Eleições 2020: Partido NOVO abre processo seletivo para candidatos a vereador em Porto Alegre

Eleições 2020: Partido NOVO abre processo seletivo para candidatos a vereador em Porto Alegre

Agenda Destaque Notícias Poder Política

O Partido NOVO abriu processo seletivo para pré-candidatos a vereadores de Porto Alegre. O processo será composto de três etapas que consistem em análise de currículo, entrevista com a bancada formada por membros do NOVO e a vivência prática de campanha. Para realizar a inscrição basta acessar o site novo.org.br/queroservereador/.

“Qualquer cidadão pode participar do processo seletivo, desde que atenda os requisitos solicitados para inscrição. Não existe um perfil específico, o processo deve avaliar se os inscritos conhecem e acreditam nos valores NOVO, se possuem uma reputação ilibada e se conseguem transformar isso em apoio para sua eleição”, adianta o presidente do Diretório Municipal de Porto Alegre do NOVO, Carlos Bonamigo.

“Temos muita gente capaz e idônea em Porto Alegre. Nosso objetivo é aproximar ainda mais essas pessoas da política e eleger uma grande bancada de pessoas de princípios, colocando Porto Alegre junto das cidades mais prósperas do Brasil e do Mundo”, completa Bonamigo.

Todas as atualizações de edital e do “Perguntas e Respostas” serão publicadas no site  e também na área de Comunicados do Espaço NOVO.

Seminário Cidade bem tratada está com inscrições gratuitas abertas. Evento acontece a partir de quinta-feira em Porto Alegre

Seminário Cidade bem tratada está com inscrições gratuitas abertas. Evento acontece a partir de quinta-feira em Porto Alegre

Agenda Cidade Destaque Poder Política Porto Alegre Tecnologia Trabalho

No dia 12 de setembro, das 8h às 18h, a sede do Ministério Público, em Porto Alegre, recebe especialistas que vão tratar os temas: resíduos sólidos, água e energias renováveis. Mesas de debates, cases de sucesso, exibição de fotografias da 2ª edição do Prêmio #CidadeBemTratada, posto de coleta de resíduos eletrônicos, estande da Likso, focada em economia circular do plástico, do Inspe – Instituto Soleil de Pesquisa e Educação com sua plataforma de serviços e a Recilux que faz reciclagem de lâmpadas fluorescentes compõem a programação. Um evento que tem como mote trazer soluções simples e sustentáveis para que cada cidadão possa fazer a diferença pela qualidade de vida de sua casa, rua e comunidade, contribuindo assim para se ter uma ‘cidade bem tratada’. Com entrada franca, o 8º Seminário Cidade Bem Tratada realizado pela Fundação Mata Atlântica e Ecossistemas há oito anos, pauta os desafios de uma sociedade de consumo que caminha para um colapso ambiental. O evento colocará na mesa de debates os cenários, convergências, a comunicação e os desafios da sociedade de risco, costurando com especialistas os temas: resíduos sólidos, água e energias renováveis. Assim será o seminário, que acontece em 12 de setembro, no Ministério Público do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre.
A primeira mesa tem como debatedores: Dra. Luciana Turatti, Professora e Pesquisadora UNIVATES, que traz a abordagem ‘Crise hídrica ou de informação?’ Pedro de Assis Silvestre, Vereador Florianópolis (SC) e Presidente da Frente Parlamentar de Combate ao Lixo Marinho vai tratar da campanha ‘Floripa livre de plástico: como atuar em rede para diminuir o impacto do lixo no oceano’. Eberson Thimming Silveira, diretor do Departamento de Energia da Secretaria do Meio Ambiente e Infraestrutura (Sema) compõe o time de debatedores. Já Emanuel Alencar, que é colaborador do site ‘O Eco’ e editor de conteúdo do Museu do Amanhã falará sobre ‘Nós da comunicação: uma conversa sobre mídia e sustentabilidade’. A mediação é da Profª Luciane Salvi, coordenadora do curso de Engenharia Ambiental e Sanitária (EAS) da Faculdade Dom Bosco.
Na parte da tarde haverá o bloco de cases de sucesso: experiências de inovação – oportunidades e superação de dificuldades. Como Case 1 estará a Dra. Maria Silvia Rossi, subsecretária de Gestão Ambiental Territorial da Secretaria de Meio Ambiente do Distrito Federal (SUGAT/SEMA-DF) que fala sobre ‘Cidades resilientes: serviços ecossistêmicos e pertencimento na centralidade do território – a experiência do zoneamento ecológico-econômico do Distrito Federal’. Como Case 2 teremos Cintia Aldaci da Cruz, liderança comunitária e coordenadora do projeto ‘Gestão comunitária de resíduos orgânicos – revolução dos baldinhos’.
No Case 3, Luiz Alberto Altmann Fazio, presidente da Associação Biosaneamento tratará do ‘Projeto biosaneamento: implantação, desafios e desdobramentos’. O Case 4 traz a coordenadora executiva de programas de economia circular do Instituto SustenPlast, Simara Souza, que abordará ‘Copinho legal: economia circular, um compromisso de todos’. A mediação dos cases ficam a cargo de André Carus, Vereador e presidente da Comissão de Saúde e Meio Ambiente da Câmara Municipal de Porto Alegre.

