Rio Grande do Sul define seleção para disputar o Campeonato Brasileiro de Pôquer em São Paulo

Rio Grande do Sul define seleção para disputar o Campeonato Brasileiro de Pôquer em São Paulo

Destaque Vídeo

Um grande torneio nacional de pôquer disputado por seleções estaduais repletas dos melhores jogadores do Brasil. Em jogo, a glória máxima de ver o estado que representam no lugar mais alto do pódio, sem prêmios em dinheiro em disputa. É disso que se trata o CBPE (Campeonato Brasileiro de Pôquer por Equipes), um dos principais torneios do calendário nacional e que chega à sua sétima edição.

E o Rio Grande do Sul, berço de grandes jogadores, costuma ter times competitivos para disputá-lo. O técnico Bernardo Dias, o “Bedias”, um dos áses do pôquer nacional, escalou um time que vai tentar honrar a tradição vitoriosa do pôquer gaúcho. Renan Bruschi (um dos principais jogadores do país), Matheus Zilberknop, Marcia Callegaro, Lorenzo Bazei, Bernardo Rocha e André Duarte são os convocados.

O CBPE 2019 será disputado nos dias 17 e 18 de julho, no hotel WTC Sheraton, em São Paulo. O torneio é organizado pela CBTH (Confederação Brasileira de Texas Hold’em) e tem como objetivo principal mostrar que o amor ao esporte da mente é a principal essência da disputa.

Na edição de 2018, a competição envolveu 20 federações, a maior da história envolvendo os estados. Em 2019, também serão 20 equipes: Acre/Rondônia (disputam juntos), Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Paraná, Paraíba, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Roraima, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

Cada seleção conta com um técnico e seis jogadores, tendo entre eles uma representante feminina. No passado, os campeões foram Rio de Janeiro (2013), Amazonas (2014), Acre/Rondônia (2015), Santa Catarina (2016), São Paulo (2017) e Paraná (2018). “É muito bom ver os maiores jogadores de pôquer do Brasil tão empolgados com um torneio desses, porque é uma das oportunidades que eles têm de representar seus estados e jogar em equipe. Mostra que o pôquer se mantém competitivo mesmo sem premiações em disputa”, afirma Ueltom Lima, presidente da CBTH.

 

Morre Paulo Henrique Amorim aos 77 anos; do R7

Morre Paulo Henrique Amorim aos 77 anos; do R7

Destaque Obituário Vídeo
O jornalista Paulo Henrique Amorim morreu, na madrugada desta quarta-feira (10), aos 77 anos. O jornalista deixou o legado para a comunicação brasileira. Amorim estava em casa, no Rio de Janeiro, quando sofreu um infarto fulminante — informação confirmada pela mulher dele. Na noite da terça-feira (9), o jornalista havia saído para jantar com amigos.Paulo Henrique Amorim estava na Record TV desde 2003 e deixa um legado para o jornalismo brasileiro, uma vez que passou por diversos jornais, revistas e emissoras de televisão do país. Ele estreou no jornal A Noite, em 1961. Depois foi trabalhar em Nova York, como correspondente internacional da revista Realidade e, posteriormente, da revista Veja.

Na televisão, passou pela extinta TV Manchete e pela TV Globo, também como correspondente internacional em Nova York. Em 1996, deixou a TV Globo e foi para a TV Bandeirantes, onde apresentou o Jornal da Band e o programa Fogo Cruzado. Depois, foi para a TV Cultura. Em 2003, foi contratado pela Record TV, onde apresentou o Jornal da Record segunda edição. No ano seguinte, ajudou a criar a revista eletrônica Tudo a Ver na emissora. Em 2006, assumiu a apresentação do Domingo Espetacular, onde ficou até junho deste ano.

Amorim deixa uma filha e a mulher, a jornalista Geórgia Pinheiro.

Abaixo uma entrevista de Paulo Henrique Amorim, ao programa AGORA/RÁDIO GUAÍBA, no lançamento em Porto Alegre do Livro O QUARTO PODER.

Trio gaúcho lança “Além das Cercas de Pedra”. Evento, que será realizado no Theatro São Pedro, inicia as comemorações dos 50 anos de carreira do cantor nativista Marco Aurélio Vasconcellos

Trio gaúcho lança “Além das Cercas de Pedra”. Evento, que será realizado no Theatro São Pedro, inicia as comemorações dos 50 anos de carreira do cantor nativista Marco Aurélio Vasconcellos

Agenda Cidade Cultura Notícias Porto Alegre Trabalho Vídeo

 

Depois do sucesso do CD Doze Cantos Ibéricos & Uma Canção Brasileira, o trio de músicos gaúchos Marco Aurélio Vasconcellos, Martim César e Marcello Caminha se reúnem para mais um passeio musical e poético, o lançamento do CD Além das Cercas de Pedra. O evento, que contará com a participação do lendário grupo Os posteiros, um dos mais importantes e históricos da música do Rio Grande do Sul, será realizado no dia 02 de julho, às 21h, no Theatro São Pedro.

