SENAR-RS credencia empresas para prestação de serviços de Assistência Técnica e Gerencial

SENAR-RS credencia empresas para prestação de serviços de Assistência Técnica e Gerencial

Agenda Agronegócio Notícias Tecnologia Trabalho

O SENAR-RS iniciou o processo de credenciamento das empresas que irão atuar no programa de Assistência Técnica e Gerencial, que começará a atender propriedades rurais gaúchas a partir do primeiro semestre de 2020. Um grande banco de empresas prestadoras de serviços será criado para que o SENAR-RS possa contratar os serviços  de técnicos e supervisores habilitados para realizar a orientação dos produtores voltados inicialmente às cadeias da agricultura, bovinocultura de corte, bovinocultura de leite e ovinocultura.

_FOG6766
Foto: Emerson Foguinho

O edital de credenciamento está aberto até o dia 11 de novembro. Os credenciados serão chamados conforme a necessidade. De acordo com o superintendente do SENAR-RS, Eduardo Condorelli, a expectativa é ter pelo menos 140 técnicos atuando nos mais de 270 municípios inicialmente mapeados para receber o programa: “Poderemos escolher as empresas que oferecem os técnicos mais capacitados, além de termos supervisores que garantirão a qualidade do trabalho. Outro diferencial da ATeG é que não trataremos apenas de questões como produção e produtividade. Focaremos também aspectos ligados à gestão do agronegócio”, aponta Condorelli.

As empresas devem ter em seus quadros profissionais que cumpram alguns requisitos: os técnicos de campo devem ter ao menos 6 meses de experiência com a prestação de serviços em assistência técnica na cadeia produtiva que será assistida. Já os supervisores devem comprovar, no mínimo, dois anos de experiência na prestação deste tipo de serviço. Exigências comuns às duas funções são dispor de veículo para deslocamento e carteira de habilitação, ter concluído o curso superior em agronomia, medicina veterinária ou zootecnia e ter disponibilidade para viagens. Outras exigências estão especificadas em edital. Após a contratação das empresas, os técnicos e supervisores habilitados serão capacitados na metodologia de Assistência técnica e Gerencial (ATeG) antes do início do atendimento as propriedades selecionadas pelo programa.

Está vedada a participação de cooperativas de trabalho, empresas individuais, MEI e EIRELI. Dúvidas podem ser encaminhadas ao email comissaoateg@senar-rs.com.br. Clique para informações e inscrições no site do SENAR-RS.

A assistência técnica e gerencial não terá custo aos produtores e cada grupo receberá o atendimento ao longo de dois anos. Os técnicos farão visitas mensais, nas quais ficarão um turno em cada propriedade rural participante. O programa segue modelo nacional de metodologia desenvolvido pelo SENAR/Administração Central, mas foi customizado de acordo com as características e a realidade do Estado. A expectativa é atender, no primeiro semestre de 2020, mais de 5 mil produtores rurais no Rio Grande do Sul, ampliando para 10 mil propriedades até o fim do ano que vem.

Porto Alegre: Genomika Diagnósticos lança unidade gaúcha. Laboratório de genética clínica realiza debate com o Dr. João Bosco Oliveira

Porto Alegre: Genomika Diagnósticos lança unidade gaúcha. Laboratório de genética clínica realiza debate com o Dr. João Bosco Oliveira

Agenda Cidade Notícias Saúde Tecnologia Trabalho

O Brasil não é um País conhecido exatamente pelo histórico de pesquisas científicas de ponta. No entanto, o notório crescimento de doenças, como por exemplo o câncer, que, segundo o Instituto de Nacional de Câncer (Inca), entre 2018 e 2019 a expectativa é de 1,2 milhão de novos casos no País, tem incentivado empreendedores a criarem soluções que aumentem a precisão dos diagnósticos e eficiência dos tratamentos.

Dentro desse cenário, a genética é um dos campos mais explorados pelos empreendedores no Brasil. Os principais motivos são o avanço da tecnologia, o barateamento da mesma, que permitiu a oferta de testes genéticos mais acessíveis, além do aumento da velocidade e precisão da execução de testes genéticos.

Desde setembro operando em soft open em Porto Alegre, a Genomika prepara-se para lançar, oficialmente, na capital gaúcha a mais nova unidade que acontece na próxima quinta-feira, dia 17 de outubro, às 18h, quando realiza um debate sobre diagnósticos genéticos.

maxresdefault
Oncologia de Precisão, será o tema do Dr. Paulo Campregher.

Fundada em 2013, no Recife, a então startup Genomika Diagnósticos, um dos laboratórios pioneiros na área de genética, colocou Pernambuco como destaque no mapa da genética clínica. Em 2015, a Genomika abriu filial em São Paulo através de parceria com o Hospital Albert Einstein. A escolha fez parte da iniciativa do Einstein, que analisou centenas de startups da área de saúde para criar parcerias visando à melhoria da assistência à saúde no país. Assim, foi selecionada por desenvolver tecnologias de ponta para a realização de exames genéticos com foco no diagnóstico clínico. Até o final de 2019, ainda será inaugurada uma unidade em Brasília.

“Com a abertura dos novos laboratórios em 2019, a expectativa é que seja ampliado em mais de mil o número de exames e pacientes atendidos pela Genomika. As novas unidades serão pontos de coletas, que vão operar no recolhimento de materiais para análise médica ampliando assim nosso alcance em todo o Brasil e facilitando o atendimento aos pacientes”, revela o médico, diretor executivo e fundador da Genomika, Dr. João Bosco Oliveira.

