Porto Alegre: Prêmio Mulheres Inspiradoras acontece nesta quinta

Porto Alegre: Prêmio Mulheres Inspiradoras acontece nesta quinta

Agenda Notícias Poder Política Porto Alegre

Nesta quinta-feira (04/04), acontece a terceira edição do ‘Mulheres Inspiradoras’, em Porto Alegre. A premiação, idealizada pela vereadora Comandante Nádia, tem como objetivo prestar uma homenagem a gaúchas que são exemplos para a sociedade. “Minha ideia ao criar a iniciativa foi dar visibilidade a mulheres que não costumam aparecer”, explicou ela.

Empresarial-1
Adriane Hilbig

Em 2019, serão 31 agraciadas, que tiveram atuação destacada em suas comunidades, superando dificuldades e protagonizando histórias de vida. A coordenadora do prêmio descreve como se sente sobre a continuidade e relevância do projeto. “Meu sentimento é de sororidade. Fico muito feliz de poder homenagear mulheres que me acrescentam”, destacou a Comandante Nádia.

Dentre as condecoradas, estarão a proprietária do Barco Cisne Branco, Adriane Hilbig, e a Diretora de Eventos da Associação Nacional dos Aposentados e Pensionistas da Previdência Social (ANAPPS), Sandra Ramalho. O evento acontecerá no Grêmio Náutico União, às 19h.

Porto Alegre: Projeto libera vacinação na rede privada de farmácias

Porto Alegre: Projeto libera vacinação na rede privada de farmácias

Comunicação Notícias Poder Política Porto Alegre Saúde

Está em tramitação na Câmara Municipal de Porto Alegre projeto de lei do Executivo que autoriza as farmácias da Capital a realizar diversos procedimentos ambulatoriais de saúde e define normas a serem seguidas pelos estabelecimentos. Segundo a Prefeitura, com a regulamentação e permissão dos serviços pelas farmácias, “poderá o cidadão usufruir de inúmeros benefícios, transformando as farmácias em facilitadoras desse acesso à saúde, com uma norma mais completa e detalhada, autorizando definitivamente a vacinação e outros serviços farmacêuticos, de forma a proporcionar maior segurança jurídica às farmácias”.

Pelo projeto, as chamadas “farmácias de qualquer natureza” ficam autorizadas a prestar, entre outros, os seguintes serviços: vacinação; realização de curativos de pequeno porte, quando não há hemorragia arterial, em lesões cutâneas em que não é necessário fazer suturas ou procedimentos mais complexos; aplicação de inalação ou nebulização, mediante apresentação de receita médica; injeções, mediante apresentação de receita médica; acompanhamento e monitorização farmacoterapêutico; aplicação de reiki, do in, auriculoterapia e acupuntura, cromoterapia e terapia floral; perfuração de lóbulos auriculares; atenção farmacêutica, inclusive a domiciliar; exame laboratorial de resposta imediata; e consulta farmacêutica.

Vacinação

No caso dos procedimentos de vacinação, as farmácias ficam autorizadas a oferecer o serviço conforme regulamentação dos órgãos de vigilância sanitária, mediante responsabilidade técnica do farmacêutico. É obrigatória, durante todo o período de funcionamento do estabelecimento que oferece o serviço de vacinação, a presença de farmacêutico apto a prestar o referido serviço.

Conforme o projeto, os serviços de vacinação privados podem ser realizados na forma domiciliar e extramuros (em empresas) mediante autorização da autoridade sanitária competente. A atividade de vacinação extramuros deve observar todas as diretrizes das normas sanitárias relacionadas aos recursos humanos, ao gerenciamento de tecnologias e processos e aos registros e notificações.”A autorização para prestação de serviços pelas farmácias será concedida por autoridade sanitária, mediante inspeção prévia.”

