Porto Alegre: Marchezan anuncia que Posto de Saúde Modelo terá horário estendido até 22 hs

Porto Alegre: Marchezan anuncia que Posto de Saúde Modelo terá horário estendido até 22 hs

Agenda Cidade Destaque Marchezan Poder Política Porto Alegre prefeitura Saúde Vídeo

 

O prefeito Nelson Marchezan Júnior usou as redes sociais para anunciar o segundo posto de saúde que terá horário estendido até as 22h. Será o Posto de Saúde Modelo, que fica na rua Jerônimo de Ornellas, número 55. O Posto São Carlos, que já funciona há cerca de um mês com o novo horário, tem superado as expectativas e atendido mais pessoas que o previsto. O vice-prefeito, Gustavo Paim, e o secretário de Saúde, Erno Harzheim.

Lei de Recuperação Fiscal beneficiará apenas próximo governo do RS, diz Feltes. Segundo Feltes, o texto pode demorar para ajudar a pagar as contas do governo Sartori

Lei de Recuperação Fiscal beneficiará apenas próximo governo do RS, diz Feltes. Segundo Feltes, o texto pode demorar para ajudar a pagar as contas do governo Sartori

Agenda Destaque Direito Economia Entrevistas Poder Política Sartori Vídeo

 

 

O secretário da Fazenda do Rio Grande do Sul, Giovani Feltes, afirmou que a Lei de Recuperação Fiscal trará um alívio apenas ao próximo governador eleito no Estado. Em entrevista à Rádio Guaíba na manhã desta quarta-feira, o secretário comentou sobre o benefício que o texto, aprovado na Câmara dos Deputados na noite dessa terça-feira, traria ao governo Sartori.

“A renegociação da dívida foi uma conquista que tivemos em 2016. Agora estamos na fase do regime da recuperação fiscal, que dentre os benefícios que o Rio Grande do Sul pode ter é pagar as parcelas da dívida com a União. Até o final do governo Sartori, isto representa por volta de R$ 3,7 bilhões o tanto que se considerarmos o que temos hoje”, disse, mas ressaltou que isso deve demorar até acontecer. “Vai levar um bom tempo para isso ser aprovado no Senado, ser sancionado pelo Presidente da República e também ser acolhido pela Assembleia Legislativa. O próximo governador do Estado é que vai ter um amplo benefício e vai ter um tempo bastante significativo para pagar os R$ 300 milhões mensais que é o serviço de prestação da dívida para com União”, acrescentou.

Segundo Feltes, a Lei de Recuperação Fiscal seria essencial e ajudaria a pagar as dívidas atrasadas do Estado. “O fato é que nós ao longo dos últimos 45 anos, 38 anos gastamos mais do que arrecadamos, empurramos com a barriga pegando empréstimo, não pagando o precatório, pegando recursos de bilhões em depósitos, endividando o Estado até não puder mais pegar empréstimo”, disse.

“Aprovando os projetos na Assembleia Legislativa, o Rio Grande do Sul vai poder aderir ao regime de recuperação fiscal e teria aprovação dos retroativos, e um agente ou um banco poderia emprestar dinheiro para o Estado. E no somatório destes R$ 3 bilhões que deixamos de pagar agora até o final do governo Sartori, e com ingresso de novos recursos destes ativos, certamente o Rio Grande do Sul poderia pagar as suas contas em dia”, relatou.

Junta Digital agiliza abertura de empresas no RS. Solenidade no Palácio Piratini marcou a conquista para redução da burocracia no Estado

Junta Digital agiliza abertura de empresas no RS. Solenidade no Palácio Piratini marcou a conquista para redução da burocracia no Estado

Destaque Direito do Consumidor Negócios Poder Política Porto Alegre Tecnologia Vídeo

Abrir, alterar ou até mesmo extinguir uma empresa agora é mais simples no Rio Grande do Sul. Foi lançada nesta quarta-feira,19, no Palácio Piratini, a Junta Digital, serviço de registro empresarial inteiramente pela internet, que garante mais rapidez, comodidade e segurança aos empreendedores. O ato foi oficializado na presença do Governador do Estado, José Ivo Sartori, do presidente da Junta Comercial, Industrial e Serviços (Jucis), Paulo Roberto Kopschina, do superintendente do SEBRAE/RS, Derly Fialho, entre outras autoridades representativas.

