Porto Alegre: Com financiamento coletivo, lançamento do CD Navegante – Dudu Sperb recebe Guinga acontece dia 17 no Studio Clio

Porto Alegre: Com financiamento coletivo, lançamento do CD Navegante – Dudu Sperb recebe Guinga acontece dia 17 no Studio Clio

Agenda Cidade Destaque Porto Alegre Vídeo

 

O cantor porto-alegrense Dudu Sperb está com financiamento coletivo aberto até sexta-feira (17/05) para o seu quinto álbum, Navegante – Dudu Sperb recebe Guinga. Todas as faixas do disco têm a assinatura do mestre carioca, em parceria com vários letristas, como Aldir Blanc, Paulo César Pinheiro, Zé Miguel Wisnik, Chico Buarque e Thiago Amud, entre outros. Tendo Guinga como convidado, o CD foi gravado em Porto Alegre, em 2018, no Transcedental Áudio, com excelente trabalho de Leo Bracht, produtor musical, engenheiro de som e sound designer, 5 vezes nominado no Latin GRAMMY® (nas categorias Melhor Engenharia de Gravação e Gravação do Ano) e vencedor na categoria Melhor Álbum Pop Contemporâneo em Língua Portuguesa.

1 Dudu Sperb e Guinga no estúdio Transcedental POA - foto Marcel Estivalet
Dudu Sperb e Guinga no estúdio Transcedental POA. Foto Marcel Estivalet

Dudu Sperb conheceu a música de Guinga pela gravação de Elis Regina e Cauby Peixoto do clássico Bolero de Satã, em 1979. Este ícone do cancioneiro nacional está no repertório do CD, assim como outro ponto alto da carreira do carioca: Senhorinha. Essas duas, e mais a derradeira faixa que dá nome ao disco, Navegante, são parcerias com o velho amigo Paulo César Pinheiro.

Em seu trabalho anterior, So in love (2016), o intérprete já tinha gravado uma composição de Guinga, Noturno Copacabana. Depois disso, fizeram juntos quatro shows em 2018 no StudioClio. “Ficamos muito felizes, eu, ele e o público. E deste feliz e fértil encontro veio a ideia de gravarmos”, conta Dudu. Na última vinda do carioca a Porto Alegre, foram ao estúdio e registraram o seu violão. “O disco nasceu dessa amizade e de uma adoração que tenho pela música dele. Eu acho que o Guinga não é só um dos maiores compositores brasileiros de todos os tempos; ele é hoje um dos maiores compositores do mundo, isso dito por gente como Paco de Lucía e Michel Legrand”, completa o porto-alegrense.

CD Navegante – Dudu Sperb recebe Guinga no Catarse: os brindes para os apoiadores também englobam o próprio disco e ingresso para o show de lançamento do CD, com a participação primordial do músico Guinga, em 17 de maio de 2019 (sexta-feira), também no StudioClio (José do Patrocínio, 698). Quem quiser colaborar com a realização do novo trabalho discográfico, somente com composições do grande compositor e violonista brasileiro, pode clicar aqui, acessar a plataforma Catarse e verificar quais são os valores e recompensas disponíveis.

 

SHOW DE LANÇAMENTO DO CD:

Navegante – Dudu Sperb recebe Guinga

No palco: Dudu Sperb (voz) e Guinga (violão)

Data: 17 de maio, sexta-feira, às 21h

Local: StudioClio (R. José do Patrocínio, 698 – Cidade Baixa – Porto Alegre)

Telefone: (51) 3254-7200

Ingressos: em http://studioclio.com.br/

Valores antecipados: R$ 60,00 (meia-entrada ou entrada solidária, válida para todos os públicos ao trazerem 1 kg de alimento não-perecível) e R$ 120,00 (inteira)

No local: R$ 70,00 e R$ 140,00

 

FAIXA A FAIXA POR DUDU SPERB

 

1 – Sete estrelas (Guinga/Aldir Blanc)

Ao ritmo de uma toada de Guinga, com essas palavras de Aldir Blanc, abrimos o CD: “Eu canto a música da gente quando nua e crua…”. Além de traduzirem um pouco o espírito de outras parcerias desses dois compositores, elas representam um perfeito preâmbulo para o que está por vir, para a audição do disco. Mais adiante, a letra diz: “toda mentira minha é verdadeira”. Se pensarmos que as palavras “nua” e “crua” podem ser associadas ao conceito de verdade, é igualmente possível se compreender que essa veracidade se dá, também, através da “mentira” da canção. Ou seja, a música (que não somos nós, especificamente, mas que é uma manifestação nossa) traz em si a possibilidade da gente “ser” e “existir” de diversas formas através da interpretação. Pra mim, isso é um pouco como se dizer: “essa é a nossa música e através dela e de sua fantasia nós nos desvelamos”. E tudo que as pessoas ouvirão nesse disco tem como fundamento essa premissa da arte de ser uma “mentira” portadora de uma “verdade”.

 

2 – Canção do Lobisomen (Guinga/Aldir Blanc)

 

Essa é uma canção que, em música e letra, me parece uma boa introdução ao universo de Guinga. Sombria e bela, alude à fera incorporada à nossa humanidade que nos faz, por vezes, destruir aquilo que mais queremos ou necessitamos, que carrega o veneno sem entender por que e sem saber como se desvencilhar, se curar disso. Uma obra perene, mas que, especialmente nesse momento, se apresenta ainda mais ampliada em seu sentido.

 

3 – Choro pro Zé (Guinga/Aldir Blanc)

 

Esse choro com ares de jazz foi feito em homenagem ao grande saxofonista Zé Nogueira, com uma letra que reflete sobre a simbiose da música com a vida e do músico com seu instrumento. Mesmo sutilmente, nessa faixa cantei buscando colocar na voz ainda mais a entoação de um instrumento de sopro, como um sax.

 

4 – Catavento e girassol (Guinga/Aldir Blanc)

 

Outro clássico, e uma das canções mais conhecidas e admiradas de Guinga, Catavento e girassol é um exemplo perfeito de excelência, de beleza e de sofisticação. A exemplo do Quereres de Caetano, esse choro-canção versa sobre os desencontros dos desejos, das condutas, do jeito de ser de duas pessoas. Aqui, entretanto, essas oposições se colocam talvez de forma um tanto mais ambígua por serem colocadas mais singularmente como complementares. Exatamente como o que ocorre num reflexo no espelho: a imagem refletida sendo, ao mesmo tempo, o oposto e o arremate. E sua melodia, que vai e volta, inquietante e dramática, é marcante e sublime. Para mim, que sou barítono, os tons de muitas obras de Guinga às vezes beiram os limites da voz. A exemplo de “Canção do Lobisomem” e “Neblina e flâmulas”, entre outras, essa foi uma das canções do CD em que foi necessário atingir regiões bastante graves, um desafio técnico que resultou num ganho interpretativo: fiquei contente com as zonas sombrias da voz que alcancei e pelo quanto pude me adequar a elas para trabalhar a emoção. Me parece que, dessa forma, essas composições ganharam outros contornos.

 

5 – O silêncio de Iara (Guinga/Luis Felipe Gama)

 

Desde que a ouvi, no disco Noturno Copacabana, me encantei com esse belíssimo e singular choro-canção que alude, de forma sutil, à mítica senhora das águas, a sereia do folclore brasileiroEla possui em sua melodia algo de soporífico, de vai e vem, ao que a letra se amolda de forma hábil e elegante.

 

6 – Bolero de Satã (Guinga/Paulo César Pinheiro)

 

Foi através de Bolero de Satã, interpretada por Elis Regina e Cauby Peixoto, em 1979, que tomei conhecimento de Guinga. Lembro do quanto fiquei impressionado e encantado ao ouvi-la. Por esse motivo, pelo que ela teve de primordial como introdução ao universo do compositor, essa era uma canção que não poderia faltar no CD: gravei-a porque adoro a canção, mas sobretudo como uma homenagem a Elis, a Cauby e ao próprio Guinga.

 

7 – Ilusão real (Guinga/Zé Miguel Wisnik)

 

Outro choro-canção, misterioso, que desafia o cantor com sua melodia complexa. A letra “em aberto”, de Wisnik, permite inúmeras percepções, interpretações. Estão aqui reunidos, numa canção, dois dos principais compositores da atualidade, que estão entre os meus preferidos, e em cujas obras eu me perco e me encontro.

 

8 – Nobreza da Maré (Guinga/Anna Paes/Simone Guimarães)

 

Única obra inédita do CD, Nobreza da Maré é uma rara parceria de Guinga com outras duas compositoras. Simone Guimarães já havia feito letras para algumas de suas melodias, mas creio ser essa a primeira vez que ele, além de dividir a autoria com duas mulheres, ainda compartilha a composição da música com uma delas, no caso, com Anna Paes. Isso é ainda mais interessante pelo fato da canção também prestar homenagem a uma mulher: a vereadora Marielle, assassinada há um ano no Rio de Janeiro. Um lindo e comovente choro que me foi apresentado pelo próprio Guinga, em 2018, quando chegamos a interpretá-la, meio de improviso, num show do StudioClio.

 

9 – Avenida Atlântica (Guinga/Thiago Amud)

 

Me encantei com esse samba-canção ao ouvi-lo numa gravação de Guinga com o clarinetista italiano Gabrielle Mirabassi. Na mesma hora perguntei a Guinga se tinha letra. Felizmente havia uma letra encantadora de Thiago Amud, outro parceiro constante do mestre carioca. Trata-se de uma canção suave e lírica como o vai e vem das ondas, e outra linda homenagem ao Rio de Janeiro.

 

10 – Nonsense (Guinga/Paulo César Pinheiro)

 

Essa composição é uma preciosidade das preciosidades. E pensar que Guinga e Paulo César Pinheiro a conceberam quando tinham por volta de 20 anos, apenas… Sua narrativa de um suicídio é feita em frases que, por serem articuladas de formas completamente inusuais, dão uma certa sensação de falta de sentido. Porém, os significados de fato estão sendo explicitados ali; basta ouvi-la uma segunda ou uma terceira vez, se debruçando mais sobre a letra. Depois de cantada uma vez inteira, a narração retorna, completa, com a mesma letra em português, mas com uma pronúncia forçadamente francesa, o que faz ampliar ainda mais essa sensação de nonsense, de não discernimento, de falta de lógica. As palavras em português “entoadas em francês”, promovem então uma desarticulação ainda maior, deslocando, misturando, escondendo ou revelando significados, aqui e ali. E a melodia dessa valsa que vai e volta, que avança e que novamente é retomada, se projeta de forma espiralada como num voo desnorteado, sugerindo ela também uma ação incompleta ou uma indecisão de chegar ao fim.

 

11 – Neblina e flâmulas (Guinga/Aldir Blanc)

 

Essa é uma canção que nos apresenta um Aldir Blanc mais lírico do que o usual. Me apaixonei por ela na primeira vez em que a ouvi, no CD que Leila Pinheiro gravou com as canções de Guinga. Sobretudo a melodia, sempre me deu vontade de chorar. Novamente os graves se impuseram, e eu imergi numa interpretação mais densa, fazendo sobressair um certo sentido de perdição que ela revela. Essa foi a única composição que, em nossos poucos encontros para definir o repertório do show, Guinga cogitou subir o tom. Mas eu me propus a cantá-la assim, no tom original como as demais canções, seguindo a navegar por suas profundezas. E adorei o resultado.

 

12 – Você, você (Guinga/Chico Buarque)

 

A única parceria desses dois mestres cariocas só poderia resultar nessa maravilha. Letra e música são tão misteriosas, tão perfeitas em si mesmas e em seu casamento, que foi um encantamento interpretá-la. E, para minha própria surpresa, essa foi uma das execuções que saíram mais de pronto. Foi só eu me deixar levar, seduzido por ela, por seu misto de devaneio e realidade, de vigilância e sono.

 

13 – Senhorinha (Guinga/Paulo César Pinheiro)

 

Creio que, junto com Bolero de Satã, essa é a canção mais conhecida de Guinga. E ela é também, possível e provavelmente, a mais amada pelo público, uma modinha que alia delicadeza e beleza em cada nota de sua primorosa melodia a uma letra plena do encanto e da sofisticação de uma história de contos de fadas. Há muitos anos, eu já havia registrado essa canção, apenas de modo demostrativo, para um outro projeto de disco que não chegou a acontecer. Agora, com sua bênção e tendo-o como guia, finalmente pude interpretá-la com Guinga.

