Flagrados mais de 100 condutores com IPVA atrasado em blitze na Capital e em Gravataí Sete mil pagaram o imposto desde o levantamento anterior, divulgado na semana passada

Flagrados mais de 100 condutores com IPVA atrasado em blitze na Capital e em Gravataí

A Receita Estadual revelou que um em cada 16 condutores abordados, hoje, em blitze realizadas na Capital e em Gravataí dirigia com o IPVA atrasado. As barreiras prosseguem, em junho, para coibir a inadimplência do imposto, que chega a 20%. Dos 1.663 veículos vistoriados hoje, 104 tinham irregularidades. Em Porto Alegre, 756 motoristas foram parados, com 23 deles flagrados com pendências na documentação. Já em Gravataí, foram 907 vistoriados, com 81 situações pendentes. A estimativa é de que, entre o imposto atrasado e as multas, a arrecadação resulte em R$ 78,6 mil.

De uma frota pagante superior a 3,6 milhões, 712 mil veículos seguem transitando com o imposto atrasado. Sete mil pagaram o IPVA desde o levantamento anterior, divulgado na semana passada. A Fazenda ainda espera R$ 338,4 milhões para que se confirme a previsão de arrecadar, no total, R$ 2,45 bilhões. Metade dos valores fica com as prefeituras, conforme o emplacamento do veículo.

Pela primeira vez, o calendário de pagamento do IPVA, em 2016, se encerrou em abril. Já os prazos para renovar o Certificado de Registro e de Licenciamento de Veículo (CRLV) vencem até o fim de julho, conforme a placa. Em função disso, as blitze de hoje priorizaram a fiscalização de veículos com finais de placa 1, 2 e 3, cujo calendário de licenciamento também já expirou. Só entre esse grupo, deixaram de ser pagos R$ 82 milhões. Em 31 de maio, vence o prazo para renovar o licenciamento para as placas com finais 4, 5 e 6.

Hoje, o chefe da Divisão de Fiscalização e Arrecadação da Receita Estadual, Edison Moro Franchi, confirmou que as operações terão sequência em outras regiões, a partir de junho. Em Porto Alegre, onde a inadimplência chega a R$ 65,5 milhões, a prefeitura passou a enviar cinco mil cartas a contribuintes que não quitaram o imposto dentro do prazo.

Transitar sem o registro do veículo em dia significa infração gravíssima (art. 230, V, do Código de Trânsito Brasileiro), com risco de multa de R$ 191,53 e sete pontos no prontuário da Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Além disso, há custos pelos serviços de guincho. (Rádio Guaíba)

Cidade Direito Direito do Consumidor Notícias Poder Política Porto Alegre Segurança

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *