Estado projeta dois novos presídios por meio de permuta em Porto Alegre e Bento Gonçalves. Nesta terça, novo Centro de Triagem de presos foi inaugurado com 96 vagas; por Daiane Vivatti/Rádio Guaíba Os presos são controlados por meio de galeria situada no segundo pavimento / Rodrigo Ziebell/SSP

Estado projeta dois novos presídios por meio de permuta em Porto Alegre e Bento Gonçalves. Nesta terça, novo Centro de Triagem de presos foi inaugurado com 96 vagas; por Daiane Vivatti/Rádio Guaíba

 Dois novos presídios vão começar a ser construídos até o fim do ano no Rio Grande do Sul: um ao lado da Cadeia Pública de Porto Alegre (antigo Presídio Central) e outro no município de Bento Gonçalves, na Serra. Cada unidade prisional vai contar com 400 vagas, informou hoje a Secretaria de Segurança Pública.

A nova penitenciária em Porto Alegre vai ser construída a partir de permuta com a Companhia Zaffari, aprovada em setembro de 2016 pela Assembleia Legislativa, em troca da área da sede da extinta Fundação para Desenvolvimento de Recursos Humanos (FDRH), localizada no bairro Praia de Belas, na Capital. A planta do terreno foi entregue à empresa nesta terça-feira e o prazo de conclusão da edificação é para 240 dias.

“Serão entorno de 400 vagas e a nossa expectativa é que em 11 meses a obra esteja concluída. Isso é o começo das mudanças no Presídio Central. Também ao lado vamos construir um novo centro de triagem com 112 novas vagas. Não se faz segurança pública sem ter um sistema prisional adequado. Isto é, número de vagas compatível com a necessidade. Uma das causas de todo esse quadro doloroso da insegurança que vivemos é um sistema prisional caótico. Vamos enfrentar também por esse lado”, destacou o secretário de Segurança, Cézar Schirmer.

A obra em Bento Gonçalves também envolve permuta e o governo estuda duas alternativas: lançar um edital para encontrar empresas interessadas em fazer a construção em troca de imóveis ou contratar a empresa Verdi, que detém exclusividade para realizar edificações em monobloco e permite inexigibilidade de licitação – também entregando imóveis como contrapartida.

O terreno para a obra foi doado pela prefeitura. Conforme o secretário adjunto da Secretaria Estadual de Segurança Pública (SSP-RS), coronel Everton Oltramari, neste momento está sendo feito um estudo com a Procuradoria Geral do Estado (PGE) para definir o modelo de construção e a previsão é de que um contrato seja assinado até o dia 15 de setembro.

O anúncio foi feito pelo governo, nesta terça-feira, durante a inauguração de um novo centro de triagem (CT) para presos. Segundo o secretário de Segurança, Cézar Schirmer, a instalação é mais uma de uma série de projetos que visa aumentar o número de vagas para presos no Estado.

“Estamos inaugurando um novo centro de triagem com 96 vagas. Construído em 19 dias. Uma obra não só feita com muita rapidez, mas com muita solidez e segurança dentro do Presídio Central”, afirmou o secretário. A obra do prédio começou em 18 de julho. Um novo centro de triagem, com 112 vagas, vai começar a ser construído no mesmo terreno com previsão de entrega para entre 40 e 60 dias.

Os presos que eram custodiados no alojamento do Instituto Penal Pio Buck foram transferidos para o novo CT no início da tarde. A previsão da Superintendência de Serviços Penitenciários (Susepe) é fazer a desativação total do prédio, onde vai ser implementado outro projeto, já que o espaço não é adequado para manter apenados de regime fechado, conforme a superintendente Marli Ane Stock.

 

 

 

Destaque Segurança Vídeo