Inspirado nas empresas americanas especializadas em sequenciamento genético, o Dr. João Bosco Oliveira passou sete anos debruçado sobre o tema nos Estados Unidos, onde chefiou o departamento de genética e imunologia do Instituto Nacional de Saúde, em Washington, órgão de pesquisa ligado ao governo americano. “A grande barreira de entrada nesse segmento não é o capital. É o conhecimento”, diz Oliveira. Com foco em testes nas áreas de oncologia e de identificação de doenças raras, a Genomika emprega alta tecnologia para fazer sequenciamento genético e ajudar pessoas em todos os cantos do território nacional.

Uma destas tecnologias é o software Varstation, próprio de bioinformática para processamento e análise de exames genéticos de Nova Geração, que foi criado e desenvolvido pela equipe da Genomika. Ele fomenta o crescimento da medicina de precisão e o desenvolvimento científico na área da Genética, o que possibilita que profissionais, laboratórios clínicos, hospitais e centros de pesquisa gerenciem dados genéticos complexos e forneçam resultados cada vez mais precisos para o diagnóstico e o tratamento de pacientes.

Lançamento Genomika Diagnósticos

Debate seguido de coquetel de inauguração

Painel #1 Avaliação Genética de Risco Hereditário de Câncer – Dr. João Bosco Oliveira

Painel #2 Uso do exoma: mitos e verdades

Painel #3 Oncologia de Precisão – Dr. Paulo Campregher

Quando: quinta, dia 17 de outubro

Horário: 18h

Local: Auditório do Medplex Saúde Torre Norte I Rua Gomes Jardim, 201 – Porto Alegre

Genomika Diagnósticos – Unidade Porto Alegre

Medplex Torre Saúde – Torre B – Sala 1205 – Rua Gomes Jardim, 201

Horário de funcionamento: de segunda a sexta, das 07h às 17h. Sábados, das 08 às 12h.

Livros: Léo Gerchmann lança “Jayme Copstein ao quadrado”. Uma obra que mostra a essência de um dos mais importantes comunicadores gaúchos.

Livros: Léo Gerchmann lança “Jayme Copstein ao quadrado”. Uma obra que mostra a essência de um dos mais importantes comunicadores gaúchos.

Agenda Comportamento Comunicação Cultura Entrevistas Notícias Tecnologia Trabalho

Um dia antes de morrer, o meu guru, ídolo, amigo, grande jornalista e escritor Jayme Copstein entregou ao editor Marco Cena, originais de um novo livro.  O editor da Besouro Box, prometeu a Jayme que trabalharia todo aquele rico material e pensaria como transformar em um ou mais livros. Conversei com Cena sobre esta obra, em entrevista na Rádio Guaíba. Em outro momento, na TVU falamos sobre a riqueza intelectual da vida de Jayme e ali ele revelou a ideia de uma biografia, reafirmou o compromisso de uma homenagem póstuma ao grande comunicador e a promessa foi cumprida. Foi com emoção que recebi no início desta semana um exemplar  de “Jayme Copstein ao quadrado”, escrito pelo também meu amigo Léo Gerchmann. Jornalista experiente, formado pela UFRGS, autor de livros sobre a história do Grêmio. Se antes de ler, eu acreditava que Léo era a pessoa certa para escrever sobre Jayme, após a leitura tenho a convicção de que ninguém faria melhor.

jayme2Na introdução feita pelo autor da biografia, a explicação para o nome do livro: “Uma curiosidade pra lá de casual (ou não): Jayme Copstein usava o nome original, sem qualquer apelo artístico, e, apesar de adotar apenas um dos sobrenomes, contemplava também o da mãe – ou seja, tinha dois sobrenomes num só. Como o pai e a mãe eram primos de segundo grau, ele poderia ser Kopstein Copstein (o “K” da mãe de Jayme ainda tinha a grafia usada pela família na Europa). Era, então, nome real e artístico.
– Sou Copstein ao quadrado – costumava brincar.
Pode parecer algo banal, mas essa situação alcança forte simbolismo: Jayme sempre foi uma pessoa intensa. Radialista? Ok, mas muito mais que isso. Ele tinha o orgulho de ser jornalista. Mais que isso: homem de comunicação. Ainda mais: homem das artes.”

Em um texto que escrevi logo após a morte de Jayme relatei minhas visitas ao ídolo já internado na Santa Casa de Misericórdia. Apesar do quadro de saúde, seguia criativo e cheio de ideias. Rodeado de livros, anotações e reclamando da baixa velocidade de conexão da internet no apartamento 313, que ocupava no Pavilhão Pereira Filho, se negava a parar de trabalhar. Em uma caderneta tinha notas para vários artigos e algumas frases para um perfil que pretendia escrever sobre o médico José Jesus de Camargo que o tratava. “Conheci” Jayme aos 19 anos, quando comecei a ouvi-lo no Gaúcha na Madrugada. Me apaixonei pelo tom coloquial, pelo comentário bem elaborado que fazia o ouvinte refletir mesmo que estivesse sonolento e pelo respeito ao que hoje é comum, mas naquela época não era… a interatividade. Quando cheguei na Gaúcha em 1989, muitas vezes varei madrugadas quieto dentro do estúdio acompanhando a realização do programa e algumas vezes tive a honra de substituir Jayme Copstein. Graças ao conselhos do Antônio Carlos Niederauer não mexi na estrutura e mantive o programa como meu amigo o fazia. E por isso recebi elogios inesquecíveis do Jayme, Niederauer, Ranzólin e outros. Era simples, mas não era facil subsituir o gênio criativo, excelente redator, produtor de mão cheia, leitor voraz e jornalista perfeccionista. Na simplicidade está a genialidade. O programa era feito, o horário era mantido, mas sem a genialidade do mestre.  Jayme trabalhou nos principais jornais e emissoras de rádio do Rio Grande do Sul. Conquistou vários prêmios de jornalismo, entre eles a Medalha de Prata no Festival Internacional de Rádio de Nova York e vai se juntar ao Streck, Flávio(de quem era grande amigo e tinham entre eles uma admiração reciproca), Julio Rosemberg e tantos outros. Jayme, faz falta, muita falta no rádio e nas mesas de bar onde bebemos “alguns muitos chopes”.

