Eduardo Leite quer licitar PPP para o saneamento em Pelotas; por Guilherme Kolling/Jornal do Comércio Prefeito Eduardo Leite não é candidato, mas quer deixar projeto encaminhado. Foto: Fredy Vieira/JC

Eduardo Leite quer licitar PPP para o saneamento em Pelotas; por Guilherme Kolling/Jornal do Comércio

Crítico do instituto da reeleição, o prefeito de Pelotas, Eduardo Leite (PSDB), não vai disputar o pleito de outubro. Mas planeja deixar encaminhado ao sucessor um grande projeto na área do saneamento básico. Trata-se de uma Parceria Público-Privada (PPP) para universalizar a coleta e o tratamento de esgotos no município em quatro a cinco anos. Para isso, estima-se que seriam necessários investimentos de R$ 400 milhões em redes coletoras e estações de tratamento, além de fazer a ligação com as residências que não possuem o serviço. “Evidentemente, não dispomos desses recursos. Então, a maneira mais rápida e viável é a PPP”, resume Leite.

Mais de 300 municípios gaúchos são atendidos atualmente pela Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan), enquanto cerca de uma dezena de cidades grandes e médias do Rio Grande do Sul mantêm um departamento próprio para o setor.
Pelotas é uma delas, tem uma autarquia para a área, o Serviço Autônomo de Saneamento (Sanep). Mas ainda sofre com baixos índices de tratamento de esgotos, como a maioria das cidades do Rio Grande do Sul. Atualmente, coleta 60% do esgoto gerado pelos seus 340 mil habitantes e trata apenas 18%.
Um dos problemas causados por essa situação são as valetas de esgoto que correm a céu aberto, especialmente nas ruas sem pavimentação, que somam 400 quilômetros dos 900 quilômetros de vias urbanas de Pelotas. A prefeitura já abriu uma proposta de manifestação de interesse para a concessão do serviço de saneamento. Nesta fase, os grupos apresentam estudos para que se definam as obras necessárias, o cronograma, e os valores do projeto. Houve interesse de três empresas. A reportagem completa de Guilherme Kolling está em Jornal do Comércio.
Destaque Poder Política