Governo pretende mudar programa Farmácia Popular

Governo pretende mudar programa Farmácia Popular

Destaque Saúde

Para reduzir custos, o governo quer mudar o programa Farmácia Popular, que oferta remédios gratuitos ou com desconto de atê 90% e que atendeu 10,1 milhões de pessoas em outubro. O ministro Ricardo Barros (Saúde) afirmou que quer alterar o modelo de pagamento para as 30 mil farmácias particulares credenciadas, visando economizar atê R$ 600 milhões dos R$ 2,7 bilhões gastos anualmente. Hoje, as farmácias recebem reembolso pelos produtos entregues baseado em uma tabela com valores de referências já definidos. Barros quer renegociar isso, definindo um cálculo que embuta preço no atacado e 40% de margem para compensar os custos de aquisição e distribuição dos remédios. Para representantes do setor, a iniciativa pode inviabilizar o programa, criado no governo Lula. Segundo a associação das redes de drogarias, os preços sugeridos não compensarão os custos. “Nos parece perigoso que um dos poucos êxitos seja ameaçado”, diz Antônio Britto, da Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa. Barros nega que haja desmonte do Farmácia Popular e afirma que pode voltar a distribuir todos os remédios apenas no SUS se não houver acordo. A reportagem completa está na Folha de São Paulo.

Porto Alegre: Novo sistema de bike sharing começa a ser implantado; por Marco Aurélio Ruas/Correio do Povo

Porto Alegre: Novo sistema de bike sharing começa a ser implantado; por Marco Aurélio Ruas/Correio do Povo

Cidade Destaque Marchezan Poder Política Porto Alegre Saúde Segurança Tecnologia Turismo
Um novo sistema de bike sharing chegou a Porto Alegre. Com o uso de estações digitais e a pretensão de inserir a bicicleta como meio de transporte, a Loop inicia sua operação na capital gaúcha com uma fase inicial de testes. O novo sistema foi apresentado no Parcão através de um evento que reuniu foodtrucks, shows e feira, entre outras atividades. Até o final do ano, a startup deverá disponibilizar até o final do ano cerca de 20 bicicletas nos dois primeiros pontos criados na cidade: na faculdade Imed, na rua Dona Laura, no bairro Mont’Serrat, e no Flowork, na rua Mostardeiro, no bairro Moinhos de Vento.

Outros pontos devem surgir de acordo com a necessidade dos usuários. Eles estarão localizados em universidades, shoppings, farmácias e outros tipos de estabelecimentos. Segundo Alexandre Mattos, cofundador da Loop, o serviço foca na experiência do usuário. “O que a gente vê muito em relação aos bikes sharings normais do Brasil é que a bicicleta é vista como lazer e não um meio de transporte”, afirmou. Dessa forma, o sistema apresenta funcionalidades que pretendem facilitar a vida dos usuários, como a possibilidade de reserva de bicicleta, um sistema de avaliação como nos aplicativos de transporte individual e o tempo de uso por duas horas.

O sistema é similar ao adotado na China. Na estação virtual, a bicicleta é presa por um cadeado, que é solto através do aplicativo. “Cada ponto é uma estação virtual. Não precisa de estação fixa. Pode ter cinco, seis, até 10 pontos na mesma rua”, explicou Mattos. Inicialmente, os dois pontos já estipulados na capital gaúcha terão, no total, 12 bicicletas. A expansão ocorrerá ao longo do tempo, com o aumento para 20 bicicletas até o final do ano e uma expectativa de centenas até o final de 2018. “O desafio é de ser o maior bike sharing de Porto Alegre até o final do próximo ano”, ressaltou o cofundador da startup. O usuário pode pagar a mensalidade ou a pedalada.

