Deputado pedetista acredita que processo de impeachment de Dilma deve se estender até fevereiro

 

 

Conversei hoje com o deputado federal Afonso Motta (PDT), integrante da Comissão que vai analisar o processo de impeachment contra a presidente Dilma na Câmara. Ele disse acreditar que o fim do processo deverá acontecer somente em fevereiro em razão da previsão de demora do processo no Congresso Nacional. Em entrevista por telefone ao Programa Agora da Rádio Guaíba, o parlamentar disse que o recesso parlamentar poderá ser feito a partir da apreciação da Lei de Diretrizes Orçamentárias, condição necessária para que se encerrem os trabalhos legislativos de 2015. Ele acredita que a apreciação da LDO será feita na última semana do ano. A apreciação poderá comprometer todo o esforço do governo federal pelo reajuste fiscal. Para ele, trata-se de consolidar uma agenda positiva para o país.

Afonso Motta é o único deputado gaúcho nomeado pelo PDT para integrar a comissão do impeachment que será instalado hoje à tarde no plenário da Câmara. Ele disse que o processo está fundamentado nas chamadas pedaladas fiscais, mas não acredita que ela seja punida por isso, pois desde 1937 não há desaprovação de prestação de contas de presidentes da República. Motta acha que essa é uma questão possível de superar, pois a opinião pública pode influenciar o processo.

Ao ser questionado sobre a largada do debate eleitoral de 2018 com o anúncio de Ciro Gomes (PDT) sobre suas pretensões à Presidência da República, disse que muitos outros atores políticos estão com uma postura golpista de tentar prever o resultado desse processo . Disse que o PDT não tumultua nesse momento ao anunciar a pré-candidatura de Gomes.

Notícias Poder Política