 

14 – Navegante (Guinga/Paulo César Pinheiro)

 

Outra composição da juventude de Guinga e Paulo César Pinheiro, esse fado é uma beleza que, se não soubéssemos, julgaríamos ter sido feita por compositores mais maduros e experientes. Depois de todas as histórias narradas nas canções anteriores, essa me parecia a obra perfeita pra fechar o disco. Somos todos navegadores e seguimos rumos, queiramos ou não. Mas justamente aqui, imersos nesse universo de canções, o que fazemos, mais do que qualquer coisa, é ir em busca de emoção, soltos na imensidão. E o disco, que começou com uma espécie de testemunho sobre a música, termina ecoando a palavra coração.

Porto Alegre: Benito Di Paula apresenta turnê “Fim de Papo” dia 18 de maio no Teatro do Bourbon Country

Porto Alegre: Benito Di Paula apresenta turnê “Fim de Papo” dia 18 de maio no Teatro do Bourbon Country

Agenda Cidade Destaque Música Porto Alegre Trabalho Vídeo

Autodidata, pianista, cantor e compositor. Estas são algumas palavras que podem ser usadas para descrever o artista Benito Di Paula, que após 48 anos de estrada, apresenta a sua nova e última turnê, “Fim de Papo”. Benito Di Paula passará por mais de 120 cidades entre Brasil, Itália, Portugal, França e Estados Unidos. Em Porto Alegre a única apresentação será no dia 18 de maio, no Teatro do Bourbon Country. “Pensei neste nome por ser de fato o fim de um longo e delicioso papo que venho tendo com meus fãs, de forma ininterrupta, há quase 50 anos. Rodarei o Brasil novamente, retornarei a cidades que visito quase que anualmente e outras tantas que pedem meu show a tempos e nesta tour, estarão no roteiro, incluindo o exterior. Após um novo papo começa! Um papo mais calmo, em shows pontuais e alguns projetos que quero colocar em prática, já há algum tempo”.

Entre os projetos mencionados por Benito, está a gravação de um Especial Ao Vivo, com grandes convidados, previsto para meados de 2020. Em seu legado, são 35 discos gravados e mais de 45 milhões de cópias vendidas pelo mundo. Nessa nova turnê, Benito preparou releituras dos seus maiores sucessos para o público, com releituras dos seus principais sucessos, até o álbum “Essa Felicidade é Nossa”, lançado em 2016.

Os shows contarão com a presença do filho, Rodrigo Vellozo. As apresentações acontecem em Recife, Natal, Fortaleza, Rio de Janeiro, Porto Alegre e São Paulo em casas de teatro da Opus. Confira o serviço completo abaixo.

Benito Di Paula inovou o samba na década de 70 ao introduzir o piano aos seus shows. Levou as suas músicas para o mundo inteiro, passando por México, Japão, Estados Unidos, Angola, Argentinas e outros. Entre os seus maiores sucessos destacam-se “Charlie Brown”, “Mulher Brasileira”, “Retalhos de Cetim”, “Do Jeito Que a Vida Quer” e “Ah, Como Eu Amei”.

 

Porto Alegre (RS)

Dia: 18/05 – Sábado, às 21h

Duração: 90min.

Classificação: Livre

 

Teatro do Bourbon Country (Avenida Tulio de Rose, 80 –  Shopping Bourbon Country  – Passo d’Areia)

www.teatrodobourboncountry.com.br

 

Setor

Valor

Meia-Entrada

Galeria Alta Direita

R$100,000

R$50,00

Galeria Alta Esquerda

R$100,00

R$50,00

Galeria Mezanino Direita

R$80,00

R$40,00

Galeria Mezanino Esquerda

R$80,00

R$40,00

Mezanino

R$120,00

R$60,00

Plateia Baixa

R$180,00

R$90,00

Plateia Alta

R$140,00

R$70,00

Camarote

R$200,00

R$100,00

 

 

– 50% de desconto para sócios do Clube do Assinante RBS somente na estreia – limitado a 100 ingressos e vendas apenas na bilheteria;

– 50% de desconto para titulares dos cartões Zaffari Card e Bourbon Card somente na estreia – limitado a 100 ingressos

– 10% de desconto para sócios do Clube do Assinante RBS nos demais ingressos;

 

* Crianças até 24 meses que fiquem sentadas no colo dos pais não pagam

**Descontos não cumulativos a demais promoções e/ ou descontos;

*** Pontos de vendas sujeito à taxa de conveniência;

**** Política de venda de ingressos com desconto: as compras poderão ser realizadas nos canais de vendas oficiais físicos, mediante apresentação de documentos que comprovem a condição de beneficiário. Nas compras realizadas pelo site e/ou call center, a comprovação deverá ser feita no ato da retirada do ingresso na bilheteria e no acesso ao auditório;

***** A lei da meia-entrada mudou: agora o benefício é destinado a 40% dos ingressos disponíveis para venda por apresentação. Veja abaixo quem têm direito a meia-entrada e os tipos de comprovações oficiais no Rio Grande do Sul:

– IDOSOS (com idade igual ou superior a 60 anos) mediante apresentação de documento de identidade oficial com foto.

– ESTUDANTES mediante apresentação da Carteira de Identificação Estudantil (CIE) nacionalmente padronizada, em modelo único, emitida pela ANPG, UNE, UBES, entidades estaduais e municipais, Diretórios Centrais dos Estudantes, Centros e Diretórios Acadêmicos. Mais informações: www.documentodoestudante.com.br

– PESSOAS COM DEFICIÊNCIA E ACOMPANHANTES mediante apresentação do cartão de Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social da Pessoa com Deficiência ou de documento emitido pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), que ateste a aposentadoria de acordo com os critérios estabelecidos na Lei Complementar nº 142, de 8 de maio de 2013. No momento de apresentação, esses documentos deverão estar acompanhados de documento de identidade oficial com foto.

