Porto Alegre: Alexandre Grendene e Nora Teixeira doam mais R$ 20 milhões para a construção do Hospital do complexo Santa Casa

Porto Alegre: Alexandre Grendene e Nora Teixeira doam mais R$ 20 milhões para a construção do Hospital do complexo Santa Casa

Agenda Cidade Destaque Porto Alegre prefeitura Saúde Tecnologia Trabalho
A partir de abril de 2022, o Brasil irá contar com mais uma opção de assistência à saúde para a sua população: a Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre passará a ser integrada por mais um hospital: o Hospital Nora Teixeira. A unidade irá se somar às outras sete já existentes no quarteirão do Centro Histórico de Porto Alegre, totalizando nove hospitais de propriedade da Santa Casa (incluindo o Hospital Dom João Becker, em Gravataí, incorporado em agosto de 2018) e um sob sua gestão (Hospital de Santo Antônio da Patrulha). O custo total da obra do Hospital Nora Teixeira está previso em R$ 177 milhões entre fundações, obra civil, equipamentos e mobiliário de seus 13 andares.
O Hospital Nora Teixeira irá entregar mais saúde à população, com a edificação de uma nova emergência para usuários do SUS, além de outros serviços que irão garantir a sustentabilidade do empreendimento, como unidades de internação exclusivas para pacientes usuários de planos de saúde e particulares. Nos 26.550m² do hospital, além da nova emergência SUS (que passará dos 600m² atuais para 2.325m²), haverá 50 vagas de estacionamento, 30 leitos de internação obstétrica, 37 leitos de internação traumatológica, 27 leitos de UTI, 37 leitos de internação cirúrgica e bariátrica, 37 leitos para internação oncológica e 30 leitos de internação multiuso.
Para a edificação da nova emergência SUS – que integra este prédio – a Santa Casa recebeu, em fevereiro, a doação de R$ 40 milhões pelo casal Alexandre Grendene e Nora Teixeira e, um novo ato de doação foi realizado durante o evento de lançamento da pedra fundamental, nesta sexta-feira (22/03). O casal de empresários destinou outros R$ 20 milhões para a ampliação e qualificação da área assistencial de urgência e emergência SUS da Santa Casa, somando R$ 60 milhões em doação para a construção da emergência, tratando-se de doação plena, sem qualquer benefício fiscal.
O evento de lançamento da pedra fundamental do Hospital Nora Teixeira, que se insere na semana de comemoração ao aniversário de Porto Alegre, foi marcado por dois momentos: a primeira parte, no Anfiteatro Hugo Gerdau, quando houve a apresentação do projeto do novo hospital e a assinatura do termo aditivo da nova doação do casal Alexandre Grendene e Nora Teixeira; seguida de descerramento de placa da pedra fundamental do Hospital Nora Teixeira com a realização do rito da cápsula do tempo, quando as autoridades presentes inseriram no solo uma cápsula contendo materiais históricos referente ao local em que o empreendimento será edificado, marcando o início oficial das obras.

Em 2018, a Santa Casa realizou 1.008.660 consultas, 59.970 internações, 67.160 cirurgias e 6.523.906 serviços diagnósticos. Deste volume, 69,2% de paciente/dia (lei da filantropia) é SUS, o qual é deficitário de longa data. Diante disto, a instituição tem o desafio de gerar recursos próprios para viabilizar o custeio do prejuízo originário do subfinanciamento de assistência SUS. Somente no ano passado, este valor ficou em R$ 164 milhões, pagos pela instituição por meio de receitas de outros convênios e particulares, garantindo assim, o equilíbrio econômico e financeiro da Santa Casa.
Além deste empreendimento, a Santa Casa está também investindo outros R$ 150 milhões originários da Bancada Federal Gaúcha, possibilitando reformar toda a área assistencial SUS da instituição. Nestes dois projetos, estão sendo investidos mais de R$ 327 milhões para promover mais saúde aos gaúchos, com mais segurança e qualidade assistencial.
Hospital Nora Teixeira
Sua implementação será ao lado do Hospital Santa Clara, entre as avenidas Oswaldo Aranha e João Pessoa, e sua construção será composta por: Central de Recebimento e Almoxarifado; Almoxarifado Médico; Estacionamento; Nutrição; Emergência SUS e Centro de Diagnóstico por Imagem; Bistrô e Loja; Internação Obstétrica, Central de Materiais e Esterilização; Internação Traumatologia; Unidade de Terapia Intensiva; Internação Cirúrgica; Internação Oncológica e Internação Multiuso.
A nova emergência SUS da Santa Casa exclusiva para atendimento de adultos – que terá sua área quadruplicada – contemplará:
  • Aumento de leitos fixos na Sala de Observação (todos em boxes individuais), de 13 para 28 (sendo três de isolamento);
  • Criação de 2 Postos de Enfermagem na Sala de Observação, garantindo um atendimento mais ágil ao paciente;
  • Ampliação do número de posições de medicação, passando de 12 para 18, proporcionando mais conforto e segurança aos pacientes;
  • Ampliação do número de salas de acolhimento e consultórios de pronto atendimento, sendo uma sala específica para Eletrocardiografia;
  • Centro de Diagnóstico por Imagem exclusivo para a Emergência, que facilitará o atendimento dos pacientes em atendimento, contando com tomografia, Raio-X e ecografias.
Hospital Moinhos de Vento lança Núcleo de Medicina Robótica

