Porto Alegre: 99 completa dois anos de operação do 99Pop

Porto Alegre: 99 completa dois anos de operação do 99Pop

Notícias Segurança Tecnologia Trabalho
A 99, empresa brasileira de transporte urbano que integra a companhia global DiDi Chuxing, completa no mês de agosto dois anos de atuação com a categoria  de carros particulares da plataforma em Porto Alegre. Nesse período, o crescimento da operação local se refletiu na expansão para mais de 100 cidades do Rio Grande do Sul.

Apenas nos últimos 12 meses, os dez passageiros com mais viagens de 99Pop somam 13 mil corridas e mais de 80 mil quilômetros percorridos. A distância é equivalente a duas voltas no mundo. A passageira que mais utilizou a plataforma na capital gaúcha atingiu o marco de mais de 1.500 corridas, tendo percorrido 14.300 quilômetros com mais de mil motoristas diferentes.

“Estamos muito satisfeitos com os resultados da operação no estado, principalmente pela receptividade dos usuários com a prestação de serviço qualificado de nossos parceiros motoristas”, comenta a gerente de operações da 99 em Porto Alegre, Clarissa Brasil.

Nos dois anos atuando no mercado gaúcho, a 99 buscou aprimorar as ferramentas de segurança e disponibilizar serviço de qualidade a todos os usuários. A exemplo disso, lançou em primeira-mão em Porto Alegre a categoria 99Comfort, que combina carros mais confortáveis a motoristas bem avaliados.

_SC_3378 Mês da Segurança

Recentemente, o aplicativo anunciou o lançamento do botão de emergência para motoristas. Além da novidade, a 99 também notifica o condutor sobre usuários frequentes. Outra ferramenta permite que o motorista reporte incidentes pela plataforma.

Essas funcionalidades fazem parte dos investimentos em tecnologia e prevenção para tornar a experiência no app ainda mais segura. Entre os recursos disponíveis estão o reconhecimento facial para 100% dos motoristas, rastreador de comentários e monitoramento por câmeras, por exemplo.

 Prevenção em primeiro lugar

Para celebrar o mês em que completa dois anos na cidade, a empresa desenvolveu uma série de recomendações de segurança para seus usuários:

1.      É sugerido um “ponto de encontro fácil”, área indicada para o passageiro embarcar com segurança.

2.      Antes de entrar no carro, o usuário deve verificar a placa e a foto do motorista e só embarcar se as informações coincidirem. O aplicativo analisa o histórico público dos condutores por meio de documentos e fotos, mas os passageiros são convidados a confirmar essas informações no começo e no fim da corrida, como medida extra de proteção.

3.      Todas as viagens são registradas por GPS e o perfil das chamadas é monitorado por inteligência artificial. O algoritmo pode identificar situações de risco, bloqueando o acesso à plataforma. Assim, o sistema pode prever incidentes antes que eles aconteçam. 

4.      O usuário dispõe de um canal de atendimento exclusivo para segurança no 0800-888-8999. A assistência oferece auxílio imediato – em caso de assédio a uma mulher, o atendimento é exclusivamente feminino.

Porto Alegre: 28ª Jornada do Serviço de Cirurgia Plástica da Santa Casa de Misericórdia

Porto Alegre: 28ª Jornada do Serviço de Cirurgia Plástica da Santa Casa de Misericórdia

Agenda Notícias Saúde Tecnologia Trabalho

Últimos dias de inscrições para a 28ª Jornada do Serviço de Cirurgia Plástica, evento que acontecerá no anfiteatro Hugo Gerdau da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre, de 22 a 24 de agosto de 2019, com o tema central mama/implantes mamários, face e contorno corporal.

Um dos grandes debates do encontro será em torno da BIA-ALCL, um tipo de linfoma, associado ao uso de implantes mamários, que tem sido alvo de discussões em países de todo o mundo, inclusive no Brasil.

A coordenação da 28ª Jornada do Serviço de Cirurgia Plástica é do Dr. Pedro Bins Ely, chefe do Serviço de Cirurgia Plástica da Santa Casa, e entre os palestrantes estão grandes especialistas nacionais e internacionais, como Dr. Alexandre Piassi Passos (SP), Dra. Audrey Worthington (SP), Dr. Dênis Calazans (SP), Dra.Gisela Pontes (RJ), Dr. Jaime Anger (SP), Dr. Javier Cucchiaro (ARG), Dr. Jorge Bins Ely (SC), Dr. José Horácio Aboudib (RJ), Dr. Nelson Piccolo (GO) e Dr. Níveo Steffen (RS).

