Porto Alegre: Prefeitura de Porto Alegre projeta mais R$ 200 milhões com novo IPTU

Porto Alegre: Prefeitura de Porto Alegre projeta mais R$ 200 milhões com novo IPTU

Agenda Cidade Comunicação Economia Marchezan Negócios Notícias Poder Política Porto Alegre prefeitura

No segundo encontro do ciclo de reuniões da Secretaria Municipal da Fazenda (SMF) com a comissão especial da Câmara de Porto Alegre que analisará o projeto do Executivo que revisa a planta de valores do Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU), o foco foi esclarecer o cálculo que a SMF utiliza para definir o valor venal dos imóveis da cidade – valor a partir do qual é calculado o IPTU de cada logradouro. Caso o projeto seja aprovado pelo Legislativo sem nenhuma alteração, a prefeitura espera um aumento de 40% na arrecadação total do imposto, conforme o secretário da Fazenda, Leonardo Busatto, o que corresponde a cerca de R$ 200 milhões.

Leia mais em Jornal do Comércio

Falta de combustível: Gabinete de Crise da prefeitura de Porto Alegre avalia ações emergenciais

Falta de combustível: Gabinete de Crise da prefeitura de Porto Alegre avalia ações emergenciais

Agenda Cidade Destaque Marchezan Notícias Poder Política Porto Alegre prefeitura Trabalho

Em reunião realizada no Centro Integrado de Comando da Cidade de Porto Alegre (Ceic) na tarde desta quinta-feira, 24, o Gabinete de Crise da prefeitura avaliou os desdobramentos decorrentes da paralisação dos caminhoneiros, que está provocando a falta de combustível na Capital, e definiu ações que já estão sendo adotadas para minimizar o problema. Áreas da Saúde e da Educação não foram atingidas até o momento.

Coordenado pelo prefeito Nelson Marchezan Júnior, por secretários e por integrantes de diferentes órgãos do Executivo, o gabinete permanecerá em reunião permanente para monitorar a situação e buscar garantir a normalidade dos trabalhos e o abastecimento parcial da frota de veículos que presta serviços à população.

Inicialmente, as principais áreas afetadas pela falta de combustível são o transporte público e o recolhimento de lixo. A greve dos caminhoneiros já dura quatro dias, provocando problemas na mobilidade urbana da Capital.

Ônibus – Em razão da greve dos caminhoneiros, o transporte coletivo segue com atendimento emergencial na Capital nesta quinta, 24. No horário de pico da tarde, entre 17h e 19h30, o serviço será normal, mas seguindo com viagens de hora em hora até 23h30. No intervalo entre 23h30 e 4h30, os ônibus não circularão.

O atendimento emergencial será repetido nesta sexta-feira, 25, começando às 4h30 e segue a tabela normal até as 8h30. Das 8h30 até as 17h, os ônibus operam de hora em hora. A partir das 17h até as 19h30, os ônibus operam em tabela normal. A partir das 19h30 até 23h30, os ônibus funcionarão de hora em hora.

Lotações – O serviço de lotações segue nesta sexta-feira, 25, autorizado a transportar passageiros em pé e circularem nos corredores de ônibus fora dos horários de pico.

Lixo – A Secretaria Municipal de Serviços Urbanos, por meio do Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU), afirma que o movimento dos caminhoneiros irá afetar as coletas regulares de resíduos na Capital. A coleta domiciliar está sendo impactada duplamente. Em razão da paralisação nacional, a BR-290, rodovia que leva até o aterro sanitário de Minas do Leão, está bloqueada. Assim, a descarga dos caminhões, realizada na Estação de Transbordo da Lomba do Pinheiro, está sendo prejudicada pela dificuldade de acesso ao aterro. A previsão é de que a capacidade de armazenamento no local seja esgotada até o final da tarde desta quinta-feira, 24.

Os técnicos do DMLU estão analisando a possibilidade de dispor os resíduos, de forma provisória, em uma outra área também na região da Lomba do Pinheiro. Apesar da Coleta Seletiva não destinar os resíduos via Transbordo, mas diretamente nas Unidades de Triagem, a redução do combustível disponível da cidade também afeta o serviço. Frente às dificuldades de fornecimento de combustível na capital, o DMLU está estudando alternativas para espaçar as rotinas das coletas.

