Aplicativos de transporte aumentam financiamento de veículos

Aplicativos de transporte aumentam financiamento de veículos

Comunicação Destaque Notícias

Os aplicativos de transporte estão impactando o mercado de crédito para veículos. Os financiamentos para compra de carros, motos e caminhões cresceram 9,1% no primeiro semestre deste ano em comparação com o mesmo período de 2018. Segundo levantamento da B3, que opera o Sistema Nacional de Gravames (SNG), os financiamentos possibilitaram a compra de 2,87 milhões de unidades, sendo que 1,06 milhão são veículos novos – aumento de 9,7%. Os usados totalizaram 1,81 milhão de unidades, uma alta de 8,7%.

Entre os fatores que explicam o aumento das vendas está o mercado criado pelos aplicativos como Uber, 99 e Cabify. “Muita gente que fica desempregada enxerga no setor de transportes uma alternativa de renda e para isso precisa de um automóvel”, ressalta a coordenadora da graduação em Economia do Instituto de Ensino e Pesquisa, Juliana Inhasz.

Esse crescimento promovido pelos investimentos em automóveis, seja comprados ou alugados, para fazer o transporte de passageiro já vem sendo observado desde o ano passado, de acordo com o economista chefe da Associação Nacional das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento, Nicola Tingas. “Tem um impacto importante. Desde o ano passado isso é notório”.

Mercado ainda fraco
Tingas destaca que esse crescimento não significa um aquecimento do mercado de consumo, mas um investimento dos que pretendem trabalhar nesse sistema. “Para mim, esse tipo de financiamento indireto via Uber não é um consumo. Ele não comprou um carro para uso pessoal ou para lazer”.

Nesse sentido, de compras de veículos como ferramenta de trabalho, também vai o aumento das compras de caminhões, que representaram a maior expansão percentual no período. Nos primeiros seis meses de 2019 foram financiadas 128,8 mil unidades de veículos pesados, uma alta de 23,47% em relação ao primeiro semestre de 2018.

Juliana Inhasz disse que há uma recuperação do mercado após quatro anos recessivos devido a melhora da renda e das condições de crédito, com juros mais baixos. “Apesar da alta ser significativa, a gente está falando de uma base muito ruim. Parece uma bruta de uma alta, mas, na verdade, é uma recomposição, a gente está tentando recuperar um setor que tinha sofrido muito com a crise”.

Entre os fatores que indicam condições mais favoráveis na economia está, segundo a professora, a queda no desemprego. “Tem uma melhora do mercado, porque a taxa de desemprego tem caído, devagar, mas tem caído”.

Apesar das boas notícias, a economista acredita que há um longo caminho pela frente antes da indústria automobilística voltar ao mesmo patamar que teve antes da crise. “Pelo menos 6 anos de trabalho para voltar ao que era em 2012, 2013. Em um cenário otimista”, disse.

Agência Brasil

IGP-M acumula inflação de 6,53% em 12 meses, diz FGV

IGP-M acumula inflação de 6,53% em 12 meses, diz FGV

Comunicação Destaque Notícias

O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), usado no reajuste dos contratos de aluguel, registrou inflação de 0,53% na segunda prévia de julho deste ano. A taxa é inferior à observada na segunda prévia de julho (0,75%). Segundo a Fundação Getulio Vargas (FGV), o IGP-M acumula inflação de 6,53% em 12 meses.

A queda da taxa de junho para julho foi provocada pelos preços no atacado. O Índice de Preços ao Produtor Amplo, que mede o atacado, registrou inflação de 0,62% na segunda prévia de julho, ante o 1,15% da prévia de junho.

Por outro lado, as taxas do varejo e da construção civil tiveram alta. O Índice de Preços ao Consumidor, que mede o varejo, passou de uma deflação (queda de preços) de 0,05% em junho para uma inflação de 0,10% na prévia de julho. O Índice Nacional de Custo da Construção, que não tinha variado na prévia de junho, registrou taxa de 0,93% em julho.

Agencia Brasil

Jornalista faz vaquinha online para não perder apartamento

Jornalista faz vaquinha online para não perder apartamento

Comunicação Destaque Notícias

A jornalista Ieda Risco, que atuava como apresentadora da Rádio Guaíba, criou uma vaquinha online com o objetivo de conseguir quitar as suas dívidas condominiais e de financiamento imobiliário e, assim, não perder o apartamento que mora. A profissional pretende, com a iniciativa, conseguir a quantia de R$ 20 mil, para que possa manter a moradia.

Em conversa com Coletiva.net, a jornalista destacou que, desde que saiu da Guaíba, em 2015, atuou como psicanalista – sua outra formação -, mas que o número de pacientes não era suficiente para conseguir se manter. Ela, então, entre freelas de Jornalismo, atuou como motorista de aplicativo (atividade que foi interrompida, pois teve que devolver o carro, que era emprestado) e catsitter – babá de gatos.