A ocasião valerá também como início das comemorações dos 50 anos de carreira do grande cantor nativista Marco Aurélio Vasconcellos. Além das Cercas de Pedra reúne em 14 faixas relatos de um tempo que resiste na memória. Histórias e paisagens de homens e mulheres que ainda parecem estar vivos, olhando para o tempo atual desde os retratos amarelados de velhos álbuns, desde os quadros dependurados nas paredes da infância. Um avô carreteiro, uma avó fiandeira, um peão caseiro, um posteiro de algum campo de fundo, um tropeiro, um capataz, um peão de estância e tantos outros. Depois deles, seus filhos; que foram nossos pais e avós, os que tiveram que deixar o mundo rural para procurar algum futuro nas cidades que iam crescendo, tentando buscar seu difícil sustento nos aglomerados urbanos que iam absorvendo os retirantes de uma era que se extinguia, de uma época que se apagava inevitavelmente, como a chama de uma vela. Passando de geração para geração, até chegar a quem somos hoje, os que recebem a responsabilidade de não deixar que se perca o legado de seus valores e de seus saberes.

O CD apresenta em músicas, a herança e costumes sendo preservados, para mostrar aos que virão e os que sucederão as nossas origens. A intenção é não deixar que se apaguem das mentes os rastros de identidade que deixaram em nosso sangue e em nosso olhar aqueles que nos antecederam.

Serviço:

Lançamento CD Além das Cercas de Pedra

Data: 02/07/2019 – Terça-feira

Horário: 21horas Local: Theatro São Pedro (Praça Marechal Deodoro, s/n° – Centro Histórico / Porto Alegre)

Ingressos: Plateia: R$ 50,00

Cadeiras Extras: R$ 50,00

Camarote Central: R$ 40,00

Camarote Lateral: R$ 40,00

Galerias: R$ 30,00

Descontos: 50% para associados da AATSP (ingressos limitados) 50% para estudantes, jovens de baixa renda e pessoas com deficiência (40% da lotação) 50% para idosos

Onde comprar: na bilheteria do teatro ou no site https://vendas.teatrosaopedro.com.br

 

 

 

Inscrições para o Programa de Aceleração para Empreendedores da Endeavor terminam nesse sábado

Inscrições para o Programa de Aceleração para Empreendedores da Endeavor terminam nesse sábado

Destaque Economia Negócios Tecnologia Vídeo

Termina amanhã (29) o período de inscrições para a segunda turma de 2019 do Scale-up, programa de aceleração para empreendedores de alto crescimento da Endeavor – organização global e sem fins lucrativos de fomento ao empreendedorismo. A iniciativa busca formar uma nova geração de exemplos regionais para fomentar o ecossistema empreendedor pelo país. As inscrições podem ser feitas no site.

A aceleração acontece durante cinco meses, por meio de workshops e mentorias individuais. Os mentores que fazem parte do programa estão entre as maiores lideranças do país, como Sonia Hess, ex-presidente da Dudalina, Luis Justo, CEO do Rock in Rio, Ari de Sá Neto, presidente da Arco Educação, Bel Humberg, fundadora da OQVestir e José Galló, da Renner.

Além disso, o programa, que começa em agosto, promove trocas entre os empreendedores participantes e acesso aos maiores eventos da organização — como o Day1 e o Scale-up Summit. Na avaliação de Eduardo Afonso, coordenador da organização no Estado, o potencial dos empreendedores é a principal alavanca para transformar o Brasil. “Buscamos ser impulsionadores do desenvolvimento de realizadores que sonham grande e têm ambição de criar um negócio de forte impacto, que lideram com ética e profissionalismo”, destacou o coordenador.

A Endeavor é uma das principais organizações sem fins lucrativos de apoio a empreendedores no mundo. Atua na mobilização de organizações públicas e privadas e no compartilhamento de conhecimento prático e de exemplos de empreendedores de alto impacto para fortalecer a cultura empreendedora no país. No Brasil desde 2000, já ajudou a gerar quase R$ 4 bilhões em receitas e mais de 20 mil empregos diretos através de programas de apoio a empreendedores, além de capacitar mais de 10 milhões de brasileiros com programas educacionais, presenciais e à distância.

