RS: Museus do Estado estarão fechados neste domingo, 27/05

RS: Museus do Estado estarão fechados neste domingo, 27/05

Agenda Comunicação Cultura Destaque Notícias Porto Alegre Segurança Trabalho

Em virtude da anunciada falta de transporte público e da instabilidade de acesso a combustível, visando a segurança do patrimônio, do acervo, do público e dos funcionários, os museus vinculados à Secretaria de Estado da Cultura, Turismo, Esporte e Lazer (Sedactel) estarão fechados neste domingo (27/05).

Sendo eles: Margs (Museu de Arte do RS), Memorial do Rio Grande do Sul, Museu Julio de Castilhos, Museu da Comunicação Hipólito José da Costa e a Casa de Cultura Mario Quintana (incluindo a programação de todos os espaços).

20180527_AvisoMuseusFechados

Inconstitucional, proposta para frete elevaria custos, diz agronegócio

Inconstitucional, proposta para frete elevaria custos, diz agronegócio

Agronegócio Comunicação Notícias Trabalho

O agronegócio do Brasil avalia que a proposta de preços mínimos para o frete de cargas tende a elevar os custos tanto para produtor quanto consumidor, gerar informalidade no segmento, encarecer outros modais logísticos e impactar a própria produção de commodities, segundo representantes ouvidos pela Reuters.

Em meio aos protestos de caminhoneiros em todo o país, o presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), anunciou na véspera que assumiu o compromisso de pautar um projeto de preços mínimos no transporte rodoviário de cargas como parte de um acordo para suspender a greve.

Entretanto, as manifestações continuam nesta sexta-feira.

O Brasil é um dos maiores produtores de commodities agrícolas do mundo e transporta boa parte de sua safra, em particular grãos, pelas estradas, transportando 61 por cento de todas as cargas por rodovias, segundo a Confederação Nacional dos Transportes (CNT). Assim, qualquer alteração na dinâmica de fretes teria impacto sobre o agronegócio.

Para o presidente da Associação Brasileira do Agronegócio (Abag), Luiz Carlos Corrêa Carvalho, a proposta “não condiz com a realidade de um país que é democrático e capitalista”.

Leia mais em Notícias Agrícolas

Falta de combustível: Gabinete de Crise da prefeitura de Porto Alegre avalia ações emergenciais

Falta de combustível: Gabinete de Crise da prefeitura de Porto Alegre avalia ações emergenciais

Agenda Cidade Destaque Marchezan Notícias Poder Política Porto Alegre prefeitura Trabalho

Em reunião realizada no Centro Integrado de Comando da Cidade de Porto Alegre (Ceic) na tarde desta quinta-feira, 24, o Gabinete de Crise da prefeitura avaliou os desdobramentos decorrentes da paralisação dos caminhoneiros, que está provocando a falta de combustível na Capital, e definiu ações que já estão sendo adotadas para minimizar o problema. Áreas da Saúde e da Educação não foram atingidas até o momento.

Coordenado pelo prefeito Nelson Marchezan Júnior, por secretários e por integrantes de diferentes órgãos do Executivo, o gabinete permanecerá em reunião permanente para monitorar a situação e buscar garantir a normalidade dos trabalhos e o abastecimento parcial da frota de veículos que presta serviços à população.

Inicialmente, as principais áreas afetadas pela falta de combustível são o transporte público e o recolhimento de lixo. A greve dos caminhoneiros já dura quatro dias, provocando problemas na mobilidade urbana da Capital.

Ônibus – Em razão da greve dos caminhoneiros, o transporte coletivo segue com atendimento emergencial na Capital nesta quinta, 24. No horário de pico da tarde, entre 17h e 19h30, o serviço será normal, mas seguindo com viagens de hora em hora até 23h30. No intervalo entre 23h30 e 4h30, os ônibus não circularão.

O atendimento emergencial será repetido nesta sexta-feira, 25, começando às 4h30 e segue a tabela normal até as 8h30. Das 8h30 até as 17h, os ônibus operam de hora em hora. A partir das 17h até as 19h30, os ônibus operam em tabela normal. A partir das 19h30 até 23h30, os ônibus funcionarão de hora em hora.

Lotações – O serviço de lotações segue nesta sexta-feira, 25, autorizado a transportar passageiros em pé e circularem nos corredores de ônibus fora dos horários de pico.

Lixo – A Secretaria Municipal de Serviços Urbanos, por meio do Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU), afirma que o movimento dos caminhoneiros irá afetar as coletas regulares de resíduos na Capital. A coleta domiciliar está sendo impactada duplamente. Em razão da paralisação nacional, a BR-290, rodovia que leva até o aterro sanitário de Minas do Leão, está bloqueada. Assim, a descarga dos caminhões, realizada na Estação de Transbordo da Lomba do Pinheiro, está sendo prejudicada pela dificuldade de acesso ao aterro. A previsão é de que a capacidade de armazenamento no local seja esgotada até o final da tarde desta quinta-feira, 24.

Os técnicos do DMLU estão analisando a possibilidade de dispor os resíduos, de forma provisória, em uma outra área também na região da Lomba do Pinheiro. Apesar da Coleta Seletiva não destinar os resíduos via Transbordo, mas diretamente nas Unidades de Triagem, a redução do combustível disponível da cidade também afeta o serviço. Frente às dificuldades de fornecimento de combustível na capital, o DMLU está estudando alternativas para espaçar as rotinas das coletas.

Dia Nacional do Café: Aroma da bebida invade o Mercado Público em uma das mais tradicionais lojas da Capital gaúcha

Dia Nacional do Café: Aroma da bebida invade o Mercado Público em uma das mais tradicionais lojas da Capital gaúcha

Agenda Cidade Cultura Destaque Direito do Consumidor Economia Gastronomia Negócios Trabalho Turismo

Impossível passar pelas duas lojas do Café do Mercado e resistir ao aroma que invade os corredores. Cafés dos mais variados tipos estão à disposição dos clientes e desde sua fundação o local virou ponto de referência no Mercado Público de Porto Alegre. Ao todo, 25 funcionários se dividem no atendimento ao público, oferecendo o que há de mais saboroso e diferente. “Trabalhamos com duas linhas de café: os gourmets e os especiais. Todos os nossos produtos são 100% arábica, que possuem aroma e doçura intensos com muitas variações de acidez, corpo e sabor”, revela a gerente Gabriela Giurno

Para servir os melhores produtos, o Café do Mercado trabalha com oito tipos de café: os gourmets da casa/suave/forte e os especiais Cerrado mineiro, Chapada Diamantina, Sul de Minas, Mogiana e Montanhas do Espírito Santo.

Seguindo a tendência nacional, uma vez que o Brasil é o maior produtor e exportador mundial de café, os gaúchos já se acostumaram consumir a bebida nas mais diversas horas do dia. “Culturalmente, os gaúchos têm o hábito de consumir café de torra escura, que são os vendidos nos supermercados. No entanto, temos notado uma mudança nisso, pois as pessoas estão aprendendo a tomar os cafés de torras mais claras e os especiais, que têm como característica uma doçura maior”, avalia a gerente.

E a estação do ano é o que menos importa para degustar um bom café. “No inverno, especialmente, nossas vendas são muito boas, mas não podemos nos queixar do verão. Diminui um pouco, mas constatamos na loja que já virou um hábito do ano inteiro entre os gaúchos”.

E para celebrar o Dia Nacional do Café, comemorado neste dia 24, até o próximo sábado (26), o Café do Mercado sugere aos clientes um café no método Aeropress, que oferece uma bebida que fica entre o expresso e o filtrado, com corpo e citricidade marcantes devido à pressão da máquina no momento da elaboração do produto.

E tem também o café feito no método Hario, que ressalta a doçura de um café especial e ressalta as características do produto, que é uma boa pedida para esses dias mais frios que têm feito no Estado.

O segredo do sucesso está nas pessoas e no bem servir. Painelistas do Tá na Mesa afirmaram que o compromisso com o cliente e a qualificação profissional de seus colaboradores são os diferenciais de cada marca

O segredo do sucesso está nas pessoas e no bem servir. Painelistas do Tá na Mesa afirmaram que o compromisso com o cliente e a qualificação profissional de seus colaboradores são os diferenciais de cada marca

Negócios Notícias Porto Alegre Trabalho

A Federação de Entidades Empresariais do Rio Grande do Sul (Federasul) recebeu, nesta quarta-feira (23), três empresários que mostraram como a criatividade, a inovação e a coragem com que empreenderam possibilitou crescer e colher bons resultados. Foram palestrantes desta edição: Claudir Dullius, fundador da Lojas Dullius; Givanildo Luz, CEO da Saque e Pague; e o sócio fundador do Grupo Di Paolo, Paulo Geremia.

