TSE determina remoção de vídeos de Bolsonaro sobre “kit gay”

TSE determina remoção de vídeos de Bolsonaro sobre “kit gay”

Destaque Eleições 2018

 

O ministro Carlos Horbach, do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), determinou a remoção de seis postagens no Facebook e no YouTube em que o candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, faz críticas ao livro “Aparelho Sexual e Cia.” e afirma que a obra integraria material a ser distribuído a escolas públicas na época em que Fernando Haddad (PT) comandava o Ministério da Educação.

No vídeo, Bolsonaro afirma que o livro é “uma coletânea de absurdos que estimula precocemente as crianças a se interessarem pelo sexo”. “No meu entender, isso é uma porta aberta para a pedofilia”, diz o candidato do PSL, que ainda afirma que “esse é o livro do PT”.

Em nota, o MEC (Ministério da Educação) já afirmou em diversas oportunidades que não produziu nem adquiriu ou distribuiu “Aparelho Sexual e Cia.”, esclarecendo que o livro é uma publicação da editora Companhia das Letras publicada em 10 idiomas.

“É igualmente notório o fato de que o projeto ‘Escola sem Homofobia’ não chegou a ser executado pelo Ministério da Educação, do que se conclui que não ensejou, de fato, a distribuição do material didático a ele relacionado. Assim, a difusão da informação equivocada de que o livro em questão teria sido distribuído pelo MEC gera desinformação no período eleitoral, com prejuízo ao debate político, o que recomenda a remoção dos conteúdos com tal teor”, concluiu Horbach.

A reportagem completa está no Correio do Povo.

SBT Brasil: Carlos Nascimento entrevista Bolsonaro hoje e Haddad nesta quarta-feira

SBT Brasil: Carlos Nascimento entrevista Bolsonaro hoje e Haddad nesta quarta-feira

Destaque Eleições 2018

Nesta terça-feira (16), a equipe de jornalismo do SBT vai realizar entrevista exclusiva, direto do Rio de Janeirocom o candidato à Presidência da República, Jair Bolsonaro (PSL).

A entrevista vai ser conduzida pelo âncora do SBT BrasilCarlos Nascimento, e será exibida, ao vivo, na TV e no site do SBT, a partir das 19h10horário de Brasília. Para conferir no site, basta acessar: http://www.sbt.com.br/aovivo/

Jair Bolsonaro obteve 46,03% dos votos e, com isso, o direito de disputar o segundo turno com o candidato do PT, Fernando Haddad, que registrou 29,28% dos votos.

Na quarta-feira (17), Nascimento conversará, também ao vivo, com o candidato Fernando Haddad (PT) em São Paulo.

(Rovena Rosa/Agência Brasil)
(Rovena Rosa/Agência Brasil)
Ibope: Para eleitores, Bolsonaro é quem mais defende os ricos e Haddad, os pobres; por Alessandra Monnerat/O Estado de S.Paulo

Ibope: Para eleitores, Bolsonaro é quem mais defende os ricos e Haddad, os pobres; por Alessandra Monnerat/O Estado de S.Paulo

Destaque Eleições 2018
A pesquisa Ibope/Estado/TV Globo mostra que a maioria do eleitorado do País identifica o candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, como o principal representante dos interesses dos ricos, dos bancos, agricultores e dos empresários no segundo turno, enquanto Fernando Haddad (PT) é o mais associado à defesa dos pobres, dos trabalhadores e das mulheres.

O Ibope perguntou aos entrevistados “quem representa melhor os interesses” de uma série de setores. Em relação aos ricos, 65% responderam Bolsonaro, ante 22% de Haddad. Entre os eleitores que ganham mais de cinco salários mínimos, o presidenciável do PSL é visto por 70% como representante da elite.

Já o candidato do PT lidera como defensor dos interesses dos eleitores de menor poder aquisitivo, com 48% a 37% de Bolsonaro. No segmento com até um salário mínimo de renda, o porcentual atribuído a Haddad chega a 62%.

