Sucesso na Copa do Mundo deve levar Ruy Carlos Ostermann a seguir analisando futebol em vídeos na página oficial dele no Facebook

Sucesso na Copa do Mundo deve levar Ruy Carlos Ostermann a seguir analisando futebol em vídeos na página oficial dele no Facebook

Agenda Cultura Destaque Esporte Notícias Tecnologia Trabalho Vídeo

 

Fui visitar um dos maiores cronistas esportivos do país, o professor Ruy Carlos Ostermann, para uma reportagem especial do SBT sobre a Copa do Mundo. Encontrei um homem animado com o sucesso da volta aos comentários esportivos via Redes Sociais. Em sua página oficial no facebook (@FalaProfessorRuy), ele retornou ao convívio do jornalismo esportivo em sua 14ª participação profissional em Copas do Mundo (sua primeira foi em 1966, na Inglaterra). A ideia surgiu através de sua filha, Cristiane Ostermann, e ganhou vida com o suporte técnico e de elaboração de conteúdo do Foot.Hub.

O número de acessos e as interações do público com o Professor Ruy fizeram com o projeto Copa seja expandido para para outras competições. Ruy não confirma oficialmente a continuidade do projeto no bate-papo que teve comigo, mas o anúncio deve ser feito ainda esta semana. Acompanhe na reportagem que foi ao ar no SBT Rio Grande 2ª Edição minha conversa com o professor Ruy sobre a vitória da França na Copa da Rússia, a permanência ou não de Tite na seleção brasileira e redes sociais .

Copa 2022: Veja o vídeo do novo ciclo do Mundial… No Catar, com 11% do território de Pernambuco; por Cassio Zirpoli

Copa 2022: Veja o vídeo do novo ciclo do Mundial… No Catar, com 11% do território de Pernambuco; por Cassio Zirpoli

Comunicação Destaque Esporte Trabalho Turismo Vídeo

Após duas edições em países com dimensões continentais, Brasil e Rússia, a Copa do Mundo terá como destino o Catar, no Oriente Médio. Embora riquíssimo, a partir das reservas de petróleo e gás natural, o país é muito pequeno.É o menor da história a receber a maior competição do futebol. Tendo apenas 11,5 mil quilômetros quadrados, corresponde a 11,7% do território de Pernambuco (98,1 mil km²), que já não é dos maiores.Pois será neste cenário mínimo, com 32 seleções jogando em 8 estádios, que ocorrerá o próximo Mundial.

No embalo da reta final de 2018, o comitê organizador de 2022 lançou um vídeo de divulgação. Assista.:

Porto Alegre: Vereadores derrubam vetos de Marchezan da Lei Geral dos Táxis.  Pela decisão, táxis de Porto Alegre poderão ser da cor branca; por Jessica Hübler/Correio do Povo

Porto Alegre: Vereadores derrubam vetos de Marchezan da Lei Geral dos Táxis. Pela decisão, táxis de Porto Alegre poderão ser da cor branca; por Jessica Hübler/Correio do Povo

Cidade Destaque Marchezan Poder Política Porto Alegre prefeitura Trabalho

A substituição da cor laranja dos táxis, pela branca, fazia parte de um conjunto de vetos do Executivo à Lei Geral dos Táxis. No final da tarde desta quinta-feira, entretanto, o veto foi derrubado e comemorado pelos taxistas que ocupavam as galerias.  Além disso, o Executivo havia vetado a ampliação do prazo das licenças para até 75 anos, a possibilidade de transferência do direito de exploração do serviço para terceiros ou herdeiros e a permissão para que os táxis pudessem estacionar em qualquer lugar das vias, inclusive de trafegar por corredores de ônibus. Tudo o que o Executivo queria retirar projeto da nova Lei Geral dos Táxis (PLE 18/17) foi rejeitado pelos vereadores.

A decisão final de rejeição do veto ocorreu no final da 12ª sessão extraordinária do ano, que iniciou às 15h52min de ontem. Até a definição final, os vereadores passaram horas encaminhando requerimentos de destaques para cada um dos 14 vetos.