O governador gaúcho saudou o caráter desburocratizador da iniciativa. “A Junta Digital vai tornar o Rio Grande do Sul mais eficiente e é justamente isso que buscamos: um Estado mais moderno e voltado para as pessoas e organizações”, afirmou Sartori. O presidente da Jucis destacou o empenho do Governo, do SEBRAE e das prefeituras municipais para a implementação da Redesimples – Rede Nacional para a Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios, que permitiu que o Estado fosse escolhido para o projeto Junta Digital. “São mudanças profundas, mas necessárias para a otimização dos serviços das Jucis”, resumiu Kopschina.

Até o momento, 80 municípios gaúchos estão integrados à Redesimples e a meta é atingir 100 cidades até o final do ano, com abrangência de 87% das micro e pequenas empresas. O modelo foi adotado pioneiramente pela Junta Comercial de Minas Gerais (Jucemg). “Ser o segundo Estado a colocar a Junta Digital em prática é motivo de orgulho para todos nós”, destacou o diretor-superintendente do SEBRAE/RS. Para Derly Fialho, o projeto que foi oficializado hoje é resultado de muito empenho político e de entidades que entendem que o empreendedorismo é o futuro do País. Cinco dos sete milhões de reais investidos no projeto da Redesimples foram aportados pelo SEBRAE.

Junta Digital na Prática

Durante a solenidade no Palácio Piratini, o empresário Diogo Dorneles Queiroz relatou sua experiência, na prática. “Em seis dias corridos, apenas três dias úteis, adquiri meu CNPJ. É um passo muito importante para os empreendedores e, por isso, cumprimento todas as entidades envolvidas neste processo”, reconheceu. A contadora Ana Paula Mocellin, que demonstrou o processo de formalização digital, ao vivo, durante a cerimônia, destaca que o caráter facilitador da Junta Digital, para contadores e empresários. “O futuro empresário pode abrir a sua empresa de onde estiver, dentro ou fora do País. Aqueles que já são formalizados, podem alterar registros de suas empresas pela internet. Vai facilitar muito a nossa rotina de trabalho. Nós, contadores, estamos muito satisfeitos”, resumiu.

Túnel do Tempo: A manchete é de 2 de dezembro de 1993, mas podia ser de hoje. 24 anos depois, a história se repete ou melhor nunca cessou

Túnel do Tempo: A manchete é de 2 de dezembro de 1993, mas podia ser de hoje. 24 anos depois, a história se repete ou melhor nunca cessou

Destaque Poder Política Vídeo

 

 

Conversei no Agora/Rádio Guaíba, com Odacir Klein, vice-presidente da CPI do Orçamento, realizada no Congresso em 1993. A entrevista começou em função da manchete abaixo do Jornal do Brasil: “CPI desvenda esquema de corrupção envolvendo empreiteiras e políticos.” A reportagem parece resumir o noticiário de hoje, mas tem 24 anos.

 

Marcelo Odebrecht revela caixa dois para PSDB e mesada para Aécio

Marcelo Odebrecht revela caixa dois para PSDB e mesada para Aécio

Aécio Destaque Vídeo
Jornal da Band mostra trecho do depoimento de Marcelo Odebrecht, onde ele aborda em sua delação as doações feitas ao PSDB com recursos de caixa dois. Segundo o empresário, pelo menos R$ 50 milhões foram destinados à campanha de Aécio Neves e a outros candidatos do partido. Além disso Aécio teria recebido uma mesada da empreiteira.

 

 

 

Marcelo Odebrecht diz que não conhece político eleito sem caixa 2

Marcelo Odebrecht diz que não conhece político eleito sem caixa 2

Destaque Vídeo

 

 

 

Os vídeos com as delações de executivos de construtora Odebrecht têm revelado, diariamente, práticas de corrupção que atingem os principais partidos, e estão escandalizando o Brasil. Em um trecho da delação, Marcelo Odebrecht afirmou que não conhece político eleito no país sem o caixa 2.

“Eu não conheço nenhum político no Brasil que tenha conseguido fazer qualquer eleição sem caixa 2. O caixa 2 era três quartos, o que eu estimo. Não existe ninguém no Brasil eleito sem caixa 2. O cara até pode dizer que não sabia, mas recebeu dinheiro do partido que era caixa 2. Não existe, não existe”, afirma o empresário.