O Ibope avaliou a imagem dos candidatos como defensores dos seguintes temas: agricultura (42% Bolsonaro ante 40% de Haddad), defesa do meio ambiente (40% Bolsonaro e 39% para Haddad), aposentados (39% para Bolsonaro, 44% para Haddad) e jovens (46% Bolsonaro, ante 39% de Haddad).

 

A reportagem completa está em O Estado de São Paulo.

Cid Gomes defende mea culpa do PT em evento pró-Haddad organizado pelo PT. Senador eleito pelo PDT bate boca com petistas e é vaiado. Veja vídeo; por Henrique Araújo/O Povo

Cid Gomes defende mea culpa do PT em evento pró-Haddad organizado pelo PT. Senador eleito pelo PDT bate boca com petistas e é vaiado. Veja vídeo; por Henrique Araújo/O Povo

Destaque Eleições 2018 Vídeo

 

 

 

 

Em encontro do PT para lançamento da campanha pró-Haddad no Ceará, na noite desta segunda, 15, o senador eleito Cid Gomes (PDT), primeiro a falar, cobrou mea culpa do PT. O ex governador então foi vaiado por militantes que lotaram o auditório do Marina Park. Cid respondeu: “É por isso que vocês vão perder”. Em seguida chamou os filiados com quem ele discutia de “babacas”. O governador Camilo Santana (PT) tentou colocar panos quentes depois da fala de Cid. O petista admitiu que o ex-governador tinha razão em partes de sua queixas, mas que não era hora de discutir o PT. Logo após o encerramento do ato, que durou menos de 20 minutos, Cid foi vaiado novamente. Do lado de fora do auditório, foi encurralado por militantes do PT, que jogaram faixas do partido no pedetista. Aliados de Cid e do PT causaram tumulto.

O evento, no Marina Park Hotel, fazia parte das articulações de Camilo Santana, governador reeleito no Ceará, para impulsionar campanha de Fernando Haddad, candidato petista à presidência. Camilo deveria se encontrar com prefeitos, deputados, vereadores, movimentos sociais e lideranças para, além de campanha presidencial, agradecer a reeleição.

A movimentação acontece em tentativa de obter os votos que Ciro Gomes (PDT) recebeu no Estado no primeiro turno. Haddad disputa o eleitorado cearense com Jair Bolsonaro (PSL), seu adversário no segundo turno das eleições.

Logo no início do discurso, Cid já se mostrava indisposto com a situação. “Juro que não esperava que fosse eu que fosse abrir. Me colocaram numa situação constrangedora”, disse ele.

Em determinado momento, alguém gritou “vem para rua”, ao que foi respondido por Cid: “Para ir para a rua, a gente tem de estar motivado. Para ir para rua sem estar motivado não adianta nada. Às vezes até piora”.

“Nós temos duas alternativas. Uma é a gente fazer de conta… Futebol é isso mesmo. Tem dois turnos e no segundo turno a gente tem de escolher. Para mim, tudo bem. Se é essa a alternativa, eu estou disposto, como aquele beija-florzinho da fábula do incêndio, a botar uma gotinha de água no bico e levar para apagar o incêndio. Se é essa a alternativa, muito bem. Podem ter certeza. O meu partido já tomou uma deliberação. Ora, eu já votei no Eunício (Oliveira). Para votar no (Fernando) Haddad, eu voto com muito mais prazer”. Disse ele, sobre a escolha a ser feita no segundo turno. Nesse momento, ele foi aplaudido por alguns dos presentes.

“Agora, se a gente quer, daqui do Ceará, dar um exemplo para o Brasil, aí tem de haver outra coisa. Estão faltando treze dias. Deus construiu o mundo em seis. Tudo bem que Deus é Deus. Mas dobrando o tempo, seria possível a gente tentar daqui do ceará dar um exemplo para o Brasil como as coisas deveriam ser feitas”.

