99 entrega sistema de gestão inteligente das sinaleiras para Porto Alegre

99 entrega sistema de gestão inteligente das sinaleiras para Porto Alegre

Notícias Segurança

A 99, empresa de transporte urbano que integra a companhia global DiDiChuxing, maior empresa de mobilidade do mundo, entrega a Porto Alegre um sistema de gestão inteligente de trânsito, desenvolvido exclusivamente para a cidade. Chamada de “Mapa de Fluidez”, a ferramenta é parte de um acordo de cooperação assinado entre a empresa e a Prefeitura com o propósito de implementar ações que melhorem a mobilidade urbana na capital gaúcha. O mapa será entregue em uma solenidade no dia 15 de outubro, a partir das 11h, no Salão Nobre da Prefeitura e contará com a presença do prefeito Nelson Marchezan (TBC).

O Mapa dará informações sobre o trânsito atualizadas em tempo real, como a velocidade média dos automóveis nas ruas e avenidas, horários de maior movimento e desempenho semafórico. A Prefeitura também poderá consultar o histórico desses indicadores e avaliar sua evolução. Com os dados fornecidos pela 99, os agentes públicos terão mais ferramentas para intervir estrategicamente no trânsito e implementar melhorias para a cidade. Atualmente, Porto Alegre tem 1.399 semáforos em 2.800 quilômetros de vias.

Até o fim deste ano, a 99 entregará, ainda, uma versão 2.0 da ferramenta. A nova versão fornecerá uma análise inteligente dos tempos de verde e sincronismo das sinaleiras. A tecnologia analisa os tempos atuais e propõe ajustes para reduzir congestionamentos e dar mais fluidez ao tráfego. Os dados agregados coletados pela 99 alimentam o sistema e ajudarão a EPTC a planejar desde intervenções pontuais até uma revisão semafórica mais completa.

Miguel Jacob, gerente de Políticas Públicas na 99, explica que “os dados que o sistema mostra são provenientes do GPS dos motoristas conectados à plataforma e coletados a cada dois segundos, em média. Agregados, eles permitem uma visualização da velocidade média das vias praticamente em tempo real, o que agiliza a tomada de decisão e pode colaborar para a implementação de políticas públicas com estatísticas reais sobre a capital gaúcha, e não somente informações de aglomerados urbanos similares. É a fotografia em movimento da cidade para pensar o presente e o futuro com mais clareza”. Porto Alegre é a primeira cidade brasileira a receber esta tecnologia desenvolvida por técnicos brasileiros e chineses.

Na China, mais do que oferecer uma gama de modais, os cientistas de dados da DiDi estão trabalhando com governos locais em mais de 20 cidades para melhorar a eficiência dos sistemas de gerenciamento de transporte urbano usando tecnologia de big data e inteligência artificial. Em algumas localidades, como em Guangzhou, a gestão inovadora possibilitou redução de congestionamentos e aumento de 42,3% na velocidade média nos principais corredores de tráfego. “Isso tem interferência direta na qualidade de vida das pessoas. Uma cidade inteligente é mais fluida, integra modais e devolve tempo para os moradores. Além disso, os técnicos também podem usar a ferramenta para planejar políticas públicas de transporte, por exemplo, para desenhar áreas calmas e mais seguras para pedestres, ou até mesmo medir o impacto de obras no trânsito”, completa Jacob.

“Estamos entregando para a cidade uma ferramenta que permite a maior eficiência do gestor público na mobilidade de seus moradores. Isso mostra o quanto procuramos encontrar soluções que facilitem a vida de todos”, comenta a gerente de operações da 99 em Porto Alegre, Clarissa Brasil.

 

Mais resultados da parceria: Em maio do ano passado, a 99 entregou para a cidade um “mapa de calor” da madrugada que identifica os principais locais de embarque e desembarque no aplicativo, num indicativo de “áreas de risco” onde a mistura álcool e direção pode estar presente. Desde então, a EPTC pode organizar ações educativas em bares e estabelecimentos similares com foco na prevenção.