O evento é dirigido exclusivamente a médicos e médicos-residentes, associados da ABCP, e as inscrições podem ser feitas no site www.santacasa.org.br/eventos.

Expoagas 2019 inicia nesta terça-feira com empresários reivindicando possibilidade de supermercados venderem medicamentos que não necessitam de prescrição médica

Expoagas 2019 inicia nesta terça-feira com empresários reivindicando possibilidade de supermercados venderem medicamentos que não necessitam de prescrição médica

Destaque Direito Direito do Consumidor Economia Negócios Saúde Segurança Tecnologia Trabalho

Consolidada como um evento para empresas de todos os tamanhos e dos mais diferentes setores da economia, a Expoagas 2019 – 38ª Convenção Gaúcha de Supermercados reunirá 48 mil pessoas ligadas à cadeia do abastecimento, entre os dias 20 e 22 de agosto, no Centro de Eventos Fiergs, em Porto Alegre, para oportunizar networking, relacionamento, negócios e qualificação aos participantes. Apostando nos conceitos de liberdade econômica defendidos pelo Governo Federal e fomentando negócios que possibilitarão crescimento para empresas do varejo, setor distribuidor e indústria, a Associação Gaúcha de Supermercados aproveitará a Expoagas 2019 para reforçar pleitos do segmento supermercadista gaúcho e brasileiro. A principal reivindicação a ser levantada é a possibilidade de supermercados comercializarem, em suas lojas, os medicamentos que não necessitam de prescrição médica. “Defendemos o direito das farmácias venderem alimentos, itens de bazar e de higiene, mas queremos o mesmo livre comércio para os supermercados. Afinal, os medicamentos sem prescrição já estão ao alcance dos clientes no autosserviço das farmácias, além de serem comercializados sem restrições por televendas e internet. Não há porque criarmos reservas de mercado em nome do corporativismo. Precisamos de um novo Brasil e de um cenário de liberdade econômica, com interferência mínima do Estado”, defende Longo.

Promovida pela Associação Gaúcha de Supermercados (Agas), a feira deverá movimentar pelo menos R$ 520 milhões em negociações entre os 372 expositores e os visitantes – em sua maioria, representantes de empresas supermercadistas de todo o Brasil e de outros 11 países. Além da feira de negócios, que contará com fornecedores de produtos, equipamentos e serviços para o varejo e apresentará mais de 800 novidades ao mercado, a Expoagas 2019 possibilitará, em uma série de palestras, visitas, seminários e oficinas, qualificações para diferentes públicos. Cada vez mais multisetorial, a feira novamente tem gratuidade nas inscrições antecipadas a varejistas de supermercados e de outros setores do comércio, como hotéis, bares, restaurantes, farmácias e lojas de bazar e R$ 1,99. Neste ano, a cortesia estende-se também a produtores rurais pela primeira vez. A principal novidade desta edição é o reposicionamento dos espaços Premium e Circuito de Negócios, criados no ano passado e que integram novos expositores às oportunidades oferecidas pelo evento.

Por sua capilaridade e abrangência de setores, a Expoagas 2019 mais uma vez refletirá, em seus estandes, as tendências e hábitos de consumo que estão norteando o perfil de compra dos gaúchos nos supermercados. Um exemplo disto é o crescimento no número de expositores de alimentos com apelo saudável, como tapiocas, produtos orgânicos e barras de cereais.

Apostando nos conceitos de liberdade econômica defendidos pelo Governo Federal e fomentando negócios que possibilitarão crescimento para empresas do varejo, setor distribuidor e indústria, a Associação Gaúcha de Supermercados aproveitará a Expoagas 2019 para reforçar pleitos do segmento supermercadista gaúcho e brasileiro. A principal reivindicação a ser levantada é a possibilidade de supermercados comercializarem, em suas lojas, os medicamentos que não necessitam de prescrição médica. “Defendemos o direito das farmácias venderem alimentos, itens de bazar e de higiene, mas queremos o mesmo livre comércio para os supermercados. Afinal, os medicamentos sem prescrição já estão ao alcance dos clientes no autosserviço das farmácias, além de serem comercializados sem restrições por televendas e internet. Não há porque criarmos reservas de mercado em nome do corporativismo. Precisamos de um novo Brasil e de um cenário de liberdade econômica, com interferência mínima do Estado”, defende Longo.

