Porto Alegre: EPTC testa aluguel de patinete elétrico a partir deste sábado

Porto Alegre: EPTC testa aluguel de patinete elétrico a partir deste sábado

Comunicação Destaque Marchezan Notícias Política Porto Alegre

A prefeitura, por meio da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), autorizou a empresa Grin, startup de micromobilidade urbana, a iniciar um projeto piloto para o serviço privado de compartilhamento de patinetes elétricas por meio de solução tecnológica, pelo período de 90 dias a partir deste sábado, 16. O custo será de R$3,00 para o desbloqueio e primeiro minuto e R$ 0,50 centavos por minuto rodado. Para experimentar a plataforma, a primeira corrida de até 10 minutos será gratuita. O horário de funcionamento é das 7h às 22h.

O cadastro, pagamento e liberação das patinetes, restritos a maiores de 18 anos, serão realizados por meio do aplicativo da Grin, disponível nas plataformas App Store e Google Play, que mostrará os locais conveniados com o comércio local, em áreas privadas, para a retirada ou entrega dos equipamentos disponíveis para a população nos bairros Moinhos de Vento, Rio Branco, Cidade Baixa e Bom Fim. “A proposta deste tipo de transporte que vai ser testado em Porto Alegre é uma tendência mundial para a microacessibilidade das cidades”, diz Fábio Berwanger Juliano, diretor de Operações da EPTC. A iniciativa é baseada no Decreto Municipal nº 19.701, de 15 de março de 2017, que possibilita ao poder público o teste de novas tecnologias que contribuam para soluções inovadoras para cidade.

Para a segurança, é recomendado que os clientes façam uso de capacete e que mantenham sempre as duas mãos no guidão e os dois pés dentro da patinete. Para a viabilização do serviço e organização da cidade, é importante a devolução correta dos veículos nas estações. A empresa monitora as patinetes em tempo real e conta com uma equipe local para realizar o processo de coleta, recarga e recolocação diária nas estações. A locação também pode ser realizada por meio do aplicativo de entregas Rappi, opção criada a partir de uma parceria estratégica entre as duas empresas.

As patinetes observam as mesmas regras atuais para as bicicletas. Podem transitar em ciclovias e ciclofaixas (até o limite de 20 km/h) e, se necessário, nas calçadas (neste caso, o limite é de 6 km/h), respeitando sempre a prioridade total aos pedestres e observando o que determina o Código de Trânsito Brasileiro (CTB). O usuários da plataforma também contam com cobertura do seguro de acidentes pessoais da seguradora HDI para eventuais acidentes durante o passeio.

Divulgação/The Daily Company

Orla Moacyr Scliar terá programação especial em fevereiro

Orla Moacyr Scliar terá programação especial em fevereiro

Agenda Cidade Comunicação Cultura Marchezan Notícias Porto Alegre prefeitura

Até 24 de fevereiro, a Secretaria Municipal do Meio Ambiente e da Sustentabilidade (Smams) prossegue com a programação do projeto de verão Orla de Boa. A iniciativa foi viabilizada através da parceria com a empresa Uber, adotante da Orla Moacyr Scliar desde agosto do ano passado. Nos próximos três domingos deste mês, os frequentadores do local poderão desfrutar de uma programação especial. Atividades como aulas de ginástica e zumba, oficinas sobre sustentabilidade e pocket shows em uma tenda com espaço para descanso fazem parte das atividades e atrações do espaço.

“A programação da Uber é voltada ao lazer, mas sempre trabalhando a questão ambiental. O volume de resíduos recolhido semanalmente é de cerca de três toneladas, sendo que o plástico é um dos principais itens descartados. Pensando em como trabalhar esta questão, a empresa confeccionou uma viseira com estes materiais e irá distribuir gratuitamente aos frequentadores da orla que participarem das atividades”, explica o secretário do Meio Ambiente e da Sustentabilidade, Maurício Fernandes. A programação Orla de Boa começou no domingo passado, 3, com atividades e pocket show com Serginho Moah.