Por isso, ler o livro  foi um alento, concordo com a minha querida Cíntia Moscovich, “Não se trata de mera sucessão de datas ou de eventos: aqui dentro, Jayme Copstein se movimenta, fala, gesticula, ri, numa narração vívida e afetuosa.”  O jornalista e biógrafo, Léo Gerchmann ancora a obra na trajetória profissional de Jayme. Ali você entenderá como um homem das letras enveredou para o rádio e o revolucionou. Jayme ficou conhecido pelo grande público como o jornalista de voz serena que criou um icônico programa de talk show na madrugada da rádio gaúcha e brasileira. Mas antes disso ele foi um literato, um homem de crônicas altamente líricas, contos divertidos, edições de Mario Quintana no Caderno H. Na Rádio Gaúcha, o comunicador, nascido em Rio Grande, exerceu todo seu conhecimento erudito para fazer melhor a vida dos notívagos. Em uma situação que surgiu quase que por acaso, ele abriu o microfone para as angústias dos ouvintes. Desbravou o vasto campo da comunicação interativa. O livro conta sobre o homem Jayme e seus trabalhos também como roteirista de radionovela e radioteatro. Mostra até mesmo o humanismo e a ousadia que levaram a Rádio Gaúcha a um prêmio internacional. Enfim, este livro trata de ir à essência de Jayme Copstein.  Ao escrever, Léo tinha a pretensão de mostrar ao leitor quem foi Jayme por inteiro. Conseguiu!
Anos-1980-Foto-10-Brasil-na-Madrugada-733x1024Lançamento(s) agendados:

Sinagoga Centro Israelita – 17/10/2019 (quinta) às 19h30– (Rua Henrique Dias, 73 – Bom Fim). Bate-papo com Lucy Copstein, Cintia Moscovich e Léo Gerchmann (dirigido a comunidade judaica)

Sarau Elétrico – Sarau do Rádio com Mauro Borba e Léo Gerchamnn – 05/11/2019 (terça) às 21h no Ocidente.

65ª Feira do Livro de Porto Alegre – 10/11/2019 (domingo), às 15h encontro com Léo Gerchmann, Felipe Vieira, Cláudio Brito, Luiz Ferraretto e Carlos Nélson seguido de sessão de autógrafos (aberto ao público em geral)

 

 

 

 

Porto Alegre recebe em novembro ufólogos que denunciam que o Governo Americano esconde a verdade sobre os discos voadores

Porto Alegre recebe em novembro ufólogos que denunciam que o Governo Americano esconde a verdade sobre os discos voadores

Agenda Comportamento Comunicação Cultura Destaque Segurança Tecnologia

Os Estados Unidos sempre negaram veementemente que os discos voadores existam e que venham de algum outro planeta do universo. Esta política de refutação, que os ufólogos chamam de “acobertamento ufológico”, vem ocorrendo sistematicamente desde 1947, quando houve a queda de uma nave extraterrestre em Roswell, no Novo México. Foi apenas o Governo Americano descobrir que havia no veículo acidentado uma elevadíssima tecnologia — que poderia usar em seu proveito para fins bélicos —, que começou a negação da existência de discos voadores e sua origem exógena à Terra.

Esta política também foi implementada na época por outros governos, como a Rússia, China e Inglaterra, pelos mesmos interesses, mas não teve eco no América do Sul, apesar de vários países do continente sofrerem forte pressão americana para que também refutassem a existência dos discos voadores. No Brasil, ao contrário, em vez de negar sua existência, os militares da Aeronáutica os investigavam por meio de programas, como o Sistema de Investigação de Objetos Aéreos Não Identificados (Sioani), implantado em São Paulo em 1969 e que durou até 1972, ou seja, em pleno regime militar.

Formas de vida inteligente no universo

A tradição do Brasil de aceitar a existência de outras formas de vida inteligente no universo, que vêm até aqui em naves que chamamos de discos voadores, fez com que o país estivesse sempre na dianteira das discussões mundiais sobre Ufologia. E isso se confirmará mais uma vez em novembro, quando a Revista UFO realizará em Recife, Porto Alegre, São Paulo e Curitiba o maior evento na área que já se fez no país. Será o UFO Summit Brazil 2019, que trará ao Brasil celebridades do cenário ufológico internacional que denunciam abertamente que o governo americano ainda esconde a verdade sobre os discos voadores.

