Impactados pela insegurança, porto-alegrenses gastaram menos com roupas e mais com materiais de construção em 2015, aponta Sindilojas

Impactados pela insegurança, porto-alegrenses gastaram menos com roupas e mais com materiais de construção em 2015, aponta Sindilojas

As lojas de vestuário e calçados da Capital registraram queda de 6,4% nas vendas em 2015, em relação ao ano anterior, conforme levantamento divulgado hoje pelo Sindilojas (Sindicato dos Lojistas de Porto Alegre). A entidade destaca que o resultado confirmou a tendência de queda no setor já registrada pelo IBGE no Rio Grande do Sul. Em nível estadual, segundo o instituto de estatísticas, o volume de vendas de roupas e calçados caiu 12,3% de janeiro a novembro, em comparação com 2014.

A menor disposição dos consumidores em gastar com vestuário foi percebida principalmente nos meses em que os servidores públicos estaduais tiveram salários parcelados e paralisaram atividades, de acordo com o Sindilojas. A queda nas vendas foi de 18% em agosto e de 21% em setembro. O vice-presidente da entidade, Arcione Piva, também atribui o resultado à sensação de insegurança nas ruas gerada pelos protestos de policiais.

Em contradição, o setor de materiais de construção encerrou o ano com saldo positivo de vendas, 3,4% maior do que no ano anterior. Para o representante, o resultado revela que, ao deixar de gastar para melhorar o guarda-roupa, os porto-alegrenses investiram em reformas para manter a segurança dentro de casa. “Temos um problema de insegurança. Então, tenho que arrumar minha casa para ficar mais tempo dentro de casa. Isso é um fator para a venda dos materiais de construção em 2015, porque as famílias se voltaram a cuidar das suas casas e se proteger”, analisa.

Os dados foram apresentados na pesquisa Termômetro do Varejo, realizada mensalmente pelo Sindilojas para avaliar a atividade econômica dos três segmentos. (Bibiana Borba/Rádio Guaíba)

Economia Negócios Notícias