Educação: Representantes de escolas particulares não convencem Tasso a tirar a isenção previdenciária das instituições filantrópicas

Educação: Representantes de escolas particulares não convencem Tasso a tirar a isenção previdenciária das instituições filantrópicas

Após cerca de uma hora de reunião tensa mediada pelo senador Lasier Martins (Podemos-RS), nesta quinta, os representantes de escolas particulares do Rio Grande do Sul não conseguiram convencer o relator da reforma da Previdência no Senado, Tasso Jereissati (PSDB-CE), a tirar a isenção previdenciária das instituições filantrópicas na PEC 6/2019. Para defender o argumento de que milhares de bolsas de estudo estão ameaçadas pela cobrança patronal, eles tentaram de tudo, até mesmo explorar o ponto de vista de empresário de Tasso até a incorporação à comitiva de diretores de escolas cearenses.

O relator bateu o pé, disse que seu texto visa fazer justiça social e não permitir que terceiros paguem pelas empresas. “Não sou contra a filantropia”, assegurou Tasso. O vice-presidente do Sindicato do Ensino Privado do Rio Grande do Sul (Sinepe-RS), Osvino Toillier, se emocionou na tentativa de convencer o relator. Com voz embargada, lembrou da trajetória de seu pai e da dificuldade das famílias de crianças pobres em garantir estudo para seus filhos.

Antes de terminar a reunião, Lasier acordou com Tasso a costura de uma lei complementar que possa compensar as escolas da oneração previdenciária, mediante alívio em outros impostos e, assim, preservar bolsas e instituições. O senador cearense pediu à sua equipe para apressar cálculos nesse sentido.

Destaque Educação