“Convidamos a todos para reciclar a relação com Porto Alegre e ficar de boa na Orla. Nosso recado é que a natureza já fez a parte dela no Guaíba, então cada um tem que fazer a sua para manter sempre limpa, deixando o lixo no local adequado”, explica Ruddy Wang, gerente geral da Uber para a Região Sul. A Orla conta com 50 lixeiras duplas (com 20 e 40 litros de capacidade), acrescidas de 10 contentores triplos extras (com capacidade de até 240 litros cada) aos finais de semana.

Programação:
Dias: 10, 17 e 24 de fevereiro
9h às 10h: aula de ginástica funcional
10h às 11h: aula de zumba
10h às 11h: oficina de reciclagem
16h às 21h: DJ
17h às 18h: oficina de reciclagem
18h às 21h: pocket show com Nalanda

*Em caso de chuva, o evento será transferido. Agenda sujeita a confirmação

Porto Alegre: Marchezan valida cronograma de obra do projeto piloto do Cais Mauá em encontro na Associação Comercial

Porto Alegre: Marchezan valida cronograma de obra do projeto piloto do Cais Mauá em encontro na Associação Comercial

Cidade Destaque Marchezan Política Porto Alegre prefeitura

 

O prefeito Nelson Marchezan Júnior anunciou durante o Menu POA, realizado nesta terça-feira, 5, na Associação Comercial de Porto Alegre (ACPA), que o Escritório de Licenciamento da Prefeitura Municipal validou a alteração do cronograma de obra para o projeto piloto do Cais Mauá. “Teremos uma entrega provisória do projeto completo do Cais Mauá. Serão cerca de 600 vagas de estacionamento e dois hectares de área de convivência. É o primeiro passo para viabilizar o Cais Mauá. Vai ser um aperitivo de como é bom vencer a burocracia”, diz o prefeito.

O diretor-presidente do Consórcio Cais Mauá, Eduardo Luzardo, afirma que a área de entretenimento e estacionamento será entregue no dia 26 de março, dia do aniversário de Porto Alegre. “Agradeço o esforço da prefeitura que fez uma grande mobilização para acelerar este processo”, destaca.

O espaço a ser entregue no final de março junto à Usina do Gasômetro contará com áreas de gastronomia, quadras de beach tênis e bancos para apreciar o pôr do sol. Será um espaço temporário, por até quatro anos, até que todos os armazéns sejam revitalizados e se chegue à execução do projeto original, que prevê shopping e torres. Com a entrega da primeira fase, a expectativa é que seja criada uma demanda que facilite a comercialização mais acelerada dos armazéns e do projeto completo.

180301_Luciano Lanes_PMPA-16
Espaço a ser entregue no final de março contará com área de gastronomia. Foto: Luciano Lanes/PMPA
Caçada Pokémon Go provoca caos no trânsito da Zona Sul de Porto Alegre

Caçada Pokémon Go provoca caos no trânsito da Zona Sul de Porto Alegre

Cidade Cultura Destaque Marchezan Porto Alegre Turismo
49938274_377871899606592_1798046264143642624_n
Zona Sul, 09h45 – Foto retirada das redes sociais

Dando mais uma demonstração de que não conhece as prioridades urbanas de uma grande cidade como Porto Alegre, a prefeitura afetou a vida de milhares de pessoas em razão do evento Pokémon Go Safari Zone que ocorre hoje, amanhã e domingo. A EPTC fechou a Avenida Beira-Rio sem apresentar nenhuma outra solução ou alternativa. O que obviamente em um dia normal provocou o caos na Zona Sul da Capital. Há relatos de pessoas que chegaram atrasadas nos seus locais de trabalho, em consultas médicas e compromissos previamente agendados porque a prefeitura resolveu ampliar o bloqueio, que já acontece aos sábados e domingos. E nesses dias o bloqueio – que já causa problemas – ainda assim mantém uma pista livre. Agora, as duas foram bloqueadas. A desculpa injustificável é dar segurança aos participantes que vão caminhar pelo local. Ao todo, 25 mil pessoas devem passar pela orla nos três dias de evento. Desci do carro e não vi esse povo lá caçando Pokémon. Pelo menos, o dobro disso precisa da via no mesmo horário para seus compromissos pessoais e profissionais.

