Em evento do LIDE RS, embaixador de Israel no Brasil aponta a tecnologia e a inovação como principais fatores do desenvolvimento

Em evento do LIDE RS, embaixador de Israel no Brasil aponta a tecnologia e a inovação como principais fatores do desenvolvimento

Agenda Cidade Economia Mundo Notícias Tecnologia Trabalho

 

O LIDE RS e Federação Israelita do Rio Grande do Sul promoveram nesta quarta-feira, 11, café da manhã empresarial, com a presença do embaixador de Israel no Brasil, Yossi Shelley, e o secretário de Inovação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul, Luiz da Cunha Lamb. O encontro, que faz parte do Projeto “Novos Horizontes”, teve como tema “Ambiente de Inovação e as Oportunidades de Negócios entre o Estado do Rio Grande do Sul e Israel”, reunindo convidados, filiados às duas entidades e imprensa.

kxTMKUbA
Embaixador Yossi Shelley. Foto: LIDE

Em sua apresentação, o embaixador Shelley explicou como Israel chegou a ser a referência que é, hoje, na economia mundial. Segundo ele, Israel priorizou investimentos em Segurança até ser considerado, de fato, uma potência representada por um exército bastante forte. “A partir daí nossos investimentos passaram a ser principalmente onde ainda não existia concorrência, com domínio do conhecimento e da tecnologia, atuando em nosso favor. Hoje todos os países querem nossa ajuda, podemos e estamos dispostos a ajudar, afirmou Shelley.

Já o secretário Luiz Lamb disse que é preciso prestar a atenção nas empresas que dominam os mercados, onde a maioria é do segmento tecnológico. “Atualmente,  o ativo intelectual é o grande valor da economia. É preciso ter uma formação diferenciada desde as escolas até o ambiente empreendedor. Precisamos evoluir para o modelo desmaterializado do século 21, onde o ativo físico só tem valor quando se agrega o conhecimento”, reiterou.

Para o presidente do LIDE RS, Eduardo Fernandez, há muito anos o embaixador Yossi tem liderado a corrida pela Inovação, demonstrando uma extrema capacidade de lidar com algumas limitações de recursos naturais e também de impacto na melhoria da vida da sociedade. Fernandez estacou, ainda, a importante aproximação entre Brasil e Israel e o quanto Israel pode ajudar na retomada do desenvolvimento da economia brasileira.

Também presente no encontro, o presidente da Federação Israelita do Rio Grande do Sul, Sebastian Watenberg, disse que as pessoas têm muita curiosidade sobre os potenciais de Israel e este tipo de espaço proporciona um intercâmbio fértil. ”Essa aproximação é uma relação de ganha-ganha. Israel quer um espaço de cooperação junto com o Brasil. Por isso, devemos explorar todo o potencial tecnológico que temos nas nossas universidades, por exemplo. Cooperação é a palavra-chave para que ambos os lados ganhem e que todos os benefícios sejam refletidos para Israel, Brasil e o nosso Rio Grande do Sul”, conclui.

RS: Frente Parlamentar Brasil-Israel é lançada em encontro com Embaixador Israelense. Deputado Zucco apresentou carta de intenções com os principais pontos a ser trabalhado em conjunto pelos parlamentos dos dois países

RS: Frente Parlamentar Brasil-Israel é lançada em encontro com Embaixador Israelense. Deputado Zucco apresentou carta de intenções com os principais pontos a ser trabalhado em conjunto pelos parlamentos dos dois países

Agenda Destaque Mundo Segurança Tecnologia Trabalho

O deputado Tenente-Coronel Zucco (PSL) lançou a Frente Parlamentar Brasil-Israel no Memorial da Assembleia Legislativa. O evento contou com a presença do Embaixador de Israel no Brasil, Yossi Shelly. Em sua manifestação, Zucco destacou os investimentos históricos do país amigo nos segmentos de tecnologia que resultaram em avanços em segurança, agricultura e educação que são destaques mundiais.

70513678_2375246642729022_1600652706840576000_n
Embaixador presenteou Zucco com uma xícara “porque todo negócio começa com um bom café”.

