Instituto Claro abre inscrições para a 8ª edição do Campus Mobile. Universitários e recém-formados que apresentarem as melhores ideias e soluções de impacto social para serviços mobile ganham uma viagem ao Vale do Silício (EUA)

Instituto Claro abre inscrições para a 8ª edição do Campus Mobile. Universitários e recém-formados que apresentarem as melhores ideias e soluções de impacto social para serviços mobile ganham uma viagem ao Vale do Silício (EUA)

Notícias Tecnologia Trabalho

O Instituto Claro lança a 8ª edição do Campus Mobile, concurso de inovação e empreendedorismo que incentiva a formação de talentos universitários, e recém-formados, para atuar no segmento de conteúdo e serviços mobile. As inscrições podem ser individuais ou em equipe com até três membros e estão abertas até o dia 17 de novembro, e devem ser realizadas pelo site. ( Clique aqui )

Estão aptos a participar universitários que estejam matriculados em um curso de graduação de uma instituição de ensino superior no Brasil ou recém-formados (em 2018 ou 2019). “Temos muito orgulho do crescimento do Campus Mobile e do comprometimento dos participantes ao longo dos últimos anos. Esta iniciativa cumpre um importante papel social enquanto gera soluções que impactam diretamente a vida das pessoas por meio de soluções inovadoras para maior conexão em diversas áreas, da educação aos games”, comenta Daniely Gomeiro, vice-presidente de projetos do Instituto Claro e diretora de Responsabilidade Social e Comunicação da Claro.

O Instituto Claro defende ações que promovam transformações na sociedade. Por isso, se esforça na mobilização e valorização do público feminino no âmbito científico, área em que a desigualdade de gêneros ainda é grande. “Mesmo com toda a expansão do mercado nas últimas décadas, a participação feminina em áreas que envolvem tecnologia é baixíssima. Para esta edição, o intuito é engajar mais mulheres para fazer parte desse universo, valorizando e fortalecendo o papel feminino na sociedade”, comenta Daniely.

O Campus Mobile é dividido em cinco etapas: Inscrição das ideias e soluções; Seleção e Divulgação das Ideias e Soluções; Desenvolvimento dos Projetos; Finalização de protótipos; e uma Viagem de Imersão no Vale do Silício, São Francisco (CA), nos Estados Unidos, para concluírem seus projetos. Ao todo, após as inscrições serão selecionados cerca de 90 projetos.

Neste ano, serão ao todo seis categorias, com duas novidades: Saúde e Games. Confira todas as categorias:

Saúde – soluções que previnam ou facilitem o acesso a diagnósticos e tratamentos;
Games – serão aceitos quaisquer jogos para plataformas móveis;
Educação – produtos ou serviços inovadores para dispositivos móveis que promovam e aprimorem a aprendizagem dentro e fora da escola ou o interesse pelos estudos;
Diversidade – projetos que contribuam com o empoderamento, redução da discriminação e promoção de direitos de mulheres e minorias;
Smart Cities – soluções que contribuam para a infraestrutura urbana, tornem os grandes centros mais eficientes e melhorem a vida de seus habitantes;
Smart Farm – traz iniciativas que tenham o objetivo de melhorar a infraestrutura e a vida dos habitantes em regiões rurais.

O Campus Mobile é uma iniciativa do Instituto Claro, com realização do Laboratório de Sistemas Integráveis Tecnológico e apoio da Escola Politécnica da USP. O programa Campus Mobile estimula o empreendedorismo aproximando o jovem do mercado de trabalho em contato com renomados profissionais que os orientam no desenvolvimento de ideias de aplicativos e serviços.