Leia mais na Coletiva.net

Moro interferiu em acordo com delatores da Lava Jato

Moro interferiu em acordo com delatores da Lava Jato

Comunicação Direito Notícias

Mensagens privadas trocadas por procuradores da Lava Jato em 2015 mostram que o então juiz federal Sergio Moro interferiu nas negociações das delações de dois executivos da construtora Camargo Corrêa. As mensagens, obtidas pelo The Intercept Brasil e examinadas pela Folha e pelo site, revelam que Moro avisou aos procuradores que só homologaria as delações se a pena proposta aos executivos incluísse ao menos um ano de prisão em regime fechado.

A interferência causou incômodo entre integrantes da força-tarefa em Curitiba.

A Lei das Organizações Criminosas, de 2013, que definiu regras para os acordos de colaboração premiada, diz que juízes devem se manter distantes das negociações com delatores e têm como obrigação apenas a verificação de sua legalidade após a assinatura.

“Enquanto juiz, não houve participação na negociação de qualquer acordo de colaboração”, afirmou em nota a assessoria de Moro, atual ministro da Justiça.

A força-tarefa declarou não reconhecer a autenticidade do material. As defesas dos executivos não quiseram se manifestar.

Leia mais na Folha de S.Paulo

Porto Alegre: Paulo Miklos traz “Chet Baker, Apenas um Sopro” dias 03 e 04 de agosto para o Theatro São Pedro

Porto Alegre: Paulo Miklos traz “Chet Baker, Apenas um Sopro” dias 03 e 04 de agosto para o Theatro São Pedro

Cidade Cultura Notícias
Livremente inspirada na vida do lendário trompetista norte-americano Chet Henry Baker Jr. (1929-1988), o espetáculo “Chet Baker, Apenas Um Sopro”, protagonizado pelo músico e ator Paulo Miklos, tem duas apresentações em Porto Alegre, nos dias 3 e 4 de agosto, no Teatro São Pedro. Com direção de José Roberto Jardim e dramaturgia de Sérgio Roveri, a peça ainda traz no elenco Anna Toledo, Jonathas Joba, Piero Damiani e Ladislau Kardos.
A peça se passa dentro de um estúdio de gravação, o cenário é assinado pelo Grupo Academia de Palhaços, figurinos exclusivos, especialmente criados para o espetáculo, pelo estilista João Pimenta, iluminação de Aline Santini e direção musical de Piero Damiani. “Estou buscando mais do que um espetáculo, uma experimentação músico-narrativa. Tanto que o espaço em cena é o estúdio de música que funciona de forma real, com seus instrumentos e aparelhos sendo usados e acionados pelos próprios atores, tudo sem a utilização de trilha gravada. O que ouvimos, sendo da voz ou dos instrumentos deles, vem sempre da área de atuação. Tudo é ao vivo. Mesmo princípio busquei para a nossa iluminação, as luzes não estão nas varas ou refletores do teatro, elas são integradas ao cenário-estúdio. Por esse motivo, embarquei em outra zona de risco como diretor, trazendo à cena apenas atores que tivessem ligação direta com o universo da música”, explica o diretor José Roberto Jardim.
O ponto de partida para a trama é um episódio real ocorrido na vida do músico. No fim da década de 60, ele foi violentamente espancado em uma rua de São Francisco. A agressão, que teria sido motivada por dívidas com traficantes, produziu no trompetista um efeito devastador: ele teve os lábios rachados e perdeu alguns dentes superiores, sendo obrigado a interromper a carreira até se recuperar dos ferimentos. A peça sobre Chet Baker mostra a primeira sessão de gravação do músico após o acidente. Ele está inseguro e arredio – e seus quatro companheiros de estúdio (um contrabaixista, um baterista, um pianista e uma cantora) parecem estar ainda mais. Todos foram reunidos por um produtor que, por ser amigo e admirador de Chet, acredita que ele está pronto para voltar à ativa. A peça, que transcorre ao longo de uma tarde e o início de noite, mostra a convivência complicada, dolorida e ao mesmo tempo solidária entre os músicos. “Um espetáculo que contém muita música e drama, exatamente como a vida do nosso retratado: Chet Baker. Um artista brilhante, um talento natural, aprisionado pela droga e pela auto-complacência. Chet é um dos meus ídolos, muitos deles morreram ainda mais jovens. Respiraram música acima da vida. ‘Chet Baker, Apenas um Sopro’, é um grande presente que eu recebi.”, comenta o músico e ator Paulo Miklos.