Porto Alegre recebe em novembro ufólogos que denunciam que o Governo Americano esconde a verdade sobre os discos voadores

Porto Alegre recebe em novembro ufólogos que denunciam que o Governo Americano esconde a verdade sobre os discos voadores

Agenda Comportamento Comunicação Cultura Destaque Segurança Tecnologia

Os Estados Unidos sempre negaram veementemente que os discos voadores existam e que venham de algum outro planeta do universo. Esta política de refutação, que os ufólogos chamam de “acobertamento ufológico”, vem ocorrendo sistematicamente desde 1947, quando houve a queda de uma nave extraterrestre em Roswell, no Novo México. Foi apenas o Governo Americano descobrir que havia no veículo acidentado uma elevadíssima tecnologia — que poderia usar em seu proveito para fins bélicos —, que começou a negação da existência de discos voadores e sua origem exógena à Terra.

Esta política também foi implementada na época por outros governos, como a Rússia, China e Inglaterra, pelos mesmos interesses, mas não teve eco no América do Sul, apesar de vários países do continente sofrerem forte pressão americana para que também refutassem a existência dos discos voadores. No Brasil, ao contrário, em vez de negar sua existência, os militares da Aeronáutica os investigavam por meio de programas, como o Sistema de Investigação de Objetos Aéreos Não Identificados (Sioani), implantado em São Paulo em 1969 e que durou até 1972, ou seja, em pleno regime militar.

Formas de vida inteligente no universo

A tradição do Brasil de aceitar a existência de outras formas de vida inteligente no universo, que vêm até aqui em naves que chamamos de discos voadores, fez com que o país estivesse sempre na dianteira das discussões mundiais sobre Ufologia. E isso se confirmará mais uma vez em novembro, quando a Revista UFO realizará em Recife, Porto Alegre, São Paulo e Curitiba o maior evento na área que já se fez no país. Será o UFO Summit Brazil 2019, que trará ao Brasil celebridades do cenário ufológico internacional que denunciam abertamente que o governo americano ainda esconde a verdade sobre os discos voadores.

Um deles é Nick Pope, que foi diretor do organismo confidencial do governo inglês que pesquisava discos voadores, o chamado “UFO Desk”, que funcionou no Ministério de Defesa daquele país. O órgão investigava secretamente ocorrências ufológicas com interesse científico e militar — muitas vezes em conjunto com os Estados Unidos — para descobrir se seriam possíveis ameaças à segurança nacional britânica. Pope trabalhou para o Governo Inglês por nada menos do que 21 anos nesta função. “Minha tarefa era analisar casos de avistamentos de discos voadores e contatos com seus tripulantes para determinar se poderiam ser perigosos à Inglaterra. E foram milhares”, afirma.

unnamed(3)
Stephen Bassett (À esquerda)e Nick Pope: ativistas pela liberaçãode informações sobre discos voadores. Foto: Revista UFO

O outro conferencista que também participa do UFO Summit Brazil 2019 é o americano Stephen Bassett, físico e maior ativista ufológico dos Estados Unidos. Ele é diretor do Paradigm Research Group (PRG), que tem como objetivo lutar contra a política de acobertamento ufológico. Segundo Bassett, existem evidências contundentes da presença e ação de outras formas de vida inteligente na Terra. “Se esses fatos forem expostos como devem, muitos governos terão de criar um plano emergencial para lidarem com um novo futuro da humanidade, a começar pelos Estados Unidos”, diz Bassett.

Orçamento milionário para pesquisa dos discos voadores

Nick Pope e Stephen Bassett virão ao Brasil para apresentar, entre outros fatos, a revelação que o Pentágono mantinha até 2017 um órgão secreto de pesquisa ufológica com verba milionária. Era o Programa Avançado de Identificação de Ameaças Aeroespaciais (AATIP), que só em 2016 teve um orçamento de 22 milhões de dólares para investigação de ocorrências ufológicas, tudo evidentemente em segredo — a suspeita de Pope e Bassett é de que, após a revelação de sua existência, o órgão tenha mudado de nome e formato, mas continue investigando avistamentos de discos voadores, especialmente de militares americanos.