Porto Alegre: Hospital Vila Nova amplia atendimento para pacientes de complexidade intermediária

Porto Alegre: Hospital Vila Nova amplia atendimento para pacientes de complexidade intermediária

Cidade Destaque Marchezan Poder Política Porto Alegre prefeitura Saúde

A prefeitura e a Associação Hospitalar Vila Nova entregaram nesta terça-feira, 22, 33 novos leitos de retaguarda no Hospital Vila Nova. Com esta entrega, a instituição completa 66 novos leitos de retaguarda, utilizados para encaminhamento de pacientes de complexidade intermediária, e outros 33 leitos de atendimento geral, que foram qualificados para leitos de retaguarda, totalizando 99 novos leitos de longa duração oferecidos para a rede de saúde do município desde janeiro de 2017.
“Estamos reabrindo os leitos que foram fechados em Porto Alegre nos últimos anos e colocando o dinheiro público onde pode retornar em benefício para a sociedade”, disse o prefeito Nelson Marchezan Júnior. O secretário municipal da Saúde, Erno Harzheim, destacou os avanços no setor na Capital. “Teremos mais 49 leitos no Hospital Restinga e Extremo-Sul, com o edital de chamamento, e teremos mais 204 leitos no Hospital Santa Ana”, explicou. No Santa Ana, 30 leitos para saúde mental abrirão em julho e o restante em setembro. O secretário também destacou que está aberto o edital para inscrição de propostas de sete novos Centros de Atenção Psicossocial (Caps), que farão internação em saúde mental em 69 leitos. De acordo com Harzheim, do segundo semestre do ano passado até o início de 2019, a cidade terá mais de 400 novos leitos hospitalares.
Associação Hospitalar Vila Nova está em funcionamento há 50 anos e presta atendimento exclusivamente pelo SUS. O diretor-presidente da instituição, Dirceu Dal’Molin, destacou outros atendimentos importantes realizados no local, como o serviço de oftalmologia, um dos maiores do Estado. Ele informou que 1.180 novas consultas são realizadas por mês, que, somadas aos retornos, chegam a 2,5 mil.
33124370_2099020543650271_2582774735158902784_n
Entre os presentes: Mauro Sparta e Adriana Acker, do Grupo Hospitalar Conceição, Dunga e Delton Rosa, colaboradores da Associação Hospital vila Nova
Porto Alegre: Prefeitura entrega mais 33 novos leitos no Hospital Vila Nova

Porto Alegre: Prefeitura entrega mais 33 novos leitos no Hospital Vila Nova

Marchezan Notícias Porto Alegre prefeitura Saúde

A Prefeitura de Porto Alegre e a Associação Hospitalar Vila Nova entregam 33 novos leitos de retaguarda no Hospital Vila Nova (rua Catarino Andreatta, 155, Vila Nova) na zona Sul, nesta terça-feira, 22, às 8h30. Com isso, a instituição completa 66 novos leitos de retaguarda e outros 33 leitos de atendimento geral, que foram qualificados para leitos de retaguarda, totalizando 99 novos leitos de longa duração oferecidos para a rede de saúde do município, desde janeiro de 2017.

O ato terá a presença do prefeito Nelson Marchezan Júnior, do secretário municipal de Saúde, Erno Harzheim, e do diretor-presidente da Associação Hospitalar Vila Nova, Dirceu Dal’Molin.

O estabelecimento de saúde, que há 50 anos está em funcionamento, presta atendimento 100% SUS.

Porto Alegre: Conselho gestor para ciclovias está desativado

Porto Alegre: Conselho gestor para ciclovias está desativado

Cidade Comunicação Cultura Educação Marchezan Notícias Poder Política Porto Alegre

Encarregado por lei de determinar quais ciclovias terão obras priorizadas em Porto Alegre, o conselho gestor do Fundo Municipal de Apoio à Implantação do Sistema Cicloviário ainda não teve nenhuma reunião em 2018.

O problema, segundo explicação da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) a integrantes do colegiado, é que algumas das secretarias municipais que têm assento no conselho ainda não indicaram representantes, de tal forma que não há quórum para a realização de sessões. Criado por lei municipal em 2014, o conselho nasceu para gerir os recursos advindos de 20% do total das multas de trânsito coletadas na Capital.

Um montante equivalente a esse valor deveria ser depositado no fundo e, então, investido em obras previstas no Plano Diretor Cicloviário Integrado do município.

A ideia, porém, não tem funcionado na prática. De acordo com André Gomide, representante da associação cicloativista Mobicidade no conselho, além da dificuldade para os encontros, a conta bancária que receberia os valores segue zerada pelo menos desde o começo da atual gestão, conduzida pelo prefeito Nelson Marchezan Júnior.

