Porto Alegre: Amyr Klink debate com Marchezan oportunidades à economia náutica da Capital

Porto Alegre: Amyr Klink debate com Marchezan oportunidades à economia náutica da Capital

Economia Marchezan Negócios Notícias Porto Alegre prefeitura Trabalho Turismo
O prefeito Nelson Marchezan Júnior recebeu nesta quarta-feira, 11, o navegador, escritor e empresário Amyr Klink. Durante o encontro, no Paço Municipal, foram debatidas as possibilidades de desenvolvimento da economia náutica em Porto Alegre e o turismo em torno do Lago Guaíba, além de ações para fomentar uma cadeia produtiva que viabilize a geração de novos negócios e empregos.
Klink destacou os diferenciais que demonstram o potencial da economia náutica de Porto Alegre. “A cidade poderia ser um polo de marinas com certificação ambiental, por ser uma borda de água doce. Além disso, poderia ter um programa de bases náuticas de excelência diante de todo patrimônio natural que possui. Ou seja, protegendo o meio ambiente e gerando riqueza”, diz o navegador.
Profundo conhecedor do segmento náutico, Amyr Klink esteve em Porto Alegre com a intenção de contribuir com a reconfiguração da Orla do Guaíba. Segundo ele, esse tipo de esforço é fundamental para que “a cidade assuma a vocação que leva consigo até no nome”.
Além do prefeito, estiveram presentes na reunião o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Eduardo Cidade; o secretário de Parcerias Estratégicas, Thiago Ribeiro; o secretário-adjunto de Planejamento e Gestão, Daniel Rigon; a secretária-adjunta de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Viviane Diogo; o diretor de Turismo e Eventos da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Leandro Balardin; e o diretor de projetos da Secretaria Municipal de Planejamento e Gestão, Glênio Bohrer.
Porto Alegre: Definido consórcio vencedor que fará estudo de PPP do saneamento

Porto Alegre: Definido consórcio vencedor que fará estudo de PPP do saneamento

Cidade Destaque Marchezan prefeitura Saúde Trabalho

Após o leilão da iluminação pública, Porto Alegre dá mais um passo importante para oferecer serviços públicos de qualidade. Agora, é a vez da PPP do saneamento básico, que foi objeto de um pregão eletrônico realizado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) nesta sexta-feira, 6. O consórcio formado pelas empresas Hidroconsult, Houer e Machado Meyer apresentou proposta de R$ 1,67 milhão e venceu a concorrência para iniciar os estudos para a estruturação do projeto.

O prefeito Nelson Marchezan Júnior comemora mais esse avanço e reforça que a desestatização é o caminho para melhorar a eficiência dos serviços e dar fôlego aos cofres públicos. Ele explica que a parceria com o BNDES define as consultorias no mesmo modelo do que foi feito com a iluminação pública. “É inaceitável que mais de 200 mil porto-alegrenses sofram no verão com falta de água. Além disso, 45% do esgoto da cidade não é tratado”, afirma.

O próximo passo será uma avaliação e homologação do resultado. Caso for confirmado o consórcio vencedor, os trabalhos começam e serão acompanhados e supervisionados pela Secretaria Municipal de Parcerias Estratégicas (SMPE), em conjunto com outros órgãos setoriais municipais. O secretário municipal de Parcerias Estratégicas, Thiago Ribeiro, ressalta a importância do pregão. “Esse processo marca o pontapé inicial de um dos projetos estruturantes mais relevantes para a infraestrutura de Porto Alegre. Depois do sucesso na modelagem da iluminação pública, nada mais adequado do que repetir a parceria com o BNDES para trazer uma solução eficaz a outro setor essencial para a qualidade de vida do cidadão, o saneamento básico, buscando antecipar a universalização de todos os serviços de água e esgoto municipais”, afirma.

Rede – Porto Alegre possui, hoje, uma rede de esgoto de 2.015 km, 90% dos quais com atendimento de coleta de esgoto. A rede possui dez estações de tratamento de esgoto (ETEs) e 29 de bombeamento de esgoto (EBEs). Em relação à rede de água, Porto Alegre tem uma extensão de 4.163 km, que equivale ao atendimento de 100% da população.