A declaração de Marcelo Odebrecht mostra como o pagamento de caixa 2 é disseminado nas campanhas eleitorais. Em outro depoimento, dado ao juiz Sergio Moro, ele revela a relação vantajosa entre empresários e governos: “Essa questão de eu ser um grande doador, de eu ter esse valor, no fundo, é o quê? É também abrir portas. Apesar de não vir um pedido específico, é o que eu digo: toda relação empresarial com um político infelizmente era assim, especialmente quando se podia financiar, os empresários iam pedir. Por mais que eles pedissem pleitos legítimos, investimentos, obras, geração de empregos, no fundo, tudo que você pedia, sendo legítimo ou não, gerava uma expectativa de retorno. Então, quanto maior a agenda que eu levava, mais criava expectativa de que eu iria doar tanto”.

O empresário afirmou que os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff sabiam da existência do caixa 2: “No que tange a questão de caixa 2, tanto Lula, tanto Dilma tinham conhecimento do montante, digamos assim, não necessariamente do valor preciso, mas tinham conhecimento da dimensão de todo o nosso apoio ao longo dos anos”.

O pagamento de caixa 2 é chamado de “doação não contabilizada” para campanhas políticas e o que as delações dos executivos e ex-executivos da Odebrecht mostram é que no dia a dia essas operações foram meticulosamente registradas, controladas por um sistema sofisticado e secreto.

O sistema é o drousys, usado pelo departamento de Operações Estruturadas da construtora, que pagava a propina. Essa rede de computadores tinha diversos aplicativos para as conversas e cada um deles precisava de uma senha de acesso diferente. O conteúdo escrito era criptografado, para dificultar possíveis vazamentos. Para evitar falhas de conexão, o servidor do drousys ficava na Suíça. Havia até um serviço de suporte, um help desk, com técnicos especializados para ajudar os executivos e operadores a usar o sistema aqui no Brasil.

O delator Hilberto Mascarenhas contou como o sistema foi criado: “Quando começou a circular dinheiro demais, eu fiquei preocupado, meu Deus do céu. Aí me perguntam onde é que foi aplicado o dinheiro e tal. Eu tinha que explicar. Não era uma contabilidade oficial, mas era uma contabilidade não oficial”.

Dos 71 políticos investigados, mais de um terço é acusado de crime de caixa 2. Mesmo quem preferia não receber assim cedia, como mostra a negociação que resultou em um pagamento para a senadora Katia Abreu, do PMDB.

O delator Mário Amaro contou que o marido da senadora, Moisés Pinto Gomes queria que o valor fosse contabilizado como doação oficial, mas no fim aceitou dinheiro de caixa 2: “Me reuni novamente com o Moisés já na semana seguinte. Eu estou autorizado a fazer pagamento de R$ 500 mil de caixa 2. Poxa, talvez a gente nem queira, mas veja bem, ficou aquele impasse, aquela conversa, mas no final ‘ah, vamos em frente’”.

Na delação, o ex-diretor da Odebrecht, Claudio Mello, afirma que a empresa não tinha como garantir o que os políticos faziam com o dinheiro que recebiam: “O motivo do pedido era a pretexto de doação de campanha. Agora quero deixar claro pra senhora, eu não posso afirmar se ele foi usado pra doação de campanha. Nem eu nem a empresa pode afirmar isso, entendeu?”.

Em nota, a defesa de Lula afirmou que o ex-presidente já teve todos os seus sigilos quebrados, no Brasil e no exterior e nenhum valor ilegal foi encontrado. Também em nota, a ex-presidente Dilma Rousseff disse que nunca pediu recursos para campanha ao empresário e que nunca manteve relação de amizade ou de proximidade com Marcelo Odebrecht.

