Eleições 2016: Melo reconhece aumento da insegurança. Candidato a prefeitura de Porto Alegre defende integração e investimento em tecnologia

Eleições 2016: Melo reconhece aumento da insegurança. Candidato a prefeitura de Porto Alegre defende integração e investimento em tecnologia

O programa A Cidade É Sua, da Rádio Guaíba, ouviu nesta sexta-feira o segundo pré-candidato à Prefeitura de Porto Alegre em potencial. O atual vice-prefeito da Capital, Sebastião Melo, que vai disputar o Paço pelo PMDB, avaliou a atual gestão e projetou ações para diferentes setores como transporte, infraestrutura, segurança, saúde e assistência social, por exemplo. Ele reconheceu o aumento da insegurança na cidade, mas defendeu integração entre os órgãos com poder de polícia e investimento em tecnologia

O vice-prefeito também reconheceu erros na administração, como brechas na emissão dos carteirões de taxistas, mas destacou que a Copa do Mundo trouxe melhores frutos a Porto Alegre do que para o Brasil como um todo, por exemplo.

O ano de 2016 marca a corrida pela sucessão do prefeito José Fortunati (PDT), que não pode disputar a reeleição. Na semana passada, a primeira entrevistada foi a pré-candidata Luciana Genro, do PSol.

Confira trechos da entrevista de hoje com Sebastião Melo:

Transporte

“Pela primeira vez na história de Porto Alegre, fomos nós que licitamos o transporte público. A partir de fevereiro, vão entrar 300 ônibus novos. A população vai ganhar com a entrada de 25% de uma frota com ar-condicionado. Se nós colocássemos ar-condicionado em toda frota, a passagem iria subir muito e a população estaria disposta a pagar até R$ 5 no valor da passagem, logo na saída?”.

Infraestrutura

“Uma obra que vai mudar o cenário da zona Norte de Porto Alegre é da avenida Severo Dullius. Quem chega em Porto Alegre pega uma via completamente entupida, mas com esta obra nós vamos tirar até 40% do trânsito da Sertório. Aquilo do ponto de vista de economia da cidade é a obra mais fantástica”.

Segurança

“Em primeiro, está muito mal a segurança pública no Rio Grande do Sul então nós temos que fazer um contrato de gestão para atualizar as nossas tecnologias como o cercamento eletrônico, que nós estamos fazendo. Então o aperfeiçoamento tecnológico é um bom caminho”.

Saúde

“A saúde não vai bem, mas a rede de Porto Alegre, ela responde. Quando nós assumimos a Prefeitura em 2005, existiam apenas 50 equipes de saúde de família e hoje nós temos 206. Temos muitos cubanos aqui e se não fosse o Mais Médicos, a situação seria pior. Nós queremos ter 450 equipes de saúde da família. Se eu comparar com o Brasil, Porto Alegre é uma das melhores cidades atendidas pelo SUS”. (Lucas Rivas/Rádio Guaíba)

Cidade Economia Eleições 2016 Negócios Notícias Poder Política Porto Alegre prefeitura