminários integram programação que ocorre na Cinemateca Capitólio, Goethe-Institut Porto Alegre e Ocupação Utopia e Luta

Porto Alegre: Cine Esquema Novo – Arte Audiovisual Brasileira 2018 ocorre de 22 a 28 de novembro. Três Mostras, oficinas e seminários integram programação que ocorre na Cinemateca Capitólio, Goethe-Institut Porto Alegre e Ocupação Utopia e Luta

Agenda Cidade Cultura Destaque Educação

O Cine Esquema Novo – Arte Audiovisual Brasileira 2018 ocorre entre os dias 22 e 28 de novembro, com atividades gratuitas na Cinemateca Capitólio Petrobras, Goethe-Institut Porto Alegre e Ocupação Utopia e Luta. São três mostras, duas oficinas e dois seminários que integram a programação do evento, que em 2018 completa 15 anos de existência e chega a sua 12ª edição.

A programação do Cine Esquema Novo inicia em grande estilo, com uma sessão de abertura especial: no dia 22 de novembro às 20h na Cinemateca Capitólio o público poderá conferir o show do trio instrumental Reverba Trio, Por um Punhado de Trilhas, onde o grupo executa versões de grandes clássicos do cinema, como O Poderoso Chefão, Tubarão, Amarcord, Blade Runner, A Primeira Noite de um Homem e ET, o extraterrestre. Os arranjos compostos tradicionalmente para grandes orquestras foram convertidos para o formato power trio formado pelo guitarrista Julio Cascaes, o baixista Régis Sam e o baterista Gustavo Telles. Por um Punhado de Trilhas contará com projeções e imagens selecionadas por Carolina Grimm.

Após a apresentação, a Mostra Competitiva Brasil abre sua programação às 21h com a exibição de A Cidade dos Piratas, de Otto Guerra. A Mostra Competitiva Brasil apresenta 39 obras – 35 exibidas na Cinemateca Capitólio e quatro videoinstalações expostas no Goethe Institut, corealizadores do CEN 2018. seleção conta com 13 projetos dirigidos por grupos, 13 realizadoras e 36 realizadores.

Screenshot_20180611-095044
“Sol Alegria” Foto: Divulgação

Serão 35 obras exibidas na Cinemateca Capitólio e quatro videoinstalações que serão expostas no Goethe-Institut Porto Alegre, co-realizadores do CEN 2018. A seleção conta com 13 projetos dirigidos por grupos, 13 realizadoras e 36 realizadores. Temáticas como feminismo, empoderamento da negritude, política atual, colonialismo, questões indígenas, pertencimento, religião, queer, entre outras, pautam os títulos selecionados de onze Estados brasileiros e nove produções assinadas por brasileiros realizadas no exterior (ou em coprodução internacional).

“Neste amplo panorama da recente produção autoral e independente do país, fica bastante claro que será uma edição extremamente posicionada e política”, afirmam os curadores que assinam a seleção, Jaqueline Beltrame, Ramiro Azevedo e Vinicius Lopes. A lista integra títulos como “Sol Alegria”, de Tavinho Teixeira e sua filha Mariah Teixeira, uma ficção científica lo-fi, onde uma família nada tradicional corre por um país dominado por uma junta militar e pastores corruptos; “Supercomplexo Metropolitano Expandido”, de Guerreiro do Divino Amor, que investiga como forças ocultas e ficções de diferentes naturezas, sejam elas geográficas, sociais, midiáticas, políticas ou religiosas, interferem na construção do território e do imaginário coletivo a ideia de cidade-máquina em São Paulo; e “Azougue Nazaré” de Tiago Melo, eleito o melhor filme da mostra Bright Future da 47ª edição do Festival Internacional de Cinema de Roterdã, que incorpora elementos sobrenaturais em um retrato quase antropológico de uma pequena comunidade canavieira, dividida entre o Maracatu e o evangelismo.