Um dos exemplos de empreendedores que já passaram pelo Estado são os fundadores da Nelogica – empresa que atua no fornecimento de informações e desenvolvimento de aplicações para o mercado financeiro, Marcos Boschetti e Fabiano Kerber. Eles participaram da turma do ano passado e Marcos reforça “O Scale-Up foi sensacional para a gente! Não tivemos investidor e estávamos longe de alguns centros, distante de pessoas, mas no Programa da Endeavor deixamos de caminhar sozinhos”. “Nosso padrinho no programa, por exemplo, fez com que a gente decidisse mudar absolutamente tudo em gestão de pessoas e – se não tivéssemos feito isso – não teríamos crescido quase 400% após o Scale-Up Endeavor”, complementa.

Também é possível fazer indicações de negócios que se enquadrem no perfil do Scale-Up Endeavor, clicando no link.

 

Clique e veja uma entrevista de José Galló ao SBT RS.

 

Porto Alegre: Semana da Espanha apresenta hoje “Cria Cuervos” na Casa de Cultura Mário Quintana

Porto Alegre: Semana da Espanha apresenta hoje “Cria Cuervos” na Casa de Cultura Mário Quintana

Cidade Cultura Notícias Vídeo

Acontece em Porto Alegre, na Casa de Cultura Mário Quintana a mostra Cinema da Exposição em 20 Cartazes junto com o Ciclo de Cinema Espanhol. O evento marca a Semana Internacional da Espanha na capital. A iniciativa é da prefeitura de Porto Alegre, com organização do Instituto Cervantes em colaboração com o Consulado Geral da Espanha.

ViewImage.aspxCinema da Transição em 20 cartazes é uma exposição para retratar a história do cinema espanhol, que mescla com os quatro filmes clássicos que serão exibidos do Ciclo de Cinema. A exposição acontece na Sala Magestic e os filmes serão exibidos na Cinemateca Paulo Amorim. O objetivo é oferecer um olhar mais completo sobre um dos períodos cinematográficos de maior interesse da história do cinema da Espanha. Com mais de 200.000 estudantes ao ano, o Instituto Cervantes é a maior instituição mundial dedicada ao ensino de espanhol. Conta com mais de 87 centros em 44 países de todos os continentes. Recebeu o Prêmio Príncipe de Asturias em 2005 na categoria de Comunicação e Humanidades. Em Porto Alegre, o Instituto Cervantes está situado na Rua João Caetano, 285, no Bairro Três Figueiras.

 

Cinemateca Paulo Amorim
Ingresso: meia entrada em todas as sessões

Sexta-feira, dia 28 – 19h
“Cria Cuervos”, de Carlos Saura (1975)

O Instituto Cervantes fica localizado na Rua João Caetano, 285, em Porto Alegre (RS), telefone (51) 3079-2400

 

Futebol e Comunicação: Publicitário lança o canal De Carrinho no Youtube

Futebol e Comunicação: Publicitário lança o canal De Carrinho no Youtube

Comunicação Educação Esporte Notícias Tecnologia Trabalho Vídeo

Sonhos podem se materializar, basta tirar do papel. Com esse propósito, o publicitário Cassiano Gottlieb, de 27 anos, lançou recentemente seu novo projeto de mídia, o Canal De Carrinho no You Tube. Apaixonado por futebol e comunicação desde a infância, a vontade de entender os bastidores por trás dos microfones, sempre incentivou Cassiano a se envolver dentro deste meio. Cadeirante, ele tem como projeto no futuro, trabalhar no jornalismo. Experiência que ele já teve como produtor no Vale do Paranhana.

Vários pilotos foram feitos até o lançamento oficial do Canal. Desde as antigas comunidades de Orkut, até as lives no Facebook. A aceitação sempre foi muito positiva. O objetivo do Canal De Carrinho é falar de esporte e acessibilidade. A proposta é ter muito bom humor e dinamismo. O publicitário afirma que sempre lhe cativou a ideia de levar informação e entretenimento para as pessoas. Para o futuro, entrevistas também irão ocorrer, assim como pautas que despertam a curiosidade dos internautas.

Clique aqui para se inscrever no Canal De Carrinho.

Bolsonaro demite general Santos Cruz da Secretaria de Governo; Thais Arbex e Daniel Carvalho/ Folha de São Paulo

Bolsonaro demite general Santos Cruz da Secretaria de Governo; Thais Arbex e Daniel Carvalho/ Folha de São Paulo

Destaque Vídeo

O general Carlos Alberto dos Santos Cruz foi demitido nesta quinta-feira (13) da Secretaria de Governo da Presidência da República pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL).

Desde que chegou ao Planalto, em janeiro, o ministro se envolveu em uma crise com os filhos do presidente, além de um embate com o escritor Olavo de Carvalho, guru de Bolsonaro.

Um integrante do Palácio do Planalto usou a expressão ‘freio de arrumação’ para explicar a demissão.

 

Leia a íntegra na Folha de São Paulo.

 

Confira a entrevista que fiz com o General Santos Cruz, em março, no gabinete do ainda Ministro.

