MPF quer transferir Cabral para Curitiba

MPF quer transferir Cabral para Curitiba

Destaque Segurança

Em atuação conjunta dos ministérios públicos do Estado do Rio e Federal, o ex-governador Sérgio Cabral e o secretário de Administração Penitenciária, Erir Ribeiro, foram acusados de improbidade administrativa. Procuradores querem que Cabral deixe a penitenciária de Benfica devido a regalias como acesso a equipamentos de musculação, alimentos indevidos e escolta particular de agentes penitenciários. A reportagem completa está em O Globo.

Porto Alegre: Jornalista é encontrado morto dentro de apartamento. Carol Majewski foi localizada pelo filho na noite dessa segunda-feira; por Jézica Bruno/Correio do Povo

Porto Alegre: Jornalista é encontrado morto dentro de apartamento. Carol Majewski foi localizada pelo filho na noite dessa segunda-feira; por Jézica Bruno/Correio do Povo

Comunicação Destaque Obituário Segurança

ERREI

*Nota do Editor: Durante parte do dia, colocamos no ar equivocadamente a foto do primo (homônimo) do jornalista Carol Majewski. Pedimos desculpas a ele, família e amigos pelos transtornos causados devido a identificação errada.

 

=================================================================================================================================================================================

O jornalista Carol Majewski, de 52 anos, foi encontrado morto dentro do apartamento em que residia, no Centro de Porto Alegre. A vítima foi localizada pelo filho por volta das 21h30, na noite dessa segunda-feira (16). O imóvel está localizado na rua Riachuelo.

De acordo com a Brigada Militar, o filho de Majewski foi procura-lo após tentativas de contato sem sucesso durante o dia. Quando chegou ao apartamento, após não obter respostas ao bater na porta, abriu o local e encontrou o homem morto. O jornalista apresentava ferimentos feitos com faca pelo corpo. Ele morava sozinho no local.

Segundo a Brigada Militar, até o final da noite ainda não havia informações de testemunhas sobre algum suspeito de envolvimento no crime.

 

 

Ministério da Justiça identifica responsáveis por ameaças a desembargadores do TRF4

Ministério da Justiça identifica responsáveis por ameaças a desembargadores do TRF4

Agenda Cidade Destaque Direito Segurança Tecnologia
A Associação dos Juízes Federais (Ajufe) informou hoje que o Ministério da Justiça assegurou já ter identificado os responsáveis por ameaças aos desembargadores que vão julgar o recurso do ex-presidente Lula. A Polícia Federal realizou um trabalho de inteligência para investigar se as ameaças contra os juízes da 8ª turma do Tribunal Regional Federal da Quarta Região (TRF4) são reais, mas não divulgou detalhes das conclusões. O caso segue para o Ministério Público Federal.

Conforme o presidente da Ajufe, Roberto Veloso, o ministro Torquato Jardim repassou a informação em reunião realizada hoje para debater o tema da segurança no entorno e edifício do Tribunal Regional na próxima semana, quando acontece o julgamento. A entidade ainda protocolou um pedido de segurança reforçada para os desembargadores junto ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Já em relação à preocupação dos apoiadores  acerca da candidatura do ex-presidente, Veloso disse que há um alarde desnecessário entorno do tema, o que somente alimenta o clima de beligerância. “O alarde está sendo feito pelas pessoas que acham que ele será preso ou não será mais candidato. Porém, não é isso que vai acontecer. O tribunal vai decidir a causa, mas haverá enorme possibilidade de recursos. A questão da candidatura dele será decidida somente lá em agosto. Assim, se faz um alarde a respeito do julgamento, mas a candidatura dele não está em julgamento”, garante.

O presidente do TRF4 esteve reunido com a ministra Carmem Lúcia, presidente do Supremo e do CNJ, para debater o reforço da segurança na semana do julgamento. O desembargador Thompson Flores não conversou com a imprensa. (Samantha Klein/Rádio Guaíba)

Segurança de magistrados durante julgamento de Lula preocupa Associação dos Juízes Federais

Segurança de magistrados durante julgamento de Lula preocupa Associação dos Juízes Federais

Agenda Destaque Direito Segurança

A Associação dos Juízes Federais do Estado do Rio Grande do Sul (Ajufergs) está preocupada com a segurança dos magistrados e servidores que atuarão no julgamento em segunda instância do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Em entrevista ao programa Agora, da Rádio Guaíba, na manhã desta segunda-feira, o presidente da entidade, Gerson Godinho da Costa, disse que apesar do julgamento ser polêmico, deveria ser considerado normal dentro de um regime democrático.

“O problema é a polarização que está havendo dentro desse assunto e as ameaças que estão sendo enviadas pelas redes sociais aos desembargadores e contra o prédio do Tribunal. Todos têm o direito de fazer protesto, de se manifestar, mas desde que observem os limites”, avaliou o magistrado.