Destaque também para “Majur”, documentário de Rafael Irineu Alves Lacerda que mostra um ano na vida de Majur, chefe de comunicação de uma aldeia no interior do Mato Grosso; “O Peixe”, curta-metragem documental experimental que retrata uma vila de pescadores que tem o ritual de abraçar os peixes ao pesca-los; além de “Terremoto Santo” de Bárbara Wagner & Benjamin de Burca, um curta musical com jovens cantores da cena da música evangélica da cidade de Palmares em Pernambuco, explorando com poesia e uma direção de fotografia muito autêntica a cultura evangélica do país.

O festival que, há quinze anos e onze edições derruba as barreiras simbólicas e experienciais entre o cinema e as artes visuais para exibir obras tanto na tradicional sala de cinema quanto em galerias de arte e espaços públicos, apresentará a performance “Título Provisório Para Obras de Formação Indeterminada”, de Marcelo Birck. Realizada em tempo real, exibe animações feitas à mão em super-8, antigas lâminas de lanterna mágica, e slides encontrados com som gerado a partir de um processo similar à montagem do cinema, transposto para outro material: vinis cortados a laser e recolados.

24050021
Tinta Bruta Foto: Vitrine Filmes

Entre os realizadores gaúchos, destacam-se “Tinta Bruta”, de Marcio Reolon e Filipe Matzembacher, premiado como Melhor Longa Metragem no 68º Festival Internacional de Cinema de Berlim e “Música para quando as luzes se apagam” de Ismael Canepppelle.

O público poderá conferir três filmes com sessões acessíveis na Cinemateca Capitólio Petrobras: no dia 23 de novembro, às 17h, será exibido o longa A Cidade dos Piratas e no dia 27, às 15h, os filmes profanAÇÃO e Majur.

A Mostra Competitiva premiará ao final do evento, no dia 28 de novembro, às 20h, na Cinemateca Capitólio, o Grande Prêmio Cine Esquema Novo 2018 e cinco Prêmios Especiais do Júri (o Júri Oficial poderá outorgar até cinco prêmios, de forma livre, dentre todas as obras em competição), com apoio da Locall. O júri desta edição é composto por Leo BomFim, Renata de Lélis e Romy Pocztaruk.

índice
Philip Widmann

O realizador alemão Philip Widmann(foto), artista convidado do CEN 2018, vem a Porto Alegre para exibição de mostra e seminário com entrada franca no Goethe-Institut Porto Alegre. Topographical Translations reúne trabalhos que tentam situar questões de representatividade e inteligibilidade na visibilidade de superfícies construídas e crescidas, contrastando com a evanescência do discurso escrito e falado. O artista apresentará dois programas no auditório do Goethe-Institut Porto Alegre: às 14h, os curtas Fictitious Force, Das Gestell (ambos de Widmann), em diálgo com os filmes The Voice of God (de Bernd Lützeler) e Nutsigassat (Translations) (de Tinne Zenner), e às 16h, o primeiro longa-metragem do realizador, Szenario. Às 17h30, Widmann promove um Seminário com entrada franca. Os filmes possuem legendas em português e o seminário será realizado em inglês. No dia 26, a mostra tem reprise nos mesmos horários.

O Duo Strangloscope, dos artistas Cláudia Cárdenas & Rafael Schilchting, promove a mostra Existir/Resistir no dia 27, na Cinemateca Capitólio. A dupla executa a performance Carcará, com filmes e projetores 35mm, 16mm e Super 8 e apresenta uma curadoria de seis filmes experimentais de artistas do México, Argentina, EUA, Espanha, Venezuela e França, três deles em 16mm, que refletem e dão forma a questões sobre existência e resistência.

mariahenriqueta-211x300
Maria Henriqueta Creidy Satt

Duas oficinas integram a programação do evento: Crítica no Brasil Hoje, ministrada pelo jornalista e crítico de cinema Daniel Feix, ocorre nos dias 22, 23 e 26 de novembro, na Cinemateca Capitólio. O curso de três módulos sobre análise de filmes na contemporaneidade com foco na produção atual cinematográfica brasileira ocorre das 15h às 18h e tem 20 vagas. As inscrições devem ser feitas pelo site do festival. Já o projeto Câmera Causa, ministrado por Gustavo Spolidoro e Jadhe Fucilini, ocorre nos dias 24 e 25 de novembro na Ocupação Utopia e Luta e contará com projeções dos filmes realizados na oficina no dia 27, no auditório do Goethe-Institut Porto Alegre.

