Cruz Alta forma mais uma turma no Curso Técnico em Agronegócio

Agronegócio Economia Educação Negócios Notícias

 

O Rio Grande do Sul contará com 85 novos técnicos em Agronegócio, formados pelo SENAR-RS, aptos a atuar em propriedades rurais, indústrias e serviços ligados ao meio rural neste mês. São duas novas turmas que concluíram a formação de dois anos nos polos de Cruz Alta, que ocorre nesta sexta, 22 e março e em São Sepé, que ocorre dia 29.

O principal objetivo do programa  é formar e qualificar profissionais para a aplicação dos procedimentos de gestão e comercialização do agronegócio, com ênfase na variedade de segmentos e cadeias produtivas do Brasil.

A formanda Karina Marques Wolf credita a entrada no mercado de trabalho ao fato de estar buscando mais qualificação: “Foi fundamental o fato de este curso ser realizado parcialmente à distância, porque eu não teria como frequentar diariamente o Polo e trabalhar em Santa Maria. O material fornecido para o estudo é de altíssima qualidade e os professores estavam sempre nos incentivando a ler e participar. É algo que a região estava precisando, porque existe muito potencial”, afirma Karina.

No polo de São Sepé será a primeira vez que uma turma conclui o curso, mas antes mesmo de receber o certificado, os formandos já estão colocando os conhecimentos em prática. Todos estarão aptos para exercer função técnica, e colocar em prática os conhecimentos adquiridos.

A formatura em São Sepé acontece na próxima sexta, dia 29 de março.

55512203_265253521069591_4086972629834006528_n

REDEMAC NA EXPO REVESTIR

Uma ampla comitiva da Redemac acaba de retornar de São Paulo onde conferiu de perto as novidades da 17ª Expo Revestir, a maior feira de soluções em acabamentos da América Latina. Considerada a “Fashion Week”da arquitetura e construção, a feira se tornou palco das novas tendências nos segmentos de cerâmicas, louças sanitárias, metais para cozinha e banheiro, entre outros.

A Redemac aproveitou o evento para estreitar o relacionamento com lideranças das indústrias do segmento e alinhou novas estratégias e oportunidades de participação com a rede para 2019.

 

 

 

 

 

Trump: A verdade tarda, mas chega; por Glauco Fonseca

Trump: A verdade tarda, mas chega; por Glauco Fonseca

Agenda Artigos Destaque Mundo Negócios Opinião Poder Política

Desde o início do governo Trump, ele vem sendo fustigado violentamente pela mídia americana (exceção à Fox News e outros pequenos blogs e sites), pelo Partido Democrata, pela elite de Hollywood e pela esquerda internacional, tudo por conta de supostos “conluios” com os russos, que teriam sido responsáveis pelo resultado das eleições em que Trump saiu vitorioso.

Houve inclusive investigações ao longo de mais de dois anos, tudo a partir de um suposto dossiê que teria sido entregue ao FBI por um ex-agente secreto britânico, onde estariam relacionadas todas as “falcatruas” de Trump antes e depois das eleições.

A história é longa demais e com personagens demais para serem contados aqui. Segue um pequeno resumo:

1) Descobriu-se que o dossiê era fabricado e mentiroso, pago por Hillary Clinton e pelo Partido Democrata;

2) Este dossiê foi utilizado pelo FBI e pelo governo Obama para investigar membros da campanha de Trump por um tribunal especial, que fora enganado para autorizar tais investigações.

3) Já se descobriu que todos os envolvidos na perseguição a Trump estavam a serviço de uma CERTEZA de vitória de Hillary, o que não aconteceu.

4) Depois de iniciada a fraude do dossiê, eles não puderam voltar atrás e iniciaram outra investigação, que já dura dois anos e cujos os resultados – ZERO ABSOLUTO – serão apresentados aos americanos nos próximos dias.

Portanto, nada houve e há contra Donald J. Trump. Nada. Nenhum conluio, nada de corrupção, nada, ABSOLUTAMENTE NADA.

Este é o resumo do resumo.

