Onyx Lorenzoni diz na ACPA que governo Bolsonaro está fazendo uma revolução silenciosa. Ministro detalhou projetos do Rio Grande do Sul que estão no Programa de Parcerias de Investimentos Onyx: “Antes mesmo da nova previdência, já foram identificados 2,25 bilhões de reais pagos indevidamente.” . Foto: Luís Ventura/ACPA

Onyx Lorenzoni diz na ACPA que governo Bolsonaro está fazendo uma revolução silenciosa. Ministro detalhou projetos do Rio Grande do Sul que estão no Programa de Parcerias de Investimentos

O ministro-chefe da Casa Civil do governo federal, Onyx Lorenzoni informou durante a palestra “O Brasil que estamos construindo juntos”, promovida pela Associação Comercial de Porto Alegre, nesta quinta-feira, 19/09, no Palácio do Comércio, que entre os projetos do Rio Grande do Sul que entraram na carteira do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) estão o carvão, da região de Candiota; aeroportos de Pelotas, Bagé e Uruguaiana; Trensurb; 200 km de linhas de transmissão de energia e 13 subestações. Ainda tem estudos para a concessão de 550 km nas BRs 116/290/158 e 392. Em nível nacional, ressaltou o projeto piloto para PPIs para presídios, creches e parques.

Ele detalhou o que considera uma herança sociopolítico-econômica recebida de governos anteriores, tais como a alta burocracia (com mais de 60 mil atos normativos), endividamento ( 87,9% do PIB); alta carga tributária (35% do PIB); baixos investimentos (1,7% do PIB); perda de competitividade (80ª Posição global e 125ª no Doing Business); maior desemprego da história (13 milhões de pessoas) e baixo índice de IDH (79º posição).

Segundo Lorenzoni, o presidente Jair Bolsonaro recebeu um governo inchado, com 134 estatais, mais de 800 Conselhos, 131 mil cargos em comissão e funções gratificadas e aparelhamento ideológico. “Nosso desejo é gigantesco, mas nosso maior adversário não é a oposição ou a imprensa, mas a alta burocracia pública.”

Até agora, conforme ele, o governo reduziu o número de ministérios de 29 para 22, corte de 21 mil cargos, funções e gratificações no serviço público federal. “A ação vai garantir uma economia de R$ 195 milhões por ano. Até o final de 2019 serão mais 25 mil cargos extintos. Também pretendemos reduzir a carga tributária em um ou dois pontos percentuais.”

A reforma da Previdência busca do equilíbrio fiscal e previsibilidade para o investidor. O ministro acredita que a reforma irá resultar em um trilhão de reais aos cofres públicos nos primeiros dez anos e chegando e 3 trilhões de reais em 20 anos. “Antes mesmo da nova previdência, já foram identificados 2,25 bilhões de reais pagos indevidamente.”

Na Nova Previdência, está embutida a capitalização, que é uma espécie de poupança que o trabalhador fará para garantir a aposentadoria no futuro. Pela competição entre os bancos para conquistar o poupador, Lorenzoni aposta em ganhos para o trabalhador.

Ele considera “uma revolução silenciosa” a MP da Liberdade Econômica, recentemente aprovada pelo Congresso, devendo impulsionar a economia.  “Nossa proposta é simplificar, reduzir e desburocratizar. Quanto menor o peso do estado para quem trabalha e produz. Menos para os cofres do governo e mais no bolso do cidadão. Para isso, estamos mudando paradigmas, tirando o estado do cangote do cidadão, servindo as pessoas e não se servindo delas, resgatando o ambiente de confiança, sendo parceiro de quem produz e gera empregos, estabelecendo relações internacionais com nações democráticas, tornando o país mais seguro.”

 

Destaque