Outras reivindicações do setor são a definição de regras para a manipulação de carnes e fiambres em supermercados e a simplificação tributária em todos os setores. “São questões técnicas nas quais estamos trabalhando para garantir, acima de tudo, segurança alimentar aos consumidores e proteção jurídica às empresas. Mas é preciso elogiar o trabalho dos corpos técnicos do Governo do Estado e a boa vontade para contribuir nestes temas”, salienta Longo.

Carro e notebooks vão fomentar negócios – Consagrada acima de tudo como uma feira de negócios, a Expoagas 2019 mais uma vez vai incentivar a conclusão de transações comerciais já durante os três dias do evento com o sorteio de seis notebooks e um automóvel zero quilômetro entre as empresas que efetuarem compras nos estandes da feira. A cada R$ 1.000,00 em compras junto aos expositores, os visitantes receberão um cupom para participação. “Embora a programação de palestras seja fundamental, estamos voltando o nosso foco para as atividades da exposição, incentivando os participantes a levarem lançamentos e condições especiais de pagamento aos estandes”, informa o gerente executivo da Agas, Francisco Schmidt. A partir de um levantamento prévio, a Agas estima que mais de 800 produtos, equipamentos, embalagens, sabores e versões de produtos serão apresentados durante o evento pelos 372 expositores.

 

 

As projeções para a Expoagas 2019:

 

2017 2018 2019*
Expositores 347 372 372
Segmentos 108 108 109
Visitantes 48 mil 48 mil 48 mil
Negócios R$ 482 milhões R$ 509 milhões R$ 520 milhões
Caravanas 90 90 90

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Segurança Pública: Porto Alegre terá 100% das entradas e saídas de veículos monitoradas

Segurança Pública: Porto Alegre terá 100% das entradas e saídas de veículos monitoradas

Agenda Destaque Poder Política Porto Alegre prefeitura Segurança Tecnologia Trabalho

“Porto Alegre terá o sistema mais moderno, completo e integrado de monitoramento de veículos das capitais”, afirmou o prefeito Nelson Marchezan Júnior, na manhã desta quinta-feira, 15, durante a assinatura do contrato com a empresa vencedora da licitação para aquisição de kits do cercamento eletrônico da cidade. A compra, no valor de R$ 7,8 milhões, possibilitará o controle de todas as entradas e saídas da Capital, ampliação de 70% da vigilância  das vias internas e o videomonitoramento com câmeras de alta definição e capacidade de reconhecimento facial.

Atualmente, são 162 pistas com fiscalização interna. A partir no novo contrato, firmado com a empresa Digital Comércio e Prestação de Serviços Ltda., será possível aumentar o número de pistas em mais 114, totalizando 276. “Porto Alegre será um local onde os ladrões terão que mudar de atividade ou trocar de cidade. Estamos criando um ambiente desagradável para os assaltantes”, enfatiza o prefeito.

As 72 câmeras que irão monitorar as entradas e saídas da cidade serão instaladas em 20 locais, já pré-determinados, mas que ainda poderão ter alterações. Outras 75 câmeras serão utilizadas para fazer o videomonitoramento. Elas têm tecnologia para reconhecimento facial, vigilância de ambientes, análise de objetos e comportamentos suspeitos, entre outras funcionalidades.

Marchezan lembra que o sistema começou a ser desenvolvido em 2017, com operação de 25 câmeras da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC). Desde então, o projeto vem sendo aprimorado. Em agosto de 2018, todos os pardais, além de cumprirem seu papel na fiscalização de trânsito, foram dotados de equipamento para captar placas e mandar informações sobre veículos em situação de roubo ou furto aos órgãos de segurança. Em janeiro deste ano, foi a vez de implantar a tecnologia também nas lombadas.

