Conselho facilita escolha de relator aliado de Cunha. Presidente da Câmara deve antecipar defesa

Conselho facilita escolha de relator aliado de Cunha. Presidente da Câmara deve antecipar defesa

Uma decisão do Conselho de Ética ampliou a possibilidade de aliados de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) ocuparem a relatoria do processo por quebra de decoro parlamentar. O procedimento, que será instaurado hoje, poderá levar à cassação do mandato do presidente da Câmara. Cunha é acusado de ter mentido à CPI da Petrobrás ao negar ter contas no exterior. Ontem, o presidente do Conselho de Ética, José Carlos Araújo (PSD-BA), definiu como será a escolha do relator do caso. Havia uma dúvida sobre quais partidos poderiam participar do sorteio. Pelo Código de Ética da Câmara, não podem assumir a relatoria deputados do bloco partidário do acusado. Araújo decidiu que os únicos partidos do bloco de apoio a Cunha são o PMDB e o PEN. Deputados de outros 11 partidos foram liberados para concorrer à vaga de relator. “Vai valer o bloco atual. O inicial acabou, eles desmancharam”, disse Araújo. A decisão amplia a probabilidade de aliados de Cunha serem sorteados. A reportagem completa está em O Estado de São Paulo.

Presidente da Câmara deve antecipar defesa

Eduardo Cunha (PMDB-RJ) cogita antecipar sua defesa e comparecer voluntariamente ao Conselho de Ética até a próxima semana, apurou o Estado. A ideia é desconstruir a acusação de que mantinha contas na Suíça com recursos provenientes de corrupção na Petrobrás. Segundo líderes partidários, ele dirá que as aplicações são anteriores às irregularidades na estatal. Cunha negou ter falado com quem quer que fosse sobre o assunto. A reportagem completa está em O Estado de São Paulo. (Foto: Luis Macedo / Câmara dos Deputados)

Notícias Poder Política