Cerveja da FRUKI, BELLAVISTA, lança campanha de verão 29FEV – o dia dos encontros reais

Cerveja da FRUKI, BELLAVISTA, lança campanha de verão 29FEV – o dia dos encontros reais

Economia Negócios Notícias

A cerveja BELLAVISTA quer acabar de vez com as promessas que ficam apenas no “Vamos marcar?” e com as desculpas esfarrapadas utilizadas na hora de encontrar os amigos, familiares e colegas de faculdade. Aproveitando que 2020 é ano bissexto e tem um dia a mais, em um sábado, a BELLAVISTA lança a campanha de verão “#29FEV – o dia dos encontros reais”, que proporcionará diversos encontros reais neste dia, nos estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina. A BELLAVISTA, linha de cervejas premium da Bebidas FRUKI, é um produto que conecta as pessoas de forma despretensiosa. Sinônimo de qualidade, segurança e confiança a marca compartilha momentos e proporciona encontros reais. Esses encontros são experiências e trocas que valorizam momentos em que as pessoas consigam se divertir, conectar e estreitar vínculos. E, para isso, desde o seu lançamento, a BELLAVISTA facilita estes momentos, pois acredita que encontros reais merecem uma cerveja de verdade.

fruki2
Segundo Júlio Eggers, Diretor Administrativo da Bebidas FRUKI, em 2020 a BELLAVISTA vai implementar de forma mais intensa o ideal da marca e facilitar muitos encontros reais. “Desde o seu lançamento, nestes um ano e quatro meses, já facilitamos mais de 400 encontros com o envolvimento de aproximadamente três mil pessoas. Esta nova campanha vem para reforçar nosso posicionamento, 2020 será o grande ano dos encontros reais. Estamos muito entusiasmados em poder estar presente nestes momentos especiais e memoráveis” explica.
Promoção
A BELLAVISTA vai proporcionar o dia perfeito para curtir com os amigos. A partir de 30 de dezembro estará no ar uma promoção para concorrer a um encontro real. Para participar, basta seguir o perfil da marca no Instagram @cervejariabellavista. Publicar no feed ou stories do Instagram uma foto, um vídeo ou uma frase, respondendo à seguinte pergunta: “Por que eu mereço ganhar um encontro real no dia 29/02/20?”. Os participantes que postarem seus vídeos têm de deixar o perfil do Instagram aberto, marcando na publicação a @cervejariabellavista e usando as hashtags #encontrosreais e #29fevmarcado.
Os autores das respostas mais criativas vão receber um kit com 120 latas de cerveja da BELLAVISTA para fazer desse 29 de fevereiro o dia oficial dos Encontros Reais. Confira o regulamento em: www.29fevbellavista.com.br.

Exportação brasileira de arroz beneficiado cresce mais de 40% em novembro

Exportação brasileira de arroz beneficiado cresce mais de 40% em novembro

Economia Negócios Notícias

O Brasil exportou quase 100 mil de toneladas de arroz beneficiado em novembro. O volume supera em mais de 40% a quantidade embarcada em outubro deste ano, destaca a Associação Brasileira da Indústria de Arroz (Abiarroz).

Em novembro, as exportações de arroz beneficiado totalizaram 97.346,48 toneladas, contra 55.943,79 t do mês anterior, segundo a associação.

O mercado brasileiro exportou para mais de 60 países em novembro. Os principais destinos foram Venezuela, Emirados Árabes Unidos, Gâmbia, Peru e Senegal.

Segundo Mário Pegorer, diretor-secretário da Abiarroz, uma das razões para o aumento das exportações em novembro foi o acúmulo de saída de navios nos portos. “Houve coincidência de datas de partida.”

No acumulado de janeiro a novembro, as exportações somaram 884.292,38 toneladas, conforme a Abiarroz, com base em dados divulgados pelo ComexSat, do Ministério da Economia.

Ainda de acordo com a Abiarroz, as importações de arroz beneficiado em novembro totalizaram 51,026,79 toneladas, o que garantiu ao Brasil em superávit de 46.319,69 t.

Ricardo Santin será o novo presidente da ABPA

Ricardo Santin será o novo presidente da ABPA

Economia Negócios Notícias

O Conselho Diretivo da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) escolheu nesta quarta-feira Ricardo Santin como novo presidente da entidade que representa a avicultura e a suinocultura do País, a partir de abril de 2020. A escolha por unanimidade do nome de Santin ocorreu após um extenso processo seletivo que contou com 25 candidatos, entre grandes nomes do agronegócio empresarial do País. “Santin acumulou grande experiência como articulador político e institucional do setor produtivo, seja internamente ou nas incontáveis missões internacionais. Ele tem a capacidade técnica e de gestão necessárias para atuar como fio condutor da cadeia produtiva nacional”, analisa o presidente do Conselho Diretivo, Leomar Somensi.

O atual presidente da ABPA, o ex-ministro da Agricultura, Francisco Turra, deixará o cargo a partir de abril de 2020, após 12 anos à frente da associação. “Por conhecer tão profundamente sua competência e capacidade técnica, tenho grande confiança no excelente desempenho da gestão de Santin, nesta nova fase da ABPA” destaca Turra.

Advogado de formação e mestre em Ciências Políticas, Santin tem uma extensa carreira voltada para o agronegócio nacional.  Foi presidente do Conselho da CEAGESP, e atuou no Banco Nacional de Desenvolvimento Regional (BRDE), na Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), juntamente com Turra.

Seu ingresso na avicultura aconteceu em 2007, como assessor especial da Associação Brasileira dos Exportadores de Carne de Frango (ABEF). Foi um dos articuladores para a criação da UBABEF (unindo exportadores e produtores de aves) e da ABPA, com a unificação da avicultura e da suinocultura do País em uma única entidade.

Além dos cargos na ABPA, Santin também é presidente do Conselho do Instituto Ovos Brasil e vice-presidente do Conselho Mundial da Avicultura (IPC, sigla em inglês).

Santin também é membro do Conselho Empresarial do BRICS (CEBRICS), da Coalizão Empresarial Brasileira (CEB), do Conselho Empresarial Brasil-Estados Unidos (CEBEU), da Seção Brasileira do Conselho Empresarial Brasil-Japão, do Conselho Empresarial Brasil-México e do Conselho de Integração Internacional da CNI.

 

Andiara Petterle leva case de GaúchaZH a evento da WAN-Ifra. Encontro abordou o panorama das plataformas digitais de notícias

Andiara Petterle leva case de GaúchaZH a evento da WAN-Ifra. Encontro abordou o panorama das plataformas digitais de notícias

Comunicação Negócios Notícias
A união de Zero Horae Gaúcha na plataforma GaúchaZH mais uma vez foi usada como case mundial de estratégia de inovação. No evento Claves 2020, promovido pela Associação Mundial de Jornais e Editores de Notícias (WAN-Ifra), a vice-presidente de Produto e Operações do Grupo RBS, Andiara Petterle, palestrou sobre o desempenho da marca na fidelização de seus assinantes. O encontro ocorreu nesta quarta-feira (04), em Madrid.

Durante a palestra “Impulsionando o uso e a retenção: resultados do Grupo RBS na redução das taxas de rotatividade”, Andiara abordou a transformação digital, destacando GaúchaZH como estratégia bem-sucedida de assinatura. A plataforma que recentemente alcançou a marca de 111 mil assinantes digitais tem uma taxa de rotatividade de apenas 2% ao mês, enquanto, no aplicativo, os usuários consomem 23 vezes acima da média, e as taxas de rotatividade são tão baixas quanto 1%.

– Ficamos muito felizes de GaúchaZH ser um bom exemplo no mundo de uma plataforma de notícias que tem conteúdo de qualidade e está promovendo sua transformação digital com sucesso. Esse é o nosso futuro e o da maioria dos grandes jornais no mundo – destaca Andiara

Além de conduzir o painel, Andiara foi moderadora da mesa sobre a importância das assinaturas em estratégias digitais, composta pelo presidente do grupo francês Le Monde, Louis Dreyfus, e pela CEO e editora-chefe do jornal sueco Svenska Dagbladet, Anna Careborg, e também da mesa sobre relacionamento e fidelização de clientes, com Sebastián Muriel, CEO Tuenti e diretor de Digital Telco Experience na empresa espanhola Telefónica, e Nick MacFarlane, Head de Customer Experience da Sky.

Sobre o evento O Claves 2020 é promovido entre duas organizações, a Wan-Ifra e a Associação de Meios de Informação (AMI), a fim de compartilhar boas práticas e buscar as melhores soluções para as preocupações que as empresas de mídia enfrentam atualmente. Neste ano, o evento ocorreu nos dias 3 e 4 de dezembro e debateu o panorama das notícias digitais na Europa.

Do Sul para o Canadá: país é o destino preferido dos intercambistas da região sul do Brasil

Do Sul para o Canadá: país é o destino preferido dos intercambistas da região sul do Brasil

Economia Negócios Notícias

De acordo com o levantamento anual da Associação das Agências Brasileiras de Intercâmbio (Belta), 365 mil brasileiros fizeram intercâmbio em 2018. Só na região Sul, esse número chega a 48 mil. Com relação ao destino do intercâmbio, ainda na região sul, o Canadá é o país preferido nas intenções, com 22,2%, seguido dos Estados Unidos (16,8%) e Irlanda (9,6%).

Conforme avalia Branco Krieger, especialista em Educação e Carreira no Exterior e proprietário da IE Intercâmbio de Canoas – única agência do município com a certificação da Belta, a qualidade de vida é um dos motivos que fazem o Canadá estar no topo da lista. “É um país muito bem desenvolvido, seguro e com um excelente nível de ensino. Além disso, os pacotes de intercâmbio apresentam os melhores custos-benefícios, uma vez que a moeda é mais barata quando comparada a outros países. Fora as opções de turismo, que são grandes atrativos para os intercambistas”, destaca Branco.

ACPA: Comunicação precisa de ética e profissionalismo em todas plataformas

ACPA: Comunicação precisa de ética e profissionalismo em todas plataformas

Comunicação Negócios Notícias

Para os profissionais das áreas de Jornalismo, Publicidade, Relações Públicas e Agentes Digitais estamos no olho do furacão com a transformação digital, que afeta diretamente a Comunicação. No entanto, reconhecem que a qualidade da produção, profissionalismo, e a ética são fundamentais em qualquer plataforma. Para onde vai a Comunicação foi o tema do MenuPoa, reunião-almoço promovida pela Associação Comercial de Porto Alegre, nesta terça-feira, 03/12, no Salão Nobre do Palácio do Comércio.

Na abertura do evento, o presidente da Associação Comercial de Porto Alegre, Paulo Afonso Pereira, recordou que na segunda metade dos anos 1980, aconteceu uma revolução tão impactante quanto a do alemão Johannes Gutenberg, em 1439, quando desenvolveu um sistema mecânico de tipos móveis que deu início à Revolução da Imprensa. “As redações dos jornais e agências foram invadidas por computadores de tela verde e linha discada. Rapidamente, as máquinas de escrever desapareceram a nada mais foi como antes.”

O presidente da Associação Brasileira de Agências de Publicidade (ABAP/RS), Alexandre Skowronsky, chamou a atenção que em agosto de 2020 as empresas brasileiras deverão estar em conformidade com a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD). “Até agora empresas como Google e Facebook capturam dados dos usuários ganham com isso, mas após a aprovação da lei, será o consumidor que terá o controle.” Quem não se adequar às novas regras, poderá sofrer multas até R$ 50 milhões ou 2% do faturamento total da empresa.

Para a vice-presidente da Associação Riograndense de Imprensa (ARI), Cristiane Finger, hoje muito se fala de tecnologia e o conteúdo é esquecido. “Existe um mercado enorme para o exercício do jornalismo. De todos os municípios brasileiros, 51% não tem sequer um veículo de comunicação. Tudo está em movimento e pode mudar a qualquer momento. Por isso, é necessário ser menos dogmático.”

A vice-presidente da Associação Riograndense de Propaganda (ARP), Renata Schenkel, ressaltou que o digital é uma plataforma, mas não a única. “A profissionalização é fundamental, com vendas bem construídas e históricas bem contadas. Temos que analisar tudo a cada momento e está cada vez mais complexo a utilização de aplicativos, escolha de influencers digitais.”

Quanto mais plataformas, mais a necessidade de profissionalismo, conforme o presidente do Sindicato das Agências de Propaganda (Sinapro/ RS), Fernando Silveira. “O que diferencia os jornalistas, publicitários e Relações Públicas e Agentes Digitais dos influencers digitais é a ética. Hoje, muito se discute os fins e pouco os meios.”

Para o conselheiro do Conselho Federal de Profissionais de Relações Públicas (Conferp), Fernando Carara Lemos, o fundamental é estabelecer o relacionamento através de uma comunicação original e relevante dentro das empresas. “Não podemos esquecer que atrás de tudo existem pessoas, tanto no público interno, como no externo. Não é mais um departamento, mas todos na organização.”

O presidente da Associação Brasileira dos Agentes Digitais (Abradi/RS), Moyses Costa, acredita em três grandes tendências: a relevância da propriedade, tanto dos veículos, como empresas, marcas e indivíduos; a inteligência artificial, que envolve grande quantidade de dados, automatização, processos de comunicação; e a criatividade. “O mundo tem excesso de informação e é necessário ser criativo para conseguir algum espaço.”

