Estado publica nesta terça-feira rateio de ICMS para 2017. Depois de nove anos, publicação do índice provisório volta a ocorrer ainda em junho Estado publica nesta terça-feira rateio de ICMS para 2017 | Foto: Ricardo Giusti / CP Memória

Estado publica nesta terça-feira rateio de ICMS para 2017. Depois de nove anos, publicação do índice provisório volta a ocorrer ainda em junho

O Diário Oficial do Estado (DOE) publica, nesta terça-feira, os índices provisórios de rateio, entre os municípios, do ICMS de 2017. Apurado pela Secretaria da Fazenda, o IPM Provisório (Índice de Participação dos Municípios) leva em consideração o comportamento médio da economia local entre 2014 e 2015, e mostra como o Estado vai repartir cerca de R$ 8,1 bilhões, ao longo do próximo ano, entre as 497 prefeituras gaúchas.

O volume corresponde a 25% sobre a receita de ICMS, projetada em R$ 32,4 bilhões para 2017. Depois de nove anos, a publicação do índice provisório volta a ocorrer ainda dentro do mês de junho, respeitando os prazos determinados pela lei complementar nº 63/90. Com isso, as prefeituras conseguem saber que valores terão disponíveis para também elaborar o orçamento. A partir da publicação do IPM Provisório, abre o prazo para eventuais questionamentos dos municípios para posterior confirmação do percentual definitivo.

O rateio na arrecadação do ICMS é definido por uma série de critérios definidos em lei. O fator de maior peso é a variação média do Valor Adicionado Fiscal (VAF), que responde por 75% da composição do índice, explica o subsecretário da Receita Estadual, Mário Luís Wunderlich dos Santos. O VAF é calculado pela diferença entre as saídas (vendas) e as entradas (compras) de mercadorias e serviços em todas as empresas localizadas no município. Para as empresas do Simples Nacional é feito um cálculo simplificado, que considera como valor adicionado 32% sobre a receita bruta da empresa.

Outras variáveis e os pesos correspondentes são: população, 7%; área, 7%; número de propriedades rurais, 5%; produtividade primária, 3,5%; inverso do valor adicionado per capita, 2%; e pontuação no Programa de Integração Tributária (PIT), 0,5%.

A arrecadação nominal de ICMS em 2015 foi de R$ 27,1 bilhões, e o repasse de ICMS aos municípios de R$ 5,45 bilhões. Para 2016, a previsão de repasse é de R$ 7,7 bilhões, caso se confirme a arrecadação nominal de R$ 30,8 bilhões. Até o mês de maio, as transferências de ICMS alcançaram R$ 2,14 bilhões. (Correio do Povo)

Economia Notícias

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *