Porto Alegre: Prefeitura registra apreensão recorde de produtos irregulares no Centro da Capital

Porto Alegre: Prefeitura registra apreensão recorde de produtos irregulares no Centro da Capital

Cidade Direito do Consumidor Economia Marchezan Negócios Notícias Poder Política Porto Alegre Prédio prefeitura Segurança
 A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico realizou nesta sexta-feira a maior apreensão de produtos irregulares do ano em Porto Alegre. Conforme a pasta, cerca de 12 mil itens foram encontrados em um prédio abandonado na rua Marechal Floriano, no Centro da Capital. O local servia de depósito para os comerciantes ilegais que agem na região.

A operação se desenrolou pela parte da manhã, mas a contabilidade foi divulgada apenas à tarde. Em toda a operação, foram apreendidos diversos tipos de produtos, desde garrafas de água mineral até óculos de sol, cigarros, perfumes, peças de vestuário, produtos eletrônicos, películas e capas de celulares. As águas e os brinquedos apreendidos serão doados para a FASC e entidades sociais.

A Prefeitura enfatizou que as operações serão mantidas na região do Centro histórico até o final do ano. (Rádio Guaíba)

Anatel registra bloqueio de 9,1 milhões de celulares por roubo, furto ou perda

Anatel registra bloqueio de 9,1 milhões de celulares por roubo, furto ou perda

Economia Negócios Notícias Segurança
 Mais de nove milhões de celulares foram bloqueados em todo o país no mês de novembro. Os números, que aparecem no Cadastro Nacional de Estações Móveis Impedidas (Cemi), foram divulgados hoje pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

No total, o Cemi registrou 9.123.567 celulares bloqueados em novembro. De acordo com a agência, os dados revelaram aumento de 1,33% na comparação com outubro, com 119.421 aparelhos bloqueados a mais.

Ainda conforme os dados do Cemi, nos últimos 12 meses, mais de 1,5 milhão de celulares a mais foram bloqueados em decorrência de roubo, furto ou perda, na comparação com novembro de 2016.

Os bloqueios são decorrentes de solicitação direta dos usuários às empresas telefônicas ou pelo registro de Boletim de Ocorrência nas polícias dos estados e do Distrito Federal. (Agência Brasil)

Vendas de Natal e Ano-Novo vão crescer 3,5% nos supermercados gaúchos. Preços de itens típicos estão em média 1,6% mais caros que em 2016

Vendas de Natal e Ano-Novo vão crescer 3,5% nos supermercados gaúchos. Preços de itens típicos estão em média 1,6% mais caros que em 2016

Agenda Negócios Notícias

Em um cenário de pequena recuperação da economia, o setor supermercadista gaúcho projeta que as vendas de Natal e Ano-Novo terão um crescimento pequeno em vendas, na casa dos 3,5%, puxado sobretudo pela comercialização de produtos típicos para as festas de fim de ano nos dias imediatamente anteriores aos dois eventos – as tradicionais vendas de última hora. É o que aponta estudo desenvolvido pelo Instituto Segmento Pesquisas a pedido da Associação Gaúcha de Supermercados (Agas), no mês de outubro, que ouviu 20 supermercadistas e 200 consumidores de ambos os sexos e de diferentes classes sociais e faixas etárias em todo o RS. A pesquisa, que indica uma pequena retomada do crescimento de vendas para o setor, aponta ainda que os preços de produtos típicos para as festas estão em média 1,6% mais caros que no ano passado, índice abaixo da inflação brasileira no período. Segundo o presidente da Agas, Antônio Cesa Longo, a pesquisa mostra um cenário de otimismo dos supermercadistas. “O crescimento físico das vendas será maior que o crescimento financeiro, mostrando que o consumidor está muito atento aos preços, e ao mesmo tempo buscando incrementar a sua ceia. Nossos indicadores mostram que o gaúcho dá importância semelhante o Natal e ao Ano-Novo, mas as vendas certamente vão se concentrar majoritariamente na última hora”, antecipa o dirigente. De acordo com Longo, 80% dos supermercadistas ouvidos pelo Instituto Segmento vão fazer algum tipo de promoção no período de festas.