A audiência acontecerá no dia 24 de janeiro, no prédio do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, em Porto Alegre. Para preservar os servidores, nos dias 23 e 24 o TRF4 não terá expediente externo e toda a estrutura da instituição estará voltada ao julgamento. Ainda segundo o presidente da Associação dos Juízes, é a independência do poder judiciário que está em jogo. “Independente do resultado ser favorável ou desfavorável ao acusado, as manifestações apesar de legais não podem acuar os magistrados”, disse o juiz.

O presidente do TRF4, desembargador federal Carlos Eduardo Thompson Flores Lenz, está em Brasília, nesta segunda-feira, para falar sobre detalhes envolvendo a segurança do julgamento. Pela manhã, ele se reuniu com a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia. À tarde, o desembargador tem reunião com a procuradora Geral da República, Raquel Dodge. (Texto: Carlos Machado/Rádio Guaíba)

Segurança Pública: Fundo comunitário e reaproveitamento de servidores estão entre projetos sancionados por Sartori

Segurança Pública: Fundo comunitário e reaproveitamento de servidores estão entre projetos sancionados por Sartori

Destaque Sartori Segurança

Em solenidade, o governador José Ivo Sartori sancionou, nesta quinta-feira, 18 projetos voltados para a Segurança Pública. O conjunto de leis inclui desde a instituição de um plano de segurança bancária, isenção de ICMS para compra de veículos e equipamentos, até reaproveitamento de policiais militares e civis aposentados.  De acordo com o governo do Estado, os projetos devem modernizar a estrutura das instituições de Segurança Pública.

Para o presidente da Ugeirm (Sindicato dos Escrivães, Inspetores e Investigadores da Policia Civil do RS), Isaac Ortiz os projetos aprovados na Assembleia são necessários, porém não são suficientes.  Ortiz afirma que é necessário dar continuidade às melhorias nas instituições da segurança pública como, por exemplo, o chamamento dos aprovados nos concurso da Brigada Militar e da Polícia Civil.

Confira os projetos sancionados

– Isenção de ICMS para compra de veículos e equipamentos (PL 286/2017): isenta de ICMS as doações de veículos e equipamentos para doação à SSP; isenção do ICMS para doações de veículos e equipamentos como armas, coletes balísticos, munição, câmeras de videomonitoramento, entre outros, extensivo aos servidores da área para armamento e equipamentos de proteção individual

– Criação do fundo comunitário pró-segurança (PL 268/2017)

– Normas de segurança para estabelecimentos bancários (PL 268/2017)

– Doações de animais da segurança pública (PL 282/2017)

– Alteração do valor do abono de incentivo à permanência dos policiais militares (plc 284/2017)

– Programa especial de reservistas (PL 269/2017): possiblita convocação de policiais militares da reserva para atuação em atividades administrativas, de videmonitoramento, de guarda externa de presídio.

– Programa de reaproveitamento de servidores aposentados da Polícia Civil (PL 276/2017)

– Programa de reaproveitamento de servidores aposentados do IGP (PL 275/2017)

– Programa de reaproveitamento de servidores aposentados da Susepe (PL 277/2017)

– Programa de militares estaduais temporários da Brigada Militar (PL 270/2017)

– Programa de militares estaduais temporários do Corpo de Bombeiros (PL 271/2017)

– Programa de militar técnico temporário (PL 274/2017)

– Programa militar estadual de saúde temporário (PL 272/2017)

– Programa auxiliar temporário na Brigada Militar e Corpo de Bombeiros

– Promoção extraordinária em razão de invalidez ou morte (PL 281/2017)

– Readptação para retorno de PM incapacitados Pa ativa (PL 280/2017)

-Reajuste no valor hora-aula para cursos de Segurança Pública (PL278/2017)

– Adiantamento de numerário (PL 283/2017)          (Correio do Povo)

Três agências bancárias são atacadas em Butiá.  Cerca de 15 homens teriam participado do assalto

Três agências bancárias são atacadas em Butiá. Cerca de 15 homens teriam participado do assalto

Destaque Segurança

 

Agências bancárias do Banco do Brasil (BB), Banrisul e Caixa Econômica Federal foram atacadas na madrugada deste sábado, em Butiá, na Região Carbonífera. Segundo a Brigada Militar (BM), cerca de 15 homens teriam participado do assalto e disparado contra um posto da Brigada Miilitar na cidade. Duas pessoas ficaram feridas no ataque – um civil foi baleado na perna e um policial foi atingido de raspão.

26637585_2033626093523050_1604800392_n
Agência da CEF

Com armas de longo alcance, a quadrilha chegou em quatro veículos e atacou primeiro as agências do BB e do Banrisul. Depois, explodiram a fachada da Caixa Econômica Federal, mas não conseguiram acessar os terminais para buscar o dinheiro. Como o posto da BM fica próximo das agências, houve troca de tiros e o local foi atingido pelos criminosos.