– JOVENS PERTENCENTES A FAMÍLIAS DE BAIXA RENDA (com idades entre 15 e 29 anos) mediante apresentação da Carteira de Identidade Jovem que será emitida pela Secretaria Nacional de Juventude a partir de 31 de março de 2016, acompanhada de documento de identidade oficial com foto.

– JOVENS COM ATÉ 15 ANOS mediante apresentação de documento de identidade oficial com foto.

– APOSENTADOS E/OU PENSIONISTAS DO INSS (que recebem até três salários mínimos) mediante apresentação de documento fornecido pela Federação dos Aposentados e Pensionistas do RS ou outras Associações de Classe devidamente registradas ou filiadas. Válido somente para espetáculos no Teatro do Bourbon Country e Auditório Araújo Vianna.

– DOADORES REGULARES DE SANGUE mediante apresentação de documento oficial válido, expedido pelos hemocentros e bancos de sangue. São considerados doadores regulares a mulher que se submete à coleta pelo menos duas vezes ao ano, e o homem que se submete à coleta três vezes ao ano.

******Caso os documentos necessários não sejam apresentados ou não comprovem a condição do beneficiário no momento da compra e retirada dos ingressos ou acesso ao teatro, será exigido o pagamento do complemento do valor do ingresso.

CANAIS DE VENDAS OFICIAIS (sujeito à taxa de serviço):

Site: www.uhuu.com

Atendimento: falecom@uhuu.com

 

CANAIS DE VENDAS OFICIAIS (sem taxa de serviço):

Bilheteria do Teatro do Bourbon Country: Av. Túlio de Rose, nº 80 / 2º andar (de segunda a

sábado, das 10h às 22h, e domingo e feriado, das 14h às 20h)

No local: somente na data da apresentação, a partir das 16h.

 

Formas de pagamento:

Internet: Visa, Master, Diners, Hiper, Elo, American.

Bilheteria: Dinheiro, Visa, Master, Diners, Hiper, Elo, American e Banricompras (débito).

Futebol: Definições de Cruyff, um dos maiores jogadores de todos os tempos, sobre o esporte mais popular do mundo

Futebol: Definições de Cruyff, um dos maiores jogadores de todos os tempos, sobre o esporte mais popular do mundo

Cultura Esporte Notícias Vídeo

 

Hendrik Johannes Cruyff, mais conhecido como Johan Cruyff ou simplesmente Cruyff (Amsterdã, 25 de abril de 1947 – Barcelona, 24 de março de 2016) foi um futebolista e técnico holandês que atuava como meia e atacante. É considerado por muitos o melhor futebolista europeu do século XX e um dos maiores jogadores da história do futebol.

Tido como um jogador revolucionário, tático, ofensivo, coletivo, vistoso e eficiente, é considerado um dos propulsores do “futebol moderno” inspirou muitos jogadores e treinadores a partir de suas extraordinárias atuações no Ajax e, principalmente, na Seleção dos Países Baixos, durante a Copa do Mundo de 1974. As suas atuações no mundial foram suas únicas referências para grande parte das pessoas que o conhecem; antes da cobertura ao vivo dos campeonatos estrangeiros pela TV, apenas as Copas eram vistas mundialmente de maneira especial. Cruyff encantou na Copa, mesmo com exibições consideradas abaixo das que tinha nos campeonatos europeus.

Se, atualmente, há no futebol jogadores polivalentes que podem atuar sem posição fixa no campo, sem prejuízo de suas atuações individuais, muito se deve a este genial craque e não menos a seu treinador no Ajax, Barcelona e na Seleção Neerlandesa, Rinus Michels. E ainda que transcorridos mais de quarenta anos após a Copa do Mundo de 1974, os Países Baixos, Michels e Cruijff sintetizam a última revolução tática na história do futebol e serão para sempre lembrados como sinónimos do chamado futebol total, no qual os jogadores de linha se sentiam à vontade ao desempenhar todas as posições.

Visto como um pensador do futebol, costumava enfatizar a rapidez de pensamento tanto quanto a rapidez do corpo: sua característica velocidade era descrita pelo próprio como uma questão de saber a hora certa de começar a correr. Cruyff foi escolhido pelo IFFHS o maior jogador europeu do século XX, e o segundo maior do mundo, atrás somente de Pelé. Para o colunista Maurício Barros, da ESPN Brasil, Cruyff é o maior da história do futebol na soma jogador-treinador, mesmo sem ter ganho nenhuma Copa do Mundo.

Seu sobrenome é originalmente grafado como “Cruijff”, sendo mais popularmente escrito como “Cruyff” no exterior.

Confira frases e conceitos de Cruyff sobre o Futebol

– Há só uma bola em campo, e o meu time deve ficar com ela.
– Jogar futebol é simples, mas jogar futebol de maneira simples é difícil.
– Quando se tem a bola é preciso trabalhar para deixar o campo o maior possível, quando a bola está com o adversário é preciso deixar o campo o menor possível.
– Ser veloz não é correr mais que o outro, é começar a correr na hora certa.
– Eu sempre batia os laterais, porque se me devolvessem a bola eu estaria sem marcação.
– Qualidade sem resultado é inútil, resultado sem qualidade é entediante.
– Ter técnica não é fazer mil embaixadinhas, isso é para trabalhar no circo. Ter técnica é passar a bola de primeira, com a velocidade certa e no pé bom do seu companheiro.
– Não há prêmio melhor do que ser aclamado pelo seu estilo de jogo.
– Se é para ser atropelado, melhor que seja por uma Ferrari. (depois da derrota do Barcelona para o São Paulo de Telê no Mundial de 1992)
– No meu time o goleiro é o primeiro atacante e o centroavante é o primeiro defensor.
– Por que não posso ganhar de um time mais rico? Nunca vi uma mala de dinheiro fazer um gol.
– Um jogador tem contato com a bola em média três minutos por jogo. O que define se ele é um grande jogador ou um jogador comum é o que faz nos outros 87 minutos.
– Futebol se joga com a cabeça, as pernas estão ali para ajudar.
– Deve-se trabalhar para que os piores jogadores do adversário sejam os que mais toquem na bola, porque aí ela voltará rapidamente para o seu time.
– Há jogadores que não sabem o que fazer quando recebem a bola sem um marcador por perto, por isso o melhor a fazer é deixá-los livres.
– Os jogadores de hoje só chutam de peito de pé. Eu chutava de peito de pé, com a parte interna e a externa dos dois pés. Ou seja, eu era seis vezes melhor do que os de hoje.
– Não admito que um programa de computador decida se um jogador serve ou não para um time. Se fosse assim eu teria sido mandado embora do Ajax aos 15 anos, porque naquela idade chutava muito fraco. A técnica e a visão de jogo não podem ser detectadas por um computador.
– Quando parei de jogar me disseram que eu teria de estudar quatro anos para poder ser técnico. Disse a eles que estavam loucos. O que eu aprenderia durante quatro anos com quem sabe menos de futebol do que eu?
– Jogadores forjados nas ruas são mais valiosos do que técnicos formados em escolas.
– Os cursos para treinadores se preocupam mais com a teoria do que em como desenvolver a técnica dos jogadores.
– O personagem mais importante do futebol é o torcedor. Ele vai ao estádio para se divertir no seu tempo livre, e o jogador tem de lhe dar essa alegria.
– Futebol não é sofrimento, é diversão. Tenha a bola, trate-a bem, tente atacar e marcar gols.                                                                                      (Material retirado da Wikipedia, Jornais e YouTube)

