Ideias que vão mudar o futuro da educação passaram pelo Sesi com@Ciência esta semana na Fiergs

Ideias que vão mudar o futuro da educação passaram pelo Sesi com@Ciência esta semana na Fiergs

Educação Negócios Notícias Poder Política Porto Alegre Tecnologia Trabalho

Os números do Sesi com@Ciência 2019 mais do que confirmam a necessidade de tornar a educação um foco definitivo de atenção da sociedade. Em apenas dois dias de programação totalmente gratuita e de múltiplas atividades, o Centro de eventos FIERGS, em Porto Alegre, recebeu 11 mil pessoas, 200 projetos, protótipos de 28 cidades na Mostra Científica, desenvolvidos por 832 estudantes que frequentam algum programa educacional do Serviço Social da Indústria (Sesi-RS), e 35 palestrantes e painelistas. “Em relação ao primeiro ano do evento, o público mais do que dobrou. É com satisfação que comemoramos, pois este é um marco histórico. O futuro só virá com coisas boas se trabalharmos para isso e a educação pode, e deve ser prioridade”, comentou o presidente da FIERGS, Gilberto Porcello Petry. Desde os pequenos da modalidade Contraturno Escolar, aos jovens das Escolas Sesi de Ensino Médio, até os alunos da Educação de Jovens e Adultos (EJA) de todo o Estado, professores da rede e também de escolas privadas e públicas, gestores em educação e pais, o Sesi-RS mobilizou este público para um objetivo comum: desenvolver e melhorar os caminhos da educação no Brasil. “É  muito bom poder dizer que é para o Brasil e não somente para o Rio Grande do Sul”, destacou o superintendente do Sesi-RS, Juliano Colombo.

IMG_1583
Foto: Dudu Leal

Colombo fez referência ao reconhecimento e recomendação por parte da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), uma área de extrema relevância no Ministério da Educação, para o modelo de consultoria de educação do Sesi-RS junto à prefeitura da cidade de Panambi. Neste aspecto, vale observar que o Sesi-RS tem feito esforços há alguns anos para chegar a esses resultados. “No caso de Panambi, a comunidade entendeu a urgência que é a educação como cidade e que não cabe a ninguém ficar de fora, professores, alunos, pais e empresários”, complementa a gerente da área de educação do Sesi-RS, Sônia Bier.
Em relação aos temas tecnológicos, algumas das palestras da segunda edição do Sesi com@Ciência chegaram a emocionar professores e jovens na  plateia. A educadora Debora Garofalo, que atua há 14 anos na rede pública de São Paulo e foi considerada uma das dez melhores professoras do mundo pelo Global Teacher Prize 2019, foi uma delas. Em sua apresentação, ela contou sobre a experiência de dar aula de tecnologias na Comunidade Alba, na periferia de São Paulo, que apresenta um dos maiores índices de violência urbana e tráfico de drogas na cidade.
Segundo ela, o local, que fica na Zona Sul da capital paulista, próximo a bairros nobres como Jabaquara, e do Parque Ibirapuera, sequer tem saneamento básico. E as crianças vivem uma realidade ainda mais dura. “70% dos pais ou mães das crianças estão presos. A escola estava rodeada de lixo, o que provocava mau cheiro, doenças e alagamentos em dias de chuva. Tive a ideia de transformar esse lixo em robótica”, contou. A princípio, os alunos não gostaram da proposta, de ir recolher lixo nas ruas. Ela sugeriu, então, que eles levassem os celulares e fotografassem a missão. O resultado é que não só registraram o lixo e a sucata, como também passaram a refletir sobre a situação em que viviam.
Em outro momento, a professora coordenadora da Área de Matemática do Programa de Formação de Professores do Sesi-RS, Mônica Bertoni, ministrou a “Oficina Construção de Modelos Mentais”. Ela tem 81 anos e é percebida no meio pedagógico como um exemplo de busca pelo conhecimento e adaptação aos novos tempos. Quando completou 80 anos, Mônica foi para a Universidade de Stanford, nos EUA, para fazer mais um curso de aperfeiçoamento.  Entre autoridades e nomes conhecidos que realizaram palestras no Sesicom@Ciência, o navegador Amir Klink, um dos grandes ícones da superação de desafios pessoais, declarou o quanto aprendeu ao mergulhar em busca de conhecimento em livros e pesquisas durante o planejamento de suas viagens. Ele disse que primeiro é preciso construir seu próprio barco para depois poder velejar e seguir em sua viagem. “No mar, não é possível cortar caminho. E na educação também não é possível. Temos que construir o caminho”, concluiu.
O Sesi com@Ciência reforçou a importância do Sesi-RS como um propulsor da qualificação da educação do Rio Grande do Sul. Em relação à educação pública, um exemplo desse movimento é a parceria com a Secretaria Estadual de Educação (Seduc) e a Capes na realização da Formação Continuada de Professores e Gestores da Rede Pública de Ensino do Rio Grande do Sul, para qualificar diretores e professores em módulos de gestão escolar, culturas juvenis, projetos e tecnologias, a partir da metodologia das Escolas Sesi de Ensino Médio.