Um deles é Nick Pope, que foi diretor do organismo confidencial do governo inglês que pesquisava discos voadores, o chamado “UFO Desk”, que funcionou no Ministério de Defesa daquele país. O órgão investigava secretamente ocorrências ufológicas com interesse científico e militar — muitas vezes em conjunto com os Estados Unidos — para descobrir se seriam possíveis ameaças à segurança nacional britânica. Pope trabalhou para o Governo Inglês por nada menos do que 21 anos nesta função. “Minha tarefa era analisar casos de avistamentos de discos voadores e contatos com seus tripulantes para determinar se poderiam ser perigosos à Inglaterra. E foram milhares”, afirma.

unnamed(3)
Stephen Bassett (À esquerda)e Nick Pope: ativistas pela liberaçãode informações sobre discos voadores. Foto: Revista UFO

O outro conferencista que também participa do UFO Summit Brazil 2019 é o americano Stephen Bassett, físico e maior ativista ufológico dos Estados Unidos. Ele é diretor do Paradigm Research Group (PRG), que tem como objetivo lutar contra a política de acobertamento ufológico. Segundo Bassett, existem evidências contundentes da presença e ação de outras formas de vida inteligente na Terra. “Se esses fatos forem expostos como devem, muitos governos terão de criar um plano emergencial para lidarem com um novo futuro da humanidade, a começar pelos Estados Unidos”, diz Bassett.

Orçamento milionário para pesquisa dos discos voadores

Nick Pope e Stephen Bassett virão ao Brasil para apresentar, entre outros fatos, a revelação que o Pentágono mantinha até 2017 um órgão secreto de pesquisa ufológica com verba milionária. Era o Programa Avançado de Identificação de Ameaças Aeroespaciais (AATIP), que só em 2016 teve um orçamento de 22 milhões de dólares para investigação de ocorrências ufológicas, tudo evidentemente em segredo — a suspeita de Pope e Bassett é de que, após a revelação de sua existência, o órgão tenha mudado de nome e formato, mas continue investigando avistamentos de discos voadores, especialmente de militares americanos.

Quando houve a revelação da existência do AATIP no Pentágono, que se deu por meio do jornal “New York Times”, causando enorme polêmica em todo o mundo, seu próprio ex-diretor veio a público confirmar os fatos. Luis Elizondo, analista sênior de Inteligência que atuou em guerras no Irã e Iraque, com ampla experiência no meio militar americano, declarou com todas as letras: “O Governo Americano sabe muito bem da existência de outras formas de vida extraterrestre visitando a Terra. Negar isso se tornou insustentável. É hora de o mundo saber a verdade”. Quando fez a revelação, Elizondo apresentou três vídeos de UFOs feitos pela Marinha americana e se demitiu do Pentágono.

unnamed(5)
Luis Elizondo (à esquerda) e Tom Delonge: Juntos criaram a To the Stars Academy e runiram notáveis para pesquisar os discos voadores. Foto: TTSA

Elizondo se juntou ao roqueiro da banda Blink 182 Tom DeLonge, um aficionado por UFOs desde criança, tendo tido várias experiências ufológicas, e juntos fundaram uma entidade para pesquisar ocorrências de discos voadores e contatos com tripulantes. É a To the Stars Academy (TTSA), que hoje conta com Nick Pope e Stephen Bassett em seus quadros, além de várias celebridades do mundo político e científico dos Estados Unidos, que também divergem do governo quanto à refutação dos discos voadores — um deles é Jim Semivan, que foi chefe de operações da Agência Central de Inteligência (CIA) por 25 anos, e outro é o doutor Hal Puthoff, um dos mais reconhecidos cientistas americanos.

Confrontar o governo e demandar abertura de informações

“A To the Stars Academy é a mais importante iniciativa que já se fez nos Estados Unidos e no mundo para confrontar o governo e demandar que se faça uma ampla e completa abertura de documentos secretos sobre a manifestação na Terra de outras formas de vida inteligente provenientes de outros planetas”, declara Bassett, que pretende mostrar no UFO Summit Brazil 2019 tudo o que já se descobriu a respeito. Ele é acompanhado nesta declaração por dezenas de ufólogos dos Estados Unidos e de outros países.

Nick Pope também sustenta que a revelação da verdade é de máxima importância para a população não apenas americana, mas mundial. “O que pode ser mais importante para todos do que saber que existem inúmeras outras formas de vida extraterrestre inteligente espalhadas por incontáveis planetas do universo — e que muitas delas chegam até aqui em veículos que chamamos de discos voadores?”. E completa: “Nenhum governo tem o direito de esconder essa informação sob qualquer pretexto”.

 

A realidade da abertura ufológica brasileira

A dupla estará ladeada no evento pelo ufólogo brasileiro A. J. Gevaerd, referência nacional e internacional em Ufologia. Gevaerd é criador e editor da Revista UFO, a mais antiga publicação sobre Ufologia do mundo, com 36 anos de existência. Foi ele quem, em 2004, elaborou a campanha “UFOs: Liberdade de Informação Já”, para pedir ao Governo Brasileiro que abrisse seus arquivos secretos sobre discos voadores. Gevaerd então formou a Comissão Brasileira de Ufólogos (CBU) com mais importantes pesquisadores do país e, por meio da UFO, recolheu 70 mil assinaturas de simpatizantes da causa.