Pela primeira vez em Porto Alegre, cantora Mariza se apresenta no Teatro do Bourbon Country

Pela primeira vez em Porto Alegre, cantora Mariza se apresenta no Teatro do Bourbon Country

Agenda Cidade Cultura Destaque Turismo Vídeo

 

 

Sucesso na Europa, a cantora Mariza se apresenta pela primeira vez em Porto Alegre no dia 29 de maio, no Teatro do Bourbon Country. De Moçambique, Mariza foi criada em Lisboa, em um dos bairros mais populares da cidade, a Mouraria. Em poucos anos, a cantora passou de um fenômeno local, quase escondido, partilhado apenas por um pequeno grupo de admiradores portugueses, para uma das mais aplaudidas estrelas mundiais. É considerada uma das maiores cantoras portuguesas dos últimos tempos.

Em constante viagem pelo mundo, é presença regular nas salas mais importantes do mundo, como The London Royal Albert Hall, The Sydney Opera House e Los Angeles Hollywood Bowl. Entre os parceiros musicais, estão Gilberto Gil, Ivan Lins, Lenny Kravitz e Sting. Apesar da base e do seu repertório estarem no Fado, Mariza também incluiu mornas cabo-verdianas e clássicos do R&B em seus espetáculos.

 

Porto Alegre (RS)

 

Dia: Quarta-feira, 21h, 29 de maio

Duração: 90min

Classificação: Livre

 

Teatro do Bourbon Country (Avenida Tulio de Rose, 80 –  Shopping Bourbon Country  – Passo d’Areia)

www.teatrodobourboncountry.com.br

 

Setor Valor Meia-Entrada
Plateia Baixa R$240,00 R$120,00
Camarotes R$180,00 R$90,00
Plateia Alta R$200,00 R$100,00
Galeria Alta Direita R$100,00 R$50,00
Mezanino R$140,00 R$70,00
Galeria Mezanino Direta R$120,00 R$60,00
Galeria Alta Esquerda R$100,00 R$50,00
Galeria Mezanino Esquerda R$120,00 R$60,00

 

– 50% de desconto para sócios do Clube do Assinante RBS somente na estreia – limitado a 100 ingressos e vendas apenas na bilheteria;

– 50% de desconto para titulares dos cartões Zaffari Card e Bourbon Card somente na estreia – limitado a 100 ingressos

– 10% de desconto para sócios do Clube do Assinante RBS nos demais ingressos;

* Crianças até 24 meses que fiquem sentadas no colo dos pais não pagam

**Descontos não cumulativos a demais promoções e/ ou descontos;

*** Pontos de vendas sujeito à taxa de conveniência;

**** Política de venda de ingressos com desconto: as compras poderão ser realizadas nos canais de vendas oficiais físicos, mediante apresentação de documentos que comprovem a condição de beneficiário. Nas compras realizadas pelo site e/ou call center, a comprovação deverá ser feita no ato da retirada do ingresso na bilheteria e no acesso ao auditório;

***** A lei da meia-entrada mudou: agora o benefício é destinado a 40% dos ingressos disponíveis para venda por apresentação. Veja abaixo quem têm direito a meia-entrada e os tipos de comprovações oficiais no Rio Grande do Sul:

– IDOSOS (com idade igual ou superior a 60 anos) mediante apresentação de documento de identidade oficial com foto.

– ESTUDANTES mediante apresentação da Carteira de Identificação Estudantil (CIE) nacionalmente padronizada, em modelo único, emitida pela ANPG, UNE, UBES, entidades estaduais e municipais, Diretórios Centrais dos Estudantes, Centros e Diretórios Acadêmicos. Mais informações: www.documentodoestudante.com.br

– PESSOAS COM DEFICIÊNCIA E ACOMPANHANTES mediante apresentação do cartão de Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social da Pessoa com Deficiência ou de documento emitido pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), que ateste a aposentadoria de acordo com os critérios estabelecidos na Lei Complementar nº 142, de 8 de maio de 2013. No momento de apresentação, esses documentos deverão estar acompanhados de documento de identidade oficial com foto.

– JOVENS PERTENCENTES A FAMÍLIAS DE BAIXA RENDA (com idades entre 15 e 29 anos) mediante apresentação da Carteira de Identidade Jovem que será emitida pela Secretaria Nacional de Juventude a partir de 31 de março de 2016, acompanhada de documento de identidade oficial com foto.

– JOVENS COM ATÉ 15 ANOS mediante apresentação de documento de identidade oficial com foto.

– APOSENTADOS E/OU PENSIONISTAS DO INSS (que recebem até três salários mínimos) mediante apresentação de documento fornecido pela Federação dos Aposentados e Pensionistas do RS ou outras Associações de Classe devidamente registradas ou filiadas. Válido somente para espetáculos no Teatro do Bourbon Country e Auditório Araújo Vianna.