Advogado de Flávio Bolsonaro quer achar ‘mandante’ de Adélio Bispo: ‘Atendado terrorista contra Bolsonaro’; da Jovem Pan

Advogado de Flávio Bolsonaro quer achar ‘mandante’ de Adélio Bispo: ‘Atendado terrorista contra Bolsonaro’; da Jovem Pan

Destaque Direito Poder Política

Advogado do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) nas investigações sobre sua quebra de sigilo bancário, Frederick Wassef se tornou, também, defensor do presidente Jair Bolsonaro (PSL) e agora representa o chefe do Executivo no caso Adélio Bispo.

Em entrevista ao Jornal da Manhã desta quarta-feira (2), Wassef declarou que, mesmo com caso já encerrado, vai trabalhar “pelos interesses do presidente”, uma vez que tem “certeza absoluta” de que Adélio foi apenas o executor do crime e que há um mandante. “A minha convicção pessoal após mais de 25 anos na advocacia criminal é que temos elementos suficientes para entender que seria impossível ele ter agido sozinho”, afirma.

Clique aqui, leia a íntegra e ouça a entrevista no site da Jovem Pan.

Luciano Hang anuncia que vai pagar defesa de Gilberto Alves Junior. Deputado josé Guimarães deve processar o homem que viralizou vídeo chamando ele de ‘Capitão Cueca’

Luciano Hang anuncia que vai pagar defesa de Gilberto Alves Junior. Deputado josé Guimarães deve processar o homem que viralizou vídeo chamando ele de ‘Capitão Cueca’

Destaque Direito Poder Política Tecnologia Trabalho Vídeo

O empresário Luciano Hang anunciou em suas redes sociais que se Gilberto Alves Junior quiser ele patrocinará os advogados para defende-lo contra o processo que será movido pelo deputado federal José Guimarães (PT-CE). Durante voo entre Fortaleza e Brasília, na noite de 2ª feira (30/09), Gilberto Alves Junior, que viajava ao lado do parlamentar gravou um vídeo que viralizou onde chama José Guimarães de “corrupto” e “capitãocueca”.

“Eu estou do lado do capitão cueca, que foi pego com dinheiro na cueca aqui, ó. É o Zé Guimarães do PT, que roubou o Brasil inteiro, mandou dinheiro pra Cuba, para Venezuela”, disse.

Na chegada ao Aeroporto de Brasília, Guimarães anunciou que processaria Gilberto Alves Junior. O deputado federal registrou boletim de ocorrência na sede da Polícia Federal, por se sentir segundo ele “insultado”com o que ouviu durante o voo.

 

‘Nenhum partido presta, nem o meu’, diz deputado Boca Aberta. Em entrevista ao Pânico, o deputado federal do PROS falou sobre sua atuação no Congresso; por Jovem Pan

‘Nenhum partido presta, nem o meu’, diz deputado Boca Aberta. Em entrevista ao Pânico, o deputado federal do PROS falou sobre sua atuação no Congresso; por Jovem Pan

Notícias Poder Política

O deputado federal Boca Aberta (PROS-PR) criticou, em entrevista ao Pânico, nesta sexta-feira (27), os partidos políticos e disse que todos são ruins.

