Para barrar impeachment, governo quer destacar laços entre Temer e Cunha; por Vera Rosa / O Estado de S.Paulo Mensagem foi descoberta no celular do ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha. Foto de Arquivo: J. Batista/ Câmara dos Deputados

Para barrar impeachment, governo quer destacar laços entre Temer e Cunha; por Vera Rosa / O Estado de S.Paulo

Prestes a perder o apoio do PMDB, o governo decidiu subir o tom e enfrentar o que chama de “conspiração” do vice Michel Temer contra a presidente Dilma Rousseff. A ordem no Palácio do Planalto é mostrar a ligação entre Temer e o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que é réu da Lava Jato. Com a nova estratégia, o governo espera fragilizar o discurso da unificação nacional entoado por Temer.

Foi por este motivo que o líder do governo na Câmara, José Guimarães (PT-CE), acusou Temer de estar “no comando do golpe”. Na mesma linha, o líder do governo no Senado, Humberto Costa (PT-PE), disse nesta segunda-feira, 28, que Temer “seguramente será o próximo a cair” se Dilma for deposta pelo impeachment “golpista”.

“Não pense que os que hoje saem organizados para pedir ‘Fora, Dilma’ vão às ruas para dizer ‘Fica, Temer’, para defendê-lo. Não! Depois de arrancarem, com um golpe constitucional, a presidenta da cadeira que ela conquistou pelo voto popular, essa gente vai para casa porque estará cumprida a sua vingança e porque não lhe tem apreço algum. E, seguramente, Vossa Excelência será o próximo a cair”, afirmou Costa, da tribuna do Senado. A reportagem completa está em O Estado de São Paulo.

Direito Notícias Poder Política