Hospital Moinhos de Vento lança Núcleo de Medicina Robótica

Comunicação Destaque Notícias Porto Alegre Saúde Tecnologia

Visando expandir seu Programa de Cirurgia Robótica, o Hospital Moinhos de Vento – primeira instituição privada do Sul do Brasil a contar com um programa deste tipo – lançou neste sábado (16) o Núcleo de Medicina Robótica da instituição. A iniciativa vai qualificar mais profissionais e ampliar as especialidades atendidas.

O evento, realizado no Anfiteatro Schwester Hilda Sturm, também foi uma celebração dos resultados positivos do primeiro ano de cirurgias robóticas realizadas no hospital. Neste período foram realizadas 107 intervenções com a utilização de robô, sendo 95% delas na área da urologia. Agora, o projeto será expandido para as áreas de cirurgia geral, torácica, ginecologia, proctologia e cabeça e pescoço.

WhatsApp Image 2019-03-17 at 12.35.29
Evento realizado na manhã de sábado também teve apresentação de resultados do primeiro ano do Programa de Cirurgia Robótica na instituição. Fotos: Leonardo Lenskij

Dentre os principais benefícios da cirurgia robótica estão a precisão no procedimento e a diminuição do tempo de recuperação, o que resulta em menor risco de infecções e, ainda, diminuição de custos com internação.

O superintendente médico do Hospital Moinhos de Vento, Dr. Luiz Antonio Nasi, revelou durante sua participação que mais 25 médicos deverão ser treinados este ano dentro da expansão do programa – atualmente são 17 profissionais capacitados para operar com o auxílio do robô. “ Esse é um projeto estratégico do hospital. O foco é promover a cirurgia minimamente invasiva, que busca maior precisão, rápida recuperação e redução do tempo de hospitalização. É um projeto de sucesso pelos excelentes resultados clínicos e pela animadora dedicação dos nossos cirurgiões”, afirmou Nasi.

Já o superintendente administrativo do Moinhos, Evandro Luis Moraes, aproveitou a oportunidade para compartilhar a informação do início das negociações para a aquisição do robô Da Vinci Modelo XI, a nova geração do Da Vinci SI utilizado atualmente na instituição. Também nas próximas semanas deverá ser recebido um moderno simulador para o treinamento dos médicos do programa.

Conforme o chefe do Serviço de Urologia do Hospital Moinhos de Vento, Dr. Eduardo Carvalhal, há ganhos reais já comprovados nos pacientes submetidos à cirurgia robótica. “Ela facilita muito o acesso a regiões mais complexas do corpo e reduz o desconforto do paciente. O índice de continência imediata – não vazamento de urina após retirada da sonda – foi de cerca de 70%. E muitos recuperaram a função sexual em menos de um mês”, apontou Carvalhal que ressaltou, também, que do ponto de vista do cirurgião, o cansaço é reduzido.

Uma pesquisa que está sendo feita com pacientes atesta os ótimos resultados do trabalho neste primeiro ano e a boa aceitação por parte de quem foi atendido pelo serviço. De acordo com os dados iniciais, 98% dos pacientes contatados recomendariam a cirurgia robótica a outro paciente.