Cercamento – Para comprar agora os novos equipamentos, a prefeitura aderiu à ata de registro de preço do governo do Estado. “A adesão ao processo mostra que é possível fazer coisas como esta de forma transparente e rápida”, explica o secretário adjunto de Planejamento e Gestão, Daniel Rigon. As primeiras câmeras serão instaladas em 60 dias, após a execução do projeto. O prazo para que todas estejam em funcionamento é seis meses.

O cercamento eletrônico acompanha em média 850 mil placas por dia e cerca de 25 milhões/mês, com um índice de alerta diário de cinco veículos furtados ou roubados e identificados. “Estamos iniciando uma nova etapa de um projeto ousado, superando os desafios que se têm em todas as grandes cidades. O sistema representa uma inovação no uso da tecnologia como aliada da segurança”, ressalta o diretor técnico da Companhia de Processamento de Dados do Município (Procempa), Alexandre Horn. O secretário municipal de Segurança, Rafael de Oliveira, classifica a assinatura como um momento histórico. “Oferecemos ao Estado a principal matéria-prima no combate ao crime: a informação. Nossa cidade está se autoprotegendo”, diz ele.

Benefícios – A eficácia do cercamento eletrônico pode ser comprovada em números. Desde maio de 2018, quando o sistema começou a ser usado efetivamente, até dezembro do mesmo ano, foram recuperados 275 veículos. Já nos primeiros sete meses de 2019, os veículos que voltaram para os seus donos passam de 300. Dados da Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP/RS) também são positivos. Em abril de 2018, quando a Capital não contava com o serviço, foram registrados 1.048 furtos e roubos de veículos. Um ano depois caíram para 658, redução de 37%.

Outros benefícios são maior agilidade na troca de informações e a intensificação da cooperação entre Município e Estado para execução de ações mais assertivas no combate à criminalidade. O último balanço divulgado pela SSP/RS revela que, entre janeiro e julho de 2018, 5.300 veículos foram levados por ladrões na cidade, enquanto que no mesmo período deste ano o acumulado ficou em 3.096 – uma queda de 41,6%.

Detetive Cidadão – Disponível no aplicativo #EuFaçoPOA, a ferramenta Detetive Cidadão é mais uma aliada no combate ao roubo e furto de veículos. Desde que a campanha para utilização se intensificou, em junho deste ano, 16 veículos foram recuperados com ajuda dos alertas feitos pela população por meio dessa funcionalidade. O número de downloads da ferramenta já passou de 51 mil.

O aplicativo foi desenvolvido pela Procempa e está disponível para plataformas Android e iOS, e pode ser baixado gratuitamente por meio da Google Play e App Store. Com o Detetive Cidadão, é possível fotografar a placa de um veículo suspeito e verificar sua situação. Quando ocorre um alerta de carro roubado ou furtado, o sistema de monitoramento emite, imediatamente, uma notificação à Brigada Militar, Polícia Civil, Polícia Rodoviária Federal e Guarda Municipal, informando os dados da placa, que passa a ser acompanhada em tempo real.  O aplicativo não registra o número de quem enviou a foto, garantindo o anonimato de quem faz o alerta.

Também participaram do evento desta quinta-feira o vice-prefeito Gustavo Paim; os secretários municipais Orestes de Andrade Jr. (Comunicação), Ramiro Rosário (Serviços Urbanos), Christian Lemos (Relações Institucionais) e Rodrigo Tortoriello (Mobilidade Urbana); o subcomandante da Guarda Municipal, Cloverson Silveira Gonçalves; os vereadores Rafael Abreu e Cláudia Araújo; o gerente do projeto de cercamento eletrônico, Gabriel Meneghetti; o comandante do 1º Batalhão de Polícia Militar, tenente-coronel Leandro Luz; o representante do Comando Militar do Sul, coronel Vladimir Gouveia Maia; o delegado Fernando Soares; o diretor executivo da Fotosensores, Glaudezon Paulesky; e os representantes da empresa Digitaltec, Lucas Sabino Arruda e Maurício Loeser.