Após cerca de 4h de discussão sobre destacar ou não os vetos, a sessão foi suspensa. Foi quando ocorreu uma reunião de líderes e, por deliberação, um acordo se formou. Os vetos foram votados em blocos, todos os destaques foram deixados de lado e o resultado agradou os taxistas. “Tudo isso envolve o meu futuro, as minhas despesas e as dificuldades que estão cada vez maiores para a nossa categoria”, explicou o taxista Albino Hugentodller, 62 anos.

Confira os vetos que foram derrubados pela Câmara:

• Substitui a atual cor laranja (vermelho ibérico) pelo branco;

• Altera a denominação da natureza do prestador do serviço de táxi de “permissionário” para “autorizatário”;

• Suprime a necessidade de licitação para o serviço de táxi;

• Suprime crimes de lesões corporais, posse e comercialização de arma de fogo e violência doméstica e contra a mulher do rol de impedimentos para atuar como taxista;

• Amplia o prazo de validade das licenças para até 75 anos;

• Possibilita a transferência do direito de exploração do serviço para terceiros ou herdeiros;

• Limita o número máximo de prefixos em operação;

• Institui “reserva de mercado”, destinando licenças devolvidas ou cassadas para taxistas já atuantes no serviço;

• Permite que táxis possam estacionar em qualquer lugar das vias e logradouros públicos e que possam trafegar por corredores de ônibus;

Prefeitura deve acionar Justiça

O diretor-presidente da EPTC, Marcelo Soletti, não descarta que o Executivo acione a Justiça para rever itens derrubados na Câmara Municipal.

Segundo ele, todas questões dos vetos serão avaliadas juridicamente. “Em alguns pontos, a justificativa dos vetos era a inconstitucionalidade”, afirmou, referindo-se à mudança da denominação da natureza do prestador do serviço de táxi de “permissionário” para “autorizatário” e também à possibilidade de parar em pontos de ônibus. “Fizemos a lei para a cidade, é uma perda para Porto Alegre, não para o governo”, enfatizou.

Jornadas Brasileiras de Relações do Trabalho apresentam Nova Lei Trabalhista em Pelotas

Jornadas Brasileiras de Relações do Trabalho apresentam Nova Lei Trabalhista em Pelotas

Notícias Poder Política Trabalho

A cidade de Pelotas, na região Sul do Estado, recebeu a penúltima edição das Jornadas Brasileiras de Relações do Trabalho nesta quarta-feira (11). Diversas autoridades prestigiaram o evento, como o prefeito em exercício de Pelotas, Idemar Barz, e o Gerente Substituto da Gerência Regional do Trabalho e Emprego, João Ricardo Dias Teixeira.

Idealizador da modernização trabalhista, o deputado Ronaldo Nogueira enfatizou a importância das mudanças promovidas pela nova lei. “Nós somos um país com capacidade de criação de riquezas, e não podemos ver crianças dormirem com fome. Depois que a Lei entrou em vigor, o emprego voltou ao Brasil e as empresas voltaram a contratar”, concluiu.

Para o desembargador e vice-presidente do TRT-RN, Bento Herculano Duarte Neto, um dos principais avanços diz respeito à negociação entre patrões e empregados. Exemplo disso é a possibilidade de o trabalhador negociar suas férias. “A nova lei veio para facilitar a vida dos trabalhadores. Ela veio para ajudar na geração de empregos, criando um ambiente jurídico favorável, com mais segurança jurídica, tanto aos patrões, quanto aos empregados”, explicou.

Em sua conferência, o ministro do TST Aloysio Corrêa da Veiga argumentou que o direito individual do trabalho não sofreu alteração. O direito coletivo, por sua vez, mudou e o diálogo foi a grande novidade da modernização trabalhista. “A negociação coletiva sempre existiu, desde a consolidação das leis do trabalho. E esse ajuste de vontades pressupõe transação. A reforma trabalhista traz a proibição do que não pode ser negociado. Ou seja, os direitos sociais”, disse o ministro.

O fechamento da etapa gaúcha das Jornadas Brasileiras de Relações do Trabalho ocorre nesta sexta-feira, data que marca um ano da assinatura da Lei Nº 13.467. O evento será no Hotel Sheraton, em Porto Alegre, às 12h.