– DOADORES REGULARES DE SANGUE mediante apresentação de documento oficial válido, expedido pelos hemocentros e bancos de sangue. São considerados doadores regulares a mulher que se submete à coleta pelo menos duas vezes ao ano, e o homem que se submete à coleta três vezes ao ano.

******Caso os documentos necessários não sejam apresentados ou não comprovem a condição do beneficiário no momento da compra e retirada dos ingressos ou acesso ao teatro, será exigido o pagamento do complemento do valor do ingresso.

CANAIS DE VENDAS OFICIAIS (sujeito à taxa de serviço):

Site: www.uhuu.com

Atendimento: falecom@uhuu.com

 

CANAIS DE VENDAS OFICIAIS (sem taxa de serviço):

Bilheteria do Teatro do Bourbon Country: Av. Túlio de Rose, nº 80 / 2º andar (de segunda a

sábado, das 12h às 22h, e domingo e feriado, das 14h às 20h)

No local: somente na data da apresentação, a partir das 16h.

 

Formas de pagamento:

Internet: Visa, Master, Diners, Hiper, Elo, American.

Bilheteria: Dinheiro, Visa, Master, Diners, Hiper, Elo, American e Banricompras (débito).

 

 

 

 

Entre ‘cruz e espada’, governo tenta saída para caminhoneiros

Entre ‘cruz e espada’, governo tenta saída para caminhoneiros

Comunicação Destaque Notícias Vídeo

Em entrevista ao GLOBO, o ministro da Secretaria de Governo, Santos Cruz, diz que o Planalto trabalha em soluções para os problemas dos caminhoneiros, que ameaçam greve, mas admite que “o governo fica entre a decisão política e o limite econômico, sempre entre a cruz e a espada”. Apesar de considerar o movimento legítimo, Santos Cruz cobra “responsabilidade” da categoria. Alvo de críticas da chamada ala ideológica da gestão Bolsonaro, o ministro adverte: “O fanatismo atrapalha”.

Leia mais em O Globo

Lasier quer Lupicínio Rodrigues patrono da MPB

Lasier quer Lupicínio Rodrigues patrono da MPB

Destaque Poder Política Vídeo
WhatsApp Image 2019-04-15 at 16.45.32
Lasier Foto: Flávia Corrêa

O senador Lasier Martins (Pode-RS) apresentou na Comissão de Educação (CE) do Senado projeto que torna Lupicínio Rodrigues patrono da Música Popular Brasileira (MPB). Para o parlamentar essa é uma forma de não apenas homenagear o compositor gaúcho nascido em 1914, mas também de reconhecer a sua larga influência. “Lupicínio é uma das figuras mais inspiradoras e importantes da cultura brasileira, com versos presentes no imaginário nacional e na vida do povo”, enfatiza Lasier. Ele sublinha que seu PLS 2151/2019 resgata iniciativa de 2014 apoiada pela bancada do Rio Grande do Sul no Senado, em razão do centenário do nascimento do homenageado.

Nascido em Porto Alegre há 105 anos, o cantor e compositor Lupicínio Rodrigues ganhou projeção nacional em 1938 com o samba “Se acaso você chegasse”, que também fez sucesso mais tarde na voz de Elza Soares. Suas composições foram cantadas por vários intérpretes famosos como Jamelão, Dalva de Oliveira, Gal Costa, Maria Bethânia e Paulinho da Viola.

Em mais de meio século de carreira, o autor do hino do Grêmio, em 1953, compôs clássicos como “Esses moços, Pobres Moços”, “Nervos de Aço”, “Dona Divergência Vingança”, “Felicidade” e “Nunca e Torre de Babel”. Segundo Lasier, por essas e outras razões, Lupicínio preenche todos os requisitos para ser o patrono da MPB. A matéria tramitará em caráter terminativo na CE e, se aprovada, seguirá para a Câmara dos Deputados.

 

 

 

GOV.BR: Sites do governo federal vão migrar para portal único

GOV.BR: Sites do governo federal vão migrar para portal único

Comunicação Destaque Notícias Política Tecnologia Turismo Vídeo

Em menos de dois anos, o governo federal deverá ter apenas um canal na internet, o portal único GOV.BR. É o que institui o Decreto 9.756/2019, publicado em edição extra do Diário Oficial quinta-ffeira (11). O texto, assinado pelo presidente Jair Bolsonaro durante a cerimônia que marcou os primeiros 100 dias de governo, define regras de unificação dos canais digitais englobando os portais na internet e os aplicativos móveis, e estabelece prazos para que o GOV.BR esteja completamente disponível ao cidadão.

“Nós temos também nos ministérios, cada um tem lá um portal, um site. Nós queremos que exista apenas um, que o cidadão em qualquer cantinho do Brasil acesse e resolva todo e qualquer problema. É assim que as Nações mais modernas funcionam. A gente vem com esse espírito de renovar confiança e principalmente fazer a vida das famílias brasileiras mais simples”, afirmou o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorezoni, ao comentar a medida ontem, após a cerimônia de 100 dias de governo.

O portal único de governo é uma medida que tem sido adotada por outros países, como Reino Unido e México. A ideia é que seja uma plataforma com serviços e informações úteis ao cidadão, atualmente descentralizadas em milhares de endereços eletrônicos.

“A dispersão dos canais dificulta e encarece a busca por serviços públicos”, afirma Luis Felipe Salin Monteiro, secretário de Governo Digital, do Ministério da Economia. Atualmente, o governo federal possui mais de 1,5 mil sites com serviços e informações dispersos, de diversos órgãos. Segundo o o governo, a economia estimada após a desativação dos sites é de R$ 100 milhões ao ano, que são gastos apenas a manutenção dos portais na rede.

Implantação
A primeira fase de implantação do projeto deverá ser concluída até 31 de julho deste ano, quando a plataforma do GOV.BR deverá estar disponível para adesão dos demais órgãos e entidades da administração pública direta, além de autarquias e fundações do Poder Executivo federal. O portal brasil.gov e o site do Palácio do Planalto deverão ser os primeiros a migrar, segundo apurou a Agência Brasil.

