Para evitar ‘quase colapso’, UFSM corta ônibus e viagens e limita uso de ar condicionado Serviço de ônibus que circulava pelo campus foi cortado, sem prazo para volta UFSM/DIVULGAÇÃO/JC

Para evitar ‘quase colapso’, UFSM corta ônibus e viagens e limita uso de ar condicionado

A vida dos estudantes, professores e funcionários ficou mais difícil no campus no bairro Camobi, o maior da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Até a semana passada, a comunidade podia circular pelas longas distâncias com um ônibus interno, porém, desde segunda-feira, o serviço está suspenso sem prazo para ser retomado. Além disso, foi adotada restrição em viagens e no uso do ar condicionado. Em agosto, o suco já havia sido cortado das refeições dos restaurantes universitários (RUs). O motivo é a restrição orçamentária imposta pelo governo federal à área de educação.

“É preciso tomar iniciativas preventivas para um cenário que seria de quase colapso”, justificou o reitor da UFSM, Paulo Burmann, em entrevista à BandNews. Burmann observa que a redução fará “a universidades continuar funcionando dentro do orçamento disponível”.

Leia mais no Jornal do Comércio

Comunicação Destaque Notícias