“Nenhum partido presta, nem o meu”, afirmou o parlamentar. Ele destacou que não recebeu apoio partidário para se eleger deputado nas eleições do ano passado. “Ganhei a eleição rompendo o sistema, quebrando barreira”, disse. “Sem grupo econômico, sem apoio de grupo político, levando a campanha no peito”, continuou.

O congressista defendeu ainda a candidatura avulsa, em que os candidatos não precisam ser filiados a partidos políticos para concorrerem a cargos eletivos. “Sou adepto e vou batalhar muito pela candidatura avulsa”, prometeu. “Se partido fosse bom, não seria partido, seria inteiro”, ironizou.
Trabalho na Câmara

Boca Aberta também comentou seu trabalho na Câmara dos Deputados e defendeu os altos gastos de seu gabinete. Ele é um dos deputados federais que mais utiliza as verbas parlamentares.

Clique aqui leia mais informações e ouça a entrevista no site da Jovem Pan.

Governador do Rio quer processar Paraguai na ONU por tráfico de armas

Governador do Rio quer processar Paraguai na ONU por tráfico de armas

Destaque Poder Política Segurança Tecnologia
O governador do Rio Wilson Witzel pretende processar o Paraguai junto à Organização das Nações Unidas (ONU) pelo tráfico de armas ao Brasil, um dos principais vetores de violência no estado, segundo ele. Witzel disse que uma das soluções é fechar com forças de segurança a fronteira paraguaia e se prontificou em enviar policiais do estado para ajudar na tarefa. Ele falou com a imprensa nesta sexta-feira (27), no Palácio Guanabara, após um evento dirigido a empresários.

“Vamos fechar a fronteira com o Paraguai. Não comercialmente, mas policialmente. Eu colaboro, mando policiais para a fronteira. E vou pedir a outros estados que mandem policiais para lá. Não é possível que o Brasil continue sangrando com essas armas e ninguém faça nada. Determinei à Procuradoria-Geral do Estado que iniciasse estudos para nós representarmos o Paraguai perante a ONU e a Corte Interamericana dos Direitos Humanos. O Paraguai é um grande comerciante de armas e não tem controle para quem as vende. As armas do Paraguai, dados da Polícia Rodoviária Federal, indicam que vêm pela fronteira à vontade”, disse Witzel aos jornalistas.

Questionado como faria isso, Witzel salientou que a violência no Rio de Janeiro não é responsabilidade exclusivamente do governador, mas de todos, principalmente do governo federal.

“Não sou eu que patrulho fronteiras. Não sou eu que determino o que a Polícia Federal tem que investigar. A responsabilidade da fronteira não é minha e a responsabilidade por processar o Paraguai nem é minha. É o Ministério das Relações Exteriores que deve tomar as providências para orientar o presidente da República a exigir do Conselho de Segurança da ONU retaliações ao Paraguai, à Colômbia e à Bolívia pelo tráfico de armas e de drogas que inundam a América do Sul”, declarou Witzel.

Além de responsabilizar os países sul-americanos pelo tráfico de drogas e de armas, o governador do Rio também pretende processar as fábricas de armas, por comercializarem seus produtos a países que não controlam o destino das mesmas.

“Determinei um estudo, se for o caso a contratação de um escritório, para processar as empresas que vendem essas armas de forma irresponsável para esses países que não têm controle da venda de armas. Serão processadas, em cortes internacionais, com indenização ao povo do Rio de Janeiro. Porque essas famílias que estão sangrando não podem ficar apenas como mais um dado na estatística. Nós não vamos mais ficar calados. Vamos enfrentar essa questão nas cortes internacionais, nas sedes dessas empresas, porque elas têm que ser responsabilizadas. Esses fuzis não são produzidos no Brasil”, disse.

Metrô

Em outro assunto abordado na coletiva com os jornalistas, o governador anunciou que pretende terminar a Estação Gávea, da Linha 4 do metrô, até o próximo ano. Depois de inicialmente ter dito que aterraria o buraco da estação, por falta de dinheiro para terminá-la, Witzel mudou de ideia e revelou que terá dinheiro para começar as obras ainda este ano. Ele esteve em Brasília para tratar do repasse de royalties do petróleo para o estado referentes aos leilões do pré-sal.