O prazo final para que todos os órgãos migrem os conteúdos de seus portais é 31 de dezembro de 2020. Depois disso, os os endereços eletrônicos serão desativados. A articulação com os gestores públicos e o monitoramento da unificação será de responsabilidade da Secretaria Especial de Modernização do Estado (Seme), que é vinculada à Secretaria-Geral da Presidência da República.(Agência Brasil)

Porto Alegre:  Claudia Laitano fala sobre o álbum Alucinação de Belchior no Ciclo Música e Política da Discoteca Pública Natho Henn

Porto Alegre: Claudia Laitano fala sobre o álbum Alucinação de Belchior no Ciclo Música e Política da Discoteca Pública Natho Henn

Agenda Cidade Cultura Destaque Vídeo

O álbum “Alucinação”, de Belchior, é o disco comentado desta edição do Ciclo Música e Política. Uma realização da Discoteca Pública Natho Henn, com apoio do Instituto Estadual de Música (IEM), o projeto debate, por meio de audições comentadas, o caráter político de álbuns relevantes. A palestrante desta quinta-feira (11) será a jornalista Claudia Laitano. A atividade é gratuita e ocorre a partir das 19h, no Auditório Luís Cosme, no 4º andar da Casa de Cultura Mario Quintana.

laitano
Claudia Laitano

Os encontros acontecem entre 14 de março e 9 de maio, sempre tendo como palestrantes músicos, jornalistas, escritores e professores. Os debatedores escolheram os discos que serão ouvidos e comentados, com destaque para aspectos gerais da obra, mas foco no caráter e impacto político. Há discos marcantes de diversos gêneros, como MPB, hip-hop, música latina e jazz. Inaugurada em 14 de abril de 1955 pelo músico, compositor, pianista e professor que lhe dá nome, a Discoteca Pública Natho Henn já esteve localizada em diversos endereços. Atualmente, ocupa o 4º andar da Casa de Cultura Mario Quintana (Rua dos Andradas, 736, Centro Histórico de Porto Alegre). A Discoteca possui o maior acervo de música do Rio Grande do Sul: são 3.342 livros, 17.168 partituras e aproximadamente 46.573 discos, entre LP’s, álbuns, compactos e CD’s. Destinada a pesquisadores, músicos e público em geral, ao longo desses 64 anos a instituição vem se modernizando e tem se dedicado a preservar, organizar e divulgar a produção musical nacional e internacional em seus diferentes suportes.

 

chico1
Construção será tema em maio.

Confira o calendário do Ciclo Música e Política:

– 11/04: Claudia Laitano: ‘Alucinação’ (Belchior);
– 25/04: Luiz Maurício Azevedo: ‘Kind of Blue’ (Miles Davis);
– 02/05: Demétrio Xavier: ‘Cantata de Santa Maria de Iquique’ (Grupo Quilapayun);
– 09/05: Guto Leite: ‘Construção’ (Chico Buarque).

 

 

SERVIÇO
Ciclo Música e Política
Data: de 14 de março a 9 de maio | quintas-feiras | * com exceção da quinta 18 de abril
Horário:  19h
Local: Auditório Luiz Cosme da Discoteca Pública Natho Henn, no 4º andar da Casa de Cultura Mario Quintana (Rua dos Andradas 736, Centro Histórico – Porto Alegre)
Entrada franca e aberta ao público
CONTATO:
Discoteca: Fone: (51) 3221-7104 |E-mail: discotecanathohenn@sedac.rs.gov.br

RS: Anavitória apresenta novo show no Teatro Feevale

RS: Anavitória apresenta novo show no Teatro Feevale

Agenda Cultura Destaque Vídeo

Fenômenos da música brasileira, o duo Anavitória se apresenta em Novo Hamburgo, dia 7 de abril, no Teatro Feevale, com realização da Opus Promoções e da F/Simas. Com a turnê “Voz e Violão”, as amigas apresentam um show intimista e exclusivo para 25 cidades brasileiras, entre elas, as que não receberam a turnê “O Tempo é Agora” e lugares em que a dupla sente saudades de tocar. Na setlist, os fãs podem esperar músicas que Ana e Vitória gostam de dividir com o público em um momento único da carreira: na última vez em que se apresentaram neste formato, o primeiro disco ainda não tinha sido lançado.

Ana e Vitória continuam a viver a ascensão da sua carreira. Em 2017, conquistaram o Grammy Latino com a canção “Trevo”. Já em 2018, lançaram o seu segundo álbum, “O Tempo é Agora”. A nova fase é uma demonstração do amadurecimento artístico da dupla, com um som mais pop, catártico e pulsante.

SERVIÇO

ANAVITÓRIA – VOZ E VIOLÃO

Dia 7 de abril

Domingo, às 19h

Teatro Feevale (ERS-239, nº 2.755 – Câmpus II da Universidade Feevale – Novo Hamburgo /RS)
www.teatrofeevale.com.br

Classificação: Livre

Duração: 90 minutos

 

INGRESSOS A PARTIR DESTA SEXTA-FEIRA, DIA 18:

 

Setor

Inteira

Meia-entrada

Plateia Baixa

R$120,00

R$60,00

Plateia Alta

R$100,00

R$50,00

Camarote

R$100,00

R$50,00

Frisas 2º Andar

R$60,00

R$30,00

Balcão

R$80,00

R$40,00

Frisas 4º Andar

R$60,00

R$30,00

 

50% de desconto para titulares dos cartões Zaffari Card e Bourbon Card, somente para estreia – limitado a 100 ingressos

– 10% de desconto para sócios do Clube do Assinante RBS nos demais ingressos

20% funcionários e graduados Feevale, titular e um acompanhante. **Vendas apenas na bilheteria do Teatro

20% cliente Banco Bradesco e cartões de Crédito Bradesco e guichê exclusivo na bilheteria do Teatro Feevale, limitado a dois ingressos por clientes, limitado a 100 ingressos por espetáculo

20% Clube do Assinante NH para titular e acompanhante

* Crianças até 24 meses que fiquem sentadas no colo dos pais não pagam
** Política de venda de ingressos com desconto: as compras poderão ser realizadas nos canais de vendas oficiais físicos, mediante apresentação de documentos que comprovem a condição de beneficiário. Nas compras realizadas pelo site e/ou call center, a comprovação deverá ser feita no ato da retirada do ingresso na bilheteria e no acesso à casa de espetáculo