Athos Editora lança 4º volume da série Nomes Que Fizeram a Imprensa Gaúcha

Athos Editora lança 4º volume da série Nomes Que Fizeram a Imprensa Gaúcha

Agenda Comunicação Destaque Publicidade Trabalho

A Athos Editora está lançando no próximo dia 18 de julho, às 11h, no Salão Negrinho do Pastoreio, do Palácio Piratini, o 4º volume da série Nomes Que Fizeram a Imprensa Gaúcha, destacando a vida, o trabalho e o legado de profissionais que ajudaram a formar a história do jornalismo no Rio Grande do Sul. Os dez biografados desta edição são: Bira Valdez, Celito de Grandi, Clóvis Duarte, Danilo Ucha, Jayme Copstein, Jose Abraham, Paulo Sant’Ana, P.F. Gastal, Plínio Saraiva e Tatata Pimentel.

Segundo Julio Ribeiro, diretor geral da Athos Editora, as novas gerações de profissionais precisam saber que não estão inventando a roda, ela já existia há muitos anos, décadas, séculos até. E muita gente, ao longo deste tempo, contribuiu para que a imprensa se modernizasse, ganhasse novos contornos, se tornasse relevante e uma profissão digna.

O projeto NOMES QUE FIZERAM A IMPRENSA GAÚCHA tem esse objetivo muito claro. Não apenas resgatar essas contribuições, como também reconhecer e reverenciar o trabalho de radialistas, jornalistas, profissionais de comunicação que, de alguma forma, ajudaram a construir a imprensa que é feita no Rio Grande do Sul.

Este 4º volume tem pesquisa e textos de Fernando Soares, Jair Stangler, Lucas Vidal Domingues, Marcel Horowitz e Thaís Seganfredo, com a coordenação de Marcelo Beledeli, e projeto gráfico assinado pela Esparta Comunicação. A obra tem o patrocínio de Corsan e Celulose Riograndense e se destina a jornalistas, radialistas, estudantes e professores de comunicação, bibliotecas públicas, entes políticos, entidades profissionais e líderes de opinião. O livro terá distribuição gratuita, através de mailling dirigido.

37022856_2136570403228618_7011966381998473216_n

Mudança nas leis trabalhistas foi a tônica da edição das Jornadas Brasileiras do Trabalho em Santa Cruz do Sul

Mudança nas leis trabalhistas foi a tônica da edição das Jornadas Brasileiras do Trabalho em Santa Cruz do Sul

Direito Economia Negócios Notícias Trabalho

Realizada na cidade de Santa cruz do Sul, no Vale do Taquari, as Jornadas Brasileiras de Relações do Trabalho esclareceu diversos pontos do projeto de lei da reforma trabalhista, sancionada em 2017. Contando com as presenças de diversas autoridades, o ciclo de palestras foi aberto pelo deputado Federal e Presidente da Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público da Câmara, Ronaldo Nogueira, idealizador da reforma trabalhista, que enfatizou não ser possível um país com tantas possibilidades de riquezas, viver com tanta miséria. “O Brasil real é de 27 milhões pessoas que precisam voltar ao mercado de trabalho. O Brasil tem riqueza para isso. E o Brasil vai produzir mais de um milhão de empregos formais em 2018”, anunciou Ronaldo Nogueira.

Dando continuidade às apresentações, o desembargador Amaury Rodrigues Pinto Junior, afirmou que a volta dos empregos é fruto de trabalho, conjuntura e do ambiente favorável ao crescimento, citando alguns caso, uso como exemplo o “tele trabalho”, onde o trabalhador atua em sua casa. “A possibilidade e credibilidade da negociação, foi muito importante com a nova lei. O que você negociar, vai valer. E as pessoas terem responsabilidade no que vai negociar. A legislação deu responsabilidade a esse tipo de negociação.”, exemplificou o desembargador Amaury Rodrigues.

Fechando as palestras, o ministro do Superior do Trabalho (TST), Aloysio Correa da Veiga, falou sobre as questões de trabalho e principalmente da informalidade que existia. “A mudança da lei da trabalhista não será o milagre para os mais de 30 milhões de pessoas que esperam entrar no mercado de trabalho. Essas questões tem que ser trazidas num debate nacional, sem preconceitos. Nós temos que encontrar meios e mecanismo de trazer essas pessoas, na informalidade, ao mercado de trabalho”, concluiu o ministro Aloysio Correia.