Dia do Médico: José Camargo da Santa Casa foi um dos profissionais homenageado pelo Senado Federal

Dia do Médico: José Camargo da Santa Casa foi um dos profissionais homenageado pelo Senado Federal

Notícias Política Porto Alegre Saúde Trabalho

O diretor médico do Hospital Dom Vicente Scherer da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre, José Camargo, recebeu homenagem durante a sessão especial do Senado Federal nesta sexta-feira (18/10). Na data em que se celebra o Dia do Médico, o cirurgião torácico foi reconhecido pelos parlamentares pela sua contribuição como liderança em cirurgia do tórax e muito especialmente na área dos transplantes, onde comandou duas experiências pioneiras: há 30 anos (1989 )o primeiro transplante de pulmão na America Latina, e, há 20 anos (1999), o primeiro transplante de pulmão com doadores vivos, feito fora dos EUA. Atualmente, dirige o primeiro centro de transplantes do país, localizado na Santa Casa, e sua equipe é responsável por 660 transplantes de pulmão, o que representa 53% da experiência brasileira nesta área.

Em seu agradecimento durante a homenagem, Camargo falou sobre sua relação com a Medicina: “É possível ser muito feliz fazendo Medicina, desde que a gente saiba eleger a prioridade. “O meu modelo de Medicina persegue a ideia de que felicidade passa pela seguinte concepção: nós seremos melhores médicos quando a nossa preocupação for a de dar a cada paciente a oportunidade dele ter uma alegria que ele não teria se nós não existíssemos”, concluiu.

 

ABAIXO UMA DAS TANTAS ENTREVISTAS QUE FIZ COM DR. CAMARGO. SEMPRE UM GRANDE PAPO!!

 

Grupo Radioativa lança empresa especializada em podcast. America chega ao mercado apostando no conceito de ser uma ‘Netflix do áudio’; do Coletiva.Net

Grupo Radioativa lança empresa especializada em podcast. America chega ao mercado apostando no conceito de ser uma ‘Netflix do áudio’; do Coletiva.Net

Cidade Comunicação Cultura Notícias Tecnologia Trabalho

O Grupo Radioativa, que atua há 25 anos no mercado publicitário, lança uma empresa especializada em podcast. Depois de um ano e meio formando portfolio, a America Podcast chega ao mercado apostando no conceito de “Netflix do áudio”, com séries autorais e para marcas.

Carina Donida, sócia-diretora do Grupo Radioativa, ressalta que o objetivo da empresa vai além de apenas gravar e editar o conteúdo. “Nosso papel é conceituar e planejar de forma estratégica, para só depois produzi-los. Montamos o projeto e vamos até a distribuição nas plataformas digitais”, destaca.

Para isso, a equipe do America Podcast passa a contar com Cláudia Aragón, autora do programa ‘Porto Alegre, Quem Diria!’. Como associada, a jornalista e escritora especializada em narrativas para marcas será responsável pela curadoria de podcasts autorais e pelo planejamento do conteúdo sob encomenda.  Também faz parte do time America Rômulo Kanzen, um dos autores de Crazy Metal Mind.

A America Podcast pode ser acessada aqui.

Porto Alegre: AHVN abre 33 novos leitos

Porto Alegre: AHVN abre 33 novos leitos

Notícias Saúde Trabalho

A Associação Hospitalar Vila Nova (AHVN) de Porto Alegre inaugura, na próxima segunda-feira (21), a Unidade 13, espaço que contará com 33 novos leitos. O local será destinado a leitos de retaguarda, para pacientes regulados pela Central de Leitos da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e transportados pela AHVN da UPA Moacyr Scliar, além dos pronto-atendimentos (PAs) da Lomba do Pinheiro e da Bom Jesus.

“A partir de agora, teremos um total de 440 leitos”, adianta o presidente da AHVN, Dirceu Dal’Molin. Ele revela que a obra teve custo total de R$ 2,5 milhões, incluindo construção do novo prédio, mobiliário, instalação de gás e rouparia. “Também estamos gerando 45 novos postos de trabalho com esta ampliação”, acrescenta o médico.