A segunda mesa de debates pautará: Resíduos sólidos, águas e energia renovável: fomento a políticas e práticas para a sustentabilidade – principais instrumentos. Os palestrantes são: Marcio Matheus, presidente do Sindicato das Empresas de Limpeza Urbana no Estado de São Paulo – SELUR que falará sobre o ‘Sustentabilidade Financeira dos Serviços de Limpeza Urbana’. Carlos Café, Vice-Presidente da Associação Brasileira de Geração Distribuída – ABGD, traz o tema “Geração distribuída no Brasil e oportunidades de negócios”. Francisco Milanêz, presidente da Associação Gaúcha de Proteção ao Ambiente Natural (AGAPAN) explanará sobre ‘Como fomentar cidades saudáveis’. E Ana Maria Marchesan, promotora de justiça da Promotoria de Defesa do Meio Ambiente de Porto Alegre comenta sobre o ‘Papel do direito na preservação ambiental’. A mediação da Mesa é de Leonardo Pascoal, Prefeito de Esteio e presidente do Consórcio Pró Sinos.
Com relação a questão do plástico, o Inspe – Instituto Soleil de Pesquisa e Educação estará com um estande institucional apresentando seu trabalho. Trata-se de uma plataforma habilitadora que promove a cidade inclusiva e oportuniza serviços, espaços públicos e ações integradas através da articulação de pessoas, iniciativas e comunidades com apoio de metodologias ativas. Já a startup Likso, focada na economia circular do plástico, é uma iniciava gaúcha conectada ao projeto mundial Precious Plasctic que estará também no evento. Os números atuais alarmantes do lixo plástico nos oceano objetivou a empresa a pensar em uma forma de reverter este cenário. Assim, desde 2018 atuam na construção, venda e utilização de máquinas para a reciclagem de plástico. Além disso, ministram oficinas, cursos e workshops na área da educação ambiental e economia circular.

Este mix de assuntos e iniciativas conversam entre si e estão em interface com soluções possíveis de transformação que pouco a pouco mudarão o ambiente em que se vive. “Não adianta tratar sobre a gestão de resíduos sólidos, sem falar das águas e da opção por fontes de energia limpa. Tudo deve estar relacionado para que as soluções tragam efetiva proteção ao meio ambiente e à vida”, afirma o coordenador geral do evento, Beto Moesch.Como nas edições anteriores, são esperados representantes dos Poderes: Executivo, Legislativo e Judiciário; integrantes da sociedade civil, ONGs, entidades de classe, consultores, estudantes e empresários que trabalham com as temáticas propostas pelo Cidade Bem Tratada. “Sempre convidamos as pessoas que têm poder de decisão para que o seminário possa ir além do debate”, explica Moesch. O organizador comenta ainda que contam com a participação do público que poderá fazer questionamentos e dar opiniões ao longo de todo o dia dos debates.
No dia 13 de setembro acontece o Seminário na Cidade – “Observando as águas do Guaíba”. Será uma tarde com ações educativas sobre a importância do monitoramento para a participação social e a tomada de decisão em prol da melhor qualidade de nossas águas. Às 14h será feira uma coleta e análise da água do Guaíba – Observando Rios/SOS Mata Atlântica. Após, às 15h, Educação Ambiental alinhada aos ODS – Educredi e Apoena Socioambiental (Jogo Antropolixo e Jogo Trilha dos ODS). Público infantil. Parceria Escola ACM e CEVS e uma roda de conversa com Dra. Cláudia Barros (Faculdade de Agronomia/UFRGS) e Dra Maria Rossi, (SEMA/DF) sobre a contaminação das águas por metais pesados provenientes de atividades urbanas e da agroindústria (público adultos).
SERVIÇO:
O que: 8º Seminário Cidade Bem Tratada – ENTRADA FRANCA
Quando: 12 de setembro de 2019
Horário: das 8 às 18 horas
Onde: Auditório Mondercil de Moraes do Ministério Público (Av. Aureliano de Figueiredo Pinto, 80, Porto Alegre)
Inscrições gratuitas: www.cidadebemtratada.com.br/novo/inscriçoes