Principal representante de marcas internacionais como Colcci, Vizzano, Tommy Hilfiger e Cavalera, a Lojas Dullius faturou R$ 70 milhões de reais e projeta crescimento de 15% esse ano. Para Claudir Dullius, que fundou a empresa há 39 anos, “a marca está em constante inquietude, sempre buscando melhorar. A nossa diferença é o fator humano. Eu sou um defensor e apaixonado por meus colaboradores”, disse o empresário. Atualmente a Lojas Dullius soma 26 unidades, presentes no Rio Grande do Sul, em grande parte no Vale do Taquari, tendo como cidade-sede o município de Cruzeiro do Sul.

Com tecnologia e determinação, Givanildo Luz, fundador da Saque e Pague, afirmou que o diferencial da empresa está na coragem e na ousadia, afinal, a empresa implantou um sistema inovador no Brasil, que mudou o jeito de lidar com o dinheiro. De acordo com Givanildo, usamos a tecnologia para resolver todos os problemas do dia a dia das pessoas. ”Nosso foco está nos quase 35% da população que não possui relacionamento com bancos”, disse o CEO da Saque e Pague. A ferramenta já movimentou, desde 2012, mais 24,7 bilhões de reais, cerca de 1,2 bi/mês no ano passado. Os próximos passos miram os mercados mexicano e boliviano e, também, conquistar primeiramente a América Latina, sempre valorizando o talento.

Com jeito carismático e humor contagiante, o último palestrante do Tá na Mesa foi Paulo Geremia, precursor da marca Di Paolo, principal nome em galeterias e gastronomia italiana do Rio Grande do Sul. Processo padronizado, gestão profissional e saber servir são alguns dos princípios elencados por Geremia para o crescimento e a consolidação da marca, que, em 2019, completa 25 anos de existência. “Nossos clientes devem se sentir em casa. Priorizamos, sempre, o carinho da família. Esse é o segredo do sucesso, mas também, produtos de qualidade, para seguir com o padrão de sabor de nosso cardápio”, afirmou Paulo.

Porto Alegre: Feira Brasileira do Varejo apresenta tendências e debate o futuro do setor a partir do dia 28 na Fiergs

Porto Alegre: Feira Brasileira do Varejo apresenta tendências e debate o futuro do setor a partir do dia 28 na Fiergs

Agenda Cidade Comunicação Destaque Economia Notícias Trabalho

A nova realidade das relações de consumo e as tendências que estão moldando o futuro do setor serão a tônica da 6ª edição da FBV – Feira Brasileira do Varejo, maior evento de varejo do país, realizado pelo Sindilojas Porto Alegre, de 28 a 30 de maio. Pela primeira vez sendo realizada na Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (Fiergs), a FBV vai reunir em um mesmo espaço fornecedores, lojistas e especialistas de renome nacional e internacional para três dias de interação, experiências, debates, negócios e muita inspiração. “É um momento de união entre lojistas e aqueles que buscam o desenvolvimento por meio do trabalho”, afirma Ronaldo Sielichow, presidente da FBV. Para o presidente do Sindilojas Porto Alegre, Paulo Kruse, o evento promove o conhecimento e incentiva parcerias. “A FBV contribui para o crescimento e a qualificação do varejo nacional”, destaca.

Com visitação aberta e gratuita ao público, a FBV 2018 contará com 70 expositores de empresas especializadas em soluções de tecnologia, gestão, segurança, marketing e outros serviços e produtos voltados ao segmento. São esperadas cerca de oito mil pessoas que, além de visitar os estandes, conhecer as principais novidades do setor e fazer negócios, poderão assistir gratuitamente às palestras do FBV Talks, que acontecem durante os três dias de evento, novidade nesta 6ª edição.