Local

Theatro São Pedro – Palco Principal

Ingressos

Plateia: R$ 80,00
Cadeiras Extras: R$ 80,00
Camarote Central: R$ 70,00
Camarote Lateral: R$ 60,00
Galerias: R$ 40,00

 

 

OAB reage a PEC que acaba com adesão obrigatória

OAB reage a PEC que acaba com adesão obrigatória

Comunicação Notícias

Associações de classe, como a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), prometem barrar no Congresso a proposta de emenda à Constituição (PEC) que coloca os conselhos profissionais como entidades da iniciativa privada, sem nenhuma relação com a estrutura da administração pública.  Na visão de algumas entidades, o texto enviado na semana passada acaba com a obrigatoriedade de inscrição em conselhos de fiscalização profissionais. Por isso, presidentes de órgãos de classe têm procurado apoio entre os parlamentares.

Assinada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, a PEC prevê que não poderão ser estabelecidos limites ao exercício de atividades profissionais nem ser obrigatória a inscrição em conselho profissional, salvo quando a ausência de regulação caracterize “risco de dano concreto à vida, à saúde, à segurança ou à ordem social”.  “Conselhos são entidades privadas sem fins lucrativos que atuam em colaboração com o poder público, às quais se aplicam as regras do direito privado e a legislação trabalhista”, diz trecho da proposta.

Atualmente, o Brasil tem mais de 900 ocupações reconhecidas, sendo que apenas 68 delas são regulamentadas por alguma instituição. Somando as entidades de abrangências nacionais e regionais, o Tribunal de Contas da União (TCU) contabiliza cerca de 600 conselhos profissionais.

Leia mais em O Estado de S.Paulo

Decisão de Toffoli já interfere em processos na Justiça

Decisão de Toffoli já interfere em processos na Justiça

Comunicação Destaque Notícias

A decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, de condicionar o compartilhamento de dados de órgãos do governo à prévia autorização judicial já provoca efeitos em casos em andamento na Justiça. Em Santa Catarina, advogados de investigados na Operação Alcatraz, que apura desvio de recursos públicos em licitações, apresentaram pedido para suspender ou anular os processos. Procuradores da República também falam em prejuízo para investigações que envolvem crimes relacionados a tráfico de drogas e ao crime organizado, e não só os ligados à corrupção.

Ao atender a pedido feito pela defesa do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), Toffoli suspendeu provisoriamente todos os processos no País em que houve compartilhamento de dados fiscais e bancários com investigadores sem autorização prévia da Justiça. A decisão atinge apurações em que o Ministério Público utilizou dados do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) – como é o caso do filho do presidente Jair Bolsonaro, investigado no Rio por supostas irregularidades quando ocupava uma cadeira na Assembleia Legislativa do Estado.

Leia mais em O Estado de S.Paulo

Liberação do FGTS pode fazer economia crescer 1,1% em 2019

Liberação do FGTS pode fazer economia crescer 1,1% em 2019

Comunicação Destaque Notícias

A liberação de até 35% do saldo das contas ativas (de contratos de trabalho atuais) do FGTS pode ajudar no crescimento de 1,1% do PIB neste primeiro ano de governo Bolsonaro. A estimativa anterior, sem considerar a medida, era de alta de 0,81%. Revelada pelo Estado, a proposta deve ser anunciada hoje e pode incluir também o saque das contas inativas (de contratos encerrados) . O montante liberado, no entanto, deve cair dos R$ 42 bilhões inicialmente previstos para R$ 30 bilhões. Isso porque o ministro da Economia, Paulo Guedes, determinou a sua equipe que os recursos do fundo destinados à habitação permaneçam intocados – o setor criticou ontem as medidas. Para analistas, o impacto sobre o consumo deve ser maior agora do que em 2017, quando o governo Temer liberou R$ 44 bilhões das contas inativas. Na ocasião, cerca de 40% dos recursos foram usados para o pagamento de dívidas.

Leia mais em O Estado de S.Paulo

Gastronomia: Cook Experience da Chef Juliana promove batalha homens x mulheres na cozinha

Gastronomia: Cook Experience da Chef Juliana promove batalha homens x mulheres na cozinha

Agenda Destaque Gastronomia Negócios Notícias Trabalho

A nova edição do Cook Experience da Chef Juliana Corrêa promete animar a noite do dia 22 de julho. Mudando a dinâmica da aula de culinária, desta vez os participantes serão divididos em duas turmas: de um lado, os homens, e do outro, o grupo das mulheres. As duas equipes farão as mesmas receitas, em um menu completo selecionado especialmente pela Chef. Ao final da aula, cada uma irá apresentar seus melhores pratos, em uma legítima disputa de homens versus mulheres. O evento acontece na Casa Bordini, e as inscrições podem ser feitas pelo site da chef.