Leia mais em Jornal do Comércio

Porto Alegre: Secretário da Fazenda detalha projeto do IPTU para vereadores

Porto Alegre: Secretário da Fazenda detalha projeto do IPTU para vereadores

Agenda Cidade Comunicação Destaque Direito do Consumidor Marchezan Notícias Porto Alegre Prédio

A comissão especial da Câmara Municipal de Porto Alegre que foi formada para analisar o Projeto de Lei Complementar do Executivo (PLCE) nº 5/18, que propõe a atualização da planta de valores do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) na cidade, recebeu, na manhã de quinta-feira, representantes da Secretaria Municipal da Fazenda (SMF) para detalhar o projeto aos vereadores.

Esta primeira reunião depois da que instalou a comissão foi marcada pela presença do secretário municipal da Fazenda, Leonardo Busatto, e pelo superintendente da Receita Municipal, Teddy Biassusi. O objetivo do comparecimento foi detalhar a maior parte do projeto aos vereadores e tirar dúvidas que surgiam ao longo da apresentação.

Leia mais em Jornal do Comércio

Porto Alegre: Centro pode ter vagas no subsolo

Porto Alegre: Centro pode ter vagas no subsolo

Cidade Comportamento Comunicação Destaque Marchezan Notícias Porto Alegre

A possível concessão do Mercado Público pode resultar em um estacionamento subterrâneo no centro da capital. Em um dos cenários do edital de PMI (Procedimento de Manifestação de Interesse) que foi apresentado ontem pelo prefeito Nelson Marchezan Júnior, é contemplada a realização da obra sob o largo Glênio Peres, espaço em frente ao Mercado.

Leia mais em METRO POA

Porto Alegre: Prefeitura lança edital para PMI do Mercado Público

Porto Alegre: Prefeitura lança edital para PMI do Mercado Público

Agenda Comunicação Destaque Marchezan Notícias Porto Alegre Prédio prefeitura

Nesta quinta-feira, 17, às 11h30, o prefeito Nelson Marchezan Júnior faz a apresentação do Edital de Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI) para o Mercado Público. A cerimônia acontece no Salão Nobre do Paço Municipal. (Praça Montevideo, 10). O PMI estabelece diretrizes para estudos técnicos referentes à estruturação de projeto de requalificação, manutenção e operação do Mercado Público.

Após a cerimônia, o prefeito Nelson Marchezan Júnior e o secretário municipal de Parcerias Estratégicas, Bruno Vanuzzi, concedem entrevista coletiva à imprensa.

 

Porto Alegre: Troca de administração do Hospital da Restinga preocupa vereadores

Porto Alegre: Troca de administração do Hospital da Restinga preocupa vereadores

Cidade Marchezan Notícias Porto Alegre Saúde

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara Municipal realizou nesta terça-feira (15/5) reunião para debater a manutenção da prestação de serviços ao Hospital Restinga e Extremo Sul (HRes). Segundo o presidente da CCJ, vereador Dr. Thiago Duarte (DEM), atualmente o Hospital Moinhos de Vento é o mantenedor do HRes, e o previsto na reunião era de que representantes do Moinhos comparecessem para prestar contas trazendo os demonstrativos de movimentos financeiros e econômicos de todo o período do convênio presente, porém não compareceram. “Nossa preocupação é de que se encerre este convênio e assuma uma administração que não dê continuidade à qualidade do serviço prestado. Prezamos pela garantia dos serviços”, explica.

O vereador ainda questionou a questão do ticket médio por cada leito ser mais alto para o Hospital da Restinga, enquanto para os outros é menos da metade, também sobre o edital não mencionar a questão do corpo clínico, pois isso acaba praticando menor preço entre os hospitais. “A região concentra 110 mil habitantes, 8% da população da Capital. Atualmente, o hospital opera com 61 leitos “O Moinhos presta um serviço na região há mais de dez anos – tanto no hospital como no pronto atendimento. Se não faz mais, é porque o gestor público não contrata mais – não contrata os leitos de UTI, as cirurgias de média complexidade, os centros obstétricos, a ampliação de leitos”, ressalta o vereador.