Deu certo. A partir de 2007, após uma reunião que os membros da CBU tiveram do militares da Aeronáutica no Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (Cindacta) e Comando de Defesa Aeroespacial Brasileiro (Comdabra) — a convite deles —, o Governo passou a liberar seus documentos antes secretos sobre suas pesquisas de discos voadores no país. Em 2013 o grupo foi recebido novamente por militares, desta vez no Ministério da Defesa, em Brasília, para demandar que mais arquivos fossem abertos — hoje são cerca de 20 mil páginas de documentos já entregues à sociedade, alojadas para escrutínio público no Arquivo Nacional.

unnamed(6)
A. J. Gevaerd (À direita) entrevista o coronel Uyrangê Hollanda, que comandou a Operação Prato secretamente na ilha de Colares, no Pará

Gevaerd, Nick Pope e Stephen Bassett pretendem no UFO Summit Brazil 2019 voltar a pedir ao Governo Brasileiro que continue seu processo de abertura ufológica, agora revelando novos e importantes ocorrências ufológicas. Ao mesmo tempo, desde seu tour pelas quatro cidades brasileiras, Gevaerd, Pope e Bassett reforçarão a participação brasileira no movimento global que pede a revelação imediata e completa da verdade sobre a existência de discos voadores e sua ação na Terra. “O Brasil é parte fundamental em um processo que vise a abertura oficial e definitiva sobre realidade ufológica”, diz o editor. O próximo passo é alinhar estão ação com movimentos semelhantes hoje ocorrendo na Argentina, Chile, Inglaterra, Itália, Rússia e China, entre outras nações, e levar o pleito à Organização das Nações Unidas (ONU) em 2020.

Serviço:

O UFO Summit Brazil 2019 em sua fase Porto Alegre ocorrerá no dia 19 de novembro, às 20h00, no Auditório Diplomata do Hotel Embaixador, na Rua Jerônimo Coelho 354, Centro Histórico. Os ingressos custam R$ 120,00 e pode ser pagos em até 12 vezes no site oficial do evento: www.ufosummit.com.br. As inscrições são limitadas a 600 pessoas e mais da metade das vagas já foi vendida.

Iron Maiden: EPTC divulga trânsito e transporte para show na Arena

Iron Maiden: EPTC divulga trânsito e transporte para show na Arena

Cidade Cultura Destaque Tecnologia Trabalho Turismo

Em razão do show do Iron Maiden, na quarta-feira, 9, na Arena do Grêmio, com previsão de 40 mil pessoas, a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) informa o esquema de trânsito e transporte. A EPTC orienta que o público se desloque com antecedência e observe o esquema de saída para agilizar o deslocamento na região. Os portões abrem às 16h. “Por se tratar de um público que, muitas vezes, não está acostumado com a região, listamos orientações detalhadas para a chegada e saída do estádio”, complementa o diretor de Operações da EPTC, Paulo Ramires.

Opções para o deslocamento até o estádio:

A.J Renner, acesso mais perto para E1 (portões P4 e P5) e E2.

Voluntários, acesso mais perto para E1 (portões P1 e P2) e E2.

Opções de saída:

Av. Voluntários, acesso obrigatório para quem estaciona no E1 (portões P2 e P1).

BR 448, quem sai pelo E2, E1 (portões P4 e P5) acessa apenas a BR 448.

Outra alternativa é optar pelo transporte público. A partir de três horas antes do show, duas linhas especiais serão disponibilizadas:

– Linha F04 Futebol Arena, com saída do Largo Glênio Peres e retorno no mesmo local. Serão 13 ônibus.

– Linha T2.3 Transversal 2 / Arena, com saída do terminal Peri Machado (Av. Voluntários da Pátria) e retorno ao ponto de partida. Serão 10 ônibus.

Além disso, duas linhas de Lotação também fazem o deslocamento até o estádio.

– Linha Parque Humaitá, com saída do Terminal da Sete de Setembro e retorno ao local de partida.

– Linha Especial Centro, para o retorno do show, da Arena até a Sete de Setembro.

Para facilitar o embarque, a EPTC orienta que os ônibus de turismo, se escolherem sair do estádio durante o show, se concentrem na José Pedro Boéssio, onde será permitido o estacionamento nos dois lados da via, após a Palmira Gobbi. Na saída, os táxis se concentram no viaduto da av. Voluntários e os aplicativos chegam até a rotula da A.J. Renner com José Pedro Boéssio (rótula do Posto Ipiranga).

Bloqueios a partir das 16h:

– Bloqueio da av. Padre Leopoldo Brentano com a rotatória entre a rua José Pedro Boéssio e a av. A. J. Renner, possibilitando o trânsito seguro dos pedestres que vão em direção à Arena;

– Bloqueio da av. Padre Leopoldo Brentano com a rotatória com a av. Voluntários da Pátria, localizado sob o Viaduto da BR 448, permitindo apenas que os veículos sigam em direção aos estacionamentos da Arena;

– Bloqueio do acesso da alça do Viaduto da BR 448 para a av. Padre Leopoldo Brentano;

– Isolamento do meio-fio das ruas Frederico Mentz, José Pedro Boéssio e o anel da av. Ricardo Seibel de Freitas Lima, a fim de impossibilitar o estacionamento de veículos nesses locais, deixando o trânsito mais fluído.
As informações sobre o trânsito serão divulgadas no dia do evento no twitter @EPTC_POA.