Atualmente, o hospital disponibiliza seus 407 leitos para internações clínicas e cirúrgicas, dependência química, UTI e saúde prisional, destinando 100% dos atendimentos aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). Em média, realiza 280 atendimentos por dia e mais de 15 mil internações no ano. É o único a oferecer, com veículos próprios na Capital, serviço de transporte de pacientes de postos da rede de saúde diretamente para o hospital.

SENAR-RS credencia empresas para prestação de serviços de Assistência Técnica e Gerencial

SENAR-RS credencia empresas para prestação de serviços de Assistência Técnica e Gerencial

Agenda Agronegócio Notícias Tecnologia Trabalho

O SENAR-RS iniciou o processo de credenciamento das empresas que irão atuar no programa de Assistência Técnica e Gerencial, que começará a atender propriedades rurais gaúchas a partir do primeiro semestre de 2020. Um grande banco de empresas prestadoras de serviços será criado para que o SENAR-RS possa contratar os serviços  de técnicos e supervisores habilitados para realizar a orientação dos produtores voltados inicialmente às cadeias da agricultura, bovinocultura de corte, bovinocultura de leite e ovinocultura.

_FOG6766
Foto: Emerson Foguinho

O edital de credenciamento está aberto até o dia 11 de novembro. Os credenciados serão chamados conforme a necessidade. De acordo com o superintendente do SENAR-RS, Eduardo Condorelli, a expectativa é ter pelo menos 140 técnicos atuando nos mais de 270 municípios inicialmente mapeados para receber o programa: “Poderemos escolher as empresas que oferecem os técnicos mais capacitados, além de termos supervisores que garantirão a qualidade do trabalho. Outro diferencial da ATeG é que não trataremos apenas de questões como produção e produtividade. Focaremos também aspectos ligados à gestão do agronegócio”, aponta Condorelli.

As empresas devem ter em seus quadros profissionais que cumpram alguns requisitos: os técnicos de campo devem ter ao menos 6 meses de experiência com a prestação de serviços em assistência técnica na cadeia produtiva que será assistida. Já os supervisores devem comprovar, no mínimo, dois anos de experiência na prestação deste tipo de serviço. Exigências comuns às duas funções são dispor de veículo para deslocamento e carteira de habilitação, ter concluído o curso superior em agronomia, medicina veterinária ou zootecnia e ter disponibilidade para viagens. Outras exigências estão especificadas em edital. Após a contratação das empresas, os técnicos e supervisores habilitados serão capacitados na metodologia de Assistência técnica e Gerencial (ATeG) antes do início do atendimento as propriedades selecionadas pelo programa.

Está vedada a participação de cooperativas de trabalho, empresas individuais, MEI e EIRELI. Dúvidas podem ser encaminhadas ao email comissaoateg@senar-rs.com.br. Clique para informações e inscrições no site do SENAR-RS.

A assistência técnica e gerencial não terá custo aos produtores e cada grupo receberá o atendimento ao longo de dois anos. Os técnicos farão visitas mensais, nas quais ficarão um turno em cada propriedade rural participante. O programa segue modelo nacional de metodologia desenvolvido pelo SENAR/Administração Central, mas foi customizado de acordo com as características e a realidade do Estado. A expectativa é atender, no primeiro semestre de 2020, mais de 5 mil produtores rurais no Rio Grande do Sul, ampliando para 10 mil propriedades até o fim do ano que vem.

Porto Alegre: Genomika Diagnósticos lança unidade gaúcha. Laboratório de genética clínica realiza debate com o Dr. João Bosco Oliveira

Porto Alegre: Genomika Diagnósticos lança unidade gaúcha. Laboratório de genética clínica realiza debate com o Dr. João Bosco Oliveira

Agenda Cidade Notícias Saúde Tecnologia Trabalho

O Brasil não é um País conhecido exatamente pelo histórico de pesquisas científicas de ponta. No entanto, o notório crescimento de doenças, como por exemplo o câncer, que, segundo o Instituto de Nacional de Câncer (Inca), entre 2018 e 2019 a expectativa é de 1,2 milhão de novos casos no País, tem incentivado empreendedores a criarem soluções que aumentem a precisão dos diagnósticos e eficiência dos tratamentos.