O Futuro da Saúde: Moinhos de Vento reúne executivos para falar sobre transformações no setor

O Futuro da Saúde: Moinhos de Vento reúne executivos para falar sobre transformações no setor

Agenda Notícias Saúde Tecnologia Trabalho

Quais os desafios e oportunidades do setor saúde no futuro? Como aperfeiçoar o cuidado com o paciente utilizando inteligência artificial, novas tecnologias, análise de dados e melhorias de gestão? Para debater esses e outros temas, o Hospital Moinhos de Vento traz a Porto Alegre executivos e lideranças internacionais de diferentes organizações. Realizada em parceria com a Harvard Business Review Brasil, a primeira edição do evento O Futuro da Saúde – Estratégias que geram valor nas organizações acontece na próxima segunda-feira (12), no Sheraton Hotel.

Para o CEO do Moinhos de Vento, Mohamed Parrini, o evento reafirma a posição do hospital como referência em medicina de excelência e gestão em saúde com foco em tecnologia e inovação. “Mais uma vez, estamos trazendo importantes reflexões sobre o futuro do setor, antecipando tendências e buscando novos conhecimentos. Tudo isso tendo o paciente como centro”, destaca. Ao longo da programação, os palestrantes compartilharão conhecimentos e experiências sobre as grandes transformações no cenário de saúde e em gestão nesse setor. Executivos e gestores públicos e privados de diversos estados do Brasil já confirmaram presença no encontro.

O evento também contará com o lançamento da próxima edição da Harvard Business Review Brasil – cujo foco é gestão da saúde. A revista traz um artigo escrito por Mohamed Parrini, que ressalta a história do hospital e a trajetória de gestão de excelência na última década da instituição.

 

O quê: O Futuro da Saúde – Estratégias que geram valor nas organizações

Quando: 12 de agosto, das 8h30 às 13h

Onde: Sheraton Porto Alegre Hotel

O Futuro da Saúde: Moinhos de Vento reúne executivos para falar sobre transformações no setor

O Futuro da Saúde: Moinhos de Vento reúne executivos para falar sobre transformações no setor

Destaque Saúde Tecnologia Trabalho

Quais os desafios e oportunidades do setor saúde no futuro? Como aperfeiçoar o cuidado com o paciente utilizando inteligência artificial, novas tecnologias, análise de dados e melhorias de gestão? Para debater esses e outros temas, o Hospital Moinhos de Vento traz a Porto Alegre executivos e lideranças internacionais de diferentes organizações. Realizada em parceria com a Harvard Business Review Brasil, a primeira edição do evento O Futuro da Saúde – Estratégias que geram valor nas organizações acontece na próxima segunda-feira (12), no Sheraton Hotel.

Para o CEO do Moinhos de Vento, Mohamed Parrini, o evento reafirma a posição do hospital como referência em medicina de excelência e gestão em saúde com foco em tecnologia e inovação. “Mais uma vez, estamos trazendo importantes reflexões sobre o futuro do setor, antecipando tendências e buscando novos conhecimentos. Tudo isso tendo o paciente como centro”, destaca.

Ao longo da programação, os palestrantes compartilharão conhecimentos e experiências sobre as grandes transformações no cenário de saúde e em gestão nesse setor. Executivos e gestores públicos e privados de diversos estados do Brasil já confirmaram presença no encontro.

O evento também contará com o lançamento da próxima edição da Harvard Business Review Brasil – cujo foco é gestão da saúde. A revista traz um artigo escrito por Mohamed Parrini, que ressalta a história do hospital e a trajetória de gestão de excelência na última década da instituição.

O quê: O Futuro da Saúde – Estratégias que geram valor nas organizações

Quando: 12 de agosto, das 8h30 às 13h

Onde: Sheraton Porto Alegre Hotel

Artigo: A força de um Gigante; *Paulo Pinheiro

Artigo: A força de um Gigante; *Paulo Pinheiro

Artigos Destaque Esporte Segurança Tecnologia Trabalho

Nenhum brasileiro, amante do futebol, ousa duvidar que a Copa Libertadores da América seja uma das competições mais emocionantes, acirrada, e que deixa as emoções à flor da pele. Jogos em que torcida e time se fardam para embalar um momento que pode ser de festa, ou sofrido, daqueles de roer todas as unhas das mãos. Torcer, gritar, vibrar, cantar, rir e chorar são ações que fazem do futebol um esporte em que emoção e garra compõem o espetáculo.

Neste ano, o Sport Club Internacional promove o reencontro do Beira-Rio e de sua grande torcida com essa competição que já lhe trouxe duas conquistas! A primeira delas, em 2006, diante do São Paulo, e a segunda, em 2010, contra o Chivas Guadalajara, ambas celebradas na casa colorada.