 

Comodidade e conveniência são trunfos do setor – Assim como nos últimos anos, a pesquisa do Instituto Segmento mostra que o consumidor gaúcho aposta no supermercado como local prioritário para adquirir itens para as festas. “Cada vez mais sem tempo, o consumidor quer encontrar tudo o que precisa em um único local, desde presentes até os produtos para a ceia em família”, lembra Longo. Com relação à compra de alimentos e bebidas para as festas, 92,3% dos gaúchos preferem adquirir estes itens em lojas de supermercados. O estudo da Segmento mostra ainda que as famílias gaúchas vão gastar em média R$ 451,38 em alimentos para as festas. Segundo estimativas da Agas, o setor supermercadista gaúcho vai absorver cerca de R$ 2,6 bilhões dos cerca de R$ 13 bilhões (ou 20%) a serem injetados na economia gaúcha pelo 13º salário. “Neste sentido, alertamos para a importância do pagamento integral do 13º salário para o funcionalismo público na engrenagem que faz girar a economia. As famílias têm este direito e a economia precisa deste aporte”, sublinha Longo.

 

Na ceia natalina, o produto apontado pelos gaúchos como aquele que não pode faltar é o peru/chester, enquanto no Réveillon a lentilha retomou a liderança que havia perdido para o espumante em 2016, embora seja uma disputa acirrada:

 

 

O que não pode faltar no Natal Total (%)   O que não pode faltar no Ano-Novo Total (%)
Peru/Chester/Pernil 64,4   Lentilha 25,3
Panetone 5,4   Espumante 21,2
Cerveja 4,0   Churrasco 19,2
Frutas típicas (uva, romã e outras) 4,0   Carne Suína 12,3
Presentes 4,0   Cerveja 8,2
Outros 18,1   Outros 13,7

 

 

 

Preços similares vão oportunizar compras em maior volume – Praticamente iguais aos praticados nas festas do ano passado, os preços dos itens típicos vão proporcionar uma mesa mais farta nas ceias de Natal e Réveillon em 2017: somente as aves, os brinquedos e as carnes suínas tiveram aumento de preços superior a 3%.

 

Com relação às expectativas de comercialização, os produtos que deverão puxar o crescimento nas vendas são os eletroeletrônicos (expectativa de crescimento de 7,5%), além de refrigerantes, cervejas, roupas e eletrodomésticos (todos com 5%). Veja o quadro:

 

Produto Variação de preço (%) Expectativa crescimento de vendas (%)
Perus / Chester / Pernil 3,4 3,5
Brinquedos 3,1 4,6
Carnes Suínas 3,1 4,1
Especiarias (passas, nozes, castanhas) 2,8 3,6
Carnes Bovinas 2,6 4,1
Refrigerantes 2,5 5,0
Cerveja 2,3 5,0
Champanhes/ Espumantes 2,2 3,1
Produtos Alimentícios 2,1 2,9
Panetones 2,1 3,5
Peixes/ Bacalhau 2,1 2,7
Bombons 1,8 3,1
Presentes para a família 1,5 2,2
Artigos de bazar 0,9 1,8
Vinhos/ Bebidas Importadas 0,6 1,8
Bebidas destiladas (uísque, vodca) 0,6 1,7
Vinhos Nacionais 0,5 2
Roupas 0 5,0
Enfeites para decoração de Natal 0 2
Eletrodomésticos 0 5,0
Eletroeletrônicos 0 7,5
MÉDIA DAS FESTAS 1,60% 3,50%

 

 

OS PRODUTOS MAIS TRADICIONAIS

 

Espumantes – Indispensável nas comemorações do Ano-Novo, a bebida terá crescimento de 3,1% nas vendas, com a comercialização de 5 milhões de garrafas – 95% delas produzidas na Serra Gaúcha.