Em um clima divertido e descontraído, a batalha de cozinha irá contar com camarão crocante de entrada, costelinha ao barbecue caseiro com batata recheada gratinada para o prato principal. Para fechar a noite, para a sobremesa os participantes irão preparar crepe de Nutella com morango. Além disso, a noite terá harmonização de chandon e vinho. Os vencedores da disputa levarão para casa, como prêmio, um kit com os pratos congelados da nova linha de produtos da Chef Juliana, Chef Ju ToGo.

MENU

67493604_905712066461949_1506587163507032064_n

Aula de drinks com Dudu das Caipiras
 
Entrada

Camarão crocante do Emporio marinho

Prato Principal

Costelinha ao barbecue caseiro com batata recheada gratinada

Sobremesa

Crepe de Nutella com morango

SERVIÇO

66812214_2495507423832984_7776107326712315904_nCook Experience Batalha na Cozinha homens x mulheres

Data: 22 de julho

Horário: 19 às 23h

Local: Casa Bordini – Rua CelBordini 652, Auxiliadora

Investimento: R$320,00 por pessoa

Inscrições: www.chefjuliana.com.br

Estudo de pesquisadores gaúchos sobre terapia com genes e células-tronco é reconhecido em publicação internacional

Estudo de pesquisadores gaúchos sobre terapia com genes e células-tronco é reconhecido em publicação internacional

Comunicação Destaque Notícias

Trabalho de mais de uma década do Grupo de Pesquisa em Cardiologia Molecular e Celular foi publicado no periódico Gene Therapy, do Grupo Nature, o mais prestigiado do mundo na área de ciências

Dedicado a pesquisar os efeitos do uso de células-tronco e de terapia gênica, para tratar doenças cardíacas refratárias há mais de uma década, o Grupo de Pesquisa em Cardiologia Molecular e Celular, ligado à Fundação Universitária de Cardiologia e à Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA), teve seu trabalho reconhecido, na última semana, com um artigo publicado no periódico Gene Therapy, do Grupo Nature, o mais prestigiado do mundo na área de ciências.

A base para a pesquisa é o Serviço de Cirurgia Cardíaca do Instituto de Cardiologia, em associação com o Laboratório de Cardiologia Molecular e Celular do mesmo instituto, montado entre 2002 e 2004, pelo cirurgião cardíaco Renato Kalil, professor titular de Clínica Cirúrgica da UFCSPA.

Iniciadas em 2003, as pesquisas desenvolvidas em Porto Alegre já deram importantes contribuições para que se compreenda o mecanismo de ação das células-tronco e também os efeitos da terapia gênica na insuficiência cardíaca e nos casos de angina refratária aos tratamentos convencionais, ou seja, aqueles que não respondem mais aos medicamentos e intervenções usuais. O grupo já demonstrou, por exemplo, que o efeito da injeção de células-tronco no coração se propaga por todo o órgão, não ficando restrito ao local da aplicação. Está claro também, que as propriedades das células-tronco são afetadas pela idade e pelos remédios usados no tratamento cardiológico do paciente.

A pesquisa revelou ainda, que o efeito da injeção de células-tronco é insuficiente para ter significado clínico ou melhora duradoura dos sintomas – no passado, as células-tronco eram vistas com entusiasmo pela comunidade científica por terem, em teoria, a capacidade de regenerar qualquer tecido, o que acabou não se comprovando completamente. O estudo demonstrou que pode-se melhorar a circulação de sangue em áreas mal vascularizadas com o uso da terapia gênica, mas que esse efeito é passageiro e perdura por apenas alguns meses.

Um dos coordenadores da pesquisa, Kalil explica que modificações nos genes estão sendo estudadas para que os vasos gerados a partir deles sejam mais resistentes e promovam uma reabilitação mais duradoura no paciente. “Para resultados conclusivos, precisamos de acompanhamento de longo prazo. A terapia gênica pode revolucionar o tratamento desse tipo de patologia, por isso a publicação do nosso estudo é tão relevante. É fundamental que essa pesquisa tenha continuidade”, completa.

Atual coordenadora do Laboratório de Cardiologia Molecular e Celular, a bióloga e geneticista Nance Nardi, também faz parte do grupo de pesquisa e comemora as descobertas. Segundo ela, mesmo não tendo dado a resposta esperada para doenças complexas, como as cardíacas, a pesquisa com células-tronco revelou possibilidades promissoras, para o tratamento de muitos males, além de ter aberto novas oportunidades de investigação na área. “Queremos que pesquisadores de várias áreas conheçam nossa pesquisa. Esse debate é fundamental, para que os estudos avancem e beneficiem pacientes”, completa Nance.

O estudo do Grupo de Pesquisa em Cardiologia Molecular e Celular contou, desde o começo, com financiamento de órgãos de fomento à investigação científica como FAPERGS, FINEP, CNPq, CAPES e Secretaria de Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul.

Clique aqui e confira o artigo publicado na Nature