O parlamentar enfatizou o estreitamento de relações do Brasil com Israel, a partir da visita do Presidente da República, Jair Bolsonaro àquele país, logo após a posse. “Na tragédia de Brumadinho, em Minas Gerais, este intercâmbio já mostrou os primeiros resultados, através do auxílio valioso de Israel através do envio de especialistas em resgate, além do reforço com equipamentos e tecnologia que serão importante para o Brasil enfrentar outros eventos semelhantes”, afirmou Zucco. No final do pronunciamento, o deputado entregou ao embaixador uma carta de intenções com os principais pontos que inspiraram a criação da frente parlamentar.

Já o embaixador destacou que o clima amistoso entre os dois países é fundamental para implementar programas de intercâmbio e viabilizar troca de experiências. “O primeiro passo foi dado. Agora vamos engajar os empresários e instituições de ensino superior para incrementar os negócios”, afirmou. Yossi Shelley acrescentou que a partir da criação da Frente Brasil-Israel “teremos novas missões pela frente, entre elas, a desburocratização dos negócios porque os dois países são grandes parceiros”. O presidente da Federação Israelita do Rio Grande do Sul, Sebastian Watenberg, disse que a criação da frente parlamentar “representa um guarda-chuvas de pautas entre Israel e o Rio Grande do Sul que exigirá a elaboração de um cronograma de eventos”.

O diplomata também afirmou que outra tarefa será identificar áreas prioritárias para trabalhar de maneira conjunta e estratégica. Participaram ainda do lançamento o secretário de Inovação, Ciência e Tecnologia do RS, Luiz Lamb; o promotor de Justiça, Alexandre Saltz; Tarso Teixeira, superintendente Regional do INCRA, e a Desembargadora Federal Marga Inge Barth Tessler, em nome do TRF-4, entre outras autoridades.

Exportações da indústria recuam no RS. Queda foi de 2,7% na comparação com agosto de 2018

Exportações da indústria recuam no RS. Queda foi de 2,7% na comparação com agosto de 2018

Destaque Economia Mundo Negócios
As exportações da indústria do Rio Grande do Sul totalizaram US$ 1 bilhão em agosto, recuo de 2,7% em relação ao mesmo mês de 2018. Dos 23 setores industriais no RS que registraram vendas externas no período, 17 caíram, especialmente Químicos (-32,1%), Veículos automotores (-30,6%) e Couro e calçados (-16,6%) “A queda nas exportações foi disseminada entre os setores da indústria. A desaceleração da economia mundial e a crise na economia argentina têm contribuído para a diminuição na demanda externa por muitos produtos industrializados”, afirma o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (FIERGS), Gilberto Porcello Petry.

Segundo análise da FIERGS, a diminuição nas vendas de produtos químicos para a Coreia do Sul (-US$ 21 milhões) e China (-US$ 8 milhões) foi determinante para o resultado negativo deste segmento. Já as exportações de Veículos automotores voltaram a recuar no mês passado por conta do agravamento da crise argentina (-US$ 42 milhões). Quanto ao setor de Couro e calçados, as vendas externas da matéria-prima sofreram uma queda de 27,7% ante agosto de 2018, enquanto o valor exportado de calçados foi praticamente o mesmo registrado no igual período.

Já entre os setores que registraram aumento das exportações, Celulose e papel se destacou, com 316,9% de crescimento, seguido de Coque e derivados do petróleo (+109,7%) e Produtos alimentícios (+13,3%). Enquanto o desempenho dos dois primeiros deve-se, exclusivamente, à pequena base de comparação, as exportações do complexo carne (especialmente frango e suína in natura), com alta de quase 40% em agosto, seguem impulsionando a indústria de Alimentos, que já assinala o quarto crescimento mensal consecutivo. Por conta de problemas fitossanitários com a peste suína africana, juntamente com a Guerra Comercial com os Estados Unidos, os chineses têm aumentado a demanda por produtos agrícolas no mercado brasileiro, beneficiando diretamente o segmento de proteína animal do Rio Grande do Sul.
 
No acumulado do ano, porém, o resultado das exportações industriais do RS é diferente da análise mensal. De janeiro a agosto de 2019, totalizaram US$ 8,4 bilhões, crescimento de 1,8% ante o mesmo período do ano anterior. A principal contribuição positiva para o resultado veio de Celulose e papel, US$ 1 bilhão, incremento de 63% até o momento.