A mídia internacional está em PÂNICO, pois sabe que o “Muller Probe” terá resultados conhecidos em breve e NADA terá contra Trump. Os democratas americanos estão em estado de pavor, pois já sabem que não têm chance contra a reeleição de Donald Trump. A elite americana, principalmente do nordeste americano e da Califórnia, está deprimida e apoiando candidatos obscuros e socialistas de extrema esquerda, que sempre foram e serão rechaçados pelos eleitores americanos.

Eis porque o governo Bolsonaro se alia e apoia o governo limpo, ousado, vitorioso e espetacular de Trump.

E esta aproximação com os EUA é vital para o futuro do Brasil.

Glauco*Glauco Fonseca, Headhunter e diretor da Strainer Talentos Estratégicos


Bolsa fecha acima de 99 mil pontos pela primeira vez

Bolsa fecha acima de 99 mil pontos pela primeira vez

Economia Negócios Notícias

Em um dia de ganhos no mercado financeiro, a bolsa de valores bateu recorde e fechou pela primeira vez acima de 99 mil pontos. O índice Ibovespa, da B3, encerrou esta sexta-feira (15) aos 99.137 pontos, com alta de 0,54%. Apenas nesta semana, o indicador subiu 3,96%.

Essa foi a segunda semana seguida que o Ibovespa se valorizou. No início do mês, a bolsa registrou volatilidade em meio a tensões no mercado doméstico e na economia global.

No mercado de câmbio, o dia também foi marcado pelo otimismo. O dólar comercial encerrou a sessão vendido a R$ 3,821, com queda de R$ 0,027 (-0,71%). Apesar de ter subido ontem (14), a divisa fechou a semana com recuo acumulado de 1,28%. Nas últimas três semanas, a moeda norte-americana tinha se valorizado.

Leilão de aeroportos
Os indicadores refletiram o desempenho do leilão de 12 aeroportos, realizado hoje pela manhã. Os terminais foram arrematados por R$ 2,377 bilhões, com ágio médio de 986% em relação ao valor mínimo fixado para o leilão. Em vez de serem leiloados individualmente, os aeroportos foram vendidos em três blocos, dos quais dois foram comprados por consórcios estrangeiros.(Agência Brasil)

Criação da Zona Franca da Uva e do Vinho ganha novo padrinho e tem apoio de Rodrigo Maia

Criação da Zona Franca da Uva e do Vinho ganha novo padrinho e tem apoio de Rodrigo Maia

Cultura Destaque Gastronomia Negócios Trabalho Turismo

A criação da Zona Franca da Uva e do Vinho ganhou um padrinho, o deputado federal Jerônimo Goergen (PP-RS). O anúncio foi feito na presença do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, em evento reunindo prefeitos, deputados, autoridades da Serra Gaúcha e de entidades ligadas ao setor vitivinícola no Spa do Vinho Hotel & Condomínio Vitivinícola, em Bento Gonçalves. A programação foi coordenada pela Prefeitura de Bento Gonçalves, pelo Spa do Vinho, com apoio do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) e da União Brasileira de Viticultura (Uvibra). “Vamos desarquivar o projeto encaminhado pelo deputado João Derly e com o apoio da bancada gaúcha vejo-as retomar a tramitação na Câmara dos Deputados”, disse Goergen.

O deputado aproveitou a presença de Maia para solicitar que o presidente da Câmara agende uma reunião com o ministro da Economia, Paulo Guedes, para tratar da criação da Zona Franca da Uva e do Vinho. “Temos de estar alinhados com o governo federal para ter a tramitação do projeto facilitada no Congresso”, disse Goergen. Maia se comprometeu a auxiliar o setor vitivinícola a ganhar maior competitividade. O parlamentar revelou que só serve vinhos brasileiros nos eventos oficiais da Câmara  dos Deputados.

O secretário da Agricultura, Luiz Covatti Filho, destacou a importância da presença de Maia no evento, informando que há cerca de 6 mil projetos aptos a serem votados na Câmara dos Deputados. “Quem define a pauta de votação é o presidente. O comprometimento de Maia com o projeto da zona franca da uva e do vinho é fundamental para sua votação em plenário”, frisou.