Porto Alegre: Porto Cervejeiro será lançado nesta segunda-feira

Porto Alegre: Porto Cervejeiro será lançado nesta segunda-feira

Agenda Destaque Economia Negócios Porto Alegre Tecnologia Trabalho Turismo

Nesta segunda-feira, 7, às 15h, o Pacto Alegre promove o lançamento oficial da programação do Porto Cervejeiro, em uma coletiva de imprensa a ser realizada na 4Beer – Cervejaria & Cultura (avenida Polônia, 200 – bairro São Geraldo). O projeto conta com o apoio de entidades que visam a  fomentar o turismo e estimular as empresas do segmento.
Estarão presentes representantes de todos os parceiros impulsionadores do projeto: 4all/Share Eat, Associação Gaúcha de Microcervejarias, Famecos/PUCRS, POA Inquieta, Prefeitura de Porto Alegre (com o Gabinete de Comunicação Social e a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico), Sebrae e Sindicato de Hospedagem e Alimentação de POA e Região (Sindha)
Serviço
O quê: Lançamento da programação do Porto Cervejeiro
Quando: 7/10, às 15h
Onde: 4Beer – Cervejaria & Cultura (av. Polônia, 200 – São Geraldo).
Realização: Pacto Alegre
Porto Alegre: 39º Congresso Brasileiro de Pediatria acontece de 9 a 12 de outubro na FIERGS. Evento deve reunir cerca de sete mil participantes

Porto Alegre: 39º Congresso Brasileiro de Pediatria acontece de 9 a 12 de outubro na FIERGS. Evento deve reunir cerca de sete mil participantes

Agenda Notícias Saúde Segurança Tecnologia Trabalho Turismo

Porto Alegre vai se transformar nesta semana, na capital brasileira onde o futuro – e presente de crianças e adolescentes – será analisado e discutido. Durante cinco dias, iniciando dia 08 com o pré-congresso – até 12 de outubro, Dia da Criança – , especialistas na primeira fase da vida participam de simpósios, mesas-redondas e eventos científicos. O 39° Congresso Brasileiro de Pediatria (CBP) é uma promoção da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) em parceria com a Sociedade de Pediatria do RS (SPRS) e deverá contar com a presença de, aproximadamente, sete mil participantes entre médicos, estudantes e outros profissionais ligados à especialidade.

019Com uma pauta ampla, os pediatras – especialidade que atua com olhos no futuro – vão se debruçar sobre os temas que mais preocupam os pais e a sociedade como um todo, discutindo condutas que vão definir na infância as futuras características do indivíduo. Sabe-se que doenças na vida adulta, como obesidade, diabetes, doenças cardiovasculares e autoimunes podem ser evitadas na fase inicial da vida.

Entre os principais assuntos, destacam-se: Crianças e o uso dos dispositivos eletrônicos, incluindo proposta de Projeto de Lei para orientar uso adequado; Obesidade infantil e consequências na vida adulta; Nascer com segurança no Brasil; Novo olhar sobre o aleitamento materno; Violência contra a criança e adolescente; Diagnóstico precoce do câncer; Novo surto de sarampo no Brasil e a cobertura vacinal.

 

SERVIÇO:

39º Congresso Brasileiro de Pediatria (CBP)

Local: Centro de Eventos da FIERGS

Data: De 9 a 12 de outubro (de quinta-feira a sábado)

Clique aqui para mais informações

 

Porto Alegre: Futebol de robôs na EXPO CIEE-RS

Porto Alegre: Futebol de robôs na EXPO CIEE-RS

Agenda Notícias Porto Alegre Tecnologia Trabalho

Uma disputa de futebol de robôs é uma das atrações da EXPO CIEE-RS que vai acontecer em Porto Alegre, na próxima semana (09 e 10). Promovida pelo grupo do Polo Marista de Formação Tecnológico Rubem Berta, quer chamar a atenção para o avanço das novas tecnologias que poderão ser visitadas na EXPO CIEE-RS Centro de Eventos CIEE (Rua Dom Pedro II, 861).

Com foco em capacitação, orientação e direcionamento profissional do público jovem, a EXPO CIEE-RS será realizada pela primeira vez em Porto Alegre, numa iniciativa do Centro de Integração Empresa Escola do Rio Grande do Sul. Voltado a estudantes de Ensino Médio e Superior, o evento é gratuito e alia conhecimento e entretenimento.