Dentro desse cenário, a genética é um dos campos mais explorados pelos empreendedores no Brasil. Os principais motivos são o avanço da tecnologia, o barateamento da mesma, que permitiu a oferta de testes genéticos mais acessíveis, além do aumento da velocidade e precisão da execução de testes genéticos.

Desde setembro operando em soft open em Porto Alegre, a Genomika prepara-se para lançar, oficialmente, na capital gaúcha a mais nova unidade que acontece na próxima quinta-feira, dia 17 de outubro, às 18h, quando realiza um debate sobre diagnósticos genéticos.

maxresdefault
Oncologia de Precisão, será o tema do Dr. Paulo Campregher.

Fundada em 2013, no Recife, a então startup Genomika Diagnósticos, um dos laboratórios pioneiros na área de genética, colocou Pernambuco como destaque no mapa da genética clínica. Em 2015, a Genomika abriu filial em São Paulo através de parceria com o Hospital Albert Einstein. A escolha fez parte da iniciativa do Einstein, que analisou centenas de startups da área de saúde para criar parcerias visando à melhoria da assistência à saúde no país. Assim, foi selecionada por desenvolver tecnologias de ponta para a realização de exames genéticos com foco no diagnóstico clínico. Até o final de 2019, ainda será inaugurada uma unidade em Brasília.

“Com a abertura dos novos laboratórios em 2019, a expectativa é que seja ampliado em mais de mil o número de exames e pacientes atendidos pela Genomika. As novas unidades serão pontos de coletas, que vão operar no recolhimento de materiais para análise médica ampliando assim nosso alcance em todo o Brasil e facilitando o atendimento aos pacientes”, revela o médico, diretor executivo e fundador da Genomika, Dr. João Bosco Oliveira.

Inspirado nas empresas americanas especializadas em sequenciamento genético, o Dr. João Bosco Oliveira passou sete anos debruçado sobre o tema nos Estados Unidos, onde chefiou o departamento de genética e imunologia do Instituto Nacional de Saúde, em Washington, órgão de pesquisa ligado ao governo americano. “A grande barreira de entrada nesse segmento não é o capital. É o conhecimento”, diz Oliveira. Com foco em testes nas áreas de oncologia e de identificação de doenças raras, a Genomika emprega alta tecnologia para fazer sequenciamento genético e ajudar pessoas em todos os cantos do território nacional.

Uma destas tecnologias é o software Varstation, próprio de bioinformática para processamento e análise de exames genéticos de Nova Geração, que foi criado e desenvolvido pela equipe da Genomika. Ele fomenta o crescimento da medicina de precisão e o desenvolvimento científico na área da Genética, o que possibilita que profissionais, laboratórios clínicos, hospitais e centros de pesquisa gerenciem dados genéticos complexos e forneçam resultados cada vez mais precisos para o diagnóstico e o tratamento de pacientes.

Lançamento Genomika Diagnósticos

Debate seguido de coquetel de inauguração

Painel #1 Avaliação Genética de Risco Hereditário de Câncer – Dr. João Bosco Oliveira

Painel #2 Uso do exoma: mitos e verdades

Painel #3 Oncologia de Precisão – Dr. Paulo Campregher

Quando: quinta, dia 17 de outubro

Horário: 18h

Local: Auditório do Medplex Saúde Torre Norte I Rua Gomes Jardim, 201 – Porto Alegre

Genomika Diagnósticos – Unidade Porto Alegre

Medplex Torre Saúde – Torre B – Sala 1205 – Rua Gomes Jardim, 201

Horário de funcionamento: de segunda a sexta, das 07h às 17h. Sábados, das 08 às 12h.

