Estado volta a parcelar salários; 66% recebem nesta sexta. Fazenda espera quitar a folha de abril até 11 de maio

Estado volta a parcelar salários; 66% recebem nesta sexta. Fazenda espera quitar a folha de abril até 11 de maio

Destaque Economia Negócios Poder Política Porto Alegre

A Secretaria Estadual da Fazenda deposita, amanhã, até R$ 3 mil em salários de abril para o funcionalismo público. É o 15º parcelamento consecutivo enfrentado pelos servidores do Poder Executivo. Dessa vez, 66% deles terão a folha paga em dia. A Pasta confirmou, também, o depósito da quinta parcela do 13º salário de 2016. Existe, ainda, a possibilidade de crédito de mais uma faixa da folha de abril durante a sexta-feira.

Para repassar até R$ 3 mil para cada um dos 344 mil vínculos (ativos, inativos e pensionistas) foram necessários R$ 703,8 milhões em caixa. Já cada parcela do 13º salário representou mais R$ 102 milhões. A previsão é concluir o pagamento da folha até 11 de maio.

Na quarta-feira (2), a Fazenda paga, na íntegra, os salários dos servidores das fundações (regidos pela CLT).

A folha de abril chegou a R$ 1,08 bilhão. (Rádio Guaíba)

Schirmer garante segurança e liberação do trânsito, na Capital, em dia de greve geral

Schirmer garante segurança e liberação do trânsito, na Capital, em dia de greve geral

Cidade Destaque Direito Poder Política Sartori Segurança

O secretário estadual da Segurança Pública, Cezar Schirmer, reuniu a cúpula da Pasta para traçar as ações de prevenção e de manutenção da ordem pública durante a greve geral desta sexta-feira, contra as reformas trabalhista e da Previdência, em Porto Alegre. O encontro ocorreu ainda na noite de ontem, na Casa Militar do Palácio Piratini.

A segurança na cidade e a liberação do trânsito foram definidas como prioridade para o secretário. “Nosso objetivo é tranquilizar a população e garantir a ordem, o direito de ir e vir e coibir excessos. Por isso, pedimos aos grevistas que façam o movimento dentro da lei e não impeçam o livre trânsito de veículos e pessoas pelas ruas da Capital”, frisou.

De acordo com a SSP, cabe à Brigada Militar monitorar as atividades e coibir atos que impeçam ou prejudiquem o direito de ir e vir, de atentado ao patrimônio público e privado e, mesmo, de violência. O efetivo, em número não detalhado, vai acompanhar as manifestações durante o dia. (Rádio Guaíba)

Gilmar Mendes suspende depoimento de Aécio à Polícia Federal

Gilmar Mendes suspende depoimento de Aécio à Polícia Federal

Destaque Direito Poder Política

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), suspendeu por ao menos 48 horas o interrogatório do senador Aécio Neves (PSDB-MG), marcado para hoje, no inquérito em que o parlamentar é investigado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, suspeito de participar em um esquema de corrupção em Furnas, estatal do setor elétrico.

A defesa de Aécio pediu a suspensão do depoimento para que o parlamentar possa ter acesso ao que foi dito por outras testemunhas já ouvidas no processo. A Polícia Federal defendia, como estratégia de investigação, interrogar o senador antes de ele tomar conhecimento sobre outros depoimentos colhidos no inquérito.

“É direito do investigado tomar conhecimento dos depoimentos já colhidos no curso do inquérito, os quais devem ser imediatamente entranhados aos autos”, escreveu Mendes, determinando que todos os depoimentos já colhidos sejam juntados aos autos do processo.

Mendes não marcou nova data para que Aécio seja ouvido. O senador é alvo de outros seis inquéritos criminais no Supremo, cinco dos quais foram abertos no início do mês pelo ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no STF. (Agência Brasil)

A GREVE GERAL E OS TRANSPORTES: ônibus e trens vão paralisar funcionamento. Em Porto Alegre, lotações vão operar, os táxis devem circular normalmente. Aeroviários devem parar, aeronautas decidem nesta quinta.

A GREVE GERAL E OS TRANSPORTES: ônibus e trens vão paralisar funcionamento. Em Porto Alegre, lotações vão operar, os táxis devem circular normalmente. Aeroviários devem parar, aeronautas decidem nesta quinta.