Um trajeto, por exemplo, entre o Barra Shopping e o Beira Rio, que normalmente leva menos de dez minutos, na manhã de hoje estava levando quatro vezes mais. O bloqueio aconteceu às 8h30 da manhã e segue até as 20h de domingo. A interrupção na avenida Edvaldo Pereira Paiva, a partir da rua Nestor Ludwing até a rótula João Belchior Marques Goulart. Aí você vai no site da prefeitura e lê que o gerente de Fiscalização de Trânsito da EPTC, Paulo Ramires, explicando que, devido ao período de férias, não são esperados maiores transtornos ao trânsito, mesmo com a expectativa de grande público. E dá uma orientação. “É importante que as pessoas utilizem o transporte coletivo, seletivo, táxi ou aplicativos, pois a região não conta com áreas de estacionamento para o público esperado”, diz Ramires. Ou seja é importante que as pessoas usem o péssimo transporte que atende a região. A foto foi retirada das redes sociais da jornalista Carla Seabra. Porque eu ía até o Centro pela manhã, fui até o Barrashoppingsul e resolvi voltar para casa, tamanho era o engarrafamento. Para trabalhar hoje no SBT ao invés de sair de casa 20 minutos antes, vou sair uma hora antes, porque vai que uma invasão de Pokémons resolva bloquear ainda mais o trânsito que a EPTC. O Trânsito de Porto Alegre, já ruim e a prefeitura consegue piora-lo.

Porto Alegre: Após notificações, consórcio recupera obra na Padre Cacique

Porto Alegre: Após notificações, consórcio recupera obra na Padre Cacique

Cidade Destaque Marchezan Poder Política Porto Alegre prefeitura

O consórcio que executou a obra de pavimentação do corredor da avenida Padre Cacique, inserida na matriz de responsabilidade da Copa do Mundo de 2014, começou a manutenção das fissuras existentes nas placas de asfalto do corredor de ônibus, nesta quinta-feira, 3. A ação ocorre após a prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Mobilidade Urbana (Smim), notificar por duas vezes as empresas responsáveis: a primeira no dia 14 de dezembro de 2016 e a segunda no dia 16 de outubro de 2018.

A Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) informa que, durante a realização dos serviços, com duração estimada em 60 dias, o tráfego de ônibus no corredor será desviado para a pista dos veículos. Agentes monitoram a região, mas medida não deve gerar impacto no trânsito pelo movimento reduzido registrado nessa época do ano.

A obra foi contratada em 2012 e entregue em 2014, na gestão anterior. A restauração da via ocorrerá a partir de estudo atualizado desenvolvido pela equipe de fiscalização da secretaria. É a primeira vez que será feita a recuperação de via por uma obra da Copa mal executada. “A prefeitura cobrou e o consórcio está cumprindo com a notificação. Depois de reparado o serviço mal executado, serão repassados os valores retidos relacionados ao contrato”, explica o titular da Smim, Luciano Marcantônio.

Vidas Salvas: capital pode atingir meta de trânsito da ONU

Vidas Salvas: capital pode atingir meta de trânsito da ONU

Cidade Destaque Marchezan

A gradativa redução da acidentalidade no trânsito possibilita que a cidade de Porto Alegre alcance a meta da Década de Ação da ONU, 76 vidas perdidas no trânsito em um ano, estabelecida para 2020, dois anos antes. De acordo com dados divulgados pela Coordenação de Informações de Trânsito (CIT) da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), de janeiro a novembro, registramos o menor número de mortes dos últimos 20 anos para o período. Em 2017, 82 duas pessoas perderam a vida desde janeiro, em 2018 foram 68, uma redução de 17%.