“E aí eu não sei. Porque também não cabe a mim, cobrar mea culpa de ninguém”.

“Eu conheço o Haddad, é uma boa pessoa. Mas aí fica para algum companheiro do PT que me suceda aqui na fala, que se quiser fazer um exemplo para o país, tem de fazer um mea culpa. Tem de pedir desculpas, tem de ter humildade e reconhecer que fizeram muita besteira”. As reações se dividiram; alguns aplaudiram, outros vaiaram e fizeram sinal de “não” com as mãos.

“Não admitir o mea culpa, os erros que cometeram, isso é para perder a eleição e é bem feito. Vocês deviam… o teu tipo, tu acha que fez tudo certo… Quem junto com ele acha que fez tudo certo…. Vão… Muito bem, muito bem. Pois vão, vão, vão e vão perder feio. Vão perder feio porque fizeram muita besteira. Porque aparelharam as repartições públicas. Porque acharam que eram donos de um país, e o Brasil não aceita ter dono”. As reações da platéia ainda se dividem.

“Quem criou o Bolsonaro foram essas figuras. Quem criou o Bolsonaro foram essas figuras que acham que são donas da verdade, que acham que podem fazer tudo, que acham que os fins justificam os meios. Muito bem, eu me calo, eu me calo numa boa. Não sei porque me pediram para falar antes. É para fazer faz de conta?”

Cid discutiu com alguns presentes, que cantavam músicas em apoio ao ex-presidente Lula. “Lula, o que? Lula tá preso, babaca”, respondeu ele aos gritos dos militantes. “Isso é o PT. E o PT desse jeito merece perder. Só para rimar. Se vocês estivessem… babaca, vai perder a eleição. É isso aí. É esse sentimento que vai perder a eleição”.

A reportagem completa está no site de O POVO.

 Ibope: No 2º turno, Bolsonaro tem 59% dos votos válidos e Haddad, 41%; por Daniel Bramatti/O Estado de S.Paulo

 Ibope: No 2º turno, Bolsonaro tem 59% dos votos válidos e Haddad, 41%; por Daniel Bramatti/O Estado de S.Paulo

Destaque Eleições 2018

A menos de duas semanas para o segundo turno da eleição presidencial, o candidato do PSL, Jair Bolsonaro, tem 59% das intenções de voto, contra 41% do petista Fernando Haddad, segundo pesquisa Ibope/Estado/TV Globo divulgada nesta segunda-feira, 15.

O cálculo considera apenas os votos válidos, ou seja, exclui os nulos, brancos e indecisos. Levando em conta o eleitorado total, Bolsonaro lidera por 52% a 37%. Há ainda 9% dispostos a anular ou votar em branco, e 2% que não souberam responder.

Bolsonaro abriu 18 pontos porcentuais de vantagem nos votos válidos desde o primeiro turno, realizado no dia 7, quando ficou à frente do principal adversário por 46% a 29%.

Além de perguntar aos entrevistados quem é seu candidato preferido, o Ibope procurou medir o potencial de voto de cada um dos concorrentes. Após citar o nome de cada um dos candidatos, os entrevistadores perguntaram aos eleitores se votariam em cada um com certeza, se poderiam votar ou se não votariam de jeito nenhum.

Bolsonaro é o que tem mais simpatizantes convictos: 41% votariam nele com certeza, e 35% não votariam de jeito nenhum. Haddad é o que tem a maior rejeição: 47% não o escolheriam em nenhuma hipótese, e 28% manifestam certeza na escolha.

O Ibope ouviu 2.506 eleitores nos dias 13 e 14 de outubro. A margem de erro é de dois pontos porcentuais para mais ou para menos, e o intervalo de confiança é de 95%. Isso significa que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerando a margem de erro. O registro na Justiça Eleitoral foi feito sob o protocolo Nº BR-01112/2018. Os contratantes foram o Estado e a TV Globo.