Desde a sua estreia, em 2013, acontece em paralelo o Congresso Brasileiro do Varejo, que este ano reúne cerca de 40 dos principais nomes de referência nacional e internacional no setor para uma concorrida agenda de palestras. Entre os palestrantes confirmados estão José Galló, diretor-presidente da Lojas Renner; Caito Maia, fundador e presidente da Chilli Beans; João Appolinário, fundador e proprietário da Polishop; Martha Gabriel, Escritora e consultora, Eduardo Tevah, empresário, consultor e palestrante; Patrícia Palermo, economista-chefe da Fecomércio-RS; Gil Giardelli, estudioso de cultura digital e Nathalia Arcuri, influenciadora digital, coach financeira e criadora do canal Me Poupe!; e Ronaldo Fraga, estilista. A Programação completa e inscrições para o Congresso está disponível no endereço www.feirabrasileiradovarejo.com.br/congresso/palestrantes-2018/.

Uma das atrações de destaque da 6ª edição da FBV será a Trend Store, projeto desenvolvido exclusivamente pelo Sindilojas Porto Alegre para apresentar as novas tendências do setor integrando físico e digital. Além dela, muitas outras iniciativas vão movimentar o evento, como o Varejo Now, o Desafio Fashion, o Varejo Experience e a exposição do Retail Design Institute, propostas que ampliam conhecimento, fomentam a troca de experiências e propõem soluções inovadoras para o varejo, em consonância com as demandas de um mercado em transformação. Informações detalhadas sobre todas as atividades do evento no site www.feirabrasileiradovarejo.com.br/

Ex-Ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira afirma que houve aumento da empregabilidade e não diminuição

Ex-Ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira afirma que houve aumento da empregabilidade e não diminuição

Câmara dos Deputados Comportamento Comunicação Destaque Negócios Notícias Trabalho

Para o ex-ministro do Trabalho, deputado federal Ronaldo Nogueira, que hoje preside a Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público da Câmara dos Deputados, os dados da PNAD do IBGE estão sendo interpretados equivocadamente. Segundo a pesquisa feita trimestralmente pelo IBGE o desemprego teria subido. Já segundo os dados oficiais do CAGED do Ministério do Trabalho, os três primeiros meses de 2018 forma os melhores na geração de empregos dos últimos 5 anos. Os dados, que aparentam uma contradição, são explicados por Nogueira, que esteve à frente da Pasta do Trabalho por quase dois anos.

O QUE HOUVE?

Houve aumento da empregabilidade no país, pois conforme o CAGED do Ministério do Trabalho, nos três primeiros meses de 2018, a geração de empregos foi a maior dos últimos cinco anos. Afirmo isso pois não podemos dimensionar a empregabilidade, que é um fenômeno complexo, usando um único índice. Creio que estão interpretando de forma equivocada a pesquisa do IBGE. A Reforma Trabalhista ajudou muito nisso, pois com a segurança jurídica alcançada pela queda em 50% do número de ações trabalhistas o Brasil se transformou no melhor ambiente de negócios da América Latina e o segundo destino de investimentos no mundo inteiro. Investimento gera emprego.

MAS NÃO É O QUE DIZ A PNAD.

O PNAD – Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios é uma pesquisa por amostragem, uma probabilidade, e que afere a porcentagem da população que procurou emprego nos últimos 30 dias e não encontrou. Já o CAGED – Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, não. O Cadastro é baseado em um dado aritmético composto pelo somatório das declarações prestadas por todos os estabelecimentos que empregam pessoas no Brasil. Ou seja, cada vez que uma empresa admite ou demite um funcionário deve obrigatoriamente informar o Ministério do Trabalho dentro do mesmo mês do ocorrido, sob pena de multa.

VALE O CAGED ?

Não existe melhor aferidor de ocupação de mão de obra no Brasil do que o CAGED, pois não é uma amostragem e nem uma probabilidade, mas um dado real que mostra com fidelidade o quadro do emprego no Brasil. E os dados do CAGEG em 2018 são amplamente favoráveis. Onde os meses de janeiro, fevereiro e março foram os de melhores resultados na geração de empregos nos últimos cinco anos. No acumulado do ano, houve crescimento de 204.064 empregos, representando expansão de 0,54%, nos dados com ajustes. E nos últimos 12 meses, o acréscimo chegou a 223.367 postos de trabalho, correspondente ao 0,59% de crescimento.

E ESTES DADOS DO PNAD?

