Livros: Liga da Canela Preta reconta trajetória negra no futebol em Porto Alegre Pesquisa de José Antônio dos Santos recupera a formação dos primeiros times étnicos do Rio Grande do Sul e a organização de torneios que ajudaram a consolidar o esporte no Estado.

Livros: Liga da Canela Preta reconta trajetória negra no futebol em Porto Alegre

Para quem gosta de futebol, uma leitura obrigatória e se você não gosta do esporte bretão, mas gosta da boa história, leia também. Está nas livrarias o mais novo lançamento da  Diadorim Editora, “Liga da Canela Preta: a história do negro no futebol”. Escrito pelo historiador e pesquisador José Antônio dos Santos, a obra é resultado de uma pesquisa de seis anos. O livro investiga uma das passagens menos documentadas do futebol gaúcho: a história dos clubes e associações esportivas que, na primeira metade do século XX, promoveram campeonatos de futebol onde o povo negro era o protagonista e que iam contra a estrutura então estabelecida pelos grandes clubes dos primórdios do futebol gaúcho.

47577485_122466022030747_617431519081791488_n (1)O autor demonstra, no livro, que o futebol se desenvolveu de múltiplas formas e com diferentes protagonistas. E que as elites não foram, necessariamente, o centro desse processo. “Para além das representações correntes, as quais definem as elites como principais atores no desenvolvimento do jogo de bola na cidade, me afasto das perspectivas que afirmam que o futebol teria surgido entre os grupos privilegiados e irradiou-se para os grupos subalternos”, define Santos. O livro terá sessão de autógrafos no próximo sábado (15/12), às 15h, no Boteko do Caninha (rua Barão do Gravataí, 577). Sobre o livro, o jornalista Jones Lopes da Silva, que assina a apresentação, diz o seguinte: “A obra do historiador José Antônio dos Santos vem esclarecer fantasias, informações desencontradas, afirmações não comprovadas e narrativas consagradas a respeito.

Em “Liga da Canela Preta: a história do negro no futebol”, José Antônio afirma que não houve exatamente uma Liga da Canela Preta no início do século XX em Porto Alegre. Segundo Santos, desde 1913 os moradores dos bairros negros constituíram ligas de futebol de várzea com pomposos nomes que lhes concediam identidade e um sentido associativo. Surgiu assim a Liga de Futebol Sul-Americana e, mais tarde, brotaram tantas outras. Em 1920 nasceram na várzea a Liga Nacional de Football Porto-Alegrense, a Associação Esportiva de Football e a Associação de Amadores de Football. Seus times jogavam entre si nos mesmos campos dos baixios da cidade. E se sucederam associações ao longo dos tempos”. E prossegue: “Santos vasculha sobre o nascimento do futebol em Porto Alegre, de como as comunidades alemã e portuguesa incentivaram a prática do esporte bretão com o propósito de alternativa saudável de lazer. E de como, à parte os amistosos de pioneiros clubes de euro-descendentes, a exemplo do Grêmio, Fuss-Ball e Rio Grandense, negros e brancos pobres se organizaram em sociedades, agremiações bailantes, culturais, beneficentes e blocos de carnaval em demonstração de força política de identidade e de sobrevivência social, 15, 20, 25 anos adiante da Abolição da Escravatura, de 1888”.

 

Liga da Canela Preta: a história do negro no futebol, de José Antônio dos Santos

Diadorim Editora 192 páginas

Projeto gráfico: Roberto Schmitt-Prym

Capa: Poti Silveira Campos

Preço: R$ 40

Cultura Destaque