 

Panetones – Com um crescimento de 3,5% esperado nas vendas, cerca de 4 milhões de unidades de panetones serão vendidas pelos supermercados gaúchos neste fim de ano, o que deve representar 12% da produção nacional do produto. A comercialização de panetones industrializados novamente será bem maior que a de produtos artesanais, em função dos altos custos de produção com mão de obra e energia. “Haverá panetones para todos os gostos e bolsos. Nesta categoria há produtos que variam até 500% em seu preço, entre o panetone mais simples e o mais sofisticado”, avalia Longo.

 

Aves natalinas – A crescente concorrência neste segmento mais uma vez beneficiará os consumidores na compra de aves, que terão diversas opções de marcas, temperos e preços. Na avaliação de Longo, os gaúchos deverão novamente privilegiar os “frangões” e aves mais acessíveis e de preparo rápido. Ao todo, 850 mil aves (2,7 mil toneladas) serão comercializadas pelo setor.

 

Produto Quantidade vendida Faturamento para o setor
Aves natalinas (Peru, Chester, Tender, Frangão) 850 mil aves R$ 35,8 milhões
Panetones 4 milhões de unidades R$ 57 milhões
Espumantes e Champanhes 5 milhões de garrafas R$ 71,4 milhões

 

 

Bombons – Uma das tendências projetadas para as festas de fim de ano é a intenção dos consumidores de presentear cada vez mais pessoas do seu convívio. Neste contexto, as caixas de bombons serão a tradicional opção de presente de última hora para milhares de gaúchos: a estimativa da Agas é de que cerca de 6 milhões de caixas de bombons sejam comercializadas pelos supermercados, com um crescimento de 4,3% nas vendas em relação ao fim de ano de 2016. “Este será o item mais vendido no domingo, dia 24, véspera de Natal”, prevê Longo.

 

Setor proporciona compra de brinquedos e outros presentes – Atentos às necessidades dos consumidores, os supermercados também querem estimular a aquisição de presentes, além dos alimentos e bebidas, nas lojas do setor. Segundo Longo, o setor aposta em presentes de menor valor agregado. “Pequenos carrinhos e bonecas, flores, vinhos e caixas de bombons são presentes muito procurados no período”, sublinha. Segundo a pesquisa do Instituto Segmento, as roupas (46,1%) seguem sendo o presente mais procurado por esposas e maridos, seguidas de perfumes/artigos de beleza (25,8%).  Para quem deseja presentear crianças, os brinquedos são o produto mais procurado por 61% dos consumidores.

 

Com relação ao local preferido para a compra de presentes, os supermercados aparecem em quarto lugar na predileção dos consumidores, atrás de shoppings, lojas de departamentos e lojas de roupas. Ao todo, 18% dos gaúchos pretendem comprar presentes nas lojas do setor.

 

Consumidores querem pagar à vista – O receio do endividamento pode ser mensurado pela forma com que os gaúchos pretendem efetuar suas compras de fim de ano. De acordo com o Instituto Segmento, os pagamentos à vista mais uma vez serão majoritários, a exemplo do ano passado:

 

 

Como pretende pagar 2016  

2017

À vista 55,4% 55,5%
A prazo 44,6% 44,5%

 

 

Compras de última hora – Embora somente 51,5% dos consumidores admitam que vão realizar as compras para as festas na última hora, os supermercadistas estimam que pelo menos 60% das vendas de Natal e Ano-Novo serão efetuadas nos quatro dias antecedentes às festas. “O consumidor deve buscar uma antecipação nas compras, evitando as filas da última hora”, sugere Longo.

 

Representatividade das festas – A pesquisa do Instituto Segmento mostra que, neste ano, os produtos típicos de Natal e Ano-Novo vão representar em média 15,5% das vendas do setor em dezembro.

 

Vagas temporárias – A abertura de postos de trabalho em 2017 será semelhante ao mesmo período do ano passado. O Instituto Segmento apurou que 30% dos supermercadistas ouvidos indicaram que farão contratações de temporários para o período de fim de ano. Ao todo, serão criadas 3 mil vagas de trabalho temporário no setor para o período de Natal, Ano-Novo e veraneio. “Cerca de 15% destes temporários deverão ser efetivados”, sugere o presidente da Agas, lembrando que o segmento já emprega atualmente mais de 95 mil pessoas somente no Rio Grande do Sul.