Para o líder do Programa de Cirurgia Robótica, Dr. André Berger, os resultados obtidos são até mesmo superiores aos de grandes centros que trabalham com robótica no mundo. “Esse lançamento do Núcleo legitima o Programa de Cirurgia Robótica do Hospital Moinhos de Vento como referência nacional e até mesmo internacional. Além de oferecer um tratamento com qualidade e segurança aos pacientes e da capacitação dos profissionais associados ao corpo clínico do hospital, o Núcleo irá dar suporte e promover cursos para médicos, estudantes de Medicina e profissionais da área da saúde que não estão vinculados ao programa”, destacou Berger.

Vidro é o filme do mês no CinePsiquiatria, exibido no GNC Cinemas do Praia de Belas

Vidro é o filme do mês no CinePsiquiatria, exibido no GNC Cinemas do Praia de Belas

Agenda Comportamento Cultura Direito Notícias Saúde Vídeo

Sociopatia é tema do próximo CinePsiquiatria, que apresenta o filme Vidro no dia 16, sábado, às 10h30, no GNC Cinemas do Praia de Belas Shopping. Após a exibição, haverá debate com os comentários da juíza de Direito, Dra. Jane Maria Köhler Vidal, e da psiquiatra, Dra. Roberta Grudtner. A sessão tem meia-entrada para todos, e os ingressos estão à venda no site www.gnccinemas.com.br ou na bilheteria.

O jogo de gato e rato entre o homem inquebrável – David Dunn (Bruce Willis), o herói de Corpo Fechado (2000) – e a fera – Kevin Crumb (James McAvoy), o homem com 24 personalidades diferentes de Fragmentado (2017) – resultou no roteiro de Vidro (2018). Para complicar, o vilão Elijah Price (Samuel L. Jackson) manipula seus encontros e guarda segredos sobre os dois.

O evento é promovido pela Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), Associação de Psiquiatria da América Latina (APAL) e, localmente, pela Associação de Psiquiatria Cyro Martins (CCYM). A 23ª edição do encontro tem coordenação do presidente e do vice-presidente do Centro de Estudos Cyro Martins (CCYM), os médicos psiquiatras Dr. Cláudio Meneghello Martins e Dr. Euclides Gomes, respectivamente.

SERVIÇO

CinePsiquatria: Vidro

Sessão comentada com:

– Dra. Jane Maria Köhler Vidal (juíza de Direito)

– Dra. Roberta Grudtner (psiquiatra)

Data: 16 de março (sábado), às 10h30

Local: GNC Cinemas do Praia de Belas Shopping Ingresso: Meia-entrada. Podem ser adquiridos pelo site: www.gnccinemas.com.br

Coordenação: ABP/APAL/CCYM

Artigo: Jogo Patológico, por Anissis Moura Ramos

Artigo: Jogo Patológico, por Anissis Moura Ramos

Artigos Comportamento Destaque Notícias Saúde

Antes quando se falava em jogo patológico, logo se pensava em pessoas adultas sentadas a uma mesa, fumando, bebendo e virando noites jogando. Hoje esse cenário mudou, temos crianças, adolescentes e adultos frente a computadores, tablet e celulares que passam horas do seu dia jogando.

Muita gente afirma que o jogo tem apenas uma função lúdica, não reconhecem a dependência, mas estudos mostram que para 4% delas, o jogo passa a ser algo muito importante e necessário em sua vida, trazendo consequências graves na vida emocional e social. Isso sem falar naqueles que jogam por dinheiro.

Uma das características do jogo patológico é a impulsividade, causando uma incapacidade de a pessoa adiar a gratificação obtida através do jogo. Também, percebe-se a redução da capacidade de reflexão, um aumento na precipitação e uma exacerbação no desejo de experenciar algo novo.

Nesses casos é importante investigar a origem da impulsividade do ponto de vista cognitivo, pois a pessoa impulsiva pode apresentar alterações nas funções atencionais e executivas. Isso pode ser identificado por meio de avaliação neuropsicológica.

Como saber se você ou aquela criança/adolescente que não consegue sair dos jogos eletrônicos são jogadores patológicos? Simples, uma das características do jogador patológico se dá pela manutenção do comportamento de jogar. Podendo esse comportamento avançar ao longo da vida, visto que a impulsividade é muito frequente nesse transtorno.

