Morre segunda vítima atingida por marquise no Centro de Porto Alegre.  Eva Lenir Flores da Silva estava internada em estado grave no HPS

Morre segunda vítima atingida por marquise no Centro de Porto Alegre. Eva Lenir Flores da Silva estava internada em estado grave no HPS

Marquise desaba de prédio no Centro de POA. Foto: Gabriel Jacobsen/Rádio Guaíba
Marquise desaba de prédio no Centro de POA. Foto: Gabriel Jacobsen/Rádio Guaíba

Eva Lenir Flores da Silva, de 59 anos, morreu no final da noite passada no Hospital de Pronto Socorro de Porto Alegre. Ela estava internada em estado grave após ter sido atingida por uma marquise no Centro da Capital na manhã de ontem. Eva morava em Triunfo. O desabamento da marquise também resultou na morte de Tatiane Duarte da Silva, de 34 anos, que era funcionária de uma lancheria no local. O acidente ocorreu na avenida Salgado Filho, junto à esquina com a rua Annes Dias, quase em frente à Santa Casa.

O Conselho Regional de Engenharia (CREA/RS) informou que a Prefeitura não está correta em afirmar que reformas de fachadas em prédios privados não carecem de autorização do poder público. De acordo com o órgão, quando existe intervenção em calçadas ou passeios de pedestres, a empresa é obrigada a pedir autorização municipal.

Essa é a avaliação do vice-presidente do Conselho, Fernando Martins. “Até porque é fundamental garantir que não haverá queda de nenhum tipo de material ou ferramentas venham ao cair sobre as pessoas. Portanto, quando há avanço sobre o passeio haverá necessidade de solicitar autorização do poder municipal”, considerou.

Conforme o delegado Omar Abud, responsável pela investigação do caso, a principal hipótese para a queda da estrutura é o sobrepeso. “Mas só com a conclusão do inquérito para haver certeza disso”, alertou. Outra possibilidade é a colisão do elevador da obra sobre a estrutura que caiu.

A reportagem procurou, mas não localizou a empresa, nem a engenheira responsável pela obra no edifício. (Rádio Guaíba)

Cidade Notícias