Porto Alegre: Abobrinhas Recheadas tem apresentações na Livraria Cultura nos dias 07, 08, 09 de junho

Porto Alegre: Abobrinhas Recheadas tem apresentações na Livraria Cultura nos dias 07, 08, 09 de junho

Cultura Destaque Notícias Vídeo

 

Primeiro espetáculo de Stand-Up Dance Comedy do RS, Abobrinhas Recheadas realiza sua 15ª Temporada nos dias 07, 08, 09 de junho, sexta e sábado às 20h, e domingo às 18h30, no Teatro Eva Herz da Livraria Cultura, no Bourbon Shopping Country. O público poderá conferir a versão Dance a Letra do espetáculo, com coreografias criadas a partir da mímica de letras de músicas famosas, que vão de Chico Buarque a Tom Jobim, passando por canções como Construção, Águas de Março, Show das Poderosas, Emoções e Faroeste Caboclo, além dos hits regionais como Amigo Punk, Tertúlia e Porto Alegre é Demais!, apresentadas por Daniela Aquino, Diego Mac, Juliana Rutkowski e Nilton Gaffree

Gaia2623738Produzido pela Macarenando Dance Concept, Abobrinhas Recheadas explora a união da dança e do humor e colabora na aproximação do público com as artes cênicas. A montagem foi indicada em quatro categorias do Prêmio Açorianos de Dança 2009 e venceu em duas: Melhor Bailarino (Nilton Gaffrée) e Melhor Espetáculo eleito pelo Júri Popular (Prêmio RBS Cultura).

Segundo o diretor Gui Malgarizi, “o arranjo coreográfico de elementos comuns da cultura permite explorarmos a comicidade cênica da dança, trazendo diferentes formas de questionamento do corpo, da cultura pop, da mídia, da política. Com humor, aproximamos o público da dança e fomentamos a formação de plateias na área”.

Os ingressos custam R$ 40,00 com 50% de desconto para estudantes, maiores de 60 anos e classe artística pelo site http://bit.ly/abobrinhascultura ou presencialmente na Livraria Cultura.

Abobrinhas Recheadas – Dance a Letra
07, 08, 09 de junho
Sexta e sábado, 20h; domingo, 18h30
Teatro Eva Herz da Livraria Cultura, no Bourbon Shopping Country (Av. Túlio de Rose, 80).

Duração: 80 minutos
Classificação Etária: Livre

Ingressos
R$ 40
50% desconto para estudantes, +60 e classe artística

Pontos de venda
Online: http://bit.ly/abobrinhascultura

Presencial: Livraria Cultura do Bourbon Shopping Country (Av. Túlio de Rose, 80)

Ficha técnica
Direção e coreografia: Diego Mac e Gui Malgarizi
Bailarinos: Daniela Aquino, Diego Mac, Juliana Rutkowski e Nilton Gaffree
Produção: Sandra Santos
Assistência de produção: Giulia Baptista Vieira e Arthur Bonfanti
Iluminação: Gui Malgarizi e Sandra Santos
Fotos: Gui Malgarizi e Dani Dutra
Assessoria de imprensa: Bruna Paulin – Assessoria de Flor em Flor
Apoio: Casa Cultural Tony Petzhold e Casa de Teatro
Realização: Macarenando Dance Concept

Mais informações: http://www.macarenando.com.br/abobrinhasrecheadas
https://www.facebook.com/abobrinhasrecheadas

Porto Alegre: Com financiamento coletivo, lançamento do CD Navegante – Dudu Sperb recebe Guinga acontece dia 17 no Studio Clio

Porto Alegre: Com financiamento coletivo, lançamento do CD Navegante – Dudu Sperb recebe Guinga acontece dia 17 no Studio Clio

Agenda Cidade Destaque Porto Alegre Vídeo

 

O cantor porto-alegrense Dudu Sperb está com financiamento coletivo aberto até sexta-feira (17/05) para o seu quinto álbum, Navegante – Dudu Sperb recebe Guinga. Todas as faixas do disco têm a assinatura do mestre carioca, em parceria com vários letristas, como Aldir Blanc, Paulo César Pinheiro, Zé Miguel Wisnik, Chico Buarque e Thiago Amud, entre outros. Tendo Guinga como convidado, o CD foi gravado em Porto Alegre, em 2018, no Transcedental Áudio, com excelente trabalho de Leo Bracht, produtor musical, engenheiro de som e sound designer, 5 vezes nominado no Latin GRAMMY® (nas categorias Melhor Engenharia de Gravação e Gravação do Ano) e vencedor na categoria Melhor Álbum Pop Contemporâneo em Língua Portuguesa.