Livros: Léo Gerchmann lança “Jayme Copstein ao quadrado”. Uma obra que mostra a essência de um dos mais importantes comunicadores gaúchos.

Livros: Léo Gerchmann lança “Jayme Copstein ao quadrado”. Uma obra que mostra a essência de um dos mais importantes comunicadores gaúchos.

Agenda Comportamento Comunicação Cultura Entrevistas Notícias Tecnologia Trabalho

Um dia antes de morrer, o meu guru, ídolo, amigo, grande jornalista e escritor Jayme Copstein entregou ao editor Marco Cena, originais de um novo livro.  O editor da Besouro Box, prometeu a Jayme que trabalharia todo aquele rico material e pensaria como transformar em um ou mais livros. Conversei com Cena sobre esta obra, em entrevista na Rádio Guaíba. Em outro momento, na TVU falamos sobre a riqueza intelectual da vida de Jayme e ali ele revelou a ideia de uma biografia, reafirmou o compromisso de uma homenagem póstuma ao grande comunicador e a promessa foi cumprida. Foi com emoção que recebi no início desta semana um exemplar  de “Jayme Copstein ao quadrado”, escrito pelo também meu amigo Léo Gerchmann. Jornalista experiente, formado pela UFRGS, autor de livros sobre a história do Grêmio. Se antes de ler, eu acreditava que Léo era a pessoa certa para escrever sobre Jayme, após a leitura tenho a convicção de que ninguém faria melhor.

jayme2Na introdução feita pelo autor da biografia, a explicação para o nome do livro: “Uma curiosidade pra lá de casual (ou não): Jayme Copstein usava o nome original, sem qualquer apelo artístico, e, apesar de adotar apenas um dos sobrenomes, contemplava também o da mãe – ou seja, tinha dois sobrenomes num só. Como o pai e a mãe eram primos de segundo grau, ele poderia ser Kopstein Copstein (o “K” da mãe de Jayme ainda tinha a grafia usada pela família na Europa). Era, então, nome real e artístico.
– Sou Copstein ao quadrado – costumava brincar.
Pode parecer algo banal, mas essa situação alcança forte simbolismo: Jayme sempre foi uma pessoa intensa. Radialista? Ok, mas muito mais que isso. Ele tinha o orgulho de ser jornalista. Mais que isso: homem de comunicação. Ainda mais: homem das artes.”

Em um texto que escrevi logo após a morte de Jayme relatei minhas visitas ao ídolo já internado na Santa Casa de Misericórdia. Apesar do quadro de saúde, seguia criativo e cheio de ideias. Rodeado de livros, anotações e reclamando da baixa velocidade de conexão da internet no apartamento 313, que ocupava no Pavilhão Pereira Filho, se negava a parar de trabalhar. Em uma caderneta tinha notas para vários artigos e algumas frases para um perfil que pretendia escrever sobre o médico José Jesus de Camargo que o tratava. “Conheci” Jayme aos 19 anos, quando comecei a ouvi-lo no Gaúcha na Madrugada. Me apaixonei pelo tom coloquial, pelo comentário bem elaborado que fazia o ouvinte refletir mesmo que estivesse sonolento e pelo respeito ao que hoje é comum, mas naquela época não era… a interatividade. Quando cheguei na Gaúcha em 1989, muitas vezes varei madrugadas quieto dentro do estúdio acompanhando a realização do programa e algumas vezes tive a honra de substituir Jayme Copstein. Graças ao conselhos do Antônio Carlos Niederauer não mexi na estrutura e mantive o programa como meu amigo o fazia. E por isso recebi elogios inesquecíveis do Jayme, Niederauer, Ranzólin e outros. Era simples, mas não era facil subsituir o gênio criativo, excelente redator, produtor de mão cheia, leitor voraz e jornalista perfeccionista. Na simplicidade está a genialidade. O programa era feito, o horário era mantido, mas sem a genialidade do mestre.  Jayme trabalhou nos principais jornais e emissoras de rádio do Rio Grande do Sul. Conquistou vários prêmios de jornalismo, entre eles a Medalha de Prata no Festival Internacional de Rádio de Nova York e vai se juntar ao Streck, Flávio(de quem era grande amigo e tinham entre eles uma admiração reciproca), Julio Rosemberg e tantos outros. Jayme, faz falta, muita falta no rádio e nas mesas de bar onde bebemos “alguns muitos chopes”.