Quando houve a revelação da existência do AATIP no Pentágono, que se deu por meio do jornal “New York Times”, causando enorme polêmica em todo o mundo, seu próprio ex-diretor veio a público confirmar os fatos. Luis Elizondo, analista sênior de Inteligência que atuou em guerras no Irã e Iraque, com ampla experiência no meio militar americano, declarou com todas as letras: “O Governo Americano sabe muito bem da existência de outras formas de vida extraterrestre visitando a Terra. Negar isso se tornou insustentável. É hora de o mundo saber a verdade”. Quando fez a revelação, Elizondo apresentou três vídeos de UFOs feitos pela Marinha americana e se demitiu do Pentágono.

unnamed(5)
Luis Elizondo (à esquerda) e Tom Delonge: Juntos criaram a To the Stars Academy e runiram notáveis para pesquisar os discos voadores. Foto: TTSA

Elizondo se juntou ao roqueiro da banda Blink 182 Tom DeLonge, um aficionado por UFOs desde criança, tendo tido várias experiências ufológicas, e juntos fundaram uma entidade para pesquisar ocorrências de discos voadores e contatos com tripulantes. É a To the Stars Academy (TTSA), que hoje conta com Nick Pope e Stephen Bassett em seus quadros, além de várias celebridades do mundo político e científico dos Estados Unidos, que também divergem do governo quanto à refutação dos discos voadores — um deles é Jim Semivan, que foi chefe de operações da Agência Central de Inteligência (CIA) por 25 anos, e outro é o doutor Hal Puthoff, um dos mais reconhecidos cientistas americanos.

Confrontar o governo e demandar abertura de informações

“A To the Stars Academy é a mais importante iniciativa que já se fez nos Estados Unidos e no mundo para confrontar o governo e demandar que se faça uma ampla e completa abertura de documentos secretos sobre a manifestação na Terra de outras formas de vida inteligente provenientes de outros planetas”, declara Bassett, que pretende mostrar no UFO Summit Brazil 2019 tudo o que já se descobriu a respeito. Ele é acompanhado nesta declaração por dezenas de ufólogos dos Estados Unidos e de outros países.

Nick Pope também sustenta que a revelação da verdade é de máxima importância para a população não apenas americana, mas mundial. “O que pode ser mais importante para todos do que saber que existem inúmeras outras formas de vida extraterrestre inteligente espalhadas por incontáveis planetas do universo — e que muitas delas chegam até aqui em veículos que chamamos de discos voadores?”. E completa: “Nenhum governo tem o direito de esconder essa informação sob qualquer pretexto”.

 

A realidade da abertura ufológica brasileira

A dupla estará ladeada no evento pelo ufólogo brasileiro A. J. Gevaerd, referência nacional e internacional em Ufologia. Gevaerd é criador e editor da Revista UFO, a mais antiga publicação sobre Ufologia do mundo, com 36 anos de existência. Foi ele quem, em 2004, elaborou a campanha “UFOs: Liberdade de Informação Já”, para pedir ao Governo Brasileiro que abrisse seus arquivos secretos sobre discos voadores. Gevaerd então formou a Comissão Brasileira de Ufólogos (CBU) com mais importantes pesquisadores do país e, por meio da UFO, recolheu 70 mil assinaturas de simpatizantes da causa.

Deu certo. A partir de 2007, após uma reunião que os membros da CBU tiveram do militares da Aeronáutica no Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (Cindacta) e Comando de Defesa Aeroespacial Brasileiro (Comdabra) — a convite deles —, o Governo passou a liberar seus documentos antes secretos sobre suas pesquisas de discos voadores no país. Em 2013 o grupo foi recebido novamente por militares, desta vez no Ministério da Defesa, em Brasília, para demandar que mais arquivos fossem abertos — hoje são cerca de 20 mil páginas de documentos já entregues à sociedade, alojadas para escrutínio público no Arquivo Nacional.

unnamed(6)
A. J. Gevaerd (À direita) entrevista o coronel Uyrangê Hollanda, que comandou a Operação Prato secretamente na ilha de Colares, no Pará

Gevaerd, Nick Pope e Stephen Bassett pretendem no UFO Summit Brazil 2019 voltar a pedir ao Governo Brasileiro que continue seu processo de abertura ufológica, agora revelando novos e importantes ocorrências ufológicas. Ao mesmo tempo, desde seu tour pelas quatro cidades brasileiras, Gevaerd, Pope e Bassett reforçarão a participação brasileira no movimento global que pede a revelação imediata e completa da verdade sobre a existência de discos voadores e sua ação na Terra. “O Brasil é parte fundamental em um processo que vise a abertura oficial e definitiva sobre realidade ufológica”, diz o editor. O próximo passo é alinhar estão ação com movimentos semelhantes hoje ocorrendo na Argentina, Chile, Inglaterra, Itália, Rússia e China, entre outras nações, e levar o pleito à Organização das Nações Unidas (ONU) em 2020.