Proibições

A proposta da Prefeitura também lista produtos cuja comercialização em farmácias será proibida. Entre os itens, constam os seguintes: alimentos comuns (sucos, refrigerantes, bebidas com qualquer teor alcoólico, alimentos in natura, biscoitos, bolachas, pães, balas, chicletes, chocolates, doces em geral, laticínios, achocolatados, açúcar, café, sal comum, sopas, cereais, farinhas, temperos, condimentos, especiarias, sorvetes e picolés); artigos de uso doméstico (lâmpadas, vassouras, panos, esponjas, objetos de decoração, roupas de cama, mesa ou banho, materiais hidráulicos, materiais elétricos, ferramentas, artigos de armarinho e artigos de papelaria; artigos de tabacaria (cigarros, charutos e isqueiros); materiais de cine, foto e som (fotos, fitas de filme, câmeras fotográficas e filmadoras); produtos saneantes (água sanitária, detergente, desinfetante, cera e inseticida); e produtos veterinários (vacinas, defensivos agrícolas, rações, ossos sintéticos, comedouros e acessórios para animais de estimação).

Prazos

As farmácias de qualquer natureza que já possuírem licença deverão solicitar a averbação de inclusão da prestação dos serviços específicos previstos neste projeto, que somente poderão ser prestados depois de registrados e autorizados pela autoridade sanitária. Os estabelecimentos terão o prazo de 180 dias, após a publicação da nova lei, para promover as adequações necessárias.

Para Heinze encontro com ministro da Economia demonstra urgência na revisão do Pacto Federativo

Para Heinze encontro com ministro da Economia demonstra urgência na revisão do Pacto Federativo

Economia Negócios Notícias Poder Política

O ministro da Economia, Paulo Guedes, participou, nesta quarta-feira (27), de audiência na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), requerida pelo senador Luis Carlos Heinze (PP/RS). Na pauta, Lei Kandir e a dívida dos estados com a União. Guedes destacou que, nos próximos 30 dias, pretende apresentar um Plano de Equilíbrio Financeiro, em auxílio aos governadores que estão com a folha do funcionalismo atrasada. “Separamos R$ 10 milhões no orçamento e queremos aumentar. O plano foi elaborado em emergência para atender o desiquilíbrio fiscal”, destacou. O ministro também disse que em um segundo momento vai focar na Lei Kandir e no Auxílio Financeiro de Fomento às Exportações (FEX).

54436998_2346155855667085_3941996433959288832_nO Governo está comprometido com a distribuição de recursos. A ideia é lançar algo maior que a soma do FEX e a Lei Kandir para ajudar os entes federados. Por fim, como meta de governo, Guedes falou da necessidade de rever o Pacto Federativo e descentralizar os recursos. Em sua fala, o senador Luis Carlos Heinze mostrou o desequilíbrio da dívida dos estados e a necessidade de fazer um encontro de contas. Se dividirmos a dívida do Rio Grande do Sul pela população, cada gaúcho já nasce devendo R$ 5.716,70. “Segundo estudos, realizados pelo Tribunal de Contas do Estado – TCE – do Pará, os estados deixaram de arrecadar, ao longo dos anos, R$ 812 bilhões com a Lei Kandir e receberam do governo federal apenas R$ 175 bilhões. Um déficit de R$ 637 bilhões”, destacou o senador.

Um relatório do Banco Central revela que a dívida total dos estados é de R$ 662 bilhões. Heinze apresentou a situação do RS que é o 4º maior devedor. Conforme o parlamentar, um estudo do auditor fiscal aposentado, João Pedro Casarotto, aponta que em dezembro de 2017, o estado tomou R$ 32,6 bilhões. Desse dinheiro, já pagou R$ 42,2 bilhões, devendo, em dezembro de 2017, R$ 58 bilhões. “É um desequilíbrio muito grande nessa matemática. Se pegarmos de janeiro de 1999 até dezembro de 2017, foram 1.379% entre juros e indexadores. A inflação no período foi de 237%, a poupança 341% e o IGP-DI 342%”, concluiu o senador. Heinze ainda falou sobre a necessidade de um encontro entre o ministro da Economia, senadores e governadores, já previsto no requerimento inicial apresentado na Comissão de Assuntos Econômicos.