Por isso, ler o livro  foi um alento, concordo com a minha querida Cíntia Moscovich, “Não se trata de mera sucessão de datas ou de eventos: aqui dentro, Jayme Copstein se movimenta, fala, gesticula, ri, numa narração vívida e afetuosa.”  O jornalista e biógrafo, Léo Gerchmann ancora a obra na trajetória profissional de Jayme. Ali você entenderá como um homem das letras enveredou para o rádio e o revolucionou. Jayme ficou conhecido pelo grande público como o jornalista de voz serena que criou um icônico programa de talk show na madrugada da rádio gaúcha e brasileira. Mas antes disso ele foi um literato, um homem de crônicas altamente líricas, contos divertidos, edições de Mario Quintana no Caderno H. Na Rádio Gaúcha, o comunicador, nascido em Rio Grande, exerceu todo seu conhecimento erudito para fazer melhor a vida dos notívagos. Em uma situação que surgiu quase que por acaso, ele abriu o microfone para as angústias dos ouvintes. Desbravou o vasto campo da comunicação interativa. O livro conta sobre o homem Jayme e seus trabalhos também como roteirista de radionovela e radioteatro. Mostra até mesmo o humanismo e a ousadia que levaram a Rádio Gaúcha a um prêmio internacional. Enfim, este livro trata de ir à essência de Jayme Copstein.  Ao escrever, Léo tinha a pretensão de mostrar ao leitor quem foi Jayme por inteiro. Conseguiu!
Anos-1980-Foto-10-Brasil-na-Madrugada-733x1024Lançamento(s) agendados:

Sinagoga Centro Israelita – 17/10/2019 (quinta) às 19h30– (Rua Henrique Dias, 73 – Bom Fim). Bate-papo com Lucy Copstein, Cintia Moscovich e Léo Gerchmann (dirigido a comunidade judaica)

Sarau Elétrico – Sarau do Rádio com Mauro Borba e Léo Gerchamnn – 05/11/2019 (terça) às 21h no Ocidente.

65ª Feira do Livro de Porto Alegre – 10/11/2019 (domingo), às 15h encontro com Léo Gerchmann, Felipe Vieira, Cláudio Brito, Luiz Ferraretto e Carlos Nélson seguido de sessão de autógrafos (aberto ao público em geral)

 

 

 

 

Moinhos de Vento celebra avanços do transplante de medula óssea. Números e história dos transplantes integram programação com Grand Round e Simpósio Internacional, nesta semana

Moinhos de Vento celebra avanços do transplante de medula óssea. Números e história dos transplantes integram programação com Grand Round e Simpósio Internacional, nesta semana

Notícias Saúde Trabalho

A evolução e os números sobre os transplantes de medula óssea (TMO) realizados no Hospital Moinhos de Vento e na Johns Hopkins Medicine International foram tema do Grand Round desta quinta-feira (10). O debate mensal integra uma programação especial voltada ao assunto – que terá sequência na sexta-feira (11) e sábado (12) com o Simpósio Internacional de TMO, no Plaza São Rafael. No Anfiteatro Schwester Hilda Sturm, o chefe do Serviço de Oncologia do Moinhos de Vento, Sergio Roithmann, falou sobre sua trajetória e os primeiros transplantes desse tipo na instituição. “Uma das ações que iniciou na minha área e acabou sendo expandida para todo o Moinhos de Vento foi a readequação das pias para lavar as mãos. Esse procedimento beneficiou todos os pacientes”, contou. Segundo ele, pacientes que aguardam um transplante ou transplantados requerem cuidados extremos devido à baixa imunidade e ao alto risco de infecções.