Geração de empregos e leis que protegem as escolhas dos trabalhadores pautaram as palestras em Capão da Canoa

Geração de empregos e leis que protegem as escolhas dos trabalhadores pautaram as palestras em Capão da Canoa

Destaque Direito Economia Trabalho

Com o salão do Hotel Araçá lotado em de Capão da Canoa, no litoral gaúcho, foi realizada neste sábado a Jornada Brasileira de Relações do Trabalho. O deputado federal e idealizador da Reforma Trabalhista, Ronaldo Nogueira, abriu as palestras, destacando as mudanças pelos quais o país passa e a geração de empregos.

“O Brasil real é de 27 milhões de pessoas que querem trabalhar. Com a nova lei, agora estamos gerando mais empregos. O Brasil do Futuro será do pleno emprego. A lei entrou em vigor sem tirar nenhum direito do trabalhador. E, por acordo coletivo, os trabalhadores podem escolher como vão trabalhar e como vão tirar as suas folgas e férias”, defendeu Ronaldo Nogueira.

O Desembargador Amaury Rodrigues Pinto Júnior, em sua conferência, afirmou que a nova lei veio para proporcionar um maior equilíbrio para a sociedade. Entre as mudanças apontadas, ele citou que a legislação atual reconheceu e regulamentou o trabalho intermitente. “O trabalhador, normalmente, sobrevive do salário e a justiça do trabalho é extremamente protetiva. A legislação trabalhista, agora, permite que o juiz trate diferente, aquele que é diferente. E garante, a todos, os seus devidos direitos”, concluiu o desembargador.

Fechando as palestras, o ministro do Tribunal Superior do Trabalho Aloysio Corrêa da Veiga explicou o que acontece para que quase 95 milhões de processos estejam nos tribunais a serem julgados. Segundo o ministro, não é possível que o Estado seja o único gerador de políticas públicas no Brasil. “Qual foi o objetivo da Reforma Trabalhista? Foi incentivar a negociação coletiva. E criar mecanismos de tirar o trabalhador da ilegalidade e gerar empregos. Hoje nós temos 54 milhões de trabalhos formais, de 127 milhões de pessoas. Temos que criar mecanismos de integração social”, concluiu.

A próxima edição das Jornadas Brasileiras do Trabalho acontecerá segunda-feira (09), às 12h, no Águas Claras Hotel, em Santa Cruz do Sul, no Vale do Rio Pardo. O calendário completo das Jornadas está disponível no site www.ibecnet.com.br e as inscrições são gratuitas.

Poder de liderança de Churchill é tema do próximo Tá na Mesa

Poder de liderança de Churchill é tema do próximo Tá na Mesa

Cidade Comunicação Cultura Destaque Economia Mundo Negócios Poder Política Porto Alegre Trabalho

Na próxima quinta-feira (12/7), a Federasul recebe dois grandes nomes da crítica literária e que possuem afinidade com o tema educação e se distinguem pela paixão e dedicação de suas vidas à Comunicação e liderança em projetos que estão à frente.

O primeiro ministro britânico continua sendo atual, mesmo após sua morte. Ideia do encontro é compreender o motivo da liderança mundial do premiê. São convidados o ex-vice-governador do Rio Grande do Sul, professor da PUCRS e atual presidente da Fundação Theatro São Pedro, Antonio Hohlfeldt e o também professor, empresário e consultor da 818 Game 35530604_10156548784107853_1736748374931013632_nAcademy Ricardo Sondermann.

Hohlfeldt vai detalhar seu trabalho como orientador e pesquisador em Comunicação, os fatos e curiosidades sobre a personalidade de Winston, além de abordar todas as atividades pertinentes ao comando do Theatro São Pedro. Junto de Antonio Hohlfeldt, Ricardo Sondermann, autor da obra Churchill e a ciência por trás dos discursos, irá analisar a construção de vários discursos, avaliando o seu contexto, e a força da liderança e a construção oratória, e justificar seu papel de referência para milhares de pessoas, por meio de sua retórica penetrante.