Porto Alegre: Especialistas internacionais discutem os avanços no tratamento do câncer de pulmão em simpósio promovido pelo Hospital Moinhos de Vento

Porto Alegre: Especialistas internacionais discutem os avanços no tratamento do câncer de pulmão em simpósio promovido pelo Hospital Moinhos de Vento

Cidade Destaque Porto Alegre Saúde

Avanços nos tratamentos, diagnósticos mais rápidos e precisos, estudos de combinações medicamentosas e uso da robótica foram discutidos entre sexta e sábado durante o 1° Simpósio Internacional de Câncer de Pulmão, promovido pelo Hospital Moinhos de Vento. Reunindo especialistas nacionais e internacionais da área, o encontro dividido entre palestras e debates permitiu a atualização de diversos novos manejos da doença pelo mundo durante os dois dias de atividades (17 e 18 de novembro) no Hotel Sheraton.

Entre os palestrantes internacionais, o oncologista do Hospital Johns Hopkins em Baltimore nos EUA, Dr. Patrick Forde, apresentou a Imunoterapia, técnica pesquisada e aplicada de forma pioneira em pacientes portadores de câncer de pulmão pela instituição Norte-americana. Em uma definição bastante simplificada, é um tratamento que faz com que as células de defesa saudáveis ataquem as células cancerígenas, podendo ser aplicado em vários tipos de cânceres, entre eles, o de pulmão. “A imunoterapia transformou-se em um importante passo com grandes ganhos no tratamento. Atualmente, existem cerca de 800 estudos ao redor do mundo e que trarão avanços importantes contra a doença”, destacou Forde.

A cirurgia minimamente invasiva, seja por videotoracoscopia ou por robótica, também foram destaque durante o evento. De acordo com o cirurgião torácico da Universidade de Toronto, no Canadá, Dr. Marcelo Cypel, ambas têm sido muito utilizadas nos últimos anos. “Estas técnicas permitem melhor recuperação e menos dor para os pacientes, além de reduzir o período de hospitalização e a necessidade de medicação para dor, bem como os riscos de acidentes intra-operatórios”, disse.

O rastreamento e os novos métodos de diagnóstico foram apontados como de grande importância no avanço do atendimento a pacientes com câncer de pulmão. “Avaliações mais precisas, com imagens mais detalhadas, são fundamentais no manejo da doença, aumentam a probabilidade de um diagnóstico mais precoce e podem reduzir a mortalidade associada a esta doença”, indicou o chefe do Serviço de Pneumologia e Cirurgia Torácica do Hospital Moinhos de Vento, Dr. Marcelo Gazzana. Para o médico, o acompanhamento do paciente por uma equipe multidisciplinar, incluindo um profissional exclusivo durante todo processo, por vezes chamado de Patient Navigator, é a prática atualmente recomendada.

O simpósio, que veio na sequência de grandes conferências mundiais sobre Oncologia ocorridas na Europa e no Japão, também trouxe dados alarmantes sobre os índices de câncer de pulmão no Rio Grande do Sul, com a maior proporção de casos no Brasil. Entre os homens, são 48,16 em 100 mil habitantes e entre mulheres, 27,67, conforme dados de 2016 do Instituto Nacional de Câncer (Inca).

Governo impedirá abertura de novos cursos de medicina; por Mônica Bergamo/Folha de São Paulo

Governo impedirá abertura de novos cursos de medicina; por Mônica Bergamo/Folha de São Paulo

Destaque Direito Educação Negócios Saúde

O governo Michel Temer vai decretar moratória para impedir a abertura de novos cursos de medicina no país. O prazo será de cinco anos. Segundo o ministro da Educação, Mendonça Filho, há clamor de profissionais da área pela suspensão. O decreto deve sei’ assinado pelo presidente até o fim do ano. Mais informações na coluna de Mônica Bergamo/Folha de São Paulo.