A senadora Kátia Abreu, também em nota, disse que ela e o marido, Moisés Pinto Gomes, nunca participaram de corrupção e estão à disposição para prestar os esclarecimentos necessários. (Gioconda Brasil/Jornal Hoje)

André Haar volta ao comando do Rio Grande no Ar; por Luciana Vicente/Correio do Povo

André Haar volta ao comando do Rio Grande no Ar; por Luciana Vicente/Correio do Povo

Agenda Cidade Comunicação Cultura Destaque Tecnologia Vídeo

André Haar retorna ao comando do telejornal Rio Grande no Ar, da Record TV RS, a partir desta segunda-feira. O programa, com exibições diárias, das 7h28min a 8h55min, contará agora com uma reportagem especial, destacando ações positivas realizadas no Estado. Abrirá mais espaço para as participações ao vivo dos repórteres que estão na rua e manterá a prestação de serviços e analise de notícias. Haar buscará intensificar a interatividade e a proximidade com o telespectador e, na medida do possível, as perguntas deles devem ser respondidas e sugestões e denúncias aproveitadas.

Para o jornalista, o público do telejornal matutino busca se atualizar antes de sair de casa sobre o que aconteceu enquanto estava dormindo, como está a cidade e o que irá transcorrer no dia. Gisa Guerra, atual apresentadora, passará a fazer entradas com notícias e comentários. Depois de oito anos trabalhando na Record TV RS, Haar deixou a emissora, no ano passado, para se dedicar a um intercâmbio de estudos em Portugal, no Instituto Politécnico de Leiria (IPLeiria), onde cursou várias disciplinas, como práticas de cozinha, enologia e comunicação, o que o levou a conhecer as cinco unidades da instituição.

Mestre em Processos e Manifestações Culturais (Feevale), ele tornou-se embaixador do IPLeiria na área de ensino e pretende promover e divulgar os acordos voltados à educação entre Brasil e Portugal, proferir palestras sobre o tema e estimular a busca por uma graduação naquele país. Com o desejo de continuar se especializando, ele já começa a analisar a possibilidade de realizar um doutorado.

Manoel Soares vai de mala, cuia e berimbau para Globo. Profissional deixa RBS TV depois de 15 anos

Manoel Soares vai de mala, cuia e berimbau para Globo. Profissional deixa RBS TV depois de 15 anos

Agenda Cidade Comportamento Comunicação Cultura Destaque Poder Política Porto Alegre Vídeo

O Prévidi, sempre o Prévidi !! Hoje o blogueiro amado por muitos e odiados por alguns … Noticiou em “edição extraordinária”, já que le só trabalha de segunda a sexta-feira, que o Manoel Soares está saindo da RBS TV.

manoel-soares
Manoel Soares vai trabalhar no Encontro com Fátima.

Depois de muito tempo de namoro e boatos de enlace, o meu querido Manoel Soares finalmente aceitou o convite da Globo e vai se mudar de mala, cuia e berimbau para o Rio de Janeiro. Porque o baerimbau? Porque ao contrário do que muita gente pensa, ele não é gaúcho. Manoel Soares é baiano. Sim! O jornalista da RBS TV, nasceu em Salvador/BA. Segunda-feira, ele embarca para o Rio de Janeiro, onde vai se reunir com a equipe do “Encontro com Fátima”, para acertar todos os detalhes da participação dele na atração global das manhãs. Conheci o Manoel em um evento no Theatro São Pedro, ele não tinha a menor ideia de quem eu era.  Ao cruzar com ele, o reconheci e fiz um rasgado elogio ao trabalho que ele recém iniciava na RBS TV e uma referência que já o conhecia da TVE. Ele agradeceu e foi em frente. Logo depois perguntou a Alice Urbim, quem era aquela cara que tinha sido tão “efusivo”nos elogios. A Alice me chamou, nos apresentou “oficialmente” e a vida seguiu. Aqui, acolá a gente se encontra, fala por telefona ou em mensagens escritas e a minha admiração inicial do jovem repórter só cresce.

Manoel faz parte de um grupo muito pequeno de repórteres televisivos, que tem um estilo – uma marca própria -. É por natureza um grande comunicador. É a velha frase do inglês David Ogilvy, que a gente aprende na Faculdade: “Comunicação não é o que você diz, é o que o outro entende.” E o Manoel é entendido por todas classes sociais, sem precisar fazer concessões em seu texto ou maneira de se expressar. Por essas e outras é que sou fã do cara.