Tramontina promove encontro com vinícolas e empresas ligadas ao turismo do Vale dos Vinhedos

Tramontina promove encontro com vinícolas e empresas ligadas ao turismo do Vale dos Vinhedos

Negócios Notícias

Na sexta-feira, 29, a Tramontina reuniu dirigentes e representantes de vinícolas, hotéis, restaurantes e demais estabelecimentos de apoio ao turismo do Vale dos Vinhedos para um happy hour na T factory store, em Carlos Barbosa. O evento inédito busca a parceria entre as empresas para ampliar atrações aos visitantes e consolidar a loja também como ponto de turismo e compras na região. “Queremos unir esforços para melhorar cada vez mais a estrutura de atendimento ao turista que visita a Serra Gaúcha, com experiências e opções de compra de produtos o ano todo”, afirma Rosane Mesturini Fantinelli, gerente de marketing corporativo da Tramontina.

Credito_MaíraCinidaMrTon
Iniciativa busca aproximação para promover experiência completa aos visitantes da Serra Gaúcha. Foto: Maira Cinida/MrTon

A ação que reuniu mais de 100 pessoas foi desenvolvida com apoio da APROVALE (Associação dos Produtores de Vinhos Finos do Vale dos Vinhedos), unindo empreendimentos da região pioneira na atividade do turismo no país. Conforme Márcio Brandelli, presidente do Conselho Superior da Aprovale, a recepção vem para coroar uma parceria que renderá muitos frutos. “Ao longo de sua história, o Vale construiu seu grande potencial em enoturismo e vinho. E a Tramontina se tornou um exemplo para o Brasil de como trabalhar a gestão de pessoas, suas linha de produtos, e de como levar o nome do nosso país mundo afora. Agora estreitamos essa relação, afinal nossos empreendedores primam por produtos de qualidade, e o mix Tramontina já é uma constante no Vale dos Vinhedos. Nós, associados a Aprovale, temos muito orgulho de fortalecer essa relação de experiência e afinidade com a centenária empresa, estreitando esse laço”, afirma.

Economia: Mercado financeiro eleva estimativa de inflação este ano para 3,29%. Previsão para anos seguintes permanece estável

Economia: Mercado financeiro eleva estimativa de inflação este ano para 3,29%. Previsão para anos seguintes permanece estável

Negócios Notícias
Pela quarta semana seguida, as instituições financeiras consultadas pelo Banco Central (BC) aumentaram a estimativa para a inflação este ano. A projeção para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA – a inflação oficial do país) subiu de 3,46% para 3,52%. A informação consta no boletim Focus, pesquisa semanal do Banco Central (BC) que traz as projeções de instituições para os principais indicadores econômicos.

Para 2020, a estimativa de inflação se mantém há cinco semanas em 3,60%. A previsão para os anos seguintes também não teve alterações: 3,75% em 2021, e 3,50% em 2022.

As projeções para 2019 e 2020 estão abaixo do centro da meta de inflação que deve ser perseguida pelo BC. A meta de inflação, definida pelo Conselho Monetário Nacional, é 4,25% em 2019, 4% em 2020, 3,75% em 2021 e 3,50% em 2022, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo.

Selic

Para alcançar a meta de inflação, o Banco Central usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic, atualmente definida em 5% ao ano pelo Comitê de Política Monetária (Copom).

De acordo com as instituições financeiras, a Selic deve cair para 4,5% ao ano até o fim de 2019. Para 2020, a expectativa é que a taxa básica permaneça nesse mesmo patamar. Para 2021 e 2022, as instituições estimam que a Selic termine o período em 6% ao ano e 6,5% ao ano, respectivamente.

Quando o Copom reduz a Selic, como prevê o mercado financeiro este ano, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação e estimulando a atividade econômica. Quando o Copom aumenta a taxa básica de juros, o objetivo é conter a demanda aquecida e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. A manutenção da Selic indica que o Copom considera as alterações anteriores suficientes para chegar à meta de inflação.

Atividade econômica

A projeção para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de todos os bens e serviços produzidos no país – se manteve em 0,99%. As estimativas das instituições financeiras para 2020 variou de 2,20% para 2,22%. Para os anos seguintes, não houve alteração em relação à pesquisa anterior: 2,50% em 2021 e 2022.