Serviço:

O UFO Summit Brazil 2019 em sua fase Porto Alegre ocorrerá no dia 19 de novembro, às 20h00, no Auditório Diplomata do Hotel Embaixador, na Rua Jerônimo Coelho 354, Centro Histórico. Os ingressos custam R$ 120,00 e pode ser pagos em até 12 vezes no site oficial do evento: www.ufosummit.com.br. As inscrições são limitadas a 600 pessoas e mais da metade das vagas já foi vendida.

Global assina para o DetranRS campanha do movimento “Empatia no Trânsito. Você no Lugar do Outro”

Global assina para o DetranRS campanha do movimento “Empatia no Trânsito. Você no Lugar do Outro”

Comunicação Destaque Publicidade Segurança Vídeo

Um número expressivo de acidentes de trânsito poderia ser evitado com o exercício diário da empatia e do cuidado com o próximo. A capacidade humana de se colocar no lugar do outro nos faz perceber que a rotina em estradas e avenidas não é feita de máquinas, mas de pessoas. É com essa percepção que a Global assina para o DetranRS a campanha do movimento “Empatia no Trânsito. Você no Lugar do Outro”.  Com o slogan O Trânsito pode Deixar Marcas Boas, as peças valorizam que os bons exemplos valem para a vida e para o trânsito e que quando as pessoas de colocam no lugar do outro, tudo fica mais fácil e o mundo fica mais humano.

Adesivo_Empatia_no_trânsitoA campanha da Global contempla filmes na TV aberta, spots de rádio, anúncios, ativação digital, conteúdo para redes sociais, mídia externa e ações em pedágio. Também foram produzidos adesivos para ampla distribuição. O adesivo traz o símbolo da campanha e está se espalhando de forma espontânea pelas ruas e avenidas de todo o Rio Grande do Sul.

“Nós recebemos um desafio do bem, que era falar de trânsito sem reforços negativos. Foi a partir desse briefing que chegamos ao conceito: o trânsito pode deixar marcas boas”, diz Josué Orsolin, redator da Global.

De acordo com a diretora institucional do DetranRS, Diza Gonzaga, o movimento foi concebido a partir da necessidade de melhorar a qualidade de vida das pessoas  por meio de atitudes que promovem o melhor convívio no espaço público e que certamente ajudarão a reduzir o alto índice de mortalidade no trânsito. Hoje são 40 mil mortes no Brasil por ano e em torno de 1,7 mil no Rio Grande do Sul.

 

Ficha técnica

Campanha Detran RSTítulo: Empatia no Tânsito. Você No Lugar do Outro
Anunciante: Detran-RS
Agência: Global

Direção de Criação: Juliano Faermam e Vini Marques
Redação: Josué Orsolin
Direção de arte: Bruno Osório e Matheus Motta

Diretor de atendimento: Alexandre Skowronsky
Gerente de atendimento: Fernanda Farias

Atendimento: Josiane Ferreira
Mídia:  Douglas Farland Neto, Karla Barbosa e Tobias Campos

Produção Gráfica: Débora Roth e João Paulo Rocha

Fotógrafo: Celso Chittolina

Tratamento de Imagem: MECA
RTVC: Roberto Simões
Produção/Filme: Zeppelin
Direção/Filme: Fernanda Rotta
Atendimento/Produtora: Mirela Cunha
Direção de arte/Produtora: Bernardo Zortea
Produtora de som: Sound Thinkers
Músico: Tiago Abrahão
Atendimento: Tiago Abrahão
Aprovação do cliente: Tânia Moreira, Diza Gonzaga, Alana Lacerda, Márcia Boeira, Eduardo Manica e Thyele La Rosa

Porto Alegre: 39º Congresso Brasileiro de Pediatria acontece de 9 a 12 de outubro na FIERGS. Evento deve reunir cerca de sete mil participantes

Porto Alegre: 39º Congresso Brasileiro de Pediatria acontece de 9 a 12 de outubro na FIERGS. Evento deve reunir cerca de sete mil participantes

Agenda Notícias Saúde Segurança Tecnologia Trabalho Turismo

Porto Alegre vai se transformar nesta semana, na capital brasileira onde o futuro – e presente de crianças e adolescentes – será analisado e discutido. Durante cinco dias, iniciando dia 08 com o pré-congresso – até 12 de outubro, Dia da Criança – , especialistas na primeira fase da vida participam de simpósios, mesas-redondas e eventos científicos. O 39° Congresso Brasileiro de Pediatria (CBP) é uma promoção da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) em parceria com a Sociedade de Pediatria do RS (SPRS) e deverá contar com a presença de, aproximadamente, sete mil participantes entre médicos, estudantes e outros profissionais ligados à especialidade.