A impulsividade evidenciada no jogar patológico pode ser comparada a impulsividade do dependente químico frente o comportamento de fissura.

Por isso, se destaca para os pais que estipulem um tempo, não muito longo, para que o filho jogue no celular, tablete ou computador. Para tanto, os pais devem lembrar de dar o exemplo a eles, saindo das redes sociais e até mesmo dos jogos. Assim, poderão estar evitando problemas futuros, pois mesmo o jogador tendo a percepção do prejuízo causado em várias áreas da sua vida, não consegue controlar a impulsividade de jogar.

Anissis 2Anissis Moura Ramos é especialista em Psicologia Clínica, atua em consultório, é perita credenciada pelo TJRS e professora dos Cursos de Perícia Psicológica em Vara de Família; Alienação Parental e Falsas Memórias .

Proteção Animal Mundial lança relatório sobre a exploração de mamíferos marinhos para entretenimento turístico

Proteção Animal Mundial lança relatório sobre a exploração de mamíferos marinhos para entretenimento turístico

Agenda Direito Notícias Saúde

A Proteção Animal Mundial, em parceria com o Animal Welfare Institute (AWI), lança hoje (8) na ITB Berlim, uma das maiores feiras de turismo do mundo, a quinta edição do relatório “O Problema dos Mamíferos Marinhos em Cativeiro”. O material aponta evidências científicas sólidas e argumentos éticos contra o abrigo de mamíferos marinhos (golfinhos e baleias) em cativeiro com o objetivo de exibição pública, como no caso de shows, espetáculos e apresentações.

“As instalações utilizadas para esse tipo de atividade não contam com recursos essenciais de conservação ou educação, ou seja, esses animais são submetidos a uma vida em cativeiro, passando por vários tipos de maus-tratos físicos e psicológicos, além dos impactos em conservação dessas espécies”, explica João Almeida, gerente de vida silvestre da proteção Animal Mundial.

Na natureza, essas espécies podem nadar até 160 km por dia, atingir mais de 40 km/h e mergulhar centenas de metros de profundidade. Mesmo nas maiores instalações, quando submetidos a cativeiros os animais contam com menos de 0,0001% (um milionésimo) do seu habitat natural. Estudo realizado em 2014 descobriu que uma orca macho em cativeiro passou quase 70% de sua vida imóvel. No entanto, os padrões globais para o tamanho do compartimento de cativeiros não foram revisados, nem mesmo melhorados.

Destaques do relatório

– Muitos países do Ocidente já proíbem a exibição de cetáceos para entretenimento e restringem o comércio desses animais, mas a captura de mamíferos marinhos de vida livre continua

– Os tanques de golfinhos na Ásia e no Caribe estão expostos a desastres naturais, como furacões e tsunamis. Essas construções também degradam o habitat da costa, destruindo mangues e danificando os recifes de corais. Várias instalações foram destruídas na temporada de furacões de 2017 no Caribe

– As condições inadequadas dos mamíferos marinhos em cativeiro têm impactos adversos no seu bem-estar. A maioria dos mamíferos marinhos é um predador de grande amplitude – o confinamento em pequenos tanques ou currais leva ao estresse, o que leva a vários problemas de saúde, comportamentos neuróticos e níveis anormais de agressão

– Golfinhos nariz-de-garrafa são seis vezes mais propensos a morrer imediatamente após a captura da natureza e a transferência entre as instalações.

– A preocupação com a segurança do nadador e o bem-estar dos golfinhos levou várias empresas de turismo, incluindo a TripAdvisor e a Virgin Holidays, a encerrar ou restringir a promoção de natação com golfinhos

Silvestre. Não Entretenimento – Desde 2015, a Proteção Animal Mundial atua por meio da campanha “Silvestres. Não Entretenimento” com o intuito de mostrar à indústria de turismo que é possível oferecer experiências incríveis aos viajantes sem explorar de forma cruel os animais. A ação dá voz aos 550 mil animais selvagens que estão atualmente em cativeiro e sendo abusados em nome do chamado entretenimento turístico.