Oficina voltada para pessoas são pertencentes ou atuam junto a projetos sociais e grupos em vulnerabilidade social. O intuito é levar a estes grupos/pessoas uma reflexão e prática da realização audiovisual voltada a criação de conteúdo que possa ser utilizado como divulgação do trabalho destes grupos, sua realidade e causas. As inscrições estão abertas até 18 de novembro e as 20 vagas serão preenchidas mediante seleção, feita pelo site do festival. A divulgação dos selecionados ocorrerá no dia 20.

No sábado, 24 de novembro, das 10h30 às 12h, a artista visual, professora de Artes Visuais na UFRGS Elaine Tedesco, professor da Unisinos e Doutorando em Poéticas Visuais pela UFRGS James Zortéa e a jornalista, doutora em cinema e professora da PUCRS Maria Henriqueta Creidy Satt (foto) integram o Seminário Pensar a Imagem, no auditório do Goethe-Institut Porto Alegre. A atividade é uma reflexão sobre a imagem contemporânea, abordando especificidades teóricas, técnicas, conceituais, narrativas e de circulação, entre outros aspectos, associados à produção autoral e experimental de imagens no século 21. Não é necessária inscrição prévia.

 

Feira do Livro: Obra que destaca trajetória de Marques Leonam, ícone do jornalismo gaúcho, terá sessão de autógrafos hoje

Feira do Livro: Obra que destaca trajetória de Marques Leonam, ícone do jornalismo gaúcho, terá sessão de autógrafos hoje

Agenda Comunicação Destaque Educação Feira do Livro Porto Alegre Trabalho

Em tempos de fake news, nunca se fez tão necessária a figura do repórter, aquele que vai para a rua aberto a escutar histórias de vida e a relatar a realidade observada. O mestre de uma geração de jornalistas deixou lições que não poderiam ficar apenas na memória de seus ex-alunos. Marques Leonam Borges da Cunha é o personagem de O Encantador de Pessoas, que terá sessão de autógrafos na 64ª Feira do Livro de Porto Alegre, na Praça da Alfândega, dia 12 de novembro, às 19h30. Mais uma oportunidade para seus discípulos, amigos e interessados no jornalismo saborearem seus causos. O livro é uma iniciativa independente de suas ex-alunas, jornalistas Ana Paula Acauan e Magda Achutti, que se sentiram instigadas a contar a trajetória de um professor diferenciado. Em 33 anos na Famecos/PUCRS, deixou não só uma marca de profundo conhecimento e conduta ética em todos os que tiveram o privilégio de conviver com ele, mas também de afeto e de grande admiração.

Ana Paula Acauan é jornalista e mestre em Comunicação Social. Trabalha como repórter na Assessoria de Comunicação e Marketing da PUCRS e já atuou no Correio do Povo. Magda Achutti é jornalista e atuou em Zero Hora e outros veículos de imprensa e assessorias. Com Carlos Urbim e Lucia Porto, lançou Rio Grande do Sul – Um Século de História, volumes 1 e 2, Prêmio Açorianos de Literatura Adulta e Infantil 2000. Hoje é editora executiva da Revista PUCRS.

Para escrever a obra, foram mais de 50 horas de conversas, regadas a mate. Muitas revelações surgiram. Como criou as Leis Leonam (que embasaram suas aulas de Redação Jornalística)? Quando começou a caça às repetições de palavras? Quais as reportagens que considera “ouro puro”? Que relação tinha com os colegas e os chefes na época de repórter da extinta Folha da Tarde? Por que um mineiro com “um carvão no lugar do pulmão” se tornou sua fonte favorita, capaz de fazê-lo se emocionar mais de 40 anos depois? O que havia de tão especial no seu Alegrete de infância a ponto de considerar a cidade o centro do continente?