A previsão do mercado financeiro para a cotação do dólar permanece em R$ 4,10 para o fim deste ano e R$ 4,01 para 2020.(Agência Brasil)

Varejo mistura cada vez mais físico e digital

Varejo mistura cada vez mais físico e digital

Economia Negócios Notícias

Inovações como computação cognitiva, wearables, Internet das Coisas e integração entre loja física e virtual já estão delineando o novo cenário dos negócios. Para discutir o futuro do varejo, o diretor de Marketing e Vendas da Lojas Lebes, Otelmo Drebes Júnior, e o sócio da Paim Comunicação e Oito Total Brand, Marcus Paim, participaram da reunião-almoço MenuPoa, desta terça-feira, 26/11, promovida pela Associação Comercial de Porto Alegre.

Na abertura, o presidente da Associação Comercial de Porto Alegre, Paulo Afonso Pereira, observou que o estudo “A próxima fronteira do varejo”, da Cognizant, uma assessoria global com foco no digital, mostra que até 2025 a distinção entre a loja física e a loja virtual desaparecerá. “O avanço tecnológico vem promovendo maior união do físico com o digital e a urgência de adaptação do comércio a esse novo contexto.”

Paim acredita que é um anacronismo dividir clientes entre físico, mais velhos, e digital, mais jovens, porque não é uma questão de geração. “Cada vez mais existe uma fragmentação, onde as gerações se misturam. A forma de ser mais competitivo é tocando a alma do consumidor. O vínculo emocional, o romantismo, resulta de como o cliente é tratado. Isso nada tem a ver com a tecnologia.”

Ele faz uma analogia do varejo com o cinema e teatro. “Antes, o varejo era como o cinema. O consumidor recebia o produto pronto, poderia gostar ou não. Depois, no teatro fechado, a plateia passa a interagir com o ator, aplaudindo ou vaiando. Hoje, com as redes sociais, é como o teatro de rua, com a participação direta do consumidor, quando o erro pode ser fatal.” Paim ressalva que a relação com a equipe é fundamental e deve ser conquistada antes do consumidor. A equipe precisa estar engajada.

Para Drebes Júnior, inovar é colocar o cliente no centro e oferecer soluções, acarinhar. Ele entende que as lojas físicas são e continuarão a ser um ativo importante para os varejistas, independentemente da porcentagem de vendas efetuadas no online. “Nossa rede tem 160 pontos de vendas distribuídos pelo RS, sendo dois em Santa Catarina. Aprendemos no interior a importância da visibilidade e conhecer o cliente pelo nome. Um dos nossos diferenciais é a loja física, além do crediário próprio.”

Agronegócio: Índices acumulados em 12 meses registram queda em outubro. Custos de produção foram menores, mas preços pagos ao produtor também diminuíram

Agronegócio: Índices acumulados em 12 meses registram queda em outubro. Custos de produção foram menores, mas preços pagos ao produtor também diminuíram

Agronegócio Destaque Economia Negócios

O mês de outubro registra uma valorização do Índice de Inflação dos Preços Recebidos pelo Produtor Rural (IIPR) de 1,15%. Mas, no acumulado de 12 meses o indicador aponta uma queda de 1,21%. O Índice de Inflação dos Custos de Produção (IICP) do mesmo período também apresenta resultado negativo de 2,12%. Os dados compõem o Relatório de Outubro dos Índices de Inflação do Agronegócio do RS, divulgados pela Farsul, nesta terça-feira, dia 26 de novembro. Este é o quinto mês consecutivo que o IICP tem queda, fechando outubro com resultado 0,06% menor que o mesmo período do ano passado. O destaque fica com os fertilizantes, com retração de 11%. O principal fator foi a variação cambial que teve um declínio no último mês. A economista do Sistema Farsul, Danielle Guimarães(foto), indica o câmbio como principal fator na composição dos indicadores.

danielle
No resultado do IIPR está também o preço da soja influenciado pelo momento do grão nos EUA, “o principal fator de influência é a expectativa de uma queda na safra americana que parece se confirmar. O plantio teve atraso, a colheita está atrasada e com uma produção menor. Isso afeta o mercado internacional com a alta no preço do produto”, explica Danielle.

Na relação com o IPCA Alimentos, fica comprovado, no curto prazo, o descolamento entre os preços que o produtor recebe e aquele pago pelos consumidores. Enquanto houve a retração de 1,21% no IIPR o IPCA Alimentos teve alta de 3,01% no acumulado em 12 meses. Nos primeiros cinco meses de 2019, o IICP valorizou mais rapidamente que o IPCA. Após, o acumulado passou a indicar a redução nos custos de produção, enquanto o IPCA elevou até atingir 2,54% em 12 meses.

 

Confira o relatório completo