IMPORTAÇÕES – Por sua vez, as importações do Estado somaram US$ 928 milhões em agosto, queda de 0,4% em relação ao mesmo mês do ano passado. Entre as grandes categorias econômicas, Bens de consumo (-47,1%), Combustíveis e lubrificantes (-21,6%) e Bens de capital (-11,8%) recuaram na comparação mensal. Os Bens intermediários, com alta de 15,5%, compensaram quase integralmente o resultado negativo dos importados, principalmente por conta da aquisição de produtos que compõem o grupo de Adubos e fertilizantes (+US$ 185 milhões). Já nos últimos oito meses, o montante importado pelo RS atingiu US$ 6,5 bilhões, retração de 10,2% no acumulado.

Abin monitora o Sínodo  da Amazônia sem infiltrar agentes, afirma GSI

Abin monitora o Sínodo da Amazônia sem infiltrar agentes, afirma GSI

Comportamento Comunicação Mundo Notícias Segurança

O Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República informou, em documento oficial obtido pelo Estado, que a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) não infiltrou agentes para espionar bispos da Igreja Católica na preparação do Sínodo da Amazônia. Segundo o GSI, a Abin acompanha o sínodo por meio de informações obtidas em fontes abertas e repassadas por outros órgãos federais.

Capturar
Augusto Heleno

“Movimento social, membros da igreja, comunidades indígenas e quilombolas, assentamentos rurais ou ONG não estão sendo monitorados por parte da Abin. Ocorre, no entanto, o acompanhamento por meio de fontes abertas para atualização de cenários e avaliação da conjuntura interna”, diz o documento, assinado pelo ministro Augusto Heleno. “Cabe à inteligência entender determinados fenômenos com fim exclusivo de averiguar seu potencial efeito lesivo à sociedade e ao Estado. Isso não se reflete, necessariamente, na realização no monitoramento de pessoas.”

Leia mais em O Estado de S.Paulo

Trump diz que China poderá ser afetada sem negociação comercial

Trump diz que China poderá ser afetada sem negociação comercial

Mundo Notícias
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, advertiu a China dizendo que sua economia poderá ser afetada caso não faça concessões nas negociações comerciais.

Trump fez esta declaração a repórteres na Casa Branca hoje (31). Ele afirmou que, segundo relatórios que tem visto, 13 por cento das empresas americanas pretendem deixar a China. E acrescentou que os Estados Unidos vão ganhar essa batalha.

O presidente americano disse também que delegações da China e dos Estados Unidos responsáveis pelas negociações estão dando prosseguimento às conversações, e planejam se reunir em setembro em Washington. Trump afirmou que essa reunião não foi cancelada. (NHK/Agência Brasil)

Há diferenças com Bolsonaro, mas o respeito, afirma Evo; da Folha de São Paulo

Há diferenças com Bolsonaro, mas o respeito, afirma Evo; da Folha de São Paulo

Mundo Notícias

O presidente da Bolívia, Evo Morales, que esteve na posse de Jair Bolsonaro, negou aproximação com o colega brasileiro. Ele afirmou a Sylvia Colombo — que o acompanhou em viagem no jato presidencial — haver “uma diferença ideológica importante” entre eles, mas que o respeita. Evo criticou a flexibilização de armas. “A Bolívia nunca fará isso.”

 

Clique aqui e leia a íntegra na Folha de São Paulo.

Sequestrador de Washington Olivetto é extraditado para o Chile

Sequestrador de Washington Olivetto é extraditado para o Chile

Destaque Mundo Segurança

O chileno Maurício Hernández Norambuena foi extraditado hoje (20) ao seu país após 16 anos preso no Brasil por participar do sequestro do publicitário Washington Olivetto, em 2001. A informação foi confirmada pelo presidente Jair Bolsonaro, em publicação na sua conta pessoal no Twitter.

“É nossa política cooperar com outros países e não dar abrigo a criminosos ou terroristas. Vencidos problemas burocráticos entre Brasil e Chile, hoje estamos extraditando Norambuena, sequestrador do publicitário Washington Olivetto em 2001”, escreveu.