Devo dedicar aqui em espaço para o outro lado do Manoel, o de ativista social. Um cara que sabe fazer o bem, sem vitimização. Um cara que só pede que se trate com respeito o ser humano, não importa quem seja, onde more ou quanto ganhe. Um sujeito que nunca pediu privilégios e sim oportunidades iguais. Negro e favelado, ele poderia usar esse discurso. Mas, se nega a fazer isso. Sabe que como ele, se outras centenas de jovens tiverem a primeira oportunidade vão agarra-la e fazer seus próprios caminhos… Por sinal, a vaga do Manoel está aberta e eu espero que ela seja bem preenchida, não só na RBS TV, mas em outros veículos e empresas também. Um dos gurus da administração – não sei qual-, já disse que: “Líderes formam novos líderes e não seguidores”. Uma das grandes virtudes do Manoel é ter via CUFA ou outras ONGs onde auxilia com seu trabalho ter passado ensinamentos. Espero que destas experiências saiam seu “sucessores”. Precisamo muito de mais  “Manoéis”na comunicação.

Ao Manoel meu desejo de mais sucesso e com ele a possibilidade de ajudar mais pessoas. Bj Manoel !!

======================================================================================================================================================================

 

Abaixo o texto do Prévidi

AGORA, FAVELADO TÁ NA GLOBO!!

Depois de 15 anos de RBS TV, o repórter Manoel Soares está indo embora.
O baiano de Salvador (“nascido na Boca do Rio, periferia de Salvador – BA, até chegar ao Rio Grande do Sul passou por favelas em São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília”) vai ficar mais perto de sua terra.
Está acertado com a TV Globo São Paulo. Vai fazer com que o programa da Fátima Bernardes chegue na periferia da capital paulista, onde a atração tem pouca penetração.
Vai conseguir.
É um mestre nisso. Conseguiu levar o “classe média” Jornal do Almoço para as comunidades periféricas do RS sem mostrar barbaridades de criminosos.

Me dei conta que o Manoel é um baita repórter há um bom tempo.
Sei lá em que ano, mas fiz um questionário que dezenas de jornalistas responderam e publiquei aqui no Blog.
Fiz a todos uma pergunta: Um jornalista…
O Tulio Milman (ex-apresentador do Teledomingo), um jornalista que gosto e respeito, respondeu sem muita explicação: Manoel Soares.
Fui conferir quem era o cara e a primeira constatação: ele nem é diplomado. Não sei se continua, mas estava fazendo Comunicação na Ulbra e depois PUC.
Comecei a prestar a atenção no cara.
Em pouco tempo, tive que concordar com o Tulio: Que puta repórter!
Hoje, na sua página do Facebook, no tópico Educação, está:

EDUCAÇÃO

já foi
Miami

Hahahahaha!!!

Manoel começou na RBS TV no extinto Teledomingo, levado pelo extraordinário Raul Ferreira.
Pouco se fala disso, mas ele teve uma passagem pela TVE.

Parênteses.
Fiquei sabendo da mudança do Manoel pouco antes da uma da manhã deste sábado. Recebi um uatisapi de um amigo comum.
É, quando eu digo que o Blog do Prévidi tem informações exclusivas diariamente porque tem centenas de amigos antenados, tem gente que torce o nariz. Este é o diferencial.

A partir de agora vai haver uma transição. Ele não vai deixar o seu público “desamparado”. Ou vão encontrar outra pessoa ou será feito um formato diferente. Três, quatro meses. Vai participar dessa transição.
Manoel está muito feliz.
Me dizem que ele sabe da responsabilidade que terá em estar na periferia da maior cidade da América Latina. E vai morar lá, numa favela, não tem essa de morar num bairro classe média.

Quero ver se me encontro com ele antes da ida definitiva. Quero bater um papo e tirar uma foto para a minha galeria de celebridades.
Aliás, tem uma história muito boa.
Quando a direção e uns chefetes da RBS TV estavam em guerra com os funcionários, o Blog acompanhou todos os movimentos. Publiquei tudo, todas as bobagens dos chefes e chefetes.
Estes ficaram desesperados, querendo saber quem era o meu “informante”.
Lá pelas tantas concluíram que era o Manoel o cara que me passava as informações.
Hahahaha!!!
Logo depois disso falei pela primeira vez com ele, casualmente, na rua da República, onde fazia uma matéria. Demos risada da babaquice.
Até hoje conversamos em encontros casuais. Nada além disso. Mas ele sabe que eu gosto muito dele e sei que ele, de modo geral, respeita o que faço.
Tamu junto!!

