Henrique Fontana diz que crise política foi provocada pela oposição a partir do resultado das eleições de 2014

 

O deputado federal Henrique Fontana (PT-RS), que integra a Comissão Especial do Impeachment da Presidente Dilma, disse que o grande problema da crise que vivemos hoje é porque parte da oposição está convulsionando o país por não aceitar o resultado das eleições de 2014. Em entrevista ao Programa Agora, da Rádio Guaíba, o parlamentar disse que o Brasil vive a fase mais profunda de investigação de corrupções de sua História e por conta disso é preciso manter a serenidade para garantir a estabilidade institucional no País nesse momento.

Fontana destacou que contra Dilma não há única prova ou crime cometido, pois se os deputados tentarem forçar o impeachment da presidente será uma clara tentativa de golpe. Falou que ao agregar ao processo o documento de delação premiada do senador Delcídio do Amaral de forma seletiva foi cometida nova ilegalidade no processo. O deputado adiantou que no início da semana que vem a presidente deve ser notificada de novo para que comecem a contar os prazos de sua defesa, que foi prejudicada por esse episódio.

Fontana entende que o impeachment que está na Constituição é para ser aplicado em caso de roubo ou corrupção a mandatários das 3 esferas de governo, o que não se aplica a Dilma. Citou que os roubos das Operações Zelotes e Lava Jato tem como maiores beneficiados parlamentares do PP e do PMDB. Disse que  um debate sério sobre o futuro do Brasil deve passar por uma Constituinte para mudar os rumos nacionais. Contudo, não se pode imputar um caráter fascista para condenar um partido que está no poder sem julgamento ou provas. Disse que é preciso punir os grandes empresários, aos quais também está sendo imputada a culpa pela crise atual. (Redação: Luis Tósca/Rádio Guaíba)

Direito Notícias Poder Política