Haddad sugere Mario Sergio Cortella para o Ministério da Educação; por Marcelo Osakabe e Paulo Beraldo/O Estado de S.Paulo

Haddad sugere Mario Sergio Cortella para o Ministério da Educação; por Marcelo Osakabe e Paulo Beraldo/O Estado de S.Paulo

Destaque Eleições 2018

O candidato do PT à Presidência da República, Fernando Haddad, postou uma mensagem em seu perfil no Twitter, nesta segunda-feira, sugerindo o nome do filósofo e articulista Mario Sergio Cortella para o Ministério da Educação.

“Sou amigo do Mario Sergio Cortella há anos. Ele acompanhou meu trabalho como ministro e há muito tempo digo que ele deveria pensar em ocupar o Ministério da Educação. Quero montar a equipe dos melhores”, escreveu o ex-prefeito da capital paulista.

Cortella não é o primeiro nome cotado pelo presidenciável para compor um eventual ministério. Na semana passada, o petista sugeriu que o empresário Josué Gomes, filho do ex-vice-presidente José Alencar, “tem todas as condições, perfil e sensibilidade social” para chefiar a Fazenda caso ele seja eleito. “Isso é só especulação, sem nenhum fundamento. Nem é o momento para isso (conversas)”, desconversou o empresário ao Estado

 

A reportagem completa está em O Estado de São Paulo.

Ataque de Haddad a Bispo Macedo provoca indignação em mais de 140 líderes religiosos

Ataque de Haddad a Bispo Macedo provoca indignação em mais de 140 líderes religiosos

Eleições 2018 Notícias

O ataque do candidato à Presidência da República Fernando Haddad contra o Bispo Edir Macedo, líder espiritual da Igreja Universal do Reino de Deus, provocou um inédito movimento de solidariedade por parte de lideranças religiosas de diferentes correntes. Até o momento, 147 representantes e membros de denominações de todo o país repudiaram o atentado do ex-prefeito de São Paulo à Fé Cristã, assinando uma carta de apoio à Universal.

Na manhã desta sexta-feira, durante uma entrevista coletiva concedida após participar de uma missa em uma igreja católica na Zona Sul da capital paulista, o candidato pelo Partido dos Trabalhadores (PT) afirmou que o apoio do Bispo Macedo à candidatura de Jair Bolsonaro seria provocado pela “fome de dinheiro” e ainda chamou o líder da Universal de “charlatão fundamentalista”.

Para o Apóstolo Estevam Hernandes Filho, fundador da Igreja Apostólica Renascer em Cristo, a declaração de Haddad não foi um ataque apenas ao Bispo Macedo, mas contra todos os cristãos. “Essa fala inconsequente demonstra a intolerância, e nós que cremos no amor, na tolerância, a repudiamos com veemência. Ela é inaceitável no momento que estamos passando, lutando para preservar a democracia no País, onde todas as crenças e ideologias precisam ser respeitadas”, declarou o líder da Renascer.

Para ele, “houve um grande desrespeito à Fé e à integridade de um homem de Deus, que é o Bispo Macedo”.

A reportagem completa está no Correio do Povo.

Bolsonaro tem 59% das intenções de voto; Haddad, 41%, diz BTG/FSB; Revista Exame

Bolsonaro tem 59% das intenções de voto; Haddad, 41%, diz BTG/FSB; Revista Exame

Destaque Eleições 2018
Pesquisa BTG/FSB de intenção de votos para o segundo turno das eleições presidenciais de 2018 mostra o candidato do PSL, Jair Bolsonaro, na liderança, com 59%. Fernando Haddad, do PT, tem 41%. Os números correspondem ao cenário estimulado, no qual o nome dos candidatos é citado na hora do questionário.
Os votos válidos são calculados com base na soma de intenção de votos recebidas por todos os candidatos juntos, descontando-se os percentuais de “Branco”, “Nulo”, “Ninguém/Nenhum”, “Não Sabe” e “Não Respondeu”.