O evento que acontece há 22 edições em São Paulo e esta será a primeira vez na capital gaúcha. Os interessados devem acessar o site do CIEE para realizar a inscrição e escolher os turnos que deseja participar. No momento, já são 1.700 inscrições. A expectativa é impactar mais de 300 mil pessoas, já que os participantes poderão acompanhar a programação pelas mídias sociais.
Confira a programação do evento: 
09 de outubro
Teatro – MANHÃ
09:00 Abertura CIEE-RS
09:15 Mídias Sociais: Capu
09:30 Inovação: Gil Giardelli
10:30 Intervalo – Visitação EXPO CIEE-RS
11:00 Empreendedorismo: Ayrton Ramos – SEBRAE
11:30 Show Pop Banda Duque e Galo
Teatro – TARDE
14:15 Profissões do Futuro: Paulo Kendzerski
14:45 Empreendedorismo Social: Felipe Machado
15:15 Intervalo – Visitação EXPO CIEE-RS
15:45 Protagonismo Juvenil: Rafael dos Santos
16:00 Mundo do Trabalho Batalha de Rimas
16:30 Hip Hop Show Grupo Rafuagi
SALAS-MANHÃ
Sala 1
08:30 Comitê Trajetória Profissional: Amcham Porto Alegre
11:00 Games: Carlos Idiart
Sala 5
09:30 Oficina Tecnologia da Informação: CWI
Sala 6
09:00 Carreiras e empreendedorismo – Roberta Motta e Manoela Ziebell
11:00 Planejamento de Carreira: Ronald P. Filho
SALAS-TARDE
Sala 1
14:30 Startups: Trashin e Quiper Fresh Amcham Porto Alegre
15:30 Inteligência Artificial: Giovanni Comunello Júnior
16:00 Google For Education – Daniel Garrido
Sala 5
15:00 Oficina Tecnologia da Informação: CWI
Sala 6
14:30 Empreendedorismo SEBRAE
10 de outubro 
Teatro – MANHÃ
09:00 Boas-vindas Capu
09:15 Ser Aprendiz/Estagiário é… Cases
09:30 Empreendedorismo Sustentável: Felipe Machado
10:00 Inteligência Artificial: Giovanni Comunello Júnior
10:30 intervalo – visitação EXPO CIEE-RS
11:00 Inclusão pelo Esporte: Débora de Oliveira e atletas
11:45 Show Banda Duque e Galo
Teatro TARDE
14:15 Portal de Oportunidades: Painel CIEE-RS
14:45 Influenciadores Digitais: Comunicadores da Rádio Atlântida
15:15: Intervalo – Visitação EXPO CIEE-RS
15:45 Protagonismo Juvenil: Rafael dos Santos
16:00 Mundo do Trabalho Batalha de Rimas
16:30 Hip Hop Show Grupo Rafuagi
SALAS
Sala 1
09:00 Desenvolvimento de Lideranças: Rodrigo Selback
10:00 Dicção e Oratória Oficina CIEE-RS
11:00 Games: Carlos Idiart
Sala 5
09:30 Oficina Tecnologia da Informação CWI
Sala 06
11:00 Planejamento de Carreira: Ronald P. Filho
SALAS-TARDE
Sala 1
14:00 Startups: O amor é simples e ONL Amcham Porto Alegre
15:30 Neurociência – Renata Rosat
16:30 Gestão de Carreiras: Angelita Garcia
Sala 5
15:00 Oficina Tecnologia da Informação: CWI
Sala 6
14:30 Empreendedorismo SEBRAE
Segurança Pública: Programa “Butiá Mais Seguro” atinge 100 câmeras integradas

Segurança Pública: Programa “Butiá Mais Seguro” atinge 100 câmeras integradas

Cidade Destaque Polícia Segurança Tecnologia Trabalho Vídeo

O município de Butiá atingiu uma importante marca na última semana, chegando ao número de 100 câmeras conectadas ao Centro Integrado de Controle de Operações e Videomonitoramento Municipal. A meta foi batida após sete meses do lançamento do Programa “Butiá+Seguro”. As imagens auxiliam na vigilância da cidade 24 horas por dia e são acompanhadas pelos órgãos de segurança. O inicio das operações da iniciativa da Prefeitura de Butiá ocorreu em fevereiro deste ano, com o intuito de apoiar a Brigada Militar e Polícia Civil na prevenção e investigação de crimes. O Poder Executivo investiu na aquisição dos equipamentos para a montagem do Centro de Videomonitoramento, além de câmeras e da plataforma que mantém as imagens salvas e oferece o suporte necessário.

Inicialmente, o programa possuía 30 câmeras instaladas em prédios públicos de diferentes pontos de Butiá, incluindo uma speed dome (com alcance de 360 graus). Porém, a meta da Administração Municipal era alcançar 100 equipamentos integrados através da vigilância colaborativa, que permite o compartilhamento de imagens de equipamentos do comércio e demais moradores, desde que se encaixem nos requisitos técnicos estipulados.

A centésima câmera é justamente dessa parceria entre Poder Público e comunidade. O equipamento fica localizado em um prédio comercial, possibilitando o acompanhamento em tempo real de mais um ponto da cidade. O titular da Delegacia de Polícia local, delegado Carlos Ferreira, explicou que era necessário dar o “ponta pé” inicial no uso destes recursos e que a prefeitura acertou no projeto. “O videomonitoramento intimida os praticantes de delitos. É excelente, pois hoje nós abrimos o sistema e conseguimos ver em tempo real muitos pontos, com imagens muito nítidas”, afirmou Ferreira.

O sistema implantado em Butiá é considerado pioneiro na Região Carbonífera e Vale do Rio Pardo. As câmeras de segurança podem identificar placas de veículos, alerta de atividades suspeitas e também apontar indivíduos procurados, por meio das características físicas ou até mesmo por detalhes da roupa. Contudo, o ponto que mais chama a atenção é garantia da segurança das imagens, já que elas são armazenadas na “nuvem” do servidor. Com isso, mesmo que o equipamento seja roubado ou danificado, as gravações podem ser resgatadas.

O comandante do Pelotão da Brigada Militar de Butiá, tenente Oliveira, ressaltou que o sistema tem contribuído com as abordagens de suspeitos e também na identificação de carros que entram na cidade. “Com o “blacklist” que o projeto oferece, nós cadastramos placas suspeitas e somos notificados quando ele entra no município ao passar pelas câmeras. Essa é uma das vantagens que mostra que o uso da tecnologia é importante”. conclui

Para o prefeito Daniel Almeida, o número expressivo significa que a população acreditou na eficácia do projeto. O líder do Executivo também ressaltou que o investimento era um anseio dos butiaenses. “Não é segredo para ninguém que nossas polícias sofrem com a falta de efetivo. A gestão municipal não tem o poder de contratar estes profissionais, mas isso não significa que vamos ficar de braços cruzados. É preciso criar ideias inteligentes e que tragam resultado, como o “Butiá+Seguro”. Fico extremamente feliz em estar contribuindo com a Brigada Militar e Polícia Civil, que apesar das dificuldades, nunca viraram as costas para os problemas”, pontuou.