Só o torcedor colorado sabe da força que tem dentro do estádio e como o Gigante da Beira-Rio consegue ser mais imponente do que nunca quando está lotado. São incontáveis vozes entoando cânticos, empurrando o time, entusiasmando os jogadores desde o apito inicial do árbitro até o grito de É CAMPEÃO!

Paixão, pulso, vibração e ritmo são palavras que estão gravadas nas membranas do Beira-Rio e elas não foram escolhidas aleatoriamente. São sentimentos da torcida colorada que carregam o seu time rumo às vitórias. Jogadores, diretoria e comissão técnica estão de parabéns por fazerem do Inter um forte candidato para ganhar o título pela terceira vez.

 No dia 31 de julho, às 19h15, o Inter enfrenta o Nacional do Uruguai, país vizinho. Seremos os melhores anfitriões, recebendo muito bem a todos e reforçando a imagem do povo gaúcho como um dos mais hospitaleiros do país. Porém não poderemos garantir que a torcida adversária sairá tão feliz quanto a nossa. Queremos a Libertadores! Queremos o Beira-Rio vibrando novamente com mais uma vitória na competição e, principalmente, pulsando como nunca, acreditando até o final e mostrando a força de um verdadeiro Gigante.

*Paulo Pinheiro, CEO da BRIO

Porto Alegre: Dionisia VinhoBar apresenta primeira degustação vertical do Storia, vinho ícone da Casa Valduga

Porto Alegre: Dionisia VinhoBar apresenta primeira degustação vertical do Storia, vinho ícone da Casa Valduga

Cidade Destaque Gastronomia Negócios Notícias Tecnologia Trabalho Turismo

Pela primeira vez no Brasil será realizada uma degustação vertical do Storia, vinho ícone da Casa Valduga. Degustação vertical é quando provamos diferentes safras de um mesmo vinho, para perceber a evolução dele ao longo do tempo, a influência do clima na colheita em determinados anos e reconhecer o estilo do vinho – aquela característica que está sempre com ele. Esta degustação emblemática acontece a partir de segunda-feira, dia 29 de julho, na Dionisia VinhoBar, em Porto Alegre.
O Storia é um Merlot produzido apenas em safras excepcionais e com tiragem limitada, o vinho mais premium da Casa Valduga, rótulo que, quando vendido, é comercializado apenas através de reserva e oficializado por um certificado com o número da garrafa e do lote, garantindo a exclusividade do produto. A casta Merlot, talvez a mais representativa do Brasil, tem no Storia um vinho afinado em 18 meses de barrica, potente, estruturado, intenso, complexo e longevo. Mas as safras que serão degustadas – 2008, 2010, 2011 e 2012 – não estão mais à venda: ou esgotaram ou estão com colecionadores. “Os rótulos de 2008, 2010 e 2011 saíram da adega da família Valduga direto para a Dionisia”, comemora Jaqueline Meneghetti. “Essa vertical em parceria com a Casa Valduga é a primeira que fazemos”, explica. Uma estreia em alto estilo.

Serviço:
Dionisia VinhoBar
De segunda à sábado – loja, das 12h às 22h, bar das 18h às 24h.
Padre Chagas, 314
Reservas pelas redes sociais
@dionisiavinhobar

Celular de Bolsonaro foi alvo da ação de hackers, afirma ministério

Celular de Bolsonaro foi alvo da ação de hackers, afirma ministério

Destaque Poder Política Segurança Tecnologia
O telefone celular do presidente da República, Jair Bolsonaro, foi alvo da ação do grupo suspeito de invadir ao menos mil linhas telefônicas, incluindo a de várias autoridades públicas, como o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro. Em nota, o Ministério da Justiça e Segurança Pública informou que a Polícia Federal (PF) comunicou que aparelhos celulares utilizados pelo presidente foram alvos de ataques pelo grupo de que fazem parte os quatro suspeitos presos nesta terça-feira (23).

De acordo com o ministério, o fato está sendo tratado como uma questão de segurança nacional e Bolsonaro foi imediatamente comunicado.