PRF apreendeu 326 quilos de cocaína e US$ 300 em um fundo falso no assoalho de uma caminhonete. Veja no vídeo a engenhosidade dos traficantes

PRF apreendeu 326 quilos de cocaína e US$ 300 em um fundo falso no assoalho de uma caminhonete. Veja no vídeo a engenhosidade dos traficantes

Notícias Poder Polícia Segurança Trabalho

 

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu 326,2 quilos de cloridrato de cocaína na quinta-feira (5) na BR-116 em Campina Grande do Sul, região metropolitana de Curitiba. A droga estava escondida em um compartimento oculto, sob o assoalho de uma caminhonete. A abordagem ocorreu por volta das 8h15, em frente à Unidade Operacional Taquari, na Rodovia Régis Bittencourt. Além da cocaína, acondicionada em 298 tabletes, os agentes da PRF também apreenderam dois pacotes com maços de notas de dólares que totalizaram US$ 300 mil, o equivalente a R$ 1,23 milhão.

20190905_cocaina_dolares_taquari4
Foto: PRF

Nervoso, o motorista, de 35 anos de idade, começou a se sentir mal logo no início da abordagem policial. Ele apresentou a carteira de habilitação do irmão como se fosse sua.

O comportamento do motorista fez a equipe da PRF promover uma busca detalhada no veículo. Dentro da cabine da caminhonete foi encontrada uma pequena porção de maconha.

Na carroceria, os policiais rodoviários federais descobriam um compartimento oculto, no formato de uma gaveta, entre as longarinas do chassi do veículo.

O compartimento, onde estavam os tabletes de cocaína e o dinheiro, foi acessado com o apoio de um desencarcerador hidráulico.

O preso disse que saiu de São Paulo (SP) e que entregaria o veículo em Paranaguá (PR). Ele responderá pelos crimes de tráfico de drogas, uso de identidade alheia e porte de droga para consumo pessoal.

A PRF encaminhou a ocorrência para a Superintendência da Polícia Federal em Curitiba. ( Fernando Oliveira/Agência PRF)

 

Partido NOVO elege Guilherme Enck para Diretório Nacional. A Convenção reelegeu João Amoêdo como presidente da sigla

Partido NOVO elege Guilherme Enck para Diretório Nacional. A Convenção reelegeu João Amoêdo como presidente da sigla

Agenda Destaque Poder Política
O Rio Grande do Sul terá, o até então presidente do partido no Estado, o executivo Guilherme Nardino Enck, como representante no Diretório Nacional (DN) que passa a desempenhar a função de secretário administrativo. A eleição do DN ocorreu nesta semana, em São Paulo. Para o Diretório Estadual (DE) quem assume provisoriamente é o atual vice-presidente Alexandre Araldi. Nos próximos meses, em convenção estadual, será eleito o nome do novo presidente do DE.
 
“Fico muito honrado de poder estar no órgão máximo do partido ao lado de pessoas que eu tanto admiro. Enxergo a minha ida para o Diretório Nacional como um reconhecimento pelo trabalho que o NOVO-RS, como um todo, vem entregando desde o início, e isso passa não só pelo diretório estadual, mas também pelos nossos mandatários, coordenadores regionais, núcleos municipais e o trabalho incansável dos filiados e voluntários do partido. Espero poder contribuir com a construção de uma instituição sólida, com cultura e processos fortes que garantam a manutenção dos valores que nos trouxeram até aqui” afirma Guilherme Enck. 
 