Outro benefício do programa foi a instalação de câmeras de segurança em todas as escolas da Rede Municipal, na zona urbana e rural. De acordo com Almeida, o objetivo é dar sequência e instalar mais equipamentos, além dos que já estão em pontos estratégicos, acessos e vias públicas.

Ideias que vão mudar o futuro da educação passaram pelo Sesi com@Ciência esta semana na Fiergs

Ideias que vão mudar o futuro da educação passaram pelo Sesi com@Ciência esta semana na Fiergs

Educação Negócios Notícias Poder Política Porto Alegre Tecnologia Trabalho

Os números do Sesi com@Ciência 2019 mais do que confirmam a necessidade de tornar a educação um foco definitivo de atenção da sociedade. Em apenas dois dias de programação totalmente gratuita e de múltiplas atividades, o Centro de eventos FIERGS, em Porto Alegre, recebeu 11 mil pessoas, 200 projetos, protótipos de 28 cidades na Mostra Científica, desenvolvidos por 832 estudantes que frequentam algum programa educacional do Serviço Social da Indústria (Sesi-RS), e 35 palestrantes e painelistas. “Em relação ao primeiro ano do evento, o público mais do que dobrou. É com satisfação que comemoramos, pois este é um marco histórico. O futuro só virá com coisas boas se trabalharmos para isso e a educação pode, e deve ser prioridade”, comentou o presidente da FIERGS, Gilberto Porcello Petry. Desde os pequenos da modalidade Contraturno Escolar, aos jovens das Escolas Sesi de Ensino Médio, até os alunos da Educação de Jovens e Adultos (EJA) de todo o Estado, professores da rede e também de escolas privadas e públicas, gestores em educação e pais, o Sesi-RS mobilizou este público para um objetivo comum: desenvolver e melhorar os caminhos da educação no Brasil. “É  muito bom poder dizer que é para o Brasil e não somente para o Rio Grande do Sul”, destacou o superintendente do Sesi-RS, Juliano Colombo.

IMG_1583
Foto: Dudu Leal

Colombo fez referência ao reconhecimento e recomendação por parte da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), uma área de extrema relevância no Ministério da Educação, para o modelo de consultoria de educação do Sesi-RS junto à prefeitura da cidade de Panambi. Neste aspecto, vale observar que o Sesi-RS tem feito esforços há alguns anos para chegar a esses resultados. “No caso de Panambi, a comunidade entendeu a urgência que é a educação como cidade e que não cabe a ninguém ficar de fora, professores, alunos, pais e empresários”, complementa a gerente da área de educação do Sesi-RS, Sônia Bier.
Em relação aos temas tecnológicos, algumas das palestras da segunda edição do Sesi com@Ciência chegaram a emocionar professores e jovens na  plateia. A educadora Debora Garofalo, que atua há 14 anos na rede pública de São Paulo e foi considerada uma das dez melhores professoras do mundo pelo Global Teacher Prize 2019, foi uma delas. Em sua apresentação, ela contou sobre a experiência de dar aula de tecnologias na Comunidade Alba, na periferia de São Paulo, que apresenta um dos maiores índices de violência urbana e tráfico de drogas na cidade.
Segundo ela, o local, que fica na Zona Sul da capital paulista, próximo a bairros nobres como Jabaquara, e do Parque Ibirapuera, sequer tem saneamento básico. E as crianças vivem uma realidade ainda mais dura. “70% dos pais ou mães das crianças estão presos. A escola estava rodeada de lixo, o que provocava mau cheiro, doenças e alagamentos em dias de chuva. Tive a ideia de transformar esse lixo em robótica”, contou. A princípio, os alunos não gostaram da proposta, de ir recolher lixo nas ruas. Ela sugeriu, então, que eles levassem os celulares e fotografassem a missão. O resultado é que não só registraram o lixo e a sucata, como também passaram a refletir sobre a situação em que viviam.
Em outro momento, a professora coordenadora da Área de Matemática do Programa de Formação de Professores do Sesi-RS, Mônica Bertoni, ministrou a “Oficina Construção de Modelos Mentais”. Ela tem 81 anos e é percebida no meio pedagógico como um exemplo de busca pelo conhecimento e adaptação aos novos tempos. Quando completou 80 anos, Mônica foi para a Universidade de Stanford, nos EUA, para fazer mais um curso de aperfeiçoamento.  Entre autoridades e nomes conhecidos que realizaram palestras no Sesicom@Ciência, o navegador Amir Klink, um dos grandes ícones da superação de desafios pessoais, declarou o quanto aprendeu ao mergulhar em busca de conhecimento em livros e pesquisas durante o planejamento de suas viagens. Ele disse que primeiro é preciso construir seu próprio barco para depois poder velejar e seguir em sua viagem. “No mar, não é possível cortar caminho. E na educação também não é possível. Temos que construir o caminho”, concluiu.
O Sesi com@Ciência reforçou a importância do Sesi-RS como um propulsor da qualificação da educação do Rio Grande do Sul. Em relação à educação pública, um exemplo desse movimento é a parceria com a Secretaria Estadual de Educação (Seduc) e a Capes na realização da Formação Continuada de Professores e Gestores da Rede Pública de Ensino do Rio Grande do Sul, para qualificar diretores e professores em módulos de gestão escolar, culturas juvenis, projetos e tecnologias, a partir da metodologia das Escolas Sesi de Ensino Médio.