Olhares invisíveis: Mostra de fotografias da arquiteta Andréa Prates Seligman está no Bistrô do MARGS

Olhares invisíveis: Mostra de fotografias da arquiteta Andréa Prates Seligman está no Bistrô do MARGS

Agenda Cidade Comunicação Cultura Notícias Porto Alegre Saúde Trabalho

A Associação de Amigos do Museu de Arte do Rio Grande do Sul Ado Malagoli apresenta a mostra “Olhares Invisíveis”, da arquiteta Andréa Prates Seligman, no Bistrô do MARGS. A exposição pode ser visitada até 30 de abril, com entrada franca. O Concurso de Fotografias da AAMARGS foi criado em 2015 pela Associação e consiste na escolha por um júri convidado para selecionar seis projetos que irão fazer parte das exposições ao longo do ano. Este ano os jurados foram os fotógrafos Flávio Wild e Rogério Soares.

O trabalho, que dá início à seleção dos vencedores no Concurso de Fotografias da AAMARGS 2019, tem o o objetivo de alertar a sociedade quanto ao abandono e o esquecimento das pessoas idosas IMG_9713e proporcionar um pouco de visibilidade a eles. Durante o trabalho como servidora da Secretaria de Cultura de Gravataí, Andréa teve seu olhar atraído para uma ação realizada em uma instituição municipal para idosos, entre setembro e novembro de 2018. Neste local, ficou impressionada com o que encontrou lá, pelo cuidado e carinho com que os idosos eram tratados pela equipe de enfermeiros, cuidadores e funcionários da instituição de longa permanência para idosos Nossa Senhora Medianeira de Gravataí. “É uma exceção, afirma. Infelizmente, em grande parte, nesse tipo de instituição, o que se escuta são histórias escabrosas, de maus tratos, descaso e total falta de respeito com o ser humano. Essas pessoas que, pela idade avançada, já estão muito fragilizadas fisicamente e emocionalmente, merecem ter um final de vida mais digno e leve, em todos os sentidos. Muitos deles são colocados e esquecidos em asilos como um peso que se quer eliminar. Os olhares que lá encontrei expressam ao mesmo tempo a alegria de quem é notado por alguém (ou por sua câmera) com quem troca palavras de carinho e conforto, e pelo vazio de não mais ter esperança de um dia sair dali, ou de não mais ter a presença dos seus entes queridos”, completa Andréa.

convite-olharesinvisíveisSERVIÇO
Exposição “Olhares Invisíveis”,
Fotógrafa: Andréa Prates Seligman
Visitação: Até 30 de abril de 2019
Local: Bistrô do MARGS, de segunda a sexta, das 11 às 21h
sábados, domingos e feriados, das 11h às 19h
Museu de Arte do Rio Grande do Sul Ado Malagoli (Praça da Alfândega, s./n.)

Pesquisadores anunciam segundo caso mundial de remissão do vírus da Aids; do Correio do Povo

Pesquisadores anunciam segundo caso mundial de remissão do vírus da Aids; do Correio do Povo

Destaque Saúde

Pela segunda vez no mundo, uma pessoa viu diminuir sua carga de vírus HIV-1, causador da Aids, e é provável que tenha sido curado, anunciaram cientistas nesta terça-feira. Dez anos após o primeiro caso confirmado de uma pessoa infectada que se livrou da doença, um homem conhecido apenas como “o paciente de Londres” não mostrou sinais do vírus por quase 19 meses após passar por um transplante de medula óssea e tratamento, informaram os pesquisadores na revista Nature.”Ao alcançar a remissão em um segundo paciente usando um método semelhante, mostramos que o ‘paciente de Berlim’ não era uma anomalia”, declarou o autor do estudo, Ravindra Gupta, professor na Universidade de Cambridge, mencionando a primeira pessoa curada.

Ambos os pacientes foram submetidos a um transplante de medula óssea para tratamento de cânceres no sangue, recebendo células-tronco de doadores com uma mutação genética incomum que impede que o HIV se entrincheire. Milhões de pessoas infectadas com o HIV em todo o mundo mantêm a doença sob controle com a chamada terapia antirretroviral (ARV), mas o tratamento não elimina o vírus dos pacientes. “Neste momento, a única maneira de tratar o HIV é com drogas que retardam o vírus, que as pessoas devem tomar durante toda a vida”, disse Gupta. “Isso representa um desafio particular nos países em desenvolvimento”, onde milhões ainda não recebem tratamento adequado, acrescentou.