1 Dudu Sperb e Guinga no estúdio Transcedental POA - foto Marcel Estivalet
Dudu Sperb e Guinga no estúdio Transcedental POA. Foto Marcel Estivalet

Dudu Sperb conheceu a música de Guinga pela gravação de Elis Regina e Cauby Peixoto do clássico Bolero de Satã, em 1979. Este ícone do cancioneiro nacional está no repertório do CD, assim como outro ponto alto da carreira do carioca: Senhorinha. Essas duas, e mais a derradeira faixa que dá nome ao disco, Navegante, são parcerias com o velho amigo Paulo César Pinheiro.

Em seu trabalho anterior, So in love (2016), o intérprete já tinha gravado uma composição de Guinga, Noturno Copacabana. Depois disso, fizeram juntos quatro shows em 2018 no StudioClio. “Ficamos muito felizes, eu, ele e o público. E deste feliz e fértil encontro veio a ideia de gravarmos”, conta Dudu. Na última vinda do carioca a Porto Alegre, foram ao estúdio e registraram o seu violão. “O disco nasceu dessa amizade e de uma adoração que tenho pela música dele. Eu acho que o Guinga não é só um dos maiores compositores brasileiros de todos os tempos; ele é hoje um dos maiores compositores do mundo, isso dito por gente como Paco de Lucía e Michel Legrand”, completa o porto-alegrense.

CD Navegante – Dudu Sperb recebe Guinga no Catarse: os brindes para os apoiadores também englobam o próprio disco e ingresso para o show de lançamento do CD, com a participação primordial do músico Guinga, em 17 de maio de 2019 (sexta-feira), também no StudioClio (José do Patrocínio, 698). Quem quiser colaborar com a realização do novo trabalho discográfico, somente com composições do grande compositor e violonista brasileiro, pode clicar aqui, acessar a plataforma Catarse e verificar quais são os valores e recompensas disponíveis.

 

SHOW DE LANÇAMENTO DO CD:

Navegante – Dudu Sperb recebe Guinga

No palco: Dudu Sperb (voz) e Guinga (violão)

Data: 17 de maio, sexta-feira, às 21h

Local: StudioClio (R. José do Patrocínio, 698 – Cidade Baixa – Porto Alegre)

Telefone: (51) 3254-7200

Ingressos: em http://studioclio.com.br/

Valores antecipados: R$ 60,00 (meia-entrada ou entrada solidária, válida para todos os públicos ao trazerem 1 kg de alimento não-perecível) e R$ 120,00 (inteira)

No local: R$ 70,00 e R$ 140,00

 

FAIXA A FAIXA POR DUDU SPERB

 

1 – Sete estrelas (Guinga/Aldir Blanc)

Ao ritmo de uma toada de Guinga, com essas palavras de Aldir Blanc, abrimos o CD: “Eu canto a música da gente quando nua e crua…”. Além de traduzirem um pouco o espírito de outras parcerias desses dois compositores, elas representam um perfeito preâmbulo para o que está por vir, para a audição do disco. Mais adiante, a letra diz: “toda mentira minha é verdadeira”. Se pensarmos que as palavras “nua” e “crua” podem ser associadas ao conceito de verdade, é igualmente possível se compreender que essa veracidade se dá, também, através da “mentira” da canção. Ou seja, a música (que não somos nós, especificamente, mas que é uma manifestação nossa) traz em si a possibilidade da gente “ser” e “existir” de diversas formas através da interpretação. Pra mim, isso é um pouco como se dizer: “essa é a nossa música e através dela e de sua fantasia nós nos desvelamos”. E tudo que as pessoas ouvirão nesse disco tem como fundamento essa premissa da arte de ser uma “mentira” portadora de uma “verdade”.

 

2 – Canção do Lobisomen (Guinga/Aldir Blanc)

 

Essa é uma canção que, em música e letra, me parece uma boa introdução ao universo de Guinga. Sombria e bela, alude à fera incorporada à nossa humanidade que nos faz, por vezes, destruir aquilo que mais queremos ou necessitamos, que carrega o veneno sem entender por que e sem saber como se desvencilhar, se curar disso. Uma obra perene, mas que, especialmente nesse momento, se apresenta ainda mais ampliada em seu sentido.

 

3 – Choro pro Zé (Guinga/Aldir Blanc)

 

Esse choro com ares de jazz foi feito em homenagem ao grande saxofonista Zé Nogueira, com uma letra que reflete sobre a simbiose da música com a vida e do músico com seu instrumento. Mesmo sutilmente, nessa faixa cantei buscando colocar na voz ainda mais a entoação de um instrumento de sopro, como um sax.