Porto Alegre ganha primeira rua com menos carros e mais espaço para pedestres

Porto Alegre ganha primeira rua com menos carros e mais espaço para pedestres

Cidade Comunicação Marchezan Notícias Porto Alegre prefeitura

Menos carros porque tem menos espaço para eles e mais pedestres porque as pessoas vão ter mais área na rua para circular. Esta é a proposta do projeto Ruas Completas, que estreou nesta segunda-feira (2) na rua João Alfredo, no bairro Cidade Baixa, em Porto Alegre, e que será levado a mais locais da cidade, como Centro Histórico, Quarto Distrito e Restinga. “A ideia é espalhar pela cidade”, resume o secretário extraordinário de Mobilidade Urbana Rodrigo Tortoriello.

A Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) confirma que estuda implantar o projeto em mais dez vias, sem data definida de quando os novos pontos serão implantados. Além disso, a EPTC não descarta adotar algo mais radical, como fechar ruas para a circulação de carros. “É errado pensar que se não há estacionamento, o comércio não funciona. Pesquisas mostram que o uso de bicicleta e os pedestres trazem mais negócios que o automóvel. Se não, todas as lojas teriam drive-thru”, contrasta Tortoriello. Mesmo assim, alguns restaurantes da João Alfredo reagiram com a restrição de vagas, alegando que a medida provocou a queda no movimento.

Leia mais no Jornal do Comércio

Porto Alegre: Marchezan propõe alteração de CCs e FGs da administração direta

Porto Alegre: Marchezan propõe alteração de CCs e FGs da administração direta

Agenda Cidade Destaque Marchezan prefeitura

Tramita na Câmara Municipal o Projeto de Lei do Executivo que pretende atualizar o quadro de Cargos em Comissão (CCs) e Funções Gratificadas (FGs) da administração centralizada. A prefeitura justifica a medida em virtude das alterações feitas na Reforma Administrativa ocorridas a partir da aprovação das Leis Complementares nº 810, em 4 de janeiro de 2017 e nº 817, em 30 agosto de 2017, observando o disposto no art.37 da Constituição Federal que prevê Postos de Confiança apenas às atribuições de direção, chefia e assessoramento.

A proposta busca, segundo o texto do projeto, dar continuidade ao trabalho iniciado com o PLE nº 019/18, para estabelecer um padrão nas nomenclaturas dos postos de confiança, com a garantia de maior transparência e isonomia entre as secretarias. O projeto ajusta os postos de confiança dos níveis 4 a 8, com a padronização da denominação e atribuições dos cargos inserindo no Anexo I da Lei nº 6.309, de 28 de dezembro de 1988.

O Executivo ressalta que tal medida não onera financeiramente o município, “mantendo, apenas, o que já é investido atualmente em despesa com pessoal, visto que os valores das extinções de postos subsidiam as criações propostas, o que neutraliza os impactos financeiros sobre a folha de pagamento”.

São extintos sete CCs de nível 7 e criação de sete CCs de nível 8 pela necessidade de adequação das novas estruturas. Também são extintas 13 FG1, 5 FG2, 8 FG3, objeto da reserva técnica do Município oriunda da Reforma Administrativa, e criadas 2 FG5, 2 FG6 e 1 FG7.

Ainda prevê a matéria, com o “intuito de otimizar a articulação e dinamismo dos Programas desenvolvidos no âmbito da Prefeitura Municipal”, a revogação da limitação de utilização dos CCs criados pela Lei nº 10.284, de 29 de outubro de 2007 e Lei nº 10.676, de 11 de maio de 2009. Conforme a justificativa, a proposta visa atender as reiteradas solicitações do Tribunal de Contas do Estado quanto à necessidade da descrição e atribuições dos Postos de confiança em dispositivo legal.