Porto Alegre: Medalha da Cidade homenageia 14 personalidades

Porto Alegre: Medalha da Cidade homenageia 14 personalidades

Agenda Cidade Cultura Destaque Marchezan Poder Política Porto Alegre prefeitura

Um dos destaques mais tradicionais das comemorações da Semana de Porto Alegre é a entrega da Medalha Cidade de Porto Alegre. Anualmente, personalidades e instituições  ligadas às diversas áreas do conhecimento, como arte, administração, jornalismo, assistência social e cultura e educação, são homenageados. A Medalha da Cidade, foi Instituída pelo Decreto Municipal 6.202, de 25 de novembro de 1977. Concebida pelo artista plástico Nelson Jungbluth traz em sua arte motivos ligados aos valores da pessoa e da natureza e é considerada a mais alta honraria da cidade.

Neste ano, 14 personalidades serão homenageadas em cerimônia marcada para quinta-feira, 28, a partir das 20h, na Fundação Iberê Camargo (av. Padre Cacique, 2000).  Até 2018, receberam a honraria  639 pessoas e 107 entidades.

Os agraciados de 2019

IrmãPierina
Irmã Pierina Lorenzoni – Diretora da Pequena Casa da Criança

Rui Vicente Oppermann – Reitor da Ufrgs
Evilázio Teixeira – Reitor da Pucrs
Marcelo Fernandes De Aquino – Reitor da Unisinos
Genoveva Guidolin (Genô)  – Professora
Ivan Marques –  Servidor Público/Guarda Municipal
Arlindo Fernando Da Silva Mença – Carnavalesco/Presidente da Uecgapa
Nora Teixeira – Empresária
Arlete Fante – Gestora De Saúde Mental /Aesc
Ida Celina – Atriz
Edemir Simonetti – Empresário
Luiz Ricardo Tatsch Selli (In Memoriam) – Servidor Público / Dmae
Cláudio Roberto Pagno – Idealizador Do Projeto Vó Chica
David Coimbra – Jornalista

Vereadores aprovam quatro títulos de Cidadão de Porto Alegre

Vereadores aprovam quatro títulos de Cidadão de Porto Alegre

Agenda Cidade Notícias Poder Política

Os vereadores de Porto Alegre aprovaram esta semana a concessão de quatro títulos de Cidadão de Porto Alegre. De autoria do vereador Idenir Cecchin (MDB), dois deles agraciaram com a honraria o presidente da Fecomércio, Luiz Carlos Bohn, e o chefe do Serviço de Cardiologia do Hospital São Lucas da PUCRS, Luiz Carlos Bodanese.

Bohn
Presidente da Fecomércio, Luiz Carlos Bohn

O terceiro título foi concedido ao cientista político Percival Oliveira Puggina, por iniciativa do vereador Ricardo Gomes (PP), e o quarto agraciou o presidente da Federação Sindical dos Servidores Públicos do Rio Grande do Sul, Sérgio Arnoud, com matéria de autoria do vereador Márcio Bins Ely (PDT).

Trump: A verdade tarda, mas chega; por Glauco Fonseca

Trump: A verdade tarda, mas chega; por Glauco Fonseca

Agenda Artigos Destaque Mundo Negócios Opinião Poder Política

Desde o início do governo Trump, ele vem sendo fustigado violentamente pela mídia americana (exceção à Fox News e outros pequenos blogs e sites), pelo Partido Democrata, pela elite de Hollywood e pela esquerda internacional, tudo por conta de supostos “conluios” com os russos, que teriam sido responsáveis pelo resultado das eleições em que Trump saiu vitorioso.

Houve inclusive investigações ao longo de mais de dois anos, tudo a partir de um suposto dossiê que teria sido entregue ao FBI por um ex-agente secreto britânico, onde estariam relacionadas todas as “falcatruas” de Trump antes e depois das eleições.

