Pacto Alegre define propostas para inovação na gestão pública Iniciativas são para tornar Porto Alegre uma referência global em inovações. Foto: Cesar Lopes/PMPA

Pacto Alegre define propostas para inovação na gestão pública

Mais de 50 representantes de entidades do Pacto Alegre, programa que pretende transformar Porto Alegre em referência global como ecossistema de inovação, passaram a manhã num exercício de criação conjunta que resultou na concepção de três propostas de projetos de modernização da administração pública da cidade, para serem levados à próxima reunião da Mesa do Pacto Alegre, em 31 de maio. As propostas foram concebidas com a visão de que existe apoio para sua implantação imediata e que é possível gerar impactos mensuráveis até novembro de 2019.

Entre as ideias mais apoiadas, está a Cidade Transparente, que visa a dar maior acesso aos cidadãos sobre os dados de governo e estimular a participação cidadã nas ações da cidade. A proposta, denominada inicialmente de Start.Gov, é estruturar uma série de chamadas de startups para trabalhar na proposição de soluções inovadoras para problemas da cidade. Já a proposta Cidadão Único pretende integrar os dados do cidadão junto à prefeitura e ampliar e facilitar o acesso digital da população aos serviços públicos. As iniciativas foram desenvolvidas e votadas como as mais promissoras durante a 3ª Oficina de Ideação de Projetos do Pacto, que ocorreu nesta sexta-feira, 3, no prédio da Unisinos, na zona Norte.

O Pacto Alegre é um compromisso selado pelos atores públicos e privados mais capazes de impactar a cidade, com a missão de gerar as condições para que Porto Alegre se torne um polo de inovação com capacidade de atrair investimentos, fomentar o empreendedorismo, gerar e reter talentos. A ideia é alinhar as forças de todos os segmentos da sociedade em prol de uma agenda comum e do compartilhamento de recursos. A gestão do processo é coordenada pela Aliança para Inovação, que envolve Ufrgs, PUCRS e Unisinos, em parceria com a Prefeitura de Porto Alegre.

De maneira dinâmica, os representantes das entidades refletiram sobre o que seria relevante para melhorar a gestão da cidade. Após rodadas de debate e observação, os participantes foram divididos em quatro times, que tinham a tarefa de juntar e estruturar as ideias na forma de propostas de projeto, levando em conta requisitos relevantes de impacto, recursos, liderança e entrega. Foram propostas 15 ideias no total e depois selecionadas as mais apoiadas.

Para o secretário-adjunto municipal de Planejamento e Gestão, Daniel Rigon, a busca por uma capital mais moderna é o maior desafio do Pacto. “Tirar as pessoas da rotina é um fator motivador importante para que elas pensem, discutam e trabalhem por um novo futuro”, afirma. “Precisamos montar um ambiente propício aos negócios, que crie condições para gerar desenvolvimento econômico à capital e ao Estado”, acrescenta Alexander Leitzke, gerente de planejamento do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE).

Porto Alegre mais criativa – Para trilhar o desafio da inovação, Porto Alegre se espelha em modelos exitosos das metrópoles que mais estimulam o empreendedorismo no Brasil e na América Latina, como Rio de Janeiro, Florianópolis, São Paulo e Medellín, na Colômbia. A capital do departamento colombiano de Antioquia, por exemplo, deixou de ser a mais perigosa do mundo, entre 1980 e 1990, para se tornar uma das mais criativas. Graças a um projeto de continuidade que, ao longo de 20 anos, não foi afetado pelas trocas de governo a cada quatro anos.

Na avaliação do coordenador do Pacto Alegre, Luiz Carlos Pinto da Silva Filho, a capital dos gaúchos tem grande potencial para virar referência mundial. Segundo ele, a transformação já começou com a mobilização da sociedade para selar o pacto e com ações concretas do poder público, como ampliar a agilidade nos licenciamentos e revitalizar pontos históricos, como o Quarto Distrito, a Orla do Guaíba e o Cais do Porto. “A inovação é vital para as cidades do século 21 reformatarem relações econômicas e sociais para gerar lugares com mais qualidade de vida”, explica.

Cronograma de reuniões dos macrodesafios

10 de maio – Talentos

20 de maio – Transformação Urbana

24 maio – Qualidade de Vida

Comunicação Destaque Notícias