Financiamento para carro gerou calote de R$ 22,8 bi. ‘Farra’ do crédito entre 2010 e 2011 chegou a R$ 209 bilhões; bancos ainda tentam receber R$ 15,3 bilhões

Financiamento para carro gerou calote de R$ 22,8 bi. ‘Farra’ do crédito entre 2010 e 2011 chegou a R$ 209 bilhões; bancos ainda tentam receber R$ 15,3 bilhões

Dos R$ 209 bilhões emprestados por bancos para o financiamento de carros em 2010 e 2011, houve problemas para receber R$ 38,1 bilhões: R$ 22,8 bilhões são considerados prejuízo, mas as instituições financeiras ainda tentam reaver R$ 15,3 bilhões, de acordo com dados do Banco Central. O período marcou um “boom” no setor automotivo, com desconto no Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para carros, novos projetos de montadoras e concessão de crédito fácil pelos bancos, que liberaram em média R$ 3.339,66 a cada segundo em financiamentos. Em abril de 2011, dos créditos com prazo superior a 60 meses concedidos para a compra de veículos, 34% tiveram problemas. Em 2017, esse número não chegou a 1%. Ainda hoje há consumidores com carnê para quitar daquele período, e 251 registravam atraso de 30 dias nos pagamentos, segundo o Banco Central. A reportagem completa está em O Estado de São Paulo.

Destaque Economia