A história é longa demais e com personagens demais para serem contados aqui. Segue um pequeno resumo:

1) Descobriu-se que o dossiê era fabricado e mentiroso, pago por Hillary Clinton e pelo Partido Democrata;

2) Este dossiê foi utilizado pelo FBI e pelo governo Obama para investigar membros da campanha de Trump por um tribunal especial, que fora enganado para autorizar tais investigações.

3) Já se descobriu que todos os envolvidos na perseguição a Trump estavam a serviço de uma CERTEZA de vitória de Hillary, o que não aconteceu.

4) Depois de iniciada a fraude do dossiê, eles não puderam voltar atrás e iniciaram outra investigação, que já dura dois anos e cujos os resultados – ZERO ABSOLUTO – serão apresentados aos americanos nos próximos dias.

Portanto, nada houve e há contra Donald J. Trump. Nada. Nenhum conluio, nada de corrupção, nada, ABSOLUTAMENTE NADA.

Este é o resumo do resumo.

A mídia internacional está em PÂNICO, pois sabe que o “Muller Probe” terá resultados conhecidos em breve e NADA terá contra Trump. Os democratas americanos estão em estado de pavor, pois já sabem que não têm chance contra a reeleição de Donald Trump. A elite americana, principalmente do nordeste americano e da Califórnia, está deprimida e apoiando candidatos obscuros e socialistas de extrema esquerda, que sempre foram e serão rechaçados pelos eleitores americanos.

Eis porque o governo Bolsonaro se alia e apoia o governo limpo, ousado, vitorioso e espetacular de Trump.

E esta aproximação com os EUA é vital para o futuro do Brasil.

Glauco*Glauco Fonseca, Headhunter e diretor da Strainer Talentos Estratégicos


Porto Alegre: Bancada do PP propõe rua da Legalidade e da Democracia na Hípica

Porto Alegre: Bancada do PP propõe rua da Legalidade e da Democracia na Hípica

Cidade Destaque Poder Porto Alegre prefeitura

Está em tramitação, na Câmara Municipal de Porto Alegre, projeto de lei de autoria da Bancada do PP que denomina Rua da Legalidade e da Democracia o logradouro público cadastrado conhecido como Rua Sete Mil e Noventa e Três, localizado no Bairro Hípica.

546f74fe7b9cc5.13932619
Equipes de sinalização da EPTC instalaram e depois retiraram placas com o nome de Avenida da Legalidade e da Democracia, na hoje Avenida Castelo Branco. Foto: Cristine Rochol/PMPA

Na exposição de motivos, os vereadores contam a história da democracia do país, desde o final do Império até o governo de Getúlio Vargas. O projeto fala sobre a democratização de 1945, que derrubou o Estado Novo, regime ditatorial de Vargas, e conta a história da Campanha da Legalidade, movimento civil-militar liderado pelo então governador do Rio Grande do Sul, Leonel Brizola, e pelo general José Machado Lopes. Seu objetivo era garantir a posse do então vice-presidente da República, João Goulart, após a renúncia do presidente Jânio Quadros.

 

Porto Alegre: Prefeitura publica novas regras para padrão de vestimenta dos taxistas; por Mauren Xavier/Correio do Povo

Porto Alegre: Prefeitura publica novas regras para padrão de vestimenta dos taxistas; por Mauren Xavier/Correio do Povo

Cidade Destaque Poder Política Porto Alegre prefeitura

Os taxistas homens poderão utilizar novamente bermudas no período do verão e as mulheres terão uma nova padronização de vestimentas em Porto Alegre. As novas regras deverão ser publicadas no Diário Oficial de Porto Alegre até a próxima segunda-feira pela Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), atendendo a uma solicitação dos próprios profissionais. Segundo a resolução, a bermuda deverá ser de jeans, sarja ou social em qualquer cor. É necessária que seja lisa e com comprimento sobre o joelho, ou abaixo deste.