Porto Alegre: Dmae organiza força-tarefa para recuperar serviços acumulados

Porto Alegre: Dmae organiza força-tarefa para recuperar serviços acumulados

Agenda Cidade Marchezan Notícias Porto Alegre prefeitura Saúde

Nesta quinta-feira, 16, o secretário municipal de Serviços Urbanos, Ramiro Rosário, reuniu-se com o diretor-geral Interino do Departamento Municipal de Água e Esgotos (Dmae), Darcy Nunes, para conhecer a força-tarefa organizada para recuperar os serviços acumulados durante a greve de 40 dias dos municipários. Durante a paralisação, as equipes trabalharam com a capacidade reduzida, acumulando cerca de 2.000 demandas.

A força-tarefa iniciou as atividades já na terça-feira, 14, e prossegue trabalhando. Ela é formada por 44 equipes de água, 21 de esgoto e 16 de manutenção industrial, operando com capacidade máxima de atendimento. Essas equipes compõem a área operacional do Departamento, que realiza a manutenção de água e esgoto e também serviços eletro-mecânicos.

Rosário afirma que a preocupação, tanto da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (SMSUrb) quanto do Dmae, é manter os serviços essenciais que o Departamento presta para a cidade.  A qualidade dos serviços ficou prejudicada pelo movimento grevista. Com a suspensão da greve, em alinhamento com o novo diretor do Departamento buscaremos zerar o passivo até o final de dezembro”.

O secretário  solicita ainda a colaboração da população para continuar informando vazamentos pelo 156 opção 2, pois essa é a melhor forma de organizar a fila de atendimento dos serviços. E também no uso racional da água, principalmente nesse momento em que os sistemas da cidade ainda estão em normalização.

Composição das equipes da Força-tarefa:

Distrital Centro – 5 de água + 5 de esgoto;

Distrital Sul – 11 de água + 6 de esgoto;

Distrital Norte – 9 de água + 4 de esgoto

Distrital Leste – 10 de água + 6 de esgoto

Adutoras – 3 equipes de água

Manobra – 6 equipes de água

Manutenção Industrial (eletro-mecânica) – 16 equipes

Porto Alegre: Crise na saúde atinge Beneficência e Parque Belém; por Henrique Massaro/Correio do Povo

Porto Alegre: Crise na saúde atinge Beneficência e Parque Belém; por Henrique Massaro/Correio do Povo

Cidade Destaque Poder Política Porto Alegre Saúde

A Saúde no Rio Grande do Sul encontra na Capital dois casos que simbolizam a crise vivida em todo o Estado. Duas instituições com história em Porto Alegre, o Hospital Beneficência Portuguesa e o Hospital Parque Belém, vivem momentos distintos e que mostram, respectivamente, as dificuldades enfrentadas no dia a dia e aonde elas podem levar. Enquanto o Beneficência sofre com o fechamento de leitos do Sistema Único de Saúde (SUS), o Parque Belém já fechou suas portas e não parece ter perspectiva de retomada.

Protestos recentes realizados pelo Sindisaúde e pelo Sindicato dos Enfermeiros do Rio Grande do Sul (Sergs) junto a funcionários em frente ao Beneficência não deixam dúvida sobre a situação crítica da entidade. No final do mês de outubro, de acordo com informações do presidente do Sergs, Estevão Finger, dos 160 leitos do Hospital, apenas sete estavam ocupados. À época, o presidente do Sindisaúde, Arlindo Ritter, disse que, além dessa questão, outro problema era relativo aos salários. Segundo ele, havia um atraso de quatro meses nos pagamentos, além de condições precárias de trabalho e atendimento à população.

Uma das alternativas que chegou a ser especulada, após pedidos dos sindicatos, era uma intervenção do município na instituição. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), no entanto, não há nenhum indicativo nesse sentido. Em entrevista à Rádio Guaíba, o coordenador em Atenção em Saúde da Secretaria Municipal da Saúde, João Marcelo Lopes Fonseca, afirmou que não há motivos para o Executivo imaginar a integração de um hospital privado, filantrópico e com uma mantenedora.