Foto-86
Da esquerda para a direita, Dr. Sergio Roithmann, chefe do Serviço de Oncologia do Hospital Moinhos de Vento, Ephraim Joseph Fuchs, professor do Departamento de Oncologia da Johns Hopkins, e Dra. Cláudia Caceres Astigarraga, hematologista do HMV. foto: Leonardo Lenskij

 Com a presença do professor Ephraim Joseph Fuchs, do Departamento de Oncologia da Johns Hopkins, a primeira parte do Grand Round tratou do histórico do transplante haploidêntico.  Realizado por doadores familiares parcialmente compatíveis, geralmente com 50% de similaridade, o processo fez aumentar o número doadores. “Apesar dos riscos iniciais que tínhamos nos anos 80, os avanços na medicina permitiram que realizássemos transplantes haploidênticos com baixos índices de morte. Hoje, a cura de hemoglobinopatias graves é possível para a maioria dos pais, o que não costumava ocorrer no passado, por exemplo”, explicou o americano.

 Fuchs será um dos três palestrantes internacionais do Simpósio. No laboratório onde atua, em Baltimore (Estados Unidos), o médico investiga métodos para aumentar as respostas imunológicas contra o câncer no cenário do TMO. A Johns Hopkins realiza em torno de 150 transplantes dessa área por ano.

 TMO no Moinhos de Vento

A segunda parte do encontro foi apresentada por Claudia Caceres Astigarraga, hematologista do Moinhos de Vento. A profissional falou sobre o processo e o ambiente para os transplantes na instituição. “Há quatro anos, o hospital fez um grande investimento, incluindo a primeira unidade fechada fora do CTI”, explica Claudia, mencionando os 117 TMOs realizados na instituição. Desses casos, segundo ela, 27 foram através do Mais TMO – projeto do PROADI-SUS para pacientes vindos diretamente do Sistema Único de Saúde, totalmente isentos de custos.

 Dentro da programação do Simpósio, Claudia falará mais sobre a iniciativa. A programação é dirigida aos profissionais da área e reúne 28 palestrantes nacionais e três internacionais. O evento, que prevê reunir 270 participantes de 56 centros transplantadores e centrais reguladoras, tem como objetivo capacitar as equipes de TMO.

Porto Alegre: SINDIHOSPA divulga nota apoiando operação contra  clínica geriátrica clandestina

Porto Alegre: SINDIHOSPA divulga nota apoiando operação contra clínica geriátrica clandestina

Destaque Saúde Trabalho

O SINDIHOSPA divulgou nesta quinta-feira uma nota oficial elogiando a operação integrada, realizada por membros da Polícia Civil e dos órgãos de fiscalização e assistência social da Prefeitura de Porto Alegre nesta quarta-feira, 9, que fechou um estabelecimento clandestino que funcionava como casa geriátrica na Zona Sul da Capital. No local, estavam cerca de 18 residentes, a maioria deles idosos. Um homem de 26 anos, identificado como um dos proprietários, foi detido.

 

Leia a íntegra da nota do SINDHOSPA:
O Sindicato dos Hospitais e Clínicas de Porto Alegre (SINDIHOSPA) vem manifestar apoio à operação deflagrada nesta quarta-feira (9), pela Polícia Civil, em conjunto com as secretarias municipais da Segurança e Saúde, com coordenação da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social e Esporte. Na ação, foi fechada uma clínica geriátrica clandestina, que abrigava 18 pessoas em condições insalubres e de grande prejuízo à saúde dos idosos.

O cuidado com a vida humana e a qualidade dos serviços são compromissos inabaláveis dos bons residenciais geriátricos. São espaços que oferecem bem-estar e conforto, com melhor alimentação, segurança na locomoção e na administração de medicamentos. Também dispõem de infraestrutura totalmente adaptada e equipes multidisciplinares para as diversas necessidades. Cumprem um papel de grande valor social, numa relação de confiança e respeito com os idosos e seus familiares.