No caso das mulheres, as regras vão valer para o ano inteiro. Uma reclamação das profissionais era que as roupas eram consideradas “masculinizadas”. A partir de agora, elas poderão usar blusa com colarinho em qualquer cor, única (lisa); camisa com colarinho em qualquer cor, única (lisa); saia de comprimento abaixo do joelho em qualquer cor, única (lisa); calça feminina do tipo “pescador”, em qualquer cor, única (lisa); colete, em qualquer cor, única (lisa); sapatilhas e sandálias presas ao pé, exceto do tipo chinelo.

A reportagem completa está no Correio do Povo.

RS: Campanha da ONU #ElesPorElas alerta veranistas gaúchos sobre violência contra mulher

RS: Campanha da ONU #ElesPorElas alerta veranistas gaúchos sobre violência contra mulher

Agenda Notícias Poder Segurança

Verão, praia, mar, sol e nada de machismo. Essa é a proposta da segunda edição do projeto Verão Sem Machismo, que chega ao litoral gaúcho neste final semana com ações na sexta, sábado e domingo nas praias de Torres, Capão da Canoa, Imbé, Tramandaí e Itapuã, em Viamão. O Movimento mundial da ONU Mulheres, Eles por Elas (HeForShe) é um esforço global criado em 2014 para difundir a conscientização e promover a responsabilidade de homens e meninos para a eliminação de todas as formas de discriminação e da violência contra as mulheres e meninas. O Rio Grande do Sul foi o primeiro estado do país a aderir ao ElesPorElas, em 2015. O Comitê Gaúcho é composto por empresas, universidades, instituições públicas, artistas, veículos e comunicação e clubes da dupla Grenal.

Nas atividades, equipes do Comitê Gaúcho Impulsor ElesPorElas, integrante do movimento mundial ElesPorElas, da ONU Mulheres Brasil, vão alertar aos veranistas sobre os diferentes tipos de agressões contra meninas e mulheres, e orientar como procurar ajuda e denunciar a violência. Serão realizadas caminhadas na orla, conversas com veranistas e distribuição de material informativo com os números da violência contra as mulheres no Rio Grande do Sul.

Nos últimos quatro anos, foram registrados no estado o assassinato de 356 mulheres, vítimas de feminicídio. A média é uma mulher morta a cada quatro dias em crimes cometidos por parceiro ou ex-parceiro. No mesmo período foram registrados 6.149 estupros, média de quatro por dia. Já o número de agressões com lesão no período foi de 87.480, média de 59 mulheres por dia. Os dados são da Secretaria de Segurança Pública do RS, em balanço feito pelo Comitê ElesPorElas para divulgar campanha contra o machismo e alertar a população a respeito dos índices alarmantes de violência e preconceito contra as mulheres.

Artigo: O Estadista; por Flavio Ernesto Correa*

Artigo: O Estadista; por Flavio Ernesto Correa*

Agenda Artigos Destaque Direito Economia Poder Política

 

Uma das coisas que mais me chamou a atenção positivamente, e que parece ter passado batido, foi a revelação feita pelo General Heleno, em brilhante entrevista concedida à Globo News na quarta-feira, quando, referindo-se a Bolsonaro, disse que “não passa pela cabeça dele a reeleição para que tenha liberdade e autonomia para tomar decisões sem essa preocupação”. Parece que estamos arriscados a ter no Capitão a figura do estadista que há décadas almejamos e precisamos. Benjamin Disraeli, Primeiro Ministro britânico no século XIX e autor da frase que diferencia político de estadista (“político só pensa nas próximas eleições, estadista pensa nas próximas gerações”), deve ter se remexido no túmulo num surto de alegria, por ver que finalmente no Brasil um chefe do executivo recém eleito captou a mensagem.
É bom frisar que Bolsonaro disse reiteradamente em sua vitoriosa campanha que não seria candidato à reeleição. Eleição, aliás, que apesar de ser em 2022, já começa a ser acirradamente disputada antes mesmo do novo governo federal se instalar. Nas conversas de botequim já pintam nomes como Sérgio Moro e João Doria, só para citar alguns. Deus ajuda quem cedo madruga, não é mesmo?
Bolsonaro sabia muito bem disso quando há quatro anos começou a percorrer o país tentando viabilizar uma candidatura que naquele momento parecia impossível.
O Presidente é mesmo fã de Disraeli: “O segredo do êxito na vida de um homem está em preparar-se para aproveitar a ocasião, quando ela se apresenta”.