Porto Alegre: LDO prevê recursos de parcerias público-privadas pela 1ª vez

Porto Alegre: LDO prevê recursos de parcerias público-privadas pela 1ª vez

Cidade Destaque Economia Marchezan Negócios Porto Alegre prefeitura
Pela primeira vez na história, a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) prevê mais de R$ 500 milhões em recursos das parcerias público-privadas (PPPs) em implementação pela Prefeitura de Porto Alegre. A LDO é o instrumento constitucional que serve de base para a construção do Orçamento do ano seguinte. O projeto de lei com a previsão para 2020 foi entregue nesta terça-feira, 20, pelo prefeito Nelson Marchezan Júnior à presidente da Câmara Municipal, Mônica Leal. A proposta deve ser votada até 10 de outubro e ir para sanção do prefeito. “Esta é a primeira LDO da história da Capital que faz uma previsão firme, consistente e real de recursos da PPP para iluminação pública, para saneamento e drenagem, para roda-gigante ou trecho 2 da Orla”, destaca Marchezan. Segundo ele, haverá um investimento próximo a meio bilhão de reais, distribuído em várias áreas. Deste total,  estão previstos R$ 280 milhões em 20 anos com a PPP de iluminação pública, a primeira do Estado. Também há previsão de saírem projetos para saneamento, instalação de uma das maiores rodas-gigantes do Brasil no trecho 2 da Orla do Guaíba e de novos relógios de rua. “O resultado apresentado na LDO e a perspectiva para o ano que vem e para os próximos anos é de uma cidade melhor. Depois de 20 anos, o próximo prefeito de Porto Alegre, já no seu primeiro ano, poderá ver as finanças públicas da Capital no azul”, ressalta Marchezan. De acordo com o chefe do Executivo, o próximo a ocupar o Paço Municipal terá mais recursos para fazer investimentos ou ampliar o volume de contratação de serviços para a cidade.
Além disso, o reflexo do trabalho da atual administração está na recuperação da credibilidade com os fornecedores e na contratação de novas operações de crédito. “Desde 2015, a Prefeitura não conseguia aprovar financiamentos. Nesta LDO, já estão previstos R$ 660 milhões de financiamentos já aprovados, alguns deles já assinados e outros que dependem da aprovação da Câmara”, contabiliza o prefeito.
Marchezan Júnior também reconhece o apoio dos vereadores que se dedicaram a preservar os interesses coletivos ao aprovar reformas estruturais essenciais para o reequilíbrio fiscal. “Graças ao trabalho da Câmara, somos campeões na redução de despesas e, com o aumento de receitas que está em curso no Executivo desde 2017, vamos mudar uma antiga realidade das contas públicas”, ressalta.
Ao enaltecer o reconhecimento do prefeito, Mônica Leal enfatiza que o Parlamento tem o dever de pensar nos interesses da população. “A Câmara é composta por vereadores que representam a sociedade como um todo, sendo um poder independente e com um único interesse: o bem-estar dos porto-alegrenses”, finaliza.
Números – A proposta da Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2020 expressa a situação das contas do Município, que deverá alcançar receita total de R$ 7,723 bilhões, enquanto a despesa total será de R$ 8,059 bilhões. O valor que falta para equilibrar as contas é R$ 336,5 milhões. No orçamento de 2019, o déficit foi de R$ 918 milhões.

Estiveram presentes na entrega da LDO 2020 os vereadores Lourdes Sprenger, André Carús, Professor Wambert, Alvoni Medina e João Carlos Bosco; os secretários municipais da Fazenda, Leonardo Busatto; de Relações Institucionais, Christian Lemos; de Comunicação Social, Orestes de Andrade Jr.; e a adjunta da Transparência e Controladoria, Luciane Rache.

Porto Alegre: OP comemora 30 anos com Seminário Internacional

Porto Alegre: OP comemora 30 anos com Seminário Internacional

Agenda Cidade Destaque Porto Alegre prefeitura

Porto Alegre recebe nessa semana nomes importantes para a história do Orçamento Participativo. Convidados nacionais e internacionais participam do Seminário Internacional 30 anos do Orçamento Participativo, evento realizado pela prefeitura, de quarta, 21, a sábado, 24 em diversos pontos da Capital, como BRDE, Casa dos Conselhos, Câmara Municipal dos Vereadores e Cinemateca Capitólio.

Entre os convidados são esperados o diretor do Orçamento Participativo da Prefeitura de Córdoba (Argentina), Hector Luis Dastoli; o coordenador geral de Relações Internacionais da Prefeitura de Puerto Montt (Chile), Claudio Sule Fernández; Miguel Angel Pereira Bujater (Prefeitura Montevidéu, Uruguai);  Rocío Gonzalez (Prefeitura de Rosário, Uruguai);  Simon Langelier (Montreal, Canadá); Santiago Uribe (Medellín, Colômbia), Borja Pietro (Prefeitura de Madri, Espanha); Miguel Angel Pereira Bujater (Prefeitura de Montevidéu, Uruguai); Simon Langelier (Montreal, Canadá); Nelson Dias (Banco Mundial), entre outros.

O encontro reunirá representantes do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Minas Gerais, São Paulo e Paraná. Em debate temas como Financiamento da Participação: caminhos para financiar a ampliação da democracia nas cidades, a experiência de Porto Alegre e o legado da participação democrática no mundo.