“O advogado-geral da União me disse que já estava ultimando o parecer para que nós possamos ter em torno de R$ 350 milhões, imediatamente, e iniciarmos as obras da Linha 4 do metrô, para finalizar a estação da Gávea. Vão faltar outros R$ 400 milhões ou R$ 600 milhões, mas como nós vamos receber de bônus de assinatura 3%, o que vai dar em torno de R$ 2,5 bilhões, vamos ter que investir isso em obras. Com mais um ano, estaremos inaugurando a Linha 4 da Gávea. Acredito ser possível iniciar as obras ainda este ano”, contou o governador. (Agência Brasil)

Porto Alegre: CRESCE/RS nasce como um Conselho de Estado, não de Governo, diz Lara, em encontro do LIDE RS com empresários

Porto Alegre: CRESCE/RS nasce como um Conselho de Estado, não de Governo, diz Lara, em encontro do LIDE RS com empresários

Destaque Negócios Poder Política Porto Alegre

Convidado para falar sobre o projeto CRESCE RS, o presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul, Luis Augusto Lara, participou nesta quinta-feira, 26, do café empresarial do LIDE RS, realizado no Porto Alegre Country Club. Cerca de 80 pessoas entre empresários, autoridades e imprensa ouviram atentamente os detalhes do CRESCE RS, que tem como finalidade monitorar e destravar o andamento de investimentos governamentais, que irão gerar emprego e renda e melhores condições de infraestrutura para o Estado nos próximos anos.

-h_pYc_g“O CRESCE RS surgiu, recentemente, da união de esforços do poder público e privado para que, mais rapidamente, o Estado cresça e se desenvolva, disse Lara, explicando que esta ação “é, na verdade, um Conselho de Estado, não de Governo, que conseguiu identificar prioritariamente uma carteira de 18 itens de investimentos, que se encontram paralisados em três grandes áreas: Infraestrutura e Logística, Desburocratização e Fomento dos Bancos Públicos”. Segundo o deputado, o movimento gerado pelo CRESCE RS já está produzindo uma intensa agenda de trabalho, com resultados visíveis, como é o caso do monitoramento da extensão da pista do Aeroporto Salgado Filho.

Aos empresários, Lara destacou que, no Brasil, “este talvez seja um dos melhores  momentos, pelo ambiente propício aos investimentos, na medida em que o Governo Federal dá mais liberdade aos empresários, elevando o nível de desburocratização para quem quer trabalhar e empreender. A burocracia é um dos gargalos principais aqui no RS”, destaca.

Na mesma linha, o presidente do LIDE RS, afirma que o Rio Grande do Sul sofre com o excesso de burocracia e morosidade na resolução de projetos que geram desenvolvimento. “Precisamos de ações voltadas para a reformulação do modelo do Estado, como o Cresce RS, que objetiva um ambiente mais saudável para a execução de projetos.” Para ele, o debate com empresários é extremamente importante para se alcançar o crescimento esperado e trazer de volta o protagonismo para o Estado no cenário nacional.

Viés ideológico transforma votos do Brasil na ONU; por Jamil Chade/UOL

Viés ideológico transforma votos do Brasil na ONU; por Jamil Chade/UOL

Destaque Mundo Política
O Itamaraty decidiu modificar nesta quinta-feira seus votos na ONU, inclusive sobre temas com os quais concorda e resoluções que tradicionalmente apoiou. O motivo: eram temas propostos pelo governo de Cuba.
A atitude chamou a atenção de diplomacias de outras regiões, acostumadas a ver o Brasil adotando posturas de princípio e evitando politizar o debate sobre os direitos humanos. A mudança de votos é um reflexo direto da contaminação ideológica da política externa brasileira, que passou a ver o “socialismo” como uma ameaça.
No Conselho de Direitos Humanos da ONU, três resoluções diferentes foram propostas por Havana, o que já é uma tradição no organismo internacional.
Prefeito de Bagé é afastado do cargo pelo Ministério Público; por Jéssica Moraes/Rádio Guaíba