Em 2011 a Organização das Nações Unidas determinou que a redução da projeção do número de mortes fosse de 50%. Se a tendência continuasse, mesmo com uma sinalização de queda naquela época, seriam computadas 152 mortes em 2020. Marcelo Soletti, Diretor-Presidente da EPTC, afirma que o trabalho contra a violência no trânsito continuará intenso: “Apesar do número preocupante, cada vida salva é comemorada e mostra que estamos no caminho certo. Além das blitze diárias, junto com o Detran, Guarda Municipal e demais órgãos de segurança, com ênfase na questão do álcool e direção, daremos continuidade às ações contra o excesso de velocidade. Elas serão somadas, também, às medidas de engenharia de tráfego, às atividades educativas aos motoristas e de proteção aos ciclistas e pedestres, ainda mais neste corre-corre de final de ano, para prevenir os acidentes”.

O mês de novembro encerrou com menos 16% em acidentes (1.087 a 909) na comparação com o mesmo período de 2017; além de menos 21% em feridos (492 a 386); e menos 28% em vítimas fatais (7 a 5).

Como foi possível essa redução – Para reduzir a acidentalidade, Porto Alegre aposta em ações de Educação, Fiscalização e Infraestrutura. Todas as ações são baseadas nos índices de acidentalidade. Locais, público (pedestres, idosos, motociclistas) e infrações mais cometidas são considerados balizadores e alertas para agir em locais e públicos que estão sofrendo mais acidentes e mortes. A Prefeitura entende que a educação é um dos pilares da mobilidade urbana e assim trata do assunto, interna e externamente. Em 1998, ano de criação da EPTC, já começou a ser formada a estrutura, que hoje chamamos de coordenação de Educação para Mobilidade. Uma equipe de 20 pessoas, sendo 13 agentes de trânsito, que desenvolvem diversas ações em escolas, empresas e instituições, com o objetivo de reduzir os índices de acidentalidade, mortos e feridos no trânsito. A equipe trabalha em uma sede própria e executa mais de dez projetos permanentes de educação para o trânsito. Só em 2018 já foram realizadas 451 ações, que tiveram engajamento de mais de 42 mil pessoas. O principal objetivo é transformar cada uma delas em um multiplicador para um trânsito seguro.

A trágica realidade no trânsito:
• Mais de um milhão de pessoas morrem nas ruas e estradas do mundo a cada ano. No Brasil, as estatísticas indicam cerca de 50 mil mortos anuais.
• Milhões de pessoas ficam feridas, a maioria de forma permanente. No Brasil, os números indicam 500 mil feridos.

Porto Alegre: Parceria internacional permitirá uso de energia solar nas escolas

Porto Alegre: Parceria internacional permitirá uso de energia solar nas escolas

Cidade Destaque Direito Educação Marchezan Poder Porto Alegre Tecnologia

A Prefeitura de Porto Alegre e a Agência Alemã de Cooperação Internacional assinaram nesta quarta-feira, 28, Termo de Cooperação para viabilizar investimentos em energia renovável nos prédios municipais da rede pública estatal e não estatal de ensino. A iniciativa integra as ações do Projeto de Eficiência Energética nas Escolas Municipais, um dos programas estruturantes da administração, e prevê a instalação de placas voltaicas nas instituições, gerando economia na conta de luz e permitindo depois a ampliação do modelo para demais áreas do município. O valor do projeto está estimado entre R$ 40 milhões e R$ 60 milhões, que deverão ser contratados por financiamento externo. O termo de cooperação é o primeiro passo para a busca dos recursos, já que a Agência Alemã, que atua em conjunto com o Banco Europeu de Investimento em projetos de desenvolvimento sustentável, disponibilizará sem custos à prefeitura consultoria técnica especializada para construção do projeto básico por meio da sua unidade de assessoramento.