*** A lei da meia-entrada mudou: agora o benefício é destinado a 40% dos ingressos disponíveis para venda por apresentação. Veja abaixo quem tem direito a meia-entrada e os tipos de comprovações oficiais no Rio Grande do Sul:

– IDOSOS (com idade igual ou superior a 60 anos) mediante apresentação de documento de identidade oficial com foto

ESTUDANTES mediante apresentação da Carteira de Identificação Estudantil (CIE) nacionalmente padronizada, em modelo único, emitida pela ANPG, UNE, UBES, entidades estaduais e municipais, Diretórios Centrais dos Estudantes, Centros e Diretórios Acadêmicos. Mais informações: www.documentodoestudante.com.br
– PESSOAS COM DEFICIÊNCIA E ACOMPANHANTES mediante apresentação do cartão de Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social da Pessoa com Deficiência ou de documento emitido pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), que ateste a aposentadoria de acordo com os critérios estabelecidos na Lei Complementar nº 142, de 8 de maio de 2013. No momento de apresentação, esses documentos deverão estar acompanhados de documento de identidade oficial com foto

– JOVENS PERTENCENTES A FAMÍLIAS DE BAIXA RENDA (com idades entre 15 e 29 anos) mediante apresentação da Carteira de Identidade Jovem emitida pela Secretaria Nacional de Juventude desde 31 de março de 2016, acompanhada de documento de identidade oficial com foto

– JOVENS COM ATÉ 15 ANOS mediante apresentação de documento de identidade oficial com foto

– APOSENTADOS E/OU PENSIONISTAS DO INSS (que recebem até três salários mínimos) mediante apresentação de documento fornecido pela Federação dos Aposentados e Pensionistas do RS ou outras Associações de Classe devidamente registradas ou filiadas. Válido somente para espetáculos no Teatro do Bourbon Country e Auditório Araújo Vianna

– DOADORES REGULARES DE SANGUE mediante apresentação de documento oficial válido, expedido pelos hemocentros e bancos de sangue. São considerados doadores regulares a mulher que se submete à coleta pelo menos duas vezes ao ano, e o homem que se submete à coleta três vezes ao ano

****Caso os documentos necessários não sejam apresentados ou não comprovem a condição do beneficiário no momento da compra e retirada dos ingressos ou acesso ao teatro, será exigido o pagamento do complemento do valor do ingresso

*****Descontos não cumulativos a demais promoções e/ou descontos

 

CANAIS DE VENDAS OFICIAIS (sujeito a taxa de serviço):

 

Site: www.uhuu.com 

Atendimento: falecom@uhuu.com

 

 

CANAIS DE VENDAS OFICIAIS (sem taxa de serviço):


Bilheteria Teatro Feevale:
ERS-239, 2.755, Novo Hamburgo (de segunda a sexta-feira, das 9h às 21h, e sábados, das 9h às 13h)

Bilheteria do Teatro do Bourbon Country: Av. Túlio de Rose, 80 / 2º andar, Porto Alergre (de segunda a sábado, das 10h às 22h, e domingo e feriado, das 14h às 20h)

 

Formas de pagamento:

Internet: Visa, Master, Diners, Hiper, Elo, American

Bilheteria: Dinheiro, Visa, Master, Diners, Hiper, Elo, American e Banricompras (débito)

Técnica desenvolvida por pesquisadores gaúchos é apresentada em Simpósio Internacional de Cirurgia Cardiovascular

Técnica desenvolvida por pesquisadores gaúchos é apresentada em Simpósio Internacional de Cirurgia Cardiovascular

Agenda Comunicação Notícias Saúde Tecnologia Trabalho Vídeo

Arritmia cardíaca bastante frequente e que atinge cerca de 10% da população acima dos 60 anos, a fibrilação atrial pode provocar a formação de coágulos que, ao se deslocarem, causam embolias ou AVC isquêmico. Tratável com medicamentos ou procedimentos pouco invasivos, esse tipo de arritmia pode causar morte ou invalidez, caso não seja diagnosticada e revertida. Entre 1998 e 2004, juntamente com sua equipe de pesquisadores em Porto Alegre, o cirurgião cardíaco Renato Kalil desenvolveu uma técnica simplificada e igualmente eficiente para o tratamento da fibrilação atrial, que deriva de técnicas utilizadas anteriormente e cujos riscos são menores. É justamente essa experiência, já adotada em várias partes do mundo, que o médico gaúcho deve discutir, em comparação com outras técnicas utilizadas para o mesmo fim, em uma mesa redonda coordenada por ele no Simpósio Internacional da American Association for ThoracicSurgery (AATS), que ocorre no próximo dia 4 de abril, em Belo Horizonte. Kalil vai debater o tema da fibrilação atrial com os pesquisadores americanos VinayBadhwar e Joseph Sabik, juntamente com especialistas do Brasil, Austrália e Canadá.

O Simpósio Internacional ocorre como programação paralela do 46º Congresso da Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular (SBCCV), a ser realizado nos dias 5 e 6 de abril de 2019, também em Belo Horizonte. Com o tema Inovação, Incorporação e Expansão, o Congresso pretende atualizar e sintonizar os cirurgiões brasileiros com o que há de novo na pesquisa e no desenvolvimento de técnicas inovadoras na cirurgia cardíaca no mundo. O evento também divulga para os médicos de outros países os avanços e descobertas feitos pelos pesquisadores locais. Diretor científico da SBCCV, Kalil participa da organização do evento e coordenará a conferência de abertura, no dia 5 de abril, às 11h.

Clique aqui e veja a entrevista de RENATO KALIL ao programa BAHTCHÊPAPO!

O que: Association for Thoracic Surgery International Symposium
Quando: 4 de abril de 2019
Local: Fundação Dom Cabral – Campus Aloysio Faria – Belo Horizonte, MG
O que: 46º Congresso da Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular
Quando: 5 a 6 de abril de 2019
Local: Fundação Dom Cabral – Alphaville – Belo Horizonte, MG