Buscas ao assaltantes são feitas na região.  (Correio do Povo)

PF cogita uso de lei da ditadura para coibir ‘fake news’ nas eleições. Para delegado, Lei de Segurança Nacional pode ser efetiva contra boatos; por Carolina Brigido/O Globo

PF cogita uso de lei da ditadura para coibir ‘fake news’ nas eleições. Para delegado, Lei de Segurança Nacional pode ser efetiva contra boatos; por Carolina Brigido/O Globo

Destaque Segurança Tecnologia

A Polícia Federal poderá usar a Lei de Segurança Nacional (LSN), editada em 1983, no último governo do regime militar, para coibir as chamadas fake news(notícias falsas disseminadas como se fossem verdadeiras pela internet) nas eleições deste ano. À frente da Diretoria de Investigação e Combate ao Crime Organizado (Dicor) da Polícia Federal, o delegado Eugênio Ricas defende a criação de uma nova lei para combater as fake news. Mas ele alerta para a dificuldade de se punir os infratores, por falta de lei específica sobre o tema. Segundo Ricas, se a norma não for criada, será preciso aplicar inclusive a LSN. — (Sem lei nova) pode-se enquadrar a prática na lei de crimes contra a honra, ou em crimes eleitorais. Vamos ter de usar também a Lei de Segurança Nacional, que é antiga. Tem um artigo nela que prevê como crime espalhar boatos que gerem pânico. Para você ver a carência da legislação brasileira! Precisamos de leis mais modernas — disse o delegado.

Ricas afirmou que o hiato na legislação atual impõe a criação de uma nova lei para definir o crime e as punições aos infratores. Segundo ele, existe hoje uma “linha tênue dividindo o que é liberdade de expressão e crime”. Para o delegado, em alguns casos é impossível punir a prática. A reportagem completa está em O Globo.

Operações militares no País triplicam desde 1990. Crime organizado e terrorismo são principais ameaças

Operações militares no País triplicam desde 1990. Crime organizado e terrorismo são principais ameaças

Notícias Segurança

O uso de militares no combate ao crime organizado aumentou pelo menos três vezes nesta década na comparação com os anos 1990. O Estado analisou dados das Forças Armadas desde 1992, quando os militares ocuparam pela primeira vez uma cidade – o Rio – para garantir a segurança da Eco-92. Ao todo, foram 181 ações do Exército, da Marinha, da Aeronáutica e do Ministério da Defesa nos últimos 25 anos – a maioria de Garantia de Lei e da Ordem. Se nos anos 1990 o Exército era chamado para impedir a ação de saqueadores e bandidos durante as greves de policiais, hoje é convocado até para revistas em presídios. Documentos das Forças Armadas alertam para os riscos de seu emprego no combate ao crime. O ministro da Defesa, Raul Jungmann, afirma que o modelo de ocupação de uma área pelo Exército está encerrado, ao menos na atual gestão, e as Forças Armadas continuarão a atuar “sob demanda”.  A reportagem completa está em O Estado de São Paulo.

Crime organizado é o maior problema

O crime organizado foi o principal “agente perturbador da ordem” nas ações realizadas pelos militares, segundo dados compilados pelo Estado, respondendo por 25,9% do total. Em seguida, vêm a ameaça terrorista, com 23,2%, as greves de policiais e caminhoneiros (16,5%) e as manifestações (7,1%). A reportagem completa está em O Estado de São Paulo.

Carro da deputada Maria do Rosário é recuperado em Porto Alegre. Veículo foi abandonado no Morro Santana

Carro da deputada Maria do Rosário é recuperado em Porto Alegre. Veículo foi abandonado no Morro Santana

Notícias Segurança

carro da deputada federal Maria do Rosário(PT) foi recuperado na manhã desta quinta-feira, no Morro Santana, em Porto Alegre, pelo 20º Batalhão de Polícia Militar (BPM). O veículo foi localizado na rua Tércio Cunha Veloso e será encaminhado para a perícia. Durante a ação, ninguém foi preso.

O veículo – um Citroen C3 Aircross – foi roubado na noite de quarta-feira, no bairro Chácara das Pedras, zona Leste. A deputada e o marido, Eliezer Moreira Pacheco, foram abordado por três homens armados em frente à casa onde moram. Eles não sofreram ferimentos e passam bem.

O caso será investigado pela 15ª Delegacia de Polícia. (Correio do Povo)

Deputada Maria do Rosário é alvo de assalto e tem carro roubado em Porto Alegre

Deputada Maria do Rosário é alvo de assalto e tem carro roubado em Porto Alegre

Destaque Direito Poder Política Porto Alegre Segurança

A deputada federal Maria do Rosário (PT) e seu marido, Eliezer Moreira Pacheco, foram vítimas de assalto na noite desta quarta-feira. Conforme relatado à Brigada Militar, eles foram abordados por três homens armados que levaram o carro do casal, no bairro Chácara das Pedras, zona Leste de Porto Alegre.

Conforme a polícia, o grupo surgiu em um carro da cor vermelha, cujo modelo não foi identificado, e abordaram a deputada e o marido enquanto carregavam seu veículo, um Citroen C3 Aircross, na frente de casa. A parlamentar e o companheiro não sofreram ferimentos.

A Brigada Militar alertou as guarnições da região para realizar buscas. (Correio do Povo)