O Felicity – Financing Energy for Low-Carbon Investment Cities Advisory Facility (assessoria para cidades para financiamentos de investimentos em baixa emissão de carbono) trabalha em escala mundial para tornar cidades e municípios capazes de desenvolver e implementar projetos de energia renovável, elegíveis para financiamentos. Concentra-se em medidas que promovem a eficiência energética e integração de fontes de energia renovável nos setores de energia, água, transportes, resíduos e edificações. “O termo servirá como um instrumento para alocarmos os recursos necessários, pois teremos o apoio técnico para formatar o projeto básico. Após as escolas, deveremos expandir o modelo para postos de saúde e outros locais de prestação de serviços públicos”, destacou o gerente do projeto, o secretário municipal adjunto de Serviços Urbanos, Júlio Elói Hoper. Ele pontuou ainda o caráter transversal da iniciativa, que repercute no estruturante das finanças públicas municipais, beneficia a Secretaria de Educação, mas tem o protagonismo do Escritório de Resiliência da Secretaria Municipal de Relações Institucionais.

O prefeito em exercício Gustavo Paim salientou que o programa de Resiliência tem sido reconhecido internacionalmente e destacou que a expectativa para parceria com a Agência Alemã é de que seja um acordo replicável e permanente. “Queremos que possa ser administrado por qualquer gestão municipal e contar com a colaboração do corpo técnico nos permitirá dar continuidade ao programa”, diz.  O secretário municipal de Educação, Adriano Naves de Brito, afirmou que os recursos economizados em energia elétrica nas escolas poderão ser reinvestidos nas próprias instituições e assim atender outras demandas. “É bastante simbólica a escolha da educação para estrear essa parceria, que deverá também contemplar as escolas comunitárias que funcionam em prédios da prefeitura.”

Missão Internacional – As tratativas iniciaram-se em maio, a partir do estabelecimento da cooperação entre o governo do Brasil e a Alemanha. Em setembro, ocorreu a primeira visita da Missão Internacional Brasil-Alemanha a Porto Alegre e a segunda começou nessa terça-feira, 27. Nesta quarta, 28, antes da assinatura do termo, o grupo visitou a Escola Municipal de Ensino Fundamental Vereador Antônio Giudice, no bairro Humaitá. Em 2016, como parte de um projeto-piloto, foram instalados na escola um bloco de 10 paineis fotovoltaicos doados pelo ICLEI – Governos Locais pela Sustentabilidade, uma rede global de cidades voltada à construção de um futuro sustentável.

Escolas – Além da significativa redução no gasto com energia, a proposta de utilização das placas voltaicas nas escolas das redes públicas municipal e comunitárias também tem o viés pedagógico, com o envolvimento de professores e alunos no controle das medições, integrando também os conteúdos de disciplinas como Matemática e Física. A energia solar convertida em energia elétrica deverá ser a fonte principal, sendo que o excesso gerado poderá ser devolvido à rede pública em troca de créditos. A previsão é finalizar o projeto básico em 2019 e iniciar a instalação das placas em 2020.

Porto Alegre: Prefeitura economiza R$ 117 milhões com negociação de precatórios

Porto Alegre: Prefeitura economiza R$ 117 milhões com negociação de precatórios

Cidade Destaque Direito Economia Marchezan Negócios

 

A prefeitura de Porto Alegre economizou R$ 117 milhões na segunda rodada de negociações de precatórios realizada este ano. Sessenta e nove precatórios aderiram ao chamamento, feito em maio, sendo que quinze formalizaram o acordo, observada a ordem cronológica. A última homologação, que ocorreu agora em novembro, é dos precatórios referentes ao Morro do Osso, com uma redução de R$ 112 milhões.

Segundo a coordenadora da Câmara de Conciliação de Precatórios, procuradora Bethania Flach, a conclusão desta rodada de negociação de precatórios resultou na redução imediata de 34% do estoque geral da dívida, que passou de R$ 450 milhões para R$ 300 milhões. “Este ano, tivemos um resultado significativo na negociação de precatórios, que representa um avanço importante para a gestão da dívida judicial e para os credores”, afirma Bethania. A economia obtida na primeira rodada de negociações, no ano passado, foi de pouco mais de R$ 500 mil.

Para a procuradora-geral do Município, Eunice Nequete, os acordos são fundamentais para viabilizar os pagamentos. “Importante trabalharmos para impedir que a dívida se avolume e, com isso, passe a comprometer cada vez mais as finanças do Município.”

