Grupo volta a protestar por segurança em frente à casa de Sartori.  Manifestantes colheram assinaturas para abaixo-assinado que pede providências do governo estadual Manifestantes colheram assinaturas para abaixo-assinado que pede providências do governo do Estado. Foto: Fabiano do Amaral

Grupo volta a protestar por segurança em frente à casa de Sartori. Manifestantes colheram assinaturas para abaixo-assinado que pede providências do governo estadual

Um grupo de manifestantes voltou a protestar por segurança, nesta sexta-feira, em frente à residência do governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori, na zona Sul de Porto Alegre. Cerca de 50 manifestantes se reuniram no local, com balões e cartazes pedindo “socorro, segurança já!”. Eles também colheram assinaturas para um abaixo-assinado pedindo providências da administração pública contra a violência.

O movimento, que se rotula apartidário, criou um documento entitulado “segurança urgente- #reagecidadão”, em que lista propostas e pede ações efetivas do governo contra a insegurança. Conforme os participantes, cerca de 35 mil assinaturas foram colhidas nos últimos cinco meses.

Nessa quinta, dois grupos, um da zona Norte e outro da zona Sul de Porto Alegre fizeram um “velório” simbólico do governo do Estado, com oito cruzes representando vítimas recentes da violência.

Ao menos três protestos para cobrar mais segurança nas ruas estão marcados para este final de semana, em Porto Alegre. O primeiro acontece no fim da manhã deste sábado no bairro Higienópolis, no entorno do Colégio Dom Bosco, onde a mãe de um aluno foi morta na quinta-feira em tentativa de assalto.

No final da tarde deste sábado, mais uma Serenata Iluminada acontece no Parque da Redenção, na área central. O evento já havia sido previsto para o fim de semana e busca cobrar mais segurança para a utilização de espaços públicos à noite. O grupo se concentra a partir das 18h, na área próxima ao Monumento ao Expedicionário.

Já no domingo, a partir das 15h, outra mobilização é promovida por pais, professores e alunos de colégios da zona Norte, no Parque da Encol. Os organizadores pedem que todos vistam preto ou se fantasiem como palhaços para demonstrar luto e indignação pela insegurança na Capital. (Correio do Povo)

Destaque Poder Política Porto Alegre Segurança