019Com uma pauta ampla, os pediatras – especialidade que atua com olhos no futuro – vão se debruçar sobre os temas que mais preocupam os pais e a sociedade como um todo, discutindo condutas que vão definir na infância as futuras características do indivíduo. Sabe-se que doenças na vida adulta, como obesidade, diabetes, doenças cardiovasculares e autoimunes podem ser evitadas na fase inicial da vida.

Entre os principais assuntos, destacam-se: Crianças e o uso dos dispositivos eletrônicos, incluindo proposta de Projeto de Lei para orientar uso adequado; Obesidade infantil e consequências na vida adulta; Nascer com segurança no Brasil; Novo olhar sobre o aleitamento materno; Violência contra a criança e adolescente; Diagnóstico precoce do câncer; Novo surto de sarampo no Brasil e a cobertura vacinal.

 

SERVIÇO:

39º Congresso Brasileiro de Pediatria (CBP)

Local: Centro de Eventos da FIERGS

Data: De 9 a 12 de outubro (de quinta-feira a sábado)

Clique aqui para mais informações

 

Porto Alegre: Empresários da Zona Sul decidem reformar instalações da Brigada Militar

Porto Alegre: Empresários da Zona Sul decidem reformar instalações da Brigada Militar

Destaque Segurança

Um grupo de empresários da zona sul de Porto Alegre decidiu arregaçar as mangas e ir além de simplesmente pagar impostos e esperar que o Estado resolva tudo. Liderados por Hassann Akmed, diretor da Prontosul e criador do Quintal Dona Irena, e Ivo Kiling e Pedro Ranieri, diretores da KS Arquitetos, comerciantes e prestadores de serviços do bairro Tristeza estão reunindo os recursos necessários para reformar o prédio onde funciona a 2ª Companhia da Brigada Militar, na esquina da av. Wenceslau Escobar com a rua Armando Barbedo. Por ser um prédio tombado pelo Patrimônio Histórico, as reformas serão apenas internas e de mobiliário, sem mexer na estrutura da construção.

O dinheiro está sendo obtido através de uma vaquinha online, onde todos participam de acordo com suas possibilidades. “Temos nossos negócios aqui, atraímos pessoas de vários lugares, portanto, precisamos de segurança para trabalhar e para que nossos clientes e colaboradores transitem com tranquilidade”, observa Akmed.

Serão construídos dormitórios para o novo contingente de policiais que está chegando, instalação de camas, armários e ar condicionado, troca do forro do teto, de lâmpadas e luminárias, cobertura do estacionamento, entre outras melhorias. “Nossa intenção é proporcionar uma unidade modelo, que sirva de exemplo a outras companhias em todo o Estado, numa firme parceria público-privada”, afirma Hassann. A 2ª Companhia da BM terá mais de 110 policiais trabalhando alternadamente quando chegarem os novos. Parte será do novo contingente de PMs que se formaram recentemente.

As obras começarão assim que os recursos financeiros estiverem arrecadados e sejam suficientes para dar andamento a tudo. “Não estamos trabalhando com um prazo determinado, mas, sim, contínuo, para que as obras não sofram nenhuma paralisação.”

A comunidade empresarial do bairro Tristeza reconhece o bom trabalho prestado pela Brigada Militar, resolvendo incômodos, como redução das pichações e do vandalismo. No entanto, sabe que esse trabalho é permanente e, para que isso ocorra, todos têm que se envolver. “Já estamos sentindo uma sensação de segurança que há bastante tempo não havia na Zona Sul devido ao trabalho intenso e permanente dos policiais que compõem a 2ª Companhia e queremos que continue assim. Por isso nossa intenção é proporcionar as melhores condições para que executem seu trabalho com conforto e eficácia”, afirma.