Enck está no NOVO desde 2013 e participou do grupo que fundou o núcleo do partido no RS. Ocupou o cargo de secretário de finanças até assumir a presidência estadual no início de 2018.
 
A Convenção Nacional reelegeu João Amoêdo como presidente nacional da sigla.
 
 
Membros do Diretório Nacional:
 
João Dionisio Filgueira Barreto Amoedo RJ – Presidente – (reeleição)
 
Ricardo Coelho Taboaço SP – Vice-presidente –  (reeleição)
 
Moises Dos Santos Jardim SP – Secretário de finanças –  (reeleição)
 
Patricia Barbosa Vianna RJ – Secretário administrativo – (reeleição)
 
Eduardo Rodrigo Fernandes Ribeiro SC – Secretário de assuntos institucionais e legais
 
Maria Cristina Teixeira Mendes Parizotto SP  – Secretário de assuntos institucionais e legais
MP prende Garotinho e Rosinha, ex-governadores do Rio

MP prende Garotinho e Rosinha, ex-governadores do Rio

Notícias Poder Polícia Política
O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) prendeu hoje (3) o casal de ex-governadores Anthony e Rosinha Garotinho. Mais três pessoas também são alvo da ação, que investiga esquema fraudulento de construção de moradias populares.

A Operação Secretum Domus cumpre mandados de prisão e de busca e apreensão nas cidades do Rio de Janeiro e Campos dos Goytacazes, no norte do estado.

Segundo a denúncia oferecida à 2ª Vara Criminal de Campos, investigações mostraram superfaturamento em contratos entre a prefeitura de Campos e a construtora Odebrecht, para a construção de casas populares dos programas Morar Feliz I e II, durante a gestão de Rosinha Garotinho como prefeita do município do norte fluminense (de 2009 a 2016).  (Agência Brasil)

Porto Alegre: Projeto concede título de Cidadão ao general Geraldo Miotto

Porto Alegre: Projeto concede título de Cidadão ao general Geraldo Miotto

Cidade Notícias Poder Política Porto Alegre
Vereadora Mônica Leal faz visita ao General Miotto - Comando Militar do Sul.
Vereadora Mônica Leal (PP) e general Geraldo Miotto. Foto: Tonico Alvares/CMPA

Está em tramitação, na Câmara Municipal de Porto Alegre, projeto de lei de autoria da vereadora Mônica Leal (PP) que concede o título de Cidadão de Porto Alegre ao general de Exército Geraldo Antonio Miotto, comandante militar do Sul.

Natural de São Marcos (RS), ingressou em 28 de fevereiro de 1972 na Escola Preparatória de Cadetes do Exército, sediada em Campinas (São Paulo), sendo declarado aspirante-a-oficial da arma de Cavalaria em 14 de dezembro de 1978. Realizou também o Curso de Estado-Maior na Escuela Superior de Guerra, na Argentina, e o Curso de Altos Estudos de Política e Estratégia da Escola Superior de Guerra, na cidade do Rio de Janeiro.

Comandou o 16º Esquadrão de Cavalaria Mecanizado em Passo Fundo e o Centro de Preparação de Oficiais da Reserva de Porto Alegre. Como oficial-general, comandou a 8ª Brigada de Infantaria Motorizada, foi assessor militar na Escola Superior de Guerra e chefe do Estado-Maior do Comando Militar do Leste, comandou a 3ª Divisão de Exército e exerceu os cargos de secretário-executivo do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República e vice-chefe do Departamento-Geral do Pessoal.

Dentre as principais condecorações recebidas, destacam-se a Medalha Marechal Hermes de Bronze com uma coroa, a Medalha de Serviço Amazônico com passador de bronze, a Medalha Al Merito a la Confraternidad Militar, do Exército Argentino, e a Medalha Estrella de Carabobo, do Exército da Venezuela.