Metodologia

As entrevistas feitas pelo Instituto FSB Pesquisa foram feitas por telefone, nos dias 13 e 14 de outubro de 2018, com 2.000 eleitores a partir de 16 anos, nas 27 Unidades da Federação (UFs). A margem de erro é de 2 pontos percentuais, com intervalo de confiança de 95%.

Falta de verba e problemas técnicos emperram obras de R$ 132 bi do PAC; por Lu Aiko Otta/O Estado de S.Paulo

Falta de verba e problemas técnicos emperram obras de R$ 132 bi do PAC; por Lu Aiko Otta/O Estado de S.Paulo

Destaque Eleições 2018

Principal estratégia dos candidatos para a geração de empregos no curto prazo, a retomada de obras paradas tem um enorme terreno a ser explorado. Segundo o Ministério do Planejamento, há R$ 132 bilhões em investimentos parados só na carteira do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Ao todo, são 2.914 empreendimentos com problema.

Líder nas pesquisas de intenção de voto, o candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, disse em sua conta no Twitter que “milhares” de obras estão paradas porque ministérios e cargos são distribuídos a partidos políticos em troca de apoio. “Essa é a raiz do problema e nós temos a liberdade necessária para mudar!”

O candidato do PT, Fernando Haddad, coloca a retomada de obras paradas como uma “medida emergencial”. Ele quer dar prioridade àquelas que geram “muito emprego”, como o Minha Casa Minha Vida.

A reportagem completa está em O Estado de São de Paulo.

Leite e Sartori vão para o corpo a corpo no interior do RS

Leite e Sartori vão para o corpo a corpo no interior do RS

Destaque Eleições 2018

Depois de terem priorizado o Litoral Norte, no início do feriadão, os candidatos ao Palácio Piratini partiram para o corpo a a corpo com o eleitor no interior do Estado. No sábado, o candidato da frente Rio Grande da Gente, Eduardo Leite (PSDB), fez caminhadas nos municípios de Ivoti, Nova Petrópolis, Gramado e Canela. Com o candidato a vice delegado Ranolfo Vieira Júnior (PTB) a seu lado, ele participou no sábado do encerramento dos festejos da 31ª Oktoberfest de Igrejinha.

No domingo, Leite acompanhou os desfiles temáticos e visitou a Oktoberfest de Santa Cruz do Sul. “Um estado de gente que faz, precisa de um governo que deixe fazer”, afirmou, ao ressaltar a necessidade de redução da carga tributária, da burocracia e de uma urgente melhoria de infraestrutura. “Precisamos de um Estado que busque os investimentos que viabilizarão as condições de crescimento para todas as regiões”, destacou Leite, citando a necessidade de novas parcerias com o setor privado para enfrentar as péssimas condições da malha rodoviária gaúcha.

José Ivo Sartori (MDB), que concorre à reeleição, foi a Gramado, na Serra, no sábado, e também prestigiou a 31ª Oktoberfest de Igrejinha. Em Gramado, Sartori foi recebido na entrada do município por apoiadores e militantes. De lá, a mobilização da coligação Rio Grande no Rumo Certo seguiu pelas ruas da cidade. O candidato à reeleição agradeceu o apoio recebido do partido Novo e de “prefeitos e lideranças dos partidos de oposição”.

Os dois candidatos seguem em busca de novos apoios neste segundo turno. Na sexta-feira, Leite recebeu o apoio do prefeito de Osório, Eduardo Abraão (PDT). “Votar no Eduardo significa uma esperança de que o RS possa melhorar. É necessária uma mudança no governo do Estado”, justificou. Sartori ganhou o apoio do prefeito de Santa Cruz do Sul, Telmo Kirst (PP). “Sartori é exemplo de político. Sério, honesto e, sobretudo, homem de palavra”, disse Kirst, citando obras feitas pelo emedebista na cidade. (Correio do Povo)