A Saúde também comunicou que o Beneficência encontra-se em déficit de aproximadamente R$ 5 milhões com a pasta por estar recebendo os repasses do SUS e atendendo um número baixo de leitos – conforme a SMS, apenas seis. Ou seja, o hospital não estava mantendo o atendimento de contrapartida conforme contrato estabelecido de R$ 1,7 milhão mensal.

O Hospital Parque Belém, por sua vez, possui 250 leitos, sendo que 50 deles são apenas para a saúde mental. Localizada na zona Sul de Porto Alegre, a instituição chegou a virar foco de uma união entre os governos estadual e municipal. O secretário estadual, João Gabbardo dos Reis, e municipal da Saúde, Erno Harzheim, reuniram-se em junho para firmar uma parceria estratégica com o objetivo de reabrir o hospital através de um financiamento conjunto. A reportagem completa está no Correio do Povo.

Justiça mantém pena de 27 anos de prisão para condenados por morte de Eliseu Santos

Justiça mantém pena de 27 anos de prisão para condenados por morte de Eliseu Santos

Cidade Destaque Poder Política Porto Alegre prefeitura Saúde

A Primeira Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul negou provimento das defesas de Eliseu Pompeu Gomes e Fernando Treib Krol e manteve a condenação de 27 anos e dez meses de prisão à dupla pela morte do ex-secretário da Saúde de Porto Alegre, Eliseu Santos. O político foi assassinado com dois tiros na noite de 26 de fevereiro de 2010, quando saía de um culto evangélico na Rua Hoffmann, no bairro Floresta, acompanhado da mulher e da filha. Eliseu Gomes foi o responsável pelos disparos.

Ambos também foram condenados a um ano de detenção em regime aberto por fraude processual.

A decisão foi dada por unanimidade pelos desembargadores Sylvio Baptista Neto, Manuel José Martinez Lucas e Honório Gonçalves da Silva Neto. O entendimento da Primeira Câmara é no sentido de que “os jurados julgam por íntima convicção, sem a necessidade de fundamentar suas decisões”. Conforme o acórdão, está mantida a decisão condenatória “porque ela tem amparo na prova”. (Rádio Guaíba)

Porto Alegre: Prefeitura emite alerta para risco de escorpião amarelo.

Porto Alegre: Prefeitura emite alerta para risco de escorpião amarelo.

Cidade Destaque Porto Alegre prefeitura Saúde

A Secretaria de Saúde (SMS) de Porto Alegre emitiu alerta epidemiológico, nesta quinta-feira, sobre os cuidados e atenção aos atendimentos devidos a acidentes com o escorpião amarelo. O documento emitido pela Coordenadoria Geral de Vigilância em Saúde (CGVS) chama a atenção para a existência do animal na cidade e os riscos que a picada pode provocar, destacando a necessidade de rápido atendimento, devido ao risco de vida.

Em outubro, uma criança de cinco anos residente no bairro Lomba do Pinheiro foi atendida no Hospital de Pronto Socorro (HPS) após ser picada e a agilidade do atendimento foi essencial para o êxito do tratamento.

De acordo com o alerta epidemiológico, em casos de acidentes com escorpião a vítima deverá ser encaminhada imediatamente para o HPS. O atendimento deverá seguir classificação de risco vermelha e, se necessário, buscar orientação junto ao Centro de Informação Toxicológica da Secretaria Estadual de Saúde (CIT/RS), por meio do telefone 08007213000 – ligação gratuita. Enfatiza-se, ainda, a obrigatoriedade do preenchimento da Ficha de Notificação Compulsória, com ou sem uso de soro antiescorpiônico.