Há dez anos, o SINDIHOSPA conta com o Núcleo de Residenciais Geriátricos (Moderna Idade), que reúne 17 organizações e trabalha continuamente para qualificar o atendimento. Atua em colaboração com a sociedade e o Poder Público pela conscientização e na construção de políticas em benefício dos idosos. Neste sentido, promoveremos no dia 28 de outubro, na OAB/RS, o seminário “ILPIs – Desafios e tendências para os novos tipos de moradia para idosos”, em parceria com a Comissão Especial dos Direitos da Pessoa Idosa da entidade.

Com a participação do Ministério Público e apoio de diversas organizações, o evento será também oportunidade para discutirmos a ausência de políticas públicas voltadas aos idosos e as dificuldades da fiscalização, que contribuem para a proliferação de clínicas geriátricas irregulares. Recentemente, o Núcleo produziu um material informativo com orientações para a escolha de um residencial adequado. O conteúdo, distribuído regularmente à população, está disponível em www.modernaidade.com.br.

Seguiremos com esse trabalho, qualificando permanentemente os serviços dos nossos associados e apoiando todas as iniciativas que visam combater as más práticas no setor.

Porto Alegre: 1ª Feira Ecológica do Brasil comemora 30 anos de existência

Porto Alegre: 1ª Feira Ecológica do Brasil comemora 30 anos de existência

Cidade Destaque Notícias Porto Alegre Trabalho
Neste sábado, 12, segue a programação de aniversário da 1ª Feira dos Agricultores Ecologistas (FAE), que completa 30 anos em outubro.  As atividades acontecem na primeira quadra da avenida José Bonifácio e contemplam ações de educação ambiental, apresentação e roda de conversa, degustação, exposição fotografia documental e o tradicional abraço na feira. A iniciativa é da Associação da FAE, com apoio institucional da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico (SMDE).

A FAE foi fundada em 1989, com as primeiras bancas montadas no canteiro central da José Bonifácio, onde hoje ocorre o Brique da Redenção. “O objetivo da ação é não só comemorar o aniversário, mas também atrair a atenção para o setor, de olho no estímulo ao desenvolvimento rural sustentável e na preservação da biodiversidade e dos agroecossistemas”, declara o secretário de Desenvolvimento Econômico, Eduardo Cidade.

A FAE acontece todos os sábados, das 7h às 13h. Reúne 44 bancas de 140 famílias de agricultores ecologistas. Comercializa hortaliças, frutas, grãos, raízes, tubérculos, laticínios, mel, produtos de padaria e agroindustrializados (geleias, sucos, doces e bolos) com certificação orgânica. Além de dispensarem o uso de agrotóxicos, os agricultores ecológicos tomam uma série de medidas para preservar a natureza.

“Nossa ideia é promover uma confraternização com todos que ajudaram a construir a história da FAE. Produtores ecologistas, consumidores parceiros, ambientalistas, entre outros. Afinal, chegar nos 30 anos de uma feira ecológica só é possível pela união de esforços e dedicação de muitos”  relata o coordenador da Associação Agroecológica e parte da Comissão da FAE, Irineu Schere.

Programação de aniversário

– 12/10: atividade de educação ambiental com crianças (parceria com Agapan) + degustação de creme de inhame com morango com Rita Cuervo + pocketshow com Gelson Oliveira

– 19/10: Grande Festa de 30 anos da FAE com Café da manhã coletivo + Bolos + abraço na feira + Radio Poste com transmissão ao vivo + pocket show com Rose Nascente

– 26/10: Exposição fotografia documental da propriedade dos agricultores ecologistas FAE (em parceria com Foto Clube Porto Alegrense) + pocket show de Remi & Amigos