Campanha pressiona parlamentares a votarem contra o aumento do fundo eleitoral 2020

Campanha pressiona parlamentares a votarem contra o aumento do fundo eleitoral 2020

Destaque Poder Política

 

Organizações e movimentos da sociedade civil que compõem a plataforma de ação conjunta Pacto Pela Democracia acabam de lançar a campanha ‘Não ao aumento do fundão’. A mobilização produziu um site, no qual cidadãos podem enviar e-mails pressionando os parlamentares a votarem contra o aumento do fundo eleitoral. Entre os deputados impactados estão o presidente da Câmara, Dep. Rodrigo Maia (DEM), o Dep. Alessandro Molon (PSB), Dep. Marcelo Freixo (PSOL) e a Dep. Renata Abreu (PODE). O Pacto Pela Democracia é uma coalizão de movimentos criada em abril de 2018, financiada por pessoas físicas e entidades privadas, comprometida com o resgate e aprofundamento das práticas e valores democráticos.

O Congresso Nacional pode aprovar, nesta terça-feira (27), a proposta que dobra os recursos públicos destinados às campanhas eleitorais para o ano que vem. O projeto está inserido na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), que inclui o aumento do fundo para R$ 3,7 bilhões. “Num momento em que o desemprego cresce, políticas e serviços essenciais à população e ao desenvolvimento do país estão comprometidos por conta da escassez de recursos, é inadmissível que um fundo que, na prática, concentra ainda mais o poder nas mãos daqueles que já dominam a política brasileira, possa crescer 120%”, diz texto no site da campanha.

Entre os apoiadores dessa iniciativa estão movimentos de renovação política, que juntos elegeram bancadas consideráveis no ano passado, como Agora, Acredito e Livres, além de organizações da sociedade civil, como Mulheres do Brasil, Vote Nelas, Gestos, Inesc, Programa Cidades Sustentáveis, Frente Favela, Plataforma pela Reforma do Sistema Político e Movimento Transparência Partidária. “Precisamos urgentemente de um sistema que permita que novas ideias, práticas e pessoas alcancem as esferas de poder”, afirma outro trecho do manifesto assinado pelas organizações.

Apesar de condenarem o aumento do repasse de recursos públicos para o fundo eleitoral dos partidos, as organizações não se colocam absolutamente contrárias ao financiamento público de campanha. “Esse é um debate importante e que deve ser feito dentro da sociedade”, diz o manifesto, que critica a concentração das verbas, “seus recursos serão centralizados entre as lideranças partidárias que estão há muito tempo no poder, enfraquecendo a possibilidade de abertura e oxigenação do sistema político, algo tão fundamental no Brasil hoje”.

O site da campanha é www.naoaofundao.org e nele, além da possibilidade de envio de e-mails diretamente para os deputados, é possível entender o contexto de votação da LDO, a proposta de aumento do fundo e seus impactos.

“Estão empurrando o pessimismo em nossas cabeças”, afirma Alexandre Garcia na Expoagas

“Estão empurrando o pessimismo em nossas cabeças”, afirma Alexandre Garcia na Expoagas

Comunicação Notícias Poder Política
O jornalista Alexandre Garcia participou da 38° Convenção Gaúcha de Supermercados – Expoagas 2019 com a palestra “O Brasil em 2020: Cenários políticos e os impactos no consumo”, na manhã desta quinta-feira (22), no Teatro do Sesi. Para ele, o Brasil está em fase de renovação, entretanto, os brasileiros insistem em acreditar que as mudanças feitas, desde outubro do ano passado não são positivas. “Passei a minha infância, adolescência e fase adulta ouvindo que o Brasil era o país do futuro, mas onde está esse futuro que não chega nunca? Se chegou para os Estados Unidos e Austrália, vai chegar aqui também”. Convicto, Garcia acredita em um futuro próspero para o Brasil, no qual as pessoas valorizam o que há de bom e compreendem que a renovação é um ponto positivo. “Estão empurrando o pessimismo em nossas cabeças, quero falar hoje sobre nosso futuro e nossas esperanças”, afirma.

Segundo o jornalista, a Constituição de 88 foi moldada sob a síndrome do prisioneiro político, que deu todos os direitos aos bandidos e não aos inocentes. “Na escola primária estudávamos os direitos e deveres do cidadão brasileiro, hoje temos muitos direitos e poucos deveres”. O palestrante afirma ainda que é preciso agir e se a população brasileira viveu o milagre econômico foi porque ela mesma buscou esse cenário. “Foi o nosso otimismo e entusiasmo. Ninguém investe agora para lucrar hoje, nós lucramos no futuro e se formos pessimistas esse cenário fica impossível”, completa. Para Garcia, o mesmo aplica-se às reformas da previdência, política e tributária, que irão colaborar para construção de um futuro próspero para o país. “A renovação no Congresso está agregando muita gente boa, que trabalharão para desenvolver o Brasil por meio da aprovação das reformas”.