 

TÁ NA MESA

PALESTRANTES: Antonio Hohlfeldt – presidente da Fundação Theatro São Pedro e Ricardo Sondermann – consultor da 818 Game Academy

TEMA: “Churchill e o Poder das Palavras”

QUANDO: quinta-feira, dia 12 de julho de 2018, 12h

ENDEREÇO: Largo Visconde de Cairú, 17 – 4º andar no Centro de Porto Alegre

 

Porto Alegre: Inscrições abertas para a Expoagas 2018

Porto Alegre: Inscrições abertas para a Expoagas 2018

Agenda Destaque Negócios Trabalho

Estão abertas, desde 1º de julho, as inscrições para a 37ª Convenção Gaúcha de Supermercados – Expoagas 2018, maior evento da área no Cone Sul, que ocorre entre os dias 21 e 23 de agosto no Centro de Eventos Fiergs, em Porto Alegre (RS). O encontro é promovido anualmente pela Associação Gaúcha de Supermercados (Agas) com foco na qualificação e na realização de negócios entre varejistas e expositores. No último ano, o evento movimentou R$ 482 milhões em transações entre varejistas e expositores. A feira, que em 2018 reunirá mais de 45 mil pessoas, oportuniza à indústria gaúcha condições favoráveis para a realização de negócios com empresários do Rio Grande do Sul e de outros estados do Brasil que estarão presentes. O encontro possibilita aos supermercadistas a qualificação de seus serviços e o conhecimento de novidades, tendências e novos conceitos no setor. Mais informações pelo e-mail expoagas@agas.com.br.

As inscrições podem ser realizadas pelo site www.agas.com.br. Até o dia 18 de agosto não há taxa para supermercadistas, representantes de padarias, farmácias, bares, restaurantes, lojas de conveniência, açougues, bazares, lojas de 1,99, petshops e hotéis. Os valores para demais participantes variam de R$ 30,00 a R$ 150,00.

A edição de 2018 da Expoagas terá palestras e seminários buscando a qualificação do profissional da área em seus diversos perfis e segmentos, como são as propostas do Agas Jovem e do Agas Mulher. Entre os nomes confirmados para o ciclo de palestras, estão os jornalistas Ricardo Boechat e Piangers, o especialista em relações internacionais e diplomacias empresariais Marcos Prado Troyjo, a antropóloga Miriam Goldenberg e o hipnólogo Rafael Baltresca.

Inscrições:

Até 18 de agosto em www.agas.com.br

Varejista = Gratuito

Fornecedor Sócio Agas = R$ 30,00

 

Após 18 de agosto – Na secretaria do evento

Varejista sócio Agas – R$ 30,00

Varejista não sócio Agas – R$ 80,00

Fornecedor sócio Agas – R$ 50,00

Fornecedor não sócio Agas/ Visitante – R$ 150,00

 

Porto Alegre: Escadas do Mercado Público serão restauradas

Porto Alegre: Escadas do Mercado Público serão restauradas

Agenda Destaque Negócios Poder Política Porto Alegre Segurança Trabalho Turismo Vídeo

 

Amanhã, completam-se cinco anos de um aniversário que ninguém gostaria de comemorar. No dia 6 de julho de 2013, um incêndio destruiu parcialmente o segundo andar do Mercado Público, que, ainda hoje, permanece fechado ao público. No entanto, neste ano, a Associação do Comércio do Mercado Público Central (Ascomepc) tem um presente para o tradicional prédio histórico da Capital dos gaúchos: as duas escadas de acesso localizadas nos quadrantes 3 e 4 serão recuperadas.

De acordo com Adriana Kauer, 2ª secretária da Ascomepc, uma empresa já foi contratada para fazer as reformas necessárias. “Dentro de 15 a 20 dias, no máximo, devem começar as obras de recuperação.”

A recuperação das escadas faz parte no Plano de Prevenção Contra Incêndios (PPCI) que está sendo executado pela associação, após os permissionários assumirem a responsabilidade pelo mesmo perante o Ministério Público, em homologação assinada em maio deste ano junto ao promotor Claudio Ari Melo. “Trouxemos para nós a missão de reabrirmos o segundo andar. E só com o PPCI poderemos fazer isso. Neste momento, a empresa contratada para fazer o projeto aprovativo é a Combate, a mesma que fez o PPCI para a Santa Casa”, explica Adriana.

No período que a reforma estiver em andamento, porém, a circulação dos clientes no Mercado não será afetada.