Programação: Na quinta-feira, 22, os palestrantes farão uma visita técnica pela cidade para conhecer as obras atendidas pelo Orçamento Participativo e, às 19h, no Paço Municipal ocorrerá a abertura oficial do evento. Já no sábado, 24, após os painéis realizados na Cinemateca Capitólio, haverá um evento cultural na Orla do Guaíba em comemoração aos 30 anos do Orçamento Participativo de Porto Alegre. Confira a programação completa.

Segurança Pública: Porto Alegre terá 100% das entradas e saídas de veículos monitoradas

Segurança Pública: Porto Alegre terá 100% das entradas e saídas de veículos monitoradas

Agenda Destaque Poder Política Porto Alegre prefeitura Segurança Tecnologia Trabalho

“Porto Alegre terá o sistema mais moderno, completo e integrado de monitoramento de veículos das capitais”, afirmou o prefeito Nelson Marchezan Júnior, na manhã desta quinta-feira, 15, durante a assinatura do contrato com a empresa vencedora da licitação para aquisição de kits do cercamento eletrônico da cidade. A compra, no valor de R$ 7,8 milhões, possibilitará o controle de todas as entradas e saídas da Capital, ampliação de 70% da vigilância  das vias internas e o videomonitoramento com câmeras de alta definição e capacidade de reconhecimento facial.

Atualmente, são 162 pistas com fiscalização interna. A partir no novo contrato, firmado com a empresa Digital Comércio e Prestação de Serviços Ltda., será possível aumentar o número de pistas em mais 114, totalizando 276. “Porto Alegre será um local onde os ladrões terão que mudar de atividade ou trocar de cidade. Estamos criando um ambiente desagradável para os assaltantes”, enfatiza o prefeito.

As 72 câmeras que irão monitorar as entradas e saídas da cidade serão instaladas em 20 locais, já pré-determinados, mas que ainda poderão ter alterações. Outras 75 câmeras serão utilizadas para fazer o videomonitoramento. Elas têm tecnologia para reconhecimento facial, vigilância de ambientes, análise de objetos e comportamentos suspeitos, entre outras funcionalidades.

Marchezan lembra que o sistema começou a ser desenvolvido em 2017, com operação de 25 câmeras da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC). Desde então, o projeto vem sendo aprimorado. Em agosto de 2018, todos os pardais, além de cumprirem seu papel na fiscalização de trânsito, foram dotados de equipamento para captar placas e mandar informações sobre veículos em situação de roubo ou furto aos órgãos de segurança. Em janeiro deste ano, foi a vez de implantar a tecnologia também nas lombadas.

Cercamento – Para comprar agora os novos equipamentos, a prefeitura aderiu à ata de registro de preço do governo do Estado. “A adesão ao processo mostra que é possível fazer coisas como esta de forma transparente e rápida”, explica o secretário adjunto de Planejamento e Gestão, Daniel Rigon. As primeiras câmeras serão instaladas em 60 dias, após a execução do projeto. O prazo para que todas estejam em funcionamento é seis meses.

O cercamento eletrônico acompanha em média 850 mil placas por dia e cerca de 25 milhões/mês, com um índice de alerta diário de cinco veículos furtados ou roubados e identificados. “Estamos iniciando uma nova etapa de um projeto ousado, superando os desafios que se têm em todas as grandes cidades. O sistema representa uma inovação no uso da tecnologia como aliada da segurança”, ressalta o diretor técnico da Companhia de Processamento de Dados do Município (Procempa), Alexandre Horn. O secretário municipal de Segurança, Rafael de Oliveira, classifica a assinatura como um momento histórico. “Oferecemos ao Estado a principal matéria-prima no combate ao crime: a informação. Nossa cidade está se autoprotegendo”, diz ele.

Benefícios – A eficácia do cercamento eletrônico pode ser comprovada em números. Desde maio de 2018, quando o sistema começou a ser usado efetivamente, até dezembro do mesmo ano, foram recuperados 275 veículos. Já nos primeiros sete meses de 2019, os veículos que voltaram para os seus donos passam de 300. Dados da Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP/RS) também são positivos. Em abril de 2018, quando a Capital não contava com o serviço, foram registrados 1.048 furtos e roubos de veículos. Um ano depois caíram para 658, redução de 37%.