Também pelo Twitter, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, disse que Norambuena foi entregue nesta madrugada às autoridades chilenas. “Mais um criminoso que se foi. Extraditado com autorização do STF [Supremo Tribunal Federal], foi entregue nessa madrugada ao Chile para cumprir as penas, comutada a perpétua para 30 anos, as quais foi condenado naquele país. Brasil não é refúgio para criminosos”.

Na última quinta-feira (15), Norambuena foi transferido da Penitenciária de Avaré, no interior paulista, para a Superintendência da Polícia Federal, em São Paulo, onde aguardava os trâmites. A extradição foi possível após o governo chileno se comprometer formalmente a não submeter Norambuena à prisão perpétua, respeitando uma decisão do STF de 2004.

Na época, a Corte autorizou a extradição do sequestrador com algumas ressalvas a serem cumpridas pelo governo do país vizinho. Entre elas, o compromisso chileno de substituir as duas penas de prisão perpétua às quais Norambuena foi condenado em seu país por, no máximo, 30 anos de reclusão. Os ministros determinaram a substituição da pena porque a Constituição Brasileira não permite prisão perpétua para o crime de sequestro.

No Chile, Norambuena foi condenado à prisão perpétua por ter participado do assassinato do senador Jaime Guzmán, em abril de 1991, e do sequestro de Cristián Del Rio, filho do dono do jornal El Mercúrio, em setembro de 1991. No julgamento, foi condenado pelos crimes de homicídio, formação de quadrilha e extorsão mediante sequestro.

No Brasil, Norambuena foi condenado pela Justiça de São Paulo a 30 anos de prisão por participação no sequestro do publicitário Washington Olivetto, em 2001. Olivetto passou 53 dias em um cativeiro. (Agência Nacional)

Hospital Moinhos de Vento recebe vencedor do Prêmio Nobel da Paz. Crítico feroz do abuso de mulheres durante guerras, Denis Mukwege fala nesta terça-feira em Porto Alegre

Hospital Moinhos de Vento recebe vencedor do Prêmio Nobel da Paz. Crítico feroz do abuso de mulheres durante guerras, Denis Mukwege fala nesta terça-feira em Porto Alegre

Destaque Direito Mundo Saúde

Ele já tratou mais de 30 mil mulheres e meninas vítimas de estupro e violência sexual na República Democrática do Congo. Virou um ativista, denunciou políticos e poderosos que se beneficiavam do terror e da guerra, criou movimento feminista de homens comprometidos em mudar essa cruel realidade. Hoje, vive cercado de seguranças dentro do complexo hospitalar onde trabalha. Prêmio Nobel da Paz em 2018, Denis Mukwege estará no Hospital Moinhos de Vento nesta terça-feira (20) para falar sobre essas experiências e apontar caminhos para o futuro.

Conhecido como “Dr. Milagre”, o médico ginecologista apresentará na instituição a palestra Direitos Humanos e Democracia na Era Globalizada. Depois, responderá aos questionamentos dos convidados em uma mesa redonda com o jornalista Daniel Scola. Exclusiva para parceiros e convidados do hospital, a programação inicia às 19 horas, no Anfiteatro Schwester Hilda Sturm.

A palestra integra a programação de agosto do Fronteiras do Pensamento, patrocinado pelo Moinhos de Vento. O Superintendente Executivo, Mohamed Parrini, e o Superintendente Médico, Luiz Antonio Nasi, fazem a abertura do evento.

Uma história de luta pelas mulheres

Crítico feroz do abuso de mulheres durante guerras, Denis Mukwege descreveu o estupro como uma “arma de destruição em massa”. Por seus esforços, Mukwege recebeu o Prêmio Nobel da Paz em 2018, ao lado da ativista dos direitos humanos yazidis, Nadia Murad. O médico é considerado o maior especialista do mundo em reparação interna de genitais femininos. Também coordena programas de HIV/Aids em seu país.

Em 2008, recebeu o Prêmio Olof Palme e o Prêmio Direitos Humanos das Nações Unidas por seu trabalho de proteção aos direitos e à dignidade de milhares de mulheres congolesas. Em 2014, o médico recebeu o Prêmio Sakharov, um dos mais importantes do mundo e concedido pelo Parlamento Europeu a defensores dos direitos humanos e das liberdades.