A negociação prevê o pagamento dos créditos com redução de 40% do valor total devido. Todos os credores submetidos ao Regime Especial foram convidados a manifestar interesse pela conciliação, sendo a adesão opcional. Precatórios não aderentes permaneceram na posição original da fila de pagamento.

Câmara de Conciliação de Precatórios – Instituída pela Lei Municipal nº 12.003, de 27 de janeiro de 2016, que criou a Central de Conciliação da Procuradoria-Geral do Município (PGM), a Câmara de Conciliação de Precatórios é coordenada pela PGM e composta por três membros e seus respectivos suplentes da PGM, da Secretaria Municipal da Fazenda (SMF) e da Secretaria Municipal de Planejamento e Gestão (SMPG).

Porto Alegre: Banco Mundial confirma operação inédita para apoiar um plano de desenvolvimento do 4º Distrito. US$ 30 milhões serão usados em contenção de alagamentos, saneamento e mobilidade urbana.

Porto Alegre: Banco Mundial confirma operação inédita para apoiar um plano de desenvolvimento do 4º Distrito. US$ 30 milhões serão usados em contenção de alagamentos, saneamento e mobilidade urbana.

Cidade Destaque Marchezan Porto Alegre prefeitura

O prefeito Nelson Marchezan Júnior e a comitiva que está nos Estados Unidos para atrair investimentos para Porto Alegre receberam nesta segunda-feira, 26, do Banco Mundial, em Washington, a confirmação de que haverá um aporte na casa dos US$ 30 milhões para apoiar um plano de desenvolvimento do 4º Distrito, região que compreende os bairros Floresta, Navegantes, São Geraldo, Humaitá e Farrapos. Os recursos deverão ser utilizados para a contenção de alagamentos, saneamento e mobilidade urbana.

Além disso, a Prefeitura obteve outro importante apoio, através da oferta de assistência técnica do Banco Mundial, que servirá para a estruturação de projetos e revisão do Plano Diretor da capital, com recursos a fundo perdido, tendo como viés gerar os mecanismos necessários para viabilizar a reconversão do 4º Distrito.

46777069_319989708595848_3958296221394665472_n
Reunião no Banco Mundial nesta segunda-feira em Washington. Foto: PMPA

Como Porto Alegre não tem nota de crédito para contrair investimentos internacionais, o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) será o intermediador do recurso. Esta é uma operação inédita do Banco Mundial, utilizando o intermédio de uma instituição financeira local para superar a saúde financeira do município.

A atual avaliação de capacidade financeira da Capital Gaúcha, determinada pela Secretaria do Tesouro Nacional, classifica Porto Alegre com rating C, o que impossibilita a contração de um empréstimo junto ao Banco Mundial de forma direta. Para voltar a contrair este tipo de recurso, a cidade precisa realizar reformas estruturais que garantam a saúde financeira do município. ”Estamos buscando outras alternativas para não perdermos mais financiamentos do que já perdemos. Neste caso, o limite de crédito não será da prefeitura e sim do BRDE”, explicou o prefeito.

Segundo o professor Luiz Carlos Pinto da Silva Filho, diretor da Escola de Engenharia da Ufrgs e coordenador do Pacto Alegre pela Aliança da Inovação, o Banco Mundial está muito entusiasmado com o avanço das negociações com Porto Alegre e disposto a aumentar seu envolvimento. ”A operação com o BRDE está sendo vista como piloto de um novo modelo de arranjo para operações com municípios brasileiros”, observa.

Na reunião na embaixada do Brasil em Washington, Luciana Mancini, assessora da área de inovação, disse que ficou sabendo do lançamento do Pacto Alegre, na semana passada, e ficou muito empolgada, sugerindo a prospecção de parcerias internacionais especialmente em inovação, Data Science e na área da saúde.

Mais cedo, a comitiva almoçou com Sameh Wahba, diretor global da área de Resiliência do Banco Mundial, para realizar um alinhamento institucional, a fim de avançar no plano de negócios para laboração do projeto âncora de revitalização do 4º Distrito, que servira como modelo para aplicar em outras áreas que necessitem de projetos semelhantes, além de reestruturar o plano diretor da cidade.