 

4 – Catavento e girassol (Guinga/Aldir Blanc)

 

Outro clássico, e uma das canções mais conhecidas e admiradas de Guinga, Catavento e girassol é um exemplo perfeito de excelência, de beleza e de sofisticação. A exemplo do Quereres de Caetano, esse choro-canção versa sobre os desencontros dos desejos, das condutas, do jeito de ser de duas pessoas. Aqui, entretanto, essas oposições se colocam talvez de forma um tanto mais ambígua por serem colocadas mais singularmente como complementares. Exatamente como o que ocorre num reflexo no espelho: a imagem refletida sendo, ao mesmo tempo, o oposto e o arremate. E sua melodia, que vai e volta, inquietante e dramática, é marcante e sublime. Para mim, que sou barítono, os tons de muitas obras de Guinga às vezes beiram os limites da voz. A exemplo de “Canção do Lobisomem” e “Neblina e flâmulas”, entre outras, essa foi uma das canções do CD em que foi necessário atingir regiões bastante graves, um desafio técnico que resultou num ganho interpretativo: fiquei contente com as zonas sombrias da voz que alcancei e pelo quanto pude me adequar a elas para trabalhar a emoção. Me parece que, dessa forma, essas composições ganharam outros contornos.

 

5 – O silêncio de Iara (Guinga/Luis Felipe Gama)

 

Desde que a ouvi, no disco Noturno Copacabana, me encantei com esse belíssimo e singular choro-canção que alude, de forma sutil, à mítica senhora das águas, a sereia do folclore brasileiroEla possui em sua melodia algo de soporífico, de vai e vem, ao que a letra se amolda de forma hábil e elegante.

 

6 – Bolero de Satã (Guinga/Paulo César Pinheiro)

 

Foi através de Bolero de Satã, interpretada por Elis Regina e Cauby Peixoto, em 1979, que tomei conhecimento de Guinga. Lembro do quanto fiquei impressionado e encantado ao ouvi-la. Por esse motivo, pelo que ela teve de primordial como introdução ao universo do compositor, essa era uma canção que não poderia faltar no CD: gravei-a porque adoro a canção, mas sobretudo como uma homenagem a Elis, a Cauby e ao próprio Guinga.

 

7 – Ilusão real (Guinga/Zé Miguel Wisnik)

 

Outro choro-canção, misterioso, que desafia o cantor com sua melodia complexa. A letra “em aberto”, de Wisnik, permite inúmeras percepções, interpretações. Estão aqui reunidos, numa canção, dois dos principais compositores da atualidade, que estão entre os meus preferidos, e em cujas obras eu me perco e me encontro.

 

8 – Nobreza da Maré (Guinga/Anna Paes/Simone Guimarães)

 

Única obra inédita do CD, Nobreza da Maré é uma rara parceria de Guinga com outras duas compositoras. Simone Guimarães já havia feito letras para algumas de suas melodias, mas creio ser essa a primeira vez que ele, além de dividir a autoria com duas mulheres, ainda compartilha a composição da música com uma delas, no caso, com Anna Paes. Isso é ainda mais interessante pelo fato da canção também prestar homenagem a uma mulher: a vereadora Marielle, assassinada há um ano no Rio de Janeiro. Um lindo e comovente choro que me foi apresentado pelo próprio Guinga, em 2018, quando chegamos a interpretá-la, meio de improviso, num show do StudioClio.

 

9 – Avenida Atlântica (Guinga/Thiago Amud)

 

Me encantei com esse samba-canção ao ouvi-lo numa gravação de Guinga com o clarinetista italiano Gabrielle Mirabassi. Na mesma hora perguntei a Guinga se tinha letra. Felizmente havia uma letra encantadora de Thiago Amud, outro parceiro constante do mestre carioca. Trata-se de uma canção suave e lírica como o vai e vem das ondas, e outra linda homenagem ao Rio de Janeiro.

 

10 – Nonsense (Guinga/Paulo César Pinheiro)

 

Essa composição é uma preciosidade das preciosidades. E pensar que Guinga e Paulo César Pinheiro a conceberam quando tinham por volta de 20 anos, apenas… Sua narrativa de um suicídio é feita em frases que, por serem articuladas de formas completamente inusuais, dão uma certa sensação de falta de sentido. Porém, os significados de fato estão sendo explicitados ali; basta ouvi-la uma segunda ou uma terceira vez, se debruçando mais sobre a letra. Depois de cantada uma vez inteira, a narração retorna, completa, com a mesma letra em português, mas com uma pronúncia forçadamente francesa, o que faz ampliar ainda mais essa sensação de nonsense, de não discernimento, de falta de lógica. As palavras em português “entoadas em francês”, promovem então uma desarticulação ainda maior, deslocando, misturando, escondendo ou revelando significados, aqui e ali. E a melodia dessa valsa que vai e volta, que avança e que novamente é retomada, se projeta de forma espiralada como num voo desnorteado, sugerindo ela também uma ação incompleta ou uma indecisão de chegar ao fim.