Quase 37 milhões de pessoas vivem com o HIV em todo o mundo, mas apenas 59% recebem ARV. Quase um milhão de pessoas morrem todos os anos por causas relacionadas ao HIV, além da crescente preocupação com uma nova forma de vírus resistente aos medicamentos. Gupta e sua equipe enfatizaram que o transplante de medula óssea, um procedimento perigoso e doloroso, não é uma opção viável para o tratamento do HIV. Mas um segundo caso de remissão e possível cura após um transplante desse tipo ajudará os cientistas a reduzir a gama de estratégias de tratamento, disseram.

A reportagem completa está no Correio do Povo.

Aleitamento Materno é abordado em oficina da Unimed Porto Alegre

Aleitamento Materno é abordado em oficina da Unimed Porto Alegre

Crianças Notícias Saúde

Por meio do programa de Saúde da Gestante e do Bebê, a Unimed Porto Alegre oferece, em março, a Oficina de Aleitamento Materno. O encontro abordará assunto como os cuidados com as mamas, correção da “pega” e extração do leite. A atividade acontece no dia 7 de março, à partir das 14h, no Espaço Viver Bem (Rua Miguel Tostes, 823, Rio Branco – Porto Alegre).

O aleitamento materno, além de um momento especial para mamãe e bebê, é um ato de cuidado no desenvolvimento infantil, protegendo de doenças, alergias e garantindo um crescimento mais saudável. A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que o aleitamento materno seja fonte de nutrição exclusiva do bebê até o quarto mês, e que seja mantido até o sexto mês, no mínimo.

A atividade faz parte do Programa Viver Bem. Para participar da oficina, que é gratuita e exclusiva para clientes, titulares e dependentes da Unimed Porto Alegre, é preciso realizar inscrição pelo 4004-2040, opção 6, ou em unimedpoa.com.br/blogviverbem.

Além da oficina, outras atividades estão programadas para os clientes Unimed em março. Confira:

Oficina Aleitamento Materno

O quê: aborda assuntos como cuidados com as mamas, correção da pega e extração do leite

Quando: 21 de março

Onde: Espaço Viver Bem (Rua Miguel Tostes, 823, Rio Branco – Porto Alegre)

Horário: 14h00 às 15h30

Oficina Aleitamento Materno

O quê: aborda assuntos como cuidados com as mamas, correção da pega e extração do leite

Quando: 12 de março

Onde: Conjunto Comercial Canoas (Avenida Getúlio Vargas, 5.600, BR-116 – Porto Alegre)

Horário: 10h00 às 11h30

Oficina Cuidando de seu Bebê

O quê: estímulo ao desenvolvimento infantil

Quando: 13 de março

Onde: Espaço Viver Bem (Rua Miguel Tostes, 823, Rio Branco – Porto Alegre)

Horário: 14h00 às 15h00

 

Oficina Massagem para Bebês

O quê: massagem que é aplicada pelas mamães ou papais, em crianças a partir de um mês de idade.

Quando: 19 de março

Onde: Espaço Viver Bem (Rua Miguel Tostes, 823 – Rio Branco – Porto Alegre/RS)

Horário: 14h30 às 15h30

 

Alternativas para evitar o estresse dos animais no Carnaval

Alternativas para evitar o estresse dos animais no Carnaval

Agenda Cidade Cultura Educação Saúde

Participar dos festejos de Carnaval acompanhado dos animais de estimação, seja em clubes ou nos circuitos da Cidade Baixa e da Orla do Guaíba, não é proibido. Mas exige muita atenção dos tutores diante do estresse que a grande aglomeração de foliões provoca. A médica veterinária Brunna Barni, da Unidade de Saúde Animal Victória da Secretaria Municipal do Meio Ambiente e da Sustentabilidade (Smams), alerta que, além da possibilidade do cão fugir, em meio aos desfiles, é necessária uma atenção especial aos restos de alimentos jogados ao chão, bitucas de cigarros, confetes, enfeites ou balões. Se o pet tem um perfil mais desconfiado, do tipo que se assusta com mais facilidade, é melhor nem pensar na possibilidade de levá-lo às ruas”, alerta. Cães com alterações cardíacas não devem acompanhar os desfiles e o mesmo vale para filhotes não vacinados. Raças como pugs e buldogues podem apresentar alguma emergência respiratória devido a hiperventilação provocada pelo calor, colocando-os em risco de vida.