 

Entraves para o crescimento – Perguntados sobre as maiores dificuldades para que o setor cresça, os empresários do ramo de autosserviço apontaram a carga tributária/ impostos altos (50%) como o principal entrave do setor. Manter os preços abaixo da concorrência (15%) é o segundo problema mais apontado pelos supermercadistas.

 

Cais Mauá: licença entregue pela Prefeitura de Porto Alegre abrange apenas área dos armazéns

Cais Mauá: licença entregue pela Prefeitura de Porto Alegre abrange apenas área dos armazéns

Agenda Cidade Destaque Marchezan Negócios Política Porto Alegre prefeitura Tecnologia Turismo
 A Prefeitura de Porto Alegre entregou, nesta terça-feira, a primeira Licença de Instalação (LI) à empresa Cais Mauá do Brasil para o projeto de revitalização do Cais do Porto. Por enquanto, está liberada apenas a primeira etapa, que compreende a restauração de onze armazéns e a implementação de dez praças, além da demolição do 12º armazém (A7), que não é tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Já a construção de duas torres comerciais, de um hotel e de um shopping center vai ser feita posteriormente e ainda carece de licenciamento.

Para dar início às obras, é necessária a assinatura de uma ordem pelo governo do Estado. A previsão é para que isso ocorra até março do ano que vem, com expectativa de conclusão da revitalização dos armazéns em 2020. A estimativa é de que sejam aplicados R$ 100 milhões para a realização dessa primeira parte, com geração direta e indireta de cerca de 5,5 mil empregos. Assim que a primeira fase for encerrada, o espaço vai ser aberto à população, já com a instalação de empreendimentos, como bares e restaurantes.

Depois disso, para o encerramento das demais etapas serão necessários mais quatro anos. A construção, manutenção e restauração do local compreendem os 3,2 quilômetros de extensão, localizados entre a Estação Rodoviária e a Usina do Gasômetro. A estimativa de investimento privado para todas as obras de revitalização gira em torno de R$ 500 milhões, sem utilização de verba pública. (Daiane Vivatti/Rádio Guaíba)

José Galló encerra o Tá Na Mesa, edição 2017

José Galló encerra o Tá Na Mesa, edição 2017

Agenda Cidade Destaque Negócios

O último Tá na Mesa de 2017, vai acontecer numa sexta-feira (08) e não nas tradicionais quartas-feiras. O convidado é o CEO das Lojas Renner, José Galló que vai falar sobre as perspectivas econômicas para o ano que vem, com a seguinte provocação: Feliz 2018!? O executivo é referência no mercado por seu posicionamento e metodologia de gestão, ao qual conquistou para a Lojas Renner num crescimento sustentável agregando valor à tradicional marca, entre outros avanços, tais como a conquista do mercado internacional, com a abertura de lojas em Montevidéu, no Uruguai.

O evento acontece no Salão Nobre do Palácio do Comércio, no centro de Porto Alegre, a partir das 12:00.

 

TÁ NA MESA

Palestrante: José Galló – CEO Lojas Renner

Quando: 08/12/17 – SEXTA-FEIRA

Onde: Palácio do Comércio – Largo Visconde do Cairú, 17 – Centro Histórico

Tema: Feliz 2018!?

Como sua empresa aproveitar a alta temporada do turismo? Palestra online do SEBRAE/RS, no dia 5 de dezembro, apresenta ideias de gestão

Como sua empresa aproveitar a alta temporada do turismo? Palestra online do SEBRAE/RS, no dia 5 de dezembro, apresenta ideias de gestão

