BNDES pagou 20% a mais por ações da JBS, conclui TCU

BNDES pagou 20% a mais por ações da JBS, conclui TCU

Notícias

Auditoria do Tribunal de Contas da União concluiu que o BNDES pagou 20% a mais por ações da JBS para apoiar compra de ativos nos EUA, com dano ao erário de R$ 303 milhões, informa Fábio Fabrini. Joesley Batista, da JBS, disse em delação que destinou propina a Guido Mantega (PT) por aportes do banco. O ex-ministro não se manifestou. A reportagem completa está na Folha de São Paulo.

Senado anula decisão do STF e reverte afastamento de Aécio

Medidas contra o tucano, denunciado sob acusação de corrupção, foram rejeitadas por 44 votos

O Senado decidiu anular as medidas cautelares impostas pelo Supremo Tribunal Federal a Aêcio Neves (PSDB). Com isso, ele retoma suas atividades parlamentares. Entre os 71 presentes, 44 votaram a favor do tucano e 26, contra. Eunício Oliveira (PMDB-CE), que preside a Casa, não se posicionou. Eram necessários 41 votos — ao todo, são 81 senadores.

Aêcio estava afastado de suas funções e proibido de deixar sua residência à noite desde o fim de setembro. Também havia sido obrigado a entregar seu passaporte. O tucano não foi ao plenário. A decisão será encaminhada à corte, que fará comunicação para que ele possa reassumir o mandato. Gravado pelo empresário Joesley Batista, da JBS, pedindo R$ 2 milhões, o senador foi denunciado sob acusação de obstrução da Justiça e corrupção passiva.

Com a incerteza do placar, Aêcio enviou carta aos colegas horas antes da votação. Pediu uma chance para se defender e disse enfrentar uma trama “ardilosamente construída”. A sessão se deu em tom de constrangimento, com poucos discursos críticos ou manifestações de apoio pessoal.

Em nota, o senador tucano afirmou que a decisão restabeleceu “princípios essenciais de um Estado democrático”, assegurando a ele a oportunidade de apresentar sua defesa. (Folha de São Paulo)

Justiça Militar passa a julgar crime contra civil

O presidente Temer sancionou lei que transfere para a Justiça Militar o julgamento de crimes dolosos contra civis praticados por militares em atividade operacional. Um exemplo desse tipo de ação é a garantia da lei e da ordem, realizada em morros do Rio. Críticos da ação alegam falta de isenção do tribunal. O Exército diz que haverá maior celeridade. (Folha de São Paulo)

Em carta a parlamentares, Temer diz ver ‘conspiração’

Embora afirme que mensagem é também um ‘desabafo’, presidente aponta suposta trama para derrubá-lo do cargo

O presidente Michel Temer encaminhou carta a deputados e senadores na qual afirma ser vítima de “conspiração” para derrubá-lo da Presidência. No texto, Temer deixa claro o clima de tensão dias antes da votação, na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, da segunda denúncia apresentada contra ele pela Procuradoria-Geral da República. Embora afirme que a carta é também um “desabafo” – com críticas dirigidas ao ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot e aos delatores Joesley Batista, da J&F, e Lúcio Funaro, operador do PMDB –, a ofensiva de Temer contra a suposta conspiração ocorreu em meio a uma crise entre o Planalto e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). “Jamais poderia acreditar que houvesse uma conspiração para me derrubar da Presidência da República. Mas os fatos me convenceram. E são incontestáveis”, escreveu. (O Estado de São Paulo)

Um cachorro-quente para cada país

Um cachorro-quente para cada país

Gastronomia Negócios Notícias

Tudo começou com um curso de gastronomia concluído pelo proprietário da DogHaus em 2014. A ideia de trabalhar com lanches fez Bruno Avigliano de Menezes usar a família como grupo de testes até encontrar o sanduíche ideal. Vendo que era uma proposta séria, a sogra resolveu investir no pequeno negócio, e assim nasceu a DogHaus Gourmet, empresa de cachorro-quentes temáticos por países. Para o cardápio, os sócios, (Bruno, sua esposa Bruna Bernardini e a cunhada Pâmela Bernardini) definiram que cada localidade teria o seu dog especial. Dessa forma, o menu elaborado com consultoria de um chef rendeu diferentes sabores: Uruguaio, Alemão, Francês, Gaúcho, Tex Mex e Nova York. Posteriormente, em uma nova mistura de ingredientes, Bruno criou o famoso “Moda da Casa”, aquele que passa a ser uma invenção com a cara do negócio. “Para nós, era muito importante que cada cachorro-quente tivesse um detalhe que fosse único, como a mostarda Dijon e o alho poró no Francês, ou o queijo colonial do Gaúcho”, revela Bruna, responsável pela administração da casa.

Ela conta que ao pensar em expandir o empreendimento procurou o SEBRAE/RS para buscar as orientações necessárias na hora de franquear a empresa. “Foi nesse momento que vimos algumas falhas de estrutura e tratamos de corrigir antes de dar o próximo passo, pois isso significaria uma maior chance de acertarmos o planejamento completo”, indica a proprietária.

A principal modificação foi o local. A partir do dia 20 de outubro, a DogHaus estará na Rua Dr. Barcelos, no centro de Canoas. “Pensamos em uma estrutura moderna e que nos possibilite ampliar ou mudar de local. Por isso o container é tão legal. Contratamos uma arquiteta para adaptar o espaço e criamos a concepção da lanchonete”, destaca animada, Bruna.

O gestor do programa Franquias RS do SEBRAE/RS, Rodrigo Baierle, explica que a DogHaus está na 1º etapa do projeto Franquias RS. Trata-se da análise de Franqueabilidade. “O processo de formatação de franquia se baseia em um modelo de negócios de sucesso. Para isso, a DogHaus está lançando a loja conceito, que servirá de experimento para essa nova proposta da marca”, detalha Baierle.
Bruna considera que os consultores da entidade são essenciais para o crescimento da empresa. “O SEBRAE/RS é algo que todo empreendimento deveria ter ao seu lado, pois não importa a nossa graduação, eles sempre têm o conhecimento de que precisamos para aplicar em cada etapa”, destaca.

Para conhecer a DogHaus, o site é www.doghaus.com.br.

Joesley e Wesley se tornam réus

O juiz federal João Batista Gonçalves aceitou denúncia contra Joesley e Wesley Batista, donos da JBS, por uso de informação privilegiada e manipulação do mercado. Os dois, que estão presos, são acusados de negociar ações para lucrar com os efeitos que a delação deles provocaria no mercado. A pena de Wesley pode chegar a 18 anos e a de Joesley, a 13, além de multa total de R$ 714 milhões. (O EStado de São Paulo)

Aécio teme ausências e votação pode ser adiada

O Senado pode adiar a votação do caso Aécio Neves (PSDB-MG), alvo de medidas restritivas impostas pela 1.ª Turma do STF. Os motivos são a ausência de pelo menos 11 senadores e a dificuldade de o tucano conseguir os 41 votos necessários para reverter a decisão do Supremo. Aécio está afastado do Senado desde 26 de setembro e é obrigado a se recolher em seu domicílio no período noturno. (O Estado de São Paulo)