Presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Rosa Weber Foto: Dida Sampaio/Estadão

O futuro de Dilma: Funcionária da FEE-RS ela deve pedir aposentadoria

No único pronunciamento que fez após ser cassada, a ex-presidente Dilma Rousseff foi clara como deve se comportar na política, repetiu que é vítima de um golpe, e disse que vai fazer uma oposição enérgica e incansável a Temer, mas não deu pistas sobre como vai pagar suas contas no futuro. Mesmo afastada ininterruptamente da FEE-RS desde 1998, quando pediu licença para realizar o doutorado e depois em função da cedência para governos estaduais e federal. Ela nunca mais voltou a dar expediente na Rua Duque de Caxias, 1691, em Porto Alegre. Dilma continua “empregada” na Fundação de Economia e Estatística, apesar de já ter tempo suficiente para aposentadoria. Hoje o contrato de trabalho está suspenso para exercício da presidência da República. Como optou pela remuneração de presidenta, não recebe nada do Estado. Ela pode pedir para voltar a ocupar sua vaga, mas isso não é automático e sinceramente ninguém acredita que Dilma vá voltar a trabalhar na FEE após ocupar o Palácio do Planalto. A identidade funcional 2963736,  corresponde ao cargo técnico X-26, a função que está em extinção no quadro, corresponde a um salário próximo dos R$ 9 mil/mês.
imagem_materia (2)
Para Kátia Abreu, Dilma não deveria ser inabilitada de funções públicas para “continuar trabalhando e suprir suas necessidades”. Foto: Edilson Rodrigues /Agência Senado

Como já tem tempo para aposentadoria, esse deve ser o caminho natural. Por sinal, a Senadora Kátia Abreu se mostrou preocupada em saber como Dilma irá se sustentar com uma aposentadoria de R$ 5 mil, nunca vi a presidente licenciada da Confederação Nacional da Agricultura se preocupar com os aposentados que em média recebem pouco mais de R$ 1 mil no Brasil. Contudo, ela não acredita que a economista Dilma, consiga se virar recebendo cerca de seis salários mínimos. No momento que defendeu a proposta de que mesmo cassada a ex-presidente não perdesse o direito a acessar cargos públicos a latifundiária apelou aos outros senadores: – Peço aos colegas que não apliquem essa pena de inabilitação (dos direitos políticos) pela sua honestidade e idoneidade, independentemente de erros que alguns concordam que ela tenha cometido. A presidente já fez as contas de sua aposentadoria e deve se aposentar com cerca de R$ 5 mil. Então, precisa continuar trabalhando para suprir as suas necessidades – disse Kátia Abreu.

Igual a milhões de outras pessoas, cara Senadora! Aposentadas e aposentados que não conseguem viver com o que recebem e se vocês seguirem sem reformar a previdência a situação vai piorar para eles e também para nós trabalhadores da ativa.

Destaque dilma Direito Economia Notícias Poder Política Porto Alegre