Tambores  – Os tutores que residem próximos aos locais dos eventos carnavalescos também devem ficar atentos aos sons dos blocos. A cantoria e a marcação de ritmo dos tambores pode levar a que se machuquem de tanto latir, na ansiedade de ver o que está acontecendo nas ruas. “Os ruídos e a movimentação que nós humanos adoramos nesta época, podem estressar muito nossos animais. Se puderem optar por atividades mais tranquilas, os desfiles e bloquinhos podem ficar em segundo plano,”  sugere Brunna.
Identificação – Mas se o animal não se enquadra nos casos acima e a decisão é de levá-lo ao desfile, o primeiro passo deve ser conferir o estado da guia e, se ainda não foi feito, anexar uma placa legível, para a identificação do animal com o nome, endereço e telefone do tutor. Fantasias podem ser  utilizadas fantasias desde que não sufoquem o animal.
Purpurina – Muito cuidado na aplicação de purpurina e glitter, de preferência, longe dos olhos e vias aéreas. Pintar o pelo só se o animal for alérgico. Nunca  utilizar as tinturas para cabelos e barba para humanos. Corantes apenas os adequados e se possível aplicados em locais com profissionais habilitados.
Hora da folia – Acompanhar os blocos, durante o dia, sempre mais próximo ao final da tarde. A previsão é de tempo bom, com sol o que  pode provocar desidratação. O calçamento quente queima as patinhas. “Também é recomendado o uso de protetor solar na ponta das orelhas, no focinho e na barriga”, conclui a veterinária.
Saúde libera recursos para atender moradores da região de Brumadinho

Saúde libera recursos para atender moradores da região de Brumadinho

Comunicação Notícias Saúde

O Ministério da Saúde (MS) anunciou, hoje (18), a liberação de R$ 4 milhões para custear ações assistenciais para os moradores de 18 cidades afetadas pelo rompimento da barragem da Mina do Córrego do Feijão, em Brumadinho, no último dia 25.

Segundo a pasta, os recursos serão destinados a assistência psicológica à população e aos profissionais que participam dos trabalhos de resgate das vítimas, bem como para ações de monitoramento da qualidade da água e do solo, com o propósito de prevenir doenças.

Entre as principais preocupações das autoridades em saúde estão os consequentes casos de ansiedade e depressão decorrentes do estresse pós-traumático – seja por vivência direta do desastre, seja pela perda de amigos e parentes.

De acordo com o ministério, em Brumadinho dois Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) e três Equipes Multiprofissionais de Atenção Especializada em Saúde Mental já foram habilitados, e mais dois Núcleos Ampliados da Saúde da Família e Atenção Básica (NASF-AB) ainda serão credenciados. No total, a cidade receberá R$ 1,65 milhão.

O ministério promete liberar os R$ 2,3 milhões restantes para Brumadinho e mais 17 cidades atingidas pelo desastre investirem em ações de vigilância, como prevenção e controle de epidemias e doenças como dengue, zika, chikungunya e febre amarela. Essa quantia será distribuída entre Betim, Curvelo, Esmeraldas, Felixlândia, Florestal, Fortuna de Minas, Igarapé, Juatuba, Maravilhas, Mário Campos, Papagaios, Pará de Minas, Paraopeba, Pequi, Pompéu, São Joaquim de Bicas e São José da Varginha, além de Brumadinho.

A pasta ainda se comprometeu a acompanhar pelos próximos 20 anos o quadro de saúde de cerca de mil profissionais que participam dos resgates e buscas (Bombeiros, Força Nacional de Segurança, Defesa Civil, Ibama e outros) e das vítimas do rompimento da barragem. A ação terá a colaboração de pesquisadores de instituições como a Fiocruz, as universidades Federal de Minas Gerais (UFMG) e do Rio de Janeiro (UFRJ) e a organização Médicos Sem Fronteiras. Se necessário, outras instituições referenciadas também poderão ser envolvidas.

Agência Brasil * Com informações da Ascom/MS