Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Eleições 2016: Danrlei aguarda para definir sobre candidatura à prefeitura de Porto Alegre

Danrlei irá aguardar até depois de março para definir se concorre a prefeitura de Porto Alegre | Foto: Alex Ferreira / Câmara dos Deputados / CP
Danrlei irá aguardar até depois de março para definir se concorre a prefeitura de Porto Alegre | Foto: Alex Ferreira / Câmara dos Deputados / CP

O ex-goleiro do Grêmio e hoje deputado federal Danrlei, do PSD, confirmou pressão de expoentes do partido para se lançar como o candidato da legenda à Prefeitura de Porto Alegre. O ídolo gremista confirmou ter sido sondado pelo ministro das Cidades, Gilberto Kassab, e pelo governador em exercício, José Paulo Cairoli. O cenário, porém, ainda é de projeções. De acordo com ele, a janela para a troca de partidos políticos sem perda de mandato, que pode ser aprovada a partir de março pelo Congresso, gera uma expectativa de crescimento no PSD entre 30% e 40% através da possível vinda de deputados federais e senadores para a legenda.

A estratégia de Danrlei é aguardar a consolidação de um partido mais forte para decidir se enfrenta ou não as urnas. “Hoje, eles vieram pra cima forte e disseram que eu tenho que ser candidato a prefeito de Porto Alegre. Como sou goleiro, me defendi alertando que é muito cedo e que, se esta janela confirmar nossa projeção de crescimento, tanto no cenário federal quanto no estadual, teremos dados reais para uma decisão”, ponderou.

Danrlei ainda disse que precisa se preparar e que, neste caso, o tempo é um aliado. “Hoje eu tenho a possibilidade de esperar, estudar um pouco mais a situação de Porto Alegre. E tem que ver o que dá realmente para se fazer”, reforçou.

Hoje, o PSD é representado, na Câmara Municipal, pelo vereador Tarciso Flecha Negra. Entretanto, o político, que é primeiro suplente da bancada na Assembleia Legislativa, pode ser alçado ao Parlamento estadual a partir da cassação iminente do deputado Mário Jardel, também do PSD.

Sobre essa situação, Danrlei evitou comentários e disse não ter mais contato com o correligionário. Ele também revelou ter pedido à direção estadual do partido para se manter longe das decisões que envolvem o político, denunciado por uma série de crimes pelo Ministério Público. (Correio do Povo)

Eleições 2016 Notícias Poder Política