Missão EUA – A comitiva embarcou na sexta-feira, 23, para uma missão dividida entre Washington e Nova Iorque, com objetivo de atrair investimentos para Porto Alegre. Integram a missão o prefeito Nelson Marchezan Júnior; os secretários municipais da Fazenda, Leonardo Busatto; de Parcerias Estratégicas, Bruno Vanuzzi; secretário-adjunto de Planejamento e Gestão, Daniel Rigon; e a deputy chief resilience officer, Marcela Ávila. Pela Câmara Municipal, fazem parte da comitiva os vereadores Valter Nagelstein, Mauro Pinheiro, Moisés Barboza, Ricardo Gomes e Wambert di Lorenzo. Os representantes da Aliança pela Inovação de Porto Alegre são o professor Luiz Carlos Pinto da Silva Filho, diretor da Escola de Engenharia da Ufrgs; Marcus Coester, da Aeromovel Brasil S.A; Henri Siegert Chazan, presidente do Sindicato dos Hospitais e Clínicas de Porto Alegre; e Marc Allan Weiss, presidente Global Urban Development.

Porto Alegre: Estreia nesta sexta-feira história cantada da Revolução Farroupilha

Porto Alegre: Estreia nesta sexta-feira história cantada da Revolução Farroupilha

Agenda Cidade Cultura Destaque Marchezan Porto Alegre

Estreia nesta sexta-feira (30/11), na Orla Moacyr Scliar, na Avenida Edvaldo Pereira Paiva, às margens do Guaíba, o espetáculo Revolução Farroupilha, uma História de Sangue e Metal. A encenação, que reunirá dança, música, teatro e atividades circenses, é baseada na obra Revolução Farroupilha, do escritor Luiz Coronel. A direção-geral da apresentação é de Clóvis Rocha, e a realização é uma promoção da Câmara Municipal de Porto Alegre em parceria com a Secretaria Municipal de Cultura. Serão três apresentações: dia 30 de novembro e dias 1º e 2 de dezembro, sempre às 20 horas, com acesso gratuito.

A montagem do espetáculo, escolhida por edital público para promoção de atividades culturais e desenvolvida com verbas do orçamento anual da Câmara Municipal, envolve mais de 100 profissionais. Os núcleos do espetáculo têm a participação de nomes reconhecidos pelo trabalho na cultura gaúcha: Jessé Oliveira no teatro; Dilmar Messias no circo; Carini Pereira, Gustavo Silva e Claudia Dutra na dança; e João Maldonado na direção musical. Entre as estrelas das três noites estão a atriz e cantora Valéria Houston, os irmãos Ernesto e Paulinho Fagundes e a guitarra de Erick Endres.

Livro

Revolução Farroupilha (Mecenas Editora, 144 páginas) é uma edição especial do livro-poema A Revolução Farroupilha, do poeta, compositor, escritor, cronista e publicitário Luiz Coronel, com ilustrações de Danúbio Gonçalves.

A obra narra as lutas envolvendo os personagens, conflitos e desenlace, bem como sua significação profunda para a identidade gaúcha. Para tanto, Coronel buscou sustentação no livro Farrapos, de Walter Spalding, e no valioso material das edições de Revolução Farroupilha-Cronologia do Decênio Heroico, de Antônio Augusto Fagundes; de Os Farrapos, de Carlos Urbim; de Homens Ilustres do Rio Grande do Sul, de Aquiles Porto Alegre; e do Cancioneiro da Revolução de 1835, de Apolinário Porto Alegre.

Serviço

Espetáculo: Revolução Farroupilha, uma História de Sangue e Metal

Quando: 30 de novembro e 1º e 2 de dezembro (sexta, sábado e domingo)

Horário: 20 horas

Local: Orla Moacyr Scliar (Avenida Edvaldo Pereira Paiva)

Entrada gratuita

Produção: Lucida Desenvolvimento Cultural

Apoio: Prefeitura de Porto Alegre – Secretaria Municipal da Cultura

Realização: Câmara Municipal de Porto Alegre