Prefeito de Bagé é afastado do cargo pelo Ministério Público; por Jéssica Moraes/Rádio Guaíba

Notícias Política Trabalho

O prefeito de Bagé, Divaldo Vieira Lara, foi afastado do cargo, pelo prazo mínimo de 180 dias. A medida cautelar foi cumprida pelo Ministério Público (MP), nesta quarta-feira. O MP ofereceu duas denúncias que envolvem crimes licitatórios, de responsabilidade, desvio de verbas públicas e organização criminosa. A decisão também mantém o afastamento do ex-secretários municipais de Finanças, José Otávio Ferrer Gonçalves, e do Meio Ambiente, Aroldo Quintana Garcia.

Além do prefeito de Bagé, também foram denunciados a ex-diretora-geral da Câmara de Vereadores de Bagé, Carla Almeida Caetano Gonçalves. Os empresários Ronaldo Burns Costa e Silva, Rogério dos Anjos Meirelles, Cassius Fagundes Reginatto e Paula Lopes Groeger.

Além deles, o ex-diretor do Departamento de Águas e Esgotos de Bagé, Volmir Oliveira Silveira, e o ex-secretário da Fazenda, Aurelino Brites Rocha. Também foi denunciado o servidor público municipal Giovani Soares de Morales, o funcionário público Glademir Silva Leal e o atual secretário Municipal do Meio Ambiente, Nael Abd Ali.

Porto Alegre: Patinetes terão de atender também pessoas de baixa renda

Porto Alegre: Patinetes terão de atender também pessoas de baixa renda

Cidade Comunicação Marchezan Notícias Política Porto Alegre

As empresas interessadas em oferecer o serviço de patinetes e bicicletas sem estação física em Porto Alegre terão que apresentar projetos que beneficiem também a população de menor poder aquisitivo. Ao assinar o decreto que regulamenta a utilização desses meios de transporte, na tarde desta segunda-feira, 23, o prefeito Nelson Marchezan Júnior enfatizou que, ao encaminhar o pedido de credenciamento, as empresas terão de informar de que maneira atenderão as pessoas que podem ter dificuldade de alcance aos equipamentos por morarem em bairros mais afastados ou por questões financeiras.

“É um projeto social para favorecer as pessoas mais humildes a terem acesso a essa alternativa de mobilidade, que é também de lazer, de realização pessoal e de humanização da cidade”, afirma o prefeito.

Desde fevereiro, o serviço operava em fase de testes em Porto Alegre. A proposta da prefeitura foi elaborar um regramento o menos restritivo e burocrático possível, para viabilizar o crescimento dessas e de outras opções como meio de transporte, conforme explica o secretário extraordinário de Mobilidade Urbana, Rodrigo Tortoriello.

imagem201124
“Recolhemos sugestões e críticas, tanto de empresas que querem trabalhar no setor como de usuários, e assim conseguimos formatar uma estrutura jurídica bem adequada ao interesse público”, diz Marchezan. Foto: Joel Vargas/PMPA

O decreto que agora regulamenta as regras de utilização dos equipamentos busca garantir a segurança de usuários e pedestres, estabelecendo direitos, deveres e normas de circulação em vias públicas. As bicicletas elétricas só podem circular em ciclofaixas, ciclovias, ruas e avenidas com velocidade máxima de 25 quilômetros por hora. No caso dos patinetes, nas calçadas, a velocidade máxima é de 6 quilômetros por hora e em ciclovias e ciclofaixas, de 20 quilômetros por hora. Está vedada a circulação em ruas e avenidas. Os condutores serão recomendados a usar capacetes como proteção. A sinalização deverá ser feita pelas operadoras do serviço, que também terão a responsabilidade de promover iniciativas permanentes de educação aos usuários.

Para definição do regramento, foi também realizada consulta pública. “A ideia foi utilizar a transparência como ferramenta para acertar mais e errar menos, aproveitando aquilo que já deu certo no Brasil e no mundo e evitando aquilo que deu errado. Também recolhemos sugestões e críticas, tanto de empresas que querem trabalhar no setor como de usuários, e assim conseguimos formatar uma estrutura jurídica bem adequada ao interesse público”, diz Marchezan.