O jornalista acredita que o brasileiro é culturalmente pessimista e tem o costume de torcer contra as mudanças por mais benefícios que elas indicam. “Quando lançado o plano real, colegas afirmavam que ele não chegaria até o final do ano e ainda torceram para que o projeto desse errado. Qual a necessidade disso?”, relembra. Em razão disso, o palestrante afirma que a população brasileira esquece os fatores positivos. “Preferimos falar do Beira-Mar ou do Lula do que enaltecer a professora Helen, que deu a vida para salvar mais de 20 crianças”.

Entretanto, Alexandre Garcia disse que os brasileiros fizeram uma grande revolução em outubro do ano passado e um grande passo em direção a mudança e renovação política que o país tanto necessita foi dado. “De forma pacífica, a população passou por cima de diversos desafios com o poder do voto. Passou por cima dos meios de informação e também de grandes quantias em dinheiro, visto que uma campanha de dois milhões de reais venceu a eleição”, pontuou.

Segundo ele, o presidente da república foi eleito para mandar no poder executivo e deve interferir na Receita Federal, na Polícia Federal e nos demais órgãos. “Como toda mudança, as pessoas estranham. E, atualmente, criticam a postura quando o poder é exercido”.

Por fim, relatou que bipolarização do Brasil não é algo negativo e explicou: “a Rússia, por exemplo, ficou monopolarizada por 70 anos. A China é até hoje. Não é isso que queremos, falamos tanto em diversidade de sexo, gênero, raça, mas não de pensamento. Desejam que todos pensem igual, sem a liberdade de ter ideias diferentes”. Para Garcia, além dos meios de informação, todas as pessoas possuem voz por meio das redes sociais e este processo faz a população reagir. “Temos que sair do ciclo vicioso do pessimismo e entrar no ciclo virtuoso. O futuro do país está nas mãos dos brasileiros”, concluiu.

“Há muitos anos o Rio Grande do Sul não tinha condições de fazer esta convergência”, diz Lara no lançamento do Movimento Cresce RS

“Há muitos anos o Rio Grande do Sul não tinha condições de fazer esta convergência”, diz Lara no lançamento do Movimento Cresce RS

Destaque Economia Negócios Poder Política

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Luís Augusto Lara (PTB), juntamente com o governador do Estado, Eduardo Leite, demais chefes de poderes e representantes de universidades, federações empresariais e entidades da sociedade civil reuniram-se na tarde desta segunda-feira (19), em ato no Palácio Piratini, para o lançamento do movimento Cresce RS, que visa monitorar e destravar projetos estratégicos para o Rio Grande do Sul. Na ocasião, foi assinado um termo de cooperação técnica entre os presentes. Para o chefe do Legislativo gaúcho, de quem partiu a iniciativa, a definição de matérias prioritárias possibilita uma tomada mais rápida de decisões. “Vivemos esse momento histórico no Rio Grande do Sul, onde conseguimos formar uma pauta de consenso, de convergência, que, independente de se ser de esquerda ou de direita, todos sabemos que é importante que seja o mais rápido possível implementada, respeitando-se todas as questões legais, ambientais, jurídicas”, disse. “Há muitos anos o Rio Grande do Sul não tinha condições de fazer esta convergência”, afirmou, avaliando que era habitual um governo desmanchar aquilo que o anterior havia feito.

Ele aproveitou a presença de deputados federais para saudá-los pela aprovação de medida que, segundo ele, simplificava a atuação de quem desejava empreender e acrescentou que o que havia sido aprovado no cenário nacional precisava, porém, “se materializar também nos cenários estadual e municipal”.