Na terça-feira, a PF deflagrou a chamada Operação Spoofing, que apura a suspeita de crimes cibernéticos. Foram cumpridos quatro mandados de prisão temporária e sete de busca e apreensão autorizados pelo juiz Vallisney de Souza Oliveira, titular da 10ª Vara Federal de Brasília, que afirmou haver, nas informações iniciais apresentadas pela PF, “fortes indícios de que os investigados integram organização criminosa”.

O cumprimento dos mandados resultou na prisão de Danilo Cristiano Marques, Gustavo Henrique Elias Santos, Suelen Priscila de Oliveira e Walter Delgatti Neto. Ao pedir a detenção dos quatro, a PF apresentou “um histórico de possíveis crimes” que os investigados teriam praticado em conjunto” para “violar o sigilo telefônico de diversas autoridades públicas brasileiras via invasão do aplicativo Telegram”.

Ao autorizar as prisões temporárias, a realização de busca e apreensões em endereços ligados aos investigados, bem como a quebra do sigilo fiscal e de comunicações e o bloqueio de bens dos suspeitos, o juiz Vallisney de Souza Oliveira afirmou que as prisões temporárias dos investigados pelo prazo de cinco dias são essenciais para a obtenção de provas.

Ontem, a PF informou à imprensa que ao menos mil diferentes números telefônicos podem ter sido alvo dos suspeitos de hackear o aplicativo de mensagens Telegram do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, e de outras autoridades, entre elas o ministro da Economia, Paulo Guedes.

“Aparentemente, mil números telefônicos diferentes foram alvo desse mesmo modus operandi dessa quadrilha. Há possibilidade, ainda não temos uma identificação e nem começamos a fazer isso, mas há possibilidade de um número muito grande de possíveis vítimas desse mesmo tipo ataque que está sendo investigado agora”, disse o coordenador geral de Inteligência da PF, João Vianey Xavier Filho, explicando que os números telefônicos supostamente atacados ainda serão identificados para que os investigadores possam aferir a extensão exata dos ataques.

Ainda hoje, a PF deve encaminhar um ofício para o presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) solicitando uma reunião para buscar formas de sanar as fragilidades encontradas na investigação.

De acordo com a PF, a investigação é conduzida desde o mês de abril, quando procuradores da Força Tarefa da Lava Jato passaram a relatar algumas ligações recebidas em seus aparelhos originadas do próprio número. Em junho, Moro e outras autoridades informaram ocorrência semelhante.

Parte das conversas que o ministro Sergio Moro manteve com procuradores da Força Tarefa Lava Jato quando ainda era juiz da 13ª Vara Federal de Curitiba, responsável por julgar as denúncias apresentadas no âmbito da Lava Jato, foi repassada ao site de notícias The Intercept Brasil, que decidiu tornar público as informações que considera ser de interesse público. Segundo os sites, os arquivos foram entregues a jornalistas do veículo por uma fonte anônima. A Constituição brasileira assegura aos jornalistas o direito de não revelar suas fontes.

Ontem, pouco antes de seu cliente, Gustavo Henrique Elias Santos, prestar depoimento, em Brasília, o advogado Ariovaldo Moreira revelou a jornalistas que Santos confirmou ter recebido de outro dos suspeitos presos, Walter Delgatti Neto, pelas redes sociais, imagens de uma suposta mensagem enviada pelo então juiz federal Sergio Moro a outras autoridades públicas.

“Segundo Gustavo, Walter mostrou a ele algumas interceptações de uma autoridade há algum tempo. Essa autoridade era o hoje ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, mas Gustavo negou qualquer envolvimento com a interceptação dessas mensagens. E, inclusive, chegou a alertar Walter que aquilo lhe causaria problemas”, declarou o advogado, acrescentando que Gustavo não se recorda da data exata em que Walter lhe enviou cópia das mensagens.

Nota do GSI

Em nota, o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) disse que disponibiliza ao governo federal, por meio da Agência Brasileira de Inteligência, um terminal de comunicação seguro (TCS), com tecnologia da própria agência, “cabendo às autoridades optar pelo equipamento e operá-lo conforme suas necessidades funcionais”.

Segundo o gabinete, TCS é móvel, tem funções de chamada de voz e troca de mensagens e arquivos, criptografados com algoritmos de Estado. “Não permite a instalação de aplicativos comerciais e pode realizar ligações em claro (sem criptografia)”, diz a nota.