Destaque Economia Negócios Tecnologia Turismo

A partir da alta temporada do turismo, estimulada pela estação de verão, o SEBRAE/RS decidiu auxiliar os empreendedores com seus negócios. Para isso, a entidade promove no dia 5 de dezembro, a partir das 14 horas, a palestra online “A Alta Temporada Chegou: 7 ideias de gestão que você precisa aplicar agora”. O evento gratuito será ministrado por Thomas Hartmann.
consultor de empresas, professor de graduação e pós-graduação na Decision Business School / FGV e na FGV On-line e consultor credenciado no SEBRAE. É mestre em Administração e possui MBA em marketing e MBA em gestão pela Fundação Getúlio Vargas. Atuou como gerente de marketing na GJP Hotels & Resorts – onde participou do lançamento de 14 hotéis em novos mercados em nível nacional, sendo responsável pela implantação de novas marcas, pelo desenvolvimento de canais digitais de vendas, por criação de promoções de vendas e pelo desenvolvimento de CRM.Mais informações e inscrições no site.

A proposta da palestra é apresentar a empresários que atuam no setor de turismo, no ramo de hotelaria e gastronomia, sete ações para se preparar para a alta temporada e aproveitar ao máximo a geração de receitas sem perder a qualidade do serviço. Para a técnica da Gerência de Soluções do SEBRAE/RS Miriam de Lourdes Menezes da Silva esse período é sempre delicado. “Filas, funcionários cansados e novos contratados que não conhecem bem os produtos, atendimento falho para turistas fiéis e oportunidades de vendas perdidas sempre podem gerar complicações nos empreendimentos. Queremos minimizar estes riscos e dar alternativas para que os empresários possam aproveitar ao máximo este período em que as vendas aumentam significativamente”, informa.

Botanika® lança vasos de jardinagem com Plástico Verde da Braskem

Botanika® lança vasos de jardinagem com Plástico Verde da Braskem

Destaque Negócios

 A Botanika® acaba de apresentar ao mercado sua linha de vasos de jardinagem fabricada com Plástico Verde I’m green™, da Braskem. Os vasos têm como matéria-prima a cana-de-açúcar, uma fonte renovável, e foram projetados para garantir o melhor desenvolvimento das plantas.

Com um design moderno, os vasos da Botanika® podem ser utilizados para fins decorativos, ornamentais ou de jardinagem em interiores. Além disso, os vasos foram criados com um sistema de rega inteligente e reservatório de água para a autoirrigação, que oferece autonomia para até quatro semanas sem a necessidade de molhar as plantas. Por ser vedado, ainda contam com um sistema que protege contra a proliferação de mosquitos. “Com os vasos Botanika® buscamos o propósito de trazer mais verde para casa, em todos os sentidos. Inclusive na escolha da matéria-prima”, destaca Marcos Roismann, diretor criativo da marca.

Os vasos que serão comercializados nacionalmente, poderão ser identificados pelos consumidores por meio do selo “I’m green™”, visível no produto. O selo é a identificação para produtos feitos com o Plástico Verde da Braskem, que além de ser 100% reciclável, captura e fixa 3,09 toneladas de CO₂ da atmosfera para cada tonelada de resina de origem renovável produzida, colaborando para a redução da emissão dos gases causadores do efeito estufa.“A parceria entre a Braskem e a Botanika reforça o nosso compromisso em transformar produtos em soluções inovadoras e de alto desempenho”, diz Gustavo Sergi, diretor de Químicos Renováveis da Braskem.

A Mais Polímeros, fornecedora de Polietileno Verde da Braskem desde 2016, apoiou o Botanika neste projeto para o desenvolvimento do produto com a resina de origem renovável. “Acreditamos que o novo conceito desenvolvido pela Botanika, utilizando o Plástico Verde, despertará o interesse dos consumidores que buscam soluções mais sustentáveis e diferenciadas”, afirma Daniela Guerini, diretora da Mais Polímeros.

Magazine Luiza inaugura loja em Montenegro

A cidade gaúcha de Montenegro, de 65 mil habitantes, ganhará nesta segunda-feira (4/12) uma loja da rede varejista Magazine Luiza, que se somará às mais de 830 espalhadas por 16 estados brasileiros. A rede varejista abrirá suas portas às 10h com promoções especiais em todos os departamentos. “Além das promoções, a inauguração contará com atrações especiais, como palhaço e cantor, além da distribuição de balões, pipoca e algodão-doce”, afirma o gerente da unidade, Gabriel Frota de Oliveira. A nova filial da varejista está localizada na rua Ramiro Barcelos, 2.202, no Centro.