Segurança Pública: Programa “Butiá Mais Seguro” atinge 100 câmeras integradas

Segurança Pública: Programa “Butiá Mais Seguro” atinge 100 câmeras integradas

Cidade Destaque Polícia Segurança Tecnologia Trabalho Vídeo

O município de Butiá atingiu uma importante marca na última semana, chegando ao número de 100 câmeras conectadas ao Centro Integrado de Controle de Operações e Videomonitoramento Municipal. A meta foi batida após sete meses do lançamento do Programa “Butiá+Seguro”. As imagens auxiliam na vigilância da cidade 24 horas por dia e são acompanhadas pelos órgãos de segurança. O inicio das operações da iniciativa da Prefeitura de Butiá ocorreu em fevereiro deste ano, com o intuito de apoiar a Brigada Militar e Polícia Civil na prevenção e investigação de crimes. O Poder Executivo investiu na aquisição dos equipamentos para a montagem do Centro de Videomonitoramento, além de câmeras e da plataforma que mantém as imagens salvas e oferece o suporte necessário.

Inicialmente, o programa possuía 30 câmeras instaladas em prédios públicos de diferentes pontos de Butiá, incluindo uma speed dome (com alcance de 360 graus). Porém, a meta da Administração Municipal era alcançar 100 equipamentos integrados através da vigilância colaborativa, que permite o compartilhamento de imagens de equipamentos do comércio e demais moradores, desde que se encaixem nos requisitos técnicos estipulados.

A centésima câmera é justamente dessa parceria entre Poder Público e comunidade. O equipamento fica localizado em um prédio comercial, possibilitando o acompanhamento em tempo real de mais um ponto da cidade. O titular da Delegacia de Polícia local, delegado Carlos Ferreira, explicou que era necessário dar o “ponta pé” inicial no uso destes recursos e que a prefeitura acertou no projeto. “O videomonitoramento intimida os praticantes de delitos. É excelente, pois hoje nós abrimos o sistema e conseguimos ver em tempo real muitos pontos, com imagens muito nítidas”, afirmou Ferreira.

O sistema implantado em Butiá é considerado pioneiro na Região Carbonífera e Vale do Rio Pardo. As câmeras de segurança podem identificar placas de veículos, alerta de atividades suspeitas e também apontar indivíduos procurados, por meio das características físicas ou até mesmo por detalhes da roupa. Contudo, o ponto que mais chama a atenção é garantia da segurança das imagens, já que elas são armazenadas na “nuvem” do servidor. Com isso, mesmo que o equipamento seja roubado ou danificado, as gravações podem ser resgatadas.

O comandante do Pelotão da Brigada Militar de Butiá, tenente Oliveira, ressaltou que o sistema tem contribuído com as abordagens de suspeitos e também na identificação de carros que entram na cidade. “Com o “blacklist” que o projeto oferece, nós cadastramos placas suspeitas e somos notificados quando ele entra no município ao passar pelas câmeras. Essa é uma das vantagens que mostra que o uso da tecnologia é importante”. conclui

Para o prefeito Daniel Almeida, o número expressivo significa que a população acreditou na eficácia do projeto. O líder do Executivo também ressaltou que o investimento era um anseio dos butiaenses. “Não é segredo para ninguém que nossas polícias sofrem com a falta de efetivo. A gestão municipal não tem o poder de contratar estes profissionais, mas isso não significa que vamos ficar de braços cruzados. É preciso criar ideias inteligentes e que tragam resultado, como o “Butiá+Seguro”. Fico extremamente feliz em estar contribuindo com a Brigada Militar e Polícia Civil, que apesar das dificuldades, nunca viraram as costas para os problemas”, pontuou.

Outro benefício do programa foi a instalação de câmeras de segurança em todas as escolas da Rede Municipal, na zona urbana e rural. De acordo com Almeida, o objetivo é dar sequência e instalar mais equipamentos, além dos que já estão em pontos estratégicos, acessos e vias públicas.

São Borja: aeroporto gaúcho contrata estudos e projetos da Infraero

São Borja: aeroporto gaúcho contrata estudos e projetos da Infraero

Agenda Negócios Notícias Segurança Trabalho Turismo

São Borja, na fronteira Oeste do Rio Grande do Sul, é o novo destino da Infraero. A empresa foi contratada pelo município gaúcho para iniciar a modernização do aeroporto da cidade. O contrato foi publicado no Diário Oficial da União na última sexta-feira (27/9). A Infraero terá, agora, 200 dias para fazer estudos preliminares e projeto básico que envolvem a recuperação da pista de pouso e decolagem e a implementação de cerca operacional para o aeroporto do município.

“Os serviços oferecidos para São Borja fazem parte de nosso portfólio de novos negócios, especialmente de engenharia. A prefeitura poderá contar com um trabalho de qualidade, desenvolvido por uma empresa com 46 anos de experiência e que é responsável por melhorias em pistas de grandes aeroportos, como Santos Dumont e Belém”, avalia o superintendente de Negócios em Serviços Aeroportuários, Claiton Resende.