O GSI também informa que publica recomendações e alertas de segurança à administração pública federal de forma preventiva em razão da complexidade do tema, nos cenários nacional e internacional.

A pasta acrescenta que detalhes e desdobramentos sobre o assunto serão apurados por inquérito instaurado pela Polícia Federal. (Agência Brasil)

Porto Alegre: Treinamento gratuito de reanimação cardiopulmonar é realizado no Parcão

Porto Alegre: Treinamento gratuito de reanimação cardiopulmonar é realizado no Parcão

Cidade Comportamento Destaque Saúde Tecnologia Trabalho
Uma ação diferente despertou a curiosidade de quem passeava pelo Parcão no sábado (20): uma sala de aula a céu aberto e a oportunidade de aprender a salvar vidas com as próprias mãos. Esse foi o objetivo da atividade promovida pela Faculdade de Ciências da Saúde do Hospital Moinhos de Vento, que levou professores e alunos de enfermagem até o parque para ensinar procedimentos de reanimação cardíaca que podem ser realizados por qualquer pessoa – mas que são desconhecidos da maioria da população. Segundo especialistas, mais de 80% das paradas cardíacas súbitas acontecem fora do ambiente hospitalar, o que torna a ação imediata das pessoas próximas até a chegada do socorro médico um fator essencial para a sobrevivência da vítima. Além disso, no inverno, a incidência é ainda maior em virtude do aumento da pressão sanguínea e do maior esforço do coração para bombear o sangue nas baixas temperaturas.  “Nesses casos o que importa é o tempo. Por isso esse treinamento é fundamental, porque não precisa de aparelhagem nem anos de prática”, destacou o cardiologista do Hospital Moinhos de Vento Leandro Zimerman, que fez questão de acompanhar a iniciativa.
67118941_330266364521607_2445191238857523200_n
Noções básicas de primeiros socorros podem salvar vítimas. Foto: Igor Bandeira

Foi a consciência de que esse conhecimento é importante que atraiu o casal Jucilene e Gilberto durante o passeio com as filhas Maria Clara, de um ano e meio e Nicole, de 11 anos. A família ouviu atentamente as orientações e praticou as manobras nos bonecos disponibilizados ao público. “Todos nós treinamos pensando no cuidado um com o outro. Sabemos que no momento da emergência muitas vezes o primeiro contato é o familiar mais próximo”, lembrou o pai.

Para o Gerente do Instituto de Educação e Pesquisa do Hospital Moinhos de Vento, Júlio César de Bem, além da aula diferenciada para os alunos, a ação também reforçou a aproximação deles com a sociedade. “Hoje poucas pessoas sabem que esse processo de reanimação é tão importante e ao mesmo tempo simples de aprender”, comentou.

Depois de constatar o interesse do público na iniciativa, a diretora acadêmica da Faculdade Moinhos, Roberta Almeida, já projeta novas datas. “O objetivo agora é estabelecer um calendário com ações de educação para a comunidade a cada dois meses, para que possamos orientar ainda mais as pessoas sobre a prevenção de acidentes e a atuação de situações de alto risco. Queremos compartilhar o aprendizado construído dentro da faculdade e contribuir para qualificar as ações de saúde na sociedade”.

*Como identificar e atuar diante de uma parada cardíaca? *

67799879_2177044295755815_5292412857097388032_n
Professores e alunos da Faculdade Moinhos de Vento ensinaram noções básicas de primeiros socorros. Foto: Igor Bandeira

O professor da Faculdade Moinhos de Vento, Rafael Luz Albuquerque, explicou os três passos primordiais para identificar uma parada cardiorrespiratória: “primeiro é preciso testar a consciência da pessoa; verificar se está respirando e checar a pulsação”.
Quando esses sinais não estão presentes, é hora de chamar socorro médico e iniciar as compressões torácicas com as mãos unidas e os dedos entrelaçados sobre o peito da vítima – na região entre os mamilos. Usando a força do tronco é preciso efetuar a compressão em movimentos rápidos e constantes – em média 100 vezes por minuto. “Não é só o profissional da saúde. Uma pessoa leiga que tenha esse conhecimento também pode ajudar a salvar uma vida”, ressaltou Albuquerque.