O escorpião amarelo costuma habitar locais frescos e escuros, em frestas de parede, pedaços de madeira, restos de construção, entulhos, ralos, esgotos, caixas de gordura, tanques, encanamentos, caixas com verduras, legumes e frutas, sapatos, roupas, camas, travesseiros, cortinas, alimentando-se de baratas. No caso de visualização do animal, evitar o contato e informar a localização através do telefone 156. (Rádio Guaíba)

Porto Alegre: SIMERS recebe vereadores para discutir projetos de Marchezan Jr

Porto Alegre: SIMERS recebe vereadores para discutir projetos de Marchezan Jr

Cidade Destaque Porto Alegre Saúde

Com o auditório do SIMERS lotado, os médicos municipários reforçaram a importância da continuidade do movimento grevista e debateram o impacto dos projetos de lei do Executivo relacionados aos servidores de Porto Alegre. A reunião, realizada na noite desta terça-feira (7), é parte da agenda da Comissão Especial da Câmara Municipal criada para discutir as propostas do prefeito Nelson Marchezan Júnior.

Durante o encontro, que contou com a presença de vereadores cinco partidos diferentes, o economista Cristiano Ponzoni trouxe dados sobre o impacto financeiro que os projetos terão – caso sejam aprovados. De acordo com o estudo realizado por ele, a perda salarial dos municipários seria de 25% a 54%, dependendo do tempo de atuação no serviço público. A estimativa aponta, ainda, que R$ 633 milhões deixariam de circular na economia com a redução da massa salarial.

O diretor do SIMERS e também servidor municipal Jorge Eltz analisou os principais pontos do projeto e destacou que todos eles trazem uma característica em comum: a redução de salários e a retirada de direitos. “Vários recursos poderiam ter sido utilizados para o pagamento dos salários e não foram. O parcelamento é uma decisão política, dentro de um projeto de governo que busca o estado mínimo, mas só para o povo”, ressaltou.
Contra os projetos

Relator da Comissão Especial, o vereador Airto Ferronato ressaltou o apoio que a comunidade tem dado ao movimento, entendendo que não se trata apenas dos direitos do funcionalismo, mas também de lutar por Porto Alegre. “Desde 1989, como vereador, nunca acompanhei projetos de apelo popular tão baixo. Meu relatório contrário aos projetos é uma necessidade”, pontuou.
Relatos dos médicos

Além de discutir os projetos, a reunião também serviu como espaço para que os presentes pudessem trazer seus relatos e posicionamentos. O médico Mauro Soibelman, que trabalha no Hospital de Pronto Socorro (HPS), pediu a todos aos vereadores que mantenham a capacidade de indignação diante dos cortes propostos pelo prefeito Marchezan Jr. “Inclusive pela forma como aconteceu o encaminhamento à Câmara. Não houve discussão. Ele altera as regras com o jogo em andamento e desrespeita o concurso público”, pondera.

Já a ginecologista Letícia Rossi Bueno, que atua no Hospital Materno Infantil Presidente Vargas, lembra que trabalhar no serviço público sempre foi a sua vontade, mesmo que muitos não entendessem ou a desencorajassem. “Eu adoro o que eu faço e sei que faço com qualidade. Eu quis estar aqui, atendendo pelo SUS. Depois de cinco anos e quatro meses, digo que entrei para ficar. Mas se os projetos de lei passarem, vou me exonerar. Estou recém iniciando minha carreira e sei que ficaria insustentável”, afirma.

Vinho & Arte inaugura dia 16 no Plaza São Raphael. Loja-conceito da enóloga Maria Amélia Duarte Flores terá mais de 200 rótulos entre estrangeiros e nacionais

Vinho & Arte inaugura dia 16 no Plaza São Raphael. Loja-conceito da enóloga Maria Amélia Duarte Flores terá mais de 200 rótulos entre estrangeiros e nacionais