Maia destacou que o grande debate que o país deve enfrentar é o destino das despesas públicas. “Hoje 94% das despesas primárias do governo federal são com gastos obrigatórios. Sobra muito pouco pra investir no desenvolvimento do país”, afirmou. Maia disse que vai trabalhar ao lado da bancada gaúcha para desonerar o vinho brasileiro. “Falei ontem com a ministra da Agricultura que se comprometeu a trabalhar ideias para fomentar o setor”, contou, garantindo aplauso da plateia. No final do encontro, Maia foi presenteado com uma caixa do vinho VE, ícone do Vale dos Vinhedos, de três safras diferentes, sendo a primeira de 2005. “Sou fã dos vinhos nacionais estes vou tomar junto com o Jerônimo e o Marum (ex-ministro presente no encontro)”, revelou.

IMG-20190310-WA0001
Painel organizado pelo Fórum Intermunicipal de Planejamento Turístico e Econômico teve a presença do Presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia. Fotos: José Martim Estefanon

O diretor-executivo do Ibravin, Carlos Paviani, mostrou um estudo revelando que apenas 2% das vendas das vinícolas gaúchas são feitas diretamente ao consumidor. “Isso comprova que a Zona Franca da Uva e do Vinho não desonera os governos. Ao contrário, estimula a comercialização dos nossos vinhos e o resultado será a geração de emprego, renda e até impostos aos governos”, comentou a sócia-diretora do Spa do Vinho, Deborah Villas-Bôas Dadalt.  Hoje 88% dos vinhos consumidos no Brasil são importados. O Chile é dono de 48% do mercado, seguido por Portugal (15%), Argentina (13%) e Itália (9%).

Histórico

A criação da Zona Franca da Uva e do Vinho foi proposta em projeto de lei de autoria do deputado federal João Derly, visando isenção de impostos para na venda de vinhos no varejo em 23 cidades da Serra Gaúcha que detém produção vitivinícola. A intenção do projeto é estimular o desenvolvimento da vitivinicultura local e o enoturismo na região. Conforme o Ibravin, a tributação nos vinhos corresponde a mais da metade do valor do produto.

Deborah Villas-Bôas Dadalt defendeu que a redução de impostos vai incrementar ainda mais o enoturismo na região da Uva e do Vinho. “Só o Vale dos Vinhedos recebe mais de 400 mil turistas por ano. Com a redução dos impostos na venda direta de vinhos aos turistas e visitantes, podemos incrementar sobremaneira este fluxo, gerando novos empreendimentos, empregos e desenvolvimento econômico e social em toda região Uva e Vinho”, salientou.

O prefeito Guilherme Pasin ressaltou a importância de ter o Presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, em Bento Gonçalves e na Serra Gaúcha. “Foi grande oportunidade para a região receber uma figura política que tem um grande desafio com a Reforma da Previdência e na reconstrução do nosso país, que estará conhecendo os anseios da região. A criação de uma zona livre e a redução tributária alavancaria o desenvolvimento econômico a patamares nunca antes vistos”.

A ideia da Zona Franca surgiu a partir da experiência do próprio Spa do Vinho. “Muitos dos nossos hóspedes se queixam de não encontrarem vinhos com valores mais atraentes no produtor, às vezes até mais caros do que nos grandes supermercados ou distribuidores. Isto acontece em função da alta carga tributária imposta ao produto”, explicou Deborah. A proposta inicial abrangia apenas o Vale dos Vinhedos, mas o projeto tomou corpo e mais municípios foram se engajando à iniciativa. Será necessário criar uma entidades reguladora para normatizar e fiscalizar a Zona Franca, reunindo todos os municípios que estejam estruturados para ingressar no projeto.

As 23 cidades propostas pela Zona Franca da Uva e do Vinho são Bento Gonçalves, Garibaldi, Monte Belo do Sul, Antônio Prado, Boa Vista do Sul, Carlos Barbosa, Caxias do Sul, Coronel Pilar, Cotiporã, Farroupilha, Flores da Cunha, Guaporé, Ipê, Nova Pádua, Nova Prata, Nova Roma do Sul, Pinto Bandeira, Salvador do Sul, Santa Tereza, São Marcos, São Valentim do Sul, Veranopólis e Vila Flores.

 

Painel Especial para acelerar o trâmite em Brasília

 

Neste momento o Projeto de Lei No 9.045/17 encontra-se arquivado pois seu autor, João Derly, não se reelegeu nas últimas eleições. Após assumir como Secretário do Esporte e Lazer do Rio Grande do Sul, Derly manteve o apoio ao projeto, que agora será assumido por novos autores para seguir tramitando na Câmara.


