Convidado por Aras diz que cargo na PGR tem natureza ‘política’ Ailton Benedito. Foto: Reprodução

Convidado por Aras diz que cargo na PGR tem natureza ‘política’

Convidado por Augusto Aras para integrar sua equipe na Procuradoria-Geral da República (PGR), o procurador Ailton Benedito disse ao GLOBO que o cargo tem natureza “política e jurídica” e que é normal uma aproximação por “afinidade de valores”, um dos critérios usados pelo presidente Jair Bolsonaro para a escolha. Para ser o novo PGR, o subprocurador depende de aprovação do Senado. Ontem, o líder do MDB na Casa, Eduardo Braga (MDB-AM), foi escolhido relator da indicação. Aras ganhou a preferência de Bolsonaro sem disputar a lista tríplice, organizada pela categoria e ignorada por um presidente pela primeira vez desde 2003.

Bolsonaro e Aras vêm sendo criticados pelo descarte da lista e pela valorização do critério de afinidade, o que colocaria em risco a autonomia constitucional do Ministério Público, na visão dos críticos. Ailton chefia a Procuradoria da República em Goiás, tem posições conservadoras e é defensor das ideias de Bolsonaro, especialmente das pautas de costumes e segurança. No Twitter, critica “comunistas” e “ideologia de gênero”. Há pouco mais de um mês, o próprio Ministério Público Federal, por meio do Conselho Superior, barrou a indicação de Ailton à Comissão de Mortos e Desaparecidos Políticos, contrariando o Palácio do Planalto.

Leia mais em O Globo

Comunicação Destaque Notícias