Agenda Cidade Destaque Economia Negócios Saúde Turismo

Agora é oficial, 16 de novembro, será a data de inauguração da loja Vinho & Arte, da enóloga Maria Amélia Duarte Flores, no no hall do Hotel Plaza São Rafael. Ela mesmo lembra que: “Quase um ano já se passou, uma gestação, uma bebê nasceu, mudamos de endereço, mudamos de vida e nossa gratidão aos amigos só aumenta.” Na nova loja, Maria Amélia apresentará diversas atrações na área de vinhos, promoverá degustações e revelará sugestões para quem gosta e aprecia a bebida. Segundo ela, a Vinho & Arte não será apenas uma loja, mas uma “casa” no sentido mais amplo da palavra. O lugar foge da abordagem comercial e apela para um conceito de “Wine Experience”, oferecendo a oportunidade de vivenciar a cultura e a história por trás de cada vinho.

vinho-e-arte-jan17-int
Vinho Villa Matarazzo para Jayme Monjardim é uma criação da enóloga com o cineasta

A Vinho & Arte pretende oferecer uma imersão na cultura do vinho, ser uma espécie de “templo do vinho” nas palavras de Amélia. “Quando eu bebo, vejo as paisagens, a história dos lugares. O vinho da Serra Gaúcha, por exemplo, traduz a imigração, a ancestralidade do povo. Por ver o vinho dessa forma, tanto a loja como os produtos que vendemos acabam refletindo essa visão.” O resultado é algo que podemos chamar de “loja-conceito” ou “loja boutique”. A enóloga mantém uma relação próxima com as vinícolas gaúchas, com as quais trabalha. “Temos uma parceria antiga, de muito carinho e respeito. Vamos mostrar vinhos de Uruguaiana, Bagé ou Santana do Livramento, mesmo sendo todas cidades relativamente próximas, no Rio Grande do Sul. A oferta de vinhos será de mais de 200 rótulos, entre 20% e 30% nacionais. “Todos os vinhos serão vinhos que eu escolhi, vinhos de que eu gosto”, explica.

Enóloga, pós-graduada em Turismo, proprietária da Vinho e Arte empresa focada em vinhos, viagens e experiências enogastronômicas, Maria Amélia Duarte Flores tem acompanhado de perto as tendências no mercado vinícola brasileiro e também no internacional.

Ela lembra que os consumidores atuais de vinho mudaram bastante: “Hoje buscam preço em loja e supermercados e só pagam valor agregado quando há serviço. Gostam também de vinhos mais leves. Nunca vi um ano que pedissem tanto Pinot Noir!”, comenta, exemplificando algumas mudanças.

Com ampla experiência internacional, através de viagens e visitas pelas principais regiões de vinho no mundo, Maria Amélia ressalta ainda outras observações sobre o mercado profissional. “Vejo uma mentalidade de se abrir para o novo, explorar novas terras, novas variedades. Quebrar paradigmas. Os profissionais estão estudando mais, viajando, indo além do conhecimento de pai para filho, que é importante, mas precisa sempre ser aprimorado. Há inovação nas vinícolas, marketing, aos poucos os produtos se aproximam mais dos anseios do consumidor do que só o sonho do enólogo. Por outro lado os profissionais da área precisam conhecer, não apenas buscar novidades, mas fortalecer as parcerias tradicionais. É importante que as empresas vinícolas também acreditem no aprimoramento e conhecimento destes profissionais”, pontua a enóloga.

Para ela, que também é autora do “Diagnóstico do Enoturismo Brasileiro”, além da pesquisa do Centenário da Vinícola Peterlongo, em empreendimentos como bares, restaurantes e hotéis, uma carta de sucesso não pode assustar as pessoas. “Não pode ter tanta informação técnica, nem apenas marcas estranhas. É importante ter equilíbrio entre coisas que as pessoas conhecem, outras que possam surpreender. Não apavorar em preços. Estamos rumo ao mercado de preços justos, o cliente não quer pagar apenas marca, quer provar vinhos bons, quer beber bem”, explica. Maria Amélia também atua como palestrante, desde degustações e cursos in company, seja para iniciantes, workshops motivacionais ou para especialistas. (Felipe Vieira com informações do Blog Movido a Vinho, de Álvaro Lima e Revista Carta Premium)