Caixa aumenta valor de imóveis financiados pelo Minha Casa Minha Vida. Mudanças valem para municípios de até 50 mil habitantes

Caixa aumenta valor de imóveis financiados pelo Minha Casa Minha Vida. Mudanças valem para municípios de até 50 mil habitantes

Negócios Notícias
As famílias de baixa renda de cidades de até 50 mil habitantes terão acesso a mais financiamentos do Minha Casa Minha Vida (MCMV). O banco aumentou o valor de imóveis financiados para as faixas 2 e 3 do programa habitacional. Paralelamente, a instituição elevou o valor do subsídio para a faixa 2 em cidades de até 20 mil habitantes.

O teto de imóveis para as faixas 2 e 3 do MCMV foi ampliado. Para as cidades de 20 mil a 50 mil habitantes, o valor máximo do imóvel a ser financiado passou de R$ 110 mil para R$ 145 mil no Distrito Federal, no Rio de Janeiro e em São Paulo; de R$ 105 mil para R$ 140 mil no Sul, no Espírito Santo e em Minas Gerais; de R$ 105 mil para R$ 135 mil em Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul; e de R$ 100 mil para R$ 130 mil no Norte e no Nordeste.

Nas cidades com menos de 20 mil habitantes, o teto do financiamento passou de R$ 95 mil em todas as regiões para os mesmos valores (escalonados por regiões) dos municípios com até 50 mil moradores.

O banco também aumentou o valor do subsídio para financiamentos da faixa 2 em cidades de até 20 mil habitantes. O subsídio passou de R$ 10.545 para R$ 11,6 mil para os mutuários com renda familiar bruta de até R$ 1,8 mil.

Para as cidades de 20 mil a 50 mil habitantes, o valor do subsídio na faixa 2 não mudou, podendo chegar a R$ 29 mil, dependendo da região do imóvel. Os subsídios para a faixa 1,5 do Minha Casa Minha Vida também não sofreram alteração, com valor máximo de R$ 47,5 mil para famílias que ganhem até R$ 1,2 mil.

As novas regras foram publicadas hoje em instrução normativa do Ministério do Desenvolvimento Regional. Em nota, a Caixa Econômica Federal informou que as novas condições permitirão ao banco consumir todo o orçamento disponível para este ano no financiamento de moradias para a população de baixa renda.

“Com essas novas condições, a Caixa está com capacidade plena para atender a demanda por moradia no mercado imobiliário e aplicar todo o orçamento disponível para 2019, promovendo o aquecimento da economia, gerando empregos e rendas, além de contribuir para a redução do déficit habitacional do país”, destacou o banco no comunicado.(Agência Brasil)

Concessão de 12 aeroportos será leiloada sexta-feira em São Paulo. Juntos, os terminais recebem 19,6 milhões de passageiros por ano

Concessão de 12 aeroportos será leiloada sexta-feira em São Paulo. Juntos, os terminais recebem 19,6 milhões de passageiros por ano

Destaque Economia Negócios
O leilão da concessão de três blocos de aeroportos está marcado para a próxima sexta-feira (15), às 10h, na B3, a Bolsa de Valores de São Paulo. Localizados nas regiõeso Nordeste, Sudeste e Centro-Oeste, os 12 aeroportos, juntos, recebem 19,6 milhões de passageiros por ano, o que equivale a 9,5% do mercado nacional de aviação. O investimento previsto para os três blocos é de R$ 3,5 bilhões.Na terça-feira (12), as empresas e consórcios devem apresentar as propostas em duas vias em envelopes lacrados, os quais deverão conter as propostas, as garantias e os documentos.

Em novembro, conforme o anúncio feito pelo Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), o valor mínimo de outorga, para arrematar os 12 terminais, será de R$ 219 milhões, à vista.

Ao longo da concessão o valor total da outorga é de R$ 2,1 bilhões. O prazo de concessão será de 30 anos.