Relatório sobre a relação entre o Hospital Moinhos de Vento e o Hospital da RestingaProcuradora Eliane Pastoriz e representantes da comunidade e conselhos.
Reunião da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara com a procuradora Eliane Pastoriz, representantes da comunidade e conselhos. Foto: CMPA

Adeli Sell (PT) ressaltou a questão da Lei de Informação, que não é cumprida, pois, segundo ele, não há condições de fiscalizar as instituições e verificar seus relatórios e extratos porque os sites onde disponibilizam as informações são deficitários. “Isto confronta a legislação e principalmente pelo não comparecimento do Hospital Moinhos de Vento a esta reunião”.

Conforme o vereador Cassio Trogildo (PTB), o Moinhos de Vento é um hospital filantrópico – ou seja, em troca de isenção de impostos, atende 60% de pacientes via Sistema Único de Saúde (SUS). O Hospital da Restinga seria, portanto, uma maneira de cumprir essa obrigação. No entanto, o Moinhos também é reconhecido pelo Ministério da Saúde como um dos seis hospitais de excelência do País, ao lado de Albert Einstein, Sírio-Libanês, Coração, Oswaldo Cruz e Beneficência Portuguesa, todos de São Paulo. Isso faz com que o atendimento dos 60% de pacientes vinculados ao SUS em troca da isenção de impostos não seja mais obrigatório – o que o ministério exige é que o hospital preste serviços a instalações menores. “O Moinhos recebe quase R$ 5 milhões ao mês para atendimentos, da prefeitura (25%), do Estado (25%) e da União (50%). De acordo com o Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional para melhor gestão do SUS – PROAD, os hospitais de excelência não poderiam ser mais utilizados pelo ticket médio para o atendimento e é nesse sentido que precisamos analisar uma alternativa para manter a prestação dos serviços de filantropia”, completou.

Ministério Público

Conforme a promotora de Justiça Liliane Pastoriz, o convênio com o Hospital Moinhos de Vento vence no final de junho e haverá uma reunião esta semana no Ministério Público para discutir a questão da possível saída do mantenedor atual. “Estamos preocupados com a manutenção do HRes, pois é um Hospital que existe deste 2014 e muito estruturado, por isso estamos fiscalizando para buscar soluções”.

SMS

O diretor de Atenção Hospitalar da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), João Marcelo Lopes Fonseca, ouviu todos os questionamentos e destacou que o Proad se encerrou em dezembro de 2017 e, desde então, a prefeitura não repassa seus 25% ao Hospital da Restinga. Porém, um novo chamamento para a licitação ocorrerá até o fim do mês de maio e será aberto para todas as instituições de saúde. “A ideia do próximo edital é de buscar um melhor parceiro para manter o hospital e atender a todas as necessidades da população local. Quanto ao relatório e demonstrativos financeiros do Hospital Moinhos de Vento, vamos disponibilizar à CCJ para devidos esclarecimentos”.

Também participaram da reunião os vereadores da CCJ, Márcio Bins Ely (PDT) e Cláudio Janta (SD), os vereadores da Comissão de Saúde e Meio Ambiente (Cosmam), André Carús (PMDB), José Freitas (PRB) e Aldacir Oliboni (PT), e da Comissão de Educação, Cultura, Esporte e Juventude (Cece), Cassiá Carpes (PP), além de representantes Conselho Municipal de Saúde, Sindicato dos Enfermeiros do Rio Grande do Sul e da Associação Brasileira em Defesa dos Usuários do Sistema Único de Saúde (Abrasus).

Exportações gaúchas crescem 6,4% em abril, aponta Fiergs; Indústria de transformação, que representou 62,7% da pauta, registrou alta de 12,5%

Exportações gaúchas crescem 6,4% em abril, aponta Fiergs; Indústria de transformação, que representou 62,7% da pauta, registrou alta de 12,5%

Cidade Comunicação Destaque Marchezan Negócios Notícias Poder Política Porto Alegre prefeitura

As exportações totais do Rio Grande do Sul registraram alta de 6,4% em abril, somando US$ 1,6 bilhão. Considerando apenas a indústria de transformação, que representou 62,7% da pauta, a variação foi ainda maior, de 12,5%, alcançando a marca de US$ 1 bilhão.

Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (14) pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (Fiergs).  Apesar do resultado favorável, abril contou com três dias úteis a mais em 2018 ante igual período do ano passado.

Assim, deve-se utilizar o cálculo do valor médio exportado por dia útil, corrigindo as distorções causadas pelo efeito do calendário. Por essa métrica, os embarques do setor secundário gaúcho caíram 3,5%.

Apesar do recuo, essa variação foi menos negativa do que aquela registrada em âmbito nacional, de 5%.

Leia mais em Jornal do Comércio