Ao todo, 15 técnicos da empresa trabalharão nas atividades relacionadas ao Aeroporto de São Borja. Eles farão visitas técnicas e levantamentos topográficos para analisar as condições de infraestrutura do aeroporto, conforme as diretrizes do Regulamento Brasileiro de Aviação Civil 154, que estabelece as regras a serem adotadas no projeto de aeródromos. “A Infraero fará a verificação das características e dimensões das áreas pavimentadas, de segurança nas laterais (faixa de pista e preparada) e após as cabeceiras da pista (área de escape), drenagem, obstáculos, sinalizações, dentre outras”, explica o superintendente de Engenharia da Infraero, Giuliano Capucho.

Novo modelo de atuação

A prestação de serviços técnicos, e consultorias para Estados, municípios e outros operadores de aeroportos faz parte da nova estratégia de atuação da Infraero. Atualmente, 25 localidades fora da rede Infraero estão sendo atendidas nos segmentos de Soluções Digitais Operação e Gestão de Aeroportos, Treinamentos e Serviços Técnicos. Entre os clientes da Infraero nestes serviços estão a Prefeitura de Sorriso (MT), que está recebendo a recuperação de sinalização da pista de pouso e decolagem, pátio de aeronaves e pista de taxiamento do aeroporto da cidade; e o Estado de Rondônia, que buscou a Infraero para desenvolver o projeto de ampliação da pista de pouso e decolagem do município de Ariquemes, com implantação de área de escape e sinalização horizontal do sistema de pistas e pátio.

Tecnologia: Waze anuncia integração do Waze for Cities Data com o Google Cloud

Tecnologia: Waze anuncia integração do Waze for Cities Data com o Google Cloud

Notícias Segurança Tecnologia Trabalho

O Waze, plataforma que reúne comunidades dentro e fora da estrada, anunciou hoje que o Waze for Cities Data agora está disponível na plataforma do Google Cloud. O programa agora permite que os mais de mil parceiros globais acessem e analisem dados de trânsito em tempo real, mapeiem padrões de mobilidade e criem visualizações de dados, e analisem padrões de mobilidade pela primeira vez. Atualmente, são 190 parceiros em toda a América Latina, sendo 70 no Brasil, incluindo as cidades de Florianópolis, Joinville, São Paulo, Rio de Janeiro e Vitória, além de órgãos como o DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), e muitos outros.

O Waze For Cities Data, antes conhecido como Connected Citizens, foi lançado em outubro de 2014 com dez cidades parceiras e cresceu para mais de mil parceiros em todo o mundo. Gratuito, esse programa é uma via de mão dupla para troca de dados publicamente disponíveis, e aproveita a tecnologia mobile e tráfego de dados crowdsourcing para fortalecer municípios e socorristas a melhorar a infraestrutura urbana existente.

unnamed(2)“O Waze foi pioneiro no compartilhamento de dados com as cidades e no trabalho com elas para melhorar a infraestrutura e combater o tráfego. Mas, nos últimos cinco anos, o cenário mudou. As cidades têm mais dados do que nunca, e querem ferramentas melhores para analisá-los e poder usá-los para melhorar suas vias. Estamos entusiasmados em fornecer essa integração com o Google Cloud, que tornará ainda mais fácil para nossos parceiros do Waze for Cities organizem, armazenem, interpretem e compartilhem com mais facilidade dados e informações de transporte”, disse Dani Simons, Head de Parcerias no Setor Público do Waze.

“Os parceiros do Waze for Cities Data não precisarão mais criar as próprias ferramentas ou ter diferentes sistemas para diferentes fontes de dados. A integração com o Google Cloud facilitará a visualização do Waze for Cities Data e a sobreposição de outras fontes de dados relacionadas ao transporte para um panorama completo das tendências de mobilidade e intervenções, em um só lugar”, explicou Sudhir Hasbe, Diretor de Gerenciamento de Produtos do Google Cloud.