O livro pretende atingir grande parte dos 4 mil ex-alunos de Jornalismo de Marques Leonam, muitos hoje profissionais de destaque na imprensa gaúcha e nacional. O mestre continua sendo “uma sombra boa”, sempre lembrado por eles na hora de abordar um fato de forma precisa e que cative o leitor. O Encantador de Pessoas tem potencial para se tornar leitura de estudantes universitários – inclusive como bibliografia indicada pelos professores – e a todos os interessados em jornalismo, imprensa e na história e nas técnicas ensinadas pelo grande mestre do texto jornalístico no Rio Grande do Sul nos últimos 40 anos.

 

Sobre o livro

AnaPaula_Leonam_Magda(1)
Ana Paula, Leonam e Magda

O Encantador de Pessoas: lições de jornalismo do mestre Marques Leonam

Autoras: Ana Paula Acauan e Magda Achutti

Páginas: 160

Preço: R$ 30

Onde encontrar: Disponível na banca da ARI (Associação Riograndense de Imprensa), em frente ao bistrô do Margs, na 64ª Feira do Livro de Porto Alegre

Sessão de Autógrafos: 12 de novembro, às 19h30, na Praça da Alfândega

Contato: www.facebook.com/mestremarquesleonam

A 64ª Feira do Livro ocorre de 1º a 18 de novembro, na Praça da Alfândega. A área geral e internacional funciona das 12h30 às 20h30, dias úteis e domingo; e das 10h às 20h30, sábado.

Saiba o que Bolsonaro pode mudar na educação com apenas uma ‘canetada’; por Renata Mariz/O Globo

Saiba o que Bolsonaro pode mudar na educação com apenas uma ‘canetada’; por Renata Mariz/O Globo

Destaque Direito Economia Educação

“Noventa por cento do que eu quero fazer passa pelo Parlamento, 10% apenas por uma caneta presidencial”, afirmou Jair Bolsonaro em sua primeira entrevista na televisão após ser eleito. Apesar da declaração, o poder do próximo presidente de fazer mudanças por conta própria não é tão limitado assim. Na área da Educação, alterações significativas podem ser determinadas na base da canetada: do controle sobre o conteúdo dos livros didáticos a mudanças nos critérios de destinação de recurso para as universidades federais. É o que aponta levantamento feito pelo GLOBO a partir da análise da legislação e de consultas a ex-ministros, gestores atuais e especialistas na área.

Nada impede que medidas que contrariem princípios previstos na Constituição ou na Lei de Diretrizes e Bases da educação (LDB), entre outras legislações, sejam questionadas na Justiça. Mas há muito espaço para alterações.

— De forma geral, o MEC tem possibilidade de fazer quase tudo — resume Eduardo Deschamps, ex-presidente e membro do Conselho Nacional de Educação (CNE)

Há medidas, já defendidas por Bolsonaro ou seus auxiliares, que precisariam passar pelo Congresso, como uma eventual extinção do sistema de cotas nas universidades federais, adotada em lei por um prazo determinado; a cobrança de mensalidades no ensino superior público, contrariando dispositivo constitucional; ou implantar ensino fundamental a distância.

 

Leia mais em O Globo.