De acordo com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), os 12 aeroportos que devem ser leiloados são os de Cuiabá, Rondonópolis, Sinop e Alta Floresta, em Mato Grosso; de João Pessoa, do Recife, de Maceió, Aracaju, Juazeiro do Norte, no Ceará, e de Campina Grande, da Paraíba; de Macaé, no Rio de Janeiro, e de Vitória, no Espírito Santo.

Em janeiro, o diretor do Departamento de Políticas Regulatórias da Secretaria Nacional de Aviação Civil (SAC), Ronei Saggioro Glanzmann, disse que a previsão é concluir todo o processo de concessão dos aeroportos em quatro anos.  (Agência Brasil )

MPT alerta: terceirização irrestrita amplia risco de corrupção

MPT alerta: terceirização irrestrita amplia risco de corrupção

Direito Negócios Notícias

Em nota técnica publicada hoje, 22 de fevereiro, o Ministério Público do Trabalho alerta: ampliar as possibilidades de terceirização na administração pública é ampliar os riscos de corrupção no país. Assinada pela Coordenadoria Nacional de Combate às Irregularidades na Administração Pública (Conap), do MPT, a nota também aponta inconstitucionalidades e ilegalidades nas normas que flexibilizam a terceirização no referido setor.

No texto, o MPT se manifesta pela revogação do Decreto nº 9507, assinado pelo então presidente Michel Temer, e da Portaria nº 443, do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Editadas em 2018, tais normas passaram a vigorar em 2019 e, na prática, aumentam o leque de serviços passíveis de execução indireta, por terceiros contratados pela Administração Pública Federal Direta, Autárquica e Fundacional.

Para a procuradora Ana Cristina Desirée Tostes Ribeiro, vice-coordenadora nacional da Conap, “além de abrir portas para várias formas de corrupção, a terceirização irrestrita pode trazer prejuízo aos cofres públicos”.

A nota técnica destaca exemplos em que a terceirização tem sido utilizada como mecanismo que viabiliza práticas como: superfaruramento; cabos eleitorais e cabides de empregos; terceirizados fantasmas; e desvio de verbas públicas, em especial com relação aos contratos na área de saúde, cujas irregularidades motivaram diversas operações policiais nos últimos anos. “Na operação Lava Jato mesmo foram constatados diversos casos de corrupção envolvendo a contratação de empresas terceirizadas”, ressalta a procuradora Ana Cristina.

Outra preocupação do MPT é com relação aos chamados “calotes” das terceirizadas. “Se a terceirizada não cumprir as obrigações trabalhistas perante os empregados, o ente que terceiriza pode acabar tendo que pagar duas vezes: uma para a contratada e a segunda vez diretamente aos trabalhadores, quando demandado, pelo inadimplemento da terceirizada”, explica a vice-coordenadora da Conap. Uma lista divulgada pelo Tribunal Superior do Trabalho mostra que, dos 100 maiores devedores trabalhistas, um terço é de empresas terceirizadas.

O documento demonstra, ainda, que as normas questionadas contrariam decisões do Supremo Tribunal Federal e do Tribunal de Contas da União, além de acordos judiciais. Conforme a Conap defende, a permissão de terceirizar serviços irrestritamente também pode gerar insegurança jurídica, em razão dos limites tênues e sujeitos à interpretação judicial trazidos pelas normas.

A referida nota já foi enviada pelo procurador-geral do MPT, Ronaldo Curado Fleury, às seguintes autoridades: ministro-chefe da Casa Civil, ministro da Economia, ministro da Justiça e da Segurança Pública, ministro de Estado do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, ministro-presidente do Tribunal de Contas da União, secretário da Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais – SEST e secretário especial de Previdência e Trabalho.

Além da revogação do Decreto nº 9507/2018 e da Portaria MPOG nº 443/2018, a Conap se manifesta pela vedação expressa da utilização da terceirização como mera locação de mão de obra pela administração pública. A íntegra da nota está disponível aqui.