Com a integração ao Google Cloud, os parceiros do Waze for Cities Data terão acesso ao melhor data warehouse, o BigQuery, e à ferramenta de visualização de dados Data Studio, tornando os dados ainda mais simples de interpretar e de comunicar para públicos não técnicos. Os parceiros podem analisar até 1 TB de dados e armazenar até 10 GB de dados gratuitamente todo mês. Com este programa, os parceiros também podem armazenar e analisar com segurança e privacidade seus próprios dados e executar suas próprias análises, apoiadas nos dados de cidades do Waze. Assim como todos os parceiros e clientes do Google Cloud, os parceiros do Waze for Cities permanecerão no controle completo de seus dados.

Qualquer órgão público é elegível para se candidatar ao programa clicando em “Registre-se agora” na página inicial do Waze for Cities. Os parceiros atuais receberão mais informações sobre como integrar sua conta já existente.

RS: Audiência pública na Assembleia Legislativa discute o projeto Mina Guaíba

RS: Audiência pública na Assembleia Legislativa discute o projeto Mina Guaíba

Destaque Economia Negócios Saúde Segurança Tecnologia Trabalho Vídeo

A Comissão de Saúde e Meio Ambiente da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul realiza audiência pública tratar do projeto Mina Guaíba, que prevê a extração de carvão a céu aberto,  na região entre Eldorado do Sul e Charqueadas. O projeto tem previsão de extração de 200 milhões de toneladas do mineral,  em um investimento de US$ 1,5 bilhão. A audiência na segunda-feira (30), às 18h, no Teatro Dante Barone da Assembleia foi proposta pelo deputado estadual Edegar Pretto (PT). – Queremos jogar luz nas questões duvidosas, e por isso aprovamos essa audiência que vai servir para que os deputados, o povo gaúcho e principalmente as populações atingidas, possam eliminar todas as dúvidas sobre os riscos do projeto – explica.

Foram convidados a participar o órgão licenciador – a Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam), a Copelmi, o Ministério Público Federal e Ministério Público gaúcho, deputados e deputadas, e o Comitê de Combate à Megamineração no RS, além de moradores e lideranças da região. O evento é aberto ao público com entrada gratuita. – Entre os questionamentos que vamos fazer está o número de empregos que serão gerados em comparativo com os que deixarão de existir com a retirada de famílias que moram e vivem da agricultura na região. Outro questionamento trata das medidas que serão adotas para evitar a contaminação do rio Jacuí. E ainda, qual a segurança que terá a população que bebe a água do Guaíba, num eventual acidente ambiental com contaminação – adianta Edegar Pretto.

SERVIÇO:
O que: Audiência Pública sobre o projeto Mina Guaíba
Quando: Segunda-feira, dia 30 de setembro
Hora: 18h
Local: Teatro Dante Barone da Assembleia Legislativa
Entrada: Gratuita

Porto Alegre: Guarda Municipal recebe capacitação para abordagem à tentativa de suicídio

Porto Alegre: Guarda Municipal recebe capacitação para abordagem à tentativa de suicídio

Comportamento Destaque Porto Alegre prefeitura Saúde Segurança Trabalho

Agentes da Guarda Municipal foram capacitados para abordagem técnica à tentativa de suicídio nesta sexta-feira, 27, na Orla Moacyr Scliar. A psicóloga da Secretaria Municipal de Segurança (SMSeg), Paula Rodrigues Morroni , ensinou ao grupo de 15 agentes técnicas de identificação de atitudes de pessoas com ideias suicidas.

“Tratamos de questões que facilitam o acolhimento para que a intervenção seja feita de maneira adequada. E um processo diferente do que a Guarda está acostumada a fazer, pois utiliza mais técnicas operacionais no seu dia-a-dia. Qual a melhor fala, a melhor conduta, como conduzir essa pessoa e qual o serviço mais adequado para se buscar para evitar que a pessoa tire a própria vida”, explica a profissional.

Para o secretário municipal de Segurança, Rafael Oliveira, essa ação é de extrema relevância, pois ajudará os guardas a identificarem possíveis pessoas que queiram cometer o suicídio. “Aquele que quer tirar a própria vida sempre avisa, de um jeito ou de outro, pois até mesmo um gesto corporal pode ser um sinal de que pretende cometer o suicídio. E nesse Setembro Amarelo, a Guarda Municipal não poderia ficar de fora dessa campanha tão importante já que a nossa atividade é preservar vidas”, observa.

A atividade é alusiva ao Setembro Amarelo, campanha brasileira de prevenção ao suicídio. A iniciativa busca promover, durante o mês, eventos que abram espaço para debates e divulgação do tema, alertando a população sobre a importância de sua discussão.