Foi o que ele fez.

Conseguiu captar nas ruas o desejo de mudança.

E mudança é justamente o que ele está fazendo, dando uma guinada à direita e implantando um programa liberal “como nunca se viu antes na história deste país”. Está provado que os programas de esquerda não deram certo. O atual tem que dar certo. O Brasil não pode mais esperar pela sua merecida prosperidade com justiça social, sob pena de sentenciar as futuras gerações à pobreza, que está avançando a passos largos, e ao eterno subdesenvolvimento. É preciso que o novo governo continue merecendo o voto de confiança que as urnas lhe deram. É impatriótico desencadear uma oposição xiita e irresponsável quando ainda não deu tempo de mostrar serviço. Afinal, se o resultado do serviço for bom todos nós nos beneficiaremos. Somos uma sociedade só. Como diria Renato Russo: “torcer para que o novo governo dê errado é desejar que o prédio em que mora desabe só porque não gosta do síndico”. É constrangedor fazer beicinho como fez o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que não compareceu à posse. Transformou-se numa melancólica ausência que preencheu uma lacuna.
A verdade é que a gestão Bolsonaro está começando com o pé direito, sem medo de enfrentar o “establishment” que rapinou vorazmente os cofres públicos, roubando descaradamente o nosso dinheiro e lesando especialmente os mais pobres, que tanto necessitam dos serviços públicos.

Bolsonaro está inovando.

Como na cerimônia de posse, quando, no Parlatório, foi precedido pelo inesperado discurso da primeira dama, que a todos encantou e emocionou. Entendi melhor a fala em Libras de Michelle Bolsonaro do que os discursos de Dilma Rousseff “em português”…
É claro que a parada não vai ser fácil. Enfrentar a bandidagem, de colarinho branco ou não, é tarefa heroica. Leis mais duras contra a corrupção, por exemplo, sofrerão forte oposição de boa parte do Congresso, que tem o rabo preso e morre de medo da ir parar atrás das grades, destino inexorável dos malfeitores que julgavam estar protegidos pela “eterna” impunidade, que parecia “imexível”, como diria o Ministro Magri.
Esta horda de criminosos ainda acha que o Supremo, no dia 10 de abril, vai se apequenar definitivamente revertendo a possibilidade de prisão para condenados em segunda instância, espada de Dâmocles que ainda paira sobre a nossa cabeça e que poderá liberar quase 170 mil presos, liderados por Lula, e ferir mortalmente a Lava Jato. Só que desta vez não vamos aceitar e, se preciso for, iremos à Brasília para impedir que este descalabro seja consumado. Os nossos 11 Supremos (cada ministro tem o seu) estão cutucando o leão com vara curta.

Há que ressaltar a fala de Paulo Guedes, quando afirma, entre tantas outras coisas relevantes, que sem a reforma da previdência não há salvação. E grifar suas palavras quando lembra que o sistema atual é uma grande fábrica de injustiças. Quem legisla (os deputados e senadores) e quem decide (o judiciário) ganham aposentadorias milionárias enquanto o povo, que paga os seus salários, tem que se contentar com mixaria.
Será que Paulo Guedes, apoiado por todo o governo, terá força para ganhar a batalha contra as famigeradas corporações que até hoje dominam o Planalto Central e que fazem de Brasília, que não produz nada, o maior PIB do Brasil?

A opinião pública certamente estará ao seu lado.

É bom lembrar que a caça aos marajás elegeu o desconhecido Fernando Collor em 1989. É exatamente isso que continuamos querendo.
Parafraseando Duda Mendonça, “deixem os homens de Bolsonaro trabalhar”.
É grande a chance do estadista e seu “dream team” darem certo.

 

índice*Flavio Ernesto Correa (Faveco) é publicitário