Morre o músico Paulinho Pires. Instrumentista se destacava como exímio tocador de serrote

Morre o músico Paulinho Pires. Instrumentista se destacava como exímio tocador de serrote

Morreu hoje na Santa Casa de Porto Alegre, o músico Paulinho Pires. A família ainda não informou onde ocorrerão os atos fúnebres e o sepultamento. Grande poeta, compositor, instrumentista, intérprete, autor de mais de duas centenas de canções com temáticas regionais e boêmia, destacou-se também como um exímio instrumento de serrote e tem um CD gravado, “Paulinho Pires, Versos e Cantigas” Uma de suas músicas mais conhecidas, “Súplica do Rio”, apresentada na longínqua 8ª Califórnia da Canção, é considerado “o primeiro grito ecológico” dos festivais gaúchos.  Paulinho Pires, nasceu na Ilha do Cônsul, no Delta do Jacuí. Depois aos 4 anos foi morar na Ilha das Flores, onde passou boa parte da infância. As 5 anos começou com a gaita de boca ele gostava de lembrar que cresceu em contato com a natureza. Aos 16 ganhou um violão com o qual participava de festas, casamentos, quermesses, folias de carnaval e bailes tocando vanerões, xotes e serenatas. “Tenho um pé no campo outro na cidade”, diz. De fato, da Ilha viu Porto Alegre crescer, ao mesmo tempo que do outro lado olhava o campo.

Aos 20 anos saiu das Ilhas e se mudou para a cidade de Porto Alegre, quando começou a tocar com o Grupo de Arte Nativa Estância da Amizade, começando também a tocar serrote, e iniciando suas apresentações em público. Desde então construiu uma carreira sólida e respeitada na música do Rio Grande do Sul.  (Felipe Vieira com informações do Jornal do Mercado)

Cultura Destaque Música Saúde Vídeo