A loja possui ambiente moderno, com colaboradores realizando as vendas por meio de um aplicativo em um smartphone. Os clientes terão acesso a wi-fi gratuitamente, e o ambiente é climatizado, proporcionando uma experiência de compra agradável a todos. Os produtos expostos priorizam lançamentos, alta tecnologia, modernidade, design inovador e estilo, características que vão ao encontro do público-alvo da rede varejista.

Os colaboradores da unidade estão conectados com seus futuros clientes por meio do Facebook e usarão a rede social para promover vídeos gravados na loja e promoções. A fan page está no link https://www.facebook.com/magazineluiza1036.

Mudança no preço de pauta sobre os combustíveis

 

A partir de hoje (1º de dezembro), os preços de pauta para cálculo do ICMS-ST (RS) sobre os combustíveis foram alterados, com base no Ato Cotepe/PMPF Nº 22 do Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária). Portanto, os valores para base de cálculo do imposto ficaram conforme abaixo:

 

Gasolina C – Passa de R$ 4,085 para R$ 4,2594

Diesel S 10 – Passa de R$3,2685 para R$ 3,3594

Diesel S 500 – Passa de em R$ 3,1546 para R$ 3,2526

Etanol (AEHC) – Passa de R$ 3,628 para R$ 3,7232.

GNV – Passa de R$ 2,680 para R$ 2,6802.

 

A alteração foi publicada no Diário Oficial da União nº 227 no dia 28 de novembro.

 

O Sulpetro ressalta que os preços são livres em todas as etapas (produção, distribuição e revenda), cabendo aos agentes determinar seus preços com base em suas estruturas de custo. Entretanto, é importante manter a sociedade informada sobre alterações ocorridas em outros elos do mercado de abastecimento, evitando assim que os postos de combustíveis, face mais visível dessa complexa cadeia, sejam responsabilizados por aumentos que lhes forem repassados.

Procon: só dois postos da Capital vendem gasolina a menos de R$ 4,10. Valor mais alto é de R$ 4,30

Procon: só dois postos da Capital vendem gasolina a menos de R$ 4,10. Valor mais alto é de R$ 4,30

Cidade Destaque Economia Negócios
 Só dois de um total de 41 postos pesquisados pelo Procon de Porto Alegre vendem o litro da gasolina a valores abaixo de R$ 4,10. O levantamento, atualizado hoje, mostra que, nesses estabelecimentos, um deles na avenida São Pedro e outro na avenida Pernambuco, o combustível é comercializado a R$ 4,099. É o menor valor encontrado entre os postos participantes da pesquisa. Já o valor mais alto, de 4,30, é cobrado em um estabelecimento da avenida Benjamin Constant. Outros três, porém, vendem o litro da gasolina a R$ 4,299 (veja o detalhamento no quadro abaixo).

A variação entre os valores, de cerca de R$ 0,20, caiu em relação ao levantamento anterior (R$ 0.22), divulgado na segunda-feira. Desde então, um dos postos reduziu o preço e quatro aumentaram.

O Procon mantém o acompanhamento dos valores. Na semana passada, cinco distribuidoras foram autuadas para que justifiquem a elevação no preço ao consumidor final, mesmo que a Petrobras tenha reduzido, nas refinarias, o valor de venda da gasolina e do etanol. A Petrobras também passou a ser investigada.

O intuito das pesquisas do Procon, que saem nas segundas e sextas-feiras, também é fomentar a concorrência, já que o governo não tabela os preços do setor.

Como ajudar no levantamento

Consumidores que desejarem contribuir para o levantamento devem contatar o Procon municipal através do Twitter ou via mensagem inbox no Facebook enviando fotos, o nome e o endereço do estabelecimento. Postos que quiserem ser incluídos nas pesquisas também podem entrar em contato com o órgão de defesa.

Veja a tabela completa e compare os valores:

listagasolina