Outros benefícios são maior agilidade na troca de informações e a intensificação da cooperação entre Município e Estado para execução de ações mais assertivas no combate à criminalidade. O último balanço divulgado pela SSP/RS revela que, entre janeiro e julho de 2018, 5.300 veículos foram levados por ladrões na cidade, enquanto que no mesmo período deste ano o acumulado ficou em 3.096 – uma queda de 41,6%.

Detetive Cidadão – Disponível no aplicativo #EuFaçoPOA, a ferramenta Detetive Cidadão é mais uma aliada no combate ao roubo e furto de veículos. Desde que a campanha para utilização se intensificou, em junho deste ano, 16 veículos foram recuperados com ajuda dos alertas feitos pela população por meio dessa funcionalidade. O número de downloads da ferramenta já passou de 51 mil.

O aplicativo foi desenvolvido pela Procempa e está disponível para plataformas Android e iOS, e pode ser baixado gratuitamente por meio da Google Play e App Store. Com o Detetive Cidadão, é possível fotografar a placa de um veículo suspeito e verificar sua situação. Quando ocorre um alerta de carro roubado ou furtado, o sistema de monitoramento emite, imediatamente, uma notificação à Brigada Militar, Polícia Civil, Polícia Rodoviária Federal e Guarda Municipal, informando os dados da placa, que passa a ser acompanhada em tempo real.  O aplicativo não registra o número de quem enviou a foto, garantindo o anonimato de quem faz o alerta.

Também participaram do evento desta quinta-feira o vice-prefeito Gustavo Paim; os secretários municipais Orestes de Andrade Jr. (Comunicação), Ramiro Rosário (Serviços Urbanos), Christian Lemos (Relações Institucionais) e Rodrigo Tortoriello (Mobilidade Urbana); o subcomandante da Guarda Municipal, Cloverson Silveira Gonçalves; os vereadores Rafael Abreu e Cláudia Araújo; o gerente do projeto de cercamento eletrônico, Gabriel Meneghetti; o comandante do 1º Batalhão de Polícia Militar, tenente-coronel Leandro Luz; o representante do Comando Militar do Sul, coronel Vladimir Gouveia Maia; o delegado Fernando Soares; o diretor executivo da Fotosensores, Glaudezon Paulesky; e os representantes da empresa Digitaltec, Lucas Sabino Arruda e Maurício Loeser.

Porto Alegre: Decisão judicial determina retomada da remoção de famílias da Nazaré. Trabalhos estão sendo retomados hoje

Porto Alegre: Decisão judicial determina retomada da remoção de famílias da Nazaré. Trabalhos estão sendo retomados hoje

Cidade Destaque Porto Alegre prefeitura

A 3ª Vara Federal de Porto Alegre determinou que a prefeitura continue a remoção das famílias que vivem na Vila Nazaré. A decisão foi proferida na noite desta quarta-feira, 14, em resposta à ação ajuizada pelo Ministério Público Federal, Defensoria Pública da União, Ministério Público e Defensoria Pública do Rio Grande do Sul, que pediam a suspensão do reassentamento. Ao todo, cerca de 1,3 mil famílias serão remanejadas para os loteamentos Nosso Senhor do Bom Fim e Irmãos Maristas, localizados nos bairros Sarandi e Mário Quintana, respectivamente. Após a decisão, o prefeito Nelson Marchezan Júnior determinou que os trabalhos sejam retomados ainda nesta quinta-feira, 15.

De acordo com o procurador-geral do Município, Nelson Marisco, foi possível comprovar que foi concluído o cadastramento e que existe solução habitacional adequada para as famílias. “Demonstramos que a grande maioria dos moradores querem sair do local e que a transferência para esses dois empreendimentos promove uma melhoria na qualidade de vida dessas pessoas”, destaca. Em junho, a Prefeitura e a Fraport assinaram acordo no qual a empresa se comprometeu a concluir as obras complementares nos dois empreendimentos, com investimentos da ordem de R$ 30 milhões. Segundo a decisão, “a premência na conclusão do processo de reassentamento em comento é inequívoca, não apenas à vista do evidente interesse público existente na ampliação do Aeroporto Salgado Filho, mas sobretudo em face da situação de vulnerabilidade a que notadamente estão submetidas as famílias residentes na Vila Nazaré”.