Segundo o gerente de desenvolvimento e inovação da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Augusto Langer, as normas de utilização dos patinetes e bicicletas compartilhados foram elaboradas de modo a assegurar a preferência sempre ao pedestre. A decisão de adotar um período de testes, de acordo com o diretor-presidente da EPTC, Fabio Berwanger Juliano, foi porque o entendimento era de que seria preciso primeiro conhecer mais a fundo o sistema para então buscar as regras mais adequadas.

“No país inteiro, onde quiseram dar respostas muito rápidas, a regulamentação acabou tendo problemas. Aqui, buscamos o equilíbrio entre trânsito e segurança, e para o convívio harmônico e pacífico entre usuários e pedestres. Há espaço para todos. É só as pessoas se respeitarem”, diz ele.

Também estiveram presentes na cerimônia de regulamentação do decreto o secretário municipal adjunto de Infraestrutura e Mobilidade Urbana, Nelcir Tessaro; o secretário municipal de Comunicação, Orestes de Andrade Jr.; o diretor de Operações da EPTC, Paulo Ramires; os sócios fundadores da startup Volta E-Bike de Porto Alegre, Marilin Moura Parode e Farlei Fischer; e os sócios fundadores da Adventure de Porto Alegre, representando a Flipon Startup SP/Brasil, Jeferson da Silva Rebelo e Eliakim Fernando Gonçalves Alvarez.

Porto Alegre: Secretária Nacional da Justiça fala sobre projeto anticrime e Pacto pela Mulheres na ACPA

Porto Alegre: Secretária Nacional da Justiça fala sobre projeto anticrime e Pacto pela Mulheres na ACPA

Destaque Política Segurança Trabalho

A Secretária Nacional da Justiça do Ministério da Justiça e Segurança Pública, Maria Hilda Marsiaj, entende que o governo federal só pode enfrentar o crime organizado, a violência, com medidas fortes e confisco do dinheiro, “que retroalimenta o crime”.

Ela palestrou nesta segunda-feira, 23/09, no MenuPoa, promovido pela Associação Comercial de Porto Alegre sobre o projeto anticrime do ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sergio Moro, que propõe a alteração parcial de 14 leis, envolvendo o combate a corrupção, combate a crimes violentos e combate a organizações criminosas. E explicou também o projeto Pacto pelas Mulheres.

LV_02228 _20x30_ @LuisVentura2019
Maria Hilda Marsiaj e Paulo Afonso Pereira Foto: Luis Ventura

O presidente da ACPA Paulo Afonso Pereira abriu evento, realizado no Salão Nobre do Palácio do Comércio, afirmando que a punição e o afastamento da vida pública dos agentes corruptos de forma célere, como aconteceu na Operação Lava Jato, mudou um paradigma da vida política brasileira, que era a impunidade.  “Além disso, induz ao servidor a agir visando o interesse público e não se servir.” Para ele, neste momento, tanto o Judiciário como o Legislativo precisam ajudar para a aprovação das reformas tão necessárias para que a País retome o crescimento.

Segundo Maria Hilda Marsiaj, o projeto anticrime aumenta as possibilidades de aceleração dos acordos entre o Ministério Público e os réus; ataca a parte financeira das organizações criminosas e endurece o regimento de cumprimento de pena.

A segunda metade de sua palestra foi sobre o Pacto pelas Mulheres, que visa a implementação de políticas públicas de prevenção e combate a violência contra a mulher. Ela explicou que o Pacto surgiu da cooperação entre representantes do Poder Executivo, Legislativo e Judiciário para coordenar as diversas políticas públicas existentes para mulheres em situação de vulnerabilidade.

Os pactuantes se comprometem a trabalhar na proposição de medidas de combate à violência com ações educativas preventivas, de alternativas para garantir a independência financeira, combate ao tráfico de mulheres e de aperfeiçoamento do atendimento por parte dos agentes de segurança pública às mulheres vítimas de violência.