Cidade Destaque Direito Economia Negócios Poder Política Porto Alegre prefeitura Sartori Segurança

A greve geral marcada para a sexta-feira, dia 28 de abril, prevê paralisação de trabalhadores em áreas essenciais, em todo Brasil. Em Porto Alegre, o serviço de transporte público pode ser afetado. Confira o levantamento realizado pela Rádio Guaíba e fique atento aos serviços que vão funcionar.

Ônibus – o que dizem os trabalhadores

Os rodoviários de Porto Alegre e região Metropolitana (Canoas, Gravataí, Cachoeirinha e Viamão) garantiram que vão cruzar os braços e fazer bloqueios em garagens de ônibus durante a greve geral, que protesta contra as propostas de reformas da Previdência, Trabalhista e as terceirizações.

Em Porto Alegre, os ônibus devem deixar de circular a partir das 4h da sexta-feira. Diariamente, 900 mil pessoas dependem do serviço na Capital.

Ônibus – o que dizem as empresas

A Fundação Estadual de Planejamento Metropolitano e Regional (Metroplan) informou que as empresas garantiram a circulação normal dos ônibus em cidades da região Metropolitana. Na sexta-feira, um comunicado deve ser emitido. Em Porto Alegre, a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) só vai manifestar hoje à noite sobre as medidas que pretende tomar.

Trens – o que dizem os trabalhadores

Os trens também não vão circular, com os trabalhadores aderindo ao protesto. As estações da Trensurb devem fechar no fim da noite de quinta-feira. Assim, torcedores do Grêmio não vão poder utilizar as composições ao término do jogo, marcado para as 21h45min de quinta, na Arena.

Trens – o que informou a empresa

A Trensurb informou que ainda busca garantir, pelo menos, a circulação miníma dos trens em horários de pico durante a sexta-feira. Uma posição concreta deve ser divulgada nesta quinta-feira.

Lotações

A Associação dos Transportadores de Passageiros por Lotação de Porto Alegre (ATL) informou que os 441 veículos distribuídos em 31 linhas vão operar normalmente em Porto Alegre. Ainda não se definiu, porém, se os usuários poderão ou não trafegar em pé nos lotações. A entidade espera uma posição da EPTC. A Associação representa tanto a classe patronal quanto os trabalhadores.

Táxis

O Sindicato dos Taxistas de Porto Alegre (Sintáxi) garante que a categoria não vai aderir à paralisação. Com isso, os 4 mil carros estão operando normalmente durante a sexta-feira.

Ônibus intermunicipais – o que dizem os trabalhadores

O Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários Intermunicipais e Interestaduais (Sindirodosul) informou que os trabalhadores também vão aderir à greve geral. Uma concentração é prevista para ocorrer na Estação Rodoviária de Porto Alegre. Assim, não serão realizadas viagens da Capital para o Interior. Contudo, a entidade reconhece que alguns ônibus podem vir de cidades do Interior, em direção a Porto Alegre.

Ônibus intermunicipais – o que dizem o Daer e a Rodoviária 

Em nota, o Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer) informou que a circulação de ônibus intermunicipais vai ocorrer dentro da normalidade. A paralisação chegou a ser anunciada, o governo acabou revendo a decisão. Já a Estação Rodoviária de Porto Alegre disse estar ciente da paralisação dos trabalhadores e garantiu que os passageiros vão ser ressarcidos caso não consigam viajar. Bilhetes serão vendidos na sexta-feira apenas se o ônibus estiver no terminal.

Aviões

O Sindicato dos Aeroviários de Porto Alegre, que representa os trabalhadores dos serviços de manutenção e check-in, também vai engrossar a paralisação geral do dia 28. Já o Sindicato Nacional dos Aeronautas, que representa os pilotos, mantém o estrado de greve, devendo deliberar sobre a paralisação geral apenas às 16h desta quinta. A Infraero recomenda que os passageiros procurem as companhias aéreas para se informar sobre a confirmação da viagem. ( Lucas Rivas/Rádio Guaíba )

Morre o jornalista, professor e advogado Carlos Chagas

Morre o jornalista, professor e advogado Carlos Chagas

Comunicação Destaque Poder Política

O jornalista Carlos Chagas morreu, hoje, aos 79 anos, em Brasília. Reconhecido na carreira, Chagas atuou em veículos de comunicação de expressão no país, trabalhou como professor do Departamento de Comunicação da Universidade de Brasília (UnB) por 25 anos e publicou livros sobre o período da ditadura miliar no Brasil. Era formado em direito pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ).