O Manoel via ser um ídolo por lá.
Só espero que não se torne vereador, deputado estadual, deputado federal….
HAHAHAHAHA!!!!!
(E não vou te aguentar no Ixquenta!!!)

Com Céu e Skank, “Nivea Viva” homenageia Jorge Ben Jor neste domingo. Espetáculo será no Anfiteatro Pôr do Sol, a partir das 16h30min, com participação do próprio Jorge; por Luiz Gonzaga Lopes/Correio do Povo

Com Céu e Skank, “Nivea Viva” homenageia Jorge Ben Jor neste domingo. Espetáculo será no Anfiteatro Pôr do Sol, a partir das 16h30min, com participação do próprio Jorge; por Luiz Gonzaga Lopes/Correio do Povo

Agenda Cidade Cultura Destaque Porto Alegre Turismo Vídeo
https://youtu.be/p_9C0Ql27YA
Após homenagear Elis Regina, Tom Jobim, o samba, Tim Maia e o rock brasileiro, a sexta edição do projeto Nivea Viva reverencia Jorge Duilio Lima Meneses, ou simplesmente Jorge Ben Jor, 72 anos, rei do suingue e da simpatia, nesta edição 2017. A abertura será neste domingo, a partir das 16h30min, no Anfiteatro Pôr do Sol, em Porto Alegre (houve apenas uma avant-première para convidados no dia 14 de março, no Vivo Rio), com apresentações gratuitas do próprio homenageado e dos convidados de outra geração da música brasileira: a cantora Céu e o grupo mineiro Skank.

Com direção geral de Monique Gardenberg, os convidados devem dar novas significações para a obra de Jorge, iniciada nos anos 1960 e que continua atual, apesar de alguns hiatos na carreira do músico. “Jorge é um inventor, ele sublinhou a África, trouxe o blues/rock para a bossa nova e criou o samba-rock. Jorge é um acontecimento na música popular brasileira e vamos festejar essa força criativa que influenciou tantas gerações”, explica Monique. Após a capital gaúcha, o espetáculo segue para o Rio (9/04), Fortaleza (7/05), Recife (21/05), Brasília (11/06) e, finalmente, São Paulo (dia 25/06). Monique explica que o show utiliza com telões de LED e muita referência cinematográfica, uma das predileções de Ben Jor. “Por isso, vamos usar imagens do clássico ‘Viagem à Lua’, de Georges Méliès, durante ‘Os alquimistas estão chegando’, e de ‘O pão nosso de cada dia’, de F.W. Murnau, em ‘Que pena’”, explica.

O repertório terá canções como “País tropical” (Skank e Céu), “Chove chuva” (Céu), “Balança Pema” (Skank) e “Taj Mahal” (Ben Jor, Céu e Skank), com a cama musical sendo executada alternadamente entre o Skank e a banda do Zé Pretinho, tocando juntas na parte final do show com “País tropical” e “Fio maravilha”. A diretora de marketing da Nívea, Tatiana Ponce, destaca que a escolha de Jorge Ben Jor tem a ver com a alegria e este tropicalismo que faz com que a música do projeto seja para sentir na pele, como é o conceito da Nivea para esta plataforma. “Eu fico muito contente de começar por Porto Alegre, onde tenho muitos amigos. Achei legal terem me escolhido e o os meninos do Skank e a princesa Céu para fazer este show. Os ensaios e a première para convidados foram de alegria geral. Acho que vai ser assim o tempo inteiro”, declara o homenageado.

Uma inspiração para outros artistas

Para a cantora Céu, a obra de Jorge Ben Jor é como se fosse uma escola musical para qualquer pessoa, seja ela músico ou apreciador. “A música dele é forte para mim, foi sempre especial na construção dos meus gostos e da minha carreira. Tenho todos os discos”, afirma. Sobre o projeto, Céu ressalta que é muito respeitoso com os artistas que estão no palco. “Um concerto com este tipo de homenagem em praças públicas para cantar a paixão por um músico da grandeza do Jorge. É realmente um acontecimento”, comenta Céu, cuja mãe Carolina Whitaker foi namorada de Toquinho e amiga de Jorge Ben Jor e para quem os músicos compuseram a música “Carolina Carol Bela”. A cantora, que lançou seu mais recente disco, “Tropix”, em 2016, tem como preferências da carreira do ídolo os discos “Força Bruta” (1970) e “Tábua de Esmeralda” (1974).