Quanto ao suposto aumento o desemprego aferido pelo PNAD, o índice se refere às pessoas que não trabalham, mas procuraram empregos nos últimos 30 dias. Ou seja: depois de um longo ciclo de aumento do desemprego massivo iniciado em 2014 e interrompido em 2016, as pessoas voltaram a procurar emprego, pois em meio à profunda crise tinham desistido de buscar oferta de trabalho, e com o reaquecimento da economia voltaram a buscar uma posição no mercado de trabalho, o que resultou no aumento do índice da PNAD.

JÁ SE ESPERAVA PELO DESCOMPASSO DOS NÚMEROS?

Esses dados de suposto aumento de desemprego do PNAD já eram esperados, e apenas marcam a transição de um momento de profundo desemprego, para um novo momento de retomada da empregabilidade com carteira assinada, como nos mostram os dados precisos do CAGED dos últimos três meses. Mas repito, o emprego está em expansão. O CAGED, que é um dado aritmético, e não uma probabilidade, nos diz isso. Perder emprego é para o Brasil do passado. O Brasil do futuro é o Brasil do emprego, e esse futuro já chegou.

QUAL SEU BALANÇO SOBRE O MEIO ANO DE VIGÊNCIA DA REFORMA TRABALHISTA, A QUAL O SR. FOI O IDEALIZADOR E PRINCIPAL ARTICULADOR?

A nova lei trabalhista é um sucesso Em apenas 6 meses mostrou a que veio. Garantiu os direitos do trabalhador, pois nenhum direito foi retirado, conquistou segurança jurídica nas relações de trabalho, pois o número de novas reclamatórias trabalhistas caiu pela metade, tornando o Brasil o melhor ambiente de negócios da América Latina e o segundo destino em investimentos no mundo inteiro, como eu já lhe disse. E, repito, é investimento o que gera emprego. A maior prova é que a empregabilidade foi retomada. Os dados do CAGED do Ministério do Trabalho apontam que os três primeiros meses deste ano foram os melhores na geração de empregos nos últimos 5 anos.

Porto Alegre: Café República, um templo para o café na Cidade Baixa

Porto Alegre: Café República, um templo para o café na Cidade Baixa

Agenda Cidade Comunicação Destaque Notícias Trabalho

A Cidade Baixa é conhecida dentro e fora de Porto Alegre por sua vida noturna. Desde 2013, o empreendedor Eurico Albrecht vem rompendo essa máxima e transformando uma das ruas mais notívagas da cidade em um point do café. O Café República nasceu com a proposta de ser um local para os amantes da bebida e, com apoio do Sebrae RS, vem se consolidando com essa proposta. Desde que atuava como oficial do Exército, Eurico Albrecht já tinha o sonho de ter um café. Quando deixou a carreira militar em 2012, começou a dar forma a sua cafeteria. “Já naquela época comecei a frequentar os cursos e atividades promovidas pelo Sebrae RS, em busca de uma base para construir minha empresa”, lembra o empreendedor.

Em 2013, inaugurou sua primeira cafeteria em um espaço menor que o atual, com o foco em um café elaborado de forma mais artesanal e com o propósito de criar uma cultura para a bebida e dar à Cidade Baixa uma opção diurna. “No início, abríamos às 7h30 e fechávamos às 20h. A ideia era atender o público que buscava o café da manhã”, conta. Agora, a cafeteria instalada em um novo número na mesma rua, abre um pouco mais tarde, às 9h, mas continua difundindo o hábito de fazer a primeira refeição na rua. “O número de pessoas que procuram pelos serviços mais cedo vem crescendo e somos uma das poucas opções da região a abrir nesse horário”, comenta.

Para construir seu empreendimento e fazê-lo prosperar, Albrecht e sua sócia, a esposa Kerlen Caroline Costa, sempre recorreram ao apoio do Sebrae RS. Foi assim desde 2015, com a criação do Polo Gastronômico em Porto Alegre e na Região Metropolitana. “O Café República é um dos negócios de destaque entre as 60 empresas que fazem parte da iniciativa. Nos últimos três anos, percebemos uma série de avanços, que resultaram em decisões estratégicas importantes”, observa Francine Danigno, gestora do projeto pela organização. “Houve uma mudança significativa na postura do empresário, que passou a tomar decisões mais assertivas, baseadas em resultados e números”, elogia Francine.