Refletindo sobre o slogan do movimento, “Juntos vamos mais rápido”, o governador Eduardo Leite disse que a expressão contradizia um outro dito – “se quiser ir mais rápido vá sozinho e se quiser ir mais longe vá em grupo” – mas que em uma democracia compartilhava-se o poder entre diversas instituições e não adiantava acelerar o passo sozinho. Disse que a falta de respostas às demandas da sociedade havia sido responsável por alimentar radicalismos e que o movimento que ali se oficializava era importante por buscar alinhar esforços em uma mesma direção.

lara2617
Eduardo Leite Foto: Michael Paz

Além do presidente da Assembleia Legislativa e do governador, estiveram presentes os deputados Sebastião Melo (MDB), Fábio Branco (MDB), Carlos Búrigo (MDB), Frederico Antunes (PP), Sérgio Turra (PP), Mateus Wesp (PSDB) e Zilá Breitenbach (PSDB).

Projetos estratégicos
Antes do lançamento, três reuniões técnicas realizadas em agosto definiram os projetos estratégicos para o Estado, que foram divididos em três categorias: infraestrutura e logística, desburocratização e fomento dos bancos públicos. Os tópicos foram apresentados pelo presidente da Assembleia.

Em infraestrutura e logística, foram apontados o monitoramento da extensão da pista do Aeroporto Internacional Salgado Filho, das concessões rodoviárias, ferroviárias e hidroviárias e custo operacional do porto de rio grande, do andamento das obras de rodovias (BR-290, BR-116, BR-285, BR-438), das rotas aéreas comerciais regulares, da concessão de parques estaduais, do avanço e expansão da geração de energias renováveis (eólica, PCH/CGH/UGH, solar, biomassa) e da concessão de gás natural, com o objetivo de ampliação da rede e diminuição do custo do produto.

Quanto à desburocratização, o presidente assinalou o licenciamento por compromisso de baixa e média complexidade, o monitoramento da evolução do status sanitário da aftosa, a abertura de novos mercados, o marco regulatório das ONGs (esclarecimento quanto à interpretação da área da Assistência Social), o aprimoramento na transição da Junta Comercial para o formato digital, a desburocratização da logística na saúde, a fiscalização orientativa por parte dos órgãos fiscalizadores, a exemplo do que é feito na Receita Estadual, a compensação do ICMS mediante apresentação de obras de infraestrutura e ações para viabilizar o fim da majoração de alíquota de ICMS até o final de 2020.

Já em relação ao fomento dos bancos públicos, as propostas foram: Tudo Fácil da Inovação para desburocratizar a abertura de novas startups e empresas de tecnologia e microcrédito para o setor; linhas de crédito Banrisul (imóveis usados/construção de moradia para servidores públicos da Segurança Pública, com terrenos de contrapartida do Estado ou municípios) e organização dos Arranjos Produtivos locais, como, por exemplo, as Zonas Francas de Fronteira.

Após as manifestações do presidente e do governador, o secretário de Governança e Gestão Estratégica, Cláudio Gastal, deu início à primeira reunião de monitoramento dos projetos e ações estratégicas para o desenvolvimento do Estado.

Pedro Simon: ‘‘Existe o risco de o MDB desaparecer’. Ex-senador e ex-governador gaúcho diz que o partido deve passar por ‘profunda reflexão’ para se manter influente na política nacional; por Pedro Venceslau/O Estado de S.Paulo

Pedro Simon: ‘‘Existe o risco de o MDB desaparecer’. Ex-senador e ex-governador gaúcho diz que o partido deve passar por ‘profunda reflexão’ para se manter influente na política nacional; por Pedro Venceslau/O Estado de S.Paulo

Destaque Poder Política

Com a autoridade de quem é filiado ao MDB desde 1965, o ex-senador e ex-governador do Rio Grande do Sul Pedro Simon diz que o partido deve fazer uma “profunda reflexão” porque, se continuar como está, “corre risco de desaparecer”. Em entrevista ao Estado, ele diz considerar “um absurdo” a permanência do ex-senador Romero Jucá na presidência do partido.

Aos 90 anos e sem mandato, Simon segue fazendo política partidária e abraçando causas, como a defesa da Operação Lava Jato. Ao analisar o governo Jair Bolsonaro, o emedebista elogia a aprovação da reforma da Previdência, mas faz duras críticas à indicação de Eduardo Bolsonaro, filho do presidente, para a embaixada nos EUA e às declarações sobre a Argentina. “Bolsonaro tem uma incontinência verbal que desconfio ser um problema psicológico”, diz Simon, com a contundência que marcou sua passagem pela vida pública.

Clique aqui e leia os principais trechos da entrevista em O Estado de São Paulo.