 

11 – Neblina e flâmulas (Guinga/Aldir Blanc)

 

Essa é uma canção que nos apresenta um Aldir Blanc mais lírico do que o usual. Me apaixonei por ela na primeira vez em que a ouvi, no CD que Leila Pinheiro gravou com as canções de Guinga. Sobretudo a melodia, sempre me deu vontade de chorar. Novamente os graves se impuseram, e eu imergi numa interpretação mais densa, fazendo sobressair um certo sentido de perdição que ela revela. Essa foi a única composição que, em nossos poucos encontros para definir o repertório do show, Guinga cogitou subir o tom. Mas eu me propus a cantá-la assim, no tom original como as demais canções, seguindo a navegar por suas profundezas. E adorei o resultado.

 

12 – Você, você (Guinga/Chico Buarque)

 

A única parceria desses dois mestres cariocas só poderia resultar nessa maravilha. Letra e música são tão misteriosas, tão perfeitas em si mesmas e em seu casamento, que foi um encantamento interpretá-la. E, para minha própria surpresa, essa foi uma das execuções que saíram mais de pronto. Foi só eu me deixar levar, seduzido por ela, por seu misto de devaneio e realidade, de vigilância e sono.

 

13 – Senhorinha (Guinga/Paulo César Pinheiro)

 

Creio que, junto com Bolero de Satã, essa é a canção mais conhecida de Guinga. E ela é também, possível e provavelmente, a mais amada pelo público, uma modinha que alia delicadeza e beleza em cada nota de sua primorosa melodia a uma letra plena do encanto e da sofisticação de uma história de contos de fadas. Há muitos anos, eu já havia registrado essa canção, apenas de modo demostrativo, para um outro projeto de disco que não chegou a acontecer. Agora, com sua bênção e tendo-o como guia, finalmente pude interpretá-la com Guinga.

 

14 – Navegante (Guinga/Paulo César Pinheiro)

 

Outra composição da juventude de Guinga e Paulo César Pinheiro, esse fado é uma beleza que, se não soubéssemos, julgaríamos ter sido feita por compositores mais maduros e experientes. Depois de todas as histórias narradas nas canções anteriores, essa me parecia a obra perfeita pra fechar o disco. Somos todos navegadores e seguimos rumos, queiramos ou não. Mas justamente aqui, imersos nesse universo de canções, o que fazemos, mais do que qualquer coisa, é ir em busca de emoção, soltos na imensidão. E o disco, que começou com uma espécie de testemunho sobre a música, termina ecoando a palavra coração.

Porto Alegre: Benito Di Paula apresenta turnê “Fim de Papo” dia 18 de maio no Teatro do Bourbon Country

Porto Alegre: Benito Di Paula apresenta turnê “Fim de Papo” dia 18 de maio no Teatro do Bourbon Country

Agenda Cidade Destaque Música Porto Alegre Trabalho Vídeo

Autodidata, pianista, cantor e compositor. Estas são algumas palavras que podem ser usadas para descrever o artista Benito Di Paula, que após 48 anos de estrada, apresenta a sua nova e última turnê, “Fim de Papo”. Benito Di Paula passará por mais de 120 cidades entre Brasil, Itália, Portugal, França e Estados Unidos. Em Porto Alegre a única apresentação será no dia 18 de maio, no Teatro do Bourbon Country. “Pensei neste nome por ser de fato o fim de um longo e delicioso papo que venho tendo com meus fãs, de forma ininterrupta, há quase 50 anos. Rodarei o Brasil novamente, retornarei a cidades que visito quase que anualmente e outras tantas que pedem meu show a tempos e nesta tour, estarão no roteiro, incluindo o exterior. Após um novo papo começa! Um papo mais calmo, em shows pontuais e alguns projetos que quero colocar em prática, já há algum tempo”.

Entre os projetos mencionados por Benito, está a gravação de um Especial Ao Vivo, com grandes convidados, previsto para meados de 2020. Em seu legado, são 35 discos gravados e mais de 45 milhões de cópias vendidas pelo mundo. Nessa nova turnê, Benito preparou releituras dos seus maiores sucessos para o público, com releituras dos seus principais sucessos, até o álbum “Essa Felicidade é Nossa”, lançado em 2016.

Os shows contarão com a presença do filho, Rodrigo Vellozo. As apresentações acontecem em Recife, Natal, Fortaleza, Rio de Janeiro, Porto Alegre e São Paulo em casas de teatro da Opus. Confira o serviço completo abaixo.

Benito Di Paula inovou o samba na década de 70 ao introduzir o piano aos seus shows. Levou as suas músicas para o mundo inteiro, passando por México, Japão, Estados Unidos, Angola, Argentinas e outros. Entre os seus maiores sucessos destacam-se “Charlie Brown”, “Mulher Brasileira”, “Retalhos de Cetim”, “Do Jeito Que a Vida Quer” e “Ah, Como Eu Amei”.