O Sebrae RS fez parte da expansão do negócio, quando a cafeteria inaugurou uma nova unidade na mesma rua, e do ajuste necessário, quando decidiu fechar a primeira loja para colocar foco no mais novo ambiente. “A empresa encolheu para crescer”, avalia a gestora do Sebrae RS. “As vendas e o número de pessoas que frequentam a cafeteria aumentaram”, comemora Albrecht.

No espaço localizado na República, 358, o café é a estrela e ocupa 70% do cardápio. “O ambiente é voltado para quem entende muito de café, mas também acolhe os que não conhecem muito da bebida, mas se sentem atraídos pela decoração e pelo atendimento”, descreve. No local, além dos diferentes tipos de café, o destaque está nos variados preparos. “Além do tradicional expresso, a bebida pode ser preparada de diversas formas artesanais, que vão do coado em filtro de pano, passando pela infusão, que se assemelha ao processo do chá, até o aeropress, um método desenvolvido nos Estados Unidos que alia a infusão à extração sob pressão”, ensina o empresário.

Mais do que um lugar para se degustar a bebida, a cafeteria também serve como sala de aula. “Promovemos cursos e workshops voltados para o tema de cafés especiais, formação de barista e prestamos assessoria para quem quiser abrir sua cafeteira”, cita Albrecht. Para o empreendedor, o café e o vinho funcionam de forma contrária. “O desafio do vinho, normalmente mais elitizado, é popularizá-lo. Para o café, que já é tão popular, o caminho é inverso. Precisamos mostrar que é possível trazer mais qualidade com produtos especiais”, compara.

Agora, o objetivo de Eurico, juntamente com sua sócia Kerlen, é fazer o Café República continuar crescendo. “Queremos nos estruturar para manter dois espaços e reabrir a primeira loja, como uma alternativa mais aconchegante para quem aprecia um bom café”, revela.

Feira Brasileira do Varejo começa dia 28 na Fiergs

Feira Brasileira do Varejo começa dia 28 na Fiergs

Agenda Cidade Comunicação Destaque Direito Economia Notícias Trabalho

De 28 a 30 de Maio, o Centro de Eventos FIERGS recebe a A Feira Brasileira do Varejo. Realizada pelo Sindilojas Porto Alegre com o objetivo de reunir fornecedores e lojistas em um só espaço, permitindo interação e a formação de novas parcerias e negócios. Entre os expositores, estão empresas com soluções de tecnologia, gestão, segurança, marketing, entre outros serviços e produtos voltados ao varejo.

Desde a primeira edição, em 2013, acontece em paralelo o Congresso Brasileiro do Varejo, que reúne os principais nomes de referência nacional e internacional para o varejo. Em cinco anos, foram mais de 70 horas de palestras com cerca de 168 palestrantes e painelistas de renome para o varejo.

O presidente do Sindilojas Porto ALegre, PAULO KRUSE, fala que “É uma honra fazer parte deste evento desde o início. Nossa intenção é crescer cada vez mais. Essa é a razão de ser do Sindilojas Porto Alegre: levar conhecimento, desenvolvimento e  benefícios para os lojistas de Porto Alegre e de Alvorada. Porém, com a Feira Brasileira do Varejo, conseguimos mais do que isso. Com o evento estamos contribuindo para o crescimento e a qualificação do varejo nacional. Já recebemos expositores de outros Estados e palestrantes internacionais e a cada ano estamos trabalhando em busca de superação. E tudo isso é para você, lojista. Não deixe de participar.”

Liberados R$ 5,7 milhões para pavimentar acesso à RS 377 em Alegrete

Liberados R$ 5,7 milhões para pavimentar acesso à RS 377 em Alegrete

Agenda Cidade Comunicação Destaque Economia Política Trabalho

O Governo do Estado publicou nesta quinta-feira (17/05), no Diário Oficial do Estado o convênio AJ0022/18, entre o DAER/RS e o município de Alegrete, liberando R$ 5.831.814,08 para a execução de obra de pavimentação asfáltica da Avenida Tiarajú, no município, no acesso a RS 377. Ao todo, serão pavimentamos um trecho de 2,4 quilômetros.

Leia mais em JORNAL EM QUESTÃO