A morte do jornalista foi informada em uma rede social pela filha Helena Chagas, também jornalista e ex-ministra da Secretaria de Comunicação Social do governo Dilma Rousseff.

Nascido em Três Pontas (MG), filho de um comerciante e de uma professora, Carlos Chagas começou a carreira de jornalista no fim dos anos 1950, quando ainda era estudante de Direito no Rio de Janeiro. A primeira contratação foi no jornal O Globo, em 1959.

Após concluir o curso universitário no final de 1960, trabalhou durante um ano e meio como jornalista e também como advogado de presos que cumpriam pena no presídio da ilha Grande (RJ). Em seguida, prestou concurso para promotor público e foi aprovado. Diante da impossibilidade de acumular as atividades de promotor e jornalista, optou pelo jornalismo.

Ao longo da carreira trabalhou no jornal O Estado de S. Paulo, na TV Manchete e no SBT.

Como professor da UnB, a partir de 1978, lecionou as disciplinas Ética e Legislação nos Meios de Comunicação e Problemas Sociais e Econômicos Contemporâneos, na graduação do curso de Comunicação, e Tópicos Especiais, no curso de pós-graduação.

Carlos Chagas foi assessor de imprensa da presidência da República no de maio a agosto de 1969, no governo do general Costa e Silva e lançou os livros “A Ditadura Militar e os Golpes Dentro do Golpe” que narra a trajetória do governo militar entre 1964 e 1969 e “A Ditadura Militar e a Longa Noite dos Generais”, que abrange o período de 1970 a 1985. (Agência Brasil)

Daer volta atrás e rediscute, amanhã, proibição de ônibus intermunicipais na sexta-feira

Daer volta atrás e rediscute, amanhã, proibição de ônibus intermunicipais na sexta-feira

Agenda Destaque Poder Política

O Daer voltou atrás, na noite desta terça-feira, depois de anunciar que nenhum ônibus intermunicipal vai poder circular pelas estradas do Rio Grande do Sul na próxima sexta-feira, dia da greve geral marcada pelas centrais sindicais contra as reformas Trabalhista e Previdenciária. Conforme o diretor-geral da autarquia, Rogério Uberti, uma reunião nesta quarta-feira vai reavaliar a proibição.

Uberti explicou que, diante da possibilidade de transtorno aos passageiros que devem se deslocar a outras cidades em função do feriado do dia do Trabalhador, na segunda-feira, o conselho de administração deve rever a decisão. Segundo ele, a tendência é de que o transporte seja liberado e que fique a cargo das empresas decidir se vão circular. ”Se elas não se sentirem em condição de colocar os carros pra fazer o transporte, o Daer vai tomar as medidas cabíveis. Agora, o Daer não vai impedir o serviço em princípio”.

A ordem de serviço partiu da Diretoria de Transportes Rodoviários do Daer. A determinação inicial é para que as empresas de ônibus que tenham como destino estações rodoviárias gaúchas parem as atividades a partir da 4h de sexta. As linhas com chegada prevista após esse horário não poderão deixar o local de embarque.

Amanhã, uma reunião rediscute a decisão. “A gente ainda vai definir, mas é bem provável que a gente libere o transporte na sexta-feira”, finalizou o diretor-geral. (Camila Diesel/Rádio Guaíba)

Sindicato dos rodoviários vai bloquear garagens de ônibus em greve geral na sexta

Sindicato dos rodoviários vai bloquear garagens de ônibus em greve geral na sexta

Agenda Cidade Destaque Poder Política Porto Alegre prefeitura

O Sindicato dos Rodoviários de Porto Alegre confirmou a participação da categoria na greve geral marcada para a próxima sexta-feira. O presidente do sindicato, Adair Silva, informou à Rádio Guaíba que a mobilização vai começar pela manhã, mas que, à tarde, existe a possibilidade de retomada de parte do serviço.