 

Porto Alegre (RS)

Dia: 18/05 – Sábado, às 21h

Duração: 90min.

Classificação: Livre

 

Teatro do Bourbon Country (Avenida Tulio de Rose, 80 –  Shopping Bourbon Country  – Passo d’Areia)

www.teatrodobourboncountry.com.br

 

Setor

Valor

Meia-Entrada

Galeria Alta Direita

R$100,000

R$50,00

Galeria Alta Esquerda

R$100,00

R$50,00

Galeria Mezanino Direita

R$80,00

R$40,00

Galeria Mezanino Esquerda

R$80,00

R$40,00

Mezanino

R$120,00

R$60,00

Plateia Baixa

R$180,00

R$90,00

Plateia Alta

R$140,00

R$70,00

Camarote

R$200,00

R$100,00

 

 

– 50% de desconto para sócios do Clube do Assinante RBS somente na estreia – limitado a 100 ingressos e vendas apenas na bilheteria;

– 50% de desconto para titulares dos cartões Zaffari Card e Bourbon Card somente na estreia – limitado a 100 ingressos

– 10% de desconto para sócios do Clube do Assinante RBS nos demais ingressos;

 

* Crianças até 24 meses que fiquem sentadas no colo dos pais não pagam

**Descontos não cumulativos a demais promoções e/ ou descontos;

*** Pontos de vendas sujeito à taxa de conveniência;

**** Política de venda de ingressos com desconto: as compras poderão ser realizadas nos canais de vendas oficiais físicos, mediante apresentação de documentos que comprovem a condição de beneficiário. Nas compras realizadas pelo site e/ou call center, a comprovação deverá ser feita no ato da retirada do ingresso na bilheteria e no acesso ao auditório;

***** A lei da meia-entrada mudou: agora o benefício é destinado a 40% dos ingressos disponíveis para venda por apresentação. Veja abaixo quem têm direito a meia-entrada e os tipos de comprovações oficiais no Rio Grande do Sul:

– IDOSOS (com idade igual ou superior a 60 anos) mediante apresentação de documento de identidade oficial com foto.

– ESTUDANTES mediante apresentação da Carteira de Identificação Estudantil (CIE) nacionalmente padronizada, em modelo único, emitida pela ANPG, UNE, UBES, entidades estaduais e municipais, Diretórios Centrais dos Estudantes, Centros e Diretórios Acadêmicos. Mais informações: www.documentodoestudante.com.br

– PESSOAS COM DEFICIÊNCIA E ACOMPANHANTES mediante apresentação do cartão de Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social da Pessoa com Deficiência ou de documento emitido pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), que ateste a aposentadoria de acordo com os critérios estabelecidos na Lei Complementar nº 142, de 8 de maio de 2013. No momento de apresentação, esses documentos deverão estar acompanhados de documento de identidade oficial com foto.

– JOVENS PERTENCENTES A FAMÍLIAS DE BAIXA RENDA (com idades entre 15 e 29 anos) mediante apresentação da Carteira de Identidade Jovem que será emitida pela Secretaria Nacional de Juventude a partir de 31 de março de 2016, acompanhada de documento de identidade oficial com foto.

– JOVENS COM ATÉ 15 ANOS mediante apresentação de documento de identidade oficial com foto.

– APOSENTADOS E/OU PENSIONISTAS DO INSS (que recebem até três salários mínimos) mediante apresentação de documento fornecido pela Federação dos Aposentados e Pensionistas do RS ou outras Associações de Classe devidamente registradas ou filiadas. Válido somente para espetáculos no Teatro do Bourbon Country e Auditório Araújo Vianna.

– DOADORES REGULARES DE SANGUE mediante apresentação de documento oficial válido, expedido pelos hemocentros e bancos de sangue. São considerados doadores regulares a mulher que se submete à coleta pelo menos duas vezes ao ano, e o homem que se submete à coleta três vezes ao ano.

******Caso os documentos necessários não sejam apresentados ou não comprovem a condição do beneficiário no momento da compra e retirada dos ingressos ou acesso ao teatro, será exigido o pagamento do complemento do valor do ingresso.

CANAIS DE VENDAS OFICIAIS (sujeito à taxa de serviço):

Site: www.uhuu.com

Atendimento: falecom@uhuu.com

 

CANAIS DE VENDAS OFICIAIS (sem taxa de serviço):

Bilheteria do Teatro do Bourbon Country: Av. Túlio de Rose, nº 80 / 2º andar (de segunda a

sábado, das 10h às 22h, e domingo e feriado, das 14h às 20h)

No local: somente na data da apresentação, a partir das 16h.

 

Formas de pagamento:

Internet: Visa, Master, Diners, Hiper, Elo, American.

Bilheteria: Dinheiro, Visa, Master, Diners, Hiper, Elo, American e Banricompras (débito).