Acadêmico butiaense recebe premiação na área do Jornalismo Ambiental

Acadêmico butiaense recebe premiação na área do Jornalismo Ambiental

Educação Notícias

Pelo segundo ano consecutivo, o estudante butiaense Vinícius Domingues, que está cursando Jornalismo no Centro Universitário Metodista – IPA, em Porto
Alegre, foi destaque no Prêmio José Lutzenberger de Jornalismo Ambiental. Na edição deste ano, o acadêmico conquistou o 3º lugar na categoria
universitário, com a reportagem “Riscos, processos e alternativas para o lixo eletroeletrônico” produzida para o Multiverso IPA.
De acordo com o Vinícius, o interesse por pautas relacionadas à área ambiental despertou em 2017, quando teve mais contato com o tema em uma
das disciplinas do curso. “O reconhecimento é muito gratificante, mostra que estou no caminho certo e que o material produzido é de relevância para
sociedade”, afirmou.
A reportagem produzida por Vinícius tem como foco principal trazer ao público dados sobre a produção de lixo eletroeletrônico, os riscos que estes resíduos
oferecem para o meio ambiente e seres humanos quando descartados de forma irregular, e atitudes que podem contribuir para barrar o aumento dos
danos. “O lixo eletroeletrônico está em nossas mãos, pois uma hora ou outra, nosso celular será descartado. Mas o que devemos fazer? Ele não é um
resíduo comum. Foi assim que cheguei à pauta e com o auxílio dos professores comecei a desenvolver”, explicou.
A colocação no Prêmio José José Lutzenberger é a terceira conquista do jovem em dois anos. Em 2017, Vinícius já havia ficado em 4º lugar (Jornalismo
Ambiental) com a matéria “Um novo olhar sobre o lixo”, e o 1º lugar no Prêmio APERGS de Jornalismo, com a matéria  “Se o Estado não está bem defendido,
quem administra não consegue organizá-lo”. Além disso, o jovem recebeu o Diploma de Destaque na Área da Comunicação de 2017, através da Câmara
Municipal de Vereadores de Butiá.

‘Não é requisito para ser ministro da educação saber sobre dicionário dos travestis ou feminismo’, diz Eduardo Bolsonaro; por Caio Faheina e Renata Cafardo/O Estado de São Paulo

‘Não é requisito para ser ministro da educação saber sobre dicionário dos travestis ou feminismo’, diz Eduardo Bolsonaro; por Caio Faheina e Renata Cafardo/O Estado de São Paulo

Educação Notícias

 

Em sua conta oficial do Twitter, o filho do presidente Jair Bolsonaro (PSL), Eduardo Bolsonaro (PSL) ironizou, nesta segunda-feira, 5, uma questão da prova de Linguagens do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), cuja primeira aplicação ocorreu neste domingo, 4. O deputado federal, eleito com recorde histórico ao somar mais de 1,8 milhão de votos em São Paulo, disse não ser preciso para ser ministro da Educação saber sobre dicionário dos (sic) travestis ou feminismo’.

Junto ao comentário, o deputado anexou foto da questão de número 37 do exame. Nela, o texto traz como exemplo dialeto usado por travestis – estendendo-se à comunidade LGBTI+ – para questionar aos estudantes sobre o motivo que caracteriza a linguagem como “elemento de patrimônio linguístico”.

Na semana passada, circularam informações de que Maria Inês Fini, a atual presidente do Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais (Inep), órgão responsável pelo Enem, estaria sendo cotada para o cargo de ministra da Educação no governo Bolsonaro. O comentário do filho do presidente eleito parece agora um recado para a educadora.

Maria Inês foi uma das criadoras no Enem no governo de Fernando Henrique Cardoso e trabalhou no Inep durante todo o governo do PSDB. Depois, foi consultora de currículo na Secretaria Estadual da Educação em São Paulo na gestão de José Serra (PSDB). Com o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, ela voltou ao MEC trazida por Maria Helena Guimarães de Castro, educadora também ligada ao PSDB, que assumiu a secretaria executiva.

O nome de Maria Inês surgiu na semana passada entre outros que estariam sendo analisados pela equipe de Bolsonaro. Ela é ligada a alguns militares e chegou a fazer campanha para o presidente eleito. Mesmo assim, sua ligação com o PSDB e a não identificação com projetos como o Escola sem Partido, enfraquecia a possibilidade de ser chamada para o cargo.

Leia a íntegra em O Estado de São Paulo.