Silva explicou que a categoria vai se mobilizar por se tratar de um movimento nacional, ao contrário da tentativa de greve geral do mês passado, considerada “política” pelo dirigente sindical. “Recentemente ocorreu um movimento político, este é outro. Envolve outras categorias”, explicou. “O sindicado vai estar representado em todas as garagens”, garantiu. Conforme ele, a entidade recebe apoio, também, de rodoviários da região Metropolitana.

Amanhã, motoristas e cobradores se reúnem para definir detalhes da paralisação. “Vamos ter gente em todas as garagens”, projetou Silva, que admitiu a possibilidade de os ônibus circularem à tarde: “A gente vai ver no decorrer do dia o que vai acontecer. Única coisa que podemos garantir é que de manhã vamos estar no movimento, porque é um movimento nacional”. Amanhã, a categoria se reúne, a partir das 9h, para discutir detalhes da mobilização. (Rádio Guaíba e Correio do Povo)

Daer suspende ônibus interestaduais na sexta-feira devido à greve geral

Daer suspende ônibus interestaduais na sexta-feira devido à greve geral

Agenda Destaque Economia Negócios Poder Política

Nenhum ônibus intermunicipal vai poder circular pelas estradas do Rio Grande do Sul na próxima sexta-feira, dia da greve geral marcada pelas centrais sindicais contra as reformas Trabalhista e Previdenciária. O Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer) sustenta que é preciso preservar a vida dos passageiros e funcionários das empresas de ônibus. “Estamos priorizando a segurança dos usuários do transporte intermunicipal e evitando que passem por inconvenientes durante o itinerário”, afirmou o diretor do Daer, Lauro Hagemann.

A ordem de serviço partiu da Diretoria de Transportes Rodoviários do Daer. A determinação é para que as empresas de ônibus que tenham como destino estações rodoviárias gaúchas parem as atividades a partir da 4h de sexta. As linhas com chegada prevista após esse horário não poderão deixar o local de embarque.

Passageiros que haviam adquirido o bilhete para a viagem serão ressarcidos com o valor integral. Eles também poderão optar pela remarcação da data de embarque, sem custo adicional. (Correio do Povo)

Passa no Senado projeto que destina à Educação dinheiro recuperado com corrupção. Matéria segue agora para a Câmara

Passa no Senado projeto que destina à Educação dinheiro recuperado com corrupção. Matéria segue agora para a Câmara

Comportamento Cultura Destaque Direito Direito do Consumidor Economia Educação Negócios Poder Política

Aprovada hoje no Senado, segue agora para a Câmara dos Deputados a proposta que destina, prioritariamente, à Educação recursos públicos recuperados em ações de combate à corrupção. De autoria do senador Cristovam Buarque (PPS-DF), o Projeto de Lei do Senado (PLS) 291/2014 passou nesta terça-feira, na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), em decisão terminativa.

O texto de Cristovam Buarque estabelece que esses recursos sejam destinados ao fundo criado em 2010 para receber recursos da exploração do pré-sal. Esse fundo garante recursos para o desenvolvimento social e regional, nas áreas de educação, cultura, esporte, saúde pública, ciência e tecnologia e meio ambiente. A lei determina que 75% da metade dos recursos sejam destinados à Educação e 15%, à Saúde. (Agência Brasil)

Reajuste do mínimo regional fica em 6,48%. Assembleia aprovou hoje proposta do governo estadual

Reajuste do mínimo regional fica em 6,48%. Assembleia aprovou hoje proposta do governo estadual

Destaque Economia Negócios Poder Política

Por 46 votos a favor e apenas dois contrários, os deputados gaúchos aprovaram na tarde desta terça-feira o reajuste de 6,48% do salário mínimo regional. Os valores, com isso, ficarão entre R$ 1.175,15 a R$ 1.489,24, dependendo da categoria profissional.

Uma emenda prevendo um aumento maior, de 8%, não chegou a ser votada. Já as federações empresariais defendiam a derrubada do projeto do governo, alegando risco grave para a economia do Rio Grande do Sul.

A votação do piso começou na terça-feira passada, mas teve de ser interrompida em razão da retirada do quórum pelos parlamentares.

Em breve mais informações (Rádio Guaíba e Correio do Povo)