Nova Paquetá Esportes inaugura no Barrashopping com presença da atleta paralímpica Susana Schnarndorf

Nova Paquetá Esportes inaugura no Barrashopping com presença da atleta paralímpica Susana Schnarndorf

Economia Negócios Notícias

Para celebrar a inauguração da nova unidade da Paquetá Esportes nesta quinta-feira (28.02)quinta-feira, às 19h, a loja terá uma convidada de honra: Susana Schnarndorf, atleta paralímpica que contará a sua história de superação. A gaúcha, que hoje mora em São Paulo, foi triatleta, participando treze vezes do Ironman. Em 2005 foi diagnosticada com uma doença degenerativa e em vez de encerrar sua carreira esportiva, se tornou um exemplo e inspiração para muita gente. Ela continuou no esporte e hoje é uma das maiores atletas paraolímpicas brasileiras.

“Trazer a Susana para conversar com o nosso público é a primeira de várias ações que estarão sintonizadas com o nosso novo conceito Seu Corpo, Suas Vitórias. Além disso, o projeto dessa nova loja será um marco para a Paquetá Esportes que vai facilitar e melhorar a experiência dos consumidores dentro da loja, que terão menos barreiras entre o cliente e os produtos. Queremos que as pessoas que entrem no nosso ambiente vivam o esporte e saiam cada vez mais satisfeitas com suas compras” Explica Rafael Boettner, diretor de Varejo Multimarcas da Paquetá The Shoe Company. O executivo ainda complementa que o novo espaço terá telas mostrando diversas atividades físicas e manequins em forma de movimento, relembrando os mais variados esportes.

A nova Paquetá Esportes fica no primeiro piso do Barra Shopping Sul e reúne as principais marcas esportivas do mundo como Nike, Adidas, Asics, Puma, Fila, Skechers, Mizuno, Umbro, entre outras nas categorias trainning, running, futebol e moda casual esportiva.

Fim do impasse: Havan deve ser inaugurada ainda em 2019 em Santa Cruz do Sul; por Sabrina Heming/Rádio Santa Cruz

Fim do impasse: Havan deve ser inaugurada ainda em 2019 em Santa Cruz do Sul; por Sabrina Heming/Rádio Santa Cruz

Destaque Economia Negócios

Está decidido: a Havan terá uma filial em Santa Cruz do Sul. O impasse chegou ao fim na manhã desta terça-feira, 26, após uma reunião entre o presidente da empresa, Luciano Hang, e o presidente do Sindicato dos Comerciários, Afonso Schwengber. Após a reunião, ficou definido que até o próximo dia 11 todas as tratativas acerca da implantação deverão ser encerradas, sendo seguida de uma nova assembleia para votação do projeto.

d7d64ad0-a7bb-4719-9d5f-6238be28011f
Hang e Schwengber Foto: Sabrina Heming/Rádio Santa Cruz

Após o encontro, uma coletiva de imprensa foi realizada na sede do Sindilojas, onde os pontos foram apresentados para a imprensa. A Havan trouxe uma nova proposta, que inclui um acréscimo no salários, além de um auxílio para que cuidadores fiquem com os filhos do funcionários aos domingos e feriados trabalhados. Lembrando que a empresa deve gerar ao menos 150 novos empregos.

A loja ficará em um terreno de 25 mil metros quadrados na BR-471, próximo à rodoviária. Conforme Lang, o espaço contará com estacionamento com cerca de 500 a 600 vagas. Seguindo o exemplo de outras cidades, a expectativa da empresa é de que em cem dias após a liberação do alvará, a unidade da Havan em Santa Cruz do Sul seja inaugurada. O presidente garantiu ainda que apenas o gerente será de fora de Santa Cruz do Sul e os demais contratados serão moradores do município.

Afonso Schwengber afirmou em sua fala que nunca foi contra a vinda da Havan para a cidade, que apenas defende os direitos dos trabalhadores. Já Hang, se mostrou satisfeito com a reunião realizada com o sindicalista e afirmou “o Afonso agora vai ter um parceiro na geração de empregos e salários. A partir de hoje, ele faz parte da nossa empresa e nós do sindicato”.

Lang prometeu ainda uma inauguração histórica na cidade. Já o prefeito Telmo Kirst elogiou o trabalho de Lang pelo país, bem como a persistência em vir para Santa Cruz do Sul, Mostrou-se ainda muito contente com a vinda da nova empresa, que mesmo ainda fora da cidade, já gira a economia local, haja vista que é uma grande compradora da empresa MOR, com sede em Santa Cruz do Sul.

Leia outras notícias no site da Rádio Santa Cruz