Em 2003, quando venceu o Agrinho regional e foi segundo lugar na fase estadual do concurso, Juliano de Bastos Pazini, então estudante do sexto ano da Escola Estadual Farroupilha, em Alegrete, não imaginava chegar onde chegou. Leia a reportagem e confira.

Crise provoca fechamento de 4,4 mil fábricas em SP. Número de 2015 é 24% superior ao de 2014

A crise que paralisa a economia brasileira deixa um rastro de empresas desativadas. Somente no Estado de São Paulo, 4.451 indústrias de transformação fecharam as portas em 2015, número 24% superior ao de 2014, quando 3.584 fabricantes deixaram de operar, segundo a Junta Comercial. O quadro se estende por todo o País, formando um cemitério de fábricas de variados setores, muitas delas fechadas definitivamente, algumas em busca de alternativas para voltar a operar e outras à espera de compradores, informa Cleide Silva. Muitos trabalhadores demitidos não receberam salários e rescisões. De acordo com o IBGE, entre novembro e janeiro, a indústria brasileira fechou 1,131 milhão de vagas, número recorde para um trimestre. Algumas das fabricantes foram líderes em seus segmentos, mas não resistiram à queda da demanda, aos custos elevados e à falta de investimentos.


Desalento no País
A produção industrial brasileira acumula queda de 8,7% em 12 meses, até janeiro. É o maior recuo desde novembro de 2009, segundo o IBGE, e não há esperanças de recuperação consistente para 2016. (O Estado de São Paulo)

Economia Negócios Notícias Poder Política