O juízo determinou que a remoção prossiga dentro dos moldes que vinham sendo utilizados pelo município e Departamento Municipal de Habitação (Demhab). “Ao que se pode inferir do processado, a manifestação de vontade das famílias está sendo respeitada, não tendo sido minimamente comprovada a realização de remoções forçadas pelos réus em questão”, diz a decisão. Para o Superintendente de Ação Social e Cooperativismo do Demhab, Emerson Corrêa, os maiores beneficiados são as famílias que querem sair da Nazaré e manifestaram este desejo. “A decisão reconhece  o trabalho que o departamento está realizando e os esforços para que as pessoas tenham uma moradia digna de forma justa e legal”, afirma. Na última segunda-feira, 12, o Demhab concluiu a primeira etapa da transferência, com 128 famílias já realocadas.

Porto Alegre: TRT4 condena EPTC a pagar R$ 100 mil por ambiente de trabalho irregular de agentes de fiscalização. Empresa fica também sujeita a multas em caso de persistência das irregularidades

Porto Alegre: TRT4 condena EPTC a pagar R$ 100 mil por ambiente de trabalho irregular de agentes de fiscalização. Empresa fica também sujeita a multas em caso de persistência das irregularidades

Destaque Direito Notícias Porto Alegre prefeitura

O Tribunal Regional do Trabalho (TRT4) definiu em R$ 100 mil a indenização por danos morais coletivos devida pela Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) por irregularidades no ambiente de trabalho dos agentes de fiscalização de trânsito de Porto Alegre. O acordão do Tribunal mantém o restante da decisão de 1º grau, indeferindo os recursos apresentados pela EPTC, levando em conta as contrarrazões apresentadas pelo Ministério Público do Trabalho (MPT), autor da ação.

A empresa continua sujeita a multa diária de R$ 500, multiplicada por item descumprido, caso não corrija aspectos sanitários e de segurança de edificações previstos nas Normas Regulamentadoras (NR) nº 8 e 24, especificamente em relação a vestiários, banheiros, refeitórios e segurança de pisos, escadas e coberturas. As irregularidades devem ser corrigidas na Gerência de Controle e Operação de Transporte (GCOT) e nos quatro Postos de Controle Avançado (PCAs), localizados nos bairros Petrópolis (Leste), Humaitá (Norte), Camaquã (Sul) e Menino Deus (Centro). Estes são os locais de trabalho administrativo dos agentes de fiscalização.

O caso é conduzido pelo procurador do MPT em Porto Alegre Philippe Gomes Jardim. A denúncia inicial foi apresentada no site do MPT-RS e confirmada por ação fiscal da Subsecretaria de Inspeção do Trabalho (SIT) do Ministério da Economia e por inspeção do próprio MPT. Em 2015, a EPTC havia apresentado ao MPT cronograma para a correção das irregularidades, com previsão de novas sedes para os postos, mas a empresa não o cumpriu.

A sentença de 1º grau foi proferida pelo juiz do Trabalho Mauricio Schmidt Bastos, da 2ª Vara do Trabalho de Porto Alegre. Os recursos à decisão foram julgados pela 10ª Turma do Tribunal, tendo como relatora a desembargadora Ana Rosa Pereira Zago Sagrilo. Atua em 2º grau, junto ao TRT4, a procuradora do MPT em Porto Alegre Márcia Bacher Medeiros.​

Clique aqui para acessar o acórdão

Porto Alegre: Defesa Civil emite alerta para risco de tempestade

Porto Alegre: Defesa Civil emite alerta para risco de tempestade

Destaque Porto Alegre prefeitura

A Defesa Civil de Porto Alegre, diante do cenário apresentado pelos órgãos oficiais de meteorologia, emite alerta para o risco de tempestade na Capital, nas próximas 48 horas, com volumes de chuva entre 50 e 100 milímetros por dia e ventos intensos entre 60 e 100 quilômetros por hora. Segundo o diretor-geral da Defesa Civil, coronel Evaldo Rodrigues de Oliveira Júnior, o alerta tem como finalidade a prevenção, podendo ocorrer a melhora ou agravamento da situação. “Há risco de corte de energia elétrica, queda de árvores e de alagamentos”, explica.

Em caso de emergência, a orientação é acionar a Defesa Civil através do telefone 199 ou Corpo de Bombeiros pelo 193. Este alerta tem validade até a publicação de seu cessar.

 

Instruções de segurança:

– Abrigue-se em local seguro

– Mantenha-se afastado de postes, árvores e placas de publicidade

– Desligue equipamentos da rede elétrica

– Não entre em alagamentos