Desembargador Thompson Flores é Cidadão Emérito de Porto Alegre Homenageado é presidente do Tribunal Federal da 4ª Região. Foto: Cesar Lopes/ PMPA

Desembargador Thompson Flores é Cidadão Emérito de Porto Alegre

O desembargador federal Carlos Eduardo Thompson Flores Lenz, atual presidente do Tribunal Federal da 4ª Região, recebeu, na tarde desta terça-feira, 25, o título de Cidadão Emérito de Porto Alegre. A cerimônia foi realizada no Plenário Otávio Rocha da Câmara Municipal e contou com a presença do prefeito Nelson Marchezan Júnior. A proposição foi da presidente do Legislativo, vereadora Mônica Leal, que destacou ser uma forma de reconhecimento pela trajetória dele e por seu trabalho na magistratura e à frente do TRF4. A proposta foi aprovada em sessão ordinária, por unanimidade, no dia 27 de maio.

Marchezan lembrou que ele e o desembargador Thompson Flores fizeram a graduação no curso de Direito na mesma universidade, a Unisinos, e tiveram os mesmos professores em várias disciplinas. “Conheci o Dr. Thompson Flores através de um amigo de meu pai, o Dr. Cidade, que falava que ele era firme, competente, lúcido e honrado. Mais tarde, pude verificar que ele é isso e dignifica seu cargo público. Mas a minha admiração maior não se dá pelo cargo que ocupa, e sim pela forma como ele ocupa o cargo”, diz o prefeito.

O desembargador Thompson Flores agradeceu a homenagem e se disse emocionado. Iniciou sua manifestação fazendo referência à presença de familiares no passado do Legislativo da Capital. “Meu tataravô, Luiz da Silva Flores, o Dr. Flores, cuja rua no Centro Histórico é em homenagem a ele, começou sua vida pública, na virada do século 18, como vereador da Câmara Municipal de Porto Alegre”, lembrou. Disse ter a compreensão de que o diploma de Cidadão Emérito não estava sendo concedido ao homem, mas sim ao juiz, que tem a “difícil arte de julgar”.

Amor pela função – Thompson Flores fez citações de juristas e escritores e frisou que ao juiz não cabe apenas o conhecimento das regras, mas o “amor pela função, que lhe permitirá decidir causas com o restabelecimento do equilíbrio social que foi rompido”. “Da Justiça, nasce a confiança; da confiança, a tranquilidade; da tranquilidade, o trabalho; do trabalho, a produção; da produção, o crédito; do crédito, a opulência, a respeitabilidade, a duração, o vigor”, observou o jurista. O desembargador destacou ainda que, “buscando a realização do seu real destino, o povo brasileiro realiza um esforço para, após combater a corrupção, reestruturar as suas instituições reafirmando as suas melhores tradições democráticas”.

Por fim, o homenageado salientou que a independência da magistratura, prevista na Constituição, contribui para a formação de juízes dignos e honrados. “Mas é justamente a alma do juiz, a sua independência interior, que caracteriza o grande juiz, que o singulariza e inspira a admiração dos seus jurisdicionados”, afirmou.

Trajetória – Natural de Porto Alegre, Thompson Flores tem 54 anos. É neto de Carlos Thompson Flores, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), e trineto de Carlos Thompson Flores, fundador da Faculdade Livre de Direito de Porto Alegre. Telmo Thompson Flores, ex-prefeito de Porto Alegre, é irmão de seu avô, Carlos Thompson Flores.

Ele formou-se em Direito pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), de São Leopoldo, em 1985. Quatro anos depois, tomou posse como procurador da República, sendo promovido a procurador-chefe da Procuradoria Regional da República da 4ª Região em 1996. Em 2001, tornou-se desembargador federal, assumindo vaga do quinto constitucional destinada ao Ministério Público.

O homenageado destacou-se em diferentes atividades ao longo de sua carreira, entre elas como procurador regional da República. Autor de inúmeros artigos e trabalhos jurídicos, também recebeu várias condecorações no exercício da magistratura.

Comunicação Destaque Notícias