A música marcante de Jorge para Céu é “Xica da Silva”. “Esta canção sintetiza a capacidade que ele tem de compor desde aquela época, sintonizado com causas e temas sempre essenciais, mas de uma maneira simples, criando uma canção popular, cuja letra, melodia e batida chega direto ao coração, com uma intensidade ímpar”. Por fim, Céu lembra que o público gaúcho sempre estimula qualquer artista a dar tudo de si. “O show que fiz aí do Tropix, no ano passado, foi muito forte, intenso. A resposta das pessoas foi muito impactante. Sinto uma grande conexão com vocês, tanto que já vou voltar no dia 1º de julho para um show no Opinião”, afirma a cantora, que na semana que passou fez participação no show do Duran Duran, no Lollapalooza, em SP, e em Belo Horizonte.

O vocalista e guitarrista do Skank, Samuel Rosa, frisa que participar desta homenagem é a oportunidade de estar novamente próximo com o padrinho da banda. “Quando a gente ainda era só um grupo mineiro tentando despontar, o Jorge Ben Jor foi nosso padrinho, nos levando nas tevês e rádios. Foi o cara que mais inspirou o Skank, não estou dizendo isso agora. Nove entre dez bandas da nossa geração citam o Jorge Ben Jor como referência. Foi conexão total nos 20 ensaios. Com a Céu, nos demos contas que somos de vertentes diferentes, mas temos uma intersecção, de ouvirmos alguns mesmos discos”, revela.

Crise das finanças de Porto Alegre vai estourar em maio. Marchezan enfatizou “situação de falência” da prefeitura; por Heron Vidal/Correio do Povo

Crise das finanças de Porto Alegre vai estourar em maio. Marchezan enfatizou “situação de falência” da prefeitura; por Heron Vidal/Correio do Povo

Destaque Entrevistas Vídeo

Maio será mês crítico às finanças da prefeitura de Porto Alegre. “Vai faltar dinheiro e o município vai ter que escolher quem vai pagar”, adiantou o secretário municipal da Fazenda, Leonardo Busatto, em reunião na terça-feira com a diretoria do Sindicato dos Municipários (Simpa) ao detalhar o quadro das finanças da cidade.

No encontro, o prefeito Nelson Marchezan Júnior, corroborou as informações e acrescentou: há pouco mais de 1 mil fornecedores, de 2016, com 2,8 mil contratos, que não receberam da prefeitura no ano passado. Essa dívida, somada aos saques do caixa único na gestão anterior, chega R$ 507 milhões, segundo ele.

Os fornecedores deste ano, e os salários, estão sendo pagos em dia. Mas isso se deve, conforme Busatto, aos cortes de cargos de confiança (ccs), veículos e diárias, além da criação do teto salarial, a redução de 37 para 15 secretarias e não pagamento de fornecedores do ano passado. “As finanças apontam que chegará o mês que nem fornecedores e nem servidores serão pagos. A situação é de falência”, afirmou o prefeito.

“Neste ano faltam mais de R$ 700 milhões (déficit), a folha salarial é R$ 150 milhões ao mês e as despesas totais do mês são de R$ 450 milhões a R$ 480 milhões. Então, vai chegar um mês em que não vamos pagar nada. E a prefeitura nessas despesas totais tem algumas que são comprometidas com recursos carimbados, que não podem ser destinados a outras áreas, o que é pior”, reiterou o prefeito.

Simpa acusa prefeitura de fazer terrorismo

O diretor geral do Simpa, Alberto Terres, acusou a prefeitura de fazer terrorismo contra os servidores, ao ameaçar atraso de salários com ataque aos servidores e serviço público”. O diretor financeiro, Adelto Rohr, lamentou que a atual gestão se elegeu sem soluções para o município, e só tenha prioridade para cortes em cima dos servidores e serviços públicos.

Marchezan respondeu que “essa realidade não foi criada por nós, e não é uma luta de nós contra vocês. Esses são os fatos, que estamos dividindo com os servidores. Não falta receita, a carga de impostos